Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Roberto Dias Lins Neto

Ciências Biológicas

Biofísica
  • engenharia de proteínas imunorreativas para a detecção sorológica diferencial de infecções pelo vírus zika
  • A partir do uso de computação de alta performance, recentemente identificamos a região do vírus Zika a ser utilizada no desenvolvimento de uma vacina de DNA, bem como desenvolvemos um peptídeo sintético utilizado para avaliação da eficácia da vacina (Nat. Comm. 9: 2441, 2018). Por outro lado, ainda não existem marcadores moleculares, protocolos ou kits de diagnóstico sorológico inequívoco. Num cenário de co-circulação de vários Flavivírus no país, o diagnóstico inequívoco da infecção pelo vírus Zika (ZIKV) é essencial para tratamento, controle de epidemia e direcionamento de políticas públicas de saúde. Para tal, postulamos que existam assinaturas moleculares responsáveis pelo reconhecimento imunológico do ZIKV por anticorpos específicos para este vírus. Assim, através do uso massivo de computação de alta performance, exploraremos tais assinaturas para realizar a engenharia de anticorpos artificiais específicos contra proteínas do ZIKV, os quais serão capazes de diferenciar a infecção por ZIKV de outras Flaviviroses. O trabalho tem como foco regiões imunorreativas específicas (epítopos) das proteínas de envelope (E) e NS1 do ZIKV. No caso da proteína NS1, utilizaremos como ponto de partida um nanocorpo (VHH) recentemente triado como sendo capaz de reconhecer a NS1 do vírus Dengue (DENV), conforme descrito na literatura. Apesar da alta identidade da região homóloga na NS1 do ZIKV, identificamos resíduos-chave nas proteínas NS1 de ambos os vírus que podem ser utilizados para a engenharia racional de um VHH capaz de se ligar com alta afinidade somente à NS1 de ZIKV e assim discriminar entre as duas infecções. No caso da proteína E, temos como alvo um epítopo capaz de induzir a produção de anticorpos neutralizantes. Marcadores artificiais (aptâmeros peptídicos) reproduzindo o sítio de ligação ao epítopo no anticorpo neutralizante respectivo serão desenvolvidos a partir da triagem de uma biblioteca estrutural de milhares de proteínas. Estas proteínas serão otimizadas in silico para exibirem alta afinidade pelo epítopo alvo, bem como estabilidade ambiental, visando sua futura aplicação em kits diagnósticos do tipo lab-on-chip. As proteínas serão sintetizadas heterologamente e suas afinidades de ligação pelos respectivos antígenos (proteínas E e NS1) avaliadas por ELISA e termoforese em microescala. O potencial de diagnóstico diferencial será avaliado frente a soros de pacientes disponíveis no Instituto Aggeu Magalhães.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Esser dos Reis

Outra

Defesa
  • inct ciências forenses
  • As Ciências Forenses são constituídas de um conjunto de áreas aplicadas à solução de questões de interesse do sistema legal e judicial, relacionadas com a ocorrência de crimes e com a sua resolução. Podem ser definidas como as ciências naturais e matemáticas aplicadas à análise de vestígios a fim de responder às demandas judiciais. Por meio das Ciências Forenses, Peritos Oficiais e Peritos Assistentes Técnicos executam uma atividade técnico-científica denominada Perícia Criminal, prevista no Código de Processo Penal, indispensável para elucidação de crimes quando houver vestígios materiais. No âmbito da Justiça e da Segurança Pública a prova material, isenta de subjetividade, exerce um papel de fundamental relevância. A ciência é uma questão de fato, não de opinião. Avanços na metodologia científica devem ser direcionados no sentido de evitar a interpretação tendenciosa, uma vez que o objetivo primeiro da análise pericial deve ser a elucidação da verdade real, ainda que, em tese, inatingível. O domínio dos aspectos técnicos relacionados à produção, análise e interpretação da prova material é de extrema importância para os profissionais envolvidos em todas as etapas da Justiça e da Segurança Pública. Desenvolver pesquisa em Ciências Forenses com base na realidade brasileira consiste em adquirir conhecimento sobre as particularidades da criminalidade nacional. Este procedimento pode ser mais eficiente do que continuar a adquirir tecnologias estrangeiras para combater crimes nacionais. A interdisciplinaridade desta proposta é comprovada pelo uso de conhecimentos científicos, criminalísticos, estatísticos e judiciais para a resolução de problemas periciais. As áreas temáticas das linhas de pesquisa apresentam-se de modo integrado e interligado e didaticamente podem ser classificadas em: Química e Toxicologia Forense, Perícia Ambiental, Genética Forense, Informática Forense e Ciências Criminais. O projeto em questão situa-se na área das Ciências Forenses, Segurança Pública, Justiça, Execução de Perícias Criminais, Repressão ao Tráfico de Drogas (crack, cocaína, maconha, drogas sintéticas), análises toxicológicas em cabelo e pelos humanos, combate à falsificação de medicamentos, acreditação de laboratórios, balística forense, documentoscopia, combate ao contrabando e utilização irregular de pesticidas, rastreabilidade da maconha apreendida em território brasileiro, desenvolvimento de metodologias para Engenharia Legal e Perícia Ambiental, Genética Forense (uso de técnicas de última geração; estabelecimento do biobanco DNA Brasil Pró-Forenses; proposta de criação e regulamentação de rotina para análise por barcode), Informática Forense (aplicacação de tecnologias semânticas na investigação de crimes cibernéticos), Ciências Criminais (uso de estatística para avaliar alcance e relevância de laudos na investigação criminal e sentença judicial, caracterização da prova pericial no contexto da persecução penal). A Instituição Sede (PUCRS/Núcleo de Pesquisa em Evidências Forenses), a Unidade de Perícia Oficial Associada (Setor Técnico Científico da Superintendência de Policia Federal no Rio Grande do Sul, SETEC/SR/DPF/RS) e as demais instituições colaboradoras, dispõem de recursos e infraestrutura que possibilitam a produção de pesquisa científica e formação de recursos humanos. Além disto, tais associados têm outros financiamentos que permitem o aporte de recursos adicionais como bolsas, aquisição de insumos necessários para estas pesquisas e mesmo a sua caracterização interdisciplinar. Têm-se o envolvimento de 19 Programas de Pós-graduação, de quatro regiões do país – Sul, Sudeste, Centro-oeste e Norte. Isto apoiará a formação de recursos humanos de alto nível em áreas tecnológicas com notória carência no país. Os únicos cursos de graduação reconhecidos pelo MEC na área forense integram essa proposta: Bacharelados em Química, Habilitação Química Forense, da USP/Ribeirão Preto/SP e da UFPel/Pelotas/RS. Pretende-se implementar o curso de Mestrado em Ciências Forenses (stricto sensu) vinculado ao PPG do Núcleo de Pesquisa em Evidências Forenses. Trata-se de incremento sequencial ao curso de Especialização em Ciências Forenses (lato sensu), já existente. Também se espera criar primeira instituição de pesquisa forense interdisciplinar no Brasil. Entre outras contribuições, podem ser listadas: busca pela rapidez na resposta de execução de Perícias Criminais; o fortalecimento da prova material; o desenvolvimento de métodos de combate aos novos crimes (fraudes complexas, pedofilia, venda de medicamentos falsificados pela web, novas drogas de abuso – “designer drugs”) com base na realidade brasileira. Além disso, o uso de ferramentas já existentes, como o Sistema Criminalística (SisCrim) para a disseminação dos resultados das pesquisas com alcance nacional, fará com que o país assuma sua posição de líder regional na América Latina nesta área das ciências. As linhas de pesquisa deste projeto foram idealizadas a partir da associação de instituições de pesquisa acadêmicas e o SETEC/SR/DPF/RS. Além de publicação científica e educação em ciência, serão produzidos programas educativos para divulgação de problemas e ações desenvolvidas acerca dos temas em estudo e a realização de palestras abertas para a comunidade sob o título de “Ciências Forenses: a ciência desvendando crimes”. Estão previstas atividades como a criação de disciplinas em cursos de pós-graduação; oferecimento de disciplinas com professores convidados nacionais; oferecimento de workshops com professores internacionais; realização do encontro anual do INCT Ciências Forenses, organização de uma Jornada Nacional de Ciências Forenses, entre outros. Do ponto de vista internacional, instituições de pesquisa forense são realidade em países nos quais os saberes científicos encontram-se consolidados. A criação INCT Ciências Forenses fará com que o Brasil assuma sua posição de líder regional na América Latina nesta área das ciências.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Roberto Fabris Goerl

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • diagnóstico das inundações em escala regional: mapeamento de suscetibilidade e sua relação com a saúde coletiva em santa catarina
  • O crescimento populacional das últimas décadas tem aumentado, em escala global, o número de pessoas expostas aos fenômenos naturais extremos, como as inundações, que nos últimos 100 anos afetaram mais de 3,6 bilhões de pessoas. A ocorrência de inundações é bastante frequente também no Brasil, provocando impactos consideráveis em áreas vulneráveis, com perdas humanas e de bens materiais. Além dos danos e prejuízos, um dos efeitos negativos das inundações é o surgimento ou intensificação de surtos epidemiológicos, ou seja, de doenças de veiculação hídrica como a dengue, leptospirose, diarreias, hepatites virais, febre tifoide, entre outras. Dessa maneira, os impactos dos desastres naturais podem também ser considerados uma questão de saúde pública. A epidemiologia de desastres não é um tema amplamente divulgado no Brasil quando comparado a outros tipos de análises sobre desastres, como o mapeamento de áreas de risco. O Atlas Brasileiro de Desastres Naturais, por exemplo, discute o tema saúde de maneira superficial. Neste contexto, o presente projeto tem por objetivo principal analisar as relações espaciais e temporais existentes entre as inundações e o surto de doenças nos municípios de Santa Catarina. Neste Estado, desde 1970, já foram registrados mais de 3000 desastres relacionados a inundações, mas poucos estudos analisaram a relação dos surtos epidemiológicos e a ocorrência de inundações em escala regional/estadual. A maioria dos trabalhos analisaram eventos ou municípios específicos. Para alcançar o objetivo do projeto, as seguintes etapas serão realizadas: i) mapeamento das áreas suscetíveis a inundação em nível de Estado utilizando Modelos Digitais de Elevação e o HAND; ii) inventário de imagens de satélite para determinar a extensão da área afetada por diferentes eventos de inundação; iii) análise dos registros históricos das inundações, coletando informações como número de pessoas afetadas, prejuízos, danos registrados por meio de dados oficiais (relatório de avaliação de danos - AVADAN); iv) análises da evolução urbana em áreas propensas a inundar, observando se há uma relação entre a frequência de inundações e a expansão urbana; v) análise das doenças de veiculação hídrica registradas pelos municípios em banco de dados como o DATASUS e o DIVE-SC, buscando estabelecer a relação entre frequência de inundação e frequência de surtos epidemiológicos; vi) análises demográficas e sociais, buscando relacionar indicadores sociais com a frequência de inundação e de doenças. Com a execução destas etapas, o projeto pretende estabelecer se há relação entre frequência de inundações e de doenças, se houve expansão urbana ao longo do tempo em áreas propensas a inundar e se há uma relação direta entre indicadores socioambientais e inundações, incluindo a análise de indicadores com os surtos epidemiológicos. Além da divulgação dos resultados científicos por meio da publicação de artigos científicos em revistas, os mesmos também serão disponibilizados em um banco de dados geográficos e em relatórios apresentados para a Secretaria de Saúde de Santa Catarina, embasando futuras ações de prevenção.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Fernandes Silva Andrade

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • modelagem computacional de sistemas físicos e biológicos
  • Este projeto visa apoiar as atividades de pesquisa e de formação de recursos humanos do proponente, de pesquisadores do Grupo de Física Estatística e Sistemas Complexos (FESC) do Instituto de Física da UFBa (IFUFBa), seus estudantes, e colaboradores da mesma e de outras instituições. São propostos diversos temas de trabalho ligados aos interesses e expertise da equipe proponente, versando sobre propriedades de sistemas físicos a serem explorados no âmbito da mecânica estatística e mecânica quântica, e sobre propriedades dinâmicas e estruturais de sistemas complexos. Neste caso, consideramos o desenvolvimento de modelos preditivos e a análise de dados ligados sistemas de origem epidemiológica, fisiológica, e biológica, quando utilizaremos o formalismo de redes complexas e a análise propriedades de séries de dados. Os recursos de capital solicitados no projeto destinam-se a ampliar e repor equipamentos de informática do grupo FESC, essenciais para a continuidade das atividades de pesquisa aqui desenvolvidas. Os recursos de custeio buscados destinam-se ao financiamento da participação de membros da equipe em eventos científicos no país, material de consumo em informática, pagamento de taxa de publicação de artigos, e bolsa de apoio técnico para permitir a manutenção adequada de diversos equipamentos de informática sob responsabilidade do FESC. O atual conjunto de equipamentos abrange 12 servidores para acesso remoto, 5 microcomputadores, e duas impressoras, adquiridos nos últimos anos com recursos de diversos projetos financiados pelas agências de fomento, inclusive pelo CNPq.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Giro Moori

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • impactos das tecnologias e capabilidades tecnológica no desempenho operacional em contexto de cadeias de suprimentos
  • A competitividade baseada nas tecnologias digitais tem demandado mudanças profundas nas formas de vendas, no tratamento dos dados e na capacidade de processamento, exigindo que as empresas deem respostas cada vez mais ágeis às mudanças de comportamento do cliente e do mercado. Nesse sentido, esse projeto tem como objetivo examinar o efeito mediador das tecnologias e capabilidades tecnológicas na relação entre orientação estratégica da cadeia de suprimentos e o desempenho da cadeia e o desempenho da empresa foco. A facilidade de interação entre os diversos agentes, gerada pelas tecnologias digitais, eleva a gestão da cadeia de suprimentos a um papel importante para a coexistência das orientações estratégicas, paradoxais, como manufatura enxuta e agilidade de suprimentos, designada como ‘agile supply chain’ por Naylor et al. (1999) e Christopher e Towil (2001). Não obstante, argumentam Clausing e Holmes (2010), a fabricação de produtos ao se utilizar de tecnologias sem uma completa avaliação podem resultar em desperdício de tempo, clientes insatisfeitos e perda de receita. O pressuposto básico é que dada a natureza dos relacionamentos entre as orientações estratégicas da cadeia de suprimentos, as tecnologias, as capabilidades tecnológicas e desempenho da cadeia tem emergido na literatura sob duas perspectivas conflitantes. De um lado, Qrunfleh e Tarafdar (2014) argumentam que nas gestões de cadeias de suprimentos enxutas e, nas ágeis, apresentam impactos diretos no desempenho da cadeia de empresas de manufatura e processos industriais. De outro, Okamura et al. (1993) e Hussain et al. (2015) argumentam que os impactos no desempenho são indiretos e acontecem por meio das tecnologias e das capabilidades tecnológicas. Portanto, este estudo leva a investigar a seguinte questão: as tecnologias e suas capabilidades tecnológicas medeiam a relação entre a orientação estratégica da gestão da cadeia de suprimentos e os desempenhos da cadeia e da empresa individual? Nesse contexto, a pesquisa será considerada de natureza interdisciplinar, assentada a uma base conceitual relacionada a gestão da cadeia de suprimentos, estratégias empresariais, logística, manufatura e de marketing. Por fim, a pesquisa contribuirá para o aprimoramento e capacitação dos recursos humanos, tecnológica e modernização gerencial por meio da divulgação de trabalhos em anais de congressos e de publicações em periódicos, de âmbito nacional e internacional.
  • Universidade Presbiteriana Mackenzie - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Giugliani

Ciências Biológicas

Genética
  • espectrometria de massas: uma ferramenta para identificação de novos biomarcadores para diagnóstico precoce e monitoramento terapêutico de pacientes com doenças lisossômicas
  • Biomarcadores são analitos que refletem alterações fisiológicas ou patológicas e podem ser utilizados para diagnóstico, prognóstico, e monitoramento de eficácia terapêutica. Tais marcadores podem ser utilizados para detecção de pacientes em estágios assintomáticos e desta forma auxiliar no diagnóstico precoce. As doenças lisossômicas de depósito são doenças raras multissistêmicas causadas por deficiência ou mau funcionamento de proteínas (geralmente enzimas) lisossomais, sendo na maioria dos casos diagnosticadas apenas quando os pacientes já apresentam manifestações irreversíveis. A espectrometria de massas é considerada padrão ouro para identificação e quantificação de biomoléculas e também de atividade enzimática, com altos níveis de sensibilidade e especificidade, e têm sido amplamente empregada para identificação de novos biomarcadores para doenças lisossômicas de depósito. O presente projeto visa identificar e quantificar diversos biomarcadores para diagnóstico, acompanhamento e monitoramento de doenças lisossômicas, com o objetivo de tornar mais eficiente a identificação dos pacientes e avaliar a eficácia dos tratamentos utilizados, contribuindo para melhorar o cuidado de pacientes com essas doenças raras bem como para otimizar o uso de terapias de alto custo dentro do sistema único de saúde (SUS). Cabe ressaltar que o grupo proponente já tem uma rede estabelecida de centros associados vinculados ao SUS que já utilizam os serviços que oferece (Rede MPS Brasil e Rede DLD Brasil), o que garante a ampla disponibilização das novas técnicas para os pacientes brasileiros que precisam se beneficiar dessas ferramentas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Giugliani

Ciências Biológicas

Genética
  • instituto nacional de ciência e tecnologia de genética médica populacional - inagemp
  • Podemos afirmar que as doenças genéticas raras vêm assumindo relevância crescente, que transcende sua baixa prevalência individual, a partir de duas constatações: 1) como incluem um número muito grande de condições (entre 6 a 8 mil doenças), acabam afetando uma parcela significativa da população, o que tem exigido uma atenção cada vez maior do governo, traduzida em políticas públicas adotadas ou por adotar; 2) como 80 % delas decorrem de uma falha no mecanismo genético que controla nosso desenvolvimento e/ou funcionamento, representam um oportunidade única para o entendimento dos mecanismos biológicos normais e, consequentemente, para o desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico e/ou tratamento (inclusive para doenças não raras), o que tem atraído a atenção de investigadores e de empresas. Onde as doenças genética raras podem ser melhor estudadas é nas populações isoladas, nas quais sua frequência relativa é maior do que na população em geral. O marco teórico e a metodologia de ação estabelecidos pelo INaGeMP, inovadores em termos globais, serviram de referência para o desenvolvimento de uma nova disciplina, a Genética Médica Populacional (GeMePo), situada na interface entre a Genética Médica, Populacional, Epidemiológica e Comunitária. Ao longo do período 2008-2014 o INaGeMP consolidou-se no cenário nacional e internacional através de ações de investigação de doenças genéticas raras em isolados populacionais em todas as regiões do Brasil. Além de trazer benefícios diretos às comunidades atingidas, essas ações contribuíram para a formação de recursos humanos em vários níveis, resultaram em inúmeras publicações, divulgaram a GeMePo para profissionais e estudantes da área da saúde, e atraíram o interesse de empresas, de organizações não-governamentais e do próprio governo, com repercussão importante na mídia, destacando-se uma recente reportagem no The Lancet (http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(14)61425-2/fulltext). Para atingir seus objetivos, o INaGeMP estruturou uma rede com pesquisadores de referência na área, com 14 instituições participantes, cobrindo todas as regiões do país. Isso inclui a instituição-sede (HCPA), 5 instituições associadas (UFRJ, FIOCRUZ, UFRGS, UFPA e CEMIC-Argentina), 18 laboratórios associados e investigadores parceiros em diversos países. As decisões estratégicas continuarão a ser tomadas pelo Comitê Gestor, formado pelo Coordenador, Vice e por 3 representantes de instituições associadas, o qual manterá no período 2015-2020 suas reuniões mensais presenciais, de fundamental importância para a supervisão de um projeto desta dimensão. O INaGeMP conta com uma sólida estrutura operacional, coordenada desde sua Instituição-Sede, onde tem uma área física própria com plenas condições de trabalho para o coordenador e sua equipe de funcionários da UFRGS e do HCPA integralmente dedicados ao INCT. Parte fundamental da sua estrutura do INaGeMP são os “serviços de apoio multiusuário” (core facilities). Quatro deles foram implementados no período 2008-2014 e serão consolidados e ampliados nesta nova etapa: Apoio Metodológico/Bioinformática, Detecção de Mutações em Larga Escala, Georeferenciamento e Genética Bioquímica/Citogenômica. Dois novos serão criados, incluindo o de Sequenciamento de Nova Geração e o BioBanco Brasil de Doenças Raras. Este conjunto de 6 serviços de apoio, cada um operando em uma das 6 instituições proponentes (sede + associadas), estará à disposição dos investigadores do INaGeMP de modo a atender do modo racional e custo-eficiente as necessidades dos projetos desenvolvidos nas comunidades. Ao longo da segunda metade do período 2008-2014, a metodologia “Rumor” utilizada pelo “Censo Nacional de Isolados (CeNIso)”, uma das principais iniciativas do INaGeMP, identificou suspeitas de doenças genéticas com prevalência supostamente aumentada em mais de 200 populações no país, suspeitas que serão validadas e investigadas ao longo do período 2015-2020. Com a finalidade de otimizar o beneficio para a área da saúde das inúmeras redes relacionadas com genética médica em operação no Brasil e em outros países sul-americanos, o INaGeMP se propõe ser o centro coordenador de uma “Rede de Redes”, utilizando sua experiência e seu conhecimento na área, e incorporando o importante programa ECLAMC a esta iniciativa, o que será também um instrumento de internacionalização do INCT. Um programa de formação e divulgação será desenvolvido em paralelo, tendo com um dos principais eixos cursos a distância e suporte remoto a agentes comunitários e teleconsultores sobre genética na saúde. Também desenvolveremos aplicativos para celular e tablets para facilitar o registro e documentação das condições genéticas investigadas em qualquer lugar do Brasil, e expandiremos o alcance do “Atlas” de defeitos congênitos para dar apoio online e multilingual aos investigadores. O trabalho desenvolvido vem despertando a atenção de empresas inovadoras cujo foco é o desenvolvimento de novas metodologias de diagnóstico e/ou tratamento para doenças raras, e muitas delas já declararam interesse em estabelecer parceria com o INaGeMP. Mas é para o governo que deverão ser transferidos muitos dos resultados do projeto, para apoiar a consolidação das políticas públicas importantes para a área (doenças raras, triagem neonatal, registro de malformações, entre outras). A expansão das atividades do INaGeMP para a América Latina e para a África foi contemplada no novo projeto, não só através do estudo de focos de doenças genéticas nessas regiões, mas também pelo projeto toolkit para avaliação de necessidades em saúde na área de defeitos congênitos. Concluindo, a CONSOLIDAÇÃO e AMPLIAÇÃO das ações do INaGeMP, a DIFUSÃO dos conhecimento na área, a INTERNACIONALIZAÇÃO da sua base territorial, a formação da REDES DE REDES, deverá produzir resultados a serem TRANSFERIDOS para a sociedade, incluindo as comunidades atingidas, empresas inovadoras e as diversas esferas do governo.
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 29/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Roberto Guedes Ferreira

Ciências Humanas

História
  • comparando escravidões, tráficos de cativos, batismos e compadrios (angola e américa portuguesa, século xviii)
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Imbuzeiro Moraes Felinto de Oliveira

Ciências Exatas e da Terra

Probabilidade e Estatística
  • estatística, processos estocásticos e estruturas discretas
  • Este projeto reúne pesquisadores interessados em aspectos estatísticos e probabilísticos de sistemas com muitas componentes em interação. Em muitos casos, a estrutura de interação é descrita por um grafo ou outro objeto discreto. Nestes casos, entender a relação entre este objeto e os dados observados é um problema fundamental. Nosso projeto tem três eixos. O principal é o de inferência e testes de hipóteses para modelos com estrutura combinatorial. O segundo é a análise de processos estocásticos com muitas compontentes em interação. O terceiro é abordar questões probabilísticas e estatísticas mais gerais, mas relevantes aos objetivos acima. Problemas a serem estudados incluem estimação do número de comunidades de modelos estocásticos de blocos; inferência de interações para processos de Hawkes multivariados; testes de hipóteses para processos pontuais; modelos de difusões interagentes; análise de campo médio do "deep learning"; e métodos de boostrap em dimensão alta.
  • Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Kant de Lima

Ciências Humanas

Antropologia
  • instituto de estudos comparados em administração institucional de conflitos
  • O presente projeto, apresentado no tema Segurança Pública, do Programa Institutos de Ciência e Tecnologia/CNPq, é resultado da articulação de uma rede nacional e internacional de instituições de ensino, pesquisa e extensão, reunidos há 06 anos no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia/ Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (INCT/InEAC), aprovado em abril de 2009. A presente proposta busca consolidar, inovar e ampliar a experiência anterior, com a incorporação de novos parceiros nacionais e internacionais e através de novas formas de atuação. Consolidar, porque o trabalho desenvolvido e bancado pela formação do INCT/InEAC tem permitido iniciar um programa de pesquisa, ensino e extensão através da interlocução, inédita no Brasil, entre as ciências sociais e as ciências sociais aplicadas, especialmente entre a Antropologia e o Direito, que tem resultado em ações inovadoras: de um lado, na formação de profissionais do Direito com experiência na formulação e realização de pesquisas empíricas (e não dogmáticas) e, de outro lado, no desenvolvimento de projetos que não tomam o Direito como um objeto exterior, mas como um parceiro na produção conjunta de conhecimento. A maior conquista inovadora desta estratégia, na prática, baseada na longa (desde 2000) experiência do grupo, parcialmente frustrada, de formar quadros da segurança pública em cursos de especialização, foi propiciar o acionamento desse denso patrimônio acadêmico, catapultado pela aprovação do InEAC, para vencer as ferozes resistências expressas em debate nacional no final de 2008, dentro e fora da Universidade, para a criação bem sucedida de dois cursos superiores, um de graduação presencial nível bacharelado em Segurança Pública e um de tecnólogo em Segurança Pública a distância, ambos na Faculdade de Direito/UFF, que então passou a ter três cursos e um Departamento de Segurança Pública, fato inédito no Brasil. Os resultados dessa conquista começam a ser percebidos não só na alta procura pelos cursos, mas também pelo ambiente de discussão criado por eles, onde se vinculam estudantes provenientes diretamente do ensino médio, profissionais da segurança pública, da defesa, do direito e de outras áreas. O diálogo nas salas de aula e outros espaços de socialização entre essas diversas perspectivas está possibilitando desconstruir os paradigmas dogmático e repressivo fortemente consolidados como doutrinas no campo da segurança pública no Brasil. Experiências de formação desse tipo precisam de um tempo de consolidação e fortalecimento institucional e subjetivo de todos os atores envolvidos, que será promovido pelas ações propostas pelo novo INCT. Isso, por um lado, porque foi demonstrado que o campo da segurança pública, no Brasil, carece de uma formação universitária institucional a partir do enfoque das Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas. Essa formação objetiva a reprodução de valores e experiências introduzidas nas sociedades ocidentais a partir dos movimentos de instauração dos Estados Democráticos de Direito e de seus principais efeitos no campo das relações entre o Estado e os cidadãos. Essa reprodução, nas instituições de segurança pública, só poderá se dar no longo prazo, como efeito da internalização de normas e valores diferenciados daqueles dominantes historicamente no Brasil. Esse novo INCT também inova o anterior porque o escopo da atuação do Instituto se expande para além da análise dos processos de administração institucional de conflitos, para as formas não institucionais e, especialmente, para os processos de demanda de direitos e por reconhecimento por parte de diversos atores. Essas duas vias incorporarão aqui novos campos e novas perspectivas teóricas e metodológicas. Assim, a inovação se dará no campo da pesquisa e de sua articulação com as ações propostas na área da transferência do conhecimento. No primeiro caso, trata-se de ações fortemente ancoradas nas tecnologias de formação, capacitação e interlocução com operadores dos sistemas de Segurança Pública, de Justiça e de outras burocracias estatais, gerando espaços de desconstrução e construção de matrizes e práticas institucionais e corporativas arraigadas nas formas de fazer o Estado no Brasil. No segundo caso, as ações serão inovadoras no sentido da construção de tecnologias sociais que promovam, não a aplicação unilateral do conhecimento, mas a construção conjunta de formas de intervenção na esfera e no espaço públicos que considerem os diferentes pontos de vista e reivindicações das pessoas envolvidas nos conflitos tratados pelas agências públicas. Por último, esse novo projeto amplia o anterior no sentido de incorporar não só novos campos empíricos de pesquisa e transferência do conhecimento no país, agregando maior consistência aos resultados obtidos, mas também de expandir a atuação internacional do Instituto. Nessa linha, as estratégias nesse campo serão tendentes à internacionalização de nossos pesquisadores e não só da produção por eles elaborada, como a publicação em revistas estrangeiras e participação em eventos acadêmicos internacionais. O foco da internacionalização do presente projeto é vencer os obstáculos impostos pela exclusão de nossa área do Programa Ciência Sem Fronteiras, para promover o intercâmbio institucional e fluido entre pesquisadores, estudantes e professores dos países envolvidos, com vistas à troca de experiências de pesquisa, de ambientes acadêmicos mas, principalmente, para criar oportunidades para realização de pesquisas de campo em outros países, com a finalidade de produzir resultados que possam ser contrastados àqueles aqui obtidos. Assim, destaca-se que esse projeto se funda em uma perspectiva comparada e multidisciplinar de análise, pioneira no Brasil em relação à interlocução entre o Direito e as Ciências Sociais, no entendimento da Segurança Pública como um campo de disputas e consensos que vai além da criminalidade e da intervenção repressiva.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Roberto Kant de Lima

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • feira de ciencias como espaço para explicitar e discutir processos de administração de conflitos em uma perspectiva multidiciplinar
  • A proposta deste projeto consiste na organização de feira científica, buscando trabalhar a educação científica a partir de temas relacionados aos processos de administração de conflitos em ambientes escolares. Através de estímulo à inovação e ao desenvolvimento tecnológicos, de maneira inclusiva, os alunos terão contato com diferentes áreas do conhecimento, e serão desafiados a pensar maneiras criativas para abordar os temas relacionados às suas vivências. A proposta é que os alunos possam utilizar as mídias como espaço de reflexão, produção e expressão de seus direitos.Este projeto buscará atuar em dez municípios do Estado do Rio de Janeiro: Angra dos Reis, Magé, Maricá, Niterói, Petrópolis, Queimados, Resende, Rio de Janeiro, São Gonçalo e Três Rios.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 07/01/2020-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Lent

Ciências da Saúde

Medicina
  • instituto nacional de neurociência translacional
  • O presente projeto visa a renovação do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Neurociência Translacional (INNT), financiado desde 2009 pelo CNPq em conjunto com a FAPESP, e que ora atualiza e reapresenta seu formato, composição, objetivos e metas. Os destaques da atuação do INNT nos últimos anos podem ser encontrados nos Relatórios apresentados ao CNPq no período. Além de volumosa produção científica ao longo do quinquênio que ora se encerra, trabalhos da equipe do INNT têm sido publicados nos mais prestigiosos periódicos internacionais, incluindo, dentre outros, Science, Nature Med., PNAS, J. Clin. Invest., Molec. Psychiat., Brain e J. Neurosci. Na presente proposta, o INNT propõe o rodízio de sua Coordenação, com a transferência da instituição-sede para o Rio de Janeiro, a renovação de seu Comitê Gestor, a agregação de novos Pesquisadores e laboratórios associados de diferentes Instituições e estados do país, e a atualização de seus projetos, linhas de pesquisa e objetivos estratégicos no que diz respeito às propostas científicas, formação de recursos humanos altamente qualificados, inovação e interações com a Sociedade. A concepção translacional de nossa proposta de trabalho tem um caráter bidirecional, isto é, move-se “da bancada à beira do leito” (pesquisa translacional direta), e no sentido inverso (pesquisa translacional reversa), em 4 eixos temáticos principais e complementares de pesquisa. Nesse sentido, abordamos tópicos básicos relacionados ao Desenvolvimento e à Plasticidade do Sistema Nervoso (subprojeto 1) e aos distúrbios do curso normal desses processos que, por sua vez, originam uma Neuropatologia Celular e Molecular (subprojeto 2), possibilitando, assim, a investigação das Bases para a Compreensão das Doenças Neuropsiquiátricas (subprojeto 3) e, consequentemente, abrindo caminho para a elaboração de Novas Propostas para a Clínica de Doenças Neuropsiquiátricas (subprojeto 4). O INNT se organiza como uma matriz de 24 laboratórios associados, todos chefiados por Pesquisadores do CNPq (7 pesquisadores nível 1A, 9 nos níveis 1B-D e 7 pesquisadores nível 2A), envolvidos em projetos em colaboração desde o período anterior de financiamento do INNT e, em vários casos, antes disso. Esses laboratórios estão situados em 11 Universidades e 2 Institutos de pesquisa médica, em 6 estados do país e 10 cidades. O Comitê Gestor é composto por 10 pesquisadores de nível 1 do CNPq, sendo Coordenador o Prof. Roberto Lent, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Vice-Coordenador o Prof. Sergio T. Ferreira, do Instituto de Bioquímica Médica da mesma universidade. Durante o período anterior, a integração foi propiciada por reuniões presenciais anuais no Rio de Janeiro, com a presença de todos os líderes de grupo e também de pesquisadores, posdocs e estudantes de cada grupo. No próximo período, manteremos a periodicidade anual das reuniões presenciais, ao mesmo tempo em que incrementaremos a interação através da mobilidade dos alunos de pós-graduação através do Programa de Pós-Graduação em Neurociência Translacional (PGNET, subprojeto 5), um curso multi-institucional já aprovado pela CAPES. O PGNET configura-se como uma proposição original para os INCTs e, além de possibilitar a maior interatividade entre os grupos através da co-orientação dos alunos por pesquisadores de diferentes Instituições, propiciará uma forte e institucionalizada atividade formadora de recursos humanos, por parte do INNT. Suas atividades poderão se iniciar imediatamente, com a aprovação da renovação do INNT, tendo em vista que já foi aprovada pela CAPES. Finalmente, o INNT organizará a intensa atividade de divulgação científica já desenvolvida por alguns de seus pesquisadores e estimulará o engajamento de novos pesquisadores nessas iniciativas, na forma de um programa de popularização da Neurociência (PopNeuro, subprojeto 6). O Subprojeto 1 versa sobre Desenvolvimento e Plasticidade do Sistema Nervoso, e tem como objetivo obter conhecimento básico acerca dos determinantes moleculares e celulares da formação embrionária e pós-natal do Sistema Nervoso, de sua capacidade de interagir com o meio ambiente (neuroplasticidade), e de distúrbios no desenvolvimento e ou plasticidade do SN, elementos essenciais para bem embasar o estudo das doenças neurológicas/neuropsiquiátricas e seu enfrentamento. O Subprojeto 2 aborda a Neuropatologia Celular e Molecular. Neste segundo conjunto de linhas de pesquisa, o INNT enfrenta mais diretamente as bases neuropatológicas celulares e moleculares das doenças neuropsiquiátricas, incluindo o câncer do sistema nervoso. Essa abordagem é necessária para um conhecimento mais completo da gênese dessas doenças, de modo a embasar as alternativas terapêuticas que se coloquem. O Subprojeto 3 visa o estudo das Bases para a Compreensão das Doenças Neuropsiquiátricas, avançando mais diretamente a uma abordagem de doenças crônicas de grande prevalência no Brasil e no mundo. Nesse subprojeto, o INNT pretende enfrentar os mecanismos da doença de Alzheimer, notadamente quanto à sua associação à inibição da sinalização neuronal por insulina, patologia relacionada ao diabetes e à obesidade mórbida. A doença de Parkinson será também estudada, em sua forma comórbida com depressão, e finalmente, a epilepsia do lobo temporal mesial, visando a identificar seus determinantes etiopatogênicos. O subprojeto 4 (Novas Propostas para a Clínica de Doenças Neuropsiquiátricas), aproxima-se do diagnóstico e das terapias, seja prospectando drogas com possibilidades terapêuticas para as epilepsias, alternativas para a compreensão e o tratamento de transtornos psiquiátricos complexos como a esquizofrenia, com base na reprogramação de células-tronco de pluripotência induzida, as bases neurais da emocionalidade e comportamento social humano, com implicações para o entendimento das sociopatias e, por fim, o desenvolvimento de biomarcadores para o diagnóstico precoce de demências.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Roberto Lima Ruas

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • estratégias de absorção de conhecimento em mpe’s de base tecnológica
  • No atual ambiente empresarial, inovação tem sido a aspiração principal das organizações de todos os tamanhos e segmentos. Embora o caminho das inovações seja árduo, alternativas parecem ganhar espaço. Uma delas é a capacidade de absorção (CA) de conhecimento externo, compreendendo processos de aquisição internalização e aplicação e potencializando geração de inovação. Entretanto, é possível transpor as configurações acerca da dinâmica da CA, concebidas em geral em ambientes de grandes empresas e em economias mais dinâmicas e desenvolvidas, para outros contextos, como os de MPEs atuando em economias emergentes? Esta pesquisa pretende contribuir para o desenvolvimento de alternativas acerca do emprego da configuração da CA em outros contextos, por meio de uma pesquisa quali-quanti junto a MPEs de base tecnológica atuando nos estados do RS e SC. Consideramos que seus resultados contribuirão para a formulação de estratégias de absorção de conhecimento voltadas à inovação, em MPEs brasileiras.
  • Universidade Nove de Julho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Linares

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo experimental de reações nucleares diretas: espalhamento elástico e transferência de nêutrons e prótons
  • Reações nucleares são uma ferramenta poderosa para acessar informações microscópicas sobre a estrutura nuclear e processos com potenciais resultados para física além do modelo padrão. Atualmente, um dos tópicos mais interessantes é a natureza intrínseca dos neutrinos. Os investimentos tecnológicos para a observação e determinação da meia-vida do decaimento 0νββ são significativos e a variabilidade dos resultados para os elementos de matriz nuclear demandam por uma abordagem experimental. Neste cenário, a reação nuclear de dupla troca de carga (sigla do inglês, DCE) é um processo promissor para acessar os elementos da matriz nuclear que entram na expressão do tempo de vida médio do duplo decaimento beta. Por exemplo, a reação DCE 20Ne + 76Ge → 20O + 76Se envolve o mesmo núcleo do decaimento 0νββ (76Se). No entanto, para extrair valores consistentes para os elementos de matriz nuclear através de reações DCE, é necessário avaliar também outras reações nucleares que competem com a DCE. Por exemplo, transferências sucessivas de 2 nêutrons (20Ne + 76Ge → 22Ne + 74Ge) e 2 prótons (22Ne + 74Ge → 20O + 76Se) também resultam nos mesmo núcleos finais. A compreensão dos mecanismos de transferência de nêutrons e prótons é fundamental para avaliar a interferências destes na reação principal de DCE. Além disso, reações de transferência são ferramentas muito sensíveis para investigar a relação entre os estados nucleares inicial e final de dois núcleos vizinhos. Neste projeto estou focando o estudo das reações de transferência em diferentes sistemas nucleares e em uma montagem experimental para detecção de partículas utilizando a eletrônica de digitalização de pulso.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Mendonca Faria

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • instituto nacional de ciência e tecnologia em eletrônica orgânica - ineo
  • O projeto do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Eletrônica Orgânica (INEO) propõe formar uma rede que reúne pesquisadores com o objetivo de desenvolver ciência e tecnologia em Eletrônica Orgânica e em sistemas relacionados. O INEO proposto compreende mais de 40 grupos de pesquisa em diferentes áreas da física, química e engenharia, resultando em uma rede capaz de enfrentar os desafios multidisciplinares da área de Eletrônica Orgânica e sistemas híbridos orgânicos-inorgânicos. Os principais objetivos do INEO estão listados abaixo neste formulário. Na pesquisa, a proposta divide-se em dois Ramos. O Ramo A é composto por projetos que envolvem materiais sintéticos orgânicos e filmes finos nanoestruturados. Os projetos relacionados visam estudos estruturais e morfológicos de filmes finos, estudos de fenômenos de transporte elétrico e de interfaces, propriedades ópticas dos materiais semicondutores orgânicos e híbridos, fabricação e caracterização de dispositivos eletrônicos e optoeletrônicos, bem como de tecnologias de eletrônica impressa. O Ramo B trata de propriedades físico-químicas de moléculas biologicamente relevantes e o impacto sobre suas ações fisiológicas. O conhecimento básico do comportamento dos sistemas biomoleculares impulsionam o desenvolvimento de biossensores, dispositivos bioeletrônicos, sistemas de distribuição e controle de drogas e aplicações em engenharia de tecidos. O Ramo C descreve as atividades de disseminação de conhecimento propostas dentro do INEO, as quais serão executadas por três subprojetos principais: (i) "CiênciaWeb", (ii) Viajando com o ônibus do conhecimento, e (iii) Programa Futuro Cientista. Finalmente, as atividades do Ramo D descrevem propostas em colaboração com empresas e setores públicos, o apoio dado pela Universidade e suas agências de inovação e projetos relacionados à prospecção de oportunidades de aplicações industriais. Vide projeto anexo.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Roberto Nardi

Ciências Humanas

Educação
  • interfaces entre a produção acadêmica em ensino de ciências e os saberes e práticas docentes em diferentes níveis de ensino e espaços educativos: aspectos relativos ao aperfeiçoamento de condições, propostas e estratégias para a formação de professores
  • Esta proposta é apresentada pelo Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências (GPEC), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Bauru, São Paulo, Brasil. O GPEC foi constituído em 1994 e tem em seus quadros pesquisadores responsáveis pela criação do Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência, completando em 2018 seus 21 anos, com cerca de 300 mestres e 200 doutores formados, atuando no Brasil e em outros países. A revista Ciência & Educação, criada em 1995 pelo Grupo, tem hoje impacto no país e exterior, Os grupos escolhidos como parceiros neste projeto são aqueles com os quais o GPEC já mantém cooperação em vários níveis e, portanto, compartilham de referenciais teóricos, metodológicos e objetos e objetivos de pesquisa comuns. Por exemplo, todos eles são voltados, de uma forma ou outra, para a formação inicial ou continuada do ensino fundamental, médio e/ou superior, da área de ciências exatas e naturais (Ciências, Física, Química, Biologia, Matemática, Astronomia). Essas parcerias com universidades nacionais e estrangeiras têm sido realizadas nas duas últimas décadas e este espírito acadêmico reflete-se neste projeto atual, através do fortalecimento de ações, agora visando a internacionalização das experiências entre os grupos tradicionais no país (Unesp, Unicamp) ou no exterior (U. Roma, U. Aveiro, U. Lisboa. U. Valle, UDFJC, U. London). A integração também com grupos emergentes (UESB e UFS) é importante, tendo em vista que vários dos docentes dessas universidades são doutores oriundos do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência da Unesp, que já se estabeleceram em outros estados do país e já estão produzindo pesquisa com a criação de novos programas de pós-graduação na área, em nível de mestrado e doutorado. Esta pesquisa dá continuidade a projetos anteriores; um deles, intitulado “O diálogo entre a produção acadêmica em Ensino de Ciências e os saberes e práticas docentes em diferentes níveis de ensino e espaços educativos”, financiado pelo CNPq (14/2013). Os esforços empreendidos ao longo desse percurso propiciaram, com base nos dados e análises realizadas, não apenas o delineamento de diversos aspectos da questão investigada, como também um panorama de pontos cruciais que podem ser objeto de ações visando à melhoria dos processos formativos de professores. Na etapa atual, pretende-se dar continuidade a essa linha de investigação, mantendo-se o olhar sobre a relação teoria-prática, mas priorizando o estudo de condições, propostas e estratégias para o aperfeiçoamento de processos de formação inicial, continuada e em serviço. A ideia central desta proposta é buscar estabelecer, ou apontar, as possíveis interfaces entre a produção acadêmica em Ensino de Ciências e os saberes e práticas docentes em diferentes níveis de ensino e espaços educativos. Visa agregar maior qualidade nas pesquisas desenvolvidas e nos produtos educativos advindos a partir das mesmas, bem como envolver maior número de professores e estudantes da Educação Básica no processo de concepção e produção dos recursos científicos, tecnológicos e sociais pretendidos e na sua integração nas escolas. A cooperação com outros grupos de pesquisa que também já têm competência e produção acumulada na área, deverá gerar propostas e produtos que poderão ser compartilhados e implementados nos diversos países que colaboram neste projeto. Assim, pretende responder o seguinte problema geral de investigação: Quais relações vêm sendo construídas na tripla intersecção entre a produção acadêmica na área da Educação em Ciências, os saberes docentes e o ensino escolar nos diferentes níveis e espaços educativos e como a consideração deste cenário possibilita o aperfeiçoamento de condições, propostas e estratégias voltadas à formação para o trabalho docente com conteúdos de ciências naturais e matemática?
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Paes de Carvalho

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • neurotransmissores e vias de sinalização na retina em desenvolvimento
  • Este projeto visa estudar aspectos neuroquímicos do desenvolvimento do sistema nervoso central com destaque para a regulação de receptores e vias de transdução de sinal ativadas por glutamato, dopamina ou adenosina e nas suas interações recíprocas com a vitamina C. Retinas intactas de embriões de galinha em diversos estágios do desenvolvimento embrionário, culturas purificadas de neurônios ou células gliais e também culturas mistas de retina, contendo neurônios e células gliais, serão utilizadas para estudar os seguintes aspectos principais: 1) Modulação da Erk e da CREB por dopamina e adenosina; 2) Modulação da expressão de receptores NMDA por adenosina; 3) Modulação da AKT por NMDA e cálcio em culturas de retina; 4) Ativação de receptores NMDA por vitamina C; 5) Liberação de vitamina C em culturas de retina; 6) Vitamina C e a inibição da captação de glutamato; e 7) Modulação da sobrevivência e morte neuronal por vitamina C. Os resultados poderão trazer subsídios importantes para o estudo de doenças neurodegenerativas que envolvem alterações no desenvolvimento de funções glutamatérgicas, dopaminérgicas e purinérgicas e na neuromodulação por vitamina C.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Rafael Dias da Silva

Ciências Humanas

Educação
  • estetização pedagógica, aprendizagens ativas e práticas curriculares: um estudo acerca da individualização dos percursos formativos no ensino médio
  • O presente projeto de pesquisa objetiva estabelecer um mapeamento dos modos de constituição das práticas curriculares mobilizadas no Ensino Médio, ao longo da última década, procurando dimensioná-las em um contexto de intensificação das formas de estetização pedagógica e das aprendizagens ativas nas pedagogias contemporâneas. Em uma breve incursão pelos discursos pedagógicos promovidos na Contemporaneidade, tornou-se recorrente depararmo-nos com referências a importância de metodologias ativas, centradas na atividade dos estudantes e no desenvolvimento da interatividade como estratégia privilegiada. Essa caracterização, promovida intensamente desde a segunda metade do século XX, materializa-se na ênfase em práticas curriculares diferenciadas aos perfis dos estudantes, às demandas da sociedade e da economia de nosso tempo e à capacidade pedagógica para a promoção de inovação. Neste projeto investigativo será problematizada uma das nuances específicas desse processo, que se refere aos processos de seleção e organização do conhecimento escolar, aos modelos de organização das aulas e à distribuição dos tempos e dos espaços. Serão examinados, em uma primeira etapa, relatos de experiência de práticas curriculares que se autonomeiam como inovadoras e interativas, publicados em variados periódicos brasileiros nas áreas da Educação e do Ensino. Posteriormente, na segunda etapa, serão realizadas observações e entrevistas episódicas com professores que atuam no Ensino Médio nos municípios gaúchos de Porto Alegre, Caxias do Sul, Pelotas e Passo Fundo. A hipótese analítica que mobiliza o estudo sugere que, atualmente, novas tecnologias pedagógicas são colocadas em cena, articulando produtivamente as noções de estetização pedagógica, aprendizagens ativas e práticas curriculares no Ensino Médio.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roberto Ricardo Panepucci

Outra

Microeletrônica
  • desenvolvimento de filtros ópticos sintonizáveis baseados em silício com alto desempenho e energeticamente eficientes
  • Os filtros ópticos com resposta sintonizável são dispositivos de interesse comum para o Brasil, Índia e China, e importantes no futuro para desenvolvimentos conjuntos ou estabelecer produtos a serem produzidos em países parceiros. A fotônica em silício fornece uma plataforma muito atraente devido à compatibilidade de CMOS, de baixo custo e alta densidade de integração, podendo atingir desempenho comparável aos dispositivos ópticos bulk. Neste projeto será desenvolvido conjunto de filtros ópticos sintonizáveis baseados em ressoadores em silício com alto desempenho (rápida sintonia e tracking, características comparáveis a filtro ópticos bulk com extrema redução física, elevado contraste por canal,...), com polarização controlada e energeticamente eficientes (baixo consumo para reconfiguração, poucos fJ/bit,..), para aplicações em interconexões ópticas on-chip de alta capacidade, com inteligência e eficiência energética. A equipe do Brasil (CTI em conjunto com o ITA) conduzirá este trabalho de pesquisa e as equipes da China (Zhejiang University e South China Normal University) e da Índia (Indian Institute of Technology Roorkee) estarão apoiando as atividades. A forte interação entre os parceiros promoverá a cooperação científica e tecnológica entre o Brasil e os demais países integrantes do BRICS.
  • Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer - SP - Brasil
  • 08/08/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Roberto Ricardo Panepucci

Outra

Microeletrônica
  • desenvolvimento de dispositivos fotônicos integrados em silício no brasil
  • Este projeto visa o desenvolvimento de tecnologia no país para fabricação de dispositivos fotônicos em silício, empregando conhecimentos, equipes e facilidades das instituições CTI e CEITEC em tecnologia CMOS. Será desenvolvido um PDK (Photonic Design Kit) na tecnologia thick SOI (silicon-on insulator) de baixo contraste, permitindo estruturas de unidades de micra e produzindo resultados com boa reprodutibilidade. Esta proposta foi motivada por 2 fatores importantes: 1) baseia-se na experiência do Proponente desde 2010 no CTI, desenvolvendo de CI’s fotônicos no modelo “fabless” empregando “foundries” no exterior. Embora com resultados bastante positivos, algumas restrições impulsionaram a buscar alternativas para agilizar e viabilizar dispositivos fotônicos, empregando prototipagem no país. O uso de “foundries” no exterior, mesmo em programas multi-usuários, tem impactos em custo (poucos unidades de “dies” por alguns milhares de Euros ou Dólares) e em tempo, uma vez que o “turnaround” chega a atingir de 6 a 8 meses, tornando o ciclo de projeto muito longo, 2) resultados de sucesso do Convênio com a CEITEC S.A. através do CTI Renato Archer, para a promoção do Projeto Multi-Usuário Brasileiro em microeletrônica, propondo-se estabelecer uma tecnologia fotônica de forma a promover o mesmo mecanismo no caso dos optoeletrônicos, a comunidade técnico-cientifica e industrial. Os resultados do projeto gerarão um PDK e um bloco funcional, que será prototipado validando a tecnologia desenvolvida, podendo também ser empregado em uma prova de conceito (PoC).
  • Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022