Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Jorge Douglas Massayuki Kondo

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • explorando interações de longo alcance em regimes não clássicos da luz utilizando amostras atômicas
  • Este projeto tem como objetivo explorar a implantação do laboratório de Física atômica no Departamento de Física da Universidade de Santa Catarina UFSC. Onde podemos estudar fenômenos relacionados à interação da radiação com a matéria, dentre os quais o estudo de interferências quânticas em amostras atômicas (Electromagnetic Induced Transparency EIT, Electromagnetic Induced Absorption EIA, Coherent Population Traping - CPT), a observação de fenômenos não lineares em regimes de biestabilidade óptica fora do equilíbrio na interação entre átomos de Rydberg entre estados metaestáveis do sistema, o desenvolvimento de detectores ultrassensíveis de radiação milimétrica de micro-ondas e Terahertz utilizando as janelas de transição de fase nestes sistemas, o desenvolvimento de uma nova geração de armadilhas atômicas baseadas num único feixe laser de resfriamento e aprisionamento em conjunto com uma grade de difração personalizada. Os objetivos abrangem tanto o desenvolvimento básico de física atômica, como a exploração tecnológica de novas formas de detecção de radiação e aprisionamento atômicos, reduzindo custos de construção do aparato experimental e solidificando um espaço de colaboração entre pesquisadores nacionais e internacionais na região do estado de Santa Catarina.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Elias Kalil Filho

Ciências Biológicas

Imunologia
  • inct de investigação em imunologia
  • O Instituto de Investigação em Imunologia(iii), inicialmente criado como um Instituto do Milênio em 2001, atua em doenças Infecciosas, HIV/AIDS, alergias, doenças autoimunes, transplantes e imunodeficiências primárias. Estas enfermidades, com forte componente imunológico, constituem problemas de saúde que afetam milhões de pessoas em nosso País e no mundo. Além da relevância sócio-econômica, estas doenças são também modelos biológicos importantes, pois permitem avançar no conhecimento de mecanismos fisiopatológicos, possibilitando o desenvolvimento de estratégias terapêuticas orientadas pela fisiopatologia. A Imunologia foi pioneira no desenvolvimento e uso de biofármacos. A expansão do arsenal de anticorpos monoclonais e proteínas recombinantes comercializados requer compreensão das causas e mecanismos das doenças-alvo, para o desenvolvimento de terapias inovadoras. Acreditamos que uma abordagem global e integrada que inclua ferramentas clínicas, moleculares, informáticas, de biologia de sistemas e epidemiológicas seja necessária para encontrar novas soluções para essas questões. Precisamos de conhecimento integrado e mais abrangente para inovar no desenvolvimento de novas vacinas, nas imunoterapias para rejeição dos transplantes, nas doenças infecciosas e suas sequelas, nas doenças autoimunes, e nas alergias e imunodeficiências. O iii propõe desenvolver pesquisa de tradução visando testar, em seres humanos, as estratégias inovadoras desenvolvidas na experimentação. Nas três etapas anteriores do iii, formamos recursos humanos e criamos instalações para o desenvolvimento de rotas tecnológicas. Isto nos permitiu caminhar do reconhecimento da doença para a descoberta de mecanismos patogênicos, passando para o desenho de biofármacos baseados nestes mecanismos e chegar a testes em modelos animais, criando um portfólio de novos imunobiológicos. Durante a terceira fase do iii, formamos 42 mestres, 82 doutores e 21 pós-doutores, gerando 468 publicações, aprimoramos nosso portfólio de produtos em desenvolvimento, obtivemos patentes e financiamentos para os ensaios clínicos que estão por iniciar. Continuaremos a pesquisa de tradução nas diversas áreas temáticas, com foco especial na produção e testes clínicos dos produtos de nosso portfólio. Em autoimunidade, vamos avançar o projeto da vacina candidata contra o S. pyogenes e a febre reumática, realizando os primeiros estudos clínicos fase I/IIa com o nosso já patenteado produto, além de avaliar seu papel terapêutico. Também testaremos imunomoduladores (probióticos naturais ou recombinantes) na doença inflamatória intestinal. Tais probióticos também serão testados no transplante e em doenças infecciosas como a leishmaniose, transplante e o HIV/AIDS. Planejamos vários estudos sobre a patogênese da infecção pelo HIV e a AIDS, e meios de auxiliar no tratamento, com estratégias que atuem no sistema imune. Concluiremos os ensaios pré-clínicos em primatas, qualificando-nos, assim, para realizar o primeiro estudo clínico fase I com a nossa vacina profilática candidata contra o HIV, também já patenteada. Essas duas vacinas – contra o S. Pyogenes e contra o HIV – foram totalmente concebidas por pesquisadores brasileiros do iii. Continuaremos os estudos de imunologia celular e molecular da patogenia das imunodeficiências primárias. Testaremos novas abordagens para prevenção/tratamento da leishmaniose tegumentar e visceral e, na Dengue, realizaremos uma inovadora varredura de anticorpos neutralizantes, com implicações para o conhecimento da patogenia e tratamento da doença, incluindo teste de terapia genética com tais anticorpos. Investigaremos potenciais mecanismos da tolerância operacional no transplante humano; Estudaremos a atividade imunorreguladora do anticorpo anti-CD3 humanizado, e iniciaremos estudos sobre as células T reguladoras humanas, visando uso em terapia celular, além do anticorpo monoclonal humano anti-toxóide tetânico, para uso em terapia. Nas alergias, estudaremos novos alérgenos de importância no Brasil, buscando também novas mutações associadas à alergia, a interferência do parasitismo por A. lumbricoides na asma, e avaliação de reatividade cruzada entre alérgenos. Aliado à pesquisa de tradução, continuaremos a investir na formação de estudantes, compartilhando saberes e na capacitação para o trabalho em rede. Para potencializar o trabalho em rede e o treinamento de pessoal, desenvolvemos plataformas - Proteômica, Epidemiologia e Ensaios Clínicos, Produção de Imunobiológicos, Bioinformática, Qualidade e Ensino e Interação com a Sociedade - que possibilitam o funcionamento matricial com as diferentes áreas temáticas. Nesta nova fase do iii, incluímos três eixos conceituais à sua estrutura matricial - imunorregulação, microbiomas e biologia de sistemas. Esses potencializarão a integração transversal entre as diferentes áreas temáticas, estimulando colaborações, dentro de uma visão mais integrada dos processos patológicos e fisiológicos. Visando somar forças para resolver gargalos ainda em aberto, incorporamos no iii jovens cientistas, ex-alunos do iii. Acreditamos que a Ciência pode ter um papel importante também na educação básica e na construção de cidadania mais ativa. O iii inclui na sua missão desenvolver projetos educacionais relacionados à ciência, imunologia e saúde com professores e estudantes da rede pública, assim como com a população de áreas endêmicas para as doenças em que trabalhamos, estimulando a curiosidade e despertando a vocação pela ciência. Ademais, o iii se atua na comunicação/difusão do conhecimento científico junto à sociedade, contribuindo para a aproximação da sociedade do mundo da ciência. Na configuração atual, o iii compõe uma rica combinação de indivíduos capaz levar os produtos criados pelo instituto para aplicação clínica, gerar novos conhecimentos, novos produtos e contribuir para as políticas públicas, em sintonia com a sua missão de elevar a imunologia brasileira a padrões internacionais.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Jorge Elias Kalil Filho

Ciências Biológicas

Imunologia
  • estudo clínico de fase i / ii escalonado, randomizado, duplo-cego e placebo controlado para avaliar a tolerabilidade, segurança e imunogenicidade da vacina brasileira anti covid-19 em adultos saudáveis.
  • Vacinas intranasais com vírus influenza não replicante, e de nanoparticulas expressando a proteína RBD e peptídeos antigênicos do SARS-CoV2 em dose única desencadearão resposta imune sistêmica e de mucosa, mediada tanto por linfócitos T quanto anticorpos neutralizantes. Esta resposta será potencializada com boost heterólogo.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 02/11/2020-02/11/2022
Foto de perfil

Jorge Gomes de Souza Chaloub

Ciências Humanas

Ciência Política
  • anatomia das direitas brasileiras
  • Já são correntes os diagnósticos sobre o protagonismo de atores e ideários de direita na contemporaneidade. O caso brasileiro não é diferente. Portadores de continuidades e descontinuidades ante a tradição que os precede, atores de uma Nova Direita brasileira distinguem-se, em meio a sua heterogeneidade, por uma ostensiva reivindicação do pertencimento a este campo. Dentre suas diversas formas de expressão, eles estão articulados em think tanks com vínculos internacionais, presentes nas páginas de influentes veículos da imprensa nacional, munidos de grande espaço no mercado editorial brasileiro e influência nas plataformas digitais, organizados em movimentos sociais, nos Legislativos e no Judiciário. A pesquisa pretende investigar as diversas facetas e formas de manifestação desta Nova Direita, investindo tanto em reflexões teóricas quanto na produção de inédito material empírico acerca do neoliberalismo ou do neoconservadorismo no Brasil contemporâneo, das suas expressões no sistema partidário e no Judiciário, dos think tanks da Nova Direita, da sua presença nas redes sociais e e das facetas do discurso religioso mais presente em suas manifestações. Para tanto, a pesquisa investirá na realização de entrevistas com jovens entre 15 e 24 anos explicitamente adeptos dessa Nova Direita, seja por suas manifestações em redes sociais ou adesão a grupos sociais explicitamente relacionados a tais ideários. A pesquisa também pretende realizar a análise do discurso de figuras públicas relacionadas a tal campo, através do mapeamento da produção em redes sociais, de publicações na grande imprensa e livros. Por fim, há a intenção de um mapeamento dos debates teóricos sobre o campo, por meio da análise sistemática das principais produções bibliográficas sobre a recente expansão da Direita no Brasil e no mundo.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Henrique Caldeira de Oliveira

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • neuromarketing, consumo sustentável e associações de prazer ou aversão: padrão de ativação cortical, atenção visual e condutância elétrica na pele em indivíduos expostos a marcas de cerveja
  • O avanço das neurociências tem contribuído significativamente para a melhor compreensão das doenças neurológicas e psiquiátricas. Além disso, o crescente conhecimento sobre as relações entre a atividade cerebral, os estados mentais e a expressão comportamental, tem aumentado nosso entendimento sobre porque os seres humanos se comportam da maneira como se comportam. Em função disso, os conceitos e métodos das neurociências não estão mais restritos ao seu local de origem, ou seja, o laboratório biomédico, posto que agora passam a integrar esforços de investigação nas áreas das ciências sociais aplicadas, como a administração, a economia e o marketing. Neste estudo, utilizaremos conhecimentos e métodos das neurociências aplicando-as ao marketing, no sentido de investigar se uma marca de cerveja forte, ou seja, com grande apelo popular e grande participação de mercado, em comparação a uma marca de cerveja fraca, com menos apelo popular e menor participação de mercado, podem alterar de modo significativamente diferente a atividade cerebral, conforme mensurada por eletroencefalografia, o nível de atenção visual, conforme medido por equipamento de rastreamento ocular, e as respostas psicofisiológicas, mensurado através do nível de resposta elétrica na pele, em jovens consumidores. Os resultados obtidos poderão ampliar nossa compreensão sobre as bases cerebrais do comportamento de consumo de cerveja, bem como nos dar pistas sobre porque jovens consumidores preferem uma marca em detrimento à outra, indicando também se marcas fortes e fracas tem a capacidade de produzir diferentes respostas neurais e psicofisiológicas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Iván Sánchez Botero

Ciências Biológicas

Ecologia
  • pesquisas ecológicas em assembleias de peixes de estuários hipersalinos do nordeste brasileiro
  • Os ecossistemas aquáticos costeiros estão entre os mais ameaçados pelas atividades antropogênicas. Estuários, por exemplo, possuem alta produtividade e providenciam o sustento de grande biodiversidade. Em parte da costa Nordeste do Brasil existe predominância de estuários hipersalinos influenciados pelo clima semi-árido da Caatinga. Essa região tem sido reconhecida como uma área geográfica que requer inventários biológicos e estudos ecológicos necessários para providenciar a elaboração de planos de manejo. Poucos estudos sobre peixes foram realizados nos estuários do estado do Ceará, limitando o conhecimento com informações difusas e até lacunas biogeográficas. Com estudos de ictiofauna em cinco estuários da costa do estado do Ceará, o Laboratório de Ecologia Aquática e Conservação vem investigando aspectos ecológicos com abordagens funcionais desde 2014. No entanto, mais ecossistemas precisam de amostragem para aumentar a representatividade local e responder novas questões. Com isso, a presente proposta insere os estuários hipersalinos dos rios Aracatimirim, Aracatiaçu e Mal Cozinhado, da costa cearense, no rol de pesquisas inéditas envolvendo essa região do Brasil, com possibilidades de elementos a serem comparados com estuários de outras partes do Nordeste, do Brasil e do mundo. As pesquisas pretendidas compreenderão a atualização da lista de espécies, padrões espaço-temporais, a relação atributo-ambiente, diversidade funcional e suas medidas complementares, e a busca por semelhanças funcionais à luz da ecologia e biogeografia com outros estuários hipersalinos do mundo. Além de produção de um guia de divulgação científica a respeito da ictiofauna de estuários hipersalinos, a ser distribuído a comunidades tradicionais e órgãos públicos gestores. Desta forma, investigações ecológicas da ictiofauna fornecidas por esta proposta deverão ser úteis para grupos de pesquisa, fiscalização, conservação e manejo que atuem em regiões estuarinas e ecossistemas anexos.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Jorge Luiz Mariano da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • uma análise da desigualdade de oportunidade na saúde no brasil
  • O estudo tem como objetivo analisar o grau da desigualdade de oportunidade em saúde no Brasil, observando os efeitos das variáveis de esforço individual e das características socioeconômicas sobre a situação de saúde das pessoas. A pesquisa terá como base os microdados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE, em 2013. A linha teórica da desigualdade em saúde segue os estudos de Barry (1998) e Roemer (1998). Para mensurar a desigualdade de oportunidade na saúde será utilizado o índice proposto por Jusot (2007) com base na decomposição da variância do indicador da condição de saúde das pessoas. Pretende-se verificar os efeitos que as variáveis de esforço individual exercem sobre as chances de o indivíduo ter boas condições de saúde. Procurar-se-á, ainda, verificar a importância das condições de moradia sobre as condições de saúde das pessoas.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Mauricio David

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • estudo químico e avaliação biológica de plantas de diferentes biomas do estado da bahia
  • Os diferentes tipos de biomas e a presença de um litoral extenso da Bahia propicia a existência, no Estado, de uma grande biodiversidade. Todavia, espécies de plantas que medram no semiárido, mata atlântica e caatinga baianas, tanto as endêmicas quanto as medicinais, até o momento não apresentam um número expressivo de trabalhos realizados sob o ponto de vista químico e/ou farmacológico. Desta maneira, o presente projeto tem como objetivo geral o estudo químico e avaliação biológica dos extratos polares ou de média polaridade de plantas medicinais e endêmicas do Estado da Bahia, especialmente espécies das famílias Leguminosae (Fabaceae), Anacardiaceae e Lamiaceae. Fazem parte deste estudo, o desenvolvimento e planejamento de métodos (modernos e usuais) para preparação dos extratos e o isolamento de novas substâncias bioativas, obtenção de derivados químicos a partir de substâncias bioativas isoladas, utilização de técnicas espectrométricas na identificação dos constituintes químicos isolados e preparados e padronização dos extratos ativos. Também serão desenvolvidos testes de atividade antioxidante, inibição da acetilcolinesterase, quimiopreventiva, antinociceptiva, toxicidade aguda e crônica nas substâncias isoladas, derivados químicos e extratos ou frações padronizadas. O desenvolvimento do presente projeto contribuirá com o conhecimento da composição química de espécies vegetais da biodiversidade brasileira, sua conservação e valorização bem como a descoberta de novos compostos bioativos e novas fontes de produtos com propriedades biológicas e farmacológicas comprovadas.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-31/12/2022
Foto de perfil

Jorge Munaiar Neto

Engenharias

Engenharia Civil
  • análises experimental e numérica de vigas mistas de aço revestidas com concreto sustentável e mistas de madeira e concreto reforçadas com fibra de vidro em situação de incêndio
  • A necessidade de redução dos impactos ambientais gerados pelas construções voltadas à sustentabilidade torna o uso de concreto produzido com agregado reciclado e a utilização da madeira de reflorestamento materiais de interesse para o emprego em estruturas. No primeiro caso, há a redução do consumo de matéria prima não renovável, no caso, o agregado natural, enquanto a madeira, por sua vez, é considerada um material leve, resistente e, sobretudo um recurso renovável e abundante. Por mais vantajoso que um sistema estrutural seja em condições normais de uso é necessário ter conhecimento do seu comportamento quando submetido a temperaturas elevadas. Desta forma, a proposta deste trabalho se volta a avaliar (1) a influência do revestimento de concreto produzido com agregado reciclado em vigas de aço que, em princípio, podem não apresentar bom comportamento estrutural em situação de incêndio em função do material constituinte, e (2) compreender o desempenho de estruturas mistas de madeira laminada colada e concreto investigando distintas formas de ligação entre esses materiais, bem como a eficiência de reforço estrutural com fibra de vidro na região inferior da viga de madeira. Ambos os estudos serão feitos em temperatura ambiente e em situação de incêndio. O desenvolvimento do trabalho aqui proposto se volta a duas etapas a serem realizadas. Inicialmente, será estudado o comportamento do concreto, contendo ou não agregado reciclado, com aplicação do conceito de empacotamento de partículas, tanto no estado fresco quanto no estado endurecido, bem como das características físicas e mecânicas da madeira laminada colada. Em seguida, o estudo será feito em elevadas temperaturas, de modo a verificar as propriedades mecânicas residuais de corpos de prova moldados com os concretos produzidos. A segunda etapa desse projeto se volta ao desempenho de elementos estruturais em situação de incêndio. Basicamente, a ideia é desenvolver um conjunto de análises em contextos experimental e numérico a respeito do comportamento de vigas mistas aquecidas em um forno horizontal, alocado atualmente no Departamento de Estruturas da Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, o qual permite reproduzir a curva de incêndio-padrão proposta pela ISO 834-1:1999.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Nassar Fleury da Fonseca

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • novos olhares sobre a saúde e o planejamento urbano: a importância da arborização em uma cidade da amazônia
  • Vide projeto anexo ou abaixo: A arborização é fundamental para a manutenção do microclima urbano, e sua importância se faz ainda mais necessária em climas quentes e úmidos o ano inteiro, como é o caso de Belém. Segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade de Belém, capital do estado do Pará, Brasil, situada na Amazônia, possui o pior índice de arborização urbana entre as capitais de estado brasileiras (22,4%). Cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte ou Goiana apresentam, respectivamente, 72,2%, 75,4%, 83,0% e 89,5%. Apesar desse baixo valor, Belém é conhecida como Cidade das Mangueiras, por possuir muita árvore dessa espécie. Levanta-se a hipótese então que a cidade possui muitas áreas sem arborização nenhuma e, indo além, pensa-se que essas áreas correspondem às de baixa renda e favelas da cidade. São territórios mais carentes de infraestrutura urbana, saneamento e atenção à saúde pública. O objetivo principal deste trabalho é a utilização de técnicas de análise espacial permitindo o diagnóstico de dados de diferentes fontes de maneira conjunta fornecendo uma informação mais robusta para a tomada de decisão de locação e realocação de recursos públicos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Neval Moll Neto

Ciências da Saúde

Medicina
  • predição de escolhas através do sinal bold de regiões mesolímbicas e diferenças individuais em humanos
  • A busca por recompensas é parte central na vida humana. Estamos constantemente em busca de estímulos, objetos, atividades, que possuem potencial para desencadear comportamentos de aproximação e consumo. Essas recompensas podem ser primárias, relacionadas diretamente à manutenção da homeostase e reprodução, como alimentos, ou secundárias, que visam incentivar a consumação de recompensas primárias, como por exemplo, a ternura que sentimos por nossos parceiros levando à formação de vínculos. Embora já se tenha uma descrição da circuitaria neural relacionada ao processamento de recompensas primárias, envolvendo principalmente regiões mesolímbicas, pouco se sabe quanto ao processamento de recompensas secundárias. Dessa forma, há um debate atual quanto a existência de um sistema “comum” ou não para esses diferentes tipos de recompensa e quais as semelhanças e diferenças no processamento de recompensas tão distintas. Nesse projeto, pretendemos avaliar, através de ressonância magnética funcional se a atividade de regiões mesolímbicas (estriado ventral e córtex ventromedial) em resposta a recompensas primárias e secundárias (estímulos audiovisuais) varia parametricamente em relação a preferência individual dos participantes. Ainda, pretendemos testar modelos preditivos da motivação dos participantes para rever os estímulos utilizando os dados de neuroimagem, juntamente com dados de auto-relato. Para avaliar a atividade do sistema mesolímbico, adaptaremos uma tarefa já bem estabelecida para recompensas monetárias, na qual os participantes poderão assitir vídeos breves indutores de quatro emoções: desejo por alimentos, ternura, admiração/reverência (“awe”) e entusiasmo. Dessa forma, poderemos comparar, intra-indivíduo, a atividade de regiões mesolímbicas em relação a cada vídeo e as preferências individuais. Ainda, após o exame de ressonância, os participantes irão desempenhar uma tarefa de esforço para rever os estímulos, o que nos fornecerá uma medida motivacional para rever cada vídeo, permitindo a elaboração de modelos preditivos da motivação utilizando dados neurais e de auto-relato. Dessa forma, o presente projeto propõe um método inovador para estudar uma pergunta ainda em aberto na literatura da tomada de decisão humana, não apenas informando sobre o funcionamento do sistema de recompensa mesolímbico em relação a recompensas secundárias intrinsicamente humanas ainda pouco estudadas, mas também complementando estudos anteriores que focaram na utilização de dados neurais para predição de comportamentos de consumo, porém apenas focando em recompensas primárias.
  • Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Ricardo Mejía Salazar

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • plasmônica para aplicações em colheita de luz, (bio)sensores, e telecomunicações
  • Vide projeto anexo
  • Instituto Nacional de Telecomunicações - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorge Tiago Bastos

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • estudo experimental sobre fatores humanos, veiculares e ambientais e seus impactos na segurança viária
  • No ano que marca o início da segunda metade da Década Mundial de Ações para a Segurança no Brasil e no mundo, a divulgação das estatísticas oficiais mais recentes de mortes no trânsito do Ministério da Saúde é preocupante – o número de vítimas fatais no trânsito brasileiro foi 37.345 em 2016 – o que representa um aumento de quase 2% em relação ao ano anterior. A representatividade da participação do fator humano nos acidentes é inquestionável, assim como sua atuação em conjunto com fatores veiculares e ambientais, afetando tanto o risco quanto a severidade dos acidentes. Para avaliações sobre fatores humanos no âmbito da segurança viária, têm-se realizado os chamados “Field Operational Tests (FOT)” ou “testes operacionais de campo”, nos quais um veículo de passeio (automóvel) é equipado com câmeras, um aparelho de GPS, uma IMU (Unidade de Medida Inercial) e uma plataforma para armazenar as informações coletadas. Devido ao registro de uma grande quantidade de informações de forma coordenada que a instrumentação do veículo possibilita, obtém-se uma base de dados que permite analisar a influência no comportamento de condução de diferentes interferências (distrações no interior e exterior do veículo), além de permitir a avaliação de como os condutores reagem à sinalização de trânsito e elementos da infraestrutura viária. A duração do experimento com cada condutor em uma rota fixa pré-definida deve ser em torno de 2h, compreendendo o período de fim da tarde (ainda sob luz do dia) e início da noite. Portanto, o objetivo geral desta pesquisa é desenvolver um estudo de segurança viária baseado em informações coletadas por meio do monitoramento de uma amostra de condutores (de diferentes faixas etárias) utilizando veículo instrumentado operando em uma rota pré-definida. A execução do estudo tem como base metodológica as práticas de FOT e o cenário do experimento é o município de Curitiba-PR. Uma premissa da pesquisa é atingir os objetivos mencionados para diferentes perfis de condutores, segmentados basicamente de acordo com sua faixa etária e experiência de condução. Isso possibilita, entre outros aspectos, a investigação dos possíveis efeitos do envelhecimento da população brasileira sobre a segurança viária. Nesse sentido, estabeleceram-se amostras de condutores em três faixas etárias bem definidas e descontínuas (com um n=30 para cada grupo): condutores habituais jovens, condutores habituais de meia idade e condutores habituais idosos. Em relação aos resultados esperados, devido ao enorme potencial de coleta de informações na pesquisa, tem-se uma importante contribuição para o entendimento dos fatores humanos envolvidos na condução de um veículo rodoviário, assim como sobre as inter-relações de fatores humanos e de engenharia (de tráfego, viária e veicular). Dessa forma, tem-se uma contribuição original no âmbito da segurança viária, tendo em vista que esta pesquisa envolve a aplicação ainda inédita no país do método proposto. A melhor compreensão destes fatores envolvidos na tarefa de conduzir é capaz de orientar ações voltadas tanto para o comportamento dos condutores, características dos veículos e infraestrutura/sinalização viária, com o objetivo final de minimizar os riscos associados aos deslocamentos em veículos motorizados – tanto para seus próprios ocupantes quanto para os demais usuários não motorizados que interagem neste processo.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jorlandio Francisco Felix

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • síntese de materiais 2d por deposição química em fase vapor (cvd)
  • Esse projeto de pesquisa tem por objetivo principal o desenvolvimento de um sistema de deposição de monocamadas de MoS2 e WS2 baseado no processo de deposição química em fase vapor (CVD). Desde a concepção do grafeno em 2004 através do método de esfoliação mecânica, um número crescente de materiais bidimensionais (2D), por exemplo, os dicalcogenetos de metais de transição- Transition metal dichalcogenides (TMDCs) foram preparados e estudados. Particularmente, os TMDCs apresentam propriedades eletrônicas, óticas e térmicas extremamente interessantes do ponto de vista de aplicações tecnológicas. A enorme importância e interesse nesses materiais é devido também aos recentes avanços na preparação da amostra, detecção óptica, transferência e na manipulação de materiais 2D. Atualmente, existe um ressurgimento do interesse científico e de engenharia/tecnológico em TMDCs em suas formas 2D, com camadas atômicas. Em parte, esse interesse é devido os recentes avanços na preparação da amostra, detecção óptica, transferência e manipulação de materiais em 2D e a compreensão física de materiais 2D adquirida ao longo dos últimos anos com o estudo do grafeno. Por exemplo, como um novo tipo de material bidimensional, a espessura da monocamada de dissulfeto de molibdênio, MoS2, pode ser menor que 1nm e foi recentemente demostrado que transistores a base desse material apresenta razão on/off em torno de 10^8. Diferente do grafeno, monocamadas de molibdênio apresenta propriedade semicondutora com gap direto de 1,9 eV. Essa importante propriedade do MoS2 o torna um material promissor no desenvolvimento da próxima geração de transistores e dispositivos optoeletrônicos. Portanto, esse projeto de pesquisa visa desenvolver dispositivos eletrônicos usando TMDCs depositados por CVD sobre substratos de Carbeto de Silício (SiC) e Arseneto de Gálio (GaAs) e sobre substratos desenvolvidos pelo grupo. Para isso, utilizaremos nossa experiência adquirida ao longo de mais de 10 anos, usando diferentes sistemas para deposição de filmes finos. Finalmente, é evidente que o estudo e desenvolvimento de novos dispositivos, tema do presente projeto de pesquisa, é de grande interesse tanto científico bem como de enorme relevância tecnológica e econômica.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

José Adilson de Castro

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de tecnologias inovadoras para a siderurgia: uma abordagem integrada da cadeia produtiva de aço com energia sustentável
  • A competitividade da siderurgia brasileira como indústria de base encontra-se em situação crítica. Existe um consenso entre especialista que tecnologias limpas aliadas a uma maior integração entre os setores de energia, siderurgia e construção civil mostram-se viáveis e uma alternativa perene e sustentável para a competitividade destes setores. A abordagem e o desenvolvimento de novos processos nestes setores devem incorporar os conceitos da indústria 4.0 que demanda a integração de conhecimentos e tratamento de dados com modelos adequados para tomadas de decisões. Neste contexto, neste projeto propõe-se o desenvolvimento de códigos computacionais validados por experimentos controlados em laboratório e sua extensão para aplicações nas escalas dos processos capazes de testarem de forma efetiva novas tecnologias que possibilitem o aproveitamento das matérias primas e fontes alternativas de energia nos processos atuais da siderurgia e em novas propostas de processos avançados. O grupo proponente vem desenvolvendo códigos específicos para os processos tradicionais: sinterização, alto forno, mini alto forno, dessulfuração, LD, forno elétrico, lingotamento continuo e “near net shape”, além das etapas de conformação a quente. Propostas de utilização simbiótica de rotas de processos de redução direta e autorredução com as rotas tradicionais serão avaliadas neste projeto tanto do ponto de vista exergético, ambiental e de valor em uso das matérias primas quanto do balanço de carbono. Propõe-se, portanto metas de desenvolvimento de produtos, softwares e formação de recursos humanos voltados a atender tais demandas e incorporando aspectos de balanço exergético na sua forma diferencial, uma inovação teórica desta proposta. Portanto, pretende-se incorporar e integrar modelos especializados para os processos específicos e utilizar métodos híbridos de otimização baseado em redes neurais para avaliar de forma integrada as rotas de produção de melhor desempenho ambiental e de menor impacto na utilização de carbono.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jose Alberto Ramos Flor

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • condições de otimalidade e métodos computacionais para otimização.
  • Otimização é uma área da matemática que é amplamente usada na ciência, engenharia, economia, finanças, administração, estatística, computação, etc. A otimização lida com o problema de selecionar a melhor decisão dentre de outras possíveis decisões. Essa decisão, usualmente, está associada ao problema de minimizar (ou maximizar) uma função objetivo predeterminada cujas variáveis ou incógnitas estão dentro de um conjunto de restrições. Para resolver esses problemas, métodos numéricos são necessários. Assim, o estudo de suas propriedades teóricas e do seu desempenho computacional têm um papel relevante. Acreditamos que um bom desempenho desses métodos estão ligados ao uso das condições de otimalidade fortes, isto é, condições que devem ser satisfeitas pelos possíveis candidatos a solução cuja verificação é um forte indício que a solução é aceitável. Além disso, ditas condições fornecem uma ferramenta para o estudo dos métodos computacionais e uma forma teórica de comparar diferentes métodos. Por conseguinte, o principal objetivo deste projeto é o estudo e o desenvolvimento de métodos numéricos de otimização. Os métodos numéricos deve ser eficientes, robustos e com bom grau de confiabilidade das soluções obtidas, e ser baseados em condições de otimalidade fortes.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jose Albino Oliveira de Aguiar

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • resposta magnética de supercondutores com uma única banda e com multibandas no domínio intertipo
  • Os materiais supercondutores convencionalmente classificados, com base na teoria de Ginzburg-Landau (GL), como tipo-I, que são idealmente diamagnéticos, ou tipo-II, que permitem a penetração do fluxo magnético no condensado na forma de uma rede regular de vórtices, rede de Abrikosov, que carregam um único quantum de fluxo. Qual deles realmente se realiza depende do parâmetro de GL,  = /, onde  é o comprimento de penetração, e  é o comprimento de coerência GL. A mudança entre esses dois tipos acontece, abruptamente, quando se cruza o valor crítico  0 = (1/2)0,5. Essa classificação é rigorosamente correta em T = Tc, onde de Tc é a temperatura de transição supercondutora. Para temperaturas abaixo de Tc a situação é mais complexa. Por exemplo, já nos anos 1970 J. Auer and H. Ullmaier [6] mostraram que é formado um regime intertipo entre os tipos I e II no plano-(,T). Essa discussão ficou latente até recentemente quando a descoberta de configurações de vórtices não convencionais em MgB2 reativaram o interesse nesse problema. Nos anos recentes temos nos dedicado ao estudo da resposta magnética em supercondutores de uma única banda e com bandas, tanto do ponto de vista teórico, como experimental. Nossos resultados são extremamente interessantes e apontam na direção da existência do regime intertipo em supercondutores volumétricos, onde observamos um efeito Meissner paramagnético gigante, bem como em filmes finos, onde observamos configurações de vórtices bastante exóticas tais como, ilhas supercondutoras separadas por cadeias de vórtices, tiras (stripes) de vórtices e mistura de vórtices gigantes e agregados de vórtices. Entendemos que no regime intertipo, e para supercondutores volumétricos, os vórtices de Abrikosov interagem não monotonicamente e efeitos de muitos corpos são importantes para a existência de configurações exóticas de vórtices. Já para filmes finos a contribuição dos campos de franja (stray fields) é importante para determinar a existência dessas configurações exóticas. Esses resultados trazem de volta a discussão da região de transição (região intertipo) entre supercondutores tipo I e tipo II, questionando a classificação dos tipos de supercondutividade descrita nos livros texto. Nesse projeto continuaremos a estudar como a região intertipo depende da intensidade acoplamento interbandas, do tamanho da amostra, da presença de impurezas, e quando consideramos a existência de uma banda rasa (shallow band). Do ponto de vista experimental procuraremos produzir supercondutores multibanda com estrutura AlB2 na forma monocristalina, e multicamadas artificialmente nanoengenheiradas, visando a observação das configurações de vórtices por microscopia eletrônica de varredura e por técnicas magneto-óticas.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

José Alexandre da Silva Júnior

Ciências Humanas

Ciência Política
  • vulnerabilidade social no brasil: conceitos e medidas.
  • Como mensurar vulnerabilidade social no Brasil? A décadas a literatura discute esse conceito com sentidos, caminhos e significados diferentes (PROWSER, 2003). Consequentemente, não há consenso sobre como medi-la e como estimar as suas consequências. Nessa pesquisa, buscamos avaliar as estratégias utilizadas para mesurar a vulnerabilidade social no Brasil. Portanto, nosso objetivo é testar as teorias de mensuração dos indicadores de vulnerabilidade social mais utilizados por aqui. Precisamente: o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS), o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e as Linhas de Pobrezas (LP). Metodologicamente, utilizaremos análise fatorial confirmatória, modelos de equações estruturais e análise de conglomerados. Os dados são oriundos dos censos de 2000 e 2010 disponibilizados pelo IBGE para os 5.565 municípios brasileiros.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jose Alexandre Felizola Diniz Filho

Ciências Biológicas

Ecologia
  • ecologia, evolução e conservação da biodiversidade
  • O INCT em Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade (EECBIO) reunirá especialistas nas principais áreas de pesquisa em biodiversidade, consolidando uma rede de pesquisa e formação de recursos de excelência. A compreensão dos padrões e processos relativos à origem e manutenção da diversidade biológica, em diferentes escalas espaciais e em diferentes níveis da hierarquia biológica, permite que sejam adotadas medidas adequadas para sua conservação, o que, em última instância, é fundamental para o desenvolvimento humano. Assim, a missão do EECBIO é a de se tornar uma referência internacional nas diferentes áreas metodológicas e teóricas para análise da biodiversidade e sua conservação, unificando experiências globais anteriores que mostram a importância de interação entre pesquisadores para inovar e definir novas direções de pesquisa e intervenção. A equipe do ECCBIO é formada por 103 docentes e pesquisadores oriundos de 30 instituições de ensino superior e pesquisa do Brasil, com atuação nas diferentes áreas de conhecimento envolvendo biodiversidade e amplamente distribuídas no Brasil. Desse total, 57 são bolsistas de produtividade do CNPq (incluindo 27 PQ nível 1 (7 PQ1A) e 30 PQ2;). Além disso, estão incluídos 27 pesquisadores de 14 países, destacando pesquisadores que já possuem forte interação com a equipe nacional e/ou pesquisadores de destaque nas linhas do EECBIO, e que podem gerar novas interações importantes. Há apoio formal de colaboração institucional com 3 centros importantes da África do Sul, Dinamarca e Alemanha. Em termos de área de pesquisa, o EECBIO tem por objetivo a avaliação dos aspectos teóricos relativos a padrões e processos biológicos, o desenvolvimento e teste de métodos inovadores para a obtenção de dados e análise estatística-computacional para melhor compreender padrões e processos relativos à biodiversidade, bem como a utilização dessas informações para desenvolver estratégias ótimas para sua conservação em diferentes escalas. As atividades do Instituto estão organizadas em três grandes linhas de pesquisa, cujas ações são interligadas. A primeira delas (PADRÕES DE DIVERSIDADE EM DIFERENTES NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO E ESCALAS DE TEMPO E ESPAÇO) englobará os projetos relativos à análise de padrões de diversidade em diferentes escalas e níveis hierárquicos. Isto inclui desde padrões de estrutura genética entre populações e padrões filogeográficos ao longo das distribuições geográficas das espécies até os padrões de diversidade de espécies em múltiplas escalas (local, regional e global), bem como sua decomposição em variação na riqueza e composição mensurada a partir de dados de espécies e suas relações filogenéticas e funcionais. A segunda linha (ADAPTAÇÃO, EVOLUÇÃO DO NICHO ECOLÓGICO E MUDANÇAS CLIMÁTICAS) pretende avaliar os processos adaptativos e o nicho ecológico das espécies, com foco especial na partição dos componentes neutros e adaptativos em diferentes escalas. Nessa linha, as análises de biodiversidade deverão enfocar novos desenvolvimentos tecnológicos na análise de adaptação e estresse ambiental por meio de análise genômica, bem como a integração de conhecimentos entre ecofisiologia, respostas às mudanças climáticas e evolução do nicho por meio de novos métodos filogenéticos comparativos. Finalmente, na terceira linha (PLANEJAMENTO EM CONSERVAÇAO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE) todos esses conhecimentos serão integrados no contexto de conservação e desenvolvimento humano, utilizando novas metodologias de análise para delinear estratégias ótimas para conservação dos padrões e processos investigados nas linhas 1 e 2. Essa análise integrativa levará em consideração as questões relativas ao desenvolvimento humano e manutenção de atividades socioeconômicas, notadamente as relacionadas à agricultura, pecuária e demais atividades humanas, assim como a conservação dos serviços ecossistêmicos. Os projetos de pesquisa nas diferentes linhas serão apresentados em reuniões periódicas e financiados com recursos do INCT em três ciclos de discussão/avaliação ao longo de seis anos. Além disso, a fim de alcançar esses objetivos de pesquisa e consolidar a posição do Brasil como uma referência mundial nas linhas de pesquisa delineadas acima, o EECBIO deverá adotar uma série de estratégias como, por exemplo, a realização de grupos de trabalhos temáticos, para reunir os especialistas do Brasil e de outros países a fim de subsidiar o desenvolvimento das atividades das linhas de pesquisa definidas acima, em um modelo semelhante ao utilizado no NCEAS (National Center for Ecological Analysis and Synthesis), NESCent (National Evolutionary Synthesis Center), iDiv (German Centre for Integrative Biodiversity Research), CEBC (Centre for Evidence-Based Conservation), dentre outros. Vale destacar que grandes desafios científicos e práticos, relacionados com o tema biodiversidade, têm sido avaliados de forma bem sucedida por esses centros. Ainda, pode-se inferir que o sucesso desses centros de pesquisa pode ser atribuído, em grande parte, ao trabalho em cooperação realizado por pesquisadores. Além de se basear nas melhores práticas desses centros (e.g. avaliação de questões de interesse geral, trabalho fundamentalmente cooperativo, compartilhamento e síntese de dados, desenvolvimento de métodos computacionais, formação de recursos humanos altamente qualificados), a proposta do EECBIO também será voltada para o teste, aprimoramento e desenvolvimento de métodos de coletas de dados primários. Espera-se que, ao longo desse processo, sejam formados estudantes em diferentes níveis, desde graduação ao pós-doutorado, em um contexto de pesquisa de ponta e com forte inserção internacional. Ao mesmo tempo, o EECBIO deverá investir em uma maior divulgação de suas atividades e realizar ações que visem diminuir desigualdades sociais em termos de educação científica, tanto no Brasil quanto em relação a outros países, especialmente os de língua portuguesa na África(começando com Moçambique)
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

José Alonso Borba

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • má gestão, distúrbios éticos e fraudes em ongs: uma análise multiteórica e multimetodológica da readability do ambiente informacional
  • Como a eficiência e eficácia das Organizações Não Governamentais (ONGs) estão relacionadas, como nas empresas, às limitações de recursos, gestores desses recursos oportunistas podem deliberadamente reduzir a “readability” das informações fornecidas a sociedade para ofuscar um desempenho organizacional. Esses subterfúgios podem ser inseridos na obtenção de recursos com objetivo de angariar doações ou subvenções. A conjectura principal deste projeto é que ONGs podem manipular seu ambiente informacional reduzindo e/ou aumentando a “readability” com o foco em benefícios eventualmente não declarados. Isto poderia ser considerado uma falha do sistema informacional. Esta pesquisa pretende elucidar se as maiores doações e/ou subvenções podem ser impulsionadas por uma melhor “readability” do ambiente informacional das ONGs. Além disso, também pretende estudar se a “readability’ do ambiente informacional está diretamente relacionada com as medidas de eficiência, eficácia, distúrbios éticos ou fraudes nas ONGs. A metodologia está dividida em duas etapas: a primeira diz respeito ao campo teórico, para elaboração de um modelo multiteórico de análise do ambiente informacional das ONGs; a segunda etapa divide-se em duas partes relacionadas ao campo empírico. Academicamente associar o nível de “readability “do ambiente informacional das ONGs com a má gestão de recursos, distúrbios éticos e fraude, responderá a questões de conflitos de interesses relacionados entre ONGs e seus stakeholders.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022