Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ahda Pionkoski Grilo Pavani

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • desenvolvimento de metodologias para provimento de serviços ancilares por geração eólica
  • O crescente aumento da conexão de geração eólica à rede elétrica requer que estes geradores contribuam para os serviços necessários para garantir a segurança da operação do sistema elétrico, denominados serviços ancilares. Os serviços ancilares são os recursos disponibilizados para realização de tarefas fundamentais para a operação do sistema, tais como controlar a frequência , o perfil de tensão e a estabilidade do sistema. Para incorporar os recursos de geração eólica como opções de serviços ancilares deve ser considerado que, além de não ser despachável, este tipo de geração emprega sistemas de conversão de energia diferentes dos tradicionais geradores síncronos. Desta forma, o provimento de serviços ancilares por geração eólica requer estudos e metodologias específicas, diferentes dos atuais empregados para a geração tradicional. Neste contexto, este projeto pretende contribuir para a incorporação de geração eólica em serviços ancilares, para isso serão propostas metodologias para: (a) incluir a capacidade de controlar a potência reativa de usinas eólicas como um controle preventivo para melhoria da margem de estabilidade de tensão do sistema de transmissão; (b) coordenar a contribuição dos geradores eólicos de uma usina considerando a velocidade e a direção do vento para fornecer suporte de frequência, de acordo com os requisitos de inércia sintética, ao sistema de transmissão; (c) compensar parcial ou totalmente tensões trifásicas desequilibradas de redes ilhadas; e (d) dar suporte de frequência em redes ilhadas para manter a estabilidade durante alterações das condições de operação.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ahmad Saeed Khan

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • impactos do programa uma terra e duas águas (p1+2) e do projeto reuso de águas cinzas na agricultura sobre a renda e o meio ambiente de pequenos agricultores no ceará
  • RESUMO Com características marcantes, a região semiárida brasileira é caracterizada, pelo clima quente e seco, a escassez ou ausência de água, devido ás secas periódicas que assolam a região e, o expressivo contingente de pobres. Até fins dos anos noventa, a lógica prevalecente do governo para enfrentar a seca, assumia um caráter assistencial sem buscar fixar na região uma política pública de apoio à permanência da população nas propriedades rurais. A partir dos anos 2000, uma rede de organizações da sociedade civil de distintas naturezas, passa a atuar em toda a região, defendendo e adotando uma nova racionalidade, ou seja, o da convivência com o Semiárido. O projeto político de convivência com o Semiárido abrange dentre outras, as tecnologias sociais voltadas à captação e armazenamento de água para uso doméstico e de produção de alimentos e criação de animais, e a de reutilização de águas servidas no uso domiciliar. Abrigadas em diferentes esferas governamentais, o Programa Uma Terra e Duas Águas e o Projeto de Reuso de Água Cinza, estão sendo disseminados em todo o Semiárido, entretanto, as avaliações dessas tecnologias, além de escassas, são pouco abrangentes, limitando uma análise mais expressiva dessas ações. O objetivo, desse estudo é avaliar os impactos do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) e do Projeto Reuso de Água Cinza, sobre a renda e a sustentabilidade ambiental, de agricultores familiares no estado do Ceará, mediante o uso do Propensity Score Matching. Os dados a serem utilizados serão de origem primária, resultantes da aplicação de questionários semiestruturados, para beneficiários e não beneficiários dos Programas P1MC, P1+2 e do Projeto Reuso de Água Cinza, nas 7 mesorregiões do Ceará, abrangendo 31 municípios. Palavras-chave: Programa (P1+2); Reuso de Água Cinza; Agricultura; Impacto; Ceará.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ahyas Siss

Ciências Humanas

Educação
  • as comissões de heteroidentificação étnico-racial de autodeclaração no sistema de cotas no acesso às instituições de ensino superior públicas federais: implementação e atuação
  • Essa pesquisa interinstitucional busca dar prosseguimento à linha de investigação que a equipe integrante deste projeto vem desenvolvendo na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) por meio do Opaas (Observatório das Políticas de Ação Afirmativa do Sudeste), na interface dos campos das relações étnico-raciais e da educação, entendendo-se a categoria campo na perspectiva que a ela é dado por Bourdieu, ou seja, como um espaço de disputa onde digladiam diferentes forças e agentes na tentativa de dominá-lo. Objetivamente, estaremos aqui interessados em: a) analisar as políticas de cotas para alunos PPI’s (pretos pardos e indígenas), instituídas pelo Estado brasileiro presentes nas universidades federais parceiras deste projeto e b) os processos de criação, implementação e ação das comissões de heteroidentificação étnico-racial de autodeclaração em tais políticas de cotas étnico-raciais enquanto mecanismo de sua efetivação. Embora a Lei Federal 13.409./2016 ao atualizar a Lei 12.711/2012 inclua nela pessoas com deficiência como beneficiários de tal política, as lentes analíticas deste projeto de pesquisa estarão voltadas especificamente para os alunos PPI’s na sua relação com a ação das comissões de heteroidentificação étnico-racial.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ailton Reis

Ciências Agrárias

Agronomia
  • diversidade de isolados de pythium obtidos de hortaliças no brasil, gama de hospedeiros e sensibilidade ao fungicida mefenoxam
  • A olericultura representa importante setor da agricultura brasileira, em especial pela relevante participação das hortaliças na alimentação de boa qualidade, geração de empregos e retorno financeiro em pequenas áreas. Apesar de ser um mercado altamente diversificado em termos de produtos, cerca de 12 espécies de olerícolas - entre elas a batata, o tomate, a cebola, a cenoura, a alface, as folhosas da família Brassicaceae e as cucurbitáceas representam mais de 80% do valor total gerado pelos hortigranjeiros. A cadeia produtiva de hortaliças possui vários entraves ao aumento da produção e/ou qualidade do produto em razão principalmente das mudanças climáticas já presenciada nos últimos anos, custo dos insumos e incidência de pragas e doenças. Diversos problemas fitossanitários ainda desafiam e limitam a produtividade e qualidade de diversas culturas, merecendo destaque patógenos habitantes do solo em razão da dificuldade de controle. Dentre esses, os oomicetos compõe um grupo de organismos heterotróficos compreendendo várias espécies fitopatogênicas, principalmente dentro dos gêneros Phytophthora e Pythium. Oomicetos do gênero Pythium estão entre os patógenos mais comumente distribuídos no solo, sendo geralmente polífagos e de rápido desenvolvimento. Estes patógenos causam diversas doenças em hortaliças, sendo as principais o tombamento de mudas e podridões de raiz. A dificuldade de controle destes oomicetos em hortaliças deve-se principalmente à ampla gama de hospedeiras (isto dificulta o emprego de rotação de culturas), à reduzida oferta de fungicidas registrados e o surgimento de populações resistentes aos poucos ingredientes ativos utilizados em seu controle. O principal fungicida utilizado no controle de oomicetos, o mefenoxan, apresenta sítio de ação específico, podendo selecionar indivíduos resistentes. Assim, é importante conhecer a diversidade de espécies de Pythium que atacam hortaliças no Brasil, pois isso implica diretamente na determinação da gama de hospedeiros e a sensibilidade a fungicidas das principais espécies identificadas, visando ter suporte para decidir quais as medidas de manejo a serem implementadas. É importante mencionar que existem poucos grupos de pesquisa trabalhando com oomicetos fitopatogênicos no Brasil. No caso do gênero Pythium, praticamente não existem grupos de pesquisa trabalhando com as espécies fitopatogênicas. Um diferencial deste projeto é que a coleção representativa de isolados já está praticamente montada e o pesquisador coordenador da pesquisa localiza-se no Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças, que tem parceiros nas diversas regiões produtoras e ainda recebe amostras de hortaliças, para diagnose de doenças, de todo o Brasil. Estes fatores, aliados a algumas viagens pontuais, são estratégicos para a montagem de uma coleção representativa de isolados de Pythium. O objetivo deste projeto é realizar a caracterização morfológica e molecular de isolados de Pythium provenientes de diversas regiões produtoras de hortaliças do Brasil. A partir dessa caracterização, ter-se-á informação essencial para a proposição de medidas sustentáveis de controle ao se poder determinar a patogenicidade em diferentes espécies olerícolas (manejo cultural) e avaliar a sensibilidade ao fungicida mefenoxam (controle químico).
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aires Pergentino da Silva

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • 6ª mostra viver ciência
  • A 6ª Mostra Acreana de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação – Viver Ciência é um evento de continuidade das Mostras Viver Ciência, que já pertence ao calendário escolar do Estado do Acre. É organizado pela Secretaria de Estado de Educação e Esportes do Acre, em parceria com outras instituições, que promove a Divulgação Científica, através de um arcabouço de diversas atividades direcionadas a diversidade de público, sendo uma oportunidade para troca de conhecimentos, estímulo à criatividade, valorização da experimentação, da ação investigativa, da atividade inovadora, de trabalhos interdisciplinares e da promoção da iniciação científica. O evento geralmente é realizado no segundo semestre do respectivo ano, na Universidade Federal do Acre - UFAC. A Mostra é uma ação que visa integrar as ações e políticas públicas de promoção da Ciência no Estado do Acre. Prever-se a 6ª Mostra como um reflexo das edições anteriores. A prioridade de atendimento são os alunos das escolas da Educação Básica, em todos os segmentos. A Mostra tem um caráter inclusivo e formativo, sendo composta de atividades, para os mais diversos públicos, como atividades para as crianças, os adultos, pessoas de comunidades rurais, povos indígenas, público Geek, etc. Esta edição trará o diálogo de saberes entre o científico e o cotidiano, sendo composta de uma programação diversificada, com atividades apresentadas de forma lúdica e criativa. Farão parte do evento ações como: oficinas, minicursos, palestras, contação de histórias, exposição de trabalhos científicos, apresentações culturais e sessões no planetário, além da exposição de diversas atividades das instituições parceiras que, certamente, irão despertar o interesse do público infanto-juvenil e adultos pela ciência e tecnologia. A julgar pelos números das últimas edições, esperamos, para 2020, a visita de mais de 36 mil visitantes, atendendo a mais de 140 escolas. E, em termos de produção científica, atendermos a 300 projetos para serem apresentados na Exposição Científica, além de oferecermos um rico menu de atividades que ocorrem, simultaneamente, nos 3 dias de evento a contar com o auxílio dos parceiros.
  • Secretaria de Estado de Educação e Esporte do Estado do Acre - AC - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Airton Cardoso Cançado

Ciências Humanas

Educação
  • a universalização do acesso a energia elétrica: uma avaliação do o uso do cadastro único pela gestão do programa tarifa social de energia elétrica no estado do tocantins
  • Este projeto tem como o principal objetivo avaliar o resultado do uso do Cadastro Único pela gestão do Programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) no estado do Tocantins. A Tarifa Social de Energia Elétrica é um programa de barateamento do preço da energia elétrica para consumidores residenciais de energia elétrica, especialmente, para famílias de baixa renda. O programa TSEE faz uso do Cadastro Único para reconhecimento do público-alvo. Tendo sua eficiência, estritamente, relacionada a identificação dos beneficiários, a partir dos critérios estabelecidos pela legislação vigente, na base de dados Cadastro Único. Inicialmente, pretende-se realizar uma sistematização da literatura sobre a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), evidenciando evolução histórica da política, resultados alcançados e principais desafios. Posteriormente, propõem-se identificar a quantidade de famílias assistidas pelo programa Tarifa Sociais no estado do Tocantins. Por fim, elaborar-se-á uma análise da percepção dos beneficiários participantes do programa em relação ao acesso e resultados da intervenção, buscando verificar em que medida o programa afeta à qualidade de vida dos beneficiários.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 03/01/2020-03/11/2020
Foto de perfil

Airton Cardoso Cançado

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • gestão social e políticas públicas: tics e possibilidades da participação direta
  • O objetivo da proposta é identificar e discutir as possibilidades da Gestão Social mediada pelas Tecnologias da Informação e Comunicação – TICs na participação direta da sociedade no ciclo das políticas públicas. A pesquisa parte da premissa que a sociedade tem o dever e o direito de participar nas escolhas relativas ao seu futuro, no que tange às políticas públicas. A base teórica do trabalho está centrada nos conceitos de Gestão Social e Ciclo das Políticas Públicas, mediados pelas TICs. Gestão Social entendida como a tomada de decisão coletiva e participação direta. Ciclo da Política Pública entendido como o processo de construção da agenda, elaboração da proposta, discussão, escolha dos meios e processos e avaliação. A metodologia da pesquisa tem natureza qualitativa, o método caminha em duas vertentes: a teórica é baseada na análise de conteúdo, a empírica que é a construção e teste de um instrumento de identificação da Gestão Social em organizações baseadas na decisão coletiva. Essas análises têm como pano de fundo a utilização das TICs como mediadoras da participação. Os resultados serão o mapeamento do sentido do conceito de Gestão Social e da utilização de TICs para a participação em contexto nacional e internacional. Como produtos acadêmicos serão elaborados um relatório de estágio pós-doutoral, uma dissertação e artigos. Outro produto será um instrumento testado para a identificação da Gestão Social em Organizações.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Airton Deppman

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • olimpíadas brasileiras de física 2020
  • Esta proposta tem como finalidade proporcionar o desenvolvimento das atividades programadas para as Olimpíadas Brasileiras de Física (OsBsF),organizadas pela Sociedade Brasileira de Física (SBF) no decorrer do ano de 2020; este programa compreende a Olimpíada Brasileira de Física (OBF)*, destinada a escolas particulares e públicas,e a Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP)** destinada exclusivamente às escolas públicas municipais, estaduais e federais. Ao longo dos anos em que as Olimpíadas de Física (OBF – 21 anos, OBFEP – 09 anos) vêm sendo realizadas em todo o território nacional, estabeleceu-se um formato tanto para as atividades acadêmicas quanto para as atividades de gestão/administração. No que tange a gestão/administração cabe destacar que as Olimpíadas têm cada uma sua coordenação nacional que está sediada na Sociedade Brasileira de Física (campus USP/São Paulo), responsável pelo gerenciamento das atividades administrativas e acadêmicas. Em cada estado da federação um coordenador estadual (professor de Instituição de nível superior) é o responsável pelo desenvolvimento das atividades das Olimpíadas, em nível regional, e a coordenação é sediada numa instituição de ensino superior federal ou estadual. Esta proximidade com a Instituição de Ensino Superior proporciona a efetiva interação entre alunos de graduação, com destaque para os alunos de Licenciaturas, com as diversas atividades das Olimpíadas dentre as quais citamos: i) organização geral do evento, ii) aplicação das provas e iii) correção das provas. Esta participação efetiva dos estudantes é uma parte importante da prática pedagógica. Na OBFEP desde seu início em 2010 e, a partir do ano de 2015, na OBF,resolveu-se adotar a doação do material experimental (kits e roteiros), da fase experimental para as escolas públicas que participaremdas olimpíadas. Isto tem como objetivo auxiliar na formação e interesse pelo estudo da física no ensino médio e fundamental das escolas da rede pública.Criamos também Comitês da OBF, Nacional e Internacional que, juntamente com a Comissão da OBFEP, visam aumentar as interações entre as universidades e escolas de ensino médio, conhecer mais de perto as características do ensino médio em cada uma das 5 regiões do território brasileiro representadas pelo comitê nacional e oferecer treinamentos mais específicos aos alunos selecionados e preparados pelo comitê internacional. Neste ano de 2015 foi o segundo ano do projeto Olimpíadas Brasileiras de Física: OsBsF 2019 onde tivemos um projeto conjunto das duas olimpíadas, OBF e OBFEP. O valor aprovado na chamada CNPq/MCTIC/MEC Nº 20/2018 para OsBsF 2019 foi de 49,1% do valor solicitado. Embora o orçamento solicitado tenha sido delineado para o cumprimento de todas as ações propostas para ano de 2019 dos projetos OBF e OBFEP, estamos tentando cobrir a maior quantidade de ações dentro do projeto aprovado, com cortes onde possíveis. Nesta chamada CNPq/MCTIC/MEC No. .../2019, o projeto OsBsF 2020, considerando que não foi possível em 2019 elaborar kits novos para a parte prática da OBF e a parte prática da OBFEP foi realizada considerando somente análise de dados, ou seja , sem que o estudante pudesse manusear kits o que evidentemente traz prejuízos didáticos - pedagógicos estamos aumentando o valor dos recursos solicitados para que isto não ocorra em 2020.
  • Sociedade Brasileira de Física - SP - Brasil
  • 05/12/2019-31/12/2020
Foto de perfil

Aírton Mendes Conde Júnior

Ciências Biológicas

Morfologia
  • papel de proteinas de proliferação, morte e estrutura celular nas glândulas salivares de camundongos balb/c com leishmaniose visceral
  • O protozoário Leishmania infantum, causador da leishmaniose visceral, se dissemina sistemicamente para propagar-se no macrófago de órgãos internos, principalmente fígado, baço, medula óssea e linfonodos. A leishmaniose está entre as doenças endêmicas negligenciadas prevalentes no Brasil. Diante da importância epidemiológica dos estudos com Leishmania e da necessidade de aprofundar o conhececimento da leishmaniose e sua relação com as glândulas salivares, propõe-se estudar a histologia do parênquima e túbulos das glândulas salivares de camundongos BALB/c experimentalmente infectados com L. infantum chagasi, com enfoque na avaliação da expressão de proteínas de proliferação e morte celular, e matriz extracelular. O projeto encontra-se na fase de apreciação pelo Comissão de Ética do Uso de Animais (CEUA) sob o número de protocolo 506/18. Serão utilizados 64 camundongos isogênicos machos da linhagem BALB/c, provenientes do biotério do Centro Central da Universidade Federal do Piauí/UFPI. Os animais serão divididos aleatoriamente, de forma que haverá a avaliação dos tecidos durante a fase aguda e crônica da doença, concomitantemente aos grupos controles. Após eutanásia dos animais, as glândulas salivares, baço, fígado, linfonodo e medula óssea serão submetidos ao processamento histológico, imunohistoquímica, morfometria e western blotting para a investigação de necrose, expressão de proteínas apoptóticas (Caspase- 3 e Bcl-2), proteínas de proliferação e ativação do ciclo celular (PCNA e Ki-67), e proteínas da matriz extracelular (Colágeno I e clágeno III). Acredita-se na contribuição e ampliação do conhecimento na caracterização da morfofisiologia de glândulas salivares em camundongos BALB/c experimentalmente infectados com leishmaniose visceral, nas diferentes fases de infecção.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Airton Torres Carvalho

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • pragas em abelhas: procurando por doenças e entendendo a química da interação entre meliponini e phoridae
  • Compreender a dinâmica da ocorrência de pragas e doenças em colônias de abelhas sem ferrão é fundamental para o futuro da meliponicultura e para a conservação das espécies. O presente projeto objetiva estudar dois importantes aspectos que limitam a produtividade dessa atividade, que apresenta grande importância ecológica e econômica. Estudaremos a ecologia química da interação entre o principal parasita em Meliponini, a mosca Pseudohypocera kerteszi (Diptera, Phoriade), buscando descobrir quais as pistas químicas utilizadas pelas moscas para encontrar seus hospedeiros. Além de parasitarem os ninhos das abelhas sem ferrão, as moscas são potenciais transmissoras de microrganismos patogênicos. Ainda, é possível que a microbiota das abelhas seja protagonista na produção dos compostos químicos utilizados pelas moscas para encontrar os ninhos. Desta forma, utilizaremos também uma abordagem metagenômica para caracterizar a microbiota em três importantes espécies do gênero Melipona (Apidae, Meliponini) ao logo de um amplo gradiente geográfico, comparando regiões de ocorrência natural das espécies e áreas para onde os ninhos foram translocados, bem como colônias em condições naturais e manejadas. Esperamos descobrir quais substâncias voláteis são utilizadas pelas moscas para encontrar os ninhos no intuito de desenvolver uma armadilha externa ao ninho e que possa controlar as infestações de forideos. Paralelamente, a caracterização da microbiota permitirá identificar microrganismos patogênicos a fim de subsidiar ações de controle e combate a doenças.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 03/07/2018-31/07/2021