Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Tarcísio Pedro da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • análise experimental do efeito disposição na negociação de ações com estudantes do ensino médio de escolas públicas
  • O objetivo do estudo é analisar a influência do investimento em equipe, bem como a influência da divulgação dos resultados no efeito disposição de investidores. A metodologia será constituída, por meio de um experimento, com alunos do ensino médio da rede pública de ensino e análise estatística. Espera-se que investidores que negociam individualmente e que não precisavam divulgar seus resultados aos demais, tenham um efeito disposição menor do que investidores em duplas que divulgavam seus resultados. Com isso, o efeito disposição pode contribuir no entendimento de consumo e do entendimento financeiro dos jovens. Esta pesquisa terá como agentes sociais os estudantes do ensino médio da rede pública de ensino da cidade de Blumenau. Essa escolha, intencional, foi atrelada as necessidades de inserção socioeconômica em decorrência de o ambiente industrial ser predominante na região e o ciclo produtivo lento, fato que impacta sobremaneira na situação financeira das empresas, desta forma, o entendimento da adequada utilização dos recursos financeiros, como forma de prevenção de gastos futuros, amplia as oportunidades e comportamento financeiro das pessoas. A região conta com mais de 26.792 (vinte e seis mil, setecentos e noventa e dois), com uma amostra de 3.618 (três mil seiscentos e dezoito) estudantes no ensino médio da rede pública, que serão inseridos na educação financeira por meio de palestras, atividades de formação inicial em gestão de finanças sob a utilização da educação financeira. Os principais resultados esperados permanecem focados na conscientização do bom uso nos recursos financeiros disponíveis, que desperte a conscientização pelo planejamento financeiro efetivo no estudante. De costume que, a educação financeira seja percebida no consumo de recursos necessários pessoais e preponderante à sua inserção socioeconômica. No foco deste projeto, se encontram os agentes sociais, a situação socioeconômica (pelo consumo dos recursos financeiros) esteja adequada às necessidades de educação, trabalho e de atividades socioculturais. Em relação ao atendimento à amostra da rede de ensino público, que serão os estudantes do nível médio, atende prioritariamente, estudantes de regiões com perfil de limitação econômico-financeira, devido a dificuldade da inserção no ambiente cultural e de lazer quando destacada sua limitação de organização financeira. A aplicação dos recursos financeiros planejados contribui para elevar a estima pessoal o que possibilita a organização financeiros da família, facilitando a aplicação dos recursos na melhoria da situação econômica, como forma de planejamento da utilização dos recursos, na função comportamental que pode culminar na otimização de recursos, pela sua utilização para atender as necessidades de inserção socioeconômica pelo comportamental financeiro, considerados como fator multiplicador destas ações. A região de atuação do projeto é constituída por empresas industriais que empregam, em sua maioria, famílias inteiras. Várias foram às crises econômicas que atingiram empresas industriais, com reflexo nos demais segmentos da economia. Além dos fatores econômicos, a ocorrência de catástrofes climáticas, considerando que Blumenau fica num vale, afetam sobremaneira a região. Neste ambiente, as famílias precisam se adaptar aos possíveis acontecimentos, já que o cenário geográfico não pode ser alterado. Logo existe a necessidade de convivência com os fatores econômicos e climáticos da região, que interferem sobremaneira no comportamento das famílias, até para a manutenção do seu patrimônio, interferindo no comportamento e reações financeiras. A base utilizada para entendimento da educação financeira apresentará como foco a inserção socioeconômica dos envolvidos, com destaque para as formas de gerenciamento das aplicações financeiras, mesmo que seja limitado, mas com oportunidades de escolhas de acordo com as necessidades dos estudantes. Nesse sentido a formação do conhecimento em aplicações financeiras e de investimento, contribui para a conscientização de planejamento para os recursos que estão disponíveis, sendo confrontada com as necessidades dos estudantes, de modo que os esses percebam que os seus recursos, mesmo que limitados, podem atender as suas necessidades sem precisar migrar para a marginalização por recursos. Cabe destaque para o tratamento dado na literatura sobre os termos utilizados, que contribui para o entendimento geral, em que trata o comportamento das finanças pessoais recebe destaque e contribuição relevante apresentada aos indivíduos. Segundo, Couto (2004) no ensino médio, não deixamos de enfatizar a importância da formação profissional e da respectiva atualização constante. Estes fatos são fundamentais para o planejamento financeiro e para a formação de reservas, pois da nossa competência como profissionais atuantes num mercado de trabalho cada vez mais competitivo virão os recursos para um planejamento racional. Em relação ao tema Lucci, et al. (2006) consideram ser relativamente comum em países de economia mais desenvolvida o desenvolvimento de estudos nessa área, principalmente por destacar uma preocupação com a conscientização das pessoas sobre a necessidade de formação de poupança para a aposentadoria. Em um estudo realizado com estudantes de nível médio, Mandell e Klein (2007) concluem que as variáveis socioeconômicas, demográficas e motivação fazem parte dos questionamentos sobre finanças pessoais. Peng et al. (2007) destacam que as perguntas sobre a participação na educação financeira, experiências financeiras, renda e heranças, e as características demográficas são importantes componentes de análise das finanças pessoais.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tarcisio Samborski

Ciências Agrárias

Agronomia
  • hortas domésticas: mais autonomia, mais sustentabilidade
  • O projeto Hortas domésticas: mais autonomia, mais sustentabilidade busca desenvolver uma tecnologia social participativa que garanta e melhore a produção de alimentos em famílias indígenas que vivem na pobreza extrema nas Terras Indígenas ( TI ) do Guarita e Inhacorá. Enquadra-se como linha principal na tentativa de acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentáve . Concebido em parceria entre o Instituto Federal Farroupilha Campus Santo Augusto , a Cooperfamiliar , EMBRAPA Clima Temperado e as lideranças indígenas das duas TI projeta um conjunto de ações que tem por base a reprodução de espécies vegetais mais adaptadas as condições de cultivo com produção e beneficiamento das sementes que não se encontram no mercado. Prevê ainda a atuação com variedades de propagação vegetativa, impulsionando a produção de propágulos com o uso de micropropagação in vitro. Esse material será doado para 500 famílias indígenas, buscando ampliar a produção de alimentos e a autonomia das comunidades que poderão reservar parte dos cultivos para conservação de material propagativo ou de sementes. Além do aumento na produção, redução da fome e melhoria na alimentação, espera-se acumular conhecimento e habilidades para reproduzir essa tecnologia para outras famílias no futuro.
  • Instituto Federal Farroupilha - RS - Brasil
  • 01/12/2018-30/05/2021