Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Taina Veras de Sandes Freitas

Ciências da Saúde

Medicina
  • identificação de biomarcadores urinários de transcrição exossômica: uma potencial nova classe de biomarcadores preditores para a disfunção inicial do enxerto renal
  • O cenário ideal após um transplante renal é a ocorrência de diurese imediata e abundante, com rápido declínio da creatinina sérica. No entanto, alguns pacientes podem desenvolver oligoanúria e necessidade de diálise. A esta situação chamamos função tardia do enxerto ou delayed graft function (DGF) (MALLON et al., 2013; SCHRÖPPEL; LEGENDRE, 2014). 
A função tardia do enxerto é a representação clínica da injuria da lesão de isquemia e reperfusão (KLIONSKY et al.), cujo substrato histológico é a necrose tubular aguda isquêmica (SANDES FREITAS TV, 2016; SIEDLECKI; IRISH; BRENNAN, 2011). Evidencias robustas apontam que DGF está associada a maior risco de rejeição aguda e crônica, pior função renal, pior sobrevida do paciente e do enxerto, além dos custos associados à internação prolongada e suas complicações (BUTALA et al., 2013; DE SANDES-FREITAS et al., 2015; WU et al., 2015). Quanto mais severa a DGF, ou seja, quanto maior o tempo até o reestabelecimento da função renal, piores estes desfechos (DE SANDES-FREITAS et al., 2015). Algumas fórmulas e nomogramas utilizando variáveis clínicas foram desenvolvidas com o intuito de predizer a ocorrência de DGF (CHAPAL et al., 2014; IRISH et al., 2010). No entanto, nenhuma parece ser ideal, especialmente quando aplicada à população brasileira, onde a incidência de DGF é de 50-80%, 2 a 3 vezes superior à observada em países americanos e europeus (COSTA S, 2017; SANDES FREITAS TV, 2016). Além das características clínicas da combinação doador-receptor, alguns biomarcadores têm sido utilizados como ferramentas de predição de DGF. Classicamente, o biomarcador mais utilizado é a creatinina sérica do doador no momento da cirurgia de extração dos órgãos (creatinina final). De fato, a presença da lesão renal aguda no doador é fator de risco conhecido para DGF. Apesar disto, a creatinina final do doador não tem bom valor preditor para desfechos tardios, como sobrevida do enxerto (KLEIN et al., 2013). Além disso, a creatinina sérica é um marcador tardio de lesão renal. Mais recentemente, biomarcadores de lesão tubular, inflamação e lesão endotelial (lipocalina associada a gelatinase neutrófilos - NGAL, Molécula de Injúria Renal -1 - KIM-1, interleucina 18 - IL-18, proteína ligadora de ácidos graxos tipo-hepática - L-FABP, Sindecam-1, dentre outros) foram avaliados para diagnóstico e predição de DGF. No entanto, até o momento, os resultados não são uniformes e nenhum deles se transpôs da bancada para a prática clínica (MALYSZKO et al., 2015). Recentemente a presença de exossomas e substâncias de liberação exossômica têm sido exploradas nas lesões renais, como rejeição ao enxerto renal e a lesão de isquemia-reperfusão (COOPER; LI; ADAMS, 2018) (MORELLI, 2017). Os exossomos são nanovesículas extracelulares (70-120 nm de diâmetro) produzidas por todas as células vivas, podendo ser detectados em diversos fluidos biológicos, como sangue, saliva, líquido amniótico, leite materno, liquido sinovial, fluido de lavado broncoalveolar, liquido ascítico e urina. Estas vesículas podem conter em seu interior substancias diversas, como microRNA, RNA não codificante, DNA, lipídeos, proteínas e enzimas, produzidas sob estímulo fisiológico ou patológico (MORELLI, 2017). Há evidências de que os exossomos estão envolvidos em muitos processos biológicos, incluindo coagulação, sinalização intercelular e gerenciamento de resíduos celulares. Nos modelos de transplante, os exossomos desempenham um papel fundamental na apresentação dos antígenos (MORELLI; BRACAMONTE-BARAN; BURLINGHAM, 2017). Além disso, estudo prévio demonstrou o papel da detecção de fatores de transcrição em exossomos isolados na urina de modelos experimentais de injuria renal aguda e lesão podocitária (ZHOU et al., 2008). Até o momento, um único estudo clínico explorou os exossomos como biomarcadores de DGF. No entanto, este estudo limitou-se a avaliar NGAL em exossomos urinários (ALVAREZ et al., 2013). O presente estudo terá como objetivo avaliar os biomarcadores urinários de transcrição exossômica de doadores falecidos de rim os quais evoluíram com DGF, comparando-os aos de pacientes com função imediata do enxerto. Metodologia: estudo de coorte prospectiva avaliando 12 amostras de urina de doador falecido cujo transplante renal seja realizado entre junho a outubro de 2019. Dentre as amostras de urina do doador colhidas, serão selecionadas para análise 6 amostras cujo desfecho do receptor foi DGF prolongada e 6 amostras cujo desfecho do receptor foi função imediata do enxerto. O RNA total exossomal será isolado e, em seguida, enriquecido do isolamento de miRNA. O mesmo será transcrito em DNA complementar (cDNA) e amplificado por reação de PCR em tempo real.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tais Arthur Correa

Outra

Divulgação Científica
  • i feira de ciências da uemg frutal: inovação e meio ambiente
  • A “I Feira de Ciências da UEMG Frutal: Inovação e Meio Ambiente” será realizada com o objetivo de inserir alunos do 9º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio, de 6 escolas da cidade de Frutal-MG, dentro do contexto científico-tecnológico-ambiental. Essa será realizada nas instalações da Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Frutal, na segunda quinzena de setembro de 2019. Serão submetidos trabalhos científico-tecnológico-ambientais nas áreas de: Biologia, Química, Matemática, Física, Agronomia, Bioenergia, Tecnologia em Alimentos, Comunicação Social, Informática e Geografia. Os trabalhos serão desenvolvidos ao longo do ano de 2019 pelos alunos da rede básica de ensino sob supervisão de seus professores, com acompanhamento de alunos de graduação, pós-graduação e professores da UEMG. Poderão ser submetidos até 2 trabalhos por turma, sendo que cada trabalho deverá ser proposto por grupo de no máximo 5 alunos. Além disso, serão propostos cursos de capacitação docente para professores de ensino básico, para orientação da organização e elaboração das etapas dos trabalhos dos alunos. A proposta apresenta ênfase na inserção de meninas na ciência; para isso serão propostas rodas de conversa com mulheres que atuam no campo da ciência e desenvolvimento de novas tecnologias; e cota de 30% de projetos a serem apresentados na Feira por grupos formados por meninas. Serão selecionados 50 trabalhos para apresentação na feira. Essa seleção será realizada por comissão formada por docentes da UEMG, alunos de graduação e pós-graduação, e professores do ensino básico. Na feira, os 50 trabalhos serão novamente avaliados por docentes da UEMG e alunos de pós-graduação, sendo que os 5 primeiros serão premiados com viagem científico-cultural. Ao final, a feira de ciências trabalhará com 52 turmas de estudantes da rede básica de educação, em número aproximado de 1500 estudantes. Desses, 250 (50 grupos de 5 alunos) serão selecionados para apresentação.
  • Universidade do Estado de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Tais Cristina Bastos Soares

Ciências Agrárias

Agronomia
  • análise morfofisiológica, herança materna e expressão diferencial dos genes ccgols1 e ccmpr1 em progênies de coffea canephora para tolerância à seca.
  • A cultura do cafeeiro tem uma importância econômica substancial para o PIB brasileiro e configura uma das principais commodities do Brasil. Dentre as mais de 124 espécies do gênero Coffea, somente as espécies C. arabica e C. canephora têm grande importância econômica. Coffea canephora é a segunda espécie do gênero mais cultivada no mundo, e o Espírito Santo se destaca como o maior produtor brasileiro desta espécie, designada no Estado como café conilon. Com as previsões de grandes mudanças climáticas, sobretudo relacionadas com um aumento da escassez de água, a busca por materiais mais adaptados às variações climáticas, em especial à seca, tem se destacado. No Espírito Santo as crises hídricas ocorridas nos anos de 2015 e 2016 levaram a perda expressiva de produção do conilon. Para auxiliar na escolha de genótipos importantes para tolerância à seca e para programas de melhoramento genético, destaca-se a biologia molecular na análise da expressão gênica, assim como as análises bioquímicas e morfofisiológicas. Assim é possível estudar genes ou regiões genômicas relacionados no controle de caracteres de interesse agronômico e concomitantemente avaliar a herança materna, utilizando cruzamentos recíprocos. O estresse por seca desencadeia uma série de respostas de plantas, envolvendo cascatas transcricionais e interações entre produtos gênicos que causam uma mudança importante em toda a fisiologia, crescimento e desenvolvimento da planta. Caso haja influência materna na resposta à seca, é possível identificar diferenças no cruzamento recíproco nas progênies, sendo controladas pela mãe quando no cruzamento é receptora do pólen com o óvulo. Diante do exposto, objetiva-se com este estudo avaliar a possibilidade de herança materna para tolerância à seca, em genótipos candidatos para tolerância à seca, pré-selecionados dos cruzamentos dialelos recíprocos 120x109 e 109x120 com parentais contrastantes à seca, clone109 suscetível e o 120 tolerante; selecionar genótipos com maior desempenho na seca; verificar a expressão gênica dos genes CcGolS1 e CcMPR1 nos clones e nos genótipos pré-selecionados para avaliar a possibilidade de respostas diferenciais destes genes. Espera-se com este estudo identificar indivíduos superiores para tolerância à seca dentro dos genótipos pré-selecionados, identificar locus relacionados a características morfofisiológicas envolvidas em mecanismos de tolerância à seca e verificar se o clone 120 na condição de mãe no cruzamento tem influência nas progênies com superioridade para seca.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Taís Freire Galvão

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • prevalência de deficiência de micronutrientes em mulheres em idade fértil no brasil: revisão sistemática e meta-análise
  • Introdução: A deficiência de micronutrientes em mulheres em idade fértil é importante causa da carga de doenças na sociedade. Apesar da relevância, sumarizações da prevalência deficiência de micronutrientes em mulheres em idade fértil no Brasil não estão disponíveis. Objetivo: Estimar a prevalência da deficiência dos principais micronutrientes em mulheres na idade fértil no Brasil por meio de revisão sistemática com meta-análise. Método: O protocolo contendo os métodos detalhados desta revisão sistemática será registrado. Serão elegíveis estudos realizados no Brasil que avaliaram a prevalência de deficiência de micronutrientes em mulheres em idade fértil. As buscas serão feitas no MEDLINE, EMBASE, LILACS, SCOPUS, CINAHL e outras fontes de informação. Microdados de pesquisas que mensuraram tais deficiências serão também incluídos. Pesquisadores aos pares, e de modo independente, selecionarão os estudos, extrairão os dados e avaliarão a qualidade metodológica dos estudos. Serão calculadas meta-análises da prevalência e intervalo de confiança de 95% da deficiência dos principais micronutrientes no Stata 14.2. Duas abordagens estatísticas serão adotadas: meta-análise de proporções (comando metaprop), assumindo que os tamanhos da população e da amostra dos estudos são correlacionados e transformação de duplo arcoseno de Freeman-Tukey ponderado pela população local para estabilizar as variâncias. A heterogeneidade será estimada pelo teste do qui-quadrado e I² e investigada por meio de análise de subgrupo e metarregressões. Os dados gerados pela pesquisa serão disponibilizados integralmente em repositórios abertos após a publicação do resultado principal. Resultados esperados: Espera-se contribuir com o conhecimento da prevalência de deficiência de micronutrientes em mulheres em idade fértil. No campo da disseminação científica, planeja-se publicar artigos científicos em periódicos indexados e disponibilizar abertamente os dados abertos provenientes da revisão. A formação de recursos humanos especializados em graduação e pós-graduação também é prevista. A síntese da prevalência de deficiência de micronutrientes possibilitará o embasamento de políticas públicas em alimentação e nutrição e avaliação do impacto das intervenções nacionais na saúde das mulheres em idade fértil.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 20/01/2020-31/01/2022
Foto de perfil

Taís Silva Pereira

Ciências Humanas

Filosofia
  • jogos filosóficos: abordagens didáticas conceituais para o ensino de filosofia.
  • Este projeto é um desdobramento da experiência com o Mestrado Profissional de Filosofia e Ensino (iniciado em 2015), no tocante à elaboração de produtos educacionais que valorizem o saber filosófico como uma atividade de pensamento, e com o projeto de extensão do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca – CEFET/RJ – “A filosofia na construção de jogos” (iniciada em 2013), voltada para a divulgação da filosofia e elaboração de materiais didáticos na educação básica, e também com as atividades realizadas. Com efeito, o caminho empreendido nestas duas frentes levou à necessidade de aprofundar o entendimento teórico e prático sobre os processos de análise e construção de jogos em seu contexto educacional. Ao assumir que as investigações concernentes à filosofia e ao seu ensino são inseparáveis, a pesquisa que ora se apresenta se estrutura em três eixos complementares. O primeiro deles diz respeito às discussões sobre o conceito filosófico de jogo. A despeito da produção e utilização de suas mecânicas para o ensino (e que não se restringem apenas à filosofia), há ainda a necessidade de se analisar e discutir o conceito de jogo, tendo como horizonte o ensinar e aprender filosofia na educação básica, especialmente no ensino médio. Mais do que valorizar a instrumentalização dos jogos, busca-se compreender o seu lugar, na medida em que se define, sobretudo, pelo divertimento, nos discursos e práticas humanos. O segundo, debitário do primeiro, consiste na aproximação entre o jogo e a prática filosófica, como exercício de conceituação. Enquanto atividades específicas orientadoras, elas circunscrevem espaços comuns de interação e, portanto, são proveitosas no processo de ensino-aprendizagem. Neste sentido, embora o saber filosófico não se reduza ao jogar, encontra em sua dinâmica a possibilidade de articulação conceitual tendo em vista um propósito comum, no interior de uma comunidade de investigação. O terceiro, que se estruturará após os passos anteriores, se encaminha para uma consideração mais profunda acerca não apenas da utilização, mas igualmente da produção coletiva de jogos como um recurso para as aulas de filosofia e que podem ser estruturados através de oficinas com estudantes da educação básica, na formação de professores e igualmente na distribuição de exemplares dos jogos produzidos no âmbito desta pesquisa para 20 escolas da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro. Assim, ao aproximar a atividade filosófica e o jogo, será preciso pensar a elaboração de jogos em um horizonte além da instrumentalização de mecânicas para transmissão de conteúdos específicos. O que se pretende defender, ao fim e ao cabo, é um uso conceitual – portanto, filosófico – do jogo para o ensino de filosofia.
  • Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Taissa Rodrigues Marques da Silva

Ciências Biológicas

Zoologia
  • a evolução e biomecânica da coluna cervical de pterossauros (reptilia: archosauria)
  • Os pterossauros consistem em um grupo de répteis arcossauros que viveram exclusivamente durante a Era Mesozoica. Originaram-se no Triássico Superior e se extinguiram na transição Cretáceo-Paleógeno tendo, portando, surgido cerca de 70 milhões de anos antes das aves. Além de não possuir descendentes vivos, o clado apresenta uma grande quantidade de autapomorfias, como o conjunto de caracteres que respondem pela constituição da asa, composta por patágios (membranas alares) robustos sustentados, principalmente, pelo braço e pelo quarto dígito manual extremamente alongado. Ainda assim, pterossauros e aves apresentam diversas características convergentes, fruto da capacidade do voo batido, como a presença de ossos pneumáticos, esterno bem desenvolvido e fusionamento de algumas estruturas ósseas, o que permite extrapolar as funções de estruturas avianas para aquelas de pterossauros. Essas extrapolações hipotetizadas podem ser testadas por meio de estudos biomecânicos. Um dos tópicos mais sub-estudados é a anatomia funcional do pescoço dos pterossauros, apesar de suas óbvias implicações para a compreensão de sua postura durante a locomoção e forrageamento. Em aves, o pescoço divide-se em 3 segmentos funcionais, que são responsáveis por seu formato de “S”. Pterossauros apresentam morfologia vertebral distinta especialmente nas cervicais médias, o que implica em posturas cervicais diferentes. Porém, até o momento, pouco foi investigado sobre sua biomecânica, apesar da razoavelmente comum preservação de elementos vertebrais. Desta forma, o presente projeto objetiva reconstruir a anatomia e os movimentos do pescoço de pterossauros, além de relaciona-los aos diferentes hábitos de vida, locomoção e forrageamento e à história evolutiva do clado. Para tanto, serão estudadas séries cervicais bem preservadas, pertencentes aos gêneros Anhanguera, Azhdarcho, Brasileodactylus, Dsungaripterus e Rhamphorhynchus. Estes táxons representam animais de diferentes portes e hábitos de vida. As imagens tridimensionais das vértebras serão obtidas por meio de microtomografias ou, na impossibilidade deste método, por fotogrametria, a partir de material tombado em coleções científicas publicamente acessíveis. As articulações e músculos, a posição osteológica neutra, e a disposição do pescoço em relação aos membros serão reconstruídas com base no método Extant Phylogenetic Bracket. Subsequentemente, os movimentos do pescoço serão simulados em uma Análise de Elementos Finitos, que definirá os pontos mais suscetíveis a torções e tração e a amplitude de movimentos de cada táxon. Por fim, estes dados serão compilados e comparados em uma análise filogenética comparativa, a fim de compreender as contribuições das adaptações e da história evolutiva na biomecânica cervical em pterossauros. Estas análises serão feitas em colaboração com pesquisadores de instituições brasileiras e estrangeiras (China, Dinamarca, Estados Unidos). Os resultados deste projeto trarão avanços tanto no conhecimento específico sobre a mobilidade do pescoço de pterossauros de diferentes clados e hábitos de vida, mas também por utilizar metodologias modernas e replicáveis. Eles também podem vir a ser utilizados na indústria, no desenvolvimento de equipamentos compostos por estruturas alongadas constituídas por módulos móveis (“braços”, guindastes, etc). Os impactos mais diretos são na difusão científica, através da representação em vida de animais extintos.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Takeshi Kodama

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • física nuclear e aplicações
  • A Física Nuclear se caracteriza como um importante campo de pesquisa, que propicia informações fundamentais no entendimento da natureza, com grande relevância para o conhecimento e compreensão do mundo em que vivemos. Esta ciência tem como objetivo a investigação da origem, evolução, estrutura, mecanismos de reação e fases da matéria nuclear de interação forte. Questões fundamentais em aberto levaram a Física Nuclear a ampliar seus horizontes e hoje seu alcance se estende desde as partículas mais fundamentais, como os quarks e glúons, até a dinâmica da transição de fase associada ao Big-Bang do universo. Essa abrangência da física nuclear resulta em uma grande variedade de aplicações interdisciplinares. A energia nuclear é uma componente fundamental da política energética. O desenvolvimento de novos conceitos em reatores de fissão poderá resultar em reatores mais eficientes e seguros. Técnicas nucleares vêm sendo largamente aplicadas em diagnóstico e tratamento de doenças, por meio da radiologia diagnóstica, radioterapia, hádronterapia e medicina nuclear. Detectores de partículas, largamente utilizados em medidas de reações nucleares são hoje adaptados e utilizados em dosimetria e substituem antigos métodos de imagens. Indústrias possuem grande interesse em colaborações com desenvolvimento de instrumentação nuclear, em particular, no desenvolvimento de detectores de partículas/radiação e de eletrônica. Além disso, o desenvolvimento da pesquisa em Física Nuclear, por meio de novas e sofisticadas técnicas experimentais, também propicia o desenvolvimento de inovações tecnológicas não propriamente na área de Física Nuclear. Assim, inovações em tecnologia do vácuo, em criogenia, informática em sistemas de aquisição de dados etc, muitas vezes decorrem da pesquisa em física nuclear. Na agricultura, novas variedades de plantas com características melhoradas vêm sendo criadas por meio do processo de mutação induzida pela radiação. Outra importante área de aplicação de Física Nuclear é na investigação de danos de radiação em satélites, importantíssima na área de telecomunicações. Irradiação de materiais por feixes de íons provenientes de aceleradores vem sendo utilizada para estudar o efeito de radiação ionizante sobre delicados circuitos eletrônicos. Na indústria de petróleo, estratégica para o desenvolvimento nacional, técnicas nucleares com espectrometria de massa com aceleradores (AMS) são utilizadas para a caracterização de biodiesel e estudos de estabilidade do fundo oceânico. Outra importante aplicação da técnica de AMS encontra-se na investigação de mudanças climáticas modernas. Cabe ressaltar a importância emergente de aplicações nucleares e de radiação em nanotecnologias, tais como nanoeletronica. Como exemplos: espalhamento de nêutrons a pequenos ângulos para a caracterização de nano-estruturas, nano-dosimetria para braquioterapia induzida por partículas carregadas pesadas, irradiação de feixes de elétrons para a formação de nano-gel e endurecimento de nano-tubos, irradiação gama para o controle do tamanho de nano-partículas. Na área de fármacos, para a investigação e produção de novos medicamentos, a fase zero de microdosagem é crucial para o desenvolvimento das pesquisas. Para tal a técnica analítica ideal é AMS, por ser capaz de rastrear uma partícula em 10 a 15. A formação de recursos humanos na área de física nuclear é de grande importância para que o país continue a dominar a tecnologia. Assim sendo, a parte educacional desempenha um papel importantíssimo dentro das atividades em física nuclear. Os estudantes trabalhando em laboratórios instalados em universidades, além de estarem em contato com atividades intelectuais diversas em física geral, participam também de um conjunto extenso de atividades particulares da física nuclear. Estes se envolvem, entre outras coisas, no projeto, construção e manutenção de equipamentos experimentais sofisticados, além de utilizá-los para a pesquisa, tendo contato com a tomada de dados experimentais e interpretação dos resultados. A excelente formação adquirida com essas atividades garante a geração dos futuros líderes das ciências nucleares e de outras atividades de importância para o desenvolvimento tecnológico. A disseminação dos conhecimentos da área e suas aplicações junto ao público em geral é outra grande preocupação da comunidade de Física Nuclear. As técnicas teóricas desenvolvidas pela comunidade internacional de física nuclear foram bastante importantes no desenvolvimento de outras áreas de física como atomica, mesoscópica e nanoscópicas. A presente proposta trata da formação de um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – Física Nuclear e Aplicações (INCT-FNA). Esta importante área da ciência e tecnologia não dispõe até o momento de um INCT. A aprovação do presente projeto terá grande repercussão no desenvolvimento no Brasil de pesquisas básicas na fronteira do conhecimento científico atual, além de possibilitar o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas e com aplicações em vários outros ramos da ciência, fora da física. Com a criação do INCT nesta área, pretendemos atuar de forma mais coordenada do que vem sendo feito até então, aumentando a interação entre os grupos e entre físicos teóricos e experimentais, trabalhando em física básica e aplicada, desta forma gerando avanços qualitativos importantes, que devem contribuir não somente para contribuições na fronteira do conhecimento, mas também gerando novos produtos e tecnologia que devem beneficiar a sociedade. Com os recursos previstos neste edital, esperamos manter e modernizar os laboratórios já consolidados e ainda criar ou dar grande impulso a novos laboratórios, particularmente na região Nordeste. Prevemos, portanto, forte evolução do ponto de vista da pesquisa experimental e tecnológica nesta área.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Tales Alexandre da Costa e Silva

Engenharias

Engenharia Química
  • bioprospecção e engenharia de l-asparaginases microbianas: desenvolvimento de um biofármaco mais eficaz contra leucemia linfoide aguda
  • A L-asparaginase catalisa a hidrólise de L-asparagina em ácido L-aspártico e amônia. Atualmente, as enzimas de Escherichia coli nas formas L-asparaginase nativa e peguilada, assim como a L-asparaginase de Erwinia chrysanthemi são usadas no tratamento da leucemia linfoide aguda (LLA). No entanto, dois efeitos colaterais principais têm sido relacionados à atividade dessa enzima: neurotoxicidade e produção de anticorpos (hipersensibilidade), fatos que diminuem a eficácia do medicamento ao longo do tempo. Entretanto, essas reações de hipersensibilidade observadas com as L-asparaginases bacterianas podem não ser tão pronunciadas com homólogos de fungos, seres eucariotos, dado o parentesco evolutivo dos mesmos e os animais, como revelam estudos filogenéticos moleculares. A grande quantidade de biomas do Brasil poderia proporcionar fungos filamentosos com seletividade à L-asparagina (pouca neurotoxicidade) e motivos substitutos adequados com diferentes epítopos estruturais (baixa hipersensibilidade). Somado a isso, há o fato de que diversos estudos de engenharia racional de proteínas têm sido realizados com o intuito de melhorar a atividade das L-asparaginases bacterianas como: reduzir a atividade de L-glutaminase, diminuir a imunogenicidade da enzima, aumentar a termoestabilidade e a resistência frente às proteases humanas. Portanto, esse trabalho tem como objetivo principal a obtenção de novas L-asparaginases, por vias natural e sintética, que apresentem características bioquímicas e cinéticas mais adequadas ao tratamento da LLA. Pela via natural será testada a produção endógena da enzima através da utilização de fungos filamentosos isolados de diversos biomas brasileiros como a Caatinga e Cerrado. Enquanto que pela via sintética serão realizadas mutações sítio dirigidas na sequência de aminoácidos da L-asparaginase II de Escherichia coli - EcA II – codificada pelo gene ansB. As L-asparaginases produzidas pelas duas vias serão caracterizadas quanto às atividades e cinéticas L-asparaginásica e L-glutaminásica e quanto à resistência frente à atividade proteolítica das proteases humanas AEP e CTSB. Por fim, aquelas que se apresentarem como melhores candidatas a biofármaco serão utilizadas nos ensaios de citotoxicidade. Previamente, cerca de 200 fungos filamentosos, de diferentes locais do Brasil, foram utilizados no processo de seleção dos produtores de L-asparaginase. Entre os micro-organismos avaliados, 18 fungos foram capazes de produzir a enzima, com destaque para o fungo Aspergillus terreus VSP-44 que produziu 7,1 U.g-1. As L-asparaginases produzidas apresentaram alta seletividade contra a atividade de glutaminase, podendo apresentar menor toxicidade para o uso clínico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tales Bohrer Lobosco Gonzaga de Oliveira

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • ferramentas de realidade virtual em arquitetura: processo de projeto e materialidade
  • As ferramentas digitais de projeto se organizaram inicialmente a partir da formulação de um suporte computacional que simulava os procedimentos tradicionais. Entretanto logo evoluíram para um repertório próprio de relações, interações e procedimentos projetuais que se tornaram generativos e paramétricos. Os ganhos trazidos pelas ferramentas digitais são inegáveis, entretanto neste processo o arquiteto deixou de lidar com a forma produzida para se relacionar com parâmetros numéricos e interações matemáticas. Em um processo digital, as relações cognitivas e intuitivas do projeto dão lugar a uma formulação e implementação de relações formalizadas e objetivas. Logo, os processos projetuais se distanciaram da materialidade e das relações cognitivas e gestuais que estruturavam os procedimentos projetuais tradicionais. Assim, esta proposta pretende, através da criação de plataformas e procedimentos imersivos em realidade virtual, o desenvolvimento de processos projetuais digitais, que, ao mesmo tempo, permitam o regate do gesto e da interação do arquiteto com a forma final projetada. Adicionalmente buscamos as possibilidades de interação efetiva e colaborativa entre os diferentes suportes projetuais, seja através do intercâmbio digital (softwares tradicionais - RV), por mecanismos de importação e adaptação, ou, através do intercâmbio entre plataformas (digital – manual) utilizando o escaneamento fotográfico 3D e a prototipagem rápida como interfaces. Assim, buscamos através da elaboração e discussão de procedimentos integrados de projetação e ensino de projeto, visando resgatar a materialidade, a gestualidade e a cognição tradicionalmente existentes nesses processos. De modo a sermos capazes de propor ferramentas e procedimentos em arquitetura e urbanismo que sejam imersivos, com visualização em tempo real, capazes de trabalhar com escalas múltiplas, colaborativos e capazes de promover as integrações manual-digital e simulação-materialidade.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Talita Martins Lacerda

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • produção e hidrofobização de biocompósitos baseados em pululana e celulose bacteriana
  • O desenvolvimento de novos materiais poliméricos baseados em fontes renováveis de matéria-prima e em processos ecologicamente benignos vem sendo motivado pela crescente preocupação atual com a sustentabilidade. Uma série de materiais e substâncias com conotação renovável, incluindo celulose, amido, proteínas, óleos e açúcares, têm recebido grande atenção recentemente. Neste contexto pode-se mencionar os exopolissacarídeos de origem microbiana, principalmente por suas propriedades físico-químicas e pureza superiores quando comparadas às dos polissacarídeos de origem vegetal, com destaque para a celulose bacteriana, com diversas aplicações já consolidadas na área biomédica, e para a pululana produzida por fungos, com grande potencial de aplicação nas indústrias química, farmacêutica, de alimentos, e de produção de energia. No presente projeto pretende-se empregar polímeros unicamente obtidos de fontes renováveis (pululana e celulose bacteriana) para produção de biocompósitos baseados em (i) pululana e celulose bacteriana nativa, e (ii) pululana e nanocristais de celulose bacteriana, via casting. Uma etapa posterior, relacionada à hidrofobização dos biocompósitos através de reação sólido-gás com derivados de silano, visa expandir as potenciais gamas de aplicações dos materiais preparados Os biocompósitos serão caracterizados pelas técnicas analíticas pertinentes, e suas propriedades térmicas, mecânicas e morfológicas serão avaliadas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022