Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rodrigo de Oliveira Simões

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • desenvolvimento de um secador solar para desidratação de frutas e hortaliças para comunidades agrícolas
  • As comunidades agrícolas do interior do Estado de Pernambuco, assim como em outras comunidades agrícolas e também como todo o setor alimentício do país, de uma maneira em geral, passam por transformações, que em muitas vezes, são necessárias; tudo isso, buscando agregar valor ao produto final elaborado e comercializado. Um secador solar, com foco de estudo responsável nas áreas das Ciências Exatas, de Engenharias ou de Computação está diretamente envolvido no processo de desidratação de alimentos (Operação Unitária de Secagem), que pode ser elaborado de forma ideal e de baixo custo para os pequenos agricultores em comunidades agrícolas do interior do estado de Pernambuco. O desenvolvimento de um equipamento deste porte, digo, um secador solar, utiliza-se de tecnologias básicas de engenharia e pode envolver baixo custo energético, além de ser livre da emissão de CO2 durante o processo de desidratação dos produtos de origem vegetal sejam estes, frutas ou hortaliças. Diante do exposto, objetiva-se construir um secador solar, com foco de estudo no aproveitamento dos produtos de origem vegetal produzidos nas pequenas propriedades rurais de maneira sustentável por meio da utilização de energias alternativas no processo de desidratação de frutas e hortaliças, buscando reduzir o desperdício de alimentos bem como agregar renda adicional para as famílias das comunidades agrícolas. Durante o desenvolvimento e construção deste secador solar, pretende-se possibilitar e estimular o interesse de estudantes, do sexo feminino, das escolas do Ensino Básico e Ensino Médio, pelas Áreas de Ciências Exatas, Engenharia e Computação, além de colaborar também, na formação dos futuros profissionais, estudantes do sexo feminino, que já se encontram matriculadas na Instituição de Ensino Superior – IES, a Universidade Federal de Pernambuco e na Universidade Federal Rural de Pernambuco, IES colaboradora. O secador solar será constituído de coletor solar, câmara de secagem e exaustor. O processo de desidratação de frutas e hortaliças será feito pelo aquecimento do ar ambiente através de dois sistemas de captação de energia térmica: “COLETOR SOLAR CÓNCOVO” e “COLETOR SOLAR PLANO”. No “COLETOR SOLAR PLANO” ocorrerá o acumulo de radiação infravermelha, que aquecerá o ar ambiente do seu interior pelo fenômeno de convecção. Além deste, o secador tem outra forma de armazenar energia térmica para ser usada quando o aquecimento do ar no “COLETOR SOLAR PLANO” não for suficiente. É o sistema do “COLETOR SOLAR CÓNCOVO” que terá a função de transferir o calor absorvido pelo sol para uma tubulação metálica que por sua vez aquecerá um fluído que passará livremente no seu interior. O fluído aquecido será armazenado em um recipiente térmico e utilizado no aquecimento do ar ambiente pela transferência de calor em uma serpentina metálica. O ar aquecido será succionado por um ventilador centrífugo. A eficiência do processo de desidratação será monitorada, utilizando-se termopares. O desenvolvimento deste secador solar visa o beneficiamento de frutas e hortaliças de forma ideal e a baixo custo para as comunidades agrícolas. Para tanto, amostras de produtos de origem vegetal (frutas e hortaliças) serão coletas e devidamente identificadas e codificadas, acondicionadas em sacos de polipropileno estéreis e armazenadas em caixa isotérmica, onde serão transportadas ao Laboratório de Processamento de Produtos de Origem Vegetal, do Departamento de Engenharia Química – DEQ, do Centro de Tecnologia e Geociências – CTG, da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, em Recife – PE, para a realização das análises laboratoriais após serem submetidas ao Processo de Secagem (Operação Unitária) quando do funcionamento do Secador Solar na desidratação de frutas e hortaliças e verificação do padrão de qualidade do produto final através da realização das análises laboratoriais, tais como: o conteúdo de água, a perda de massa fresca, a coloração, a acidez titulável total, os sólidos solúveis totais e o pH. Os dados experimentais obtidos serão analisados por meio de análise de variância e regressão. Para o fator qualitativo, as médias serão comparadas utilizando-se teste Tukey e/ou Dunnett adotando-se o nível de 5% de probabilidade. Para os fatores quantitativos, os modelos serão escolhidos com base na significância dos coeficientes da regressão, utilizando-se o teste t e adotando o nível de até 10% de probabilidade no coeficiente de determinação.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/12/2018-31/07/2022
Foto de perfil

Rodrigo de Souza Amaral

Outra

Divulgação Científica
  • snct na amazônia: ciência, tecnologia e inovações como ferramentas para o desenvolvimento dos povos da floresta
  • O evento da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) proporcionará aos 17 campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – IFAM, distribuídos em 15 municípios do Amazonas, uma oportunidade de realização de inúmeras atividades que abordem a transversalidade da ciência, tecnologia e inovações como ferramentas para o desenvolvimento dos povos da floresta, sendo uma oportunidade de promover a difusão do conhecimento científico e de tecnologias inovadoras focadas tanto na conservação da maior floresta tropical da mundo, quanto no desenvolvimento das comunidades ribeirinhas, à na inovação de produtos, processos e serviços, e na geração de oportunidade econômica para redução das desigualdades, transformação econômica e inclusão das camadas sociais mais vulneráveis da Amazônia. Diante disso, serão realizadas atividades que apontem possibilidades de inovação nos ambientes escolares do IFAM e das instituições colaboradoras, e do ensino público das redes Municipal e Estadual, além de atividades que dialoguem com as comunidades ribeirinhas, com os indígenas, com as lideranças femininas, microempreendedores e com outras comunidades mais distantes. Serão desenvolvidas ainda atividades inclusivas para pessoas com necessidades especiais e idosos. O evento da SNCT promoverá exposições, mostras, oficinas e palestras voltadas para a prática de metodologias inovadoras a serem aplicadas no processo de ensino aprendizagem, além da produção de material didático de apoio e ações de divulgação e socialização de conhecimentos científicos, não apenas originários de estudos e pesquisas acadêmicas, mas, sobretudo de saberes e fazeres dos povos e comunidades tradicionais da Amazônia. A proposta pretende também consolidar o evento da SNCT especialmente no interior do Amazonas, possibilitando a expansão das atividades para municípios vizinhos àqueles que o IFAM já atua, e como já vêm sendo executado nas edições anteriores.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - AM - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Rodrigo Della Méa Plentz

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeitos da estimulação elétrica de corpo inteiro no pós-operatório de transplante pulmonar
  • O transplante (Tx) pulmonar trata-se de uma opção de tratamento para pacientes com doença pulmonar crônica em estágio avançado, visando aumentar a sobrevida. A reabilitação precoce é fundamental após o Tx. A estimulação elétrica neuromuscular (EENM) é reconhecida por reduzir a fraqueza muscular e melhorar a capacidade funcional quando aplicada nos músculos periféricos de pacientes com doenças crônicas como doença pulmonar obstrutiva crônica, insuficiência cardíaca e doença renal crônica. A estimulação elétrica de corpo inteiro (EECI) trata-se de uma tecnologia inovadora que permite o fortalecimento da musculatura do tronco, membros superiores e inferiores simultaneamente, potencializando os efeitos sobre o trofismo muscular em um período de intervenção reduzido. Até o presente momento o efeito da EECI em pacientes pós Tx pulmonar é desconhecido, não existem evidências sobre este recurso na reabilitação imediata de transplantados. Hipotetiza-se que a EECI associada à fisioterapia convencional possa evitar a perda de massa e força muscular, favorecendo a saída precoce do leito, melhorando a funcionalidade e reduzindo o tempo de internação hospitalar e a mortalidade. Ensaios clínicos com indivíduos saudáveis, idosas sedentárias, pacientes com lesão medular incompleta e com câncer em estágio avançado demonstram o efeito da EECI sobre o aumento da força e da espessura muscular, assim como a segurança da terapia. Para confirmar nossa hipótese, será conduzido um ensaio clínico randomizado com pacientes submetidos à Tx pulmonar; estes serão alocados para receber EECI mais fisioterapia convencional ou apenas fisioterapia convencional imediatamente após o Tx e os desfechos avaliados serão: mortalidade, arquitetura e força muscular, função pulmonar, capacidade funcional, funcionalidade, tempo de permanência em unidade de terapia intensiva (UTI) e hospitalar, dano muscular e perfil inflamatório.
  • Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo do Tocantins Calado De Saloma Rodrigues

Ciências da Saúde

Medicina
  • efeito de um171 na expansão in vitro de células-tronco hematopoéticas de pacientes com telomeropatias
  • As telomeropatias são um grupo de doenças raras causadas por defeitos genéticos mendelianos nos mecanismos de manutenção dos telômeros. Telômeros são sequências repetitivas de hexanucleotídeos nas terminações dos cromossomos lineares que, quando criticamente curtos, podem desencadear instabilidade cromossômica, senescência ou apoptose. Mutações em genes da biologia dos telômeros são etiológicas nas telomeropatias e levam à regeneração celular deficiente que afeta mais frequentemente a medula óssea, mas também pode acometer pele, pulmões e fígado, além de predispor ao câncer. O principal tratamento da falência medular de pacientes com telomeropatias é o transplante alogênico de medula óssea, dificultado pela disponibilidade de doadores compatíveis e complicações do regime de condicionamento. A molécula UM171 vem sendo utilizada com sucesso na expansão ex vivo de células-tronco hematopoéticas (CTHs) de cordão umbilical para transplantes de pacientes com doenças hematológicas. Nosso grupo de pesquisa obteve resultados promissores utilizando UM171 para expandir CTHs de medula óssea de pacientes com anemia aplástica adquirida imune sem indução de alterações genéticas ou erosão nos telômeros após cultivo. Nossa hipótese é de que CTHs de pacientes com telomeropatias podem ser expandidas in vitro com UM171 de maneira eficiente e segura sem causar instabilidade genômica ou senescência. Propomos estabelecer uma plataforma de cultivo e expansão de CTHs desses pacientes utilizando UM171. Testaremos a estabilidade genômica, a dinâmica telomérica e o potencial de enxertia dessas CTHs em modelo murino de xenotransplante. Os resultados obtidos serão necessários para a condução de ensaios clínicos utilizando CTHs expandidas com UM171 para transplante autólogo em telomeropatias. Tal estratégia pode restabelecer a hematopoese nesses pacientes, evitando complicações dos transplantes alogênicos, além de diminuir os custos para o SUS para o tratamento dessas e de outras complicações recorrentes nos pacientes, como transplantes de outros órgãos (fígado, pulmão) e tratamentos de câncer.
  • Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto - SP - Brasil
  • 08/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Rodrigo do Tocantins Calado De Saloma Rodrigues

Ciências da Saúde

Medicina
  • efeito de um171 na expansão in vitro de células-tronco hematopoéticas de pacientes com telomeropatias
  • Telômeros são sequências repetitivas de hexanucleotídeos localizados nas extremidades dos cromossomos lineares que, quando criticamente curtos, podem desencadear instabilidade cromossômica, senescência ou apoptose. Variantes patogênicas em genes envolvidos na biologia dos telômeros podem levar ao encurtamento excessivo dos telômeros e à doenças (denomidadas telomeropatias) que acometem mais frequentemente a medula óssea, mas também a pele, pulmões, fígado e predispõem ao câncer. O tratamento mais efetivo para a falência medular de pacientes com telomeropatias é o transplante alogênico de medula óssea, mas que é restrito pela pouca disponibilidade de doadores compatíveis, comorbidades e complicações do condicionamento. A molécula UM171 é capaz de expandir ex vivo células-tronco hematopoéticas (CTHs) de cordão umbilical em laboratório e já foram utilizadas com segurança em transplantes de pacientes humanos. Recentemente, obtivemos resultados promissores do uso pré-clínico de UM171 na expansão de CTHs de medula óssea de pacientes com anemia aplástica imune. Nesses casos adquiridos de mecanismo imune, a UM171 promoveu expansão efetiva de progenitores hematopoéticos sem indução de alterações cromossômicas, genéticas ou erosão telomérica observáveis. No presente projeto, planejamos avaliar se UM171 é capaz de expandir CTHs de pacientes com telomeropatias de maneira eficiente e segura in vitro. Propomos estabelecer uma plataforma de cultivo e expansão de CTHs de pacientes na presença de UM171, verificar a expansão fenotípica e funcional de CTHs e testar a sua segurança: estabilidades cromossômica e genômica e a dinâmica telomérica, além da enxertia dessas CTHs em modelo murino de xenotransplante. Os resultados permitirão definir se UM171 também é capaz de expandir de forma segura as CTHs de pacientes com anemia aplástica hereditária por telomeropatia e estabelecer bases para ensaios clínicos para seu uso em pacientes sem doadores para transplante alogênico.
  • Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo Dornelas do Carmo

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • manejo fonoaudiológico da tosse crônica refratária
  • A tosse é um mecanismo reflexo da laringe com função de proteger as vias aéreas inferiores. Sua persistência por mais de oito semanas, apesar de tratamento médico, caracteriza a Tosse Crônica Refratária (TCR) e acomete até 10% de adultos. O manejo da TCR é um desafio na clínica fonoaudiológica que tem atraído a atenção recente de pesquisadores. Uma intervenção cognitivo-comportamental busca suprimir a TCR, aumentar o limiar do reflexo de tosse e promover quebra do ciclo de irritação dos receptores laríngeos. Os procedimentos de avaliação clínica utilizados são heterogêneos, o que dificulta a comparação dos estudos e apenas dois instrumentos estão traduzidos e validados para o português brasileiro. O mecanismo de ação da intervenção fonoaudiológica não é completamente compreendido, por falta de evidências de segurança e eficácia obtidas por meio de Ensaios Clínicos Randomizados (ECR). Assim sendo, é necessário mapeamento de evidências, validação de instrumentos de avaliação e análise da segurança e eficácia das intervenções, para promover a prática baseada em evidências e oferecer atendimento clínico de qualidade. Entende-se que uma metodologia que contemple o desenvolvimento de Revisão de Escopo (RE) para mapear os procedimentos de avaliação, estudo de validação de instrumentos de autoavaliação, Revisão Sistemática (RS) do efeito e segurança das intervenções e ensaio clínico randomizado com duas intervenções para manejo da TCR possam fornecer evidências para responder as dúvidas clínicas e fortalecer a prática fonoaudiológica com TCR. Os estudos primários terão como participantes pacientes com diagnóstico de TCR, encaminhados pelo Serviço de Pneumologia e de Otorrinolaringologia e serão desenvolvidos nos ambulatórios de Voz das universidades. Os estudos secundários serão desenvolvidos a partir de buscas e seleção de estudos nas bases de dados pelo portal de periódicos CAPES e literatura cinzenta, extração e análise de dados em softwares específicos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rodrigo Gribel Lacerda

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • desenvolvimento de língua eletrônica baseada em grafeno para monitoramento da qualidade de combustíveis - fase 2
  • Este projeto de pesquisa visa o desenvolvimento de sensores baseados em grafeno para identificação e quantificação de contaminantes em combustíveis. Os sensores em questão são quimioresistores, cuja resistência elétrica varia em reposta a mudanças químicas no ambiente ao seu redor. A interação entre o líquido e o elemento sensitivo ocorre de forma direta e induz uma resposta elétrica do dispositivo que pode ser monitorada continuamente através de uma central de aquisição e processamento de dados. Os dados são processados através de algoritmos baseados em redes neuronais artificiais, fornecendo informações que possibilitam a rápida identificação e quantificação de cada fase líquida presente dentro do tanque. O grande diferencial deste tipo de sensor em relação às tecnologias existentes no mercado é que ele tem potencial para apresentar baixo custo de produção, alta sensibilidade, baixo consumo de energia e a possibilidade de miniaturização.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 07/10/2021-30/04/2023
Foto de perfil

Rodrigo Gribel Lacerda

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • investigação das propriedades opto-eletrônicas e desenvolvimento de aplicações tecnológicas baseadas em materiais 2d e hetero-estruturas de van der waals.
  • Os materiais bidimensionais (2D) englobam famílias de semicondutores e isolantes com propriedades físicas controláveis de grande relevância para aplicações. Por exemplo, as propriedades quânticas desses materiais são modificadas por alguns parâmetros específicos como: número de camadas atômicas, ângulo de giro entre camadas, e pela formação de heteroestruturas. Os focos dessa proposta são: crescer hetero-estruturas de van der Waals 2D, investigar as propriedades através de medidas ópticas e eletrônicas, e desenvolver aplicações tecnológicas como sensores. A equipe envolve especialistas em crescer materiais e heteroestruturas (2D), e em várias caracterizações óticas e eletrônicas de nanomateriais. Os principais problemas a serem resolvidos tangem: (i) o crescimento de materiais 2D através da técnica de “chemical vapor deposition” (CVD) com o objetivo de obter materiais de altas qualidades, e produzir hetero-junções horizontais compostas por dois materiais dicalcogenetos metais de transição (TMD) distintos. Um dos desdobramentos seria medir comportamentos retificadores decorrentes das heterojunções; (ii) incorporar curvaturas em TMDs, que serão suspensos em plataformas anteriormente usadas para a microfluídica. É conhecido que defeitos em tais materiais curvados atuam como fontes de fótons únicos. Ainda dentro do tema de hetero-estruturas verticais, seguiremos mais duas linhas: (iii) pretendemos produzir grafenos de duas camadas girados com baixos ângulos (menores que 1 grau), e investigar estados topológicos suportados nas interfaces entre regiões Bernais invertidas (AB e BA), tais estruturas surgem naturalmente nessa região de ângulos baixos; (iv) pretendemos utilizar de hetero-estruturas compostas por grafeno e nanopartículas de ouro funcionalizadas para desenvolvermos sensores biológicos. Todas as propostas acima são extensões diretas das áreas de pesquisa dos grupos envolvidos, ou seja, os focos são adequados às expertises e instalações físicas já existentes.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo Guerra Peixoto

Engenharias

Engenharia Civil
  • formulações numéricas para análise de falhas em elementos estruturais
  • Técnicas computacionais para análise dos diferentes fenômenos físicos têm apresentado grande desenvolvimento nas últimas décadas, dada sua importância na prática da engenharia, seja numa fase de projeto ou em análises de falhas. Particularmente no âmbito da engenharia estrutural, há grande interesse em temas como estabilidade global, comportamento dinâmico, efeitos inelásticos e desenvolvimento, propagação de fissuras e análise de resistência residual num processo de fratura mecânica. Com relação a este último tema, o método dos elementos de contorno (MEC) e o método dos elementos finitos generalizado (MEFG) apresentam-se como ferramentas numéricas bastante eficientes, visto que, em ambos os casos, dispensa-se a necessidade de reconstrução da malha durante a propagação das fissuras, como corriqueiro no método dos elementos finitos tradicional. No caso do MEC, há a necessidade apenas da introdução de novos elementos ou células internas durante a propagação, enquanto que no MEFG basta que novas funções de enriquecimento sejam introduzidas nos elementos já existentes. Tais vantagens têm despertado o interesse da comunidade científica para a elaboração e aprimoramento de novas formulações desses métodos para a simulação de falhas estruturais. Desta forma, o presente projeto se propõe a contribuir com o desenvolvimento dessas novas formulações para análise de meios sólidos, principalmente em situação de propagação de fissuras, com carregamentos cíclicos ou quase-estáticos. O desenvolvimento de técnicas mais robustas e eficientes permite a elaboração de softwares mais confiáveis e acessíveis para análise dos mais diversos problemas de falhas em componentes mecânicos ou elementos estruturais que ocorrem no dia a dia dos diferentes setores da indústria. A metodologia limita-se basicamente ao estudo teórico das formulações, seguidos pela implementação computacional dessas ideias. Os recursos necessários restringem-se, portanto, à aquisição das ferramentas computacionais.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo José Firmino

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • periferias digitais e urbanismo subalterno: tecnopolíticas urbanas e ativismo digital no sul global
  • Este projeto pretende analisar como fluxos e infraestruturas urbanas estão sendo repensadas/refeitas por meio de um engajamento com iniciativas de cidade digital/inteligente, analisando o movimento de ativismos digitais em cidades brasileiras. Parte-se do pressuposto que essas formas de disputa por direitos e processos de reapropriação de territórios e infraestruturas manifestam um reposicionamento do urbano periférico como centro epistemológico no contexto do sul global. É do interesse deste projeto, compreender engajamentos criativos e políticos com infraestrutura, dados e tecnologias digitais na cidade como meios pelos quais o “subalterno urbano” recupera o território como espaço do cotidiano e lugar de emancipação. Com isso, pretende-se problematizar a contribuição de práticas digitais emergentes situadas nas margens urbanas para a compreensão de manifestações de um “urbanismo do sul”. Tem-se como uma das bases teóricas dessa problematização os trabalhos de Ananya Roy sobre o urbanismo subalterno, que identifica a periferia não apenas como espaço em construção, mas também como uma forma de fazer teoria urbana. A partir de um processo de coprodução de conhecimento em parceria com um coletivo de jornalismo de dados na favela da Maré (data_labe), a intenção é examinar o cruzamento entre ativismo digital e urbanismo de dados como prática que – chamando atenção para as lutas e aspectos de potência dos moradores da favela – busca decolonizar o conhecimento sobre a cidade e reconceituar o lugar da periferia no debate público. Acredita-se que essa forma de saber à margem, conferindo agência a populações historicamente negligenciadas, opera como um arranjo sociotécnico de resistência que atualiza e captura o potencial e as limitações de urbanismos subalternos ligados ao digital e às infraestruturas urbanas.
  • Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo Kerr Duarte Pereira

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • processos oceanográficos e biogeoquímicos associados ao ciclo do carbono marinho no entorno da cordilheira submarina vitória-trindade (probioma)
  • A proposta é intitulada "Processos Oceanográficos e Biogeoquímicos associados ao Ciclo do Carbono Marinho na região da Cordilheira Submarina Vitória-Trindade (PROBIOMA)". As ilhas oceânicas, em especial aquelas cuja presença interage com os fluxos oceânicos, desempenham um papel importante nos processos físicos e biogeoquímicos que ocorrem nas suas águas adjacentes. Tal influência é comumente denominada pela comunidade científica de "efeito ilha". As alterações topográficas do fundo marinho e a presença de ilhas influenciam significativamente na geração de turbulência local, com consequentes repercussões nos níveis de mistura vertical da coluna d'água. Da mesma forma, alterações na intensidade da turbulência também trazem grandes repercussões na distribuição local de nutrientes, alterando os níveis de produção e competitividade entre grupos fitoplanctônicos e, consequentemente, afetando toda a cadeia trófica e fluxos de energia dos ecossistemas adjacentes às ilhas. Espera-se então que estes ambientes possuam características dinâmicas e biogeoquímicas bem diferentes daqueles mais ao largo das ilhas, ou seja, em regimes oceânicos. O estudo destas alterações e do quanto a presença das ilhas e montes submarinos influenciam nas águas ao redor torna-se, então, fundamental para um melhor entendimento da física, química e biologia da região e, consequentemente, do quanto as ilhas e as cordilheiras submersas afetam os processos oceanográficos nos oceanos globais. Cabe destacar ainda que a Cordilheira Submarina Vitória-Trindade (CVT), por ser um cinturão de ilhas, e pela porção oeste desta cordilheira interagir com a Corrente do Brasil e com o Vórtice de Vitória, deve apresentar interações entre os processos físicos e biogeoquímicos que ocorrem nas suas águas adjacentes bem distintas daquelas de outras ilhas presentes nos oceanos globais. Adicionalmente, o estudo dos sistemas de correntes de contorno oeste para a compreensão de aspectos relacionados ao ciclo do carbono e ao processo de acidificação dos oceanos ainda é muito pouco explorado. Neste contexto, o projeto PROBIOMA tem por finalidades: estudar o papel/influência das ilhas da Trindade e Martim Vaz e da CVT nos fluxos de dióxido de carbono na interface oceano-atmosfera, na potencialização do processo de acidificação dos oceanos, nas alterações nos níveis locais de nutrientes e nos grupos de fitoplâncton dominantes e investigar a relação entre os processos físicos e biogeoquímicos, responsáveis pelo controle das trocas de carbono na interface oceano-atmosfera e na mistura de massas de água em áreas com influências oceanográficas distintas no entorno da CVT. Desta forma, os esforços observacionais empenhados pela equipe de pesquisadores levarão a uma melhor compreensão dos processos oceanográficos de mesoescala (e de respostas associadas) que regem a dinâmica dos ecossistemas marinhos ao longo da área de estudo. O projeto visa, ainda, proporcionar a geração de dados biológicos e biogeoquímicos inéditos para estudos dos aspectos relacionados à acidificação dos oceanos e ao ciclo do carbono nos oceanos, permitir a intercomparação de análises químicas dos parâmetros do sistema carbonato e permitir o uso pleno da derrota do navio para medições contínuas em regiões carentes de medições oceanográficas no sudoeste do oceano Atlântico Sul. Um sistema de medição contínua dos parâmetros do sistema carbonato, desenvolvido por parceiros franceses, será testado pela primeira vez no Atlântico Sul. Adicionalmente, o projeto PROBIOMA irá capacitar recursos humanos para atuação em linhas de pesquisas vinculadas ao ciclo do carbono. O projeto PROBIOMA constitui uma iniciativa que visa avanços científicos em assuntos estratégicos, multi– e interdisciplinares, e de ampla relevância para as fronteiras do conhecimento das Ciências do Mar, através do preenchimento de lacunas espaço-temporais no que diz respeito à subamostragem de determinadas províncias biogeoquímicas do sudoeste do oceano Atlântico Sul. Nacionalmente, as atividades propostas no projeto PROBIOMA irão contribuir com as metas de médio e longo prazo da Rede BrOA, com as atividades do grupo nacional ligado à rede de pesquisa GEOTRACES, e com a integração de atividades de pesquisas científicas desenvolvidas nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. Internacionalmente, o projeto contribuirá para as novas iniciativas intergovernamentais, a saber, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas 14.3 que destaca sobre a acidez dos oceanos, os objetivos propostos de cooperação científica para os estudos dos oceanos enunciados na Declaração de Belém, e para a recém inclusão da acidificação dos oceanos como um indicador climático da WMO. Como destacado na UN-ODS 14.3, sabe-se hoje que a acidificação dos oceanos está intimamente ligada às alterações na química dos carbonatos das águas, o que pode levar a um enfraquecimento significativo das conchas e esqueletos de muitas espécies marinhas. Além disso, estudos do estado de acidificação marinha em áreas do oceano aberto e costeiro, em todo o mundo, indicam que os níveis atuais estão frequentemente fora dos limites pré-industriais. Desde o início da revolução industrial, o oceano absorveu cerca de um terço do CO2 liberado pelas atividades humanas, mitigando assim o impacto total das mudanças climáticas. No entanto, isso tem um preço ecológico alto, pois o CO2 dissolvido na água do mar reduz o nível de pH dos oceanos, aumentando a acidez e alterando o balanço biogeoquímico do carbonato. Recentemente, as preocupações sobre as questões da acidificação dos oceanos já foram confirmadas. Entretanto, a extensão do seu impacto nos ecossistemas marinhos ainda necessita de investigação. A execução deste projeto contribuirá para o fortalecimento das parcerias internacionais na Rede LAOCA, de forma a preencher as lacunas já elencadas pela Rede GOA-ON.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 01/12/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Rodrigo Lage Sacramento

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • iffablab - fábrica de laboratórios
  • O IFFabLab é um ambiente que tem como objetivo trazer o Instituto de Física da UFRJ a participar da transformação digital vigente. Neste espaço temos um conjunto de máquinas controladas numericamente por computador que possibilitam a rápida fabricação de dispositivos eletromecânicos visando dar suporte a diversas atividades do nosso Instituto. O IFFabLab é um espaço para a construção de protótipos baseado na cultura do faça-você-mesmo, inspirado pelo movimento maker. O movimento maker é uma cultura onde o ensino e a aprendizagem acontecem através da construção de projetos mão-na-massa. Diversos protótipos, projetos, experimentos são construídos pelos próprios usuários do IFFabLab. O IFFabLab possui máquinas capazes de produzir peças pequenas e médias em um curto espaço de tempo e com acabamento profissional. O espaço é equipado com impressoras 3D, máquina de corte-a-laser, fresadora CNC, além de componentes eletrônicos e ferramentas de bancada, estando bem equipado para que a ideia de um protótipo seja rapidamente fabricada e colocada à disposição da comunidade da UFRJ. Além do suporte à pesquisa, o IFFabLab também será utilizado para atividades de ensino para os cursos de graduação e pós-graduação. Disciplinas de laboratório com foco em aprendizagem baseada em projetos serão as primeiras impactadas pela consolidação deste novo ambiente. As pós-graduações também são beneficiadas com este espaço: no Mestrado Profissional de Ensino de Física os alunos têm cursos voltados para a fabricação de materiais instrucionais para a sala de aula; no programa de Física Aplicada, um ambiente para o desenvolvimento de protótipos auxiliará na criação de novas empresas e em possíveis parcerias com empresas já estabelecidas. Já para o programa Pós em Física, este ambiente dará ao aluno uma formação mais abrangente sobre equipamentos que auxiliam na fabricação de peças para o laboratório.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rodrigo Leão de Moura

Ciências Biológicas

Ecologia
  • peld abrolhos: monitoramento do maior complexo coralíneo do atlântico sul, entre o sul da bahia e o norte do espírito santo
  • O PELD Abrolhos (www.abrolhos.org) visa contribuir substancialmente com a construção de um cenário de sustentabilidade socioambiental e econômica na região que abriga os maiores recifes coralíneos do Atlântico Sul. Abrolhos possui expressiva importância pesqueira e turística e é uma região globalmente significativa para a conservação da biodiversidade marinha. No entanto, enfrenta desafios decorrentes do crescimento populacional e econômico, da sobrepesca, de desastres ambientais, e das mudanças climáticas. EM POUCAS PALAVRAS, O PELD ABROLHOS ESTÁ BUSCANDO DESVENDAR O TAMANHO E AS CARACTERÍSTICAS DOS RECIFES DE ABROLHOS E ENTENDER COMO O ECOSSISTEMA FUNCIONA E COMO É INFLUENCIADO PELAS ATIVIDADES HUMANAS E PELO CLIMA, COM O OBJETIVO MAIOR DE CONTRIBUIR COM A CONSERVAÇÃO DESSE PATRIMÔNIO NATURAL INSUBSTITUÍVEL, ATRAVÉS DO SEU USO SUSTENTÁVEL. O PELD Abrolhos é uma das iniciativas de monitoramento recifal mais consolidadas no Brasil, tendo assegurado a aquisição de séries longas (2003-2020) e representativas de dados com ampla abrangência espacial e alta resolução taxonômica. Considerando apenas a última década, o grupo produziu mais de 60 publicações de alto nível sobre Abrolhos, bem como cerca de 2 dezenas de teses, dissertações e monografias. Essa expressiva produção científica foi consorciada com ações de divulgação e comunicação, incidência consistente junto a veículos de comunicação em massa, e participação em foros locais e nacionais de gestão ambiental afetos às temáticas do projeto. Os resultados têm fornecido um quadro aprofundado acerca das condições e regimes de manejo que contribuem para a manutenção da biodiversidade e da funcionalidade dos sistemas recifais de Abrolhos, e também sobre os estressores locais e globais que induzem sua degradação. O projeto é pioneiro no mapeamento de habitats bênticos, tendo ampliado em cerca de 20 vezes a área conhecida de recifes em Abrolhos, apontado a existência de diversas feições submersas que interagem com a diversidade e a produtividade marinha, e também mapeado o maior banco de rodolitos do mundo. Essas informações subsidiam o Planejamento Espacial Marinho com mapas temáticos, modelos e algoritmos, e revisões sobre o tema, complementadas por estudos com foco na biologia de espécies comercialmente importantes e suas pescarias, os quais também têm resultado em medidas concretas de gestão. A proposta aqui apresentada visa dar continuidade e expandir a abrangência das pesquisas, espacial e tematicamente, ampliando a incidência dos resultados sobre os atores relevantes, em diversos níveis e esferas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Rodrigo Luiz Fabri

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • desenvolvimento de produtos nanotecnológicos contendo extrato metanólico de mitracarpus frigidus associado a iodeto de potássio como alternativa terapêutica para o tratamento de esporotricose
  • A esporotricose é uma micose endêmica negligenciada com uma alta incidência na América Latina, principalmente no Brasil. Sporothrix schenckii é a espécie mais frequente na América Latina, enquanto Sporothrix brasiliensis é a espécie predominante observada no Brasil e está associada tanto à esporotricose humana quanto à animal. O tratamento da esporotricose permanece restrito a algumas opções, sendo o itraconazol a primeira opção para a terapia humana e animal. Entretanto, o surgimento de cepas resistentes ao itraconazol tem incentivado a pesquisa de novos antifúngicos ativos. Entre eles, o extrato metanólico de Mitracarpus frigidus (Rubiaceae) tem mostrado relevante atividades antifúngica e anti-inflamatória in vitro e vivo. Além disso, foi demonstrado que esse extrato não apresenta toxicidade em ensaios in vitro e modelos animais agudo e sub-crônico. O destaque se dá para o tratamento utilizando nanopartículas poliméricas, pois podem melhorar o desempenho de muitos ativos, otimizando o sucesso terapêutico contra o patógeno. Essas estruturas garantem uma liberação prolongada, aumentam a biodisponibilidade, possuem baixa toxicidade e irritabilidade e rápida aderência à mucosa. Esse trabalho tem como objetivo desenvolver formulações nanotecnológicas a base de quitosana contendo extrato vegetal associado ao iodeto de potássio para o tratamento de esporotricoce. O percurso metodológico ocorrerá em 4 etapas: i) desenvolvimento e caracterização físico-química e biológica das formulações nanotecnológicas; ii) Avaliação do potencial antifúngico in vitro com os isolados clínicos; iii) Avaliação da atividade antifúngica in vivo; iv) Análise da diversidade fenotípica e filogenética do fungo. É válido ressaltar o potencial científico e terapêutico dessa planta que poderá abrir novas perspectivas para o tratamento de doenças infecciosas e possivelmente desenvolvermos formulações nantecnológicas e, proporcionando sua utilização futura para tratamento de esporotricoce.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Rodrigo Mello Gomes

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • puberdade como janela ontogenética: envolvimento da autofagia e do envelhecimento em distúrbios renais e cardiometabólicos
  • A obesidade entre adolescentes apresenta potencial de influenciar sua saúde quando adultos, resultando em distúrbios cardiometabólicos e renais. O estudo dos mecanismos que geram esses distúrbios pode resultar em novas estratégias que reduzam custos de tratamento e melhorem a qualidade de vida. Tem sido demonstrado que a incidência de doenças cardiometabólicas aumenta com o envelhecimento. Comprometimentos funcionais relacionados a danos celulares ocorrem com o avanço da idade. Estudos mostram que existe uma relação entre a redução da atividade autofágica associada à idade com doenças cardiometabólicas. Vias autofágicas estão envolvidas nas respostas hipertróficas e fibróticas em ratos com remodelamento cardíaco, além de outros tecidos. Destacando o papel da Beclin-1, LC3-I, LC3-II, p-mTOR, e do sistema redox. Também foi observado que a inibição da mTOR resulta em aumento da atividade da enzima quinase ativadora de autofagia (ULK) 1/2 (KIM e GUAN 2015). Podemos hipotetizar que a relação da via autofágica com a mTOR e a AMPK sobre o envelhecimento, resulte em doenças metabólicas, circulatórias e renais provocadas pela obesidade durante a vida puberal. Recentemente, mostramos que a puberdade é uma janela ontogenética (Cavalet et al., 2020; Pinhal, et al., 2013). Embora haja evidências da contribuição da autofagia para a fisiopatologia de disfunções cardiometabólicas, não há dados sobre a puberdade como janela ontogenética para alterações em vias autofágicas ao longo do envelhecimento. Avaliaremos a fisiologia cardíaca, renal, hepática e pancreática, e faremos avaliações moleculares de vias autofágicas. Para um estudo preciso utilizaremos camundongos transgênicos CAG-RFP-EGFP-LC3, C57BL/6-Tg (CAG-FP/GFP/Map1lc3b) 1Hill/JCAG-RFP-EGFP-LC3, fornecidos pelo Laboratório Jackson - Strain Datasheet – 027139 – EUA. Nesses animais a LC3 está fundida a proteínas de fluorescência pH dependentes. Nosso estudo será progressivo da puberdade até os 720 dias de vida desses animais.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo Silveira Vieira

Engenharias

Engenharia Química
  • bioimpressão 3d de matrizes à base de humor vítreo extraído de peixe associadas a células-tronco mesenquimais ou vesículas extracelulares para a engenharia de tecidos oculares e da pele
  • Duas áreas são de interesse nesta proposta: a regeneração do tecido ocular e cutâneo, devido ao impacto do problema para os sistemas de saúde (Mundial e do Brasil). De fato, estima-se que 10 milhões de pessoas em todo o mundo sofram de perda de visão da córnea. Enquanto as lesões fatais decorrentes de queimaduras são responsáveis por aproximadamente 180.000 mortes/ano e no Brasil ocorrem cerca de 1.000.000 de queimaduras/ano. Lesões dérmicas crônicas acometem 5 milhões de brasileiros sendo a 14ª maior causa de afastamento do trabalho no país. São distúrbios graves e requerem intervenção urgente para restaurar a integridade do tecido. Devido as diversas limitações dos tratamentos atuais disponíveis (dentre elas a escassez de órgãos disponíveis para transplante), tornou-se necessário o desenvolvimento de estratégias alternativas. Nesse sentido surge a Engenharia de Tecidos (ET), onde todo o processo tem por base cultivo de células vivas em scaffolds de forma a orientar o desenvolvimento do novo tecido para então, este ser inserido no paciente. Nesta proposta serão desenvolvidos produtos inovadores com potencial para aplicação na ET, através do uso da bioimpressão 3D, que permite uma construção rápida e personalizada com maior controle de qualidade no desenvolvimento dos scaffolds. Uma outra inovação deste projeto é o desenvolvimento de scaffolds à base de humor vítreo (HV) extraído de olho de peixe. O HV apresenta composição interessante, possuindo basicamente componentes que são naturalmente encontrados na matriz extracelular. Células troco mesenquimais e vesículas extracelulares serão incorporadas aos scaffolds sendo ambos agentes terapêuticos promissores para a regeneração dos tecidos alvos. Do ponto de vista de formação de recursos humanos e formação de rede em Engenharia de Tecidos e interação com empresas: a) contribuir para a formação científica de pessoal (através de orientações de alunos graduação, mestrado e doutorado) e colaborando para o fortalecimento dos grupos de pesquisa envolvidos b) publicações em revistas de alto impacto, patentes e produto tecnológico; c) interação universidade (brasileiras e estrangeiras) com empresas, d) formação de uma rede entre pesquisadores de Universidades Brasileiras: Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Pesca da UFC (Fortaleza - Ceará) e a Faculdade de Odontologia da UFC (Sobral – Ceará), a o Centro Universitário Padre Albino – UNIFIPA (Catanduva - São Paulo) e Universidades estrangeiras (Departamento de Engenharia de Materiais e Metalúrgica da Université Laval (Quebec – Canadá), Departamento de Ciências da Saúde da Università del Piemonte Orientale (Navara – Italia), d) Associação das Universidades participantes com as empresas: R-Crio Células Tronco (Campinas – SP) e Embrapa Agroindustria Tropical (Fortaleza – CE).
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Rodrigo Silveira Vieira

Engenharias

Engenharia Química
  • curativo de pele tecnologicamente avançado à base de biocelulose e nanopartículas de grafeno modificado
  • De acordo com o Sistema Único de Saúde, o Brasil registrou em 2019 quatro milhões de brasileiros com alguma lesão crônica na pele, como queimaduras graves (2º e 3º grau), úlceras por pressão (decúbito) e úlceras venosas, a qual são incapazes de seguir as etapas fisiológicas normais para a cicatrização do tecido. O tratamento dessas lesões é comumente realizado via tópica, através do uso de curativos e do uso de drogas que atuem por via sistêmica, para controlar os danos causados pelos agentes químicos, físicos ou biológicos e auxiliar no processo de homeostase do tecido. Diante das elevadas cargas física (dor e incomodo), financeira e psicológica para os pacientes e hospitais, o uso de curativos avançados que desempenhem uma ação bioativa tópica sobre a ferida tem motivando pesquisas e o mercado farmacêutico mundial. Segundo relatório publicado em 2019 pela Global Advanced Wound Dressing Market, o segmento de curativos terapêuticos avançados está em crescente expansão e estima-se que represente uma maior participação do mercado global nas próximas décadas. Nossa equipe de empreendedores desenvolveu o GrafDerm, um curativo úmido de biocelulose contendo óxido de grafeno ancorado com nanopartículas de prata, objetivando obter um material com propriedades antimicrobianas, não citotóxicas, com alta adaptação. O GrafDerm, por ser úmido, possui adaptabilidade a superfície da lesão, flexibilidade e proteção ao tecido, capacidade elevada de remoção do exsudato, regulação da temperatura e umidade sobre a área inflamada, controle de trocas gasosas e de microrganismos patogênicos. O curativo foi desenvolvido por um grupo de empreendedores do Departamento de Engenharia Química e de Física da UFC, em colaboração com a Universidade da Flórida. Parte desse Grupo ao longo da Fase I fundaram uma startup a BIOMTEC (spin-off incubada no Parque Tecnológico da UFC). Através de uma planta de produção laboratorial de biocelulose, foram produzidas membranas de biocelulose, por fermentação estática. O óxido de grafeno foi adquirido da fabricante Cheap Tubes e foi modificado quimicamente através da redução de íons de prata, promovendo a formação de nanocompósito GO-Ag sobre as folhas de grafeno. O nanocompósito GO-Ag foi incoporado às membranas de biocelulose para obtenção do curativo tecnologicamente avançado, Grafderm. Os resultados iniciais da Fase I demonstraram que a rota de síntese realizada foi capaz de produzir um curativo a base de grafeno ancorado com prata, com porosidade ao longo de sua espessura que atua no controle das trocas gasosas, demonstrando ser um sistema de liberação controlada, com elevada absorção do exsudato, atividade bactericida e baixa citotoxicidade. As nanopartículas de óxido de grafeno demonstraram atividade antimicrobiana e citocompatibilidade. Além do mais, devido à presença de grupos funcionais reativos, as nanopartículas de óxido de grafeno podem ser modificadas, aprimorando suas propriedades biológicas. Dessa forma, a modificação das nanopartículas de óxido de grafeno com prata não apenas melhorou a qualidade da esfoliação e dispersão das nanopartículas na matriz polimérica, mas também aumentou a biodisponibilidade das propriedades antimicrobianas próprias do metal, para se obter um nanocompósito com maior biocompatibilidade e propriedades biológicas avançadas. A partir dos resultados da Fase I objetiva-se continuar na Fase II no processo de otimização do compósito de biocelulose contendo óxido de grafeno com prata ancorada. Será realizado um estudo experimental para maximizar as propriedades biológicas dos componentes ativos sem trazer aumento de citotoxicidade. Em seguira serão realizados os ensaios pré-clinicos em colaboração com Centro Universitário Padre Albino (UNIFIPA) no Laboratório Multidisciplinar-UNIFIPA e conduzidos de acordo com as normas da Comissão de Ética para o Uso de Animais (CEUA-UNIFIPA). Os ensaios usando animais serão realizados através dos modelos de lesão cutânea infectada e lesão diabética. Espera-se demonstrar que as características peculiares do curativo bioativo (CB-GO/Ag) permitirão diminuir a infecção e inflamação na área, acelerando a regeneração dos tecidos e induzindo cicatrizes esteticamente uniformes e mais discretas (devido ao estimulo na síntese de ácido hialurônico e colágeno), proporcionando ao paciente um cuidado menos invasivo (apenas via tópico), rápida resposta local, menor quantidade de trocas do curativo, fácil adesão ao tratamento, redução do tempo de cicatrização e menor custo associado na gestão da ferida. Relativo aos aspectos de gestão do projeto, ele será gerido por uma equipe multidisciplinar nas áreas de Engenharia, Química, Biologia e Física que vem empreendendo com soluções inovadoras de materiais para o setor biomédico. Essa equipe possui parcerias já estabelecidas com outras instituições de pesquisa nacionais (Unidade Didática e de Pesquisa Experimental (UDPE) do Centro Universitário Padre Albino (UNIFIPA) de Catanduva-SP, Clínica LS Cuidados em Saúde (Fortaleza, especializada em tratamento de feridas), Embrapa e Unicamp) e internacionais University of Florida (EUA), Biopolymers for Life Group da Royal Institute of Technology (Suécia) e o Laboratory of Biomaterials and Bioengineering (Canadá). Essas cooperações visam a articulação para os ensaios in vivo (pré-clínico) e para a demanda de produtos que serão realizados nessa Fase II da Chamada, visando a obtenção e validação do Produto Mínimo Viável. A gestão de negócios será construída paulatinamente e em conjunto com a equipe de gestão técnica, com a aprimorando do plano de negócios desenvolvido na Fase I desta Chamada, que irá apresentar todos os detalhes (pontos fortes e fracos) e premissas do empreendimento. A partir de um diagnóstico bem-feito, que contempla avaliar os diferenciais competitivos do produto e organização diante do mercado, serão definidas novas estratégias de teste e inserção do produto e identificadas novas oportunidades de negociação.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 26/09/2021-31/03/2023
Foto de perfil

Rodrigo Temp Müller

Ciências Biológicas

Zoologia
  • evidências da origem e evolução inicial dos dinossauros preservadas em leitos fossilíferos do triássico do sul do brasil
  • Enquanto que o registro fóssil de dinossauros tem uma distribuição cosmopolita, os fósseis inequívocos mais antigos são limitados a América do Sul. Contando com um abundante registro, por vários anos a Argentina se mostrou líder em pesquisas sobre a origem dos dinossauros. Entretanto, esforços de prospecção e coleta em território brasileiro têm produzido resultados animadores. Tais resultados não só colocaram o Brasil em evidência no cenário mundial, como também estão impactando diretamente o conhecimento da área. O grau de preservação de alguns dos espécimes brasileiros têm lançado luz sobre a anatomia, comportamento e biologia destes primeiros dinossauros. Associados a métodos de datação refinados, estes achados ajudam a compreender os padrões macroevolutivos que atuaram sobre a origem do grupo. Não obstante, diversas questões ainda permeiam o estudo da origem e evolução inicial dos dinossauros. Dentre elas, a mais central está relacionada as controversas afinidades filogenéticas dos grandes grupos. Está é uma questão chave e quando melhor compreendida poderá lançar luz sobre outros aspectos, como padrões de distribuição paleobiogeográfica, variação ontogenética e processos evolutivos. Contudo, para que todas estas questões possam ser investigadas, faz-se necessária a descoberta de novos fósseis e análises mais detalhadas de espécimes já descobertos. Para isto, este projeto visa realizar expedições de coleta em sítios fossilíferos triássicos da Região Central do Estado do Rio Grande do Sul. A equipe será composta por paleontólogos e estudantes da área, sendo que a maior parte será constituída por membros do Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica da Quarta Colônia/Universidade Federal de Santa Maria (CAPPA/UFSM). Os fósseis escavados serão mecanicamente preparados, estabilizados, tombados e estudados no CAPPA/UFSM. Por fim, os espécimes mais bem preservados serão expostos na mostra paleontológica do CAPPA/UFSM, tornando-se acessíveis para toda a população.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Rodrigo Vitorino Souza Alves

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • estado, direito e religião: desafios e perspectivas no brasil contemporâneo
  • O projeto tem como tema central as relações entre Estado, Direito e Religião, com foco nos desafios e perspectivas para o Brasil contemporâneo. Nesse contexto, objetiva-se explorar essas interações de uma perspectiva jurídica, a fim de se identificar o sentido e o alcance das normas constitucionais relativas à garantia das liberdades de consciência, crença e religião, com discussão dos problemas associados ao exercício da liberdade religiosa, à separação entre Estado e religião, à proteção de grupos vulneráveis e à convivência pacífica no contexto da diversidade religiosa e cultural brasileira. Além disso, busca-se explorar o modelo de laicidade estatal estabelecido constitucionalmente no Brasil, a partir das normas definidoras de direitos fundamentais e das normas de estruturação do Estado. De forma geral, tem-se como hipótese que a laicidade do Estado brasileiro, entendida como corolário dos direitos e garantias fundamentais, pode ser compreendida, no mínimo, a partir de três elementos: a diferenciação institucional entre Estado e religião, autonomia relativa entre Estado e religião, e o tratamento estatal com igualdade material e não discriminação dirigido aos diferentes grupos e expressões religiosos. Essa hipótese pode ser considerada plausível tanto a partir de uma leitura sistemática do texto constitucional quanto de decisões tomadas pelos tribunais brasileiros, sobretudo pelo Supremo Tribunal Federal, nos últimos anos. No entanto, trata-se de apenas de uma hipótese geral, a qual não desconsidera os variados desafios específicos que a aplicação das normas constitucionais impõem, nos contextos em que o exercício de crenças e religiões está em jogo. Para o enfrentamento do problema, a equipe do projeto desenvolverá pesquisa exploratória, com recurso a procedimentos bibliográficos e documentais, com análise da literatura especializada, da legislação, da jurisprudência e de outros documentos pertinentes ao objeto.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Roger Chammas

Ciências Biológicas

Morfologia
  • assinatura preditiva de resposta à radioterapia a partir da análise proteica e funcional de vesículas extracelulares tumorais
  • A recidiva tumoral ainda se faz presente em parcela significante de pacientes portadores de tumores submetidos à radioterapia. Entretanto, existe uma carência no que diz respeito à existência de biomarcadores que antecipem o desfecho terapêutico, indicando a possibilidade de repopulação tumoral a partir de células remanescentes. Nesse sentido, objetivamos identificar um perfil de assinatura proteica e funcional preditiva de resposta à radioterapia a partir da secreção de vesículas extracelulares tumorais (VETs). Baseando-se em estudos pré-clínicos que demonstraram alteração da carga carreada por VETs após diferentes agentes terapêuticos estressores, nossa hipótese seria que o conteúdo proteico das VETs, bem como seu efeito no fenótipo de células do sistema imune inato, são alterados em reposta a radioterapia. O microambiente tumoral é caracterizado também pela presença de macrófagos que são células altamente plásticas, assumindo um fenótipo pró- (anti-inflamatório, M2) ou anti-tumoral (pró-inflamatório, M1), dependendo de fatores secretados nesse microambiente. Desse modo, o efeito das VETs na reprogramação dessas células pode influenciar no desfecho terapêutico por induzir a polarização M1 ou M2. Assim, a partir do sangue coletado de pacientes do ICESP antes e após a radioterapia, as VETs serão isoladas por cromatografia e purificadas utilizando-se beads magnéticas contendo anticorpos específicos tumorais. A seguir, será feita a análise proteômica identificando-se proteínas diferencialmente presentes nas VETs nos dois momentos da coleta. A seguir, o efeito funcional dessas nanoestruturas será investigado avaliando-se o perfil de citocinas e expressão genica relacionada ao fenótipo M1 e M2 em macrófagos derivados de células mononucleares do sangue periférico. Finalmente, o perfil proteico será então correlacionado com o fenótipo resultante, gerando assim uma assinatura capaz de discriminar pacientes responsivos e não responsivos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025