Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rafael de Santiago

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • avaliação e desenvolvimento de métodos para agrupamento de nodos em redes com sinais
  • Na análise de mídias sociais, redes com sinais são representações que expressam se existe alguma relação entre os indivíduos da rede e se esta relação é positiva ou negativa. O problema da Maximização da Modularidade por Densidade para redes com sinais busca identificar agrupamentos de indivíduos que tenham o maior número de relações positivas e o menor número de negativas. Neste projeto de pesquisa, pretende-se avaliar a função objetivo da Maximização da Modularidade por Densidade para redes com sinais. Para isto, serão investigados os métodos exatos e heurísticos presentes na literatura, e implementar métodos exatos e heurísticos baseados em trabalhos de referência que relatam soluções para problemas de particionamento de grafos. Os métodos serão experimentados e os resultados serão comparados. Ao final da pesquisa, espera-se identificar qual a proximidade das soluções obtidas em relação às esperadas e qual a escalabilidade dos métodos investigados.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael de Souza Miranda

Ciências Agrárias

Agronomia
  • perfil metabólico e elucidação de mecanismos de tolerância aos estresses abióticos de espécies cultivadas sob diferentes estratégias de cultivo
  • A agricultura constitui uma das atividades mais importantes para a economia dos Estados da região Nordeste. Nessa região, embora o Estado do Piauí tenha se destacado como um dos maiores produtores de soja e de feijão, inúmeros fatores têm influenciado negativamente a produtividade de grãos, destacando-se o baixo uso de tecnologia pelo pequeno produtor, manejo inadequado da cultura e o uso de cultivares pouco adaptadas às condições de cultivo. Atrelado a isso, diversas áreas agricultáveis vêm sofrendo sérios problemas com estiagem, o que constitui uma ameaça ambiental para a agricultura, pois restringe severamente a produtividade de inúmeras espécies cultivadas. De modo a contornar tal situação, propõe-se, neste projeto, investigar estratégias de cultivo para mitigar os efeitos deletérios do estresse hídrico em plantas de soja e feijão-caupi, analisando a influência da fertilização com enxofre (S) e magnésio (Mg) na modulação de processos fisiológicos e bioquímicos que medeiam o crescimento de espécies cultivadas; bem como identificar marcadores moleculares e mecanismos de aclimatação ao estresse hídrico e selecionar genótipos com adaptabilidade à seca. O desenvolvimento do projeto será conduzido em duas linhas de ação envolvendo experimentos com plantas de soja (Glycine max) e feijão-caupi (Vigna unguiculata). Na primeira delas, conduzindo experimentos em casa de vegetação, serão determinadas as doses de S e Mg nas quais as plantas apresentem melhor crescimento, sendo mensurados parâmetros de crescimento, a eficiência da maquinaria fotossintética e os teores de pigmentos fotossintéticos. Já na segunda, os experimentos serão realizados em condições de campo e, além dos parâmetros mencionados anteriormente, investigar-se-ão a composição de solutos compatíveis (carboidratos solúveiss, N-aminossolúveis e íons K+ e Na+), as variáveis relacionadas aos danos oxidativos (teores de H2O2, •O2- e peroxidação de lipídeos), o status hídrico das plantas, o ajuste térmico e o perfil metabólico, a fim de elucidar determinantes fisiológicos e bioquímicos e marcadores moleculares de aclimatação ao estresse hídrico, assim como as possíveis correlações da adubação com S e Mg com a tolerância das plantas ao déficit hídrico. Em todos os casos, espera-se que processos envolvidos na aclimatação à seca em plantas de soja e feijão sejam elucidados, com a identificação e a caracterização de genótipos potenciais com tolerância à restrição hídrica para o cultivo em regiões agrícolas do Estado do Piauí. Ao mesmo tempo, espera-se fornecer informações base para o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo, bem como compartilhar experiências e auxiliar na formação qualificada de discentes, e fortalecer a rede de pesquisa da Universidade Federal do Piauí.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Deminice

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • tarvmob: autogestão da terapia antirretroviral usando aplicativo para aparelhos móveis para aumento da aderência em pessoas vivendo com hiv.
  • A terapia antirretroviral ativa (TARV) revolucionou o tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), reduzindo a mortalidade dos pacientes. De fato, a TARV transformou significativamente o curso do HIV de uma doença terminal em uma doença crônica gerenciável. No entanto, para alcançar o resultado benéfico da supressão da replicação viral, aumento da contagem de células CD-4 e melhoria da qualidade de vida, a TARV requer taxas de adesão quase perfeitas (até 95%). A adesão à TARV abaixo deste limiar leva à falha do tratamento, progressão da AIDS e o aparecimento de cepas de HIV resistentes aos medicamentos. Assim, o sucesso do tratamento do HIV/AIDS é dependente da adesão sustentada e estrita da prescrição da TARV. Por este motivo, diversa estratégias têm sido estudadas na tentativa de monitorar e aumentar a aderência de pessoas vivendo com HIV (PVHIV) ao TARV. Dentre muitas, a tecnologia baseada em telefone celular tem sido usada para melhorar a prestação de serviços de saúde em muitos países e diversas situações. No entanto, não há tecnologia baseada em telefone celular para monitorar e aumentar a aderência o TARV no Brasil e em língua portuguesa. O objetivo primário deste projeto é desenvolver aplicativo compatível com telefone celular para monitorar e aumentar aderência de PVHIV no Brasil. Este trabalho é significativo pois o monitoramento da aderência ao TARV por telefone celular pode atingir um grupo geograficamente remoto e culturalmente diversificado de pessoas no Brasil.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 03/03/2020-31/03/2023
Foto de perfil

Rafael Dettogni Guariento

Ciências Biológicas

Ecologia
  • o papel da filogenia, atributos funcionais e contexto ambiental na mediação da estequiometria da reciclagem de nutrientes por peixes
  • Esta pesquisa irá avaliar possíveis causas da variação nas taxas e proporções em que espécies de peixes de água doce reciclam nutrientes limitantes essenciais para a produtividade primária [nitrogênio (N) e fósforo (P)] através da excreção. A ciclagem de nutrientes é um serviço essencial dos ecossistemas. Embora um número considerável de evidências na literatura aponte o importante papel dos peixes na reciclagem de nutrientes, não há estudos que abordem de forma explícita o papel da distinção filogenética (DFI) e distinção funcional (DFU) como fatores mediadores da estequiometria da reciclagem de nutrientes por peixes. DFI, uma medida de parentesco evolutivo entre as espécies, e DFU, uma medida de diferenças morfológicas e comportamentais entre as espécies são medidas de biodiversidade essenciais para compreender as maneiras pelas quais a biodiversidade afeta o funcionamento dos ecossistemas. Um crescente número de evidências demonstra que DFI pode ser um melhor indicador da variação interespecífica sobre processos ecossistêmicos do que a DFU, porque acredita-se que DFI capta e melhor integra diferenças nos traços funcionais que são em último caso produtos da história evolutiva das espécies. Por outro lado, pesquisas recentes sobre a relação entre biodiversidade e funcionamento do ecossistema (BFE) demonstraram que a redundância funcional entre as espécies diminui drasticamente à medida que um número maior de processos ecossistêmicos e contextos ambientais são considerados no estudo. Estes resultados indicam que preservar elevados níveis de multifuncionalidade dos ecossistemas requer um maior número de espécies do que é necessário para preservar funções individuais. Um dos objetivos atuais dentro da teoria da Estequiometria Ecológica (EE), é testar como a estequiometria da reciclagem de nutrientes por consumidores varia em ambientes que diferem em função e disponibilidade de nutrientes, pois os suprimentos relativos destes recursos afetam a composição química dos produtores primários, o que pode restringir a produção secundária de herbívoros e consequentemente dos demais níveis tróficos superiores. No entanto, poucos estudos têm tentado testar se as restrições tróficas bioquímicas que ocorrem entre produtores e herbívoros propagam para os carnívoros, e não há estudos que testaram essas questões com dados de campo considerando vertebrados. Neste projeto propomos: a) realizar uma série de experimentos de excreção in situ com peixes em rios no Estado do Mato Grosso do Sul (i.e., Miranda e Negro) que possuem condições distintas de disponibilidade de luz e nutrientes na coluna d’água; b) quantificar como a estequiometria da reciclagem de nutrientes (excreção) pode ser previsto pela DFI e DFU; c) avaliar como diferentes cenários ambientais afetam a reciclagem de nutrientes por peixes a nível funcional, taxonômico e filogenético; e d) simular como a perda da biodiversidade de peixes afeta a reciclagem de nutrientes, considerando a identidade taxonômica e funcional das espécies em diferentes contextos ambientais. A presente proposta poderá contribuir para lacunas do conhecimento, como: (1) Nenhum estudo quantificou a variação da estequiometria da excreção por peixes através de uma perspectiva multifuncional considerando diferentes contextos; (2) a dissimilaridade filogenética e funcional não têm sido consistentemente utilizadas para prever o efeito de espécies de peixe sobre a excreção de nutrientes; (3) os efeitos da variabilidade ambiental sobre a variação da excreção por peixes nunca foram testados. Espécies de peixes na região centro-oeste vêm sendo perdidas por sobre pesca, destruição de habitat e invasões biológicas. Esta pesquisa pretende ajudar a determinar qual perda de biodiversidade (taxonômica, funcional ou filogenética) irá impactar mais fortemente as funções destes ecossistemas.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Dhalia

Ciências Biológicas

Imunologia
  • avaliação do domínio b da glicoproteína e2, do vírus chikungunya, como ferramenta para o desenvolvimento de antígenos diagnóstico e/ou protótipos vacinais.
  • O Vírus Chikungunya (CHIKV) é atualmente um dos arbovírus de grande relevância médica, pertencente ao gênero Alphavirus (família Togaviridae) e organizado em proteínas estruturais (capsídeo, E3, E2, 6K/TF e E1) e não estruturais (nsP1-4). O CHIKV é transmitido aos seres humanos por espécies de mosquitos Aedes e causa uma infecção debilitante caracterizada por febre, erupção cutânea, miosite e artrite, com dores nas articulações que dura em alguns indivíduos por vários anos. Em 2013, a transmissão do CHIKV ocorreu no Hemisfério Ocidental, e em apenas 18 meses causou mais de 1,4 milhão de casos de infecção nas Américas em mais de 40 países. No Brasil, a febre Chikungunya foi detectada pela primeira vez em agosto de 2010 apresentando um maior número de casos nos anos de 2015 e 2016, mas ainda há registros da doença e suas complicações em tempos atuais. Estudos demonstraram a importância da proteção mediada por anticorpos neutralizantes que ligam-se a epítopos conservados do domínio B, da glicoproteína E2, e inibem a entrada ou a saída do vírus na célula. Estes determinantes antigênicos do domínio B podem ser direcionados para o desenvolvimento terapêutico de antígenos diagnóstico e/ou protótipos vacinais contra múltiplos alphavírus de interesse global. Nessa proposta de projeto foi utilizada a estrutura tridimensional da proteína E2 do vírus CHIKV (PDB ID: 3N44), pertencente à linhagem Indian Ocean, sendo realizada uma avaliação de predição de epítopos (in silico) baseando-se em características estruturais e físico-químicas dos aminoácidos. Dessa forma, foram identificadas duas regiões de interesse na porção do domínio B (Domínio B da Proteína E2 do CHIKV - DBE2/CHIKV). O DNA que codifica a referida região foi comercialmente otimizado, sintetizado e já encontra-se disponível, para que seja iniciada a parte experimental. Os vetores de expressão em bactéria (pET21d e pRSETA), camundongos (p43.2) e humanos (p8L) serão utilizados nas etapas posteriores de subclonagem, visando: a obtenção dos antígenos para ensaios diagnósticos e imunização de coelhos (para aquisição de anticorpo policlonal), imunização e desafio letal de camundongos (para avaliação das respostas imunes humoral, celular e neutralizante) e imunização de humanos (etapa posterior a esta proposta), respectivamente. Sendo as duas últimas construções plasmidiais fusionadas a região C-terminal de LAMP-1 (Lysosomal Associated Membrane Protein - 1) que ativa a via MHC II de apresentação antigênica e caracteriza a estratégia vacinal aqui proposta. Caso os resultados sejam considerados promissores, pretendemos seguir com ensaios pré-clínicos em primatas e estudos clínicos em humanos.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Rafael do Nascimento Grohmann

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • cooperativas de jornalistas: proposta de intervenção no cenário brasileiro
  • O projeto de pesquisa visa, por meio de pesquisa-ação envolvendo universidade e trabalhadores, elaborar uma proposta de intervenção a fim de auxiliar na implantação de cooperativas de jornalistas no Brasil. A partir da investigação de experiências cooperativas em outros países, o projeto busca traçar linhas-chave para iniciativas com base nesta organização do trabalho. No país, há somente uma cooperativa de jornalistas, em Alagoas. Nesse contexto, há iniciativas alternativas aos conglomerados de mídia, como agências ou coletivos, mas a emergência de cooperativas tem sido um ponto-cego, tanto na pesquisa acadêmica quanto no mundo do trabalho na área. Em um cenário de individualização e flexibilização de situações e relações de trabalho, é necessário pensar e construir alternativas coletivas e cooperativas de organização, no mundo do trabalho dos jornalistas.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Dudeque Zenni

Ciências Biológicas

Ecologia
  • unidades de conservação são fontes ou drenos de espécies exóticas invasoras? uma análise de rotas e vetores de invasões biológicas com foco em manejo e restauração.
  • Invasões biológicas estão entre as cinco principais causas de perda de biodiversidade na atualidade, junto com mudanças climáticas, fragmentação e perda de hábitats, poluição e sobre-exploração de recursos. Um levantamento recente realizado pela nossa equipe para 248 unidades de conservação federais indica que ao menos 187 das unidades levantadas mencionam em seus planos de manejo a presença de espécies exóticas invasoras no interior dessas unidades (dados não publicados). Nosso trabalho corrobora publicações recentes na literatura científica que documentam 19 espécies exóticas invasoras de água doce e 148 espécies exóticas invasoras terrestres em 227 unidades de conservação de todas as esferas de governo, sendo 902 registros em unidades de proteção integral e 268 em unidades de uso sustentável. A virtual onipresença de espécies exóticas invasoras em unidades de conservação de proteção integral, a ausência de ações concretas e efetivas de manejo dessas espécies, bem como a magnitude das transformações ecológicas impostas por invasões biológicas, torna essa problemática um dos maiores desafios para a conservação da natureza e uma das prioridades para pesquisa em unidades de conservação. O Parque Nacional do Itatiaia possuía em 2013 registros de ocorrência para 34 espécies exóticas invasoras. Essa quantidade de registros coloca o Parque de Itatiaia em segundo lugar no ranking de unidades de conservação brasileiras com o maior número de espécies exóticas invasoras, atrás apenas do Parque Nacional de Brasília que possui 36 espécies exóticas invasoras registradas. Com esse elevado número de espécies exóticas invasoras, o Parque de Itatiaia é, ao mesmo tempo, uma prioridade para gestão e manejo de invasões biológicas (incluindo restauração de áreas invadidas) e uma excelente oportunidade para a realização de pesquisas sobre ecologia e manejo de hábitats invadidos e em recuperação ecológica pós-invasão. O projeto ora proposto irá contribuir com a construção do conhecimento ecológico sobre comunidades e ecossistemas afetados por ações antrópicas, bem como apoiar ações de manejo e controle de invasões biológicas em unidades de conservação de proteção integral. Unidades de conservação no Brasil ainda carecem de um sistema para detecção, monitoramento, prevenção e priorização para espécies exóticas potencialmente invasoras e invasoras. Virtualmente todas as unidades de conservação se baseiam apenas em listas qualitativas de espécies para tomar decisões de manejo. Essas listas tendem a ser incompletas, inconsistentes e de pouca valia para tomada de decisão uma vez que não indicam situação populacional, áreas, hábitats e ecossistemas sob maior risco potencial e situações prioritárias. O sistema de levantamento quantitativo de espécies exóticas, de rotas e vetores de dispersão e determinação de áreas prioritárias com maior potencial de invasão que estamos propondo nesse projeto é pioneiro e, se bem-sucedido, poderá ser replicado em qualquer unidade de conservação e até mesmo em áreas particulares. Desta forma, entendemos que o desenvolvimento de um sistema de monitoramento, detecção, prevenção de invasões é um produto tecnológico inovador resultante da realização desse projeto. Do ponto de vista científico, a presente proposta visa aprofundar o conhecimento sobre a efetividade das unidades de conservação de proteção integral para a preservação da biodiversidade em face à presença de espécies exóticas invasoras. O paradigma atual da conservação afirma que áreas protegidas sofrem pressão de invasões biológicas da matriz antropizada uma vez que áreas antropizadas ao redor das unidades são fontes de espécies exóticas que podem se disseminar para dentro da unidade preservada e invadir, prejudicando populações de espécies nativas e ecossistemas. Porém, o levantamento recente feito pelo nosso grupo de pesquisa, em conjunto com a literatura científica recente, indica que a ampla maioria das unidades de conservação hospeda espécies exóticas invasoras em seu interior e que muitas dessas invasões são resultado do abandono de áreas cultivadas pré-criação das UC. Espécies exóticas que eram manejadas antes da criação das UC deixaram de ser manejadas com a desapropriação da área e tiveram a oportunidade de se naturalizar e, em alguns casos, invadir. Tal situação normalmente não ocorre no entorno da Unidade, onde, na maioria dos casos, espécies exóticas utilizadas em sistemas produtivos são permanentemente manejadas. A hipótese de unidades de conservação como potenciais hospedeiras e fontes de espécies exóticas invasoras nunca foi testada e, se corroborada, poderia mudar um dos paradigmas centrais da Biologia da Conservação.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 11/12/2017-31/12/2020
Foto de perfil

Rafael Eduardo Chiodi

Outra

Ciências Ambientais
  • água, energia e alimento: aplicação da abordagem nexus para contribuir com a gestão dos recursos naturais na área de contribuição do sistema produtor de água cantareira.
  • O projeto visa aplicar a abordagem nexus (água-energia-alimento) de modo pioneiro para aprofundar a compreensão de aspectos inter-relacionados à sustentabilidade dos usos dos recursos naturais na área de contribuição dos mananciais do Sistema Produtor de Água Cantareira, em Minas Gerais e São Paulo. O Sistema Cantareira abastece quase a metade da população da Região Metropolitana de São Paulo, possui cerca de 230 mil hectares e abrange quadro municípios mineiros e oito paulistas. Por tal importância, é uma área prioritária para a conservação e uso sustentável dos recursos naturais. Em 2011, está área estava ocupada predominantemente por atividades antrópicas, especialmente pastagens e eucaliptos (62% do total). Estes usos do solo refletem as principais atividades econômicas em pequenas e médias propriedades rurais, a produção de alimento (leite e carne) e de energia (carvão e lenha). Ao mesmo tempo, estas atividades se apresentam críticas para a conservação dos recursos hídricos do sistema devido ao modo como são manejadas. Em certa medida, este cenário, nos últimos anos, atraiu para a região novas instituições e atores interessados na gestão sustentável dos recursos naturais. Considerando tal contexto de análise, o presente projeto propõe mobilizar a abordagem nexus para o desenvolvimento de soluções sustentáveis para garantir, de forma integrada, a segurança hídrica, energética e alimentar. Para tanto, estabelece três objetivos específicos: 1) Pesquisar a multiplicidade de instituições, de atores e de espaços de participação sob a ótica da abordagem nexus água-energia-alimento na área de abrangência do Sistema Cantareira; 2) Avaliar o balanço entre os benefícios econômicos e ambientais na produção de eucalipto para fins de geração de energia (lenha e carvão); e 3) Avaliar o balanço entre os benefícios econômicos e ambientais da criação de gado para fins de geração de alimento (carne e leite). Como estratégias de pesquisa para cumprir o primeiro objetivo propõe-se realizar: pesquisa documental e bibliográfica, pesquisa de campo por meio de entrevistas, visitas, participação em reuniões e observação. Para cumprir o segundo e o terceiro objetivo serão aplicados diferentes métodos para quantificar os serviços ecossistêmicos e as externalidades geradas em plantios de eucaliptos, em pastagens sem e com manejo ecológico, além de valorar economicamente os serviços ecossistêmicos e as externalidades geradas em plantios de eucalipto e na criação de gado. O projeto será executado em estreita parceria entre pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (Departamento de Administração e Economia e de Ciência do Solo) e do Instituto de Pesquisas Ecológicas-IPÊ. Essas instituições e os seus pesquisadores vinculados à proposta vêm nos últimos dez anos atuando no contexto do Sistema Cantareira dentro de diferentes temáticas ligadas ao uso e conservação dos recursos hídricos, restauração ecológica, políticas públicas agroambientais e na articulação regional para a gestão sustentável do sistema. Espera-se com a realização desse projeto e com aplicação da abordagem nexus (água-energia-alimento), que interpretações inovadoras possam ser disponibilizas para os atores diretamente envolvidos com a gestão do Sistema Cantareira, permitindo que novos processos, técnicas e tecnologias socioambientais possam ser criadas e implementadas nesse contexto.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 09/02/2018-31/05/2021
Foto de perfil

Rafael Felipe da Costa Vieira

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • anaplasma marginale em pequenos ruminantes: infecção acidental ou negligenciada?
  • Anaplasma marginale é uma bactéria intraeritrocítica obrigatória, conhecida por causar a anaplasmose bovina. Encontra-se distribuída em todo o mundo e causa grandes perdas econômicas na indústria bovina de carne e leite. Carrapatos dos gêneros Dermacentor e Rhipicephalus são implicados na transmissão de A. marginale, sendo Rhipicephalus microplus a espécie responsável pela transmissão da anaplasmose bovina no Brasil. A. marginale foi descrita em muitas espécies, porém estudos envolvendo a detecção desta bactéria em pequenos ruminantes são escassos. Recentemente, nosso grupo detectou molecularmente A. marginale em caprinos (Capra hircus) do nordeste do Brasil. O sequenciamento do gene msp1α do A. marginale detectado revelou a repetição F. Esse foi o primeiro relato molecular de infecção por A. marginale em caprinos e a primeira descrição da repetição F no Brasil. Amblyomma parvum e R. microplus foram encontrados infestando os animais. Dessa forma, os caprinos podem desempenhar um papel na epidemiologia dessa bactéria como um hospedeiro reservatório ainda não reconhecido, principalmente porque sistemas de consorciada de ruminantes, caprinos, ovinos e bovinos, são uma prática de subsistência familiar comum em propriedades de pequenos produtores. Neste sentido, objetiva-se identificar a presença e o genótipo de Anaplasma marginale em amostras de sangue de caprinos, ovinos, bovinos e nos carrapatos, especificidade dos agentes isolados e fatores associados a infecção em sistemas de criação consorciada do nordeste do Brasil. Para isto, serão coletadas amostras de sangue de 1.152 animais (384 ovinos, 384 bovinos e 384 caprinos), mantidos em sistema integrado de pastagem. Os animais serão provenientes dos biomas do nordeste brasileiro: mata atlântica (região da zona da mata de Pernambuco) e caatinga (Petrolina/PE) e um ponto de transição entre mata atlântica e caatinga (uma propriedade rural do estado da Paraíba). O estudo envolverá ainda a coleta e identificação de carrapatos, além do preenchimento de um questionário epidemiológico pelos proprietários dos animais. As amostras serão submetidas a protocolos de PCR para detecção de fragmentos dos genes msp1α, msp4 e msp5 de A. marginale e as amostras positivas serão submetidas ao sequenciamento.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Firmani Perna

Engenharias

Engenharia Química
  • produção enzimática de frutooligossacarídeos em reator de leito fixo a partir de células íntegras imobilizadas de aspergillus oryzae
  • Os frutooligossacarídeos (FOS) são oligômeros de frutose constituídos por kestose, nistose e beta-frutofuranosilnistose. Esses açúcares, de baixa caloria, são classificados como prebióticos, não são cariogênicos, podem ser consumidos por diabéticos, aumentam a absorção de cálcio e magnésio pelo organismo humano e, por não serem hidrolisados pelas enzimas gastrointestinais, promovem a seletividade de bactérias probióticas na microbiota intestinal, auxiliando na eliminação de microrganismos patogênicos e na prevenção do câncer de cólon. Os FOS, ainda, ajudam na redução do colesterol, triacilgliceróis e fosfolipídios no sangue, sendo amplamente utilizados pela indústria alimentícia como açúcares funcionais. Apesar dos benefícios, os FOS não são produzidos industrialmente no Brasil que é um dos maiores produtores mundiais de sacarose, matéria-prima utilizada para a produção de FOS, sendo o seu consumo dependente de importação. O país carece de tecnologia capaz de produzi-los a baixo custo e por meio de processos contínuos que permitam sua produção em escala industrial. A conversão de sacarose em FOS é realizada pela ação da enzima frutosiltransferase (FTase, E.C. 2.4.1.9) por reação de transfrutosilação e o Aspergillus oryzae IPT-301 se destaca como fonte microbiana potencialmente produtora desta enzima. Diante disso, este projeto de pesquisa propõe desenvolver um processo biotecnológico voltado à produção contínua de FOS em reator de leito fixo (PBR) a partir de biomassa catalítica microbiana imobilizada, utilizando sacarose comercial como reagente. A proposta difere dos processos convencionais existentes, cuja produção de FOS ocorre em reator batelada. Portanto, espera-se desenvolver um processo que seja passível de ampliação de escala e viável para aplicação industrial, com parâmetros operacionais otimizados, capaz de produzir FOS em modo contínuo e a baixo custo, por meio de reatores enzimáticos.
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Freitas de Oliveira Franca

Ciências Biológicas

Imunologia
  • construção e caracterização de lentivirus como ferramenta de delivery para superexpressão de genes em células humanas de linhagem mielóide
  • Algumas evidências sugerem que o aumento de expressão do gene Brain And Acute Leukemia Cytoplasmic (BAALC) está associado à imaturidade celular e resistência a quimioterápica em vários tumores humanos. Entretanto, sua função biológica ainda não está completamente esclarecida. É importante ressaltar que este gene foi recentemente associado a um pior desfecho clínico em pacientes com leucemias agudas, incluindo a leucemia promielocítica aguda (LPA) (Lucena-Araujo et al., Blood Adv. 2017 Sep 15;1(21):1807-1814). Esta leucemia é reconhecida como o primeiro modelo de doença genética adquirida tratada com uma droga específica, o ácido all-trans retinóico (ATRA), o qual, associado com quimioterapia, induz diferenciação terminal seguida de apoptose das células leucêmicas. Contudo, cerca de 20% a 30% dos pacientes apresentam resistência ao tratamento ou evoluem para o óbito ainda durante a fase de indução (mortalidade precoce). É teoricamente possível que a expressão desbalanceada do gene BAALC em blastos leucêmicos de LPA possa está associado com resistência ao tratamento e, de certa forma, relacionado com a fisiopatogenia da doença. Desta forma, o presente projeto tem como proposta determinar o significado funcional (in vitro) do gene BAALC em linhagem celular específica de LPA (NB4) e sua contrapartida resistente à ação diferenciadora do ATRA (NB4R2), avaliando proliferação, apoptose induzida por drogas e taxa de diferenciação celular induzida pelo ATRA.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Rafael Geraldeli Rossi

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • aprendizado de máquina baseado em uma única classe: algoritmos e aplicações
  • Dados disponíveis em formato digital têm aumentado de maneira incessante. Esses dados estão em diferentes formatos, como (i) textos produzidos dentro das empresas, portais de notícias, blogs e redes sociais; (ii) imagens produzidas por satélites, drones, câmeras digitais e exames médicos; (iii) dados numéricos produzidos por resultados por exames ou aparelhos de mensuração que gerem tais dados; e (iv) sequencias de genes. É humanamente impossível realizar tarefas como a organização, gerenciamento, e extração de conhecimento de grandes volumes de dados, os quais são úteis tanto na área acadêmica quanto comercial. Uma das técnicas para se realizar tais tarefas automaticamente é a classificação automática. Para que se possa realizar a classificação automática, é preciso construir um modelo de classificação. Esse modelo é normalmente construído por técnicas de aprendizado de máquina, as quais visam extrair padrões de exemplos e respectivos rótulos (identificadores de classe). A maioria das pesquisas e aplicações práticas ainda fazem uso do aprendizado supervisionado multi-classe. Neste cenário, o usuário ou especialista de domínio responsável pela rotulação deve definir todas as classes nas quais os exemplos poderão ser atribuídos, bem como uma grande quantidade de exemplos de documentos pertencentes a cada uma dessas classes (documentos rotulados). Isso pode ser oneroso ao rotulador e demandar conhecimento absoluto sobre o problema a ser tratado. Além disso, neste mesmo cenário, será atribuído à um exemplo não rotulado sempre uma das categorias que foram informadas durante a construção do modelo de classificação, mesmo que a classe real desse exemplo não seja uma das classes previamente informadas. Para sanar essas dificuldades do aprendizado supervisionado multi-classe tradicionalmente utilizado, e para deixar mais prática a aplicação da classificação automática em situações em que o usuário esteja interessado em uma única classe (também denominada classe alvo ou classe de interesse), têm ganhado interesse nos últimos anos a área de aprendizado baseado em uma única classe. Neste tipo de aprendizado, são informados apenas exemplos da classe de interesse para construir o modelo de classificação, e portanto, diminui-se o esforço do usuário de rotulação e conhecimento do domínio por parte do usuário. Nesta abordagem, o classificador irá classificar um exemplo como sendo da classe de interesse ou não sendo da classe de interesse (também denominado \textit{outlier}). Aplicações como sensoriamento \textit{web} para melhorar a previsão em aplicações financeiras, econômicas, na climatologia, no mercado de ações, fenômenos naturais, recomendação de materiais didáticos ou notícias, sensoriamento de imagens para identificar predadores, áreas de desmatamento, ocupação do solo, ou qualquer outra situação onde seja difícil fornecer diversas categorias de exemplos que não sejam de interesse do usuário, podem ser beneficiadas por este tipo de técnica. Entretanto, no aprendizado supervisionado baseado em uma única classe, vários os algoritmos consideram que a classe é dada por uma única distribuição ou por uma única região densa no espaço. Porém, em diversos tipos de dados e domínios de aplicação, classes podem ser compostas por múltiplas distribuições (subclasses). Portanto, uma lacuna na literatura é a exploração de propostas de técnicas para induzir modelos de classificação baseados em uma única classe considerando as diferentes distribuições ou regiões de pontos de uma classe de interesse. Outro ponto em aberto é o impacto de técnicas de pré-processamento dos dados gerar representações estruturadas dos exemplos, as quais são interpretadas pelos algoritmos de aprendizado de máquina, uma vez que na literatura o impacto do uso de tais técnicas ainda não está claro. Por fim, outra lacuna refere-se ao fato de as técnicas de aprendizado baseadas em uma única classe, em sua maioria, fazem uso de aprendizado supervisionado, isto é, o modelo é construído apenas considerando os exemplos rotulados. Para tornar mais prática a tarefa de classificação e melhorar a performance do modelo de classificação, também têm ganhado destaque nos últimos anos o aprendizado semissupervisionado, o qual é capaz de realizar o aprendizado utilizando tanto exemplos rotulados quanto não rotulados, os quais são fáceis de serem coletados e podem melhorar a performance de classificação por melhor caracterizar a distribuição das classes. Em geral, no aprendizado multi-classe, algoritmos de aprendizado semissupervisionados que consideram dados representados em redes demonstram ganhos na performance de classificação ao utilizar dados não rotulados em relação aos algoritmos baseados no modelo espaço-vetorial, os quais muitas vezes tem seu desempenho degradado ao considerar os exemplos não rotulados no aprendizado. Porém, no aprendizado baseado em uma única classe, observa-se majoritariamente na literatura a adaptação de técnicas de aprendizado de máquina baseadas no modelo espaço vetorial. Dado isso, esse projeto visa sanar lacunas existentes na área de aprendizado baseado em uma única classe por meio da realização de avaliações experimentais mais robustas, com mais métodos de aprendizado de máquina para o aprendizado baseado em uma única classe, maior utilização de valores de parâmetros dos algoritmos, aplicação e comparação de técnicas de pré-processamento de dados, além da proposta de métodos que baseados em técnicas que demonstram ser melhores que as técnicas utilizadas na literatura, principalmente técnicas de aprendizado baseado em redes. Com isso, visa-se elucidar a utilização do aprendizado baseado em uma única classe na prática, além de avançar no estado-da-arte, e de disponibilizar produtos para a aplicação dos conceitos desenvolvidos neste projeto em aplicações práticas e em outros projetos de pesquisa.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Gomes da Silveira

Outra

Multidisciplinar
  • xxi feira de ciência e tecnologia do if goiano - campus ceres
  • O projeto propõe a realização da “XXI Feira de ciências e tecnologia do IF Goiano – campus Ceres” a ser realizada dentro da programação da 17º semana nacional de ciência e tecnologia – Inteligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira. O evento público ocorrerá de forma gratuita, onde serão disponibilizados aos participantes no formato de divulgação científica várias palestras, mini-cursos, mesa redonda, exposição de trabalhos em diversas áreas das ciências, sendo que o tema “in-teligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira” como destaque no evento. O evento já faz parte do calendário acadêmico da instituição, sendo de grande importância para que a comuni-dade local tenha contato com o conhecimento científico, divulgação científica, tecnológica e de ino-vação. Especificamente almeja-se: (1) Promover a troca de experiências vivenciadas pela comunida-de acadêmica da região do vale do São Patrício principalmente nas cidades: Ceres, Rialma, Carmo do Rio Verde, Uruana, Rubiataba, Ipiranga de Goiás, Pilar de Goiás, Itapaci, Nova Glória, Rianápo-lis; (2) Divulgar como o conhecimento científico pode ajudar a resolver problemas no nosso dia a dia; (3) Promover a integração entre comunidade local e o campus Ceres do IF Goiano. (4) Divulgar as pesquisas realizadas dentro do campus Ceres do IF Goiano e seu impacto na região; (5) Divulgar para a comunidade local os cursos técnicos integrados, graduação e pós-graduação do campus Ceres do IF Goiano. A feira de ciências tradicionalmente tem a participação de um público muito hetero-gêneo que compreende participantes de todos os níveis educacionais, como alunos da educação in-fantil, educação básica, graduação, pós-graduação das redes públicas e privadas, da comunidade local em geral, além de professores e técnicos administrativos do campus Ceres do IF Goiano. O projeto será realizado em três dias, adotando o formato de feira de ciências online com a apresenta-ção de trabalhos científicos e divulgação científica, além de várias atividades culturais. Nessa opor-tunidade pesquisadores de diversas áreas como agronomia, zootecnia, química, física, biologia, ciên-cias da computação, terão oportunidade de interagir com uma grande quantidade de pessoas. Devi-do o momento de exceção vivido no ano de 2020, com a declaração de pandemia de coronavírus pela OMS, o evento deverá sofrer modificações em relação aos anos anteriores, o evento ocorrerá preferencialmente de forma virtual. A XXI feira de ciências do campus Ceres do IF Goiano será rea-lizada de 21 a 23 de outubro de 2020 em Ceres - Goiás e tem um orçamento total de R$ 20.000,00.
  • Instituto Federal Goiano - GO - Brasil
  • 20/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Rafael Guilherme Burstein Goldszmidt

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • pobreza, desigualdade e comportamento pró-social
  • Quem se comporta mais pró-sociavelmente: os que estão no topo ou na base da hierarquia social? Embora um corpo crescente de pesquisas tenha examinado essa questão, proposições teóricas e evidências empíricas são frequentemente incongruentes. Embora parte da literatura defenda e documente uma relação negativa entre classe social e comportamento pró-social, há também evidências convincentes indicando o contrário. Apesar da clara discrepância nos resultados de seus estudos — que por si só já revela a necessidade de uma investigação mais aprofundada sobre o tópico —, essas duas linhas de pesquisa também compartilham algumas grandes limitações empíricas. Em primeiro lugar, os estudos que ligam a classe social ao comportamento pró-social usam tipicamente amostras do mundo desenvolvido, onde a desigualdade e a pobreza tendem a ser menos pronunciadas. Em segundo lugar, embora a pró-socialidade englobe uma ampla gama de comportamentos pró-sociais socialmente significativos, as análises empíricas geralmente optam por uma visão limitada ao operacionalizá-la. Ao fazer isso, as pesquisas têm frequentemente negligenciado o fato de que a desigualdade econômica molda a relação entre classe social e comportamento pró-social e que diferentes comportamentos pró-sociais requerem diferentes recursos psicossociais, que podem variar ao longo do espectro da classe social. Através de estudos qualitativos e quantitativos, pretendemos ajudar a esclarecer o debate em curso sobre o padrão de associação entre classe social e pró-socialidade, superando algumas limitações críticas de pesquisas anteriores. Ao contrário da maioria dos estudos, pretendemos (1) conduzir nossas análises com pessoas dos extremos opostos do espectro socioeconômico em um país em desenvolvimento; (2) analisar de que maneira os indivíduos em situação social de classes sociais contrastantes agem em uma série de comportamentos, ao invés de nos concentramos em apenas alguns; e (3) variar as causas às quais esses comportamentos pró-sociais estão associados para replicar os típicos pedidos de ajuda encontrados em contexto real. A pesquisa empírica ocorrerá no Rio de Janeiro, com acesso a participantes de classes sócio-econômicas mais elevadas na Zona Sul da cidade e os de classe sócio-econômica menos favorecida no complexo de favelas da Maré, em que uma parceria com organizações locais viabilizará os estudos. A abordagem metodológica considerará uma primeira fase de pesquisa qualitativa com grupos de foco e entrevistas em profundidade. Uma segunda fase considerará levantamentos amostrais e, finalmente, serão realizados experimentos aleatorizados. Para tanto, se utilizará um laboratório de experimentos situado no Complexo da Maré implementado em parceria da FGV com organizações locais.
  • Fundação Getúlio Vargas - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Humberto de Carvalho

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • identificação e caracterização de fraudes em produtos cárneos
  • O controle de qualidade na indústria de carnes é tradicionalmente realizado por meio de análises químicas, físicas e microbiológicas. Estas análises são demoradas, trabalhosas e destrutivas. Em geral, estes métodos podem ser substituídos por técnicas instrumentais indiretas, rápidas e de fácil operação. Nesse contexto, a análise por meio de espectros digitais (espectrometria) tem sido utilizada na inspeção de produtos alimentícios, na linha de processamento, para avaliação da qualidade de alimentos e identificação rápida de problemas de qualidade com mínima intervenção humana e assim evita os demorados processos para preparo de amostras. Esta técnica oferece uma série de vantagens em relação aos métodos tradicionais de avaliação de qualidade, incluindo as medições rápidas, objetivas e o preparo de amostras. Há facilidade de adaptação para medidas “on-line” e possibilidade de determinação simultânea de vários atributos. Não menos importante, despontam os parâmetros físico-químicos, a oxidação de proteínas e lipídeos em carnes e seus derivados, pois tais fenômenos contribuem para a piora na qualidade nutricional e perda da inocuidade do produto. Além disso, os produtos das oxidações estão intimamente correlacionados com inúmeras enfermidades que acometem a saúde humana. Desta forma, este projeto visa desenvolver e aplicar a técnica de espectroscopia para classificação e avaliação de produtos cárneos fraudados, bem como avaliar os parâmetros físicos-químicos, oxidação de proteínas e lipídeos nesses produtos. Uma vez desenvolvido o método, os resultados promoverá subsídios tecnológicos e científicos para a indústria cárnea e órgãos de fiscalização, permitindo maior rapidez na verificação dos produtos, a fim de garantir maior qualidade aos seus produtos. Além da contribuição técnica e científica, este projeto atenderá também a formação de estudantes de iniciação centífica com disseminações dos resultados em eventos nacionais e internacionais e publicações em periódicos científicos de impacto na área.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael José Navas da Silva

Ciências Agrárias

Agronomia
  • a certificação orgânica por controle social na venda direta: impactos na agricultura familiar de alagoas
  • Nos últimos anos a produção orgânica no Brasil e no mundo vem aumentando em especial pela crescente preocupação dos consumidores quanto à qualidade dos alimentos e riscos de contaminação por agroquímicos. Nesse cenário, a certificação orgânica proporciona maior garantia de que produtos rotulados e comercializados como orgânicos tenham de fato sido produzidos dentro dos padrões desse modelo de produção e seguindo as normas e legislação estabelecidas. No Brasil, a legislação sobre o tema é definida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o qual contemplou na Lei nº 10.831/2003 a possibilidade de obtenção da certificação orgânica de forma gratuita para os agricultores familiares que seguem as normas e que vendem diretamente aos consumidores. Essa modalidade é denominada de “Controle Social na Venda Direta”, sendo uma exceção existente apenas no Brasil, e quem dá a garantia da qualidade orgânica é o próprio produtor, acompanhado de perto pela sociedade, tendo como base a relação de confiança entre quem vende e quem compra. Essa possibilidade permite aos agricultores familiares agregarem valor aos seus produtos, sem custo adicional, pois as demais formas de certificação geram custos elevados em razão de auditorias regulares às propriedades, o que inviabiliza a certificação para os segmentos menos capitalizados. Em Alagoas existem 97 produtores nessa modalidade, que se localizam nas distintas regiões do estado e comercializam seus produtos nos principais centros consumidores. Nesse contexto, o objetivo desse projeto é analisar os impactos do sistema de Certificação por Controle Social na Venda Direta nos modos de produção e geração de renda entre agricultores familiares de Alagoas. O presente projeto busca uma abordagem interdisciplinar entre questões técnicas de produção e manejo e impactos socioeconômicos da certificação orgânica, bem como a compreensão dos agricultores quanto à legislação e as dificuldade encontradas no processo. A pesquisa será realizada com 68 agricultores familiares inseridos no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, que compõem 11 grupos de controle social, distribuídos em 13 municípios, nas três mesorregiões de Alagoas, contemplando aproximadamente 70% dos beneficiados por essa modalidade de certificação no estado. Para o levantamento dos dados serão utilizadas técnicas com princípios sociológicos e antropológicos, por meio de entrevistas parcialmente estruturadas (em que há um diálogo livre entre pesquisador e informantes), observação participante (em que o pesquisador participa da rotina e atividades dos pesquisados), e a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA) para diagnóstico de segurança alimentar. Como resultado pretende-se compreender as estratégias adotadas na produção orgânica animal e vegetal, considerando as características das propriedades, os benefícios e impactos para comercialização dos produtos e geração de renda, bem como a compreensão e cumprimento das normas previstas na legislação e as dificuldades encontradas pelos agricultores. Como impacto do projeto, espera-se a obtenção de dados que orientem a difusão da certificação orgânica por Controle Social na Venda Direta entre agricultores, bem como as estratégias de produção adotadas. Como produto, pretende-se a apresentação e publicação de trabalhos em eventos científicos e de artigos em periódicos e dados para subsidiar ações na área.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael José Vilela de Oliveira

Ciências Agrárias

Agronomia
  • micobiota endofitica foliar em árvores de sombra de um plantio de cacau (cabruca) no sul da bahia, brasil
  • Fungos endofíticos são definidos como microrganismos que habitam tecidos de vegetais sem causar prejuízos ao seu hospedeiro (AZEVEDO & ARAÚJO, 2007). Estes microrganismos podem conferir a sua planta hospedeira maior resistência à ambientes estressantes (MARINA et al., 2011), contribuindo na tolerância à estresses abióticos como altas e baixas temperaturas, salinidade e seca (HUBBARD, 2013; RODRIGUEZ et al., 2008). Também podem promover o crescimento das plantas (BARELLI et al., 2016; KHAN et al., 2011; HAMAYUN et al., 2010) por meio da fixação de nitrogênio, assimilação de fósforo e produção de fito-hormônios (HOFFMAN et al., 2013; KOZYROVSKA et al., 1996; STOLTZFUS et al., 1997; VESSEY et al., 2003). Além disso, algumas espécies podem ser utilizadas no controle biológico de pragas de interesse agronômico (SUDHA et al., 2016; VIDAL et al., 2015), controle de doenças vegetais (LARRAN et al., 2016; SOUZA et al., 2016) e na proteção contra diferente patógenos (BACON et al., 2016). Fungos endofíticos têm sido estudados em vários vegetais de interesse econômico como arroz, café, soja e uva (LIMA et al., 2014; NAIK et al., 2009; OLIVEIRA et al., 2014a; PIMENTE et al., 2006; SETTE et al., 2006; VARANDA et al., 2016; VAZ et al., 2014;) além de vegetais de regiões tropicais (ARNOLD & LUTZONI 2007; SINGH et al., 2017; SOLIS et al., 2017; SURYANARAYANAN et al. 2011). Outros estudos recentes têm sugerido que a diversidade de fungos é mais acentuada em áreas tropicais úmidas (ARNOLD et al., 2000; CHANDRA, 2012). Segundo checklist realizado por Silva et al. (2012) foram reportadas mais de 200 espécies de fungos endofíticos ocorrendo em diversos hospedeiros de regiões tropicais. O Brasil tem demonstrados ser uma importante fonte de novidades taxonômicas de espécies de fungos endofíticos além de espécies promissoras na utilização na indústria e na agricultura. Táxons encontrados em espécies de plantas economicamente importantes no nordeste brasileiro têm sido descritos como novas espécies: Phaeosphaeria nodulispora em Cocos nucifera (OLIVEIRA et al., 2014c), Pseudophialophora sorghi em Sorghum bicolor (CROUS et al., 2017) e Preussia citrullina em Citrullus lanatus (CROUS et al., 2018). Na Mata atlântica, Neopestalotiopsis pernambucana foi descrita como uma nova espécie (SILVÉRIO et al., 2016) e na Caatinga Bezerromycetales e Wiesneriomycetales foram descritas como novas ordens, Bezerromycetaceae como nova família, Bezerromyces e Xiliomyces como novos gêneros e B. brasiliensis, B. pernambucoensis, X. brasiliensis como novas espécies (BEZERRA et al., 2017). Cabruca é sistema tradicional de cultivo do cacau no sul da Bahia, no qual as mudas são plantadas à sombra das árvores da mata nativa, após esta ter sido submetida a um raleamento de seu sub-bosque. O sul da Bahia apresenta ainda uma significativa concentração de árvores nativas devido ao sistema tradicional de plantio do cacau sob a sombra da floresta raleada (ARAÚJO et al. 1998) sendo o Sistema Agroflorestal Cabruca de grande relevância para os remanescentes de Mata Atlântica do sul Bahia (OLIVEIRA et al., 2011). No entanto, devido à crise econômica, os produtores vêm procurando novas fontes complementares de renda e em muitos casos substituindo as árvores sombreadoras nativas por exóticas de interesse econômico (SAMBUICHI 2006). Diante disso, o objetivo deste trabalho é estudar a diversidade de fungos endofíticos com base em dados morfológicos e moleculares (DNA) em folhas de espécies nativas localizada em sistema agroflorestal de cultivo de cacau (cabruca) no sul da Bahia, Brasil.
  • Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Linden

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento e validação de estratégias analíticas inovadoras para estimar o consumo de drogas através da análise de esgoto em novo hamburgo-rs
  • O abuso de drogas lícitas e ilícitas (DLI) é um problema global para a saúde pública, bem como para o bem-estar social e econômico. Desta forma, existe um interesse significativo em monitorar o seu consumo. Informações epidemiológicas relevantes sobre hábitos de vida podem ser obtidas a partir da análise química de águas residuais urbanas. Esta abordagem, denominada epidemiologia baseada no esgoto (EBE), baseia-se na análise de produtos específicos de excreção humana em águas residuais como indicadores de consumo da população servida pela rede de esgotos sob investigação. A EBE tem sido aplicada com sucesso como uma abordagem adequada para a estimativa do consumo de drogas ilícitas, mas também tem sido empregado recentemente para avaliar outros fatores relacionados ao estilo de vida, como consumo de álcool e nicotina. Além dessa abordagem epidemiológica, também há implicações ambientais. Apesar das concentrações ambientais serem baixas, elas podem potencialmente afetar a saúde humana e o ecossistema. O presente trabalho tem por objetivo quantificar DLI no influente de uma estação de tratamento de esgoto (ETE) e com isso estimar o consumo de drogas pela população. Para o cálculo da estimativa de consumo é necessário obter uma amostra representativa e para isto uma das alternativas é a coleta de águas residuais com amostradores passivos. O amostrador integrativo químico orgânico polar (Polar organic chemical integrative sampler, POCIS) será desenvolvido e validado neste estudo. Para quantificar os analitos será desenvolvido e validado um método analítico de elevada sensibilidade baseado em cromatografia líquida de alta eficiência associada a espectrometria de massas sequencial (LC-MS/MS).
  • Universidade Feevale - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Maciel de Freitas

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • o infravermelho próximo (nirs) como ferramenta para aprimorar a vigilância epidemiológica de arbovírus
  • Arboviroses como dengue, chikungunya, Zika e febre amarela causam grande impacto econômico, altas morbidades e significativo número de óbitos nos centros urbanos brasileiros. Com a exceção da febre amarela, não existem vacinas comerciais eficazes para proteção humana. Desta maneira, a forma mais indicada para mitigar ou evitar surtos ainda é intensificar atividades de controle vetorial. Contudo, considerando que os casos de qualquer agravo são heterogêneos no espaço e no tempo, campanhas de controle vetorial não devem se homogêneas no território, mas precisam ser guiadas para as áreas da cidade onde há maior risco de haver transmissão. Por exemplo, campanhas de controle poderiam ser direcionadas para os arredores do local onde um mosquito infectado foi detectado. Essa proposta pretende avaliar a eficácia de uma nova tecnologia em diagnosticar infecção de arbovírus em Aedes aegypti coletados em campo. Para o diagnóstico, usaremos uma técnica conhecida como NIRS (Near Infrared Spectroscopy), a espectroscopia do infravermelho próximo. A técnica mede a energia vibracional irradiada refletida de uma amostra biológica pela penetração parcial do feixe eletromagnético, entre 700 e 2500 nanômetros. Esta técnica é considerada: (a) não destrutiva, pois preserva o material biológico, (b) de baixo custo, pois não requer aplicação de reagentes e (c) rápida, visto que um técnico treinado é capaz de realizar a leitura de uma amostra em apenas 3 segundos. Alterações no espectro de absorção são causadas por diferenças na composição e concentração de moléculas orgânicas presentes na amostra (em nosso caso em mosquitos Aedes aegypti). O diagnóstico de infecção por arbovírus (DENV, ZIKV, CHIKV e FA) será investigado em Rio de Janeiro/RJ e Foz do Iguaçu/PR. A coleta de mosquitos adultos se dará através de aspiradores costais (Rio de Janeiro) ou de 3476 armadilhas Adultrap vistoriadas uma vez por mês desde março/2016 (Foz). Usaremos a densidade de Ae. aegypti coletados e o diagnóstico de infecção viral para produzir mapas de risco de transmissão para cada agravo, em cada localidade. Juntamente com as Instituições colaboradoras dos municípios escolhidos, uma ação específica de controle será executada, desde busca e eliminação de criadouros (Rio de Janeiro) até aplicação de adulticida. Por fim avaliaremos o impacto que o diagnóstico rápido, seguido de ações de controle/tratamento, podem ter na epidemiologia de arboviroses nestas localidades.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Matos Ximenes

Ciências da Saúde

Farmácia
  • myrciaria floribunda (h.west ex willd.) o.berg (myrtaceae): um super fruto da caatinga com potencial para o tratamento de doenças inflamatórias intestinais
  • Myrciaria floribunda (H.West ex Willd.) O.Berg (Myrtaceae) é uma espécie nativa do Brasil e encontrada em todo o território nacional. Seus frutos, consumidos in natura ou na forma de doces e licores, são ricos em compostos fenólicos (como ácido elágico e gálico), flavonóis (como quercetina, isoquercetina e campferol), antocianinas (principalmente delfinidina 3-O-glicosídeo e cianidina 3-O-glicosídeo), vitaminas (ácido ascórbicos e carotenoides), além de fibras solúveis. Além do consumo alimentar, a espécie é utilizada na medicina popular no tratamento de inflamações e afecções do trato gastrointestinal. Sua composição, aliada ao uso etnofarmacológico da espécie, aponta para uma possível eficácia no tratamento de doenças inflamatórias intestinal. Esse conjunto formado por doenças como a colite ulcerativa e a doença de Crohn tem como principal tratamento os aminossalicilatos, corticosteroides e imunossupressores, os quais possuem importantes efeitos adversos e nem sempre são eficazes em induzir e manter a remissão da doença. Neste contexto, vários estudos demonstram o papel da dieta e de suplementos alimentares na indução e/ou manutenção da remissão, tanto quando utilizados sozinhos quanto em associação a terapia alopática. Em vista disso, este projeto de pesquisa objetiva determinar a eficácia dos extratos dos frutos de M. floribunda no tratamento da colite ulcerativa em camundongos e desenvolver um sistema de liberação cólon-específico para o extrato, uma vez que as antocianinas são moléculas relativamente passíveis de oxidação.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022