Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rosane Angélica Ligabue

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • nanoestruturas híbridas com flavonoides e sua avaliação na atividade anticancerígena
  • O câncer é uma doença maligna e complexa e é considerado um problema de saúde mundial, sendo o mote de diversas linhas de pesquisas no mundo. Hoje em dia, a cirurgia, radioterapia, quimioterapia e imunoterapia são terapias comuns no tratamento dos diversos tipos de canceres. Estes métodos possuem diferentes graus de eficácia, no entanto, eles causam efeitos colaterais danosos e sua toxicidade pode desencadear outras doenças nos pacientes submetidos a estas terapias. Com o intuito de desenvolver novos medicamentos para o tratamento do câncer que minimizem os efeitos colaterais, diversas pesquisas estão direcionadas no uso de nanomateriais no tratamento do câncer devido a suas características relacionadas ao tamanho e biocompatibilidade. Dentro deste contexto, este projeto tem como objetivo desenvolver nanotubos de titanatos modificados com flavonoides pertencentes a família da quercetina, e avaliar sua atividade anticancerígena na terapia de câncer de bexiga.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Freire Boina

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • lodo de estação de tratamento de água: recuperação-reciclagem do coagulante e compostagem do sólido final
  • A gestão do lodo em uma estação de tratamento de água envolve a problemática de manejo e disposição dos resíduos formados que ainda é considerado um desafio. O volume gerado é grandioso e a características físicas - químicas limitam a destinação e a disposição final desse material. Do exposto, esse projeto de pesquisa visa contribuir com os trabalhos na área de saneamento ambiental ao propor a recuperação e reciclagem do coagulante a base de alumínio aplicados em ETAs, estudando a extração alcalina-ácida, bem como o adequado destino do sólido final ao propor a compostagem por leiras revolvidas como opção de tratamento. Será empregado um método de baixo custo, pautando-se em uma abordagem menos complexa, ambientalmente amigável. Espera-se obter a resultados compatíveis com as regulamentações e normativas vigentes para a adequada destinação/disposição final do lodo de ETA ao gerar dois produtos principais: o coagulante recuperado e o composto orgânico passível de disposição em solo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Freitas Schwan

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • diversidade microbiana por next generation sequencing e o impacto na qualidade de café fermentados em diferentes regioes produtoras com leveduras selecionadas
  • O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo por milhões de pessoas rotineiramente. A produção de grãos de café causa importante impacto na economia do país, pois o Brasil é o maior produtor e exportador de café. A qualidade do café tem sido valorizada nos últimos anos dando credibilidade aos cafés especiais. É de extrema importância o conhecimento da microbiota do café e o impacto que pode causar na qualidade. Com o uso de técnicas de espectrometria de massas como MALDI-TOF associada a técnica de sequenciamento para identificação de microrganismos será possível confirmar a identificação da microbiota isolada presente na fermentação espontânea do café há vários anos atrás, com métodos mais apurados. Estes microrganismos foram coletados desde 1997 e estão depositados na Coleção de Culturas da Microbiologia Agricola (CCMA/UFLA). Através do estudo das propriedades fermentativas destes microrganismos e da descoberta de compostos que poderão funcionar como marcadores de qualidade, pretende-se encontrar culturas iniciadoras que sejam propicias para fermentação do café de variedades e climas diversos. Com estes resultados, poderemos propor a produção de cafés com maior qualidade e, consequentemente valor agregado. O mercado de cafés especiais está em emergência no Brasil, fazendo com que produtores de cafés procurem conhecimento e desejando aplicar novas técnicas no campo para melhoria do produto.O desenvolvimento de novos tipos de café ampliaria o volume comercializado, uma vez que o consumidor poderia optar por produtos diferenciados no momento da compra assim como acontece com chás e produtos à base de leite. A microbiota natural presente nos frutos de café é responsável pelo processo de fermentação dos frutos. Estes microrganismos podem ser selecionados quanto à capacidade de produzir compostos aromatizados que durante o processo de fermentação migrariam para a semente conferindo à bebida de café aroma e sabor diferenciados. A proposta deste trabalho é de marcar e registrar as regiões produtoras de café em Minas Gerais e Espirito Santo com a fermentação controlada de frutos de café processados via natural e semi seca a partir de microrganismos previamente selecionados quanto à capacidade de produzir compostos aromatizantes. Durante a fermentação dos frutos de café onde há permanência da mucilagem que é nutritiva, a produção do aroma de café pode ser sustentada pela composição química da própria mucilagem. Esta proposta deste modo é inovadora uma vez que se terá no mercado um produto diferenciado. Além disso, busca a implantação de uma tecnologia simples e econômica, facilmente aplicável em pequenas, médias e grandes propriedades.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Goncalves Nitschke

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • a tecnossocialidade no quotidiano e na promoção da saúde das famílias contemporâneas: imagens, potências e limites.
  • Introdução: Trata-se de estudo sobre a tecnossocialidade, em especial, as Redes Sociais Virtuais, no quotidiano e na Promoção da Saúde das famílias, em diferentes cenários, contemplando as maneiras de viver contemporâneas na Pós modernidade, e a construção de possibilidades de um cuidado Promotor da Saúde, trazendo contribuições para a Enfermagem Familiar e a Saúde Coletiva. A tecnossocialidade é definida como um modo de interagir socialmente decorrente da tecnologia, especialmente, aquelas que se instalam no âmbito da comunicação na contemporaneidade (MAFFESOLI, 2016). Vivenciamos mudanças no quotidiano das pessoas e famílias expressas nos modos de pensar, agir, se comunicar, estabelecer relações. O desenvolvimento tecnológico, a hiperconectividade, a ascensão das redes sociais trazem implicações para as relações de cuidado e de saúde dos indivíduos, famílias e comunidades. São várias as necessidades que acompanham esses fenômenos sociais e que demandam, cada vez mais, a compreensão da tecnossocialidade e de sua influência no ritmo de viver e atividades em diferentes ambientes (LEITE et al., 2017). A partir dos anos 90, com a chegada dos computadores pessoais, internet, smartfones, mergulhamos em um outro mundo “enredado” nas redes sociais que, para alguns, veio “aproximar quem está longe, mas afastar quem está perto”, trazendo-nos outras formas de interagir e também outros problemas no quotidiano que envolvem famílias e saúde: isolamento social, falta de diálogo, dependência física e psicológica, problemas posturais, comprometimento do sono, ampliação da jornada de trabalho, aumento do estresse, risco de acidentes, podendo levar à morte inclusive, devido a permanente conexão-desconexão do ser humano. Contudo, acreditando na potência dos seres humanos, na sua força de transfigurar uma realidade que pode adoecer, reconstruindo-a, no sentido de devolver a sua própria humanidade da qual tem sido exilados, desenvolveu-se esta proposta, dando seguimento a discussões, conferências, mesas redondas e disciplinas que temos realizado tanto na graduação como na pós-graduação. Sendo uma referência na área, Maffesoli (2016) traz a discussão sobre o reencantamento do mundo frente ao desenvolvimento tecnológico, do mesmo modo como a racionalidade provocou um desencantamento no mundo. Ele afirma que estamos diante de pistas que apontam para uma ultrapassagem dessa mecanicidade e da instrumentalidade Diante da atual realidade, questiona-se: como a tecnossocialidade se mostra no quotidiano das pessoas e famílias e como se relaciona com a Promoção da Saúde, em diferentes cenários? A compreensão da tecnossocialidade no quotidiano possibilitará o olhar sensível sobre a realidade vivenciada pelas pessoas e famílias, considerando seus significados, as imagens, e o reconhecimento dos limites e potências do uso e da inserção de tecnologias, especialmente, as Redes Sociais Virtuais, contribuindo para possiblidades de um Cuidado Promotor da Saúde, visto que “maneiras de viver, nos ensinam maneiras de cuidar” (Nitschke, 2017). Assim, o NUPEQUISFAM-SC propõe um Projeto Integrado Matricial que se articula, podendo desdobrar-se em (sub)projetos que serão desenvolvidos em parceria com docentes de Universidades nacionais e internacionais, fortalecendo parcerias anteriores. Utilizar-se-á o Referencial Teórico da Sociologia Compreensiva e do Quotidiano de Michel Maffesoli (2010). Objetivo Geral- Compreender a tecnossocialidade, em especial, as Redes Sociais Virtuais, no quotidiano das pessoas e famílias e a sua relação com a Promoção da Saúde, em diferentes cenários. Métodos: Adotar-se-á abordagem qualitativa, elegendo o método de Estudo de Casos Múltiplos Holístico ou integrado (YIN, 2015). Este estudo conterá múltiplos casos definidos pelos cenários de diferentes regiões brasileiras (norte, nordeste, sudeste e sul) e de diferentes países como Peru, Espanha e França. Será realizada análise de cada caso, individualmente, sob uma unidade única de análise (estudo holístico), ou sob unidades de análise em mais de um nível, ou seja, o foco do estudo é dirigido a uma subunidade ou mais (estudo integrado). Os cenários da pesquisa serão municípios das Regiões Brasileiras e de países da América Latina e da Europa onde estão inseridos os Campi das Universidades dos pesquisadores colaboradores. Os participantes da pesquisa serão pessoas, famílias e profissionais da saúde que aceitarem participar voluntariamente, de cenários determinados por cada um dos pesquisadores colaboradores, conforme região onde estão inseridas as Universidades às quais estão vinculados. Este estudo poderá contar com informantes-chave, pessoas que podem ser indicadas pelos participantes da pesquisa, por terem conhecimento e informação profunda e ampla sobre a temática. Como fontes de evidências dos dados utilizar-se-ão: a entrevista individual aberta intensiva, com roteiro semi estruturado; a entrevista coletiva, tendo como estratégia o uso de oficinas (NITSCHKE, 1999), se necessário; além de registros em Diários de Campo. A análise dos dados se fundamentará na técnica de Análise de Conteúdo Temática, que será definida pelo critério semântico, pela análise dos“significados”, segundo as fases: pré-análise, exploração do material, tratamento dos resultados, inferência e a interpretação (BARDIN, 2011), obedecendo à técnica analítica da síntese cruzada dos casos (YIN, 2015). Aspectos Éticos: O estudo será desenvolvido segundo as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas com seres humanos. Resultados Esperados: Construção de novas estratégias e tecnologias de Cuidado Promotor da Saúde, considerando o acesso das pessoas e famílias a diversos meios de informação e comunicação, expressos pela tecnossocialidade, especialmente, as Redes Sociais Virtuais. O uso da novas tecnologias, numa perspectiva promotora da saúde, mostra-se como uma necessidade na pós-modernidade, podendo ser determinante de um viver e um conviver mais saudável.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Michele Duarte Soares

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • biomateriais poliméricos por impressão 3d para regeneração de tecido ósseo
  • Anualmente, 2,2 milhões de enxertos ósseos são utilizados em procedimentos ortopédicos, e o constante aumento da longevidade das pessoas no mundo, têm trazido a necessidade de se inovar e criar materiais que possam melhorar a qualidade de vida das pessoas, que apresentam inúmeros problemas ósseos e necessidades de próteses. Alternativas como auto enxerto e aloenxerto podem ser utilizados para se reparar a região afetada, porém o auto-enxerto apresenta a limitação de pouca disponibilidade e possibilidade de morbidade no local de retirada do material, e os Aloenxertos e xenotransplantes, por sua vez, possuem risco de transmissão de doenças e rejeição.1-5 Como alternativa a estes problemas, a área de biomateriais têm buscado estudar e criar materiais que possam reparar ou substituir tecidos ou órgãos lesionados. Os biomateriais podem ser reconhecidos como sistemas terapêuticos contendo componentes biológicos com o objetivo de tratar, substituir ou melhorar as funções do corpo. Os mesmos tem tido grande aplicação na medicina, com destaque para a área de regeneração óssea. O osso é um complexo composto de material nanocompósito inorgânico-orgânicos, consistindo de 65-70% de Hidroxiapatita (HA) e 30-35% composto orgânico, basicamente de Colágeno Tipo I. Para se obter a estrutura da matriz extracelular óssea é necessário que o material possua propriedades de ambos os componentes do tecido ósseo. Dentre os materiais mais utilizados para esta aplicação estão os metais, cerâmicas, compósitos, polímeros sintéticos e também naturais.6-9 Os materiais poliméricos destacam-se por serem biocompatíveis, apresentarem boas propriedades mecânicas (similares ao osso), serem passíveis de processamento e ainda, poderem ser biodegradáveis ou não, sendo que esta propriedade pode ser modulada de acordo com o método de síntese do polímero e área de destino no corpo humano. No caso de material que irá substituir permanentemente uma área lesionada, as estruturas produzidas devem ser favoráveis a adesão proliferação e diferenciação celular, para que o tecido original possa ser efetivamente regenerado.10-12 Doravante, algumas considerações têm se mostrado de suma relevância: primeiramente, realizar a correta escolha do polímero a ser investigado, avaliando racionalmente a área de aplicação, no intuito de alcançar os melhores parâmetros investigativos possíveis (biocompatibilidade, ausência de toxicidade, degradação, etc); e, segundo, mas não menos importante, saber modificar estruturalmente este polímero para que o mesmo seja integrado adequadamente ao sistema biológico reconhecendo seus limites funcionais. De maneira geral, se por um lado os polímeros sintéticos podem ser facilmente modelados em termos de composição, taxa de degradação, propriedades químicas e mecânicas, as macromoléculas naturais provém uma composição única que muitas vezes estimula a resposta celular, o que oferece uma vantagem sobre os demais polímeros sintéticos. 11 Uma das técnicas mais promissoras para produção de protótipos na área de biomateriais é a impressão 3D de biomateriais. Esta técnica apresenta inúmeras vantagens sobre os demais métodos utilizados (eletrofiação, automontagem, estiramento, separação de fases), uma vez que os protótipos produzidos podem servir de suporte mecânico, podendo substituir temporariamente ou permanentemente, partes do tecido ósseo lesado.15-18 A impressão 3D é um processo caracterizado por um processo aditivo, pelo qual, camadas do polímero fundido são depositadas de forma sucessiva para compor um objeto em três dimensões a partir de um modelo digitalizado. A impressora que realiza processo por FDM (modelagem por fusão e deposição) através, do qual, um filamento termoplástico de aproximadamente 1,6 mm de diâmetro é aquecido por uma matriz de extrusão até fundir e ser depositado em uma bandeja dando forma ao objeto desejado. Outra forma de processamento é a impressão 3D de hidrogéis a partir de polímeros solubilizados em determinados solventes. Nesta última, propriedades mecânicas adequadas devem ser moduladas para permitir a sobrevivência e interação celular até o momento em que o biomaterial será inserido no tecido biológico. 15-18 A pesquisa em impressão 3D merece destaque na última década, especialmente na área de biomateriais. No entanto, sua aplicação estende-se a diversas áreas tais como química, física, eletrônica, medicina, farmácia etc. As correlações entre materiais poliméricos e sua conseqüente interação com o meio celular ainda não são completamente conhecidas. O limitado conhecimento sobre os fenômenos de interface entre o material biológico e o protótipo tem corroborado para a crescente evolução da técnica de impressão 3D, bem como a busca de novos materiais poliméricos capazes de interagir efetivamente com o organismo humano.11, 15-18 Neste sentido, a presente proposta com aspecto multidisciplinar visa o desenvolvimento de arcabouços poliméricos construídos através da técnica de impressão 3D para substituição e/ou suporte em áreas de lesão óssea. Estes polímeros, poderão ser impressos tanto pela técnica de impressão 3D do polímero fundido, quanto pela impressão 3D de hidrogéis. A escolha do método irá depender das necessidades de aplicação e área do organismo a ser regenerada.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022