Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adalberto Luis Val

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • inct para adaptações da biota aquática da amazônia - adapta-ii
  • A diversidade biológica existente nos diversos ambientes aquáticos da Amazônia é uma “mina de ouro” biológica. São milhares de espécies de mamíferos, peixes, crustáceos, insetos, plantas, algas, fungos e microrganismos que se espalham desde os grupos ancestrais até os grupos mais especializados. Entre os peixes, por exemplo, encontram-se arraias e acarás vivendo em simpatria; enquanto aquelas pertencem ao grupo dos peixes cartilaginosos que apareceram há cerca de 400 milhões de anos, os acarás constituem um grupo altamente especializado que apareceu mais recentemente. O genoma dessas espécies encerra um conjunto especial de informações que, a despeito de dar origem a uma “marcante unidade bioquímica”, possibilita a geração da diversidade biológica que marca a Amazônia, em particular o ambiente aquático. Estamos muito longe de conhecer a diversidade que podemos ver a olho nu ou sob as lentes de um microscópio, e mais distante ainda, de conhecer o rol de informações que o genoma de cada animal ou planta encerra. Por isso, não raras vezes, temos colocado a Amazônia aos lado de sistemas também desconhecidos como o Mar e o Espaço Sideral. No entanto, o processo de ocupação desordenado que ocorre desde o “descobrimento” do continente americano, em conjunto com a ação do homem moderno no planeta, que divide o ônus do desenvolvimento, como, por exemplo, os efeitos das mudanças climáticas, coloca em risco essa “mina de ouro” biológica aquática, já que os corpos d’água são os receptores finais dessas atividades. Cabe à ciência antecipar-se e produzir informações robustas que permitam a mitigação de efeitos, ou a adaptação aos novos cenários ou, ainda, a compatibilização da expansão urbana, da construção de hidroelétricas, da abertura de estradas, da mineração, do aquecimento global com a conservação ambiental. O conhecimento adquirido na fase inicial do ADAPTA, veiculado em centenas de artigos científicos, dissertações e teses, permite-nos avançar de forma segura e contribuir com informações robustas para a conservação ambiental, para a mitigação dos efeitos das mudanças ambientais e, a partir da habilidade adaptativa de plantas e animais, desenhar processos e buscar novos produtos que permitam ampliar a inclusão social e a geração de renda. Evidentemente, um forte compromisso com a capacitação de pessoal em todos os níveis e a socialização da informação, por meio de unidades demonstrativas, vão permitir que a finalidade social da informação produzida se concretize. Para isso, a presente proposta, baseada no conjunto de informações produzido até aqui, utilizará desde ferramentas convencionais da biologia até tecnologias de última geração, como a genômica, a transcriptômica e a metabolômica, para alcançar os objetivos e será desenvolvida valendo-se das seguintes estratégias: a) experimentos em laboratório e sob condições controladas, com uso de microcosmos que simulam os cenários ambientais previstos pelo IPCC para o ano 2100, já em funcionamento; b) análise comparativa de peixes, plantas e invertebrados vivendo em ambientes naturais com diferentes características ou expostos a ambientes modificados pelo homem; c) avaliação de ação para recuperação de um trecho de igarapé poluído com vistas à produção de um processo a ser aplicado em outros sistemas; d) contribuição para o estabelecimento de uma espécie de peixe tropical amazônica para a aquicultura mundial; e) contribuição para a definição de uma espécie de peixe tropical modelo para experimentação laboratorial; f) capacitação de pessoal em todos os níveis acadêmicos; g) socialização da informação por diversos meios; h) cooperação técnico-científica e intercâmbio de estudantes para assegurar a continuidade dos estudos; e i) interação com INCTs envolvidos com recursos hídricos de outras regiões, incluindo a criação de um programa de doutorado internacional em recursos aquáticos. A presente proposta prevê a colaboração de mais de duas dezenas de laboratórios brasileiros associados, localizados em diferentes regiões do país, liderados por pesquisadores com destaque acadêmico, vários com bolsas de produtividade, bem como de mais de uma dezena de pesquisadores estrangeiros de destaque internacional (vide lista de participantes). A consecução da presente proposta resultará na produção de informações robustas, inéditas, que contribuirão de forma marcante com o avanço científico no que se refere a questões centrais da biologia, da bioquímica, da fisiologia e da ecologia, com o desenvolvimento sustentável da região, ao produzir informações que balizam a tomada de decisões, e com a capacitação de pessoal de alto nível para as instituições locais. Por fim, é importante destacar que a proposta alinha-se com as áreas estratégicas estabelecidas pelo Governo Federal do Brasil e envolve os seguintes temas considerados estratégicos pelo edital: Tecnologias ambientais e mitigação de mudanças climáticas, Biotecnologia e uso sustentável da biodiversidade, Agricultura (aquicultura), e Saúde e fármacos.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 25/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Adalberto Pessoa Junior

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de processo biotecnológico para produção do biofármaco antileucêmico l-asparaginase recombinante: otimização e estudo de viabilidade econômica
  • A L-asparaginase (ASNase) é um importante biofármaco utilizado no tratamento de neoplasias do sistema linfático, principalmente a leucemia linfoide aguda. No Brasil este medicamento, obtido por processo biotecnológico, é fornecido pelo SUS. Entretanto o País ainda não possui a tecnologia de produção, sendo totalmente dependente da oferta de empresas internacionais. A crise de desabastecimento da ASNase é discutida desde 2011, mas se agravou recentemente em função de questionamentos sobre o processo de compra e a qualidade da ASNase fornecida. Atualmente sua aquisição é tema de debate entre a sociedade, médicos, acadêmicos e governo, evidenciando a urgência da autonomia do Brasil na produção da ASNase para aplicação farmacêutica. O presente projeto busca o desenvolvimento de um processo nacional e industrialmente viável para produção biotecnológica da ASNase. Para tanto, será utilizada a bactéria E. coli BL21(DE3) capaz de superexpressar uma ASNase resistente a proteases plasmáticas. Serão estudados a os parâmetros nutricionais e operacionais para otimização do processo fermentativo em biorreatores em condições de serem utilizadas para produção em escala ampliada, por meio do cultivo em alta densidade celular, por processo descontinuo-alimentado, e a melhor estratégia de purificação afim de se obter alta produtividade de ASNase. Também serão estudadas as alterações a nível de membrana e pH intracelular durante o processo de produção, com objetivo de compreender mais profundamente os mecanismos de exportação da enzima e a influência das condições de cultivo na fisiologia celular de forma a facilitar e aumentar o rendimento das operações unitárias de purificação. Como suporte ao desenvolvimento do processo, serão realizadas análises proteômica e transcriptômica das células, a fim de monitorar alterações no genótipo e fenótipo celular como resposta às condições de estresse, sobretudo por causa das elevadas concentrações celulares, durante o cultivo em sistema descontínuo-alimentado. Outro parâmetro importante a ser estudado será a viabilidade técnico-econômica do processo a partir dos resultados experimentais de otimização do cultivo e purificação da enzima, cujo objetivo será auxiliar na busca da estratégia de produção do biofármaco com menor custo. Com este projeto espera-se obter resultados fundamentais para o estabelecimento de processo biotecnológico com geração de um biofármaco inovador (L-asparaginase de E. coli recombinante resistente a proteases plasmáticas, com maior meia vida sanguínea), com potencial para exportação (uma vez que apresenta características farmacocinéticas e farmacodinâmicas potencialmente superiores aos biofármacos encontrados no mercado), a ser transferido para produção em condições de desenvolvimento em BPL (Boas Práticas de Laboratório) e de BPF (Boas Práticas de Fabricação), que contribuirão fortemente para o desenvolvimento científico e tecnológico do País. O projeto contribuirá para a implementação de tecnologia nacional inovadora na produção de biofármaco antileucêmico, com potencial para ser transferido ao setor produtivo visando aos mercados nacional e internacional, e geração de importantes conhecimentos científicos e tecnológicos de forma a reduzir a dependência tecnológica do Brasil nesta área do conhecimento, com formação de recursos humanos de alto nível nas diferentes áreas da biotecnologia (do upstream ao downstream). Vale ressaltar que a produção de um biofármaco de grau farmacêutico e injetável pelo Brasil irá abrir caminhos para viabilizar o desenvolvimento e produção de novas biomoléculas de alto valor agregado pelo Brasil.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adalmir de Oliveira Gomes

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • desempenho de organizações policiais no brasil
  • O desempenho de organizações policiais em geral e da polícia em particular constitui tema de alta relevância política e social. Conhecer o desempenho da polícia é necessário para satisfazer as exigências de prestação de contas e buscar a melhoria dos seus serviços. A sociedade aspira por conhecer medidas confiáveis do desempenho policial para permitir a consecução de resultados relevantes com os recursos disponíveis. O serviço prestado pelas polícias inclui interesses difusos e conflitantes, o que dificulta um consenso sobre quais devem ser os seus objetivos prioritários, o que deve ser medido, e quais indicadores deveriam ser utilizados para medir o desempenho policial. Aliado a isso, trata-se de tema pouco estudado com a lente da administração. Neste sentido, o presente projeto tem como objetivo identificar dimensões que expliquem o desempenho da Polícia Federal, em seu segmento de polícia judiciária, e da Polícia Militar, bem como propor indicadores que permitam implementar sistemas de avaliação desses segmentos policiais no Brasil. Por meio da revisão de literatura para a construção do projeto foi possível identificar a existência de uma lacuna do conhecimento a respeito do desempenho de organizações policiais brasileiras, o que torna relevante a pesquisa para suprir tal carência e oferecer subsídios para a formulação e melhorias de políticas públicas relacionadas com o desempenho dessas instituições. O método a ser utilizado na pesquisa é quali-quanti, com pesquisas documentais, entrevistas, survey e análise de dados numéricos secundários. São previstos os seguintes resultados: a) dois relatórios de pesquisa, sendo um relativo à Polícia Federal e outro à Polícia Militar; b) duas teses de doutorado em Administração; c) dois trabalhos de iniciação científica concluídos; d) quatro trabalhos publicados em anais de eventos científicos; e) quatro artigos publicados em periódicos científicos de alta qualidade; f) dois seminários para apresentação e discussão de resultados junto às polícias pesquisadas; e g) duas escalas de medição do desempenho da atividade policial. Os resultados da pesquisa podem oferecer informações que auxiliem na criação de ferramentas de monitoramento e gerenciamento das atividades das organizações policiais brasileiras, o que permitiria o aprimoramento das suas ações, resultando na racionalização de recursos públicos e na melhoria dos serviços prestados. O estudo proposto também proporcionará conhecimentos novos a respeito de desempenho policial e pode incentivar o início de uma cultura de avaliação do desempenho nas organizações que compõem o sistema de segurança público do país.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adalto Rodrigues Gomes dos Santos Filho

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • aplicações de campos escalares a espalhamento de kinks e problemas de energia escura
  • Procura-se neste projeto de pesquisa abordar alguns tópicos fundamentais de física de campos escalares. Usando o formalismo de teoria clássica de campos iremos abordar os seguintes problemas: i) Estudar espalhamento de kinks procurando entender efeitos de teorias não-integráveis; ii) Investigar modelos cosmológicos acoplados no setor escuro como uma abordagem do problema da coincidência cósmica.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adebaro Alves dos Reis

Outra

Divulgação Científica
  • iii feira de ciência, tecnologia e inovação social da amazônia paraense (iii fecitis): valorizando saberes e sabores amazônicos
  • A III FEIRA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOCIAL DA AMAZÔNIA PARAENSE (III FECITIS): Valorizando Saberes e Sabores Amazônicos tem o objetivo de valorizar os saberes e sabores amazônicos, visando contribuir significativamente para o desenvolvimento científico, tecnológico e inovação do País, como instrumento de produção, difusão e popularização da ciência e melhoria dos ensinos médio e técnico, possibilitando a identificação de jovens talentosos que possam ser estimulados a seguir carreiras técnico-científicas e docente, para o uso do conhecimento científico como mecanismo de empoderamento, inclusão e transformação social, no estado do Pará. Os objetivos específicos são: a) Promover a disseminação e a difusão da produção de iniciação científica da educação básica, tecnológica e profissional dos discentes do IFPA e das escolas do ensino médio do Estado do Pará, despertando o interesse pela investigação científica e contribuindo para o desenvolvimento de habilidades em sala de aula, de forma interdisciplinar, criativa e contextualizada. b) Valorizar as atividades pedagógicas desenvolvidas pelos professores e alunos da rede pública estadual e do IFPA, dando oportunidade para o envolvimento deste coletivo com apresentações de trabalhos, visitas, participação em palestras, mesas redondas e oficinas que compõem o conjunto de atividades organizadas para o evento. c) Fortalecer as parcerias existentes o IFPA, escolas da educação básica, prefeituras, secretarias municipais de educação, universidades e movimentos sociais ligados ao campo, através do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores, bem como o de aproximar as escolas públicas dos empreendimentos do Estado do Pará. d) Promover um espaço de troca de saberes tradicionais e experiências de inovação social aplicada a dinâmica da agricultura familiar, colocando em prática as ideias e questões que envolvam investigação científica de fenômenos da natureza ou socioambientais. e) Promover a integração e o vinculo entre escola da educação básica, tecnológica e profissional do IFPA e comunidade em geral, a partir das atividades de intercâmbios entre professores, os estudantes-pesquisadores e os visitantes da Feira. Além de estimular alunos e professores para a produção de trabalhos investigativos, valorizando assim o trabalho docente interdisciplinar e contextualizado na área de ciências, tecnologia e inovação social. f) Promover o desenvolvimento da criatividade e da capacidade inventiva e investigativa dos estudantes, para despertar vocações e incentivar a pesquisa nas escolas; por meio da produção científica, voltadas para sustentabilidade do território amazônico, a fim de promover a conscientização e responsabilidade socioambiental e produzindo e disseminando conhecimentos contextualizados na realidade amazônica. g) Promover a popularização da C&T e o aperfeiçoamento do ensino de ciências nas escolas, bem como a produção e a difusão de tecnologias e inovações para a inclusão e o desenvolvimento social. A III FECITIS terá abrangência estadual, mobilizando participantes de quatro territórios do Estado do Pará, envolvendo escolas de rede pública de ensino médio e técnico, assim como, os campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará. O público alvo da III FECITIS serão os pesquisadores e professores da educação profissional e tecnológica dos Campi do IFPA, professores da educação básica do ensino fundamental, médio e técnico de escolas públicas, alunos da educação básica (ensino fundamental, médio e técnico das escolas públicas), do ensino profissionalizante/técnico, do ensino superior, da rede pública ou particular de ensino, bem como todos aqueles que tenham interesse em ciência e tecnologia. A comunidade em geral e segmentos socialmente vulneráveis, tais como: agricultores familiares, quilombolas, ribeirinhos, indígenas, aquicultores, pescadores, meninas e mulheres rurais, deficientes físicos, dentre outras.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - PA - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020