Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Maria Fernandes

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • reforma urbana e suas circunstâncias em países da américa latina nos anos 1950-1970: a construção e as opacidades de uma bandeira de política urbana
  • Busca-se compreender como se constitui um campo reformador na esfera da política urbana em países da América Latina (AL) no período 1950-70. A Reforma Urbana, tema marcadamente latino-americano, arrebatou debates, ações e corações em países do continente, mobilizando agentes políticos e sociais, instituições, financiamentos e experiências que atravessaram tanto os campos mais conservadores quanto os mais progressistas. Herdeira de anseios e proposições anteriores, a Reforma Urbana será tributária direta do reposicionamento frente aos desafios colocados pelas cidades e da experiência cubana, primeiro país a objetivar esse novo campo da reforma social como formulação e como prática. Na tensa conjuntura do pós 2a. Guerra Mundial, o conceito de AL emerge em novo registro teórico, político e cultural e ideias de subdesenvolvimento e planejamento, em espaço já marcadamente latino-americano, exploram possibilidades de transformação das realidades nacionais marcadas pela urbanização acelerada, desigual e concentrada. A cidade assume protagonismo socioespacial e estratégico da organização territorial. Ao mesmo tempo, se desenvolvem lutas como as campesinas e indígenas, ainda opacas em seus vínculos ou divergências com a pauta urbana. As áreas de AU e PUR têm se debruçado sobre essa temática no Brasil e contribuído de forma significativa, sobretudo para o período pré e pós Constituição de 1988. Ao nos concentrarmos nos anos 1950-1970, problematizamos a ideia ampla de reforma urbana que articula países da AL, tradições de pensamento, temporalidades de ação e diversas experiências e sujeitos sociais Metodologicamente, propomos percorrer os processos amplos de elaboração, difusão e apropriação da ideia de reformas como política; precisar a questão urbana e seus limites; e especificar a aliança entre agentes e instituições - políticos, profissionais, de conhecimento - insinuando o que podemos chamar de construção de um campo da reforma urbana próprio ao contexto latinoamericano.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Maria Malik

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • covid-19 e o sistema de saúde brasileiro: análise de respostas em âmbito nacional, estadual e municipal
  • A presente pesquisa tem como objetivo geral analisar a resposta do sistema de saúde brasileiro à pandemia COVID-19. Como objetivos específicos, pretende-se descrever de maneira geral como se caracteriza a resposta nacional do sistema de saúde brasileiro à COVID-19; identificar diferentes modos organização da resposta em âmbito estadual e municipal no Brasil; explorar experiências e práticas inovadoras selecionadas em estados e municípios que tiveram bons resultados no controle da doença e ampliação da resiliência do sistema de saúde.
  • Fundação Getúlio Vargas - RJ - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022
Foto de perfil

Ana Maria Paim Camardelo

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • influência do envelhecimento humano na execução das atividades do catador de resíduos sólidos urbanos
  • O envelhecimento no mundo vem se ampliando significativamente. O Brasil acompanha este cenário. Estudo da FGV Social (2020) aponta que o aumento das pessoas com 65 anos ou mais na população brasileira foi de 20% se comparado com 2012, quando a proporção de idosos era de 8,8%, o que significa a necessidade de continuidade de estudos. Com a desigualdade social que assola o País, o desafio de se pensar alternativas que favoreça o envelhecimento digno é enorme, especialmente para populações historicamente vulneráveis, como os catadores, que retiram dos resíduos sua subsistência e estão submetidos a riscos ocupacionais de diferentes naturezas. Destaca-se que estes prestam trabalho ambientalmente indispensável, porém, sofrem com preconceitos, o que aumenta a situação de vulnerabilidade social. Em pesquisa realizada em Caxias do Sul, Camardelo e Stedile (2016) evidenciaram um percentual importante de velhos (10%). São na maioria casados, de baixa escolaridade, do sexo feminino e 4% são analfabetos. Segundo o IPEA (2013), esta população no Brasil acima de 70 anos está próxima a 6,5% e 20,5% são analfabetos. Outro fator importante é que 70% não contribuíam com o INSS, ficando sem rendimentos em caso de doença ou acidentes. Considerando esses aspectos, o problema a ser abordado: Quais os impactos do processo de envelhecimento para o próprio catador na realização do trabalho e para o grupo de trabalho, a partir da percepção deles? O objetivo geral é identificar impactos do processo de envelhecimento para o próprio catador na realização do trabalho e para o grupo de trabalho, a partir da percepção dos próprios trabalhadores, com vistas a contribuir na formulação de políticas públicas a esse público. A pesquisa é qualitativa e de campo, realizada nos locais de trabalho (13 associações). Os dados serão coletados por meio de entrevistas em profundidade com os catadores e por observação direta intensiva dos locais e processos de trabalho e serão tratados por análise de conteúdo.
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 28/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Almeida de Pereira

Ciências Humanas

Psicologia
  • intervenção neuropsicológica de pessoas com complexo da esclerose tuberosa
  • O Complexo da Esclerose Tuberosa (CET) é uma doença genética de herança autossômica dominante, caracterizada pela formação de tumores benignos em múltiplos órgãos. Devido às frequentes lesões no cérebro, são observadas crises epilépticas, dificuldades de aprendizagem, déficits cognitivos e alterações comportamentais. A equipe multidisciplinar do Centro de Neuropediatria do Complexo do Hospital de Clínicas da UFPR (CENEP) mantém um ambulatório para assistência a este grupo clínico desde 2015. Avaliação do perfil cognitivo identificou deficiência intelectual e déficits em memória, atenção e funções executivas em 50% desses indivíduos. A literatura aponta que os transtornos neuropsiquiátricos associados ao CET (TAND) são os que mais impactam a qualidade de vida desses pacientes. Em 2021, as diretrizes para critério diagnóstico de CET foram revisadas e o desenvolvimento de intervenções de manejo para o TAND priorizadas. O presente projeto de pesquisa propõe investigar as diferenças neurocognitivas e comportamentais entre pacientes com CET e desenvolver um programa de intervenção neuropsicológica adequado ao contexto sociocultural brasileiro, específico para pessoas com CET em diferentes faixas etárias. Cem participantes serão recrutados no CENEP e em plataformas de mídia social. O diagnóstico clínico de CET será o critério de inclusão. Estudo genético (TSC1 e TSC2) será realizado. As principais variáveis estudadas serão idade, escolaridade, perfil genético e quadro clínico em relação às variáveis neuropsicológicas e comportamentais (TAND). Para viabilizar o estudo sobre as intervenções neuropsicológicas adequadas para cada nível de desenvolvimento, o grupo clínico será dividido em quatro subgrupos de acordo com faixas etárias: G1 (zero a 6 anos), G2 (7 a 13 anos), G3 (14 a 20 anos) e G4 (21 a 35 anos). A pesquisa terá três etapas: avaliação neuropsicológica, intervenção para o TAND nos diferentes grupos etários e avaliação do programa de intervenção.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Barbosa-Fohrmann

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • sobre o cuidado e a dependência das pessoas com deficiências cognitiva ou psicossocial: refletindo sobre a sua vulnerabilidade
  • Neste projeto, recortamos, como objeto de pesquisa, as diferentes respostas dadas pelas teorias éticas do cuidado e da dependência à questão da condição de vulnerabilidade de pessoas com deficiências cognitivas ou psicossociais, destacando-se pessoas com Alzheimer e as com esquizofrenia. O projeto possui duas partes, uma de cunho prático, e uma de cunho teórico. Na primeira parte, o principal objetivo é explorar e delimitar conceitos essenciais à ética do cuidado, como aqueles ligados à dependência (utilizando como marco teórico a posição de Alasdair MacIntyre), à vulnerabilidade - expressão frequentemente usada, essencial à ética do cuidado, mas ainda muito abstrata, havendo especial interesse em investigá-la – e à empatia (partindo de Michael Slote, Eva Kittay, Todd May e Onora O’neill), à autonomia (em Michael Quante) e ao paternalismo (em Thomas Gutmann). Na segunda parte, entrevistaremos pessoas com deficiências cognitivas ou psicossociais, seus familiares, cuidadores e cuidadoras, e buscaremos compreender como elas são percebidas, tratadas (consideradas), e como elas próprias se percebem e concebem suas experiências. A metodologia, aqui, será a fenomenológica – que parte de Merleau-Ponty e aloca o corpo como sujeito, em contraposição à dicotomia cartesiana de corpo-mente –, para (i) descrevermos as entrevistas/narrativas; (ii) interpretarmos esses relatos a partir do arcabouço teórico construído; e (iii) darmos a eles significado. Nossa expectativa é que, com isso, sejamos capazes de propor novos modos de cuidado, que direcionem as políticas públicas no âmbito da saúde, não apenas com relação àqueles pacientes que sejam cuidados diretamente pelo Estado, como, também, por meio da disseminação de informações para que familiares, pessoas próximas e profissionais da saúde de um modo geral se tornem mais preparados para compreender a vulnerabilidade de pessoas em sofrimento psíquico ou com deficiência cognitiva, assegurando, ao máximo, o cuidado digno delas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 02/03/2022-31/03/2025