Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Abadia dos Reis Nascimento

Ciências Agrárias

Agronomia
  • descrição morfoagronomica e diversidade de acessos de tomate da universidade federal de goiás para criação de um banco de sementes institucional-comunitário
  • O tomateiro (Solanum lycopersicum) é a hortaliça mais importante do Brasil em termos socio-econômicos e o Estado de Goiás é o maior produtor nacional. Apesar de um panorama positivo no aumento de produção e de produtividade nas últimas décadas, a cadeia produtora de tomate ainda enfrenta sérios gargalos. A principal limitação é a origem de sementes. O mercado nacional é dominado por multinacionais e a realidade deste segmento é a aquisição de material importado, com genética aprimorada voltada para condições climáticas e sistema de cultivo extremamente diferentes daquelas praticadas no Brasil. Como resultado, a cadeia do tomateiro é refém das oscilações do mercado cambial e adquire material genético que tem seu potencial produtivo reduzido (quando comprado às taxas em seu local de origem) e ainda sofre com perdas por intolerâncias climáticas e de fitossanidade, ao enfrentarem patógenos endógenos das condições de cultivo brasileiras. Com o intuito de conhecer, proteger, conservar e fomentar a diversidade de espécies de tomateiros cultivados em Goiás e no Brasil, o objetivo do presente projeto é caracterizar e classificar a diversidade de acessos de tomate mantidos pelo Setor de Horticultura, da Escola de Agronomia, da Universidade Federal de Goiás e criar de um banco de sementes institucional-comunitário, colaborando com a manutenção do patrimônio genético do tomateiro e promovendo o intercâmbio de sementes e divulgação de métodos fitotécnicos que incrementem a produtividade local. Por meio da elaboração de uma nova e mais completa tabela de descritores morfológicos, pretende-se fazer a descrição de caracteres morfoagronômicos de acessos de tomateiros já existentes na UFG que sirva para grande parte da diversidade de tomateiros cultivados, como uma ferramenta mais moderna, atual e abrangente daquela que se encontra hoje disponível pelo Governo Federal, MAPA. O projeto também pretende conhecer outras características relevantes dos acessos, como teores nutricionais e presença de genes de resistência a pragas e doenças em análises moleculares. Este projeto, com parceria multi-institucional com colaboração de doutores experientes visa divulgar na cadeia do tomate a importância de se manter e promover a diversidade genética do tomateiro como ferramenta para programas de melhoramento genético, valorização do mercado local e garantia de segurança alimentar do Brasil. O banco de sementes institucional-comunitário tem potencial para aumentar seu número de acessos por meio de eventos de divulgação técnico-científica na cadeia da tomaticultura e num futuro próximo abrigar outras hortaliças de relevância produtiva. A proposta do banco institucional-comunitário será ter a UFG com gestora e curadora da coleção, porém com mínima burocracia para incentivar o intercâmbio de material genético, com doação e recebimento de sementes. Atuar na disseminação de conteúdo fitotécnico adequado alia a conscientização da importância de se conhecer, manter e aumentar a base genética do tomateiro. Estas ações tendem tornar o Setor de Horticultura da UFG uma referência nacional para troca de experiências entre a comunidade rural e aquisição de conhecimento técnico-científico na área, expandindo para outras culturas de interesse hortícola.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022