Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ricardo Toshio Fujiwara

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • novos testes sorológicos para diagnóstico da esquistossomose mansoni e geo-helmintíases – da sorologia convencional para bioinformática e nanotecnologia
  • Apesar do desenvolvimento tecnológico que tem sido observado na área de saúde humana, as doenças causadas por infecções parasitárias ainda representam um grave problema de saúde pública, afetando 1,8 bilhões de pessoas em todo o mundo. De forma geral, as infecções parasitárias, especialmente as helmintoses, são doenças crônicas e debilitantes que impactam negativamente a saúde e produtividade do trabalhador, bem como o desenvolvimento intelectual e físico de crianças infectadas, especialmente em populações pobres. As políticas públicas de controle das principais helmintoses que afetam populações humanas, como esquistossomose e geohelmintoses, são baseadas principalmente no tratamento em massa dos indivíduos em áreas de alta endemicidade ou em diagnóstico e tratamento dos indivíduos infectados em locais de baixa e moderada prevalência. Estas medidas, apesar de ter resultado em redução expressiva da carga parasitária e, consequentemente, dos casos mais graves das doenças, não previnem reinfecções e ainda favorecem o estabelecimento de resistência ao tratamento e a manutenção de indivíduos infectados com baixa carga parasitaria, que geralmente são assintomáticos e não tem acesso ao tratamento. Por outro lado, o tratamento seletivo de pessoas infectadas demanda a utilização de testes mais sensíveis e específicos de diagnóstico, capazes de identificar indivíduos com baixa carga parasitária e/ou falhas de tratamento, que permitem a contaminação ambiental e a manutenção da transmissão dos parasitos. A utilização das técnicas clássicas de exame de fezes tem se mostrado pouco eficiente para diagnóstico destes casos, especialmente em indivíduos infectados por Schistosoma mansoni e Strongyloides stercoralis, helmintos que produzem e/ou eliminam poucos ovos ou larvas nas fezes, e até com geohelmintos que produzem muitos ovos, mas vivem em áreas submetidas a intervenções frequentes sem controle de cura. Este novo cenário epidemiológico das helmintoses no Brasil tem sido o foco dos estudos realizados pelo nosso grupo de pesquisa. Especificamente no caso da Esquistossomose, nossos dados demonstraram que o exame de fezes pelo método de Kato-Katz, técnica utilizada pelo serviço de saúde para identificar infecção por S. mansoni em áreas endêmicas e prescrever o tratamento especifico, apresenta pouca sensibilidade para diagnosticar indivíduos com baixa carga. Nestas populações também foi verificado que a maioria dos testes parasitológicos utilizados isoladamente, bem como o teste rápido comercialmente disponível (POC-CCA), teve baixa sensibilidade e pouca concordância com o teste de referência criado pela combinação de todos os testes parasitológicos empregados. Também foi verificado que o teste parasitológico Helmintex e a técnica molecular de PCR em Tempo Real em amostras de fezes, foram as técnicas mais sensíveis para diagnostico de indivíduos com baixa carga parasitária; entretanto, estas metodologias ainda são muito laboriosas, caras e demandam estrutura laboratorial mais sofisticada, sendo muitas vezes inviável de ser utilizada em áreas endêmicas. Desta forma, as metodologias de diagnostico disponíveis até o momento não permitirão atingir a meta de eliminação da esquistossomose como problema de saúde pública e/ou interrupção da transmissão da infecção no país. Baseado nestes dados, nossa equipe iniciou um estudo para padronizar e validar técnicas sorológicas para diagnostico de indivíduos infectados por Schistosoma mansoni, verificando a reatividade de diferentes isotipos de anticorpos do soro de indivíduos com perfil parasitológico bem estabelecido e utilizando diferentes extratos antigênicos do parasito. Os dados obtidos até o momento indicam que a reatividade de IgG4 e IgG1 frente a antígenos solúveis obtidos de vermes adultos apresentam boa sensibilidade para o diagnóstico de S. mansoni, mesmo em indivíduos com baixa carga parasitária. Estes dados nos permitem identificar, isolar e caracterizar antígenos reativos nos testes de ELISA que possam ser utilizados para o desenvolvimento de testes rápidos em plataformas convencionais e funcionalizados a nanobiosensores para ser detectado na nova plataforma de diagnostico baseado em nanofotonica – EPEL (Espectrômetro Portátil de Espalhamento de Luz), desenvolvido e patenteado pelos pesquisadores da UFMG e licenciada pela empresa Neovision (BHTec - http://www.neovision.med.br/). O desenvolvimento destas novas ferramentas de diagnostico permitirá aliar o aumento de sensibilidade do teste com a rapidez, facilidade de realização e baixo custo. As novas alternativas de diagnostico serão inicialmente avaliadas no soro de camundongos experimentalmente infectados, onde carga, tempo de infecção, cura parasitológica e reinfecção podem ser facilmente testados. As ferramentas que apresentarem melhor desempenho serão validadas nos indivíduos das áreas endêmicas selecionadas, que serão previamente caracterizados através de exames parasitológicos, utilizando a técnica de Kato-Katz (carga e detecção de geohelmintos) e Helmintex (teste referência para esquistossomose), avaliação clínica e ultrassonografica. Acreditamos que estes dados permitirão a construção de um novo guia de conduta para diagnostico e controle da esquistossomose baseado na realidade epidemiológica atual da doença e visando sua eliminação. Em paralelo, trabalhando em diferentes áreas eco-epidemiológicas no Centro-Oeste, Nordeste e Norte do país, testes sorológicos convencionais e plataformas novas (Imunocromatografia e EPEL) podem ser desenvolvidos e testados como alternativa para detecção de geo-helmintíases ocultas e/ou com carga parasitária reduzida, conforme indicado no território nacional durante o mais recente Inquérito Nacional para Esquistossomose e Geo-Helmintoses.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/03/2020-28/02/2023
Foto de perfil

Ricardo Toshio Fujiwara

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • desenvolvimento de uma vacina quimérica multicomponente para o controle das infecções causadas por tripanossomatídeos
  • As tripanossomíases, causadas por parasitos dos gêneros Leishmania e Trypanosoma, afetam mais de 8 milhões de pessoas no mundo. Esses parasitos são responsáveis pelas leishmanioses e tripanossomíases americana e africana que, juntas, geram a perda de aproximadamente 4,27 milhões de anos de vida ajustados por incapacidade (DALYs) e constituem um grave problema de saúde pública, sobretudo no Brasil. As leishmanioses englobam um complexo grupo de doenças parasitárias que podem levar a um caráter espectral de manifestações clínicas, classificadas em cutânea, mucocutânea, cutâneo-difusa e visceral. Já a doença de Chagas, também conhecida como tripanossomíase americana, é causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e pode ser dividida em duas fases. A fase inicial ou aguda dura aproximadamente de 2 a 3 meses é caracterizada por uma elevada parasitemia e, na maioria dos casos, é assintomática. A fase crônica da infecção é caracterizada pela diminuição da parasitemia e pode ser caracterizada nas formas indeterminada, cardíaca e/ou digestiva. O controle dessas doenças é baseado principalmente no controle do inseto vetor e tratamento dos indivíduos infectados. Entretanto, nem sempre essas medidas são eficazes, pela dificuldade de controle dos insetos vetores e pela toxicidade do tratamento disponíveis, que não resultam na completa cura do indivíduo. Além disso, o número de indivíduos infectados continua crescente, mostrando-se necessário e urgente uma forma de controle mais efetiva, como por exemplo o desenvolvimento de uma vacina capaz de proteger contra todas essas doenças. O uso de uma vacina multimérica polivalente poderia beneficiar o controle de múltiplos patógenos relacionados, gerando uma resposta imune que poderia reduzir a carga parasitária, morbidade da doença e transmissão ao inseto vetor, ao mesmo tempo que geraria uma economia para o setor produtivo e Sistema Brasileiro de Saúde por permitir um único processo vacinal contra diversas doenças negligenciadas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ricardo Tostes Gazzinelli

Ciências Biológicas

Imunologia
  • inct para o desenvolvimento de vacinas
  • As vacinas são consideradas umas das mais bem sucedidas intervenções da medicina no controle das doenças infecciosas. Infelizmente, o número de novas vacinas que sejam efetivas e disponíveis comercialmente é muito pequeno. Entretanto, grandes descobertas científicas e avanços tecnológicos recentes criaram condições promissoras para o progresso no desenho racional de vacinas. Neste contexto, nós propomos o INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM VACINAS (INCTV) para suprir uma demanda científica e tecnológica existente e acelerar o desenvolvimento de vacinas contras doenças infecciosas de interesse médico e veterinário. O INCTV será estruturado em três grandes divisões: (I) Divisão de doenças infecciosas e imunologia; (II) Divisão de tecnologia em vacinas; e (III) Divisão de desenvolvimento de vacinas. A Divisão de Doenças infecciosas e imunologia abrangerá três áreas principais: (a) imunologia; (b) Interação patógeno-hospedeiro; e (c) genômica, que juntas darão suporte científico básico para o desenvolvimento de vacinas que induzem imunidade protetora robusta e duradoura. A Divisão de tecnologia em vacinas será estruturada em quarto plataformas tecnológicas que serão utilizadas para a geração de novas formulações vacinais: (a) descoberta de adjuvantes; (b) descoberta de antígenos; (c) sistemas de entrega do antígeno; e (d) vetores vacinais vivos atenuados. Finalmente, na Divisão de desenvolvimento de vacinas, as formulações vacinais avançadas, derivadas dos estudo de prova-de-conceito nos laboratórios de pesquisa, seguirão para testes de imunogenicidade e toxicidade em modelos pré-clínicos e ensaios clínicos de fase I bem controlados. Por fim, o grande volume de dados gerado pelas diferentes divisões alimentarão o nosso Núcleo de Vacinologia de Sistemas que combinará análises de sistemas com modelos computacionais e matemáticos fornecendo embasamento para o desenho racional de novas vacinas e para melhorar outras já existentes. Baseado na experiência do nosso grupo, no impacto esperado para a saúde pública, e na ausência de alternativas para controle da doença, nós escolhemos a Doença de Chagas, a Dengue, Leishmanione e Malária causada por P. vivax como alvos de estudo da nossa proposta. Para atingirmos nossas metas, nós reunimos um grupo multidisciplinar composto por cientistas bem estabelecidos assim como jovens promissores com experiências nas áreas de bioquímica, biologia celular, medicina clínica, imunologia, microbiologia, biologia molecular, bioinformática, parasitologia, farmacologia e veterinária, os quais nos permitirão lidar com as questões fundamentalmente necessárias para o desenvolvimento de novas vacinas.
  • Fundação Oswaldo Cruz - MG - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Ricardo Tostes Gazzinelli

Ciências Biológicas

Imunologia
  • monitoração de indivíduos assintomáticos com parasitemia subpatente pelo plasmodium vivax e seu potencial de transmissão para o anopheles (nyssorynchus) darlingi.
  • A infecção por Plasmodium vivax, causa predominante da malária na Ásia e na América Latina, afeta aproximadamente 14 milhões de indivíduos anualmente, com efeitos adversos consideráveis na saúde e no desenvolvimento socioeconômico. Além disso, infecções assintomáticas por P. vivax, decorrente do desenvolvimento da imunidade clínica, são comumente relatadas mesmo em locais de baixa endemicidade, como na maioria das regiões da bacia amazônica. Muitos destes indivíduos têm infecção assintomática subpatente (isto é, indetectáveis por microscopia convencional ou testes rápidos de diagnóstico), mas podem infectar mosquitos vetores, constituindo um reservatório infeccioso silencioso que desafia os esforços de eliminação da malária. Devido à difícil detecção de pacientes com malária assintomática, sem sinais clínicos de doença e microscopia de gota espessa negativa, este subconjunto de pacientes infectados por P. vivax é pouco conhecido, apesar de sua potencial relevância na manutenção do ciclo do parasito em áreas hipoendêmicas. Nesta proposta, pretendemos buscar dois objetivos principais. Recentemente, desenvolvemos um teste rápido imunocromatográfico para detectar IgM e IgG contra malária por P. vivax e determinamos sua sensibilidade e especificidade em comparação à microscopia de gota espessa e à PCR quantitativa para detectar pacientes sintomáticos e indivíduos assintomáticos, respectivamente. Nosso primeiro objetivo será a otimização desse teste rápido para a malária por P. vivax para detectar infecções sintomáticas e assintomáticas em campo, em áreas com infraestrutura precária. Até agora a eficiência da transmissão de P. vivax de pacientes assintomáticos para A. darlingi, bem como sua relevância em manter o ciclo de vida do parasito em campo, é desconhecida. Nosso grupo estabeleceu recentemente uma das primeiras colônias de A. darlingi no mundo e, certamente, a primeira no Brasil, que está atualmente em sua vigésima geração. Essa infraestrutura permite alcançar um segundo objetivo do projeto, que é determinar a eficiência dos indivíduos assintomáticos na transmissão do parasito P. vivax ao A. darlingi, o vetor mais importante da malária na Amazônia. Os indivíduos detectados pelo teste rápido terão a parasitemia total e a gametocitemia definidas pela PCR quantitativa e o sangue será utilizado para alimentar o mosquito nos ensaios de alimentação sanguínea. Ter a capacidade de identificar indivíduos assintomáticos em campo e entender a importância desses indivíduos na transmissão de P. vivax ao mosquito é fundamental para o esforço mundial de eliminar a malária no Brasil e em outros países afetados por esta doença devastadora.
  • Fundação Oswaldo Cruz - MG - Brasil
  • 01/01/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Ricardo Tostes Gazzinelli

Ciências Biológicas

Imunologia
  • inteligência artificial e saúde
  • A proposta da Sociedade Brasileira de Imunologia é realizar ações de grande impacto e coordenadas para atingir toda a sociedade, em especial estudantes, pais e professores. Para tanto, estruturou três importantes momentos: (1) uma exposição virtual sobre Covid-19, com foco em conceitos básicos de saúde e imunologia, novas tecnologias e inteligência artificial, com lançamento para o primeiro dia da Semana de C&T, (2) um curso sobre "Inteligência Artificial e Saúde" a ser dado diariamente entre 17 e 23 de outubro de 2020 por professores youtubers (que possuem milhões de seguidores e são relevantes nas redes sociais) e com pré-anúncio feito no dia 15 de Outubro, que é o Dia dos Professores e (3) uma ação coordenada envolvendo as cinco regionais da SBI e colaboradores, a qual vai incluir tuitaço. Somado aos pontos apresentados, a SBI fará a publicação de podcasts, artigos e lives ao longo da Semana.
  • Sociedade Brasileira de Imunologia - SP - Brasil
  • 23/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Ricardo Utsunomia

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • estudos genômicos sobre a determinação sexual no peixe megaleporinus macrocephalus (characiformes, anostomidae)
  • Os mecanismos responsáveis pela determinação genética do sexo (SD) em vertebrados são diversificados e distintos. Em mamíferos, o gene SRY presente no cromossomo Y é o principal responsável pelo desenvolvimento dos processos relacionados à diversificação sexual, enquanto em aves, o gene DMRT1 é quem se apresenta como o fator de SD, mas, ao contrário do esperado, está localizado no cromossomo Z e não no elemento heteromórfico W. Em peixes, pelo menos cinco genes master já foram identificados como responsáveis pelo desencadeamento deste processo em cinco distintas espécies tidas como modelos. Além disso, múltiplas regiões distribuídas nos cromossomos do complemento normal também podem atuar na SD em algumas espécies deste grupo. Até o momento, cerca de 6% das espécies de peixes Neotropicais estudadas teve caracterizada a presença de cromossomos heteromórficos ligados ao sexo e pouco se sabe sobre a existência de genes ou regiões responsáveis pela determinação do sexo nos componentes deste grupo. Neste sentido, a espécie Megaleporinus macrocephalus (piauçu) se apresenta como um modelo para estudos de SD, uma vez que apresenta um notável sistema de heteromorfismo cromossômico ligado ao sexo do tipo ZW e seu manejo em laboratório, no que se refere a aspectos de manutenção e reprodução, é perfeitamente viável e rotineiro; ressalte-se ainda seu importante valor econômico em programas de piscicultura. Assim, os objetivos do presente projeto envolvem a identificação e caracterização massiva de marcadores moleculares para a construção de um mapa genético de alta densidade para o piauçu, que estabelecerá as bases necessárias para análises de associação de genótipos com fenótipos, considerando-se, neste caso o processo de determinação do sexo, permitindo o mapeamento de loci responsáveis por tais características. Desta forma, as atividades envolverão a investigação dos fatores genéticos responsáveis pela SD em M. macrocephalus como forma de ampliar a compreensão dos mecanismos envolvidos na origem, evolução e estrutura funcional no processo de determinação de sexo neste grupo de organismos e também sobre o papel dos heteromorfismos cromossômicos ligados ao sexo em peixes.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ricardo Vianna Nunes

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • farinha de mexilhão dourado com diferentes granulometrias na alimentação de frangos de corte
  • A invasão do mexilhão dourado (Limnoperma fortunei) nos ambientes aquáticos é considerada um fator de desequilíbrio ambiental ocasionando danos operacionais em usinas hidrelétricas bem como interferência na comunidade fitoplanctônica. Para tanto, alternativas de uso deste molusco vêm sendo estudadas, como a utilização em rações animais na forma de farinha, considerando o alto nível de cálcio apresentado. No entanto, mesmo com sua potencialidade, até o momento não existem dados científicos que correlacionem a inclusão da farinha de mexilhão dourado com diferentes granulometrias na alimentação de frangos de corte. Assim, este projeto tem como objetivo determinar a digestibilidade do cálcio bem como avaliar a influência do tamanho das partículas da farinha de mexilhão dourado sobre parâmetros de desempenho, parâmetros sanguíneos, fisiológicos e de qualidade óssea de frangos de corte em diferentes idades. Os experimentos consistirão em um ensaio de metabolismo para determinar a digestibilidade do cálcio da farinha e três experimentos para avaliar a inclusão da farinha de mexilhão dourado nas dietas de frangos de corte em diferentes idades, 1 a 21 dias (experimento I), 22 a 42 dias (experimento II) e 1 a 42 dias (experimento III). Para o ensaio de metabolismo serão utilizadas 150 aves distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos (quatro diferentes valores geométricos da farinha de mexilhão dourado (peneiras de 2, 4, 6 e 8 mm) e uma ração testemunha com calcário calcitico comercial), seis repetições e cinco aves por unidade experimental. Para cada experimento de desempenho, serão utilizados 1100 pintos de corte, distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (quatro diferentes valores geométricos da farinha de mexilhão dourado (peneiras de 2, 4, 6 e 8 mm) e uma ração testemunha com calcário calcitico comercial), com dez repetições e 22 aves por unidade experimental. A ração e a água serão fornecidas à vontade, sendo todas as rações isonutritivas e isoenergéticas, à base de milho e farelo de soja, formuladas para atender as exigências nutricionais para as fases experimentais. A farinha de mexilhão substituirá em 100% o calcário calcítico da ração. Espera-se com este projeto dar um destino economicamente viável e ambientalmente adequado para esta espécie de molusco, via fabricação de farinha, a ser utilizada nas rações de aves.
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Ricardo Weinlich

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • terapia gênica para epidermólise bolhosa distrófica recessiva: indução de exon skipping do gene col7a1 através da edição gênica por base-editing.
  • Epidermólise Bolhosa Distrófica Recessiva (EBDR) é uma doença genética rara, causada por diferentes mutações no gene COL7A1, que codifica a proteína colágeno VII (C7). Estudos com pacientes brasileiros detectaram uma alta frequência de mutações no exon 54, especialmente a c.5047C>T. A ausência de C7 promove a formação de erupções cutâneas, feridas crônicas e processos inflamatórios nos epitélios, causando complicações graves, como infecções recorrentes, sepse, deformidades, além de incidência elevada de carcinomas. A EBDR está elencada na Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras, por apresentar letalidade precoce elevada, morbidade extrema e não possuir, até o momento, alternativa terapêutica. Recentes avanços nas técnicas de terapia gênica, tais como CRISPR/Cas9 e Base-Editing, tem trazido novas perspectivas de tratamento para doenças genéticas. Neste projeto exploratório, propomos utilizar a técnica de Base-Editing, ainda mais precisa do que a CRISPR/Cas9, para induzir o skipping do exon 54, o que permitiria a expressão de um C7 funcional. Para a entrega das ferramentas de edição gênica, utilizaremos o Sendai virus, que possui uma série de vantagens, incluindo a alta taxa de infectividade e incapacidade de integração. Duas abordagens distintas serão utilizadas para a prospecção de potenciais produtos terapêuticos. Na primeira, fibroblastos de biópsias de pacientes serão editados e servirão de fonte celular para a montagem de peles, para futuro transplante autólogo em regiões de feridas. A segunda abordagem irá avaliar a entrega, por aplicação tópica, das ferramentas de edição gênica diretamente nas áreas de feridas através de modelos tridimensionais de pele. Para aprimorar a eficácia de transdução, iremos testar a incorporação do Sendai em macro e microgeis de alginato. Ambos produtos tem o potencial de acelerar a cicatrização das feridas dos pacientes, reduzindo as chances de infecção e impactando positivamente em sua qualidade de vida.
  • Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein - SP - Brasil
  • 13/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Richard Boarato David

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • avaliação da atividade rombencefálica durante a produção de apetite ao sódio em ratos com hipertensão renovascular
  • O íon sódio é fundamental para a manutenção da homeostase. Apesar de sua importância para a regulação da volemia e da osmolaridade plasmática, o consumo excessivo de sódio é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial, uma das principais causas de mortalidade no mundo. Apesar da ampla difusão dos malefícios causados pelo sódio em excesso, a recomendação de redução da ingestão de sal é muitas vezes negligenciada pela população em geral e, ainda, por pacientes submetidos a farmacoterapia anti-hipertensiva. Isto pode ser devido, em parte, a atuação de mecanismos motivacionais relacionados ao desejo de ingerir sal. Em animais experimentais, tanto a depleção de sódio do meio extracelular como a hipertensão renovascular de Goldblatt 2-rins 1-clipe (2R1C) ativam o sistema renina-angiotensina II-aldosterona (SRAA). Este sistema, que ativa vias neurais facilitadoras do apetite ao sódio sensíveis à angiotensina II e à aldosterona, é sensibilizado (torna-se hiper-reativo) em ratos com hipertensão renovascular, conforme demonstrado recentemente por nosso grupo de pesquisa (Roncari et al., Peptides 333:17-26, 2018). Por outro lado, o apetite ao sódio é inibido pelo núcleo parabraquial lateral (NPBL), um centro integrador de sinais centrais e periféricos localizado na ponte encefálica. Estudos prévios demonstraram que a desativação do mecanismo inibidor do NPBL, obtida através de injeções bilaterais de antagonista de receptores serotonérgicos metisergida ou agonista de adrenoceptores-alfa2 moxonidina, potencializa a ingestão de sódio e aumenta a ativação neuronal no bulbo encefálico em ratos desidratados normotensos (David et. al, Physiol Behav 151:111-20, 2015). Recentemente verificamos que ratos 2R1C apresentam ativação crônica e persistente do SRAA, aumento transitório da ingestão espontânea de NaCl hipertônico, e alta ingestão de NaCl hipertônico após tratamento com injeções de moxonidina no NPBL (dados submetidos para publicação). Estes resultados indicam que ao longo do desenvolvimento da hipertensão 2R1C os sistemas facilitadores e inibidores da ingestão de sódio são ativados paralelamente. Portanto, é possível que a injeção de moxonidina no NPBL de ratos 2R1C promova maior ativação de um subgrupo neuronal bulbar sensível à aldosterona (expressam a enzima 11-beta-HSD2), o qual é envolvido na facilitação da ingestão de sódio, além de menor atividade em região inibidora da ingestão de sódio (neurônios catecolaminérgicos A2 que expressam tirosina hidroxilase). Ainda, a privação hídrica, um modelo não farmacológico útil para testar a ativação de mecanismos facilitatórios e inibitórios para a ingestão de sódio, poderia induzir inicialmente a ativação do NPBL e da região A2 e, posteriormente à reidratação parcial por ingestão de água, momento da expressão do apetite ao sódio neste modelo, poderia induzir ativação de neurônios 11-beta-HSD2. Assim, propomos neste projeto o estudo imuno-histoquímico para detecção de proteína Fos (marcador de atividade celular) em neurônios 11-beta-HSD2 ou em neurônios TH da área A2 do rombencéfalo de ratos 2R1C. Os modelos de indução de apetite ao sódio serão as injeções de moxonidina no NPBL de ratos 2R1C ou a privação hídrica seguida de reidratação parcial (De Luca Jr. Physiol Behav, 5:535-544, 2010). Esperamos que ratos com hipertensão 2R1C apresentem: I) maior número de neurônios 11-beta-HSD2/Fos-positivos em relação aos demais controles em resposta à injeção de moxonidina no NPBL; II) maior número de neurônios TH/Fos-positivos no NTS e Fos-positivos no NPBL em relação aos ratos normotensos após privação hídrica; III) maior número de neurônios 11-beta-HSD2/Fos-positivos no NTS em relação aos ratos normotensos após a privação hídrica seguida de reidratação parcial. Assim, o estudo proposto poderá contribuir para uma melhor compreensão sobre o funcionamento dos mecanismos neurais envolvidos na facilitação e na inibição da ingestão de sódio, especialmente em relação ao papel do tronco encefálico no controle do comportamento ingestivo em situação patológica de hipertensão renovascular.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Richard Hemmi Valente

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • análise do potencial terapêutico, previsto por connectivity map, do veneno de bothrops jararaca: ênfase na prospecção de peptídeos bioativos
  • Historicamente, a maior parte dos fármacos foi desenvolvida com base em pequenas moléculas (massa < 500 Da) [1]. Entretanto, em função de suas baixas seletividade e potência [2], seus efeitos adversos/toxicidade limitam o número de novos fármacos aprovados para uso em humanos e elevam os gastos a cifras bilionárias [3]. Por outro lado, após milhões de anos de processo evolutivo, a natureza oferece uma vasta biblioteca de produtos naturais com uma ampla gama de atividades biológicas – são os peptídeos naturais (500 Da < massa < 5,000 Da), a nova aposta em biofármacos. Apesar de serem altamente seletivos e potentes, o uso de peptídeos naturais permaneceu pouco explorado em decorrência de suas baixa meia-vida plasmática e biodisponibilidade oral, dentre outras razões. Entretanto, várias abordagens para contornar estas limitações foram desenvolvidas nos últimos anos [4] e o momento é apropriado para investir no estudo e desenvolvimento de biofármacos baseados em peptídeos naturais. Venenos de serpentes podem ser, paradoxalmente, fontes de problemas e soluções: desde 2017, a Organização Mundial da Saúde classifica os acidentes ofídicos na categoria A de sua lista de condições de saúde negligenciadas. Por outro lado, grandes acertos da indústria farmacêutica foram inspirados por componentes do arsenal molecular dos venenos [5], caso do anti-hipertensivo captopril e dos peptídeos potenciadores de bradicinina de Bothrops jararaca. Para possibilitar a descoberta de novas atividades terapêuticas potencialmente exercidas por estas secreções, nosso grupo empregou a abordagem metodológica do Connectivity map [6]. A estratégia envolve a caracterização do perfil de expressão gênica de células tratadas com um determinado composto-teste (e.g., venenos); em seguida, o padrão observado é comparado com um banco de dados de padrões de expressão gênica gerados em resposta ao tratamento com fármacos de referência. Resultados preliminares em ensaios in vitro indicam que peptídeos oriundos do veneno de jararaca apresentam atividades plasmodicida (antimalária) e tripanossomicida (anti-doença de Chagas), além de outras atividades potenciais (e.g., anticâncer, anti-inflamatória) a serem validadas. Neste projeto, pretendemos avançar na prospecção destes peptídeos bioativos a partir do veneno desta serpente de maneira a purificá-los, caracterizá-los estruturalmente e sintetizá-los quimicamente (com manutenção de suas atividades biológicas). O mercado de peptídeos terapêuticos vem sendo cada vez mais explorado pela indústria farmacêutica e deve ultrapassar a cifra de 25 bilhões de dólares em 2018. Neste contexto, a biodiversidade brasileira representa um patrimônio valioso a ser explorado em benefício do avanço científico e do desenvolvimento tecnológico do país.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Richard Ian Samuels

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • controle biológico de larvas e adultos de aedes aegypti com fungos entomopatogênicos
  • Os fungos entomopatogênicos têm despertado interesse dos pesquisadores como potencial agentes de controle biológico de vetores, especialmente da fase adulto, para que não existe formas de controle alternativa a inseticidas químicos. Devido o uso continuo e às vezes exagerado de controle químico, muitas populações de mosquitos já desenvolveram altos níveis de resistência, portanto, precisamos urgentemente de implantar novas formas de controle. Atualmente nosso grupo está testando a eficiência de panos pretos impregnado com conídios do fungo entomopatogênico Metarhizium anisopliae para combater populações do mosquito Aedes aegypti. Os panos (3-5 por residência) estão sendo colocados em casas de São João da Barra, Rio de Janeiro e os efeitos nas populações de mosquitos adultos estão sendo monitorados usando o sistema de “Ovitrampas”. Visando um aumento na eficiência dos panos em atrair os mosquitos para pousar no pano e assim aumentar a contaminação dos mosquitos pelos conídios dos fungos, será testado um novo tipo de atraente (fornecido pela Universidade de Swansea; País de Gales) em conjunto com os panos. O uso de atraentes fixados nos panos impregnados com fungos (atrai e mata- lure and kill) deveria aumentar ainda mais a capacidade dos fungos em reduzir a sobrevivência dos mosquitos. Adicionalmente, estamos desenvolvendo uma metodologia de controle de larvas usando uma formulação de fungos na forma de blastosporos, que são altamente virulentos, matando em menos de 24h. O emprego do controle biológico usando fungos contra A. aegypti reduzirá os altos custos do controle convencional, os riscos à saúde humana, e os danos ambientais causados pelo uso dos inseticidas. A redução da população de A. aegypti com certeza diminuirá a incidência da Dengue, Zika e Chikungunya.
  • Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Richard James Ladle

Ciências Biológicas

Ecologia
  • peld-apa costa dos corais-al
  • Situada na costa nordestina, a Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (APACC) é a maior unidade de conservação federal marinha do Brasil. A APACC abrange uma área de mais de 400 mil ha e cerca de 120 km de praias e manguezais, cobrindo metade do litoral do estado de Alagoas e abrangendo também uma porção menor no sul do estado de Pernambuco. A APACC é classificada como unidade de conservação de uso sustentável e, portanto busca coadunar os objetivos de conservação/preservação ambiental e os usos direto (pesca) e indireto (turismo e pesquisa) dos recursos naturais de maneira sustentável. Neste projeto, propomos um sistema integrado de monitoramento a longo prazo dos processos ecológicos e sociais essenciais que ocorrem dentro do sistema sócio-ecológico da APACC. Especificamente, nós propomos (i) monitorar e proteger a diversidade biológica, e particularmente populações de espécies ameaçadas de extinção; (ii) entender e combater as ameaças resultantes de atividades antrópicas, tais como a pesca irresponsável, o turismo desordenado, a degradação de manguezais, a poluição oriunda de fontes agrícolas e domésticas, o crescimento e ocupação urbana desordenada, e as relativas a mudanças climáticas globais; (iii) monitorar processos ecológicos e serviços ecossistêmicos (inclusive de serviços culturais) que suportam as populações rurais no entorno da unidade de conservação, e; (iv) fornecer conhecimento científico essencial para a que os gestores da APACC e demais instâncias públicas e privadas de interesse possam implementar e justificar ações de gestão visando ao uso produtivo e responsável do ambiente e seus recursos. Para atingir estes objetivos, a equipe interdisciplinar do projeto irá adotar abordagens inovadoras, como o uso de sensores remotos (e.g. drones) para monitorar populações de peixe-boi e tartarugas marinhas, e métodos de dados grandes (big data) para recolher informações sobre os serviços culturais dos ecossistemas e ainda compartilhar dados científicos relacionados ao projeto. Se financiado, o PELD será o primeiro em Alagoas e terá um efeito transformador sobre os membros da equipe interdisciplinar, elevar o perfil da pesquisa ecológica na universidade e construir a capacidade necessária em um dos estados mais pobres do Brasil.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 02/01/2017-31/12/2021
Foto de perfil

Richard Pereira Dutra

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • composição química, origem botânica e atividade leishmanicida da própolis vermelha da região tocantina
  • A própolis é produzida pelas abelhas a partir de material resinoso coletado de exsudatos de plantas, apresentando colorações que variam entre verde, vermelho e marrom. É classificada de acordo com a composição química e origem botânica, que variam de acordo com o local de coleta. A própolis vermelha é coletada em região de mangue no litoral nordestino, principalmente no estado de Alagoas. Recentemente nosso grupo de pesquisa identificou própolis vermelha produzida por Apis mellifera em municípios da Região Tocantina e não há na literatura estudos com própolis vermelha dessa região. Trabalhos relatam que a própolis vermelha do litoral nordestino apresenta uma composição química diferenciada, com elevada concentração de compostos fenólicos, atividade antimicrobiana, citotóxica, imunomodulatória, antiviral, antioxidante, antitumoral, anti-inflamatória, anticancerígena e leishmanicida. A Leishmaniose é uma doença causada pelo protozoário Leishmania, estando relacionada, principalmente, às condições sociais, econômicas e culturais da população. No Brasil as leishmanioses apresentam elevada morbi-mortalidade, com registro de casos em todas as regiões do país, com destaque para a região Nordeste, onde o estado do Maranhão tem apresentado um aumento no número de casos. Antimoniais pentavalentes e anfotericina B são os fármacos rotineiramente usados no tratamento desta doença, porém são potencialmente tóxicos, de difícil administração e podem causar resistência clínica. Pesquisadores vêm buscando alternativas terapêuticas para o tratamento da leishmaniose, principalmente estudos com produtos naturais, entre ele os produtos de abelhas. Estudo recentemente tem demonstrado a inibição de Leishmania amazonensis pela própolis produzida pela abelha Apis mellifera. Nesse contexto, o presente trabalho visa caracterizar a composição química, a origem botânica e avaliar a atividade leishmanicida, imunomodulatória e citotóxica dos extratos e frações da própolis vermelha coletada na Região Tocantina nas infecções causadas por L. amazonensis, investigando os mecanismos imunológicos envolvidos na ação bem como identificar os compostos bioativos. Os resultados obtidos podem contribuir para validação da própolis vermelha produzida na Região Tocantina como alternativa no tratamento das leishmanioses, além de agregar valor comercial a própolis, gerando renda aos apicultores.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rilner Alves Flores

Ciências Agrárias

Agronomia
  • balanço de potássio no sistema solo-planta na produção de cana-de-açúcar em condições edafoclimáticas de cerrado
  • A cultura da cana-de-açúcar contribui de forma significativa com o desenvolvimento agrícola nacional, muito em função da sua grande expansão territorial nos últimos anos. Tendo em vista a grande demanda de produtos oriundos da cana (açúcar e álcool), há uma incessante busca de técnicas para aumentar a eficiência de produção, de modo a garantir o melhor aproveitamento do uso da água e de fertilizantes, especialmente os potássicos. Com isso, busca-se a redução de custos de produção de forma a promover a sustentabilidade produtiva da cultura na região de Cerado. Desta forma, o objetivo deste estudo será realizar o balanço de potássio no sistema solo-planta para o cultivo da cana-de-açúcar em função de variáveis meteorológicas e de manejo do solo, bem como da nutrição potássica sob condições edafoclimáticas do Cerrado. Para isto, serão realizadas correlações e ajustes de regressão entre os dados referentes às plantas, capazes de detectar o ponto de maior eficiência no aproveitamento de fertilizante potássico e da água no solo pela cultura da cana-de-açúcar. Estas informações serão coletadas de forma concomitante em áreas de cultivo de cana-de-açúcar (usina) e na área experimental da UFG, cultivada com cana. A partir das relações entre crescimento, desenvolvimento, das análises químicas e físicas do solo, consumo de água, das condições climáticas, do teor de água no solo, do estado nutricional da cultura e da produtividade e qualidade industrial da cana, espera-se obter o manejo mais indicado para a cultura para as condições edafoclimáticas do Cerrado Goiano.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 01/06/2017-28/02/2021
Foto de perfil

Rilton Alves de Freitas

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • desenvolvimento de emulsões água-água utilizando polissacarídeos e estabilizadas com nanopartículas
  • Quando dois líquidos termodinamicamente incompatíveis são mecanicamente misturados há formação de uma emulsão caracterizada por uma pequena gotícula de um líquido embebida por uma fase contínua. Em repouso, as gotículas irão crescer por fusão ou envelhecimento de Ostwald, e finalmente duas fases macroscópicas serão formadas. A emulsão pode ser estabilizada pela adição de tensoativos que se adsorvem à interface e inibem a fusão das gotículas em colisão. Entretanto, tem-se demonstrado que partículas sólidas adsorvidas na interface podem excepcionalmente estabilizar emulsões, e são conhecidas como emulsões de Pickering. As emulsões de Pickering apresentam vantagens tecnológicas como alta estabilidade contra coalescência e envelhecimento das formulações, sendo este considerado seu principal aspecto que justifica seu uso tecnológico. Neste contexto as partículas sólidas usadas para estabilizar as emulsões são necessariamente menores que a emulsão permitindo a estabilização de uma emulsão de poucos micrometros de diâmetro. A estabilização por partículas coloidais também é pertinente a novos tipos de interfaces, como as emulsões água-água, com tensões interfaciais 10 a 1000x menores que as emulsões clássicas óleo-água. As emulsões água-água podem ser obtidas pela mistura de dois polímeros solúveis em água, mas que sejam termodinamicamente incompatíveis. Há atualmente poucos artigos referentes à estabilização de emulsões em interfaces água-água através de partículas, formando as emulsões de Pickering água-água. Tais emulsões foram estabilizadas em um passado não muito distante através da geleificação de uma ou de ambas as fases, uma vez que não podem ser estabilizadas por tensoativos poliméricos ou moleculares. Assim, recentemente, demonstrou-se que partículas adsorvem-se a irreversivelmente à interface de duas fases aquosas, abrindo a possibilidade de criar emulsões água-água estáveis. Na presente proposta, pretende-se produzir e caracterizar emulsões água-água utilizando polissacarídeos e utilizar como estabilizante nanopartículas protéicas, produzidas a partir do soro do leite bovino (WPI), e nanopartículas de celulose com diferentes graus de sulfatação para reduzir a afinidade da partícula pela fase da xiloglucana. Tais emulsões apresentam potencial revolucionário para aplicações cosméticas ou na área de alimentos, como uma alternativa para as emulsões óleo-água para carreamento de fármacos hidrossolúveis ou mesmo de células emulsionadas na fase dispersa. Utilizando o racional apresentado acima, no presente projeto serão investigadas a formação de partículas coloidais em interfaces água-água, utilizando dois polímeros incompatíveis e com uso na indústria cosmética, alimentos e farmacêutica, a xiloglucana de tamarindo e a amilopectina obtida de amido de milho, estabilizadas com 3 nanopartículas de WPI (agregados fractais, microgéis e fibrilas) e com partículas de celulose com diferentes graus de sulfatação.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rinaldo André Mezzarane

Ciências da Saúde

Educação Física
  • avaliação dos efeitos da atividade física sobre o equilíbrio e a marcha de idosos utilizando abordagens biomecânicas e eletrofisiológicas
  • Programas de treinamento físico para idosos induzem adaptações neuronais que resultam em um aprimoramento do controle da postura e da locomoção. Estas adaptações são o resultado da plasticidade neuronal que ocorre tanto em estruturas mais rostrais do sistema nervoso central, como em estruturas mais caudais. Por exemplo, medidas de reflexos medulares (que desempenham um papel chave no controle motor) podem refletir esta plasticidade, uma vez que estas respostas são constantemente moduladas pela ação de vias descendentes de centros suprassegmentares e de aferentes periféricas. Os mecanismos de modulação reflexa contribuem fortemente para a manutenção do tônus muscular na postura ortostática e em diferentes fases da marcha. Alterações nestas respostas reflexas são observadas em indivíduos idosos, que em muitos casos podem indicar um déficit no controle do equilíbrio e da marcha. Contudo, tem-se demonstrado que regimes de treinamento físico induzem adaptações motoras em idosos não sedentários. A análise integrada de dados biomecânicos e eletrofisiológicos representa uma abordagem nova no estudo da plasticidade do sistema motor nessa população. Dentre as técnicas eletrofisiológicas a serem empregadas no presente estudo incluem-se a eletromiografia e o reflexo H. As principais variáveis biomecânicas serão derivadas do deslocamento do centro de pressão na postura ortostática (medido com uma plataforma de força) tanto no domínio do tempo quanto no domínio da frequência, bem como a aceleração de diferentes porções dos membros inferiores ao longo da marcha. Espera-se que tal abordagem multivariada permita esclarecer os mecanismos de plasticidade do sistema motor em idosos após um regime de treinamento. Além de refinar o entendimento das adaptações neurofisiológicas decorrentes do treinamento, os resultados poderão auxiliar no desenvolvimento e/ou aprimoramento de programas de atividade física.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Rinaldo Aparecido Mota

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • mormo em equídeos no brasil: epidemiologia clínica, caracterização do genoma de cepas de burkholderia mallei e desenvolvimento de uma técnica de imunidade celular in vitro para diagnóstico
  • O mormo é uma importante enfermidade infecciosa de equídeos e que promove um forte impacto na produção e exportação de animais. O grupo de pesquisadores da Universidade Federal Rural de Pernambuco, responsável pela notificação da emergência desta enfermidade no Brasil vem trabalhando em pesquisas e formação de recursos humanos nessa área desde 1999. Importantes avanços foram conseguidos no diagnóstico desta enfermidade no país, principalmente no que se refere à produção de uma PPD-maleína com cepas brasileiras de Burkholderia mallei. Recentemente, o grupo também padronizou um ELISA-indireto para substituir a técnica de fixação do complemento e este já está registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Contudo, ainda existem muitos aspectos da enfermidade que ainda carecem de informações, principalmente os relacionados ao estudo dos fatores de risco associados à doença ainda não realizado no Brasil e avanços na epidemiologia molecular com o estudo do genoma de cepas brasileiras de Burkholderia mallei que poderá avançar no aprimoramento de técnicas de diagnóstico e controle do mormo. Desta forma, pretende-se nesse projeto de pesquisa realizar um estudo sobre a epidemiologia clínica e molecular de Burkholderia mallei de equídeos com mormo na região nordeste do Brasil, além de testar uma técnica de imunidade celular para o diagnóstico. Serão empregadas técnicas microbiológicas para isolamento bacteriano, moleculares para caracterizar o genoma dos isolados brasileiros de B. mallei, detecção de interferon gama, além de técnicas de estatística descritiva para identificar os fatores de risco associados à enfermidade, ainda inéditos no país. Espera-se ao final do projeto obter dados epidemiológicos importantes que permitam avançar no controle desta doença no território nacional, além de dados genéticos e de imunidade celular que permitirão avançar significativamente nos estudos de técnicas de diagnóstico e imunoprofilaxia.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rinaldo Luiz Caraciolo Ferreira

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • estoque de carbono e avaliação econômica de alternativas de manejo florestal em floresta tropical seca
  • Objetiva-se quantificar direta e indiretamente o estoque de carbono nos compartimentos da vegetação lenhosa e em solo em uma área de caatinga e avaliar economicamente alternativas de manejo. A pesquisa será realizada no município de Floresta-PE, área prioritária de conservação da caatinga. Serão utilizadas 40 parcelas de 20 x 40 m instaladas em 2008, as quais servirão para realização do monitoramento e estudo de dinâmica da vegetação. Serão utilizadas medições já realizadas, bem como novas medições, visando quantificar a biomassa e estoque de carbono da parte aérea com base na estrutura diamétrica encontradas no inventário inicial de 2008 em duas áreas e para as cinco espécies de maior valor de importância. Também serão realizados estudos quanto a dinâmica de crescimento e parâmetros fitossociológicos. Nos levantamentos de 2016 e 2017, por meio de método direto serão abatidas três árvores para cada classe e espécie. Cada árvore terá determinada a sua altura total (HT) e a altura do caule comercial (HC), e separada em: fuste; galhos grossos; galhos finos; e folhas. As massas de cada parte serão determinadas e amostradas para posterior determinação dos teores de umidade, peso da biomassa seca e de carbono. Para cada componente serão obtidos no campo, os pesos totais de amostras úmidas, visando à estimativa em laboratório do peso seco. Como método indireto será utilizada a técnica LiDAR a partir de dados do Programa Pernambuco Tridimensional, seguindo-se os procedimentos: processamento dos dados; modelagem do estoque de carbono e avaliação das equações resultantes. O teor de carbono florestal será obtido por meio da técnica de combustão seca com leitura por infravermelho. A estimativa do carbono orgânico total no solo será realizada a partir de amostras de solo na camada de 0-20cm retiradas nas parcelas permanentes. Proceder-se-á análise econômica conforme as atividades e custos por hectare referentes a um projeto de manejo florestal sustentável em área de caatinga. Como resultados esperam-se a formação de recursos humanos e a ampliação da base de conhecimentos que subsidiem a conservação ou recuperação de áreas de caatinga em Pernambuco, visando minimizar o passivo ambiental associado às atividades antrópicas, bem como à quantificação da biomassa, estoque de carbono e alternativas de uso da terra que busquem demonstrar que o manejo florestal é exequível em termos econômicos, ambientais e sociais. Espera-se ainda a publicação de artigo(s) científico(s).
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Riselane de Lucena Alcântara Bruno

Ciências Agrárias

Agronomia
  • caprinos e ovinos como agentes dispersores de sementes em áreas de caatinga sob pastejo
  • As espécies florestais da Caatinga possuem importantes mecanismos físicos e fisiológicos que as fazem sobreviver e adaptar-se as intrínsecas condições do Semiárido, onde exercem relevante papel como plantas medicinais, muitas ainda com potencial madeireiro e forrageiro; nessa região, alguns animais podem atuar como influentes dispersores de sementes, contribuindo para a manutenção da flora local e equilíbrio do ecossistema como um todo. Neste sentido, a pesquisa objetiva estudar a qualidade fisiológica de sementes florestais dispersas por caprinos e ovinos na caatinga, bem como analisar e identificar a flora do banco de sementes oriundo de áreas de pastejo e avaliar a possibilidade de contribuição das cíbalas na disseminação de espécies forrageiras associada às condições climáticas do Semiárido. A pesquisa será executada em três etapas. No primeiro experimento caprinos e ovinos serão alimentados com frutos e sementes de quatro espécies florestais forrageiras (Poincianella pyramidalis Tul., Mimosa tenuiflora Willd., Mimosa caesalpiniifolia Benth. e Desmanthus virgatus L.) sendo posteriormente recuperadas de avaliadas quanto a superação da dormência por meio de ensaios de qualidade fisiológica (teste de germinação, teste de tetrazólio e emergência em casa de vegetação) e avaliações anatômicas. No segundo experimento, pequenos ruminantes alimentados com as sementes das espécies da caatinga estudadas serão alojados em piquetes cultivados com Brachiaria decumbens para, posteriormente, avaliar o número total de plantas emersas por piquete resultante das sementes ingeridas na alimentação. O terceiro experimento será desenvolvido em uma área de 10 ha de caatinga mantida sob pastejo caprino continuo há 12 anos, dividida em três áreas de 3,3 ha cada: Área I – mantida com dez animais em pastejo contínuo; Área II – mantida com cinco animais em pastejo continuo e Área III – sem animais. Inicialmente, será realizado um levantamento fitossociológico nas três áreas experimentais durantes as estações chuvosa, de transição e seca. Nas áreas sob pastejo, cíbalas excretadas pelos caprinos serão coletadas através de bolsas apropriadas nas estações chuvosa, de transição e seca, as quais serão submetidas a 6 períodos de repouso (0, 30, 60, 120, 180 e 240 dias); após cada período, as cíbalas serão avaliadas quanto ao teor de água, morfologia e identificada a flora resultante do banco de sementes oriundo de cíbalas. Finalizadas as atividades propostas, pretende-se esclarecer o papel dos pequenos ruminantes como agentes dispersores de espécies forrageiras da Caatinga, sendo os resultados divulgados em revistas científicas com alto fator de impacto que contribuam com a preservação e sustentabilidade da Caatinga.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Riseuda Pereira de Sousa

Engenharias

Engenharia Civil
  • estudo do risco de contaminação dos aqüíferos na área do centro industrial do subaé – feira de santana -ba: caracterização geotécnica e hidráulica do solo
  • O projeto pretende determinar as características hidráulicas e geotécnicas, para dar suporte ao estudo de fluxo de contaminantes nos solos do município de Feira de Santana BA, iniciando pela região do centro industrial do Subaé (CIS). Serão estudadas as características do solo e de dois fluidos contaminantes: óleo diesel, lixiviado de aterro de resíduos sólidos urbanos. Para isto, nas amostras de solo serão realizados os seguintes ensaios: granulometria, determinação da composição química e mineralógica, compactação, permeabilidade, curva de retenção de umidade, ascensão capilar. Os fluidos serão caracterizados por meio da determinação da massa específica, tensão superficial e interfacial, viscosidade, pH e pressão de vapor.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023