Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Aline Chaves Intorne

Outra

Divulgação Científica
  • do etnoconhecimento às inovações tecnológicas: como alcançar a população com o brasil científico
  • O conhecimento científico produzido nas instituições não tem capilaridade suficiente para atingir a população fora da academia, mesmo que seus avanços e descobertas tenham impacto direto na sociedade. Trazer essa discussão para o centro das pautas faz parte do processo de popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), o que contribui para a difusão do conhecimento científico. Este projeto foi idealizado a fim de realizar divulgação científica nas plataformas digitais e em ações presenciais, como forma de conectar as instituições de ensino e pesquisa, a gestão pública, as empresas e o público não cientista de forma concisa e clara. Neste sentido, aproveitamos o Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação 2022, sob a temática: “BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA: 200 anos de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil” e a sua relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, para promover um ambiente de ações integradas sobre um tema comum em que o público-alvo possa entender informações científicas, de forma a entrelaçar as inovações tecnológicas e descobertas que ocorrem diariamente no campo científico aos conhecimentos e culturas do cotidiano. Esperamos proporcionar uma comunicação bidirecional, além de implementar ações concretas para a divulgação da CT&I nas cidades do interior do Rio de Janeiro, capazes de estabelecer um valioso intercâmbio de etnoconhecimento, saberes, cultura e experiências entre as Instituições de Ensino Superior e a Sociedade, trazendo o Ensino Básico como o pilar para o desenvolvimento futuro. As Instituições parceiras irão realizar em conjunto as modalidades de estratégias e metodologias. Após o Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação, serão realizadas atividades que irão complementar a proposta, trazendo a ciência para o dia a dia da comunidade a fim de estimular a curiosidade científica, o caráter inquiridor e o pensamento crítico dos cidadãos.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 20/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Aline Chaves Intorne

Ciências Humanas

Educação
  • transversalidade no ensino para uma educação humanitária
  • A popularização da ciência e da tecnologia (C&T) se faz com o uso de recursos e processos técnicos para a comunicação da informação científica e tecnológica para o público em geral. Com isso em mente, apresenta-se a proposta de incluir uma pauta que seja capaz de abordar, no geral, esses aspectos tão relevantes para nossa sociedade, lembrando sempre do contexto no qual estamos inseridos: a pandemia. Este que levou múltiplas vertentes sejam da educação, pesquisa e tecnologia a se reorganizarem e se reestruturarem para atenderem à demanda exigida por esse momento. Com isso foi idealizado o projeto: Transversalidade no Ensino para uma Educação Humanitária que visa realizar divulgação científica através da página “Ciência Pra Gente” em diversas plataformas digitais como YouTubeⓇ, FacebookⓇ e InstagramⓇ para o público não cientista de forma concisa e clara. Neste sentido, aproveitamos o Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação 2021, sob a temática: “A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta” e a sua relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, para possibilitar um ambiente de ações similares e integradas sobre um tema comum em que o público leigo possa entender informações científicas antes exclusivas em revistas científicas e no meio acadêmico, de forma a se integrar das inovações tecnológicas e descobertas que ocorrem diariamente. Com isso, esperamos proporcionar uma comunicação bidirecional entre a comunidade científica e a sociedade, além de implementar ações concretas para a divulgação e popularização da CT&I no âmbito da transversalidade, especialmente, nas regiões Norte, Noroeste e Sul Fluminense, capazes de estabelecer um valioso intercâmbio de saberes e experiências entre as Instituições de Ensino Superior (IES) e a Sociedade, trazendo o Ensino Básico como o pilar para o nosso desenvolvimento futuro. Com base nas premissas expostas, as Instituições parceiras nessa proposta são: o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro campus Volta Redonda (IFRJ), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Federal Fluminense campus Volta Redonda (UFF), a Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), a Universidade Estácio de Sá (UNESA) e o Consórcio de Ensino a Distância do Estado do Rio de Janeiro (CEDERJ). Juntas essas instituições irão trabalhar as modalidades: “Eventos de Comunicação Científica em Rádio, TV E Outras Mídias”, “Ciclo de Palestras”, “Publicação de Cards” e “Realização de Lives”. Somado a isso, após a realização do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação serão realizadas atividades satélites, que vão complementar a proposta. Dessa forma, esperamos mostrar que a popularização da ciência deve ser entendida como um movimento que acontece das mais diferentes formas, envolvendo os mais diferentes atores. No entanto, as IES devem assumir a responsabilidade e criar mecanismos que estimulem a curiosidade científica, o caráter inquiridor e o pensamento crítico dos cidadãos.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 11/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Aline Cristine Souza Lopes

Ciências da Saúde

Nutrição
  • avaliação da efetividade de intervenção coletiva para o manejo da obesidade em usuários da atenção primária com indicação de cirurgia bariátrica
  • A obesidade é um problema de saúde de pública crescente no mundo. No Brasil, atinge um quinto da população, com taxas crescentes em adultos. A obesidade se associa a outras morbidades, refletindo em maiores taxas de mortalidade e custos para os serviços de saúde, sobretudo nas suas formas mais graves. A demanda por tratamento cirúrgico é superior à capacidade do sistema de saúde, refletindo em grandes períodos de espera, e os serviços de saúde ainda carecem de estratégias efetivas para o tratamento longitudinal exigido de dois anos. Dessa forma, torna-se indispensável delinear ações específicas para indivíduos com indicação para cirurgia bariátrica, contribuindo para a maior efetividade do tratamento. O Brasil tem trabalhado para o fortalecimento da Rede de Atenção à Saúde e para ampliar a resolutividade do cuidado de pessoas com obesidade. Materiais baseados em evidências científicas, como o “Instrutivo de Abordagem Coletiva para Manejo da Obesidade no Sistema Únivo de Saúde” (no prelo), elaborado pelo GIN/UFMG (Grupo de Pesquisa de Intervenções em Nutrição da Universidade Federal de Minas Gerais) em parceria com o Ministério da Saúde, têm sido elaborados para auxiliar no cuidado e qualificar os profissionais de saúde. Este Instrutivo oferece ferramentas teórico-práticas para condução de ações coletivas com usários com obesidade, e constituirá a base da intervenção proposta nesta pesquisa. Suas ações foram pautadas no Modelo Transteórico, com elementos da Terapia Cognitivo-Comportamental, a partir da abordagem crítico-reflexiva visando assim, ofertar intervenções inovadoras, que promovam o empoderamento e a autornomia dos usuários para o autocuidado da saúde. Para isto, propõe intervenção diferenciada segundo a prontidão de mudança para redução do peso e busca contribuir para a superação das respostas emocionais negativas frente à obesidade. Considerando este contexto, esta pesquisa objetiva desenvolver e avaliar a efetividade de intervenção coletiva voltada para o manejo da obesidade em amostra representativa de usuários com indicação de tratamento cirurgico participantes do Programa Academia da Saúde (PAS) de Belo Horizonte-MG. O PAS foi escolhido como cenário de pesquisa devido os resultados positivos para promoção e cuidado da saúde, e por promover adesão satisfatória às ações de saúde. Será conduzido Ensaio Comunitário Controlado Randomizado pautado em intervenção coletiva proposta no “Instrutivo de Abordagem Coletiva para Manejo da Obesidade no SUS”, denominada Grupo Terapêutico 2 (GT2). A amostragem será guiada de forma a alcançar a representatividade do PAS no município, garantindo seleção de, pelo menos, duas unidades por região com similaridade de Índice de Vulnerabilidade à Saúde (IVS). Na sequência, será realizado sorteio para determinar a alocação em Grupo intervenção (GI) ou Grupo controle (GC). Nas unidades do PAS sorteadas serão incluídos na pesquisa: usuários com 20 anos ou mais, com obesidade e que atendem aos critérios para realização de cirurgia bariátrica, que querem e possuem disponibilidade de tempo para participar de grupos com duração de seis meses ou mais, e que possuem prontidão de mudança para redução do peso segundo o Modelo Transteórico (estágios de mudança de “preparação com alta autoeficácia”, “ação” ou “manutenção”). A Triagem para participação na pesquisa incluirá informações sociodemográficas; antropométricas (peso, altura e circunferência da cintura); estágios de mudança, grau de autoeficácia e equilíbrio de decisões para redução do peso; e questões para verificar indicação de cirurgia bariátrica. A partir da seleção dos elegíveis, será conduzida a Linha de Base e a Reavaliação, com informações sobre: condições e comportamentos de saúde; letramento em saúde; histórico e atitudes frente ao peso corporal; escolhas alimentares; habilidades culinárias; e comportamento e consumo alimentar segundo a classificação NOVA de alimentos utilizada no Guia Alimentar da População Brasileira. Serão realizados treinamento dos entrevistadores e supervisores de campo, controle contínuo da coleta de dados e análises de consistência visando garantir a qualidade dos dados obtidos na pesquisa. Participantes dos GC e GI participarão das atividades habituais ofertadas pelo PAS de Belo Horizonte, ou seja, prática de exercícios físicos três vezes por semana segundo as necessidades do usuário. Ações de alimentação e nutrição desenvolvidas durante a pesquisa serão monitoradas para inclusão nas análises. Adicionalmente, participantes das unidades PAS alocadas como GI participarão, durante 9 meses, de intervenção nutricional proposta para o GT2, ou seja, específica para usuários com indicação de tratamento cirúrgico da obesidade, conduzida pela equipe do GIN/UFMG, incluindo atividades presenciais (oficinas e ações no ambiente), não presenciais (mensagens motivacionais por aplicativo ou ligações telefônicas, e via cartão postal) e automonitoramento do peso. A efetividade da intervenção nutricional será avaliada pelo modelo lógico elaborado para esta pesquisa, tendo como desfechos principais: redução do peso e da circunferência da cintura; e como desfechos intermediários: estágios de mudança, grau de autoeficácia, equilíbrio de decisões para redução do peso; habilidades culinárias; automonitoramento do peso; e consumo alimentar segundo a classificação NOVA. As análises estatísticas constarão de testes de diferença de médias ou proporções, equações estimadas generalizadas e regressão logística. Espera-se que os resultados contribuam para aprimorar o cuidado ofertado no SUS aos usuários com indicação de tratamento cirúrgico da obesidade, parcela da população que possui poucas alternativas terapêuticas, apesar dos altos custos emocionais, sociais e financeiros envolvidos. Ademais, espera-se obter evidências quanto à efetividade e aplicabilidade da abordagem coletiva proposta pelo GT2, de forma a reforçar a relevância da Política Nacional de Alimentação e Nutrição, e do PAS.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 02/12/2020-30/11/2023