Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Suzana Quinet de Andrade Bastos

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • mudanças na composição dos índices de transgressividade no brasil (1991-2010)
  • As medidas de crimes violentos no Brasil têm crescido sistematicamente desde os anos de 1980, e a resposta é um maior esforço de combate e controle estatal; porém, as autoridades estatais não conseguem monitorar ubiquamente as atividades ilegítimas sob sua jurisdição. Embora sejam menos eficazes quanto aos crimes e mais difusos territorialmente, os controladores sociais (família, grupo religioso, escola e outros) podem atuar como efeito dissuasório primário mediante a socialização de crenças positivas de adesão a normas sociais e leis (instituições), de crenças negativas para sua violação, e a administração de sanções. Uma vez que a decisão criminal requer informação crível e que, na ausência de mercados ilícitos organizados, o criminoso recorre a outros canais de informação, tais como as experiências transgressivas e criminais pessoais e alheias, a densidade transgressivo-criminal de um local poderia carregar informação sobre o custo moral da entrada na “indústria” do crime. Essa perspectiva institucional de norma e dissuasão sociais, em geral, ainda representa uma lacuna a ser mais bem explorada na literatura aplicada de economia do crime. Ainda existe certa ambiguidade ou ausência de se estabelecer e validar estatisticamente os construtos de transgressividade (incapacitação, familiar-religiosa e educativa adulta), relacionando-os com o seu domínio teórico e dimensionalização. Portanto, este projeto de pesquisa inicialmente pretende elaborar os construtos de transgressividade das áreas mínimas comparáveis no Brasil e avaliar como a composição dos mesmos se alterou entre 1991, 2000 e 2010. Entretanto, esses construtos potencialmente formam múltiplas configurações distintas que se associam a uma alta (baixa) taxa de homicídio regional. Assim, esta pesquisa se estende ao identificar as combinações lógicas dos construtos de transgressividade e analisá-las comparativamente a fim de apontar os padrões regionais mais consistentes com a alta (baixa) taxa de homicídios de 1991, 2000 e 2010. Para atingir ambos os objetivos, esta pesquisa articulará a análise fatorial exploratória e confirmatória, modelo estrutural e uma análise configuracional. As duas primeiras técnicas estatísticas fornecerão os construtos de transgressividade, enquanto a segunda avaliará a robustez e relações dos mesmos. Ademais, as relações testadas no modelo estrutural corroborará com as combinações lógicas estabelecidas pela análise configuracional.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzane Lima Costa

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • as cartas dos povos indígenas ao brasil
  • Trata-se da criação e publicização do primeiro arquivo digital de cartas escritas por indígenas e encaminhadas ao Brasil em três importantes períodos da nossa história literária e política: 1630-1680 (antes do Brasil), 1888-1930 (na nação Brasil) e entre 2000-2018 (no presente Brasil). Com a criação desse arquivo pretende-se analisar as composições desse tipo de escrita, discutindo quem é o Brasil destinatário dessas cartas, tanto para apresentar os modos como diferentes líderes indígenas, ao biografarem suas próprias vidas, narram uma outra história do Brasil, quanto para demonstrar como nessas correspondências os povos indígenas nos apresentam a uma outra concepção de autoria: à noção de povo-autor. Para tanto, partiremos das 664 cartas já selecionadas e catalogadas durante a execução do projeto Autobiografias indígenas em trinta anos de cartas (projeto financiado pelo CNPq no Edital Universal 2013), analisando o destinatário Brasil e os contornos da autoria individual e coletiva dos indígenas durante o período de 2000-2018. Em seguida, nos dedicaremos à análise das cartas produzidas pelos indígenas Antonio Paraopeba e Felipe Camarão (cartas escritas no período colonial), presentes nos Arquivos da Real Biblioteca (Koninklijke Bibliotheek) da Holanda, em Haia (Nationale Bibliotheek van Nederland), bem como das cartas em defesa da terra, produzidas entre as décadas de 1888-1930. Após seleção, tradução e análise dessas correspondências, partiremos para a revisão bibliográfica das noções de autor e autoria no espaço biográfico até chegarmos às leituras sobre formas e funções do gênero epistolar na literatura brasileira. Como resultado final desta pesquisa, além da sua comunicação em congressos nacionais e internacionais e da publicação de artigos em revistas indexadas, pretendemos apresentar dois produtos principais: 1. Um arquivo dessas cartas em uma plataforma digital: espaço para outros estudos sobre a história literária do Brasil através das correspondências dos indígenas; 2. Uma exposição foto(áudio)biográfica dessas cartas, que possa promover uma discussão estética/política da autoria indígena em escolas públicas e museus nacionais e internacionais.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzann Flavia Cordeiro de Lima

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • identificação de atributos espaciais em empresas com políticas de responsabilidade social, para a contratação de parceria público-privada ou cogestão na construção e administração de estabelecimentos penitenciários
  • A utilização de Parcerias Público-Privadas (PPPs) ou de regime de cogestão como forma de contratação dos serviços de construção e administração de estabeleci mentos penitenciários tem sido apresentada recorrentemente como alternativa frente à necessária reformulação do sistema prisional brasileiro. Justificando-se na insuficiência do investimento estatal dispensando ao sistema carcerário e no intuito de conferir maior dignidade ao atendimento dos apenados, em cumprimento ao disposto no art. 1º da Lei de Execução Penal, Lei nº 7.210/84, a gestão compartilhada da administração de presídios mediante a adoção do sistema de PPPs ou cogestão, ainda que sem alcançar números expressivos, é realidade no Brasil desde o final da década de 1990. Considerando que as pesquisas realizadas sobre o tema quase sempre não abrangem o universo de prisões privatizadas e quando o fazem não diferenciam adequadamente os modelos de cogestão e de PPPs, pode-se dizer que não há no país dados confiáveis e sistematizados que possibilitem atualmente a avaliação das unidades prisionais cuja administração prisional foi transferida para empresas com fins econômicos. Desenhado esse quadro, é objeto da pesquisa o levantamento das informações relativas à contratação por meio de PPPs e de cogestão no sistema prisional, visando conferir base empírica à análise comparativa das prisões privatizadas em relação aos vários aspectos que as diferenciam das unidades administradas exclusivamente pelo poder público, para que seja possível identificar a melhor alternativa frente à crescente população carcerária e às constantes crises que atingem as prisões do país. Observe-se que pelos contratos de PPPs, as prisões são projetadas, construídas, financiadas, operadas e mantidas por companhias privadas por um longo período de tempo; no caso do Brasil, 30 anos. As unidades em regime de cogestão, que representam a quase totalidade dos casos de privatização de presídios praticados no país, identificam-se, por sua vez, como espécie de contratação em que o Estado assume a direção da unidade, de sua guarda e escolta externa, enquanto a empresa privada assume toda a operacionalização da unidade, gerindo serviços de saúde, alimentação, limpeza, vigilância e escolta internas, além da manutenção das instalações. A pesquisa foi iniciada em edital publicado pelo IPEA e terá continuidade, realizada por pesquisadores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e alunos do curso de graduação em arquitetura e urbanismo e de graduação em engenharia civil. A pesquisa deverá ser desenvolvida a partir de três eixos, que deverão refletir sobre os impactos dos modelos privatizados de contratação e gestão de unidades prisionais com relação: 1) Ao impacto econômico e orçamentário; 2) À qualidade dos serviços prestados, no que se refere à Humanização dos espaços; 3) Às experiências internacionais em perspectiva comparada.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Suzanne Érica Nóbrega Correia

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • desenvolvimento de negócios sociais no contexto brasileiro: possibilidades e riscos
  • Em resposta aos desafios sociais e ambientais atuais, incluindo a desigualdade social e o esgotamento dos recursos naturais, o fenômeno do empreendimento social, como uma categoria distinta de organização, tem atraído a atenção de formuladores de políticas, profissionais e acadêmicos (Doherty et al., 2014). Nos negócios sociais, a missão social é tão importante quanto a viabilidade financeira (Alter, 2007; Wood & Khan, 2016), necessitando de empreendedores com um compromisso pessoal com uma causa (Grassl, 2012). Assim, devem ser guiados por uma missão social; gerar externalidades positivas (transbordamentos) para a sociedade; reconhecer a centralidade da função empreendedora; e alcançar a competitividade nos mercados através de planejamento e gestão eficazes (Alter, 2007; Bocken, Fil & Prabhu, 2016). São considerados um exemplo de organizações híbridas que abordam uma necessidade social ao gerar lucros tipicamente reinvestidos nos negócios em si. Para Yunus (2007), existem dois tipos de negócios sociais: empresas cujos gestores focalizam mais em promover benefícios sociais do que em maximizar os lucros; e empresas que se centram em maximizar os lucros, mas são geridas por pessoas da camada mais pobre da sociedade. De acordo com Yunus, Moingeon e Lehmann-Ortega (2010), os negócios sociais buscam compensar os custos de suas operações e têm direito de recuperar seus investimentos iniciais, porém focalizando no resultado social, e não no resultado financeiro, com o potencial de agir como agente de mudança no mundo. Portocarrero e Delgado (2010) analisaram o impacto gerado por 33 casos de negócios sociais na região ibero-americana, com o objetivo de identificar os principais efeitos da situação de pobreza impostos às pessoas de baixa-renda e, a partir disso, destacaram quatro dimensões analíticas que podem ser verificados ao refletir sobre o valor social proposto pelos negócios sociais: o aumento de renda; o acesso a produtos e serviços que atendem necessidades outrora não atendidas; a construção de cidadania; e o desenvolvimento de capital social. O aumento da renda deve ser entendido além do simples aumento econômico de renda, mas como uma primeira etapa na ampliação das suas oportunidades de vida. Os negócios sociais proporcionam aumento de renda através da obtenção de emprego estável ou autoemprego; integração das pessoas nas cadeias produtivas como fornecedores de produtos e serviços; e desenvolvimento empreendedor Além do aumento da renda, a ampliação das possibilidades de escolha dos indivíduos de baixa-renda também pode ser alcançada através da redução de barreiras que permitem às pessoas a consumirem produtos e serviços que atendem suas necessidades. Estas barreiras geralmente estão associadas a preços altos, dificuldades de distribuição e a impossibilidade de assumir os custos não monetários associados à má qualidade dos serviços públicos. Iniciativas de mercado atuam neste sentido oferecendo produtos e serviços a preços mais baixos ou desenvolvendo soluções que preenchem as lacunas de infraestrutura pública. Nos mercados de baixa-renda é comum verificar uma grande assimetria de informação, poder e influência que impedem ou dificultam o exercício do conjunto de direitos e deveres no qual o indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que vive. Essa assimetria também aumenta a vulnerabilidade das pessoas, deixando-as expostas ao subemprego e a intermediações inescrupulosas que mal pagam o produto de seu trabalho. Negócios que trabalham com a inclusão de pessoas para o desenvolvimento de uma iniciativa econômica fortalecem as relações sociais entre as pessoas que participam desses grupos, desenvolvendo o seu capital social. Quando uma relação de grupo é fortalecida em uma comunidade, cria-se laços de cooperação e da confiança mútua, geram força social para que conquistas de direitos básicos e outros recursos sejam alcançados. Corroborando, Alter (2007) coloca como desafio a combinação da geração de valor social com viabilidade financeira, capacidade organizacional, capacidade de liderança e uma cultura orientada para os negócios, definindo assim, como fatores facilitadores e de riscos para o desenvolvimento de negócios sociais. Propõe, ainda, que os negócios sociais podem ser classificados de acordo com sua orientação em relação à missão e seus motivos e em função da integração entre as atividades de negócio e os programas sociais. O desenvolvimento de negócios sociais parece ser possivelmente aplicado ao contexto brasileiro. Em primeiro lugar, há inúmeros desafios sociais, tais como: baixa renda per capita e sua alta concentração nas camadas mais ricas da população; alto déficit habitacional; os problemas de gestão e da baixa qualidade de ensino na educação pública; baixa qualidade da saúde pública (Jappe, 2013; Duarte & Teodósio, 2016). Dentro desse contexto, este projeto tem como objetivo analisar os fatores facilitadores e os riscos no desenvolvimento dos negócios sociais no contexto brasileiro. A fim de atender os objetivos propostos, em termos metodológicos, a pesquisa tem caráter exploratório, quantitativo e de análise descritivo-interpretativista. Para tanto, será realizado um estudo bibliográfico sobre negócios sociais com o propósito de definir, inicialmente, os fatores facilitadores e os riscos para o desenvolvimento de negócios sociais e, posteriormente, um survey, tendo como unidade de análise, os negócios sociais mapeados pelo PIPE Social, nos quais serão abordados empreendedores e membros de suas equipes. Ao final, receberá tratamento dos dados estatísticos. Entende-se que a pesquisa desenvolvida neste projeto assume significativa relevância ao discorrer por um tema atual, apontando-se também, a necessidade de se avançar em pesquisas sobre iniciativas no contexto brasileiro, principalmente por existirem vários exemplos que criam alternativas que melhorem as condições da sociedade.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Svetlana Ruseishvili

Ciências Sociais Aplicadas

Demografia
  • imigração russa no estado de são paulo na primeira metade do século xx: uma reconstrução histórica através dos registros dos eventos vitais
  • Apesar de haver uma grande variedade de pesquisas históricas e sociológicas sobre diversos grupos de imigrantes em São Paulo, ainda existem comunidades que “permaneceram ignoradas pelas ciências sociais”, como aponta Giralda Seyferth (2004, p.32). Enquanto as principais características de imigrantes italianos, portugueses, espanhóis, sírio-libaneses, judeus e muitos outros, já são contempladas pela vasta produção académica, a própria existência de uma imigração russa no Brasil, que, no entanto, tem quase um século de história, é praticamente desconhecida. Efetivamente, a comunidade russa em São Paulo nunca foi um grupo visível pelos diversos motivos, tanto endógenos (o contexto histórico, político e social dessa imigração, sendo resultado dos desdobramentos da Revolução bolchevique de 1917), quanto exógenos (políticas restritivas do Estado Novo, discursos anti-comunistas, etc.). Além disso, a produção do conhecimento sobre esse grupo de migrantes é dificultada pelos fatores de ordem metodológica. De um lado, os registros de entrada e os livros de bordo, sendo fontes de dados prioritários, são marcados pela grande imprecisão quanto à origem e procedência desses migrantes. Por outro lado, as fontes de dados alternativos, contidos nos acervos particulares, são produzidos em idioma russo, o que praticamente impossibilita o acesso dos pesquisadores brasileiros. Dessa maneira, o presente projeto de pesquisa tem por objetivo preencher lacunas no conhecimento sobre grupos de imigrantes russos no Estado de São Paulo na primeira metade do século XX, dando continuidade para a pesquisa “Ser russo em São Paulo: os imigrantes russos e a (re)formulação de identidade após a Revolução bolchevique de 1917”, realizada com apoio do CNPq (Ruseishvili, 2016). Para isso, são priorizadas as fontes de dados alternativos, a maioria dos quais é redigida em idioma russo e contida nos acervos particulares – registros paroquiais de óbitos, batismos e matrimónios. Assim, a pesquisa buscará a: i) realizar inventário, sistematização e digitalização dos registros paroquiais das igrejas russas em São Paulo; ii) criar um Banco de dados produzidos a partir dessas fontes e iii) por meio de sua análise ancorada nos métodos da demografia histórica, complementada pelos dados trazidos de outras fontes, realizar uma reconstrução histórica das características sócio-demográficas e de mobilidade espacial dos imigrantes russos no Estado de São Paulo na primeira metade do século XX.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sydia Rosana de Araujo Oliveira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • obesidade infantil: avaliação sobre a implementação de intervenções complexas
  • A prevalência da obesidade infantil representa um desafio global urgente. A Comissão da Organização Mundial de Saúde (OMS) para acabar com a obesidade infantil propõe a implementação de um pacote integrado de recomendações ao longo da vida para fornecer serviços de prevenção e controle; no entanto, poucos estudos têm se debruçado para compreender como as intervenções são implementadas e mantidas ao longo do tempo. No Brasil, nasce a academia da saúde com o objetivo de garantir comunidades mais saudáveis, integrando ações de saúde pública na Atenção Primária dentro dos espaços onde as pessoas vivem, trabalham, estudam e se divertem. Este tipo de intervenção se mostra efetiva quando se pretende abordar agravos multicausais como é o caso da obesidade, principalmente a que incide em crianças e jovens. A obesidade infantil está presente nas diferentes faixas econômicas no Brasil. Pesquisas mostram este problema crescendo em escala nacional, no entanto, em estados mais pobres como os da região nordeste, estes são mais escassos e geralmente são feitos com populações muito específicas ou com escolares. Mais escassos ainda, são os trabalhos que enfatizem o processo de implementação de políticas de controle da obesidade infantil. O objetivo desta pesquisa será avaliar o processo de implementação do controle da obesidade infantil, a partir da investigação de uma intervenção local. Trata-se de uma pesquisa avaliativa, que utilizará de modelo lógico da intervenção, cinco dimensões da avaliação: alcance, eficácia/efetividade, adoção, implementação e manutenção, além dos fatores contextuais da implementação. Os dados serão produzidos a partir de pesquisa documental, base de dados da intervenção e entrevistas semiestruturadas e em profundidade com os envolvidos. A análise temática das respostas qualitativas das entrevistas será realizada e triangulada com os dados quantitativos. Integrará o estudo o Programa Bom dia, intervenção realizada pelo Programa Academia da Cidade, em Recife.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sylvia do Carmo Castro Franceschini

Ciências da Saúde

Medicina
  • estado nutricional de iodo, sódio e potássio no grupo materno-infantil brasileiro: um estudo multicêntrico
  • Introdução: Durante os períodos de gestação e lactação, alterações fisiológicas importantes impõem um aumento nas demandas dietéticas materna ameaçando o equilíbrio metabólico do iodo.Estudos recentes têm evidenciado que a excreção mediana de iodo urinário em escolares, atualmente recomendada como indicador da nutrição de iodo na população, pode não ser representativa de segmentos populacionais específicos como gestantes e mulheres em lactação. Neste sentido fica evidente a necessidade de estudos direcionados especificamente a estes grupos que visem não apenas a identificação de prevalências da deficiência iódica mas também a compreensão dos determinantes associados à sua distribuição. Objetivo: Avaliar os fatores associados ao estado nutricional de iodo, sódio e potássio em gestantes, nutrizes e lactentes em diferentes regiões brasileiras. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico, observacional, de base populacional e recorte transversal realizado em 13 centros com representatividade em cada macrorregião brasileira. Serão estudas por meio de recortes transversais 5430 gestantes em diferentes idades gestacionais e 4911 nutrizes e seus lactentes entre 15 e 60 dias após o parto selecionados por amostragem estratificada em dois estágios. Serão convidadas a participar do estudo as gestantes e nutrizes residentes na zona urbana dos municípios amostrados e usuárias da rede pública de saúde. O levantamento das informações sociais, econômicas, demográfica e de saúde será realizado mediante aplicação de um questionário semi estruturado. Os dados de consumo alimentar serão obtidos por meio de aplicação de um Questionário de Frequência e Consumo Alimentar (QFCA). A análise do conteúdo urinário de iodo, sódio e potássio será realizada pelo método ICP-MS utilizando-se um espectrômetro de massa no Laboratório de Análises Clínicas e Toxicológicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto. Serão consideradas deficientes as gestantes que apresentarem iodúria < 150 µg/L e nutrizes e lactentes com iodúria < 100 µg/L. As análises do teor de iodo no leite materno e alimentos regionais será realizada por espectrofotometria utilizando-se o método proposto por Sveikina e modificado por Moxon e Dixon (1980) no Laboratório de Análises de Alimentos do Departamento de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal de Viçosa. O teor de iodo no sal de consumo domiciliar será obtido por titulação, sendo consideradas adequadas as amostras que apresentarem níveis de iodo entre 15 e 45 mg/kg de sal. As análises ocorrerão no Laboratório de Tecnologia e Biomassa do Cerrado. Para análise estatística inicialmente será apresentada uma análise descritiva com frequências absoluta e relativa, medidas de tendência central e dispersão. Visando a identificação dos fatores de risco associados à deficiencia iódica entre gestantes, nutrizes e lactentes será realizada uma análise univariada (testes t de student, Mann Whitney e qui quadrado) seguida de análise multivariada na qual será aplicado um modelo hierarquizado por meio de regressão de Poisson. O teste adotado será o qui-quadrado de Wald e a medida de risco avaliada a razão de prevalência, com intervalo de confiança de 95%. A avaliação da influência dos condicionantes maternos como iodúria materna durante lactação e teor de iodo no leite sobre a concentração de iodo urinário dos lactentes será realizada por meio de Regressão Linear. O teste aplicado será o teste t a um nível de significância de 0,05 e a magnitude do efeito de cada variável expositiva sobre a iodúria dos lactentes mensurada pelos coeficientes beta padronizados e seus respectivos intervalos de confiança de 95%. O mesmo procedimento analítico será adotado para verificação dos fatores correlacionados aos níveis urinários de sódio e potássio entre gestantes, nutrizes e lactentes. A qualidade do ajuste do modelo explicativo final será analisada pelo R quadrado ajustado e análise de variância aplicando-se o teste F a um nível de significância de 0,05. O presente estudo será submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Viçosa (UFV – MG) para apreciação do cumprimento dos princípios éticos na condução de pesquisas envolvendo seres humanos conforme a Resolução 466 de 12 de dezembro de 2012 do Conselho Nacional de Saúde.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 24/11/2017-30/04/2021
Foto de perfil

Sylvia Maria Ciasca

Ciências Humanas

Psicologia
  • programa de avaliação e intervenção com pré-escolares e escolares: estudo longitudinal de fatores protetivos e de risco para transtornos emocionais e do neurodesenvolvimento
  • Introdução: Sabe-se hoje que o desenvolvimento integral da criança depende da associação de uma série de fatores, que envolve motricidade, cognição, afeto, emoção e estimulação oferecida pelo contexto ambiental. Nos estágios iniciais do desenvolvimento a estimulação neuropsicomotora é essencial, pois o estímulo desta favorece, direta ou indiretamente, funções neuropsicológicas importantes para a evolução da criança. Associado a isso, a detecção precoce de fatores de risco para alterações evolutivas, e mesmo para transtornos emocionais e do neurodesenvolvimento, se faz necessário. Isso porque a identificação na fase inicial possibilita a intervenção no momento em que o sistema nervoso é mais plástico, levando à maior probabilidade de superação (ou minimização) da problemática identificada. Em nosso meio há carência de estudos nessa linha e, assim, não é incomum que uma parcela de alunos com problemas variados passem todo ensino infantil e fundamental sem diagnóstico de transtornos do neurodesenvolvimento, tais como TDAH, deficiência intelectual, transtornos específicos de aprendizagem (leitura, escrita e matemática), ansiedade, dentre outros. Como não são diagnosticadas, não recebem tratamento adequado e, assim, tendem a sofrer por anos os efeitos destes transtornos. A escola, por sua vez, também torna-se vítima desse processo, uma vez que a ausência do diagnóstico dificulta o manejo das alterações apresentadas pela criança. Objetivo principal: realizar estudo longitudinal junto a pré-escolares e escolares da rede pública, com o intuito de se prevenir e identificar fatores de risco para transtornos emocionais, neurodesenvolvimentais e nutricionais. Sujeitos: Serão convidadas a participar do estudo todas as crianças de uma escola pública, que atende a faixa etária de 3 e 6 anos de idade. Em torno de 40% das crianças vivem em situação de risco, devido à carência sócio-econômico-cultural. Aspectos éticos: Serão atendidos todos preceitos éticos, segundo normas do CONEP. Avaliação: De 2019 e 2022 (entre fevereiro e maio) as crianças serão avaliadas e reavaliadas pela equipe interdisciplinar (fonoaudiólogos, neuropsicólogos, psicomotricista e nutricionista), na escola, no contraturno do horário escolar, utilizando-se instrumentos e testes próprios de cada área, adequados à idade das crianças. Os relatórios individuais serão entregues aos familiares e à escola nos meses de junho. Nos casos em que for identificado sinais indicativos de transtornos emocionais, do neurodesenvolvimento e nutricionais serão adotados os seguintes procedimentos: 1) as crianças serão encaminhadas para avaliação complementar no DISAPRE/FCM/UNICAMP ou CIAPRE, onde passarão por avaliação médica (neuropediatria e/ou psiquiatria) e por outros profissionais da área da saúde (psicológica, neuropsicologia, fonoaudiologia, psicopedagogia, psicomotricidade); 2) Aos pais será oferecida ajuda de custo para transporte público e lanche, de modo que possam concluir a avaliação da criança; 3) Concluída a avaliação, os pais receberão um relatório contendo resultados, conclusão e indicação de intervenção e/ou estimulação de funções, quando necessário. Se confirmado presença de transtornos emocionais e/ou do neurodesenvolvimento, o relatório conterá indicação para processo interventivo e os pais serão orientados a procurar a Rede de Atendimento Municipal mais apropriada para o seguimento do caso (Saúde e/ou Educação). Estas crianças continuarão em acompanhamento anual, de modo a se acompanhar a evolução do caso e necessidade de novo direcionamento de intervenção/tratamento; 4) Os familiares cujas crianças tenham recebido algum tipo de diagnóstico de transtornos emocionais e/ou do neurodesenvolvimento serão convidados a participar de Programas Psicoeducacionais, de modo que possam receber orientação no manejo e cuidados da criança; 5) Na escola serão elaborados e introduzidos dois programas de intervenção no segundo semestre do ano letivo (entre 2019 e 2022): Programa Sistematizado de Estimulação Psicomotora e Programas de Resposta à Intervenção (RTI), este ultimo voltado para os possíveis sinais de risco de dificuldade de aprendizagem. O PSEP fará parte do currículo da escola e beneficiará todas as crianças, pois a estimulação psicomotora sistematizada é estruturante para aquisições acadêmicas e de aprendizagem futura. Ambos os programas (PSEP e RTI) serão aplicados pelos próprios professores, juntamente com a equipe de pesquisadores. 6) Em se tratando de crianças com déficits ou alterações nutricionais, serão instituídos Programas Psicoeducacionais para familiares e Escola, de modo a compreender, regular e buscar caminhos para a adequada nutrição das crianças. Seguimento no ensino fundamental: As crianças que forem transferidas para outras escolas, a fim de iniciarem o ensino fundamental, serão convidadas a permanecer no estudo e continuarem o seguimento até que completem 9 anos de idade. Nestes casos, elas continuarão a reavaliação interdisciplinar anual, no DISAPRE/UNICAMP ou no CIAPRE. Serão mantidos ajuda de custo para os pais, emissão de relatórios e orientações para busca de atendimento na Rede Publica para intervenção, quando necessário. Resultados esperados: a) Promover conhecimento sobre o desenvolvimento infantil e seus transtornos, bem como favorecer a intervenção precoce nos casos de desenvolvimento atípico. b) Levar conhecimento estruturado a Professores e Familiares, de modo que possam atuar de forma ativa na estimulação e intervenção precoces; c) Favorecer as crianças que vivem em situação de risco, já que vivem em área ocupada distante do centro urbano e não acesso aos Serviços de Saúde; d) Obter dados científicos sobre a infância e contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas para a promoção da infância.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sylvio Barbon Júnior

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • geração inteligente de energia solar em usina fotovoltaica com aprendizado de máquina
  • A geração de energia solar vem ganhando espaço e incentivos no Brasil. Em novembro de 2019, foi inaugurada a primeira usina fotovoltaica de Londrina, localizada na Universidade Estadual de Londrina. A construção desse projeto foi parte do Projeto de Eficiência Energética aprovado na Chamada Pública Copel-VPDE 001/2017, incentivado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Sabe-se que a previsão de geração de energia representa uma etapa estratégica no planejamento, gerenciamento e operação de um sistema elétrico. Contudo, a natureza dos dados associados a energias renováveis (intermitência, aleatoriedade e dependência do ambiente e clima) é caracterizada por não-linearidade, o que dificulta a criação de um modelo preditivo satisfatório. A predição do que acontecerá em um breve espaço de tempo também é um desafio. Aproveitando a presença da usina fotovoltaica em operação no campus da Universidade Estadual de Londrina, que caracteriza um living lab para P&D em produção de energia renovável, esse projeto objetiva o desenvolvimento de modelos preditivos capazes de lidar com os dados gerados pela usina em questão e, a partir disso, obter informações estratégicas para seu gerenciamento e controle.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 20/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Sylvio Barbon Júnior

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • novos métodos preditivos para problemas desinais biológicos com múltiplas saídas
  • Em muitos desafios preditivos encontrados na vida real existem múltiplas saídas (multi-target) relacionadas a um mesmo conjunto descritivo de atributos. No entanto, por muitas vezes a dependência (linear e não linear) entre as saídas não é completamente explorada. De fato, problemas com dependência ou relacionamentos estatísticos entre suas saídas, são altamente justificáveis e podem ocorrer nos mais diversos campos, como em aplicações que tratam sinais biológicos para sua predição e compreesão; na inferência da composição química de solos e da água; na automação de processos industriais e na inferência de carga energética. Estes problemas, em geral, são resolvidos com base na técnica de AM conhecida como regressão. A utilização de soluções multi-target em detrimento a predição individual de cada saída resulta na vantagem de compreender o problema globalmente, modelando a dependência existente entre as múltiplas variáveis de saída existentes e, assim, melhorar a descrição da tarefa. Além disso, técnicas multi-target reduzem o sobreajuste aos dados de treinamento quando comparados a uma coleção de modelos com única saída. É nesse escopo que este projeto se insere. Por meio da proposta de inovação nos algoritmos de modelagem MT que explora camadas profundas de regressores empilhados, de modo a inserir a informação proveniente de predições das variáveis alvo como descritores preditivos auxiliares, buscando aumentar o desempenho preditivo.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022