Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Severino Carlos Bezerra de Oliveira

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • estudo eletroquímico e eletroanalítico de biomarcadores de doenças humanas e de novos medicamentos aprovados ou candidatos para o tratamento do câncer
  • Biomarcadores de doenças humanas são de grande interesse científico e clinico, uma vez que são úteis em todas as fases da doença, desde a facilitação do diagnóstico até o tratamento e pós-tratamento. A presença do biomarcador pode indicar precisamente a ocorrência de um determinado processo. Avanços na genômica, proteômica e na biologia molecular geraram muitos biomarcadores candidatos com potencial valor clínico O excesso de espécies reativas de nitrogênio (ERN) in-vivo, p.ex., pode ser detectado a partir da presença do biomarcador de danos oxidativos em proteínas, 3-nitro-tirosina (3-NO2-Tyr), uma vez que este é produzido a partir das reações químicas dessas ERN com resíduos de tirosina nas proteinas. A geração da 3-NO2-Tyr pode estar associada a diferentes tipos de doenças, tais como lesão pulmonar aguda, neurodegeneração, aterosclerose e alguns tipos de câncer. Assim, métodos analíticos têm sido propostos para detectar e quantificar a 3-NO2-Tyr em fluidos e tecidos biológicos. Danos ao DNA via alquilação são de grande relevância, uma vez que já foi determinado in-vivo a existência de um mecanismo natural de reparo específico para eliminação de adutos metilados de DNA, sendo estes adutos associados ao desencadeamento de inúmeras doenças. Alquilantes interagem com o DNA para produzir uma variedade de produtos, como 7-metilguanosina, como aduto predominante, 5-metilcitosina, 5-metilhidroxicitosina, 3-metiladenosina e o-6-metilguanosina. Assim, é persistente na literatura o desenvolvimento de métodos com elevada seletividade e sensibilidade para detecção e quantificação de possíveis biomarcadores associados à metilação do DNA. Por outro lado, a maioria dos antineoplásicos também têm a molécula do DNA como molécula alvo. Assim, Inúmeros métodos têm sido desenvolvidos para detectar e elucidar a natureza da interação entre carcinógenos ou antineoplásicos com o DNA. Técnicas eletroquímicas, tais como técnicas voltamétricas e espectroscopia de impedância eletroquímica, principalmente devido à elevada sensibilidade, têm se destacado atualmente em estudos fundamentais de caracterização das propriedades redox de agentes antineoplásicos e compostos biológicos, bem como no desenvolvimento de novas metodologias analíticas de identificação e quantificação. Assim, o objetivo principal deste projeto é investigar mecanismos redox de possíveis biomarcadores de doenças humanas e de novos medicamentos aplicados no tratamento do câncer, bem como no desenvolvimento de métodos eletroanalíticos para detecção e quantificação dessas espécies. A primeira etapa será dedicada à investigação dos mecanismos redox de biomarcadores, tais como 3-nitro, orto- e meta-tirosina e 5-metilcitosina, em diferentes eletrodos, e ao desenvolvimento de métodos eletroanalíticos para detecção e quantificação desses biomarcadores. A segunda etapa será dedicada à investigação do mecanismo de ação e/ou o grau de toxicidade, para com o DNA, de novos medicamentos aprovados ou candidatos para o tratamento do câncer, utilizando diferentes técnicas analíticas, tais como biossensores eletroquímicos de DNA, eletroforese em gel, espectroscopia de impedância eletroquímica, microscopia de força atômica e espectrometria UV. Compostos como a salinomicina (candidato a antineoplásico) e o antineoplásico anticorpo monoclonal quimérico alemtuzumab, entre outros, serão investigados neste projeto.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Severino Matias de Alencar

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • bioacessibilidade e biodisponibilidade de compostos fenólicos de frutas nativas brasileiras não exploradas
  • O Brasil possui condições ambientais propícias para abrigar uma grande variedade de espécies de frutas nativas. Atualmente tem sido crescente o interesse na diversidade desses alimentos, em sua maioria ainda desconhecidas, principalmente pela busca de novas fontes de compostos bioativos e novos sabores tropicais. Estudos recentes feitos pelo nosso grupo de pesquisa indicaram que os extratos de cambuití-cipó e murici vermelho são fontes de uma grande variedade de compostos fenólicos com potencial antioxidante e anti-inflamatório, podendo agir na prevenção de doenças crônicas e degenerativas. No entanto, são necessárias pesquisas em torno da bioeficácia dessas frutas para conhecimento dos potenciais benefícios de seu consumo e, nesse contexto, os estudos de bioacessibilidade e biodisponibilidade in vitro se tornam fundamentais. Não há nenhum registro na literatura no que diz respeito à bioacessibilidade e biodisponibilidade de compostos fenólicos do cambuití-cipó (Sageretia elegans) e do murici vermelho (Byrsonima arthropoda), duas frutas vermelhas nativas. Portanto, o objetivo deste trabalho será avaliar a bioacessibilidade e a biodisponibilidade dos compostos fenólicos das polpas do cambuití-cipó e do murici vermelho, utilizando modelo in vitro de digestão oral e gástrica acoplada com células Caco-2. Também será feito o acompanhamento da composição química por espectrometria de massas de alta resolução (LC-ESI-QTOF-MS) e a avaliação da capacidade sequestradora de espécies reativas de oxigênio (ERO) e nitrogênio (ERN) e atividade anti-inflamatória das frações das fases da digestão e da bioacessibilidade. Espera-se que os resultados desse trabalho mostrem quais compostos fenólicos são bioacessíveis, bem como se são transportados através dessas células intestinais. Espera-se também identificar se a capacidade sequestradora de ROS é mantida após o processo de digestão e absorção, o que poderia caracterizar estes materiais como novas “superfrutas”, e de interesse comercial, em adição ao açaí.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022