Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Beatrice Padovani Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • peld tamandaré - dinâmica espacial e temporal da paisagem marinha: conectividade, resiliência e uso sustentável no sul de pernambuco
  • O sítio PELD TAMS se localiza na região costeira sul de Pernambuco e se estende da costa até o talude continental. O ambiente é reconhecido como hotspot de biodiversidade, com uma rica área estuarina e costeira, formada por um mosaico de habitats que incluem manguezais, pradarias de fanerógamas e recifes costeiros. Tradicionalmente, a maioria dos estudos se concentram em áreas costeiras, de mais fácil acesso e uso humano mais intenso. No entanto, os ecossistemas se distribuem em um contínuo sobre a plataforma continental, recortada por canais submersos onde recifes profundos formam habitats responsáveis por suportar recursos que sustentam a intensa atividade de pesca. A ecologia da paisagem marinha requer uma compreensão integrada das massas d’água e de sua dinâmica. Sobre esta base topográfica, se distribui um sistema marinho interconectado pelo fluxo de energia, por meta-populações e por populações que se deslocam ocupando diferentes habitats ao longo de seu ciclo de vida. Na escala temporal, efeitos de ciclos sazonais, interanuais e decadais têm sido observados, com diferentes impactos na zona costeira. A intensidade, duração e frequência destes fenômenos mediados por conexões interoceânicas têm apresentado variações, e os efeitos nos ciclos das populações e comunidades, bem como efeitos ecossistêmicos de curto e longo prazo, ainda são pouco estudados no Atlântico tropical. Os impactos humanos, como poluição, modificação/supressão de habitats e remoção de organismos pela pesca, agravam as consequências destes fenômenos e podem, em sinergia, levar sistemas ao colapso. A continuidade do monitoramento destes fenômenos e das possíveis respostas biológicas a longo prazo é essencial para a compreensão da dinâmica temporal operante e dos impactos de fenômenos climáticos em escala global e local, e consequentemente para o direcionamento de decisões de gestão e prevenção e mitigação de possíveis impactos. O Projeto para o sítio PELD-TAMS (Programa Ecológico de Longa Duração - Tamandaré Sustentável) foi aprovado pelo CNPq em 2017, porém estudos têm sido desenvolvidos na região há mais de duas décadas. Estes estudos têm fundamentado a gestão, com contribuições tanto para a criação de UCs federais, estaduais e municipais, quanto para seus planos de manejo. O PELD-TAMS inclui a primeira zona de recuperação recifal da costa nordeste, criada em 1999, e se desenvolve em estreita parceria com o Centro de Estudos da Biodiversidade do Nordeste (CEPENE) do ICMBio e com gestores das unidades de conservação locais. Assim, a integração da pesquisa com as ações de gestão são constantes no programa. O sítio PELD-TAMS (ILTER 18) tem atraído novas e importantes parcerias, e busca o acompanhamento dos efeitos das intervenções e a observação das respostas a curto, médio e longo prazo. A presente proposta do sítio PELD é a continuidade do estudo da paisagem marinha, com novas perspectivas obtidas a partir de avanços tecnológicos de observação remota (satelital) das tendências temporais de cobertura de habitats submersos, de feições do fundo marinho e associações de usos e diversidade. Devido ao histórico de impactos de origem terrestre, a proposta do sítio incorpora agora estudos de contaminantes e seus efeitos na biota. Concentrado em áreas costeiras consideradas berçários de recurso pesqueiros, estas informações visam fortalecer a abordagem ecossistêmica no manejo pesqueiro e seus territórios. Em conjunto, estes estudos que são desenvolvidos em forte parceria com gestores e comunidade local, objetivam subsidiar a gestão numa abordagem adaptativa e de planejamento espacial marinho.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Beatrice Padovani Ferreira

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • avaliação ecossistêmica dos recursos pesqueiros demersais e pelágicos das costas norte e nordeste: subsídios para o ordenamento pesqueiro sustentável
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 16/12/2015-31/10/2022
Foto de perfil

Beatriz D'Agord Schaan

Ciências da Saúde

Medicina
  • ensaio clínico randomizado em cluster para estruturação do cuidado ao diabetes na atenção primária: protocolo com metas individualizadas, integração multiprofissional e apoio de teleconsultoria
  • O Diabetes mellitus tipo 2 (DM) tem prevalência crescente e é causa de doença cardiovascular, cegueira, doença renal, amputações e hospitalizações, justificando a importância de estratégias de gerenciamento eficazes e reorganização dos recursos disponíveis, especialmente na atenção primária à saúde (APS). A magnitude da doença, princípios operacionais centrados no paciente, disponibilidade de equipes multidisciplinares e proximidade com a população fazem com que a APS tenha potencial de oferecer atendimento de alta qualidade a estes pacientes. Porém, estudo de nosso grupo (DOI: 10.1016/j.jdiacomp.2020.107835) mostrou que <35% dos pacientes idosos atendidos na APS apresentam hemoglobina glicada (HbA1c) na meta para alvos individualizados; apenas 26,7% recebem ajustes farmacológicos (falta intensificação ou desintensificação). Mostramos (DOI: 10.1186/s13098-019-0428-8) que na APS menos de 5% destes pacientes têm todos indicadores de qualidade avaliados (avaliação de complicações crônicas e controle metabólico regularmente, orientação nutricional, recomendação de cessação do fumo). Isso reforça a necessidade de reorganização de recursos e realização de estudos para elaboração/otimização de protocolos e sistematização de atendimento, com foco multiprofissional baseado em evidências (10.3390/jcm10153428). Objetivos: Avaliar a efetividade de conjunto de intervenções baseadas em telessaúde para equipes de APS, utilizando estratégias individualizadas de cuidado. Trata-se de ensaio clínico com randomização em cluster de Unidades de Saúde, incluindo intervenção que consiste em novo protocolo de tratamento/redistribuição de papéis no cuidado do DM na APS, com enfoque ao papel do enfermeiro no atendimento, introdução de website para determinação de metas individualizadas de cuidados/tratamentos. Teleconferências de capacitação e treinamento (via plataforma TelessaúdeRS), uso de website e mensagens de Whatsapp reforçando medidas serão oferecidas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 22/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Beatriz de Aguiar Giordano Paranhos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • nanoformulação de bioinseticida para controle da mosca da fruta ceratitis capitata via tecnologia de rna interferente
  • A mosca-das-frutas Ceratitis capitata é uma praga de grande importância econômica na fruticultura nacional e internacional, que causa enormes prejuízos à produção e comercialização de frutas, limitando sua exportação devido às barreiras quarentenárias impostas por países importadores. Ceratitis capitata, conhecida popularmente como mosca do mediterrâneo ou moscamed, foi introduzida no início de 1900 e está amplamente distribuída pelo país, sobretudo no Submédio Vale do São Francisco. Com o agravamento dos impactos ambientais em resposta a ação antropogênica na natureza, tem se desenvolvido técnicas de controle de inseto alternativas ao uso de agroquímicos como o controle biológico e o uso de moscas estéreis (transgênicas ou mutantes). Entre os métodos complementares de controle de insetos, este projeto tem como objetivo viabilizar o uso da tecnologia do RNA interferente no controle de C. capitata com foco na seleção de potenciais genes alvo a terem sua expressão suprimida, no aumento da estabilidade do dsRNA por meio de seu nanoencapsulamento e na otimização de entrega dessa molécula ao inseto adulto na forma de isca (atrativo alimentar + dsRNA), já que as larvas se desenvolvem no interior dos frutos. Além disso, será avaliado possíveis efeitos nocivos do bioinseticida a macros e microrganismos associados à C. capitata. Essa tecnologia inovadora apresenta grande potencial para o manejo de insetos-praga, com as vantagens da alta especificidade à espécie alvo e a possibilidade de desenvolvimento de sistemas não transgênicos, que será associada à nanotecnologia para aumentar a estabilidade de RNA dupla-fita (dsRNA).
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PE - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Beatriz Fátima Alves de Oliveira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • emergência climática e saúde pública: um estudo sobre ondas de calor e riscos à saúde no brasil
  • A crise climática representa uma séria ameaça à saúde pública. Seus efeitos na saúde humana podem se dar por inúmeras vias, sendo uma importante via o efeito do aquecimento global e do aumento da frequência e da intensidade das ondas de calor, que podem comprometer os mecanismos de termorregulação e resultar em internações e óbitos. Um dos grandes desafios é o fortalecimento da vigilância em saúde sobre os impactos relacionados à variabilidade climática e aos eventos extremos. Nesse sentido, este estudo tem como objetivos identificar áreas potencialmente vulneráveis para ondas de calor no Brasil e desenvolver um painel que possibilite o acesso a informações estratégicas que subsidiem ações de saúde pública para a redução dos impactos das ondas de calor na saúde humana. Os sistemas de alerta para ondas de calor são desenvolvidos para se adequarem às condições locais e dados disponíveis, capacidade de previsão de tempo e recursos humanos. Nesse sentido, a proposta é desenvolver uma estrutura básica para implementação do sistema de alerta, a partir das seguintes etapas: 1) Revisão dos critérios estabelecidos para definição de ondas de calor; 2) Identificação dos agravos e das populações mais sensíveis em termos de morbimortalidade às ondas de calor; 3) Coleta e processamento de um conjunto de dados climáticos, ambientais e de saúde humana para avaliar os impactos e vulnerabilidade das ondas de calor no Brasil, com base em projeções de modelos climáticos globais e regionais; 4) Após o processamento dos dados, será estudada a relação entre os indicadores de onda de calor e os desfechos de saúde estabelecendo os indicadores mais sensíveis para avaliar os impactos na saúde humana nas capitais do Brasil; 5) Elaboração de um painel de informações estratégicas com informações referentes às ondas de calor e os indicadores de saúde, com sinal de alerta para eventos extremos e seus impactos na saúde humana em áreas prioritárias.
  • Fundação Oswaldo Cruz Piauí - PI - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025