Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Antônio Augusto Ferreira Carioca

Ciências da Saúde

Nutrição
  • perspectivas e desafios do aprimoramento do sistema de vigilância alimentar e nutricional: uma abordagem de métodos mistos
  • O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) é um sistema contínuo e sistemático para coleta de informações sobre perfil antropométrico e consumo alimentar e fatores associados da população brasileira. O Sistema permite diagnóstico da situação antropométrica e de marcadores do consumo alimentar para todas as faixas etárias, além de possibilitar rastrear áreas geográficas, segmentos sociais e grupos populacionais mais vulneráveis. No entanto, observa-se que este possui limitações quanto a qualidade e inserção dos dados no Sistema pelos municípios, decorrentes da incipiente estrutura operacional, lacunas na realização de medidas antropométricas, dificuldades de transmissão de informações, alta rotatividade da mão de obra e ausência de rotina no processo de registro. Com isso, pretende-se utilizar métodos mistos para analisar a qualidade dos dados antropométricos e de consumo alimentar inseridos no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) e principais desafios na perspectiva dos gestores, profissionais da saúde, usuários nas regiões do Brasil. Trata-se de um projeto multicêntrico, de caráter misto, que adotará procedimentos metodológicos com princípios e procedimentos quantitativos (estudo ecológico) e qualitativos (estudo de caso) executado no período de janeiro de 2020 a dezembro de 2022. Os locais de coleta no segmento qualitativo serão as Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS) nas cincos regiões brasileiras nas seguintes cidades: Fortaleza (CE), Rio Branco (AC), Cuiabá (MT), São Paulo (SP), Niterói (RJ), Novo Hamburgo (RS) onde serão analisados os desafios da qualidade dos dados inseridos e analisados no SISVAN na perspectiva dos gestores, profissionais da saúde, usuários do Sistema Único de Saúde. A coleta será realizada por uma entrevista semiestruturada com roteiro, previamente testado, elaborado pelos pesquisadores. Todas as entrevistas serão gravadas e transcritas e submetidas à análise de conteúdo. O componente quantitativo será realizado por um estudo epidemiológico do tipo ecológico, com as regiões brasileira e população usuária da Atenção Básica em Saúde (ABS) do Sistema Único de Saúde (SUS) e registrada no SISVAN Web, a partir de 2008, em todas as faixas etárias e unidades da federação (UFs) e macrorregiões. A relação entre os indicadores de qualidade e as variáveis socioeconômicas, demográficas e de saúde dos municípios será avaliada por meio de análise de correlação, diferença de médias e por modelos de regressão lineares generalizados. Será considerado nível de significância menor que 0,05. A proposição de estratégias para melhoria da coleta e inserção dados no sistema pressupõe a realização de avaliações de usabilidade (ISO 9241-11) que têm foco em avaliar a qualidade das interações que se estabelecem entre usuários e o sistema. De posse das análises anteriores, a interpretação dos métodos mistos demandará olhar os resultados quantitativos e achados qualitativos avaliando-os como as questões estão sendo tratadas em alcance dos objetivos propostos. Esta fase caracteriza-se pela extração de “inferências” (conclusões ou interpretações separadas extraídas das análises anteriores) e “metainferências” (entre os elementos quantitativos e qualitativos).
  • Universidade de Fortaleza - CE - Brasil
  • 01/01/2020-31/12/2021
Foto de perfil

Antônio Augusto Ferreira Carioca

Ciências da Saúde

Nutrição
  • dieta, microbiota intestinal e risco cardiovascular: estudo de saúde dos nutricionistas – fortaleza/ceará
  • Com maior longevidade das populações cresce a incidência de doenças crônicas não-transmissíveis, decorrente principalmente pelo aumento da obesidade. Condições ambientais, como dieta inadequada e inatividade física são apontadas como principais determinantes deste quadro. Na população brasileira e em outras, as doenças cardiovasculares lideram as causas de mortalidade, justificando a identificação e combate aos seus fatores de risco. Hoje se sabe que condições ambientais influenciam a microbiota intestinal e que sua composição interfere em mecanismos imunológicos, na predisposição ao ganho de peso e na sensibilidade à insulina. Assim, o predomínio de firmicutes sobre os bacteroidetes tem sido associado à obesidade em modelos animais e em humanos. Por isso, é desejável um estudo de coorte que, em função deste delineamento, seja capaz de investigar prospectivamente potenciais fatores de risco para ocorrência doenças crônicas, permitindo elucidar a sequência temporal entre fatores causais e efeitos fisiopatogênicos. Com isso, o objetivo dessa proposta será avaliar a relação entre dieta, microbiota intestinal e risco cardiovascular em um estudo de coorte com estudantes de nutrição. Tratar-se-á de um estudo de coorte com amostra composta por 1200 voluntários dos Cursos de Nutrição de Fortaleza. Na primeira fase, por meio de questionários estruturados, com preenchimento eletrônico, serão obtidos dados demográficos, socioeconômicos, de hábitos de vida, questionário de frequência alimentar, antecedentes mórbidos pessoais e familiares. Serão coletadas amostras de sangue e fezes para análises bioquímicas (perfil lipídico, inflamatório e glicêmico) e de microbiota intestinal, respectivamente. E serão também coletados dados antropométricos (peso corporal, altura e circunferência da cintura) e de pressão arterial. A segunda fase, será realizada após dois anos, no qual serão coletados questionários estruturados, dados antropométricos, de pressão arterial e amostras de sangue da mesma população. Modelos lineares generalizados serão empregados para avaliar a associação entre as variáveis. Ajustes por sexo, idade, atividade física e outras variáveis poderão ser realizados. Com este estudo, tem-se a expectativa de se compreender as relações existentes entre a microbiota fecal e o padrão alimentar, assim como determinar a influência das bactérias sobre fatores de risco cardiovascular.
  • Universidade de Fortaleza - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Augusto Moura da Silva

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • síndrome congênita pelo zika vírus, soroprevalência e análise espacial e temporal de vírus zika e chikungunya no maranhão
  • O nosso grupo de pesquisa acompanha desde o segundo semestre de 2015 uma série de cerca de 100 casos prováveis de síndrome congênita pelo Zika vírus, atendidos no Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (NINAR), em São Luís, Maranhão. Foi submetido em junho de 2016 um primeiro artigo com uma série inicial de 48 casos de provável síndrome congênita pelo Zika vírus, que está em revisão. Infelizmente, por dificuldades do sistema de saúde ainda temos confirmação laboratorial por IgG de apenas um estes casos. Desta forma, no presente projeto estabelecemos cooperação com o Instituto de Medicina Tropical da USP para confirmar por sorologia IgG estes casos e poder descrever uma série mais completa com confirmação laboratorial. Além disso estudaremos com detalhes as lesões oftalmológicas e o desenvolvimento visual destas crianças. Realizaremos também o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento por meio do teste Bayley III destas crianças, estudaremos sua resposta imune à infecção e a evolução neurológica, incluindo eletroencefalografia. Em paralelo seguiremos um grupo de crianças com infecção congênita assintomática pelo Zika vírus, filhas de gestantes que tiveram sintomas de Zika vírus durante a gravidez, sendo mãe e filho(a) IgG positivos, pois ainda é pouco conhecido como a infecção assintomática repercute na criança, tanto em termos clínicos como imunológicos. Realizaremos monitoramento de microcefalia em recém-nascidos em amostra de base populacional (quatro maternidades de cidade que atendem ao maior volume de nascimentos) para poder acompanhar a dinâmica da síndrome congênita pelo Zika vírus em tempo real. Será feita comparação com a prevalência de microcefalia nestes mesmos hospitais em período anterior sem epidemia (dados disponíveis da coorte de nascimentos de São Luís de 2010 (projeto BRISA). Será feito estudo qualitativo para compreender a percepção dos pais e das famílias das crianças com síndrome congênita pelo ZIKV sobre a doença e conhecer as formas de enfrentamento por eles utilizadas. Neste subprojeto será investigado o lado humano da infecção obstétrica e neonatal pelo vírus Zika, abrangendo aspectos sociais e psicológicos de grande impacto na vida dos indivíduos acometidos. Essa abordagem qualitativa buscará compreender a percepção do problema por parte da família, especialmente por parte dos pais dos bebês com microcefalia e de profissionais envolvidos com seu atendimento. Busca apontar formas mais efetivas de ajudar as famílias e os profissionais a lidar com o problema e permitir que o poder público adote políticas mais adequadas e humanizadas de enfrentamento à essa epidemia. A ilha do Maranhão enfrenta duas epidemias de Zika vírus e Chikungunya. Para conhecer a magnitude destas epidemias, faremos inquérito de base populacional utilizando amostragem por conglomerados para medir a soroprevalência de anticorpos IgG para estes dois vírus. A realização deste inquérito será importante também para estimar a taxa de infecção congênita pelo Zika vírus e prever o comportamento da epidemia no futuro próximo. Investigaremos também a resposta imune em indivíduos soropositivos para IgG. Por último estudaremos a dinâmica espacial e temporal da microcefalia, Zika vírus, febre pelo Chikungunya e índices de infestação pelo Aedes, visando à identificação de padrões comuns que possam contribuir para as ações de controle destas epidemias.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 01/11/2016-31/10/2020
Foto de perfil

Antonio Carlos Bender Burtoloso

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • reações de michael e de cicloadição assimétricas em diazocetonas e ilídeos de enxofre insaturados
  • Heterociclos contendo átomos de enxofre, oxigênio e nitrogênio em sua estrutura são extensamente estudados devido as suas propriedades medicinais, como por exemplo, atividades antifúngicas, bactericidas, antivirais, antitumorais entre outras. Em vista disso, metodologias que permitam o acesso a esses compostos em poucas etapas e de forma eficiente são de grandes atrativos para a química orgânica. Neste projeto propõe-se o estudo das reações de Michael assimétricas com diazocetonas e ilídeos de enxofre a,b-insaturados objetivando a formação dos adutos quirais. As diazocetonas a,b-insaturadas serão preparadas a partir das reações de olefinação de Horner-Wadsworth-Emmons (HWE) entre diazofosfonatos e aldeídos. Os ilídeos de enxofre a partir da reação de metilídeo de dimetilsulfoxônio e os respectivos cloretos de ácidos. Na sequência, serão realizados estudos metodológicos para as adições de Michael empregando organocatalisadores quirais. Os adutos obtidos serão submetidos às reações de inserção X-H intramoleculares para fornecer os respectivos heterociclos. Uma vez que se obteve sucesso nas adições de Michael assimétricas, almeja-se empregar essa metodologia para construção de sistemas bicíclicos, como os núcleos indolizídinicos por meio de reação de vinil-Michael assimétrica. Ainda, outra abordagem para síntese de esqueletos pirrolizidínicos e indolizidínicos quirais poderá ser avaliada. Esses sistemas biciclos são intermediários avançados os quais poderão ser aplicados em síntese de alcaloides mais complexos. A outra etapa do projeto será dedicada à investigação da reatividade das diazocetonas insaturadas nas reações de cicloadição. Estas serão avaliadas como dienos e também como dienófilos, visando a obtenção de carbociclos altamente funcionalizados.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Campos de Carvalho

Ciências da Saúde

Medicina
  • instituto nacional de ciência e tecnologia em medicina regenerativa
  • A importância crescente da Medicina Regenerativa está relacionada às modificações demográficas e sociais do mundo atual. O aumento progressivo da idade média das populações gera a necessidade de garantir, cada vez mais, uma qualidade de vida compatível com um custo e uma carga social aceitáveis. Estima-se que o número de pessoas na terceira idade (65-85 anos) triplicará nos próximos 50 anos, e o número de habitantes com mais de 85 anos será multiplicado por seis no mesmo período. Por causa, principalmente, das doenças degenerativas, o segundo desses dois grupos consome vinte vezes mais recursos de assistência médica e duas vezes mais de internações hospitalares do que o primeiro. Por outro lado, as populações jovens, vivendo em regiões de alta densidade populacional, estão mais expostas a lesões traumáticas. Embora numericamente menos significativas, essas lesões tem um altíssimo custo social, gerando, frequentemente, pessoas jovens debilitadas ou permanentemente incapacitadas para uma vida normal e produtiva. Em populações urbanas do Brasil, as lesões traumáticas são a primeira causa tanto da internação hospitalar quanto da morte na segunda e terceira décadas da vida dos jovens. Tanto as doenças degenerativas como as lesões traumáticas exigem terapias que possam preservar, melhorar, e/ou restaurar as funções teciduais. Contrastando com a produção de fármacos, antibióticos ou vacinas, que podem ser usados indistintamente por um grande número de pessoas, a Medicina Regenerativa tende a ser individualizada, dirigida, especificamente, a cada paciente. A proposta de um Instituto Nacional de Ciência, Tecnologia Inovação e Desenvolvimento em Medicina Regenerativa (INCT- REGENERA) se enquadra na área da Saúde, como proposta de demanda induzida, tendo, como objetivo, articular, organizar e consolidar as competências existentes no País em células-tronco, terapias celulares e bioengenharia tecidual. As aplicações da Medicina Regenerativa dependem ainda do desenvolvimento de conhecimentos básicos e pré-clínicos que demandam um trabalho multidisciplinar de equipes, as quais, integradas, reunem cientistas com formações distintas. O INCT de Medicina Regenerativa objetiva organizar uma rede de pesquisa em células-tronco, terapias celulares e bioengenharia tecidual abordando diferentes doenças de alta prevalência, morbidade e mortalidade na nossa população, garantindo a transferência dos conhecimentos gerados e das tecnologias desenvolvidas para a assistência médica, potencializando e viabilizando seu uso em todos os Estados da nação. Iremos contribuir para a formação científica qualificada de pessoal em Medicina Regenerativa, e promover a divulgação das potencialidades e limitações da Medicina Regenerativa para a Sociedade, contribuindo, de forma efetiva, para seu uso racional e seguro. Através desses mecanismos, queremos aumentar a qualidade de vida dos pacientes, bem como reduzir a morbidade e mortalidade destas doenças e minorar os custos no Sistema Único de Saúde (SUS). INCT-REGENERA objetiva desenvolver diferentes estratégias na área de Medicina Regenerativa para os seguintes sistemas: cardiovascular, nervoso, respiratório, renal, digestório, endócrino, locomotor e tegumentar através de estudos básicos, pré-clínicos e clínicos. Para tal, objetiva-se desenvolver modelos in vitro e modelos animais, de doenças que afetam seres humanos, e testar a segurança e eficácia das terapias regenerativas com diferentes tipos de células e matrizes nestes modelos, estudando seus mecanismos de ação através do uso de métodos ômicos. A partir dos resultados obtidos nestes estudos serão desenhados estudos clínicos. Inclui-se nesta proposta, como empresas participantes, os seguintes hospitais: São Rafael (Bahia), UNIMED-Rio, Albert Einstein (São Paulo) que fornecerão sua infra-estrutura para estudos clínicos, assim como a empresa CELLMED (Porto Alegre) que fornecerá sua infra-estrutura para teste de terapias regenerativas em animais espontaneamente lesados. Além disso, teremos a participação do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), vinculado ao Ministério da Saúde. Vale ressaltar que todos os estudos terão a participação presencial de umcorpo clínico qualificado para conduzir ensaios clínicos de segurança, exequibilidade e, posteriormente, eficácia das terapias regenerativas em doenças para as quais não existe ainda terapêutica adequada. O INCT-REGENERA conta com a participação de Centros de Terapia Celular (CTCs) dentre os quais podemos citar o da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, o da Universidade de São Paulo, o do Instituto Nacional de Cardiologia e o do Hospital São Rafael em Salvador. Os CTCs da PUC-PR e do São Rafael, certificados pela ANVISA, já estão preparados para fornecer células em condições de boas práticas de manufatura (GMP) para os estudos propostos e os outros estão em fase de conclusão e/ou credenciamento. O INCT-REGENERA está apto a viabilizar, o mais precocemente possível, os estudos básicos, pré-clínicos e clínicos, pois a equipe proponente inclui especialistas, líderes dos grupos de pesquisa associados, que atuam, já há algum tempo, nesta área. No ambiente da inovação, o INCT- REGENERA tem como propósito desenvolver técnicas de Bioengenharia visando ao desenvolvimento de órgãos que possam, no futuro próximo, ser transplantados. Outra responsabilidade do novo INCT-REGENERA será a organização de cursos de treinamento em terapias celulares e cursos de boas práticas em laboratório (BPL) e de manufatura (BPM). Caberá ainda ao INTC-REGENERA desenvolver um banco de dados em parceria com o Instituto Virtual de Células-Tronco (www.ivct.org) contendo informações sobre a biologia básica e o potencial terapêutico de células-tronco além de dados sobre as linhagens disponíveis para a comunidade científica e médica do Brasil.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Cicogna

Ciências da Saúde

Medicina
  • análise proteômica do miocárdio de ratos com disfunção ventricular atenuada pelo treinamento físico aeróbio.
  • Apesar dos avanços em diversas áreas no campo da cardiologia, as doenças cardiovasculares representam marcante problema de saúde pública, com alta prevalência e morbimortalidade. Estes indicadores apontam para a importância do entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos na gênese dessas patologias, o que poderá resultar no desenvolvimento de novas terapias. Estudos abrangendo humanos com remodelação cardíaca (RC) seriam úteis na elucidação dos mecanismos envolvidos na disfunção cardíaca, no entanto, é muito difícil a obtenção de amostras adequadas, devido a várias limitações. Neste sentido, diversos modelos experimentais têm sido propostos para o estudo da RC; dentre eles, destaca-se a estenose aórtica supravalvar (EAo). Neste modelo os mecanismos fisiopatológicos responsáveis pela depressão da função cardíaca não estão totalmente esclarecidos; o trânsito de cálcio, sistema beta adrenérgico, metabolismo energético, citoesqueleto, matriz extracelular, número de miócitos e alteração da geometria da cavidade podem contribuir para o desenvolvimento da disfunção e/ou insuficiência cardíaca. Tratamentos farmacológicos e não farmacológicos, como o treinamento físico aeróbio (TFa), são utilizados com o objetivo de atenuar a deterioração do desempenho do músculo cardíaco remodelado. Em nossa instituição, diferentes autores analisaram o efeito do TFa no coração patológico de roedores com EAo. Enquanto alguns autores não detectaram alteração no desempenho, outros mostraram que o TFa promoveu atenuação da disfunção diastólica e/ou sistólica. Entretanto, estes trabalhos não analisaram os mecanismos envolvidos nos efeitos benéficos desta terapêutica. Uma das abordagens de pesquisa que tem se destacado na última década é a análise proteômica, cuja função é descrever todo o conjunto de proteínas expressas de um genoma em condições específicas e em determinado momento, a partir de uma célula, tecido ou organismo. O proteoma cardiovascular é uma das áreas mais estudadas no campo da saúde, porém tem sido pouco explorado em modelos de sobrecarga pressórica por constrição aórtica, não sendo encontrados estudos associados com o treinamento físico. Diante do exposto, o objetivo deste estudo é investigar por meio do proteoma miocárdico os mecanismos envolvidos na atenuação da disfunção ventricular pelo treinamento físico aeróbio em ratos com estenose aórtica supravalvar. Com esta proposta, poderemos verificar quais são as proteínas que se expressam de maneira diferente no miocárdio de animais com EAo e, como essas macromoléculas se comportam no grupo com sobrecarga pressórica e cardioproteção do treinamento físico aeróbio. Esta propositura vai permitir compreender de forma global a rede de mecanismos envolvida na hipertrofia patológica e como o treinamento interfere neste processo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos da Silva Oscar Júnior

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • clima urbano e dengue nas cidades da região metropolitana do rio de janeiro (rmrj)
  • As mudanças climáticas globais constituem tema da mais alta relevância na sociedade contemporânea. Suas repercussões sobre o futuro do planeta, especialmente quanto aos impactos do clima sobre a sociedade, é um dos temas de maior preocupação de cientistas e formuladores de políticas públicas. Dentre as várias questões colocadas pelos cenários futuros de mudanças climáticas, destacam-se aquelas relacionadas aos efeitos do aquecimento climático sobre a saúde da população. Nesse sentido, o clima urbano desperta especial atenção, mormente quanto ao campo termodinâmico (ICs - ilhas de calor), pois estima-se que as condições de calor nas cidades brasileiras serão mais intensas que na atualidade. Considerando-se a influência do clima (calor e umidade) na proliferação da dengue (especialmente do Aedes aegypti) – uma das principais doenças tropicais negligenciada - indaga-se, neste projeto, se a associação entre mudança climática e clima urbano se fará acompanhar pela elevação dos casos de dengue, especialmente no contexto tropical da RMRJ. Para tanto, a presente pesquisa objetiva investigar a conformação atual do clima urbano das 21 (vinte e uma) cidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) e modelizar os cenários futuros em conformidade às perspectivas do IPCC (AR5/2013), utilizando para isto, dados do modelo Eta/HadGEM-ES associados à metodologia do SACDENGUE, desenvolvido pelo Laboratório de Climatologia da UFPR, que permitirá avaliar o risco climático atual e futuro de dengue na área de estudo. Ao mesmo tempo serão identificados e analisados os registros de casos de dengue e larvas do vetor que, ao serem correlacionados ao ritmo climático, projeção climática, tendências de uso e cobertura da terra e de urbanização, permitirão definir cenários para a dinâmica desta doença. Os resultados poderão contribuir para a construção de políticas públicas de controle da doença a partir de intervenções de mitigação e adaptação da sociedade (e do vetor da doença) aos cenários do clima urbano no âmbito das mudanças climáticas globais.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Carlos de Abreu Mól

Ciências Humanas

Educação
  • uso de novas tecnologias digitais para ensino e divulgação de ciências: fontes de geração de energia elétrica, em particular a energia nuclear
  • Vide projeto anexo
  • Centro Universitário Carioca - RJ - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Antonio Carlos de Azevedo

Ciências Agrárias

Agronomia
  • minerais e celulas: interações remineralizadores e microrganismos do solo
  • Os remineralizadores (RMs) são rochas apenas moídas e peneiradas, geralmente co-produtos da indústria de mineração e britagem, que podem ser utilizados na agricultura de acordo com a Lei 12.890. Observações e experimentos de campo têm apresentado resultados incompatíveis com a quantidade e cinética de liberação de nutrientes pelos RMs. Estes resultados sugerem que a abordagem da remineralização por um viés exclusivamente químico-inorgânico não é suficiente para entender e prever o funcionamento do sistema. De fato, a relação entre a comunidade vegetal e a comunidade microbiana do solo já seja reconhecida, ainda não é completamente compreendida. Mais recentemente, as pesquisas também ressaltam a importância dos minerais e rochas na dinâmica dos ecossistemas, sugerindo que estas interações também devem ser significativas durante a remineralização do solo. No Brasil, excetuando-se os microrganismos solubilizadores de P, as pesquisas com RMs e microrganismos ainda são. Uma vez que microrganismos litotróficos existem desde os primórdios da vida na Terra, é logico aceitar que microrganismos do solo e plantas terrestres co-evoluíram desde pelo menos o Devoniano, há 500 milhões de anos. A atividade agrícola diminui a diversidade microbiológica do solo, impondo pressões de seleção sobre suas comunidades microbianas. Esta diversidade é, juntamente com a capacidade de troca de cátions e o sistema poroso do solo, a base da resiliência do sistema. Com base nestes precedentes, a hipótese principal do projeto é que a presença de remineralizadores estimula a atividade de comunidades microbianas endógenas, reprimidas pelas práticas agronômicas, enriquecendo as interações bióticas-abióticas no sistema, e beneficiando o desempenho das plantas cultivadas. Desta forma, o projeto tem como objetivo avaliar a interação dos RMs com a comunidade microbiana no sistema (solo + RM)-planta. (referências bibliográficas estão no resumo do projeto anexo)
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos de Barros Correa

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • mortectonica e evoluçao da paisagem do setor setentrional do planalto da borborema
  • O soerguimento do relevo, transformando a morfologia da paisagem, pode ocorrer de forma indireta por consequência da tectônica global, o “ridge –push” de uma cadeia de montanhas, ou a extensão delas; ou mesmo por processos diretos de tectônica ativa intra-placa, ou na proximidade de suas zonas limítrofes. Outrossim, a influência de plumas mantélicas rasas, atuais ou pretéritas, formadas por adelgaçamento da crosta podem resultar na formação de domeamentos regionais, com modificações significativas na configuração da drenagem, alçamento dos níveis de base locais, formação de novos loci deposicionais, dentre outros processos com impacto direto sobre a geometria das formas. O presente projeto tem o intuito de investigar a influência da morfotectônica na evolução do relevo do setor setentrional do Planalto da Borborema, enfocando a região central do estado do Rio Grande do Norte, por meio da aplicação de índices morfométricos em bases digitais voltados à identificação de padrões e anomalias que indiquem possíveis controles morfotectônicos sobre a hierarquização do relevo desta região. A esse objetivo central, se une a busca por depósitos superficiais quaternários associados às anomalias com vistas ao estabelecimento de sua geocronologia absoluta e características sedimentológicas e geoquímicas. A hipótese norteadora desta correlação é a busca por padrões espaciais e formativos entre posições-chave na paisagem e os gatilhos da sedimentação quaternária na área de estudo. A metodologia escolhida se baseia na aplicação da análise morfoestrutural e morfológica da rede de drenagem e das formas de relevo, em bases digitais, com aplicação de índices tais como o fator de assimetria de bacia de drenagem (FABD) e o fator de simetria topográfica transversal (FSTT), extração de “knick-points”, com base no uso do “knick-point Finder” e emprego do índice de Scheidegger voltado à análise dos lineamentos e padrões de fratura e sua correlação com as formas de relevo de origem estrutural. As evidências de controles morfotectônicos regionais serão ainda correlacionados aos índices de anomalias gravimétricas já disponíveis para a área. As análises sedimentológicas e geoquímicas serão realizadas mediante emprego das técnicas de granulometria por granulômetro a laser e pipetagem, difração do raio-X da fração argila, fluorescência do raio-X e morfoscopia. A geocronologia absoluta será realizada pelo emprego do método da luminescência opticamente estimulada (LOE), por meio do protocolo SAR (Single Aliquot Regeneration) aplicado a grãos de quartzo e/ou feldspato. Espera-se, por fim, definir padrões de controle morfológicos tectonicamente condicionados para a área, bem como esses estão associados à disposição dos depósitos quaternários em ambientes de encosta e fluviais.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Dias Junior

Ciências Humanas

Sociologia
  • raymond aron e a academia francesa: elementos intelectuais e metodológicos para o ensino da sociologia
  • Raymond Aron é o autor a quem dedicamos nossas reflexões intelectuais desde o período do doutorado e, mais consistentemente, desde 2014 como docente do Departamento Ciências Sociais na Educação da Faculdade de Educação da Unicamp. A tese, defendida no Programa de Pós-graduação em Sociologia da Unicamp em 2013, contou com financiamento da FAPESP (Processo 08/51484-0) e recebeu duas menções honrosas em diferentes prêmios acadêmicos (Prix Raymond Aron – França em 2013 e Prêmio Capes de Teses em 2014). Nela, buscamos examinar criticamente as bases da sociologia política contidas no conjunto da obra de Aron. Naquele momento, devido a questões de recorte epistemológico e dada a natureza colossal da obra do autor, não nos foi possível, a não ser tangencialmente, aprofundar o estudo de sua também extensa obra jornalística (atividade de 40 anos), tampouco em sua rica produção dedicada às relações internacionais. Em 2014, obtivemos fomento, por meio da Chamada MCTI/CNPq/MEC/CAPES nº 22/2014 – Ciências Humanas e Sociais, para consultar alguns dos cursos inéditos de Aron no Collège de France que permaneciam, até então, ainda inéditos Além da tese de doutoramento, dos auxílios e fomentos, dos períodos de pesquisa nos arquivos, da orientação de teses e dissertações, da publicação de artigos em periódicos científicos e da participação em congressos nacionais e internacionais – em todos os casos o pensamento aroniano configura o interesse principal, também ministramos uma disciplina específica sobre o autor no Programa de Pós-graduação em Educação da Unicamp. Este conjunto de atividades acadêmicas e de pesquisa tem a finalidade de empreender a análise crítica mais abrangente, e inédita, jamais realizada no Brasil sobre a obra de Aron e sua influência. A proposta de pesquisa aqui em projeto se insere, portanto, no cerne deste esforço, à medida que diz respeito a uma das facetas mais importantes da obra multiforme de Aron: sua atuação docente em quatro das mais destacadas casas acadêmicas francesas. A atividade de ensino nas grandes écoles tem especificidades que fogem à compreensão quando se tem em mente a estrutura universitária de outros países, como os Estados Unidos ou o Brasil, sobretudo quando se considera o período aqui em análise. Embora já tenhamos lido e trabalhado com parte destes cursos (tanto os publicados quanto os inéditos), a análise completa e sistemática que leve em conta o seu conjunto ainda está por ser realizada. Nosso propósito, portanto, é o de, primeiramente, mapear os cursos em si, vale dizer, os temas, a estrutura e as possíveis continuidades e descontinuidades, isto é, o métier de Aron como professor e os motivos do êxito editorial e pedagógico destes cursos muitas décadas após a sua publicação - e não obstante as realidades particulares onde são utilizados como guias, ou manuais, para o ensino da sociologia e de disciplinas afins. Depois, e tão importante quanto, nossa ideia é a de analisá-los à luz dos contextos sociais, políticos e intelectuais, bem como pessoais, nos quais foram produzidos, de maneira a problematizá-los como produtos inseridos tanto na dinâmica do campo acadêmico/intelectual francês como da circulação mundial das ideias. Podemos colocar nossos objetivos centrais para a pesquisa ora em projeto, dos quais derivam os resultados esperados, a partir dos seguintes questionamentos: . Por quais motivos livros como A sociologia alemã contemporânea, obra de estreia de Aron que introduziu Weber na França e que não deixou de circular nem mesmo no período da ocupação nazista, O Marxismo de Marx e As Etapas do Pensamento Sociológico, esta editada e reeditada em diversas línguas há 50 anos (para citar três dos mais conhecidos) se tornaram verdadeiros sucessos editorias como guias introdutórios às ciências sociais (mais amiúde na disciplina de sociologia) para estudantes de graduação e pós-graduação mundo afora? . Em que medida a posteridade destas obras pode ser analisada e compreendida em conjunto às condições sociais de produção e da circulação internacional das ideias? . De que forma a organização propriamente pedagógica dos cursos que as originaram é responsável por sua posteridade? . Qual o verdadeiro legado destas obras, ainda hoje, para o estudo das ciências sociais e, mais especificamente, da disciplina de sociologia? . Qual o papel dos intérpretes na divulgação e consolidação de determinados autores e correntes teórico-epistemológicas? . Quais ensinamentos estas obras nos trazem no sentido de aperfeiçoar a prática pedagógica do ensino da sociologia no Brasil? Cabe destacar, finalmente, que a pesquisa é peça de fundamental importância para nossa atuação no Departamento de Ciências Sociais na Educação da Faculdade de Educação da Unicamp, na qual buscamos articular a sociologia e a educação como temas de trabalho em seus diferentes aspectos, conexões e potencialidades.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Doriguetto

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • formas cristalinas de ingredientes farmaceuticamente ativos: desenho, cristalização, caracterização e propriedades
  • Por possuírem maior estabilidade química e microbiológica, a maioria dos medicamentos disponíveis no mercado é comercializada em formulações sólidas de dosagem oral. Além disso, mais de 80% dos ingredientes farmacêuticos ativos (IFAs) presentes nessas formulações são cristalinos, ou seja, apresentam estrutura cristalina definida por possuírem periodicidade a longo alcance. As diferentes formas cristalinas de IFAs incluem cristais moleculares contendo apenas sua base ou ácido-livre (cristais monocomponentes) e também cristais multicomponentes de seus hidratos, solvatos, sais e cocristais. Além disso, os IFAs sólidos podem ocorrer como diferentes polimorfos, designação dada ao fenômeno onde uma mesma molécula ou um composto com composição química idêntica (o que inclui os cristais multicomponentes) estejam arranjados em pelo menos duas formas diferentes no estado cristalino. O fenômeno do polimorfismo é frequente para moléculas de fármacos podendo gerar problemas na qualidade dos medicamentos por alterar suas propriedades físico-químicas, em especial, a solubilidade e, consequentemente, a biodisponibilidade. Nesse sentido, o polimorfismo deve ser controlado, a fim de evitar possível ineficácia terapêutica e/ou dosagem inapropriada dos medicamentos. Portanto, um dos objetivos dessa proposta é abordar esse problema, muitas vezes negligenciado pelas agências de controle oficial. Por outro lado, o dilema das formas sólidas também fornece oportunidades para se obter IFAs com propriedades melhoradas por meio de Engenharia de Cristais, o que é um importante aspecto do desenvolvimento de fármacos e medicamentos. Assim, esta proposta também tem como objetivo o desenho e o crescimento de cristais de novas formas sólidas de IFAs com solubilidades, estabilidades e propriedades mecânicas melhoradas. Essas novas formas incluem sólidos cristalinos ou amorfos, mono ou multicomponentes e também seus possíveis polimorfos. Os principais fármacos a serem estudados nessa proposta incluem alvos terapêuticos relacionados a doenças negligenciadas, metabólicas, neurodegenerativas, câncer, entre outras: clortalidona, carvedilol, levofloxacina, lomefloxacina, orbfloxacina, fluconazol, doxazosina, dapsona, sulfametoxazol, meloxicam, piroxicam, trimetoprima, alendronato, glibenclamida, glimepirida, buclisina, alopurinol, etc.
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Fernandes

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • estudo de configurações centrais e soluções homográficas em mecânica celeste
  • Neste projeto propomos estudar alguns aspectos das configurações centrais no problema de n corpos. Mais especificamente, pretendemos estudar: a caracterização das principais propriedades das configurações centrais (n, 2) e (n, 3) empilhadas no problema de n corpos e no problema de n vórtices; a unicidade da configuração central convexa de quatro corpos, vale ressaltar que esta é uma questão que está em aberto desde 1932 com os trabalhos de MacMillan e Bartky, publicados em ”Transactions of Americam Mathematical Society”, recentemente o autor proponente junto a Jaume Llibre e Luis Fernando Mello provaram uma conjectura do trabalho de Macmillan que dizia respeito à unicidade da configuração trapézio isósceles como sendo a única configuração central convexa que admite dois pares de massas iguais adjacentes; a caracterização de configurações centrais de n corpos nas quais é possível variar os valores de k massas, deixando fixas todas as posições e o valor de n − k massas, esta questão está ligada a um tipo de rigidez das configurações centrais e super configurações centrais; o problema das super configurações centrais não colineares no caso de 5 corpos.
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Carlos Ferraz Filho

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • biomassa de espécies arbóreas relevantes em área de transição dos biomas cerrado/caatinga
  • Esta proposta de projeto de pesquisa está de acordo com o Edital Universal – MCTI/CNPq nº 28/2018 e encaixa-se na faixa A de captação de recurso. Os ecossistemas florestais, que compreendem vegetação e solo, detêm a capacidade de emitirem e sequestrarem carbono atmosférico, sendo considerados sumidouros de carbono. Assim, torna-se de fundamental importância o entendimento de seus ciclos e capacidades de estoque em seus mais diversos compartimentos para quantificação do carbono estocado em diferentes ecossistemas sob diferentes regimes de manejo. Para tanto, é fundamental que se responda a seguinte pergunta: quais os estoques de carbono existentes nos compartimentos das diferentes formações florestais? Assim, o principal tema de estudo deste projeto será a como a biomassa de importantes espécies florestais se distribui ao longo dos diferentes compartimentos da árvore, sendo os compartimentos: folhas, frutos e flores; galhos finos; galhos grossos; fuste principal; raízes finas; raízes grossas. As espécies florestais que serão estudas neste projeto serão compostas pelas mais importantes (avaliadas por meio de análise fitossociológica) de ocorrência em uma área de manejo florestal localizada em Cristino Castro, Piauí, com aproximadamente 5000 hectares. Serão escolhidas as espécies com maior índice de cobertura, avaliando a sua densidade (N/ha) e dominância (m2/ha), usando dados do plano de manejo da área. Para cada uma das espécies escolhidas serão cubadas árvores de diferentes tamanhos, considerando sua distribuição diamétrica na área. A área de estudo em questão é de extrema importância, pois além de ser um componente produtivo (produz madeira para abastecimento de cerâmicas da região), é uma mata caracterizada como sendo transição entre o cerrado e caatinga, e portanto de alta relevância biológica. Espera-se que os resultados obtidos neste projeto sejam de elevada relevância científica, permitindo a publicação em periódico de elevado renome. Será desenvolvido ao menos um artigo em revista do estrato A do Qualis Ciências Agrárias I, tratando da descrição da biomassa nos diferentes compartimentos da árvore e diferentes formas de estimar a biomassa por meio de relações alométricas. Estes resultados são importantes tanto para o setor produtivo quanto para a conservação ambiental da região. Os resultados deste projeto permitirão a estimativa acurada da biomassa presente em cada árvore, abrindo caminho para geração de planos de manejo florestal com estimativas calibradas para a região do sul do Piauí. A importância relativa à conservação ambiental vem do fato que será fornecida informação de como a biomassa se distribui ao longo da árvore, permitindo estimativas que apoiam propostas a projetos de cunho conservacionista, seja por esquemas de pagamento por serviços ambientais, por participação em mercados de créditos de carbono ou por programas de redução de emissões provindas de desmatamento e degradação florestal (REED+).
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Carlos Fontes dos Santos

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo de gases de interesse atmosférico com espectroscopia raman, luz síncrotron e um acelerador de 1,7 mv
  • Nos últimos anos, o Laboratório de Colisões Atômicas e Moleculares tem consolidado estudos da interação da radiação ionizante com moléculas de interesse atmosférico (CH4, SF6, CH2Cl2, etc..). Esta proposta visa recursos para: i) dar prosseguimentos aos estudos de ionização e fragmentação de moléculas de interesse atmosférico; ii) Iniciar uma nova linha de análise de moléculas de interesse atmosféricos adsorvidas em matéria sólida (solo, gaiolas orgânicas porosas, etc..) utilizando a espectroscopia Raman. O orçamento solicitado nesta proposta é de fundamental importância, tanto para a manutenção das atividades no Laboratório de Colisões Atômicas e Moleculares da UFRJ, quanto para as atividades a serem desenvolvidas no âmbito do recém-criado Mestrado Interdisciplinar em Física Aplicada da UFRJ.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Carlos Moraes Lessa

Ciências Humanas

Ciência Política
  • reimaginando a china e os estados unidos na inserção internacional do brasil
  • O sistema de relações internacionais do Brasil a partir dos anos noventa passou por transformações intensas e por ajustes de forma e de conteúdo necessários à adaptação aos novos constrangimentos internacionais apresentados pela evolução da cena internacional desde o final da Guerra Fria. Como se flexionou a visão de mundo universalista e, principalmente, como se adaptou o universalismo geográfico à estratégia de ação implementada ao longo desse período? Qual o lugar das parcerias tradicionais no sistema de relações internacionais do Brasil e, especialmente, como se compatibilizam com os esforços de construção de novas parcerias estratégicas? O projeto de pesquisa define dois relacionamentos bilaterais que são caracterizados como prioritários e estruturantes, e cujo entendimento e caracterização constituem o objetivo central da estratégia de investigação proposta: A. as relações com os Estados Unidos, que compõem um eixo estruturante do sistema de relações internacionais do Brasil e; B.as relações com a China, que consubstanciam a necessidade de busca constante de novos espaços e de novos relacionamentos prioritários. Dessas inquietações decorre não apenas a necessidade de se investigar a evolução da política externa desses parceiros, como também o que pode ser denominado como atributos internacionais, ou seja, as interfaces existentes entre estas e os sistemas políticos, o processo decisório, as interrelações entre política externa e política de defesa, o peso do sistema econômico nas inflexões da ação internacional, a atuação regional, as suas posições face ao multilateralismo político e econômico e o próprio manejo das suas prioridades internacionais em nível bilateral. Busca-se, portanto, realizar um estudo comparado da evolução das relações do Brasil com os Estados Unidos e com a China, a partir do início da década de 1990 e até os dias atuais, em suas múltiplas dimensões, caracterizando-as como as parcerias estratégicas definidoras da inserção global do Brasil.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Pavao

Outra

Divulgação Científica
  • 25a ciência jovem:
  • A presente proposta visa a realização da 25a edição da CIÊNCIA JOVEM, uma feira de ciências que vem sendo realizada anualmente em Pernambuco sob coordenação do ESPAÇO CIÊNCIA, museu interativo de ciência vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (www.espacociencia.pe.gov.br). A CIÊNCIA JOVEM, uma das maiores feiras de ciências do país: - acumula uma experiência de 24 edições; - reúne trabalhos de todos os estados brasileiros, além da participação internacional; - seleciona 300 trabalhos das redes pública e privada, contemplando desde o ensino infantil até o médio e técnico; - conta com cerca de 60 feiras afiliadas, renovadas anualmente; - com o sistema da pré-inscrição, valoriza trabalhos integrados ao currículo da escola e desenvolvidos durante todo o período letivo; - incentiva a utilização da metodologia de investigação científica na escola; - surpreende com trabalhos que utilizam o mesmo rigor científico da pesquisa madura que se desenvolve nos centros de pesquisa; - organiza sessões de apresentação oral de professores durante o evento; - é hoje um evento integrado ao calendário escolar de diversas redes de ensino de Pernambuco e do país; - incentiva e apoia a realização de feiras escolares e regionais; - está articulada a diversas feiras nacionais e internacionais onde seus projetos têm obtido premiações e destaques; - recebe um público de mais de 10 mil visitantes durante os três dias de evento; - tem grande visibilidade nos meios de comunicação; - tem expressiva participação de escolas públicas; entre outras. Tais características aliadas à empolgação nas apresentações, aos concorridos debates nos stands e à troca característica de toda feira, fazem da CIÊNCIA JOVEM um evento reconhecido nacionalmente e em outros países como um prazeroso, rico e produtivo momento para seus participantes. O sucesso da CIÊNCIA JOVEM reflete uma experiência historicamente acumulada em mais de duas décadas de organização da Feira, mas sobretudo, é resultado da reflexão e atuação em busca de práticas inovadoras no ensino de ciências. Assim, não é mera coincidência que a CIÊNCIA JOVEM tenha a mesma idade do ESPAÇO CIÊNCIA, responsável pela organização da Feira. O ESPAÇO CIÊNCIA desenvolve uma programação anual de eventos de divulgação científica; coordena a SNCT-PE (Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em Pernambuco); possui um CIÊNCIA MÓVEL, para visitar interior do estado; desenvolve Ação Social para jovens e adolescentes de baixa renda; e no total, atende a uma média anual de 250 mil pessoas. A CIÊNCIA JOVEM se insere como uma das mais importantes ações educativas do ESPAÇO CIÊNCIA. Reflete a concepção geral do Museu de que é preciso encontrar ferramentas pedagógicas que estimulem a curiosidade científica e o gosto pelas atividades de pesquisas. José Reis mostra um caminho quando diz que feira de ciências é uma “revolução pedagógica”. Foi a percepção desse papel transformador da CIÊNCIA JOVEM que estimulou a elaboração da presente proposta e avançar nesta necessária e cada vez mais urgente revolução pedagógica.
  • Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação de Pernambuco - PE - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Antonio Carlos Pavao

Ciências Humanas

Sociologia
  • 26ª ciência jovem
  • A CIÊNCIA JOVEM completou 25 anos em 2019 – a mesma idade do Espaço Ciência, Museu Interativo de Ciência de Pernambuco, responsável por sua organização e idealização. Significa que as Feiras de Ciência nascem junto com o Museu, cujo objetivo é ampliar o acesso ao conhecimento científico. E as Feiras de Ciência são uma oportunidade para que os estudantes aprendam Ciência fazendo Ciência. Atualmente, a CIÊNCIA JOVEM é uma das maiores feiras do país e reúne centenas de projetos de TODOS os estados e também de alguns países da América Latina. Ela estimula a realização de trabalhos de pesquisa científica na escola, que devem ser integrados ao currículo da escola e desenvolvidos durante todo o período. Para isso, incentiva a realização das pré-inscrições dos trabalhos no início do ano. A CIÊNCIA JOVEM também acredita no potencial de alunos de todas as idades. Por isso, é uma das poucas Feiras de Ciência do país que abre espaço para projetos desde a Educação Infantil e Fundamental 1. Com forte participação de escolas públicas, a feira revela talentos e ajuda a despertar entre os jovens o entusiasmo pela Ciência. Realizada geralmente em locais de grande visibilidade pública, como Shoppings, ela recebe um público, durante os três dias de evento, de mais de 14 mil pessoas. Os concorridos debates na frente dos stands, a empolgação nas apresentações e as trocas características de toda feira, fazem da CIÊNCIA JOVEM um evento que já é reconhecido nacionalmente e em outros países, além de oferecer uma experiência prazerosa e produtiva para seus participantes. Reflete uma experiência historicamente acumulada em mais de duas décadas de organização e é, sobretudo, resultado da reflexão sobre práticas inovadoras no ensino de ciências. Assim como José Reis, o Espaço Ciência acredita que “feira de ciências é uma revolução pedagógica”. Conscientes desse significado, o incentivo à realização de feiras escolares também é um dos objetivos da CIÊNCIA JOVEM. Por meio do processo de afiliação, ela cria uma rede de parceiros e estimula a realização de Feiras de Ciências, acolhendo trabalhos que já passaram por uma prévia seleção na escola. Além do estímulo à cooperação entre as Feiras por meio do processo de afiliação, O Espaço Ciência vem desenvolvendo o projeto “Feira de Ciências em toda parte”, em parceria com a Secretaria de Educação Estadual e Municipais. Desde o início deste ano, vem sendo realizados seminários de formação com professores em várias cidades e com participação de todas as redes de ensino. O objetivo é estimular a realização de feiras de ciências nas escolas e nos municípios, bem como o uso da experimentação científica como estratégia pedagógica. Não por acaso a CIÊNCIA JOVEM nasceu junto com o ESPAÇO CIÊNCIA. Esta capacidade de entusiasmar os estudantes e de despertar o interesse pela pesquisa e pelo conhecimento Científico é um dos pilares do Museu. Com uma área de 120 mil metros quadrados entre as cidades de Recife e Olinda, o Espaço Ciência atende gratuitamente mais de 200 mil pessoas por ano, tanto em sua sede, no Observatório Astronômico do Alto da Sé em Olinda e por meio de seu programa itinerante Ciência Móvel. O ESPAÇO CIÊNCIA desenvolve uma programação anual de eventos de divulgação científica; coordena a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em Pernambuco; possui uma ação itinerante que garante o acesso à Ciência para comunidades e instituições no interior do estado e nas periferias da Região Metropolitana; e uma Ação Social, que amplia o acesso ao conhecimento e ao mercado de trabalho para pessoas de baixa renda, sobretudo das comunidades vizinhas. A CIÊNCIA JOVEM é uma das ações educativas do Museu. São selecionados uma média de 300 projetos de estudantes da Educação Infantil ao Ensino Médio de escolas da Rede Pública e Privada, e também de professores que apresentam experiências pedagógicas inovadoras.
  • Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Antonio Carlos Rodrigues de Amorim

Ciências Humanas

Educação
  • currículos, refúgios e restos: imagens aprendentes e media-ção
  • Neste projeto de pesquisa em rede de colaboração internacional, buscam-se aproximações entre currículo e teorizações produção de Gilles Deleuze e demais filósofos pela via das visualidades, a fim de compreender os múltiplos sentidos derivados especialmente da relação entre o entendimento da educação como produção científica ou estético-artística e filosófica. A teorização é construída dentro do campo dos conceitos de Gilles Deleuze e demais filósofos, questionando o poder da representação, por sua vinculação com a verdade e a identidade, a partir de férteis, instigantes e potencialmente originais intercessões com o campo de estudos audiovisuais, especialmente as produções artísticas em vídeo e cinema experimentais. Com a metodologia de pesquisa deste projeto, o objeto de investigação é interpretado pelo conceito da superfície da linguagem, um convite a entrar pelo seu efeito de multiplicidade e expansão contínua de sentidos, fora dos preceitos do pensamento representacional. Escolhem-se as articulações entre os conceitos de mediação, extraído do campo dos estudos fílmicos e da relação entre intervalo e apreensão, propondo a elaboração conceitual das imagens aprendentes, cuja relação, a partir da experimentação com as imagens e sons do cinema e de propagandas televisivas, recoloca em foco algumas relações entre currículo e sujeitos espectadores, em condições de migrações, refúgios, esquecimentos e restos. Realizar-se-ão workshops e oficinas de experimentação audiovisual e literária com pesquisadores vinculados ao projeto e com o público em geral.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Rosário Vallinoto

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • marcadores epidemiológicos de frequência (prevalência) dos htlv-1/2, seus subtipos moleculares e aspectos sócio-comportamentais de risco para a infecção em populações humanas das regiões norte e centro-oeste do brasil
  • Os vírus T-linfotrópico humano 1 e 2 (HTLV-1 e HTLV-2) pertencem à família Retroviridae, subfamília Oncovirinae, gênero Deltaretrovirus apresentando tropismo preferencial por células T CD4+ e células T CD8+, respectivamente. O HTLV-1 foi, inicialmente, descrito como o agente etiológico da leucemia/linfoma de células T do adulto (ATLL) e, posteriormente, como o agente de uma doença neurodegenerativa crônica conhecida como paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV-1 (TSP/HAM). Estudos epidemiológicos em regiões de alta prevalência mostraram que os modos de transmissão do HTLV-1 e do HTLV-2 são semelhantes. Portanto, as principais vias de transmissão desses vírus incluem transfusão de sangue, compartilhamento de seringas e de agulhas contaminadas, contato sexual e aleitamento materno. A despeito dos quase 40 anos passados desde o isolamento do HTLV-1 e do HTLV-2, a infecção e as doenças associadas são negligenciada, sem haver, até o presente, um tratamento efetivo aos portadores do vírus e dos que se apresentam com doenças associadas e, muito menos, uma vacina protetora. Não há, também, uma descrição precisa da real prevalência da infecção pelos HTLV-1/2 no Brasil e, em particular nos diversos estratos populacionais dos estados do Norte e do Centro-Oeste do país. Até o presente, os estudos de prevalência não utilizaram amostragens adequadas e nem estratificadas de maneira adequada que permitam uma afirmação da prevalência do HTLV no Brasil e em outros países. O momento atual justifica o fomento de investigações epidemiológicas para esclarecer o perfil epidemiológico da infecção por esses retrovírus por meio de estudo de base populacional das populações tri-híbridas brasileiras e dos inúmeros estratos como quilombolas, indígenas e outros habitantes das regiões Norte e Centro-Oeste. As informações serão utilizadas dentre outros benefícios para os futuros estudos de eficácia de vacinas candidatas que estão, atualmente, em desenvolvimento por pelo menos dois grupos como os dos doutores Genoveffa Franchini (NIH, USA) e Glen N. Barber (Miami University, USA). O combate às doenças endêmicas é um desafio constante no Brasil, principalmente em populações rurais, indígenas, quilombolas e ribeirinhas, porque a atenção primária à saúde é deficiente. Por fim, as regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil, ainda, representam uma grande lacuna no que diz respeito ao conhecimento da epidemiologia do HTLV e sua implicação para a saúde pública. Desta forma, o conhecimento da prevalência da infecção pelo HTLV e os fatores de risco associados (vulnerabilidade) são ferramentas essenciais para a elaboração de estratégias de políticas públicas de saúde para o combate mais à ocorrência e à disseminação da infecção nessas regiões. Assim sendo, o presente projeto visa descrever a ocorrência e a epidemiologia molecular da infecção pelos HTLV-1/2, os aspectos epidemiológicos e comportamentais de risco para a exposição em comunidades de diferentes estratos populacionais localizados nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 02/03/2020-31/03/2023