Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Abelardo Silva Júnior

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • genótipos emergentes de pcv2 no brasil e expressão heteróloga da proteína do capsídeo de pcv3 para aplicações biotecnológicas
  • A suinocultura é um setor agropecuário de grande importância para a economia brasileira. Existe uma elevada relevância pelas doenças virais emergentes na suinocultura devido os mecanismos genéticos de evolução viral, por conseguinte, maior risco de escape imunológico do hospedeiro e surgimento de novas doenças. Portanto, pesquisas que visem melhorar sanidade de suínos, principalmente relacionados com vírus emergentes devem ser prioritárias. Diante desse contexto, os problemas relacionados as infecções por circovirus vem causando problemas na suinocultura mundial. Dentre os circovirus, o Porcine circovirus 2 (PCV2) está relacionado a PCVADs, sendo responsável por causar grandes perdas econômicas a indústria suinícola em todo o mundo. Até o momento, foram identificados seis genótipos de PCV2, sendo estes PCV2a, PCV2b, PCV2c, PCV2d, PCV2e e PCV2f. As vacinais comerciais utilizadas no Brasil contra PCV2 são baseadas no genótipo PCV2a, fato que pode ajudar a explicar casos de escape vacinal, uma vez que que não se conhece a prevalência dos genótipos desse vírus no país. Nesse contexto, o primeiro objetivo da proposta visa realizar a caracterização genética dos genótipos de PCV2 no Brasil, visando conhecer os genótipos mais frequentes, o que pode ajudar entender os casos de granjas vacinadas apresentando a doença clínica. Recentemente, um novo circovirus foi descoberto e denominado Porcine circovirus 3 (PCV3). A suspeita que PCV3 esteja relacionado a diversos problemas sanitários, incluindo transtornos na reprodução dos animais. As falhas reprodutivas associadas ao PCV3 ainda não estão totalmente esclarecidas, necessitando de estudos adicionais. A baixa identidade (30%) entre as proteínas do capsídeo (cap) de PCV2 e PCV3 indica que as vacinas contra PCV2 baseadas na proteína cap não protegem os animais contra PCV3, o que que ressalta a importância de desenvolver de uma vacina contra PCV3 e testes sorológicos específicos contra PCV3 para avaliar rebanhos infectados. Considerando o exposto, esta proposta está dividida em 2 plano de ações: (1) identificar os genótipos de PCV2 mais frequentes no Brasil. (2) expressar a proteína do capsídeo do PCV3 em E. coli, utilizar a proteína como antígeno para um teste de ELISA sorológico, empregar o teste de ELISA e ensaios de PCR em tempo real (qPCR) para estudar a relação entre a infecção pelo PCV3 e falhas reprodutivas. Finalmente, a proteína recombinante será estudada quanto a formação de virus-like particles, que poderá ser empregada como promissor candidato vacinal. Espera-se com esse projeto entender mecanismos de evolução genética do PCV2, bem como avançar nos conhecimentos em relação a infecção por PCV3 no Brasil e possíveis formas de controle.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022