Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandre da Silva Simões

Ciências Humanas

Filosofia
  • mostra nacional de robótica (mnr)
  • A robótica tornou-se nos últimos anos uma importante ferramenta pedagógica interdisciplinar. Sua enorme capacidade de estimular o jovem – naturalmente próximo das novas tecnologias – aliada a sua capacidade de adaptação a diferentes disciplinas dos ciclos fundamental, médio e técnico levaram à proposição nos últimos anos de grande número de trabalhos multidisciplinares em áreas como: matemática, ciências, geografia, artes, línguas, literatura e dança, dentre outras, levando a robótica a se destacar como importante plataforma para a construção do conhecimento por parte do aluno, estimulando novas relações de ensino-aprendizagem e proporcionando aos jovens a oportunidade de experimentar a engenharia e a inovação. A Mostra Nacional de Robótica (MNR), que comemora seus 10 anos de existência, tornou-se o mais importante fórum no país para a apresentação, discussão e divulgação desses trabalhos. O crescimento dessas atividades levou o grupo de pesquisadores responsável pela MNR, OBR, CBR e outros eventos a constituir formalmente no último ano uma entidade sem fins lucrativos, a RoboCup Brasil, que passa a ter a missão de gerir, de forma coordenada e otimizada, esses eventos. Antes dos sucessivos cortes de recursos, a MNR 2017 registrou o recorde anual de 366 trabalhos, com participação de 2.042 pessoas de 390 instituições, de 24 estados no país. A ausência de apoio financeiro no edital 2017 (retomada em 2018) trouxe consequências expressivas para a MNR, que ainda assim vinha mantendo sua média anual de trabalhos. No ano de 2020, contudo, com a interrupção das atividades presenciais nas escolas de todo o país em função da pandemia, a MNR sofreu novo impacto. Foram submetidos à MNR 2020 205 trabalhos por cerca de 500 participantes, e o evento foi realizado no formato virtual. Para 2021, ao mesmo tempo em que paira uma grande insegurança em todo o país no que diz respeito à capacidade de retorno às atividades presenciais, os eventos buscam também novas estratégias para se reinventar, incorporando novos elementos tecnológicos que permitam nova oxigenação em suas atividades. Para 2021, a MNR se propõe a realizar além de sua fase final presencial, mostras regionais virtuais em todo o país, bem como atuar na formação complementar de docentes, vinculada, é claro, à existência de recursos financeiros para tal.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2021-28/02/2023
Foto de perfil

Alexandre de Barros Falcão Ferraz

Ciências da Saúde

Farmácia
  • estudo do extrato bruto, frações e cumarato de 6-epi-ß-verbesinol isolado das folhas de calea phyllolepis frente a células tumorais, bactérias resistentes, arbovírus e modelos de toxicidade
  • Inúmeros são os casos de morte por câncer e doenças microbianas envolvendo bactérias resistentes e arbovírus (zika, chikungunya, dengue, mayaro e febre amarela, etc). A busca na biodiversidade vegetal de alternativas para combater seus distúrbios e doenças é uma estratégia de sobrevivência que acompanha o ser humano desde antes de desenvolver suas capacidades de raciocínio. Com o passar dos anos vemos que esse instinto humano estava correto e continua a ser empregado, seja na forma de preparações caseiras ou através da descoberta de fitoterápicos e fármacos de origem vegetal para auxiliar no tratamento das mais diversas doenças. Particularmente, frente ao câncer a plantas tem sido fundamentais trazendo para a clínica médica importantes substâncias antitumorais como vincristina, topotecan, etoposídeo e paclitaxel. Relatos da literatura mostram que plantas do gênero Calea contém várias classes de compostos fitoquímicos com elevada capacidade bioativa que estão respaldadas por estudos científicos que tem detectado relevantes propriedades biológicas (citotóxica, antifúngica, antiviral, antiparasitária e antimicrobiana). Aliada a estas informações Calea phyllolepis é uma espécie nativa com poucos estudos científicos, dessa maneira este projeto visa investigar a constituição fitoquímica através de screening fitoquímico, doseamentos e análise por cromatografia liquida de alta eficiência, além de ressonância magnética nuclear de hidrogênio e carbono para os produtos isolados. Biologicamente, o extrato bruto e frações e cumarato de 6-epi-ß-verbesinol isolado das folhas de C. phyllolepis, serão avaliados através de ensaios in vitro que irão avaliar ação antiproliferativa contra células tumorais e de fibroblasto, atividade antimicrobiana frente a bactérias atenuadas e resistentes além dos vírus da zika, mayaro febre amarela e modelos de toxicidade (Caenorhabditis elegans e Salmonella typhimurium)
  • Universidade Luterana do Brasil - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Alexandre de Magalhaes Vieira Machado

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • vírus influenza recombinantes defectivos para a multiplicação carreando a sequência da interleucina 7 ou interleucina 15 murinas como ferramentas para o desenvolvimento de vacinas de nova geração
  • A infecção pelo vírus influenza A é responsável pela morte de mais de 100 mil pessoas anualmente, sobretudo crianças e idosos. Além disso, as pandemias esporádicas de influenza podem resultar na morte de milhões de pessoas, sendo a vacinação a principal estratégia capaz de reduzir a mortalidade, a morbidade e o impacto econômico resultante das epidemias e pandemias de influenza. Entretanto, a alta taxa de mutação viral, o declínio dos títulos de anticorpos neutralizantes (levando à necessidade da vacinação anual e na substituição dos isolados usados na formulação das vacinas), além da ineficácia na indução da resposta imune contra outros subtipos de vírus influenza, ainda são desafios importantes na vacinação contra esse vírus, justificando os esforços na busca de alternativas para a indução de resposta imune de longa duração e capaz de proteger contra diferentes isolados de vírus influenza. Estudos em modelo murino demostraram que as interleucinas 7 (IL-7) e 15 (IL-15) exercem importante função na regulação do desenvolvimento e manutenção de linfócitos T de memória, especialmente linfócitos T CD8+. A IL-7 promove a sobrevivência e diferenciação dos linfócitos TCD8+ de memória. A IL-15 está relacionada à proliferação homeostática destas células. Além disso, a IL-15 também pode atuar na atração das células T CD8+ efetoras para o sítio de infecção, no aumento do pool de células T de memória e na indução da imunidade heterosubtípica. Desta forma, este projeto propõe a utilização de vírus influenza recombinantes defectivos para a multiplicação, carreando o gene da IL7 ou IL15, como vacinas capazes de induzir resposta imune heterosubtípica de longa duração contra vírus influenza. A partir desse estudo esperamos estabelecer a prova de conceito para o desenvolvimento de vacinas seguras e eficazes capazes de conferir melhor resposta imunológica e compreender melhor o papel da IL7 e da IL15 na indução da resposta imune durante a infecção pelo vírus influenza.
  • Fundação Oswaldo Cruz - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre de Pádua Carrieri

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • identidades e práticas estratégicas cotidianas dos negócios relativos à saúde no contexto da bioeconomia
  • No processo passado, Universal/2014 estivemos estudando a cadeia da morte, pensávamos estudar somente Belo Horizonte, mas o projeto expandiu para o Brasil, ou pelo menos regiões sudeste e sul. Um tema que nós tangenciamos foi a bioeconomia (Foucault, 2008a; 2008b; 2012; 2014a; 20014b, Waldby 2000 e 2002, CE 2005, Birch 2007, HILGARTNER 2007, Birch e Tyfield 2013). Neste sentido, objeto deste projeto universal e leva em conta negócios que transformam a saúde em bens comercializados no mercado em alguns espaços de atuação diversa e espalhados pelo país. Em sua maioria realizam procedimentos médicos, com tecnologias variadas e diferentes objetivos (cuidados paliativos, intervenções cirúrgicas, etc.), e no caso específico dos laboratórios, exames patológicos (BERLITZ, 2011) em pacientes encaminhados por médicos da rede pública e privada de saúde. Buscaremos com este projeto compreender como esta rede/malha de negócios atual, suas caraterísticas organizacionais, formas estruturais e organizativas (familiar ou não), agentes financiadores (pacientes, empresas privadas, profissionais do SUS, vigilância sanitária, municipalidades, etc.). Com a proposição deste projeto tentaremos elucidar mais profundamente esta teia de negócios. Assim, o objetivo deste projeto universal , além de impulsionar o NEOS para a internacionalização em pesquisa, é estudar as identidades e práticas estratégicas cotidianas dos negócios relativos à saúde no contexto da bioeconomia, tendo como base para a investigação empírica as cidades de Belo Horizonte, São Paulo, Itajaí, Joinvile e Blumenau. No caso especial de Belo Horizonte, buscaremos construir, o que denominamos, de rede/malha bioeconômica que aos poucos está sendo remontada nesta cidade com laboratórios, clínicas de análise, farmácias de manipulação, de microbiologia, de anatomia patológica, hospitais e clínicas de saúde. Essa pesquisa concentra-se na gestão das equipes no universo dos equipamentos de saúde. Por conseguinte, identificaremos os atores e o conjunto de práticas, saberes e relações sociais conformadores do mundo profissional deles. Os temas que propomos fazem parte de processos em constante construção, como o caso da identidade, que de acordo com Woodward (2014), está em contínua transformação, em contínuo processo de construção e desconstrução, nunca tem um fim. O tema das práticas estratégicas é um tema importante também, no caso deste projeto, está ligado as estratégias de sobrevivência dos atores sociais envolvidos diretamente ao tema estudado, ao (bio)negócio. O assunto da vitalidade traz conjuntamente profissões (e negócios) que não são bem reconhecidos pela sociedade. Profissões como a de biólogo, bioquímico, técnico, médico patologista clínico, médico hematologista, entre outras, que não foram estudadas pelos EORs e nem pela Administração, cujos sujeitos envolvidos desenvolvem práticas de reconhecimento que podem ser oportunizadas por esta pesquisa aqui proposta.No intuito de entender essas práticas a partir de sua complexidade, lógica e simbólica, no que compete ao mundo dos negócios evolvendo os equipamentos de saúde, optamos por considerar o bionegócio, sob um olhar atento à articulação prática e política, em que tudo o que é ou foi produzido está relacionado ao corpo biológico, na forma de recursos (corporificados) que permitem a apropriação de ideais e tecnologias. A exemplo, a ocorrência de uma mercantilização da vida organizada dos homens em relação aos próprios homens, incluindo aqui a mercantilização do final da vida (que foi melhor estudado no negócio funerário).Esta pesquisa é provocada devido às várias vozes – atores de diferentes áreas de informação e níveis hierárquicos – envolvidas nos processos cotidianos de criação, manutenção e desenvolvimento da indústria de saúde. Muitas dessas vozes não são escutadas quando se trata de sua vida organizada constituindo uma alteridade. É procurando entender a interação desses agentes com sua vida organizada, como em dialogismo – e permeadas por polifonias – é que se constitui este projeto. Assim, é justamente no sentido de explorar esses temas, e mais especificamente a relação entre eles, que se insere esta proposta de pesquisa, cujo eixo central de raciocínio é norteado pela seguinte questão: como os atores sociais que interagem cotidianamente com a vitalidade e a morbidade constroem suas narrativas de identidades com base nas estratégias de sobrevivência dos negócios comercializam a saúde enquanto mercadoria? O que se pretende é, a partir do entendimento da vida organizada como um conjunto de narrativas, compreender a(s) lógica(s) (quando há) subjacentes as construções discursivas e a forma como elas se manifestam objetivamente ou contribuem para a conformação objetiva de uma determinada realidade sóciohistórico-cultural. Nesse sentido, o que se faz necessário é o modo de apreensão e interpretação dos discursos, no intuito de se descobrir e compreender o que está por detrás dos mesmos. Ao se concordar sobre esse potencial das narrativas, resta enfrentar o desafio de coletá-las para que se possa fazer uma análise dos discursos que as permeiam. Nesse sentido, neste estudo, serão usadas entrevistas semi-estruturadas, para a coleta de informações com base somente em um roteiro de apoio, de forma a possibilitar maior flexibilidade no tratamento das questões e dos próprios entrevistados. Segundo Thiollent (2013), as entrevistas semi-estruturadas são estratégias capazes de introduzir o pesquisador no universo cultural dos indivíduos. Deve-se também destacar que serão coletados documentos relativos às histórias das empresas mortuárias além da realização de observações assistemáticas no cotidiano das organizações investigadas. Para viabilizar essas análises utilizar-se-á o método do estudo multi-casos, para se poder montar a “nova” rede/cadeia do mercado laboratorial em Belo Horizonte (como exemplo empírico) e nas outras cidades estudadas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022