Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rodolpho Carvalho Leite

Outra

Divulgação Científica
  • ii feira científica para estudantes de ensino médio do piauí - i fece²mpi
  • A segunda Feira de Ciências para Estudantes de Ensino Médio do Piauí - II FECE²MPI, proposta de difusão de conhecimento científico por todo Estado do Piauí, onde alunos de ensino médio e médio integrado da rede pública e privada irão apresentar seus trabalhos em feiras regionais que cidades possuem campus do IFPI, UESPI e UFPI em parcerias com as Gerências Regionais de Ensino da Secretária Estadual de Educação e Cultura e EMBRAPA com coordenação regional feita pela Coordenação de Pesquisa e Extensão de cada Campus do IFPI. Cada campus irá ofertar cursos de capacitação, extensão para alunos e professores interessados em enriquecer a pesquisa em desenvolvimento. Nestas feiras de ciências regionais irão selecionar 20 alunos para a Feira Estadual que acontecerá na SNCT 2019, totalizando 400 projetos a serem apresentados por jovens pesquisadores. Os 20 melhores alunos irão receber bolsas de iniciação cientifíca junior do CNPq, abedecendo regras estabelecidas pela comissão e garantido que %50 das bolsas serão distribuidas para meninas. A II FECE²MPI se justifica por propiciar a integração escola e comunidade, seja através dos discentes, seja através dos docentes, os quais, a partir de seus objetos de atividades, permitirão análises e conhecimento da realidade piauiense e suas interpelações com as demais. Por fim e talvez mais importante, compartilhar conhecimentos no sentido de promover o crescimento educacional, através das instituições que participam desta oportunidade, deixando aberta suas portas para a sociedade local. Sendo este nosso principal objetivo: a promoção e o estreitamento do vínculo entre universidade e sociedade buscando promover a melhoria do bem estar de uma população que necessita de nosso apoio.
  • Instituto Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Rodolpho Carvalho Leite

Tecnologias

Tecnologias Médicas e da Saúde
  • iii feira científica para estudantes de ensino médio do piauí – fece²mpi
  • A terceira Feira de Ciências para Estudantes de Ensino Médio do Piauí- III FECE²MPI, proposta de difusão de conhecimento científico por todos os territórios do Estado do Piauí: Parnaíba no território Planície Litorânea (11 municípios), Pedro II no território Cocais (22 municípios), Teresina no território Entre Rios (31 municípios), Campo Maior no território Carnaubais (16 municípios), Valença do Piauí no território Vale Do Sambito (15 municípios), Picos no território Vale Do Rio Guaribas (23 municípios), Paulistana no território Chapada Vale Do Rio Itaim (16 municípios), Oeiras no território Vale Do Canindé (17 municípios), São Raimundo Nonato no território Serra Da Capivara (18 municípios), Floriano no território Vale Dos Rios Piauí e Itaueiras (19 municípios), Uruçuí no território Tabuleiros Do Alto Parnaíba (12 municípios) e as cidades Bom Jesus/Corrente no território Chapada Das Mangabeiras (24 municípios). Nestas sedes alunos da educação básica irão apresentar seus trabalhos em feiras regionais que cidades possuem Campus do IFPI, UESPI e UFPI e EMBRAPA. E a III FECE²MPI irá ofertar cursos de capacitação, oficinas para alunos e professores interessados em enriquecer a pesquisa em desenvolvimento para apresentação nas férias regionais. Nestas feiras de ciências regionais irão selecionar 20 alunos para premiação com bolsas de Iniciação Científica Junior e irão apresentar seus trabalhos na Feira Estadual que acontecerá na SNCT 2020, obedecendo regras estabelecidas pela comissão e garantido que 50 das bolsas serão distribuídas para meninas. A IIIFECE²MPIse justifica por propiciar a integração escola e comunidade, seja através dos discentes, seja através dos docentes, os quais, a partir de seus objetos de atividades, permitirão análises e conhecimento da realidade piauiense e suas interpelações comas demais. Por fim e talvez mais importante, compartilhar conhecimentos no sentido de promover o crescimento educacional, através das instituições que participam desta oportunidade, deixando aberta suas portas para a sociedade local. Sendo este nosso principal objetivo: a promoção e o estreitamento do vínculo entre universidade e sociedade buscando promover a melhoria do bem-estar de uma população que necessita de nosso apoio.
  • Instituto Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Rodolpho Martin do Prado

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • vesículas de membrana do microbioma ruminal: uma fonte de enzimas a ser explorada
  • Vesículas de membrana são estruturas esféricas produzidas a partir da membrana de bactérias, archaeas, fungos e protozoários. Tais estruturas são ubíquas e pesquisas recentes tem demonstrado que as mesmas possuem uma vasta gama de atuação em favor dos microrganismos. A real função das vesículas de membrana de microrganismos ruminais inexiste na literatura. Assim, o isolamento das vesículas de membrana de culturas axênicas e diretamente do rúmen poderá indicar funções desconhecidas do secretoma de microrganismos ruminais, inclusive a descoberta de novas enzimas. Como primeiro estudo, propõe-se o isolamento de vesículas de membranas de alguns dos principais microrganismos ruminais e a prospecção das funções relacionadas a estas, através de proteômica e metabolômica (por espectrometria de massas) e lipidômica. Técnicas in silico serão utilizadas para anotação dos metabólitos. Como segundo estudo, as mesmas técnicas serão utilizadas para avaliação da função de vesículas de membrana, neste isoladas diretamente do rúmen.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodolpho Santos Telles de Menezes

Ciências Biológicas

Genética
  • filogeografia comparada utilizando elementos genômicos ultraconservados e mapeamento cromossômico de microssatélites em vespas sociais.
  • O advento do sequenciamento paralelo em massa de elementos ultraconservados (do inglês ultraconserved elements - UCEs) tem nos últimos anos revolucionado o campo da sistemática molecular devido à possibilidade de obter dados de centenas ou até mesmo milhares de loci e ao mesmo tempo serem polimórficos e assim úteis mesmo em diferentes escalas de tempo evolutivo. Além disso, raros são os estudos filogeográficos para biota da Floresta Atlântica aplicando uma integração de dados moleculares e cromossômicos, apesar de sequências repetitivas em tandem, por exemplo microssatélites, apresentarem algum impacto na organização e evolução de genomas. Dessa forma o presente projeto tem como objetivos centrais utilizar o sequenciamento de UCEs e mapeamento cromossômico de microssatélites para investigar a história evolutiva de duas espécies de vespas sociais com distribuição ao longo da Floresta Atlântica, Synoeca cyanea (Fabricius, 1775) e Synoeca ilheensis Lopes & Menezes, 2017. Ao mesmo tempo, será possível testar o potencial uso de UCEs para estudos filogeográficos em insetos em uma escala temporal recente uma vez que tais dados serão diretamente comparados com dados prévios gerados por sequenciamento Sanger para essas mesmas vespas. A escolha dessas vespas é oportuna devido às suas características peculiares tais como comportamento similar (e.g., enxameamento, construção de ninho e reprodução), tempo de geração, vagilidade, proximidade filogenética e sensibilidade a mudanças climáticas, mas possuem diferenças ecológicas devido a diferenças em adaptações térmicas, como constatado em pesquisas anteriores do Proponente. Consequentemente, essas características biológicas tornam esses insetos interessantes modelos para estudos filogeográficos comparativos mesmo utilizando fontes de dados de diferentes níveis biológicos. Dessa forma, o desenvolvimento deste projeto permitirá não apenas compreender melhor a história evolutiva dessas duas vespas sociais, mas também verificar o potencial uso de UCEs e mapeamento cromossômico de microssatélites para estudos intraespecíficos em insetos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Alejandro Abarza Munoz

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • desenvolvimento e fabricação dispositivos eletroquímicos usando impressão 3d
  • A tecnologia de impressão 3D vem sendo investigada no desenvolvimento de dispositivos analíticos e eletroquímicos por diferentes grupos de pesquisa no exterior, mas ainda foi pouco explorada por grupos no Brasil. A impressão 3D de metais e polímeros, principalmente compósitos formados por PLA e algum material condutor de carbono, vem demonstrando resultados promissores desde supercapacitores a sensores eletroquímicos. A investigação de novos compósitos para a produção de filamentos compatíveis com impressores 3D é um desafio atual na área, assim como a construção de dispositivos integrados. Dentro deste contexto, este projeto tem por finalidade o desenvolvimento e caracterização de sensores eletroquímicos que possam ser produzidos em larga escala de forma reprodutível usando impressão 3D a partir da fabricação de novos filamentos condutivos contendo materiais nanomateriais de carbono, materiais inorgânicos em matriz de PLA (polímero biodegradável comumente empregado em impressão 3D por fused deposition modeling). A segunda parte do projeto visa construir dispositivos analíticos portáteis com a integração de todo sistema de detecção eletroquímico e preparo de amostra. A terceira etapa envolve aplicação dos microdispositivos em análises forenses, biológicas e de biocombustíveis.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Alves Portela Martins

Ciências Biológicas

Morfologia
  • instabilidade genômica e sinalização de danos ao dna no desenvolvimento e degeneração do sistema nervoso central
  • Um fascinante paradoxo nas ciências biológicas é que, embora a evolução dependa de alterações no genoma, a manutenção da estabilidade genômica é fundamental para a saúde humana. Ao longo da vida, a integridade do DNA é desafiada fontes de danos exógenos e endógenos. De modo importante, não apenas a exposição a agentes genotóxicos ambientais, mas também processos celulares fisiológicos como metabolismo oxidativo, transcrição e replicação do DNA podem levar à instabilidade genômica. A manutenção da integridade genômica é essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso central (SNC) e para prevenção de doenças neurológicas. O alto índice replicativo durante a neurogênese e o metabolismo único de células neurais de vida longa foram propostos para contribuir para a elevada sensibilidade do SNC à instabilidade genômica. Em humanos, mutações em genes necessários para sinalização de danos no DNA, como as cinases ATM e ATR, comprometem o neurodesenvolvimento e /ou causam neurodegeneração. A duplicação do genoma através da replicação do DNA enfrenta muitos obstáculos que levam ao estresse de replicativo. As respostas celulares ao estresse replicativo requerem dois eixos principais: Ativação de um checkpoint do ciclo celular pela cinase ATR e a regulação do reparo mediado por recombinação homóloga. Mutações em componentes da via de sinalização de ATR levam à síndrome de Seckel, um distúrbio caracterizado por comprometimento do crescimento, microcefalia e retardo mental. Embora o dano ao DNA associado à replicação durante a neurogênese seja frequente, não é compreendido como defeitos na resposta ao estresse replicativo levam ao surgimento de doenças neurais. Para entender melhor as consequências da sinalização imperfeita do estresse replicativo para o desenvolvimento e homeostase do SNC, pretendemos determinar quão singularmente as células progenitoras neurais (NPCs) respondem ao estresse replicativo. Além disso, usando modelos de camundongos nocautes condicionais, pretendemos descobrir as consequências da inativação genética de componentes da via de ATR para a formação de sistemas neurais in vivo. Uma vez que a relevância desses genes nunca foi estudada dessa forma, antecipamos que nossos resultados podem contribuir para uma melhor compreensão dos papéis das vias de estresse replicativo para o desenvolvimento e patogênese neural.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Amorim Bezerra da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • uso de impressão em 3d e sensores carbonáceos de baixo custo para eletroanálises rápidas e portáteis em amostras forenses
  • O comércio de produtos ilícitos como medicamentos, drogas ou anabolizantes oriundos do contrabando vem aumentando no Brasil e no mundo, tanto em quantidade quando em variedade de substâncias. Tal constatação alerta os órgãos governamentais de controle, que necessitam constantemente de métodos analíticos confiáveis para acompanhar este crescimento. Para suprir estas inumeráveis demandas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda protocolos dependendo da complexidade da amostra, como: exames organolépticos, métodos clássicos de triagem e métodos instrumentais como a cromatografia líquida de alta eficiência para a análise qualitativa e quantitativa do ingrediente ativo (IA). No entanto, devido ao alto custo e tempo de tais protocolos e do transporte das amostras até um laboratório credenciado, os resultados e laudos podem ser emitidos muito tempo após a apreensão das amostras. Deste modo, os métodos eletroanalíticos são interessantes, devido à portabilidade (análises “in loco”) e baixo custo relativo. Nesta perspectiva, eletrodos impressos “3 em 1” (eletrodos de referência, auxiliar e de trabalho no mesmo suporte) tem sido utilizados para eletroanálises em amostras farmacêuticas e biológicas, ambientais e forenses. Entretanto, apesar da eletroanalítica apresentar instrumentação barata quando comparada a outras áreas da Química Analítica, muitos dispositivos são importados e/ou adquiridos de empresas, sendo onerosos para a realidade da pesquisa brasileira e produtos gerados. Alternativamente, sensores eletroquímicos de baixíssimo custo também podem ser confeccionados empregando-se compósitos fluidos condutivos de carbono preparados em laboratório, pela mistura de adesivo epóxi, ciclohexanona e grafite ou de esmalte de unha e grafite. O desempenho dos sensores (sensibilidade, efeito catalítico e seletividade) pode ser melhorado misturando-se modificadores carbonáceos, em destaque para os materiais amorfos de baixo custo, como o negro de carbono e o biocarvão. De modo mais prático e barato, dispositivos “3 em 1” podem foram construídos em ponteiras de micropipeta, CD’s e suportes flexíveis como papelão, papel, poliéster, etc. Recentemente (após 2016), células eletroquímicas personalizadas foram projetadas e confeccionadas a baixíssimos custos no próprio laboratório empregando a tecnologia de impressão em 3D por modelagem de deposição fundida (técnica aditiva), tal como divulgado em revisões e artigos. Além disso, filamentos de compósitos condutores podem ser usados na construção de eletrodos impressos em 3D. Logo, o uso de microdispositivos eletroquímicos alternativos empregando impressão em 3D é um grande atrativo para análises em química forense, devido à portabilidade, rapidez, baixo custo e mínimo tratamento de amostras.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Andrade da Cruz

Outra

Divulgação Científica
  • iv feira de ciências do vale do ribeira - fecivale
  • A Feira de Ciências do Vale do Ribeira - FECIVALE - realiza sua quarta edição em outubro de 2019. A proposta do evento almeja continuar criando um ambiente estimulante para a divulgação de pesquisas científicas de alunos do ensino médio e técnico do Instituto Federal de São Paulo - Câmpus Registro, assim como estimular a prática e o desenvolvimento de pesquisas científicas em escolas públicas e privadas de toda a região do Vale do Ribeira. A região do Vale do Ribeira possui o menor IDH do estado de São Paulo (FIGUEIREDO, 2006), e o fomento à pesquisa científica pode ser um dos caminhos para o desenvolvimento sustentável de uma região que mantém preservada grandes faixas de Mata Atlântica, comunidades indígenas, quilombolas e caiçaras. A FECIVALE tem seu modelo inspirado na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia - FEBRACE - da qual é feira filiada desde 2016, tendo direito a indicar uma vaga diretamente para a Mostra de Finalistas. Portanto, as áreas temáticas serão referenciadas na feira nacional. São elas: Ciências Exatas e da Terra, Ciências Biológicas, Ciências Agrárias, Ciências Sociais e Humanas e Engenharia.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Rodrigo Antônio Silveira dos Santos

Ciências Humanas

Ciência Política
  • avaliação e acompanhamento de atividades de compensação comercial, industrial e tecnológica (offset) em aquisições de defesa
  • A Política Nacional de Defesa (PND) estabelece como prioridade, em seu 9° Objetivo Nacional de Defesa, o desenvolvimento da Indústria Nacional de Defesa, orientada para a obtenção da autonomia em tecnologias indispensáveis (BRASIL, 2012). Para tanto, o documento utiliza o conceito de Hélice Tríplice (ETZKOWITZ; ZHOU, 2017) para “assegurar que o atendimento às necessidades de produtos de defesa seja apoiado em tecnologias sob domínio nacional obtidas mediante estímulo e fomento dos setores industrial e acadêmico. A capacitação da indústria nacional de defesa, incluído o domínio de tecnologias de uso dual (militar e civil), é fundamental para alcançar o abastecimento de produtos de defesa” (BRASIL, 2012). Da mesma forma, a END demonstra que Defesa e Desenvolvimento são dois assuntos intimamente interligados. Neste ponto, a END define como um de seus princípios a “independência nacional alcançada pela capacitação tecnológica autônoma, inclusive nos estratégicos setores espacial, cibernético e nuclear. Não é independente quem não tem o domínio das tecnologias sensíveis, tanto para a defesa, quanto para o desenvolvimento” (BRASIL, 2012). Neste tópico, a END estabelece, em seu segundo Eixo Estruturante, a reorganização da Base Industrial de Defesa (BID), para assegurar que o atendimento à necessidade de Produtos de Defesa por parte das Forças Armadas apoie-se em tecnologias sob domínio nacional, preferencialmente as de emprego dual – militar e civil (BRASIL, 2012). Uma das práticas aceitas internacionalmente que permite condicionar a aquisição de produtos de defesa à transferência de tecnologia vem a ser a condução de atividades de compensação comercial, industrial e tecnológica, também conhecida como offset. No contexto atual de globalização e de acirramento da competição no mercado internacional de produtos de defesa, são cada vez mais frequentes as discussões envolvendo a prática de offset (SILVA, 2017). Ainda de acordo com Silva (2017), o conceito de offset pode ser entendido como formas de compensação tecnológica, industrial ou comercial realizadas de forma direta (por exemplo, absorção tecnológica de manutenção de um componente do produto adquirido com grande valor agregado) ou indireta (por exemplo, absorção de capacidade relacionada a setores diferentes da área de defesa, como o agrícola ou de saúde). Com efeito, muitos dos projetos estratégicos das Forças Armadas foram acompanhados de offset, principalmente no Comando da Aeronáutica, que possuía maior expertise na condução de práticas compensatórias. Na prática, muitos dos acordos de offset são renegociados quando falham na entrega dos resultados. Além disso, o valor dos Acordos de Compensação tem aumentado e, em muitos casos, o valor da compensação excede o valor do contrato comercial, o que também dificulta a conclusão de todas as compensações programadas (MAGAHY; CUNHA; PYMAN, 2010). Neste contexo, diante do alto valor agregado dos processos de compensação comercial, industrial e tecnológica associados ao mercado internacional de defesa, e considerando a evolução dos mecanismos de gestão e controle esperada pelos órgãos governamentais de auditoria, pode-se imaginar a existência de métodos específicos para a gestão e o acompanhamento de Acordos de Compensação, contendo indicadores de desempenho em offset, parâmetros para o reconhecimento de créditos de compensação e outras ferramentas de gestão que permitam demonstrar que os processos de transferência de tecnologia estão sendo realizados com êxito, de forma a propiciar a autonomia tecnológica desejada pela PND e pela END (BRASIL, 2014). Contudo, não foram encontrados regulamentos e legislações que padronizem, no âmbito do Governo Federal, as atividades compensatórias praticadas nas aquisições de defesa. Além disso, não foi encontrado nenhum parâmetro na literatura especializada em offset para a condução de atividades de avaliação e acompanhamento de práticas compensatórias em aquisições de defesa. Por outro lado, o Comando da Aeronáutica (COMAER) possui normas internas que definem uma Política de Compensação voltada para o setor aeroespacial e apresentam preceitos para a negociação de offset na Aeronáutica. Entretanto, tais documentos não estabelecem indicadores de desempenho ou outra ferramenta institucional para que se possa mensurar o resultado alcançado pelas práticas compensatórias realizadas. A organização do Comando da Aeronáutica com maior experiência na gestão de Acordos de Compensação vem a ser a Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC). Esta organização é subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA) e se assemelha a um “Escritório de Projetos” da Força Aérea Brasileira (FAB), sendo responsável pelos Projetos Estratégicos gerenciados no COMAER. Portanto, o tema offset é, ao mesmo tempo, um assunto relativamente novo e muito importante na Administração Pública brasileira. Embora o COMAER seja pioneiro em sua utilização, deve-se ressaltar que a quantidade e a complexidade dos Acordos de Compensação firmados pela COPAC aumentaram significativamente no decorrer dos anos. O alto valor agregado em Acordos de Compensação fez com que os Órgãos de Controle, a exemplo de TCU e CGU, tenham dedicado grande atenção ao tema. Neste contexto, faz-se necessário o aprimoramento das práticas atualmente utilizadas no setor público para que sejam utilizadas ferramentas modernas e inovadoras de governança que assegurem que a prática compensatória seja realizada de forma a garantir benefícios para o setor aeroespacial brasileiro. Desta forma, este projeto de pesquisa pretende responder à seguinte pergunta: Como elaborar indicadores de desempenho para avaliar e acompanhar as atividades de compensação comercial, industrial e tecnológica (offset) em aquisições de defesa, de modo a assegurar que as transferências de tecnologia e demais práticas compensatórias ocorram de forma sustentável e permitam o domínio de tecnologias de uso dual no Brasil?
  • Universidade da Força Aérea - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Azevedo dos Santos Gouvea

Ciências Humanas

Filosofia
  • mente e representacionalismo
  • A teoria representacionalista da mente, que se tornou hegemônica entre os filósofos da mente de tradição analítica a partir dos anos 1990, consiste fundamentalmente em estender a abordagem intencional do fenômeno mental para uma teoria da consciência, ou de estados mentais que possuem aspectos qualitativos ou fenomenais intrínsecos. A intencionalidade é usualmente compreendida como a propriedade que determinada entidade possui de ser acerca de, direcionada a ou sobre algo. Atribui-se a Brentano (1874) o uso específico dessa noção como a marca distintiva dos fenômenos mentais. A presente pesquisa pretende explorar diferentes aspectos relacionados à abordagem representacionalista a partir de duas linhas principais. (1) Em primeiro lugar, pretende-se caracterizar e defender uma teoria pragmatista e representacionalista da intencionalidade que se revele compatível com o funcionalismo do mental. Iremos contrastar a referida teoria a concepções alternativas de crenças propostas nos últimos anos, as quais seriam pretensamente generalizáveis a estados intencionais em geral, a saber o disposicionalismo de E. Schwitzgebel (2002 & 2013), o pragmatismo de A. Zimmerman (2018) e o representacionalismo de Quilty-Dunn e E. Mandelbaum (2018). (2) Em segundo lugar, avaliaremos a forma como a teoria representacionalista da mente responde ao hiato explicativo apresentado por Levine (1983, 2001) e tentar fundamentar uma abordagem naturalizada da consciência. Para tanto, será travado um debate próximo com o trabalho mais recente de Levine (2018), tratando-se especificamente da crítica ao argumento da conceibibilidade de Chalmers (1996, 2010), o papel da modalidade numa teoria materialista da mente, bem como dos desafios enfrentados pela tentativa de naturalizar os pensamentos demonstrativos e as experiências perceptivas.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Bainy Leal

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • estudo dos mecanismos moleculares da ação antitumural de lectinas do gênero canavalia spp e dioclea spp sobre linhagens celulares de glioma.
  • As lectinas vegetais têm sido estudadas devido às suas propriedades estruturais e efeitos biológicos que incluem: atividade aglutinante, efeito antidepressivo, modulação da neurotransmissão, neuroproteção e propriedade antitumoral. A presente proposta baseia-se em estudos prévios do nosso grupo com vários trabalhos já publicados e outros em andamento que indicam fortemente um potencial antiglioma para as lectinas vegetais. Neste sentido pretendemos aprofundar a caracterização do mecanismo de ação antitumoral de lectinas dos gêneros Canavalia e Dioclea (como ConBr, Cvill, DVL e DrfLII) sobre células de glioma, determinando mecanismos moleculares e alvos celulares/moleculares envolvidos neste processo. Para este propósito linhagens celulares de glioma de rato C6 e glioma humano U87 serão tratadas com as lectinas e uma diversidade de parâmetros avaliados, incluindo: morfologia celular e viabilidade; potencial de membrana mitocondrial; processo autofágico; morte celular; migração celular e capacidade de proliferação; vias de sinalização intracelular; alvos glicoproteicos da superfície celular ou localizados intracelularmente. Além disso, uma triagem da atividade antiglioma para novas lectinas purificadas também será realizada. Com base nessas ações, e na possível seletividade de lectinas como moléculas de reconhecimento de células tumorais, nosso estudo pode fornecer base para o uso de lectinas como: 1) agentes antitumorais diretos; 2) marcadores de progressão tumoral e metástase; 3) elementos constituintes de complexos quimioterápicos, que poderiam seletivamente direcionar agentes antitumorais para uma ação mais restrita em células neoplásicas; 4) ferramentas para estudar o papel do processo autofágico, morte celular e vias de sinalização na progressão dos gliomas. Portanto, o estudo pretende fornecer lectinas de leguminosas da biodiversidade brasileira como potenciais moléculas anti-glioma.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Barbosa Capaz

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • modelagem computacional de nanomateriais
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Barbosa Ferreira

Ciências Biológicas

Ecologia
  • anfíbios bromelígenas tem sucesso reprodutivo em bromélias para fins paisagísticos em áreas rurais? integrando pesquisa de campo, ciência cidadã e popularização da ciência para conservação de anfíbios de bromélia
  • A Mata Atlântica do Brasil tem apenas 10% da floresta remanescente. Bromélias provenientes das florestas são coletadas ilegalmente para fins paisagísticos em áreas residenciais ao longo dos vales agricultados. Objetivo investigar se anfíbios bromelígenas tem sucesso reprodutivo nessas bromélias introduzidas nos vales agricultados. Neste artigo, investigarei essa hipótese com base no monitoramento de espécies de bromélias e anfíbios bromelígenas por meio de pesquisa de campo em áreas naturais e programa de ciência cidadã em vales agricultados. Ao envolver a comunidade local em ciência cidadã e atividades de popularização da ciência, os resultados dessa proposta de pesquisa e extensão terão impactos duradouros sobre práticas sustentáveis de conservação e manejo de bromélias e seus respectivos habitantes.
  • instituto MarcosDaniel - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Barichello

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • raceks – racionalização da exportação com segurança
  • A circulação de informações em tempo real junto a diversos departamentos de uma companhia em um processo de transação comercial internacional usualmente é escassa e pouco eficaz, comprovando-se pelo fato que o país declinou sua participação no mercado mundial de 1,4% (2011) para 1,2% (2017), segundo dados da OMC e esta informação acaba sendo confirmada pelos dados repassados pelo Centro de Estudos Logísticos/CEL-COPPEAD-UFRJ, que demonstra que os exportadores brasileiros gastam 23 dias a mais que os similares americanos, resultando um gastos extra em torno de R$ 115 bilhões. Considerando-se apenas gastos de multas com atrasos de embarques, pagamentos de diárias de navios, caminhões e demurrage implicam custos médios de US$ 500 mil anuais. Segundo o relatório Doing Business Project 2017, do Banco Mundial, para importar um contêiner no Brasil gasta-se US$ 2.500. Isso contribui para que o país ocupe a 149ª posição no ranking de competitividade entre 190 países. Comparativamente, esse mesmo custo é de US$ 600 na China, responsável por mais de 13% do comércio do mundo, e de US$ 750 no Chile. No Brasil há casos recentes de cobrança de demurrage onde o usuário foi condenado a pagar 80 vezes (R$ 1,1 milhão) o valor do frete (R$ 13,9 mil). O indicador de qualidade de portos do Banco Mundial, em pesquisa feita junto aos executivos de 133 países acerca dos portos no mundo, classificou o Brasil com nota 2,7 numa escala que vai de 1 até 7. Outros países da América do Sul, como Paraguai (3,1), Argentina (3,8), Colômbia (3,6), Peru (3,6) e Chile (4,9), tiveram notas bem melhores. A Holanda teve nota 6,8. Em qualidade de infraestrutura portuária, o Global Competitiveness Report 2017-2018, do Fórum Econômico Mundial, colocou o Brasil em 106º lugar. Em meio deste cenário, afirma-se que a partir do momento que haja a plena interação entre os diversos setores de uma organização agroindustrial que constantemente movimenta uma quantidade considerável de containers haverá uma plena eficiência nos processos logísticos e procedimentais, otimizando-se o processo ao descentralizar as informações que hoje são concentradas unicamente ao Departamento de Comércio Exterior. Este gerencia a operação, porém com reduzida interação junto ao Departamento Financeiro (que necessita dos prazos e valores envolvidos na operações para o agendamento de receitas e despesas, tais como tributos, custos logísticos e gerais, valores de armazenagem, além do efetivo recebimento da fatura comercial, de acordo com o acordado previamente durante o processo de fechamento da negociação), Departamento Contábil (qual precisa dos documentos e comprovantes envolvidos em cada processo para registro e informação ao Departamento da Fazenda de seu respectivo país para que as operações sejam normalizadas e as empresas envolvidas possam estar anuentes de multas e fiscalizações mais rigorosas), Departamento de Qualidade (usualmente requer documentos específicos, como Fichas Técnicas e laudos para apresentar a órgãos anuentes e clientes exigentes em relação a rastreabilidade da matéria-prima ou produtos aptos a revenda), Departamento de Produção (requer status permanente para programação de uso de insumos importados para manufatura em sua estrutura fabril. A escassez de estoque trará consideráveis transtornos e prejuízos que potencialmente afetarão o resultado operacional da organização), Departamento de Expedição (necessita dados atualizados sobre a partida e a previsão segura da chegada dos produtos visando a alocação de recursos para o estufamento [Exportador] ou desestufamento [Importador] dos containers, bem como a reserva de local adequado para estocagem junto ao complexo fabril. Igualmente necessita de rótulos para adequação do prazo de validade e das condições físicas a serem destinadas) e Direção da Organização (solicita informações em tempo real para a tomada de decisões estratégicas necessárias, como estruturações de custos, gerenciamento de fluxos produtivos e comerciais, estimativas de receitas operacionais e de lucratividade, estratégias de adoção de novos produtos e de seu respectivo lançamento junto ao mercado comprador, substituições de insumos importados por nacionais e vice-versa, entre outros quesitos importantes). Com a completa interação de dados entre os setores supracitados tanto do exportador quanto, dos importadores, haverá a maior autonomia requerida, reduzindo-se a concentração de informações junto aos coordenadores responsáveis pelo Departamento de Comércio Exterior, trazendo efetiva confiabilidade e integração para que a operação se torne mais ágil, confiável e inequívoca.
  • Universidade Comunitária da Região de Chapecó - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Barreto Caldas

Engenharias

Engenharia Civil
  • estudo do comportamento de painéis enrijecidos por conectores de cisalhamento em chapa de aço com aberturas regulares tipo clothoidal em estruturas mistas de aço e concreto
  • Os conectores em chapa com aberturas regulares apresentam baixo custo de fabricação e facilidade de instalação nas estruturas mistas de aço e concreto, podendo também ser utilizados como enrijecedores antes da cura do concreto, evitando um custo adicional com a fabricação e instalação de enrijecedores de forma independente dos conectores. Este trabalho tem como objetivo geral estudar o comportamento à flambagem local de painéis enrijecidos por chapa de aço contínua formada por recortes regulares, denominada Clothoidal, que atuam na interface entre o aço e o concreto com dupla função, sendo: de enrijecedor antes da cura do concreto, e de conector de cisalhamento após a cura do concreto. A partir de resultados experimentais e modelos numéricos que possibilitem verificar a largura efetiva do painel misto aço-concreto enrijecido por chapa de aço com aberturas regulares tipo Clothoidal, obter a capacidade resistente à flexão e ao cisalhamento. O impacto tecnológico esperado está diretamente relacionado à área de estruturas mistas de aço e concreto, com aplicação em edificações e principalmente em pontes ferroviárias e rodoviárias. Os resultados serão importantes pois ainda não foram desenvolvidas pesquisas científicas que avaliem o uso do conector de cisalhamento em chapa com abertura regular do tipo Clothoidal, também com a função de enrijecedor.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Brackmann

Engenharias

Engenharia Química
  • síntese e caracterização de nanopartículas magnéticas de ferritas para descontaminação fotocatalítica de elementos potencialmente tóxicos de águas residuárias
  • O crescimento populacional e o desenvolvimento industrial têm levado a um aumento da contaminação das águas por diversos elementos, muitos deles potencialmente tóxicos acima de determinadas concentrações, como é o caso do arsênio e do selênio, com potencial para desencadear câncer. Neste sentido, diferentes metodologias têm sido desenvolvidas para a descontaminação desses elementos de águas residuárias, como a Fotocatálise Heterogênea, que consiste no emprego de um semicondutor e uma fonte de radiação para promover a remediação ambiental. O dióxido de titânio (TiO2) tem sido amplamente empregado nos últimos anos como fotocatalisador devido as suas propriedades físico-químicas como inércia química, atoxicidade, insolubilidade em água, elevada atividade catalítica na presença de radiação UV. No entanto, o emprego desse material apresenta algumas desvantagens como a dificuldade em se reutilizá-lo em bateladas sucessivas e a utilização com radiação na região do visível uma vez que sua energia de band gap é bastante elevada (acima de 3,1 eV). Dessa forma, pesquisadores têm investigado o desenvolvimento de fotocatalisadores com propriedades magnéticas para facilitar a sua recuperação ao final da reação e que sejam capazes de promover a descontaminação dos elementos tóxicos empregando radiação visível, que é amplamente abundante em nosso país. Neste contexto, a presente proposta de projeto visa a síntese de nanopartículas magnéticas de ferritas (Fe3O4, CuFe2O4, NiFe2O4 e CoFe2O4) por duas diferentes rotas de síntese: rota do complexo polimerizável e método da 8-hidroxiquinolina com o intuito de se verificar a influência do método de síntese sobre as propriedades morfológicas, estruturais e magnéticas e, consequentemente, sobre o desempenho fotocatalítico dos materiais obtidos na descontaminação de elementos potencialmente tóxicos de águas residuárias. Os testes fotocatalíticos serão conduzidos empregando-se radiação UV e visível de forma a se avaliar como as diferentes ferritas atuam nas diferentes condições reacionais. Pretende-se, ao final do projeto, compreender a relação existente entre as principais propriedades das ferritas e seu desempenho fotocatalítico com o objetivo de se aprimorar os fotocatalisadores e torná-los cada vez mais ativos no processo de descontaminação de elementos potencialmente tóxicos de águas residuárias.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Caiado de Lamare

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • sistemas de múltiplas antenas com super-resolução: conceitos, algoritmos e aplicações
  • Este projeto propõe a formulação de uma nova teoria de sistemas de múltiplas antenas com super-resolução, que permita aos engenheiros desenvolver algoritmos que consigam obter ganhos substanciais de diversidade e de multiplexação sobre soluções existentes. O conceito se baseia no emprego de arranjos de antenas co-localizados ou distribuídos com espaçamentos não uniformes entre as antenas que permitam um processamento digital com arranjos virtuais aumentados. O projeto propõe o estudo e desenvolvimento de técnicas de pré-codificação, detecção e estimação de parâmetros para sistemas de múltiplas antenas com super-resolução. O projeto também considera o estudo e desenvolvimento de soluções com super-resolução para diferentes cenários 5G e além, e arquiteturas de redes envolvendo o auxílio de nuvens, antenas distribuídas e redes livres de células. Com o intuito de desenvolver soluções com eficiência energética, as atividades também deverão contemplar o desenvolvimento de algoritmos de processamento de sinais para sinais com baixa resolução (entre 1 e 3 bits) para os diversos cenários previamente descritos.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Cantu de Souza

Ciências Humanas

Sociologia
  • por que alguns estados fiscais são fortes e outros são fracos na américa latina?
  • Este projeto de pesquisa tem como tema as transformações de longo prazo nos Estados latino-americanos sob a perspectiva das finanças públicas. Apesar de certa unidade cultural e linguística, o espaço latino-americano é marcado por heterogeneidades regionais e nacionais consideráveis. Alguns países do subcontinente possuem Estados fiscais fortes e estruturas tributárias modernas e diversificadas, outros possuem Estados fracos e estruturas mais simplórias ou dependem de receitas advindas da exploração de recursos naturais. A construção fiscal dos Estados na América Latina se relaciona com o tema do bem-estar nessas sociedades de modo geral. Um patamar mínimo de arrecadação fiscal é necessário para que o Estado possa realizar políticas públicas, redistributivas e de desenvolvimento. No âmbito de discussões sobre integração regional, é necessário ainda um alinhamento de regimes fiscais afim viabilizar uma inserção conjunta e melhor guarnecida na dinâmica econômica, política e militar do ordenamento mundial. Um grande obstáculo a tal alinhamento é a padronização de normas fiscais em um contexto de grandes disparidades. Entender a variedade dos Estados fiscais na América Latina se torna, então, imperativo nesse programa regional. Como investigar as causas das diferenças fiscais na América Latina? A hipótese que a pesquisa pretende testar é a de que crises fiscais dão origem ao fortalecimento fiscal do Estado. Essas crises são contextos de indeterminação nos quais um regime fiscal prévio de arrecadação reduzida pode ser transformado pelo desígnio político ou pela força das circunstâncias. Charles Tilly, em seus estudos sobre a formação do Estado na Europa, elaborou um argumento sobre o papel central da guerra no crescimento e consolidação do Estado. O Estado faz guerra e a guerra faz o Estado, no resumo do autor. Tilly defende que os crescentes custos das operações militares forçaram um crescimento fiscal e organizacional do Estado, com consequências sócio-políticas importantes, tais como a concessão de direitos às populações tributadas. Miguel Ángel Centeno (2014) explora as questões da guerra, da economia e da contestação política na formação dos Estados latino-americanos durante o século XIX. Segundo Centeno, o baixo poder fiscal da maior parte dos países latino-americanos é resultado da ausência de guerras de larga escala na região, o que eximiu os Estados de buscar aumentar seus aparatos militares, burocráticos e impositivos. A face complementar desse quadro é uma inércia de fraca monopolização da coerção internamente, de debilidade das políticas públicas e de fraqueza do Estado de modo geral. Em trabalho anterior, o proponente (Cantu, 2016) expande a intuição desses autores para examinar a trajetória fiscal da América Latina e do Brasil, em particular, no século XX. Embora válidas para esclarecer a força e fraqueza dos Estados por conta da guerra até o século XIX, Tilly e Centeno não explicam porque alguns Estados latino-americanos se fortaleceram fiscalmente ao longo do século XX, apesar da ausência de grandes guerras internacionais envolvendo esses países. Para abordar essa anomalia, Cantu generaliza a hipótese de Tilly. A guerra produz fortalecimento estatal, pois os elevados custos da operação militar provocam uma crise fiscal, que precisa ser resolvida. A solução, no caso Europeu, passou pelo contínuo fortalecimento fiscal do Estado. Entretanto, a guerra não é o único fenômeno gerador de crises fiscais. Cantu (2016) conclui que há crises fiscais com três origens na trajetória brasileira, em cujos contextos houve fortalecimento fiscal do Estado: crises do comércio internacional; crises pelo esforço de industrialização e desenvolvimento econômico; crise por disputas sócio-políticas em torno das despesas públicas. Junto com a guerra, essas modalidades de crise compõe a hipótese a ser testada em estudos históricos de países específicos. Tais crises seriam ou não a base para a mudança fiscal? Para testar tal hipótese, utiliza-se o seguinte método. Como material, empregam-se séries estatísticas históricas e literatura sobre história econômica e política de países selecionados. Com base nas séries estatísticas sobre finanças públicas são identificados os contextos nos quais há crises fiscais num determinado país. A literatura sobre história econômica e política do país é então mobilizada para se esclarecer as causas da crise. Em seguida, observa-se se os indicadores no volume ou na estrutura da arrecadação e da despesa se modificam após esse contexto de crise. Por esse procedimento, busca-se relacionar determinados tipos de crise fiscal à mudança e ao fortalecimento fiscal. Por fim, comparam-se esses resultados com àqueles de outros países, a fim de especificar se a hipótese se sustenta. Este projeto propõe testar a hipótese descrita acima no exame comparativo dos casos argentino, brasileiro, chileno, colombiano, mexicano e paraguaio. Essa seleção se orienta pelo potencial heurístico da comparação de dois casos de Estados fortes fiscalmente (Argentina e Brasil), dois medianos (Chile e Colômbia) e o caso dois Estados fracos (México e Paraguai). Utiliza-se como material séries estatísticas históricas e literatura sobre história econômica e política de países selecionados.
  • Universidade Federal da Integração Latino-Americana - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo Castelan Carlson

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • controle do tráfego de veículos automatizados em interseções reconfiguráveis
  • O advento dos veículos automatizados está transformando a modelagem e operação dos sistemas de tráfego. Os modelos e métodos tradicionais de simulação, operação e controle do tráfego urbano e rodoviário não atendem esse novo cenário que se desenha para os sistemas de transportes. Assim, é urgente a necessidade de novos modelos e um novo olhar no projeto de controladores. O paradigma estabelecido há décadas para a organização da infraestrutura viária permanece o mesmo e o desenho geométrico de um interseção pode não oferecer a maior eficiência possível para a demanda de tráfego vigente. O problema a ser estudado neste projeto é o controle do tráfego em interseções com veículos automatizados em que não há nenhuma suposição ou delimitação a respeito dos movimentos permitidos. Isto é, o desenho geométrico da interseção não existe ou é reconfigurável. O objetivo é obter estratégias de controle de tráfego em interseções reconfiguráveis com veículos automatizados. As estratégias serão testadas em microssimulação, com simulador dedicado a veículos autônomos e também com robôs móveis de pequeno porte fazendo o papel de veículos automatizados.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rodrigo César Fernandes Barbosa

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • a inteligência artificial como ferramenta no desenvolvimento de plataformas digitais colaborativas para a popularização e divulgação de ciência e tecnologia
  • Atividades de extensão e cultura são importantes instrumentos que promovem integração e troca de saberes com a comunidade. Dentre as formas de desenvolver esta interação, a utilização de ferramentas comuns ao cotidiano dos membros da comunidade, como as mídias digitais, constitui uma importante estratégia para promover a divulgação e popularização do conhecimento científico e tecnológico. Portanto, este projeto tem por objetivos a realização de experimentos com conteúdos comuns ao cotidiano, durante a 17ª Semana Nacional de Ciência e tecnologia (17ª SNCT), que possam ser reproduzidos em escolas que não tem acesso aos espaços de cultura científica, com elaboração de kits de experimentação com materiais de baixo custo que serão fornecidos gratuitamente. Todas as atividades realizadas no âmbito deste projeto serão registradas em meios audiovisuais, para disponibilização nas mídias sociais do projeto, que serão criadas nas plataformas Facebook, Instagram e YouTube. Nestas plataformas, serão desenvolvidos chatbots utilizando inteligência artificial para aprimorar a interação com o usuário, tornando possível estabelecer a comunicação acerca dos conteúdos abordados de forma automatizada. Estas plataformas serão mantidas de forma permanente, com a disponibilização periódica de novos conteúdos, ampliando o alcance e o impacto desta iniciativa.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 26/10/2020-30/04/2021