Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Samuel Luis Velazquez Castellanos

Ciências Humanas

Educação
  • a circulação dos livros escolares franceses no maranhão oitocentista
  • Neste projeto procura-se analisar os livros escolares franceses inseridos nas instituições de ensino maranhense no período imperial, como objeto de estudo e como fonte de pesquisa, na tentativa de avaliar o seu papel, influência e representatividade nas escolas públicas e privadas de instrução primária e secundária. Trata-se de localizar, identificar, mapear e inventariar estes livros, com a finalidade de resgatar a natureza da sua produção, os conteúdos trabalhados, os métodos empregados, os protocolos de leitura utilizados por seus autores, assim como as indicações de uso sugeridas nas prescrições legais. Busca-se compreender o lugar do livro escolar francês e sua repercussão no ensino maranhense oitocentista, discorrendo-se e verificando-se não só sobre os trâmites legais a que foram submetidos para sua inserção na instrução, como também sobre as noticias, as disputas e as concordâncias referentes a este artefato da cultura material escolar, expressas na imprensa maranhense e francesa. Utilizam-se neste estudo diversas fontes intermediadas pelos pressupostos da História Cultural, entre elas: os jornais locais e franceses, os relatórios dos Presidentes de Província, dos Inspetores da Instrução Pública e dos Delegados Literários; como também as correspondências trocadas entre várias autoridades escolares e o governo, e a base de dados Emanuelle e a Patre-Manes. Acredita-se que esta pesquisa trará importantes contribuições para o campo da educação escolar maranhense no que se refere aos livros escolares aprovados, adotados, e usados durante o período imperial, e para a história do livro e da leitura no âmbito local e nacional, uma vez que estudos sobre a história do livro escolar e não-escolar, especificamente no Maranhão, ainda são esparsos.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Samuel Penna Wanner

Ciências da Saúde

Educação Física
  • efeitos da associação entre a aclimatação ao calor e a suplementação com glutamina sobre o desempenho aeróbico e sobre respostas fisiológicas e perceptivas induzidas pelo exercício físico em ambiente quente e úmido
  • O projeto de pesquisa propõe o estudo de duas intervenções que podem influenciar o desempenho aeróbico e as respostas fisiológicas de indivíduos submetidos a um exercício prolongado em ambiente quente e úmido. Um dos focos do projeto será investigar a suplementação com glutamina, um aminoácido que tem sido frequentemente utilizado por atletas e praticantes de atividade física como suposto recurso ergogênico. Existem evidências que a suplementação com glutamina reduz as respostas inflamatórias e contribui para a manutenção da integridade da barreira gastrointestinal durante o exercício realizado sob estresse térmico ambiental. O outro foco do projeto será investigar a aclimatação ao calor, um procedimento comumente utilizado por atletas durante períodos de preparação para competições em ambientes quentes. Estudos anteriores indicam que a aclimatação ao calor melhora o desempenho físico, atenua os aumentos das respostas termorregulatórias e inflamatórias, e ajuda a manter a integridade da barreira gastrointestinal durante o exercício realizado nas condições ambientais descritas acima. No entanto, nenhum estudo investigou se a associação entre as duas intervenções produz efeitos somados, ou seja, benefícios superiores àqueles promovidos por apenas uma das intervenções. Este projeto possui um caráter translacional, pois possibilitará verificar se resultados previamente obtidos em camundongos de laboratório podem ser reproduzidos em seres humanos. Estudo desenvolvido no Laboratório de Fisiologia do Exercício da UFMG mostrou que camundongos suplementados com glutamina e expostos a 40ºC durante 2 h apresentaram atenuação dos aumentos da temperatura corporal interna e da permeabilidade intestinal [Soares et al. British Journal of Nutrition v.112 (n.10): p.1601-1610, 2014]. Tendo como base os achados do referido estudo com camundongos, os pesquisadores consideram importante investigar se a suplementação com glutamina também pode modificar as respostas termorregulatórias e a permeabilidade gastrointestinal de seres humanos saudáveis submetidos ao exercício em ambiente quente e úmido. O presente projeto também dará sequência a estudos que foram desenvolvidos no nosso laboratório e que avaliaram a efetividade de intervenções voltadas para a melhora do desempenho físico e para reverter possíveis prejuízos nas respostas fisiológicas durante o exercício sob estresse térmico ambiental. Um desses estudos demonstrou que indivíduos aclimatados ao calor apresentam respostas fisiológicas atenuadas durante o exercício em ambiente quente e úmido, conforme evidenciado pelos menores valores de frequência cardíaca e temperatura corporal interna [Magalhães et al. J Physiol Anthropol v.29 (n.1): p.1-12, 2010], e maior termotolerância celular, conforme evidenciado pela maior expressão de heat shock proteins (HSP) [Magalhães et al. Cell Stress Chaperones v.15 (n.6): p.885-895, 2010]. Os voluntários, de ambos os sexos, saudáveis e fisicamente ativos, serão divididos, aleatoriamente, em um dos quatro grupos experimentais a seguir: 1- não aclimatados e tratados com placebo (PLA); 2- não aclimatados e suplementados com glutamina (GLN); 3- aclimatados e tratados com placebo (HA + PLA); 4- aclimatados e suplementados com glutamina (HA + GLN). Cada voluntário dos grupos HA + PLA e HA + GLN comparecerá ao laboratório dez vezes, sendo que entre as quatro primeiras visitas, será dado um intervalo de, no mínimo, 48 h. Na primeira visita, será feita uma avaliação física e o de teste de VO2pico. Após a primeira visita, os voluntários retornarão ao laboratório para que seja realizada a familiarização aos procedimentos das sessões experimentais. Já na terceira visita, será realizado o teste físico juntamente com a coleta de dados. Da quarta a nona visita, serão realizados os protocolos de aclimatação ao calor e de suplementação, sendo que o protocolo de aclimatação ao calor terá duração de seis dias consecutivos, enquanto a suplementação terá duração de sete dias consecutivos. Após a nona visita ao laboratório, será dado mais um intervalo de 48 h e, em seguida, serão realizados novamente o teste físico e coleta de dados. Os voluntários dos grupos PLA e GLN farão apenas quatro visitas ao laboratório (teste de VO2pico, familiarização e duas corridas de 10 km). A aclimatação ao calor consistirá de seis sessões de corrida em esteira rolante, em temperatura seca de 40C e umidade relativa do ar de 70%, condições controladas por uma câmara ambiental. A aclimatação ao calor será induzida por protocolo de hipertermia controlada, caracterizada pela elevação da temperatura interna (retal) em 1,5C durante os 45 min iniciais de corrida a 8 km/h; em seguida, a temperatura interna será mantida neste patamar elevado por mais 15 min, com o voluntário caminhando a 6 km/h (a inclinação será sempre mantida em 1%). A suplementação com glutamina consistirá da ingestão de 0,15 g por kg de massa corporal, administrada em cápsulas, duas vezes ao dia, durante sete dias; o placebo utilizado será composto por celulose microcristalina, administrada de forma semelhante à glutamina. As suplementações serão realizadas de forma duplo-velada. O teste físico corresponderá a uma corrida de 10 km em temperatura seca de 33C e umidade relativa do ar de 70%; os voluntários deverão correr esta distância no menor tempo possível. Esta corrida será realizada com intensidade autorregulada, o que assegura semelhança com as características dos esforços físicos realizados em eventos esportivos. A cada km de corrida, serão coletados dados de tempo parcial de corrida, frequência cardíaca, temperatura interna e da pele, percepção subjetiva do esforço, sensação térmica, conforto térmico e sudorese local. Antes e após a corrida de 10 km, serão realizadas coletas sanguíneas para posterior análise da expressão intracelular das HSP72 e das concentrações sanguíneas de citocinas inflamatórias e marcadores de dano tecidual (intestino).
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022