Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ruth Natalia Teresa Turrini

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • monitoramento extra-hospitalar por aplicativo de complicações em pacientes em uso de cateter central de inserção periférica atendidos em hospital dia
  • Introdução: O uso extra-hospitalar do Cateter Central de Inserção Periférica tem sido encorajado com o objetivo de diminuir custos, aumentar a rotatividade de leitos e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. No entanto, o uso de cateteres pode estar associado a diferentes complicações. A literatura mostra que há um déficit de conhecimento quanto as taxas de complicações em pacientes em uso ambulatorial de Cateter Central de Inserção Periférica, principalmente devido à dificuldade de monitoramento destes pacientes. Porém, o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação tem se expandido entre os profissionais de saúde e facilitado a comunicação e identificação de demandas dos pacientes de forma rápida e eficiente. Objetivo: Desenvolver e avaliar o efeito da utilização de aplicativo para Smartphone para monitoramento extra-hospitalar de complicações relacionadas ao uso do Cateter Central de Inserção Periférica (PICC) por pacientes em atendimento extra-hospitalar por meio de Hospital Dia. Metodologia: O estudo será desenvolvido em cinco sub-projetos denominados como etapas. ETAPA I - Necessidade de conhecimento dos pacientes sobre PICC para a alta – estudo qualitativo que utilizará a técnica de grupo focal a ser conduzida com paciente por ocasião da alta com PICC. ETAPA II: Revisão, atualização e validação de conteúdo das orientações de manejo domiciliar do PICC – estudo metodológico que utilizará as informações da ETAPA I, da revisão de diretrizes nacionais e internacionais para a manutenção do PICC, e orientações rotineiras dadas aos pacientes para desenvolvimento de um protocolo institucional para orientação dos pacientes de alta com PICC. O protocolo será validado com juízes e servirá para construção do aplicativo de monitoramento e orientações dos pacientes no ensaio clínico. ETAPA III: Elaboração do Aplicativo “Meu PICC”,para monitoramento dos pacientes com PICC no domicílio. O aplicativo será disponibilizado para Smartphones nas plataformas Android e iOS, seu download e uso gratuitos para o usuário, utilizando apenas rede WiFi ou dados móveis. ETAPA IV: Ensaio Clínico Randômico Controlado – a ser realizado no Instituto do Coração, haverá um grupo controle que receberá as orientações de acordo com o protocolo elaborado e atendimento rotineiro no ambulatório e o grupo intervenção além do mesmo seguimento do grupo controle também será monitorado por aplicativo. O desfecho será a redução de complicações. ETAPA V: Desenvolvimento de tecnologia educativa para Manejo do PICC no domicílio. De acordo com os resultados e ajustes que se fizerem necessários será desenvolvido uma tecnologia educativa para orientação de pacientes na alta com PICC e sua colocação no aplicativo Android e IOS para apoio aos pacientes em uso de PICC no domicílio de forma gratuita. o projeto respeitará os aspectos éticos da Resolução 466/2012.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ruy Carlos Ruver Beck

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de nanomedicamentos inovadores por impressão 3d
  • A tecnologia de impressão 3D tem despertado considerável atenção na última década para a produção de formas sólidas na área farmacêutica, com grande potencial de patenteamento de novos sistemas de liberação. Estes produtos tem sido delineados como sistemas de liberação imediata e controlada, contendo um ou mais fármacos, e focados na personalização da terapia (personalized medicine). Em 2015, a comercialização dos primeiros comprimidos produzidos por impressão 3D (tecnologia ZipDose®) foi aprovada pelo FDA. Os estudos a cerca do emprego de tecnologias de impressão 3D na área farmacêutica tem aumentado consideravelmente nos últimos 5 anos, incluindo estudos in vivo de segurança e eficácia e avaliação da percepção pública de medicamentos produzidos por essa tecnologia. Aliados a essa realidade, em 2016 e 2017, trabalhamos nessa área e publicamos o primeiro artigo que combina a impressão 3D com a nanotecnologia farmacêutica, agregando a nossa expertise na área de nanotecnologia com a tecnologia de impressão 3D. Naquele primeiro estudo foram desenvolvidos comprimidos por impressão 3D (modelagem por fusão e deposição), que foram impregnados com nanocápsulas poliméricas no final do processo, demonstrando as possibilidades de customização do perfil de liberação de fármacos. Neste momento, o projeto atual tem como objetivo preparar formas sólidas (nanomedicamentos) contendo nanocarreadores orgânicos e/ou inorgânicos adicionados no início do processo de produção, empregando duas técnicas de impressão 3D, a modelagem por fusão e deposição e a estereolitografia, como estratégias para personalização das terapias. Trata-se de abordagem inédita para a produção de nanomedicamentos por impressão 3D, na qual serão avaliadas de maneira aprofundada as propriedades físico-químicas, morfológicas, calorimétricas e biofarmacêuticas dos produtos inovadores obtidos, estudando fatores quali e quantitativos sobre as suas propriedades.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ryzia de Cássia Vieira Cardoso

Ciências da Saúde

Nutrição
  • a gestão politica da pesca artesanal e o uso do pescado na alimentação escolar: cenários em países latinos e a realidade no brasil
  • A pesca artesanal compreende importante cadeia produtiva, contribuindo com a oferta de mais da metade do pescado consumido em todo o mundo, e exercendo também papel importante na segurança alimentar, por auxiliar na redução da pobreza. Todavia, a atividade tem enfrentado vários desafios, incluindo a redução dos estoques pesqueiros, a disputa por territórios, desigualdades nas relações de poder, com limitada participação social e políticas desfavoráveis que, em geral, limitam o apoio necessário. Assim, o setor tem sido caracterizado como trabalho rústico e precário, com perda de qualidade das espécies comercializadas. Embora o pescado seja um alimento de destacada contribuição nutricional e tenha papel preventivo para doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, registra-se, no Brasil, um baixo consumo pela população, bem como no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Assim, este estudo objetiva analisar comparativamente a gestão da pesca artesanal e a utilização dos seus produtos no Programa de Alimentação Escolar, na realidade de três países latinos- Brasil, Colômbia e Chile. Trata-se de estudo descritivo, com abordagem qualitativa e quantitativa, organizado em quatro eixos: i. a avaliação da gestão política da pesca artesanal nos três países; i.i. a sistematização de estudos sobre a inserção do pescado no programa de alimentação escolar, com ênfase na América Latina e no Brasil; i.i.i. a avaliação da condução de uma estratégia para inserção de produtos da pesca artesanal na alimentação escolar em município da região Nordeste, em comparação com experiências no Sudeste e Sul do Brasil; e i.v. a geração de subsídios para tomada de decisão política em apoio à pesca artesanal e à inserção do pescado artesanal no Programa Nacional de Alimentação escolar. No primeiro eixo, planeja-se o estudo comparativo do marco legal sobre pesca artesanal, nos três países, bem como a condução de entrevistas com gestores públicos federais e representantes de organizações da sociedade civil organizada, de modo permitir a análise das políticas na perspectiva histórica, quanto à estrutura governamental, do marco legal vigente e dos avanços e desafios no fortalecimento da cadeia produtiva e para promoção da segurança alimentar. No segundo eixo, far-se-á um levantamento de estudos que descrevam experiências de inserção de pescado na alimentação escolar, buscando identificar metodologias para maior uso deste alimento junto aos escolares. No terceiro eixo, tem-se um estudo de intervenção, em continuidade a projetos anteriores, a ser comparado com outras experiências. O estudo contempla três percursos metodológicos, compreendendo: fortalecimento da formação em Boas Práticas de Produção, para comunidades já treinadas e comunidades não treinadas; a avaliação da composição nutritiva e de indicadores físico químicos de espécies nativas, ainda não registradas na literatura; levantamento, seleção e padronização de preparações culinárias à base de pescado, para introdução junto ao PNAE, junto às comunidades pesqueiras, com avaliação do impacto das estratégias de intervenção. Fechando essas atividades, pretende-se elaborar um livro (digital), a ser usado como material de divulgação para o PNAE. No último eixo, espera-se a geração novos conhecimentos e a elaboração de produtos científicos e técnicos, com potencial contribuição para a tomada de decisão, em diferentes níveis de gestão pública, e para fomentar a integração da pesca artesanal em cadeias formais de suprimento de alimentos, favorecendo o desenvolvimento local. Pelo escopo, o estudo projeta contribuições nas dimensões científica, tecnológica, social e econômica.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sabrina Deise Finamori

Ciências Humanas

Antropologia
  • “maternidade solo”: parentalidades, conjugalidades e noções de família
  • Este projeto tem por objetivo analisar a relação entre parentalidades e conjugalidades a partir dos movimentos atuais em torno do que vem sendo nominado como maternidade solo. Tendo em vista a carga histórica associada ao termo “mãe solteira”, muitas mulheres que cuidam sozinhas de seus filhos, por opção ou não, aderiram à expressão “mãe solo” desvinculando a relação parental da conjugalidade à qual usualmente aparecia vinculada. Reunidas em torno de coletivos feministas ou grupos virtuais, essas mulheres têm produzido, a partir de suas próprias experiências parentais, reflexões em torno dos sentidos sociais da maternidade e de suas práticas cotidianas, feito reivindicações de direitos e denunciado discriminações sofridas por elas ou seus filhos. Ao trazerem esse debate à tona, têm colocado em pauta questões mais amplas que dizem respeito a direitos e deveres maternos e paternos bem como a definições sobre o que constitui o cuidado de crianças e como a noção de família pode ser (re)definida nestes contextos particulares. Assim, por meio de uma pesquisa qualitativa, baseada em levantamento de reportagens sobre a temática, análise da produção audiovisual em torno da questão, como livros, ilustrações e vídeos; mapeamento de fóruns de discussão ou coletivos de apoio (presenciais ou virtuais), etnografia em encontros desses grupos, entrevistas com propositoras ou participantes desses coletivos e fóruns e elaboração de narrativas de vida com mulheres que se autodenominam “mães solo”, a pesquisa visa analisar o quadro valorativo-moral que informa como os conceitos de conjugalidade e parentalidade tem sido articulados e desarticulados nas experiências contemporâneas autodenominadas “maternidade solo”. Ao mesmo tempo, visa compreender em que medida a noção de família é revista e as responsabilidades e os direitos maternos e paternos são reconfigurados neste processo.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022