Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adriano Mesquita Oliveira

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • vii jornada de ensino, pesquisa e extensão
  • A VII JEPE (Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão) do Ifes – campus Guarapari é um evento anual de apresentação dos trabalhos científicos/acadêmicos, desenvolvidos pelos discentes, para a comunidade externa, fomentando, dessa forma, o compartilhamento de experiências e conhecimentos. Assim, essa proposta incentiva a confecção de projetos inovadores e sustentáveis, sustentados na tríade Ensino, Pesquisa e Extensão, em que tanto a elaboração quanto a confecção dos trabalhos é realizado por alunos dos cursos ofertados pelo Ifes/Guarapari ou na rede pública de ensino, o que per permitirá o exercício do protagonismo estudantil. Duas consequências que se destacam dentro desta ação são: a popularização da Ciência e Tecnologia no município de Guarapari e a interiorização da pesquisa, uma vez que pesquisadores com destaque na comunidade científica serão trazidos ao Campus para ministrar seminários para o público da JEPE, sobre temáticas atuais importantes no aperfeiçoamento da formação discente. Por fim, esperamos divulgar o Ifes/Guarapari como uma referência local onde a comunidade em geral possa usar seus serviços e a tecnologia produzida por esta instituição.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 29/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Adriano Michael Bernardin

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • avaliação da resistência mecânica de placas cerâmicas por determinação da resistência ao impacto por acelerometria
  • A avaliação da resistência ao impacto de placas cerâmicas é um requisito técnico importante para revestimentos cerâmicos. No entanto, o interesse científico limita-se a primeiros estudos sobre um método padronizado para sua medição, via coeficiente de restituição, pela norma ABNT 13818, descontinuada, e substituída pela recente ABNT ISO 10545. Esta proposta visa avaliar a qualidade mecânica de placas cerâmicas com base na observação da natureza de propagação da onda de impacto e, por conseguinte, a determinação do coeficiente de amortecimento do material, em substituição ao coeficiente de restituição. O coeficiente de amortecimento é uma abordagem diferente se comparada com o de restituição. Com o coeficiente de amortecimento é possível estimar a capacidade do material em absorver a energia proveniente não somente do impacto, mas também das vibrações contínuas promovidas pelo transporte rodoviário das peças cerâmicas. A importância do estudo da presente proposta é o de mitigar as recorrentes quebras de revestimentos cerâmicos no momento do transporte, bem como na vida útil, quando já aplicados em residências e edificações. Com base em estudos experimentais prévios realizados pela equipe do projeto percebeu-se que há uma correlação entre o fator de amortecimento e a quebra das placas cerâmicas. O método experimental proposto faz uso de acelerômetros adequados para a análise de impacto em corpos rígidos. Com um sistema de acelerômetros é possível observar a forma da onda produzida pelo impacto que propaga pela placa, determinando assim o seu coeficiente de amortecimento. Serão realizados impactos com diferentes energias até a quebra das placas. Desta forma, será possível correlacionar estatisticamente a quebra da placa com o coeficiente de amortecimento. A propagação das ondas sobre o material será também avaliada com auxílio de excitadores eletrodinâmicos, de forma que será também possível avaliar o coeficiente de amortecimento em função da frequência de oscilação.
  • Universidade do Extremo Sul Catarinense - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Adriano Mota Loyola

Ciências da Saúde

Odontologia
  • paisagem epigenética no processo de carcinogênese bucal humano e murino: efeito do tabaco e álcool no perfil de acetilação de resíduos de lisina da histona h3
  • As alterações epigenéticas são eventos importantes no desenvolvimento do câncer e têm sido alvo de terapias recentemente desenvolvidas no tratamento de tumores por serem potencialmente reversíveis. A tumorigênese depende da expressão de genes relacionados à proliferação e diferenciação celular, os quais são regulados por modificações pós-traducionais de histonas. A acetilação é a principal modificação envolvida na expressão gênica, atuando diretamente na compactação da cromatina. O objetivo desta proposta é analisar o perfil de acetilação da histona H3 em mucosa normal, desordens potencialmente malignas e carcinoma de células escamosas bucal humano e murino, identificando marcadores epigenéticos com potencial diagnóstico, prognóstico e terapêutico. A hipótese deste trabalho é de que o perfil de acetilação de histonas nas lesões seja diferente da mucosa normal, de forma que alterações nas enzimas modificadores de histonas e no padrão de acetilação constituam eventos epigenéticos característicos da transformação gradual do epitélio oral em tumor maligno, sendo passíveis de intervenção terapêutica, prevenção e aplicação diagnóstica. Webber et al. (2017) e Chen et al. (2013) identificaram uma menor expressão de marcadores de acetilação da histona H3 em amostras de carcinoma de células escamosas bucal em comparação com a mucosa normal e amostras de leucoplasia, sendo que os pacientes com menores níveis de acetilação apresentaram pior prognóstico. Diferenças na expressão gênica e proteica de marcadores relacionados à acetilação de histonas nas lesões bucais serão averiguadas por meio de reação em cadeia de polimerase em tempo real e ensaio imuno-histoquímico, respectivamente. Identificação dos genes regulados pela acetilação da histona H3 será realizada por meio de ensaio de imunoprecipitação de cromatina. A influência do tabaco e álcool na paisagem epigenética será investigada através de estudo pré-clínico in vivo.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Adriano Naves de Brito

Ciências Humanas

Filosofia
  • normatividade e gosto moral: estudo da preferência humana por simetria
  • O projeto visa a corroborar uma concepção de moral que explique os valores e a normatividade nos limites de como as ciências descrevem a natureza humana. Uma explicação assim naturalista do fenômeno moral é imprescindível para um diálogo frutífero entre ciências naturais e humanas, o que, por sua vez, é necessário para explicar o fenômeno humano num continuum entre elas. Parte-se do pressuposto epistêmico de que as ciências naturais devem informar os estudos do fenômeno humano, o que não é possível sem uma teoria que estabeleça uma ponte entre fatos e valores. Duas hipóteses serão avaliadas. A primeira é que a estrutura da normatividade e a natureza de nossa espécie funcionam como um viés para a preferência do querer moral e, logo, para os valores. Essa hipótese se ampara na assunção de que entre a estrutura da normatividade —uma armação na qual os indivíduos, recíproca e reflexivamente, querem que todos queiram— e a do valor há uma superveniência da qual a evolução, a tradição do pensamento moral e da cultura dão evidências. A segunda hipótese é que os melhores arranjos para os quereres recíprocos das comunidades morais têm uma estrutura simétrica. Os humanos têm uma preferência por relações simétricas que espelham a estrutura da dinâmica normativa dos quereres. Sob relações simétricas, o custo do constrangimento mútuo na interação social é baixo, de sorte que os grupos humanos cooperaram e prosperaram mais e melhor. Para a confirmação da primeira hipótese, buscar-se-á evidências na história e evolução humanas. Aqui o procedimento é típico em filosofia: análise de fontes escritas. Para a confirmação da segunda hipótese, além da análise de fontes bibliográficas, é imprescindível a avaliação empírica das preferências morais humanas, o que será feito mediante experimentos com eletroencefalograma e rastreamento de movimentos oculares com vistas a mostrar que a preferência estética por simetria que os humanos demonstram ter, também se aplica à moral.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025