Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vitor Engrácia Valenti

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • influência aguda da suplementação com base em açaí sobre a recuperação após exercício aeróbio submáximo em indivíduos com sobrepeso: análise do sistema nervoso autônomo, óxido nítrico e estresse oxidativo por meio de um estudo prospectivo, randomizado pla
  • Introdução: Intervenções não-farmacológicas para o tratamento de distúrbios cardiovasculares e metabólicos são fundamentais para reduzir a morbidade e mortalidade cardiovascular. A implementação de exercícios físicos para indivíduos com sobrepeso é relevante para a redução de riscos cardiovasculares. O uso de suplementos com o objetivo de acelerar a recuperação autonômica após exercício colabora para a diminuição de complicações cardiovasculares após o exercício. O açaí (Euterpe Oleracea Mart.) é um fruto típico e popular da região amazônica e o Brasil é seu principal produtor. Suas propriedades antioxidantes levantam a hipótese de que a ingestão de açaí antes do exercício reduz o estresse oxidativo, aumenta a biodisponibilidade de óxido nítrico e acelera a recuperação autonômica após o exercício. Além disso, a divulgação dos benefícios desse fruto pode estimular a exportação e ajudar a economia do país. Objetivo: Verificar os efeitos agudos da suplementação com açaí sobre a recuperação autonômica, estresse oxidativo e biodisponibilidade de óxido nítrico após exercício em indivíduos com sobrepeso. Método: O estudo será realizado em indivíduos adultos jovens de ambos os sexos de 18 a 30 anos de idade. Os voluntários serão divididos em grupos de acordo com sexo, índice de massa corporal (IMC) e razão cintura-estatura (CE): 1- Índice de massa corporal entre 25 e 30 kg/m2 e CE entre 0,5 e 0,55; 2- Índice de massa corporal entre 20 e 25 kg/m2 CE entre 0,4 e 0,5. Não serão analisados indivíduos com distúrbios cardiorrespiratório, neurológicos e demais comprometimentos relatados que os impeçam de realizar os procedimentos, bem como aqueles que estiverem sob medicação que influencie o sistema nervoso autônomo. Uma hora antes dos procedimentos experimentais os voluntários irão ingerir 750 mg de açaí ou placebo em cápsulas de acordo com o protocolo selecionado. O pesquisador nem o voluntário saberão se a cápsula se trata de placebo ou açaí (duplo-cego e placebo-controlado). Após a ingestão das cápsulas os voluntários permanecerão em repouso inicial sentados por 15 minutos. Após essas mensurações os voluntários realizarão exercício físico em esteira ergométrica com inclinação de 1% nos primeiros 5 minutos com FC entre 50% e 55% da FC máxima estimada (220 – idade) para aquecimento, seguido de 25 minutos com FC equivalente a 65%-70% da FC máxima estimada com a mesma inclinação. A variabilidade da frequência cardíaca e a condução elétrica dérmica serão analisados antes do exercício, aos 15-20 minutos durante o exercício e durante a recuperação após o exercício nos seguintes momentos: 5-10 minutos, 15-20 minutos, 25-30 minutos, 35-40 minutos, 45-50 minutos e 55-60 minutos. Para as mensurações bioquímicas, as amostras sanguíneas (15ml) serão coletadas antes do início do exercício, entre 1 e 5 minutos após o exercício e 60 minutos após o exercício. Serão analisadas as quantificação da peroxidação lipídica no plasma ("Thiobarbituric Acid Reactive Substances" (TBARS), a quantificação das defesas antioxidantes não enzimáticas do plasma pelo FRAP (“ferric reducing ability of plasma”) e as concentrações plasmáticas de nitrito/nitrato.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022