Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vicente Carlos de Oliveira Costa

Ciências da Saúde

Farmácia
  • espécies vegetais do semi-árido do nordeste brasileiro como fonte de ativos com potencial atividade espasmolítica: uma abordagem fitoquímica e farmacológica
  • A natureza vem servindo como fonte de produtos potencialmente terapêuticos e por séculos, derivados de minerais, vegetais e animais constituíram os únicos recursos para o alívio de enfermidades. A flora brasileira é extremamente rica em compostos bioativos devido à sua vasta biodiversidade distribuída em diversos biomas. O bioma da caatinga ocorre exclusivamente no Nordeste do Brasil e ocupa cerca de 9,9 % da área territorial do país. As plantas deste bioma se tornam importantes, devido à grande possibilidade de isolamento de compostos bioativos. Nesse projeto serão investigadas as espécies vegetais Leptohyptis macrostachys, Medusantha martiusii e Mesosphaerum sidifolium pertencentes à família Lamiaceae e Varronia dardani e Varronia leucocephala, ambas da familia Boraginaceae. As espécies serão coletadas em municípios paraibanos, identificadas por especialistas e as exsicatas serão depositadas no herbário da Universidade Federal da Paraíba. Os materiais botânicos serão submetidos à maceração e em seguida, as soluções extrativas serão concentradas para a obtenção dos extratos etanólicos brutos, os quais serão submetidos à partição líquido/líquido. Com as fases resultantes, serão realizados métodos cromatográficos, sendo as frações injetadas em cromatógrafo líquido acoplado a espectrômetro de massas, para a obtenção de seus perfis cromatográficos. Inicialmente será feita a identificação dos compostos por comparação com tempos de retenção de padrões e dados de fragmentação disponíveis na literatura. Os dados serão inseridos no The Global Natural Product Social Molecular Networking (GNPS) para criação da rede molecular e identificação dos componentes. Quando não for possível a identifição exata, será utilizado o método preparativo de Cromatografia Líquida de Alta Eficiência para isolamento e para a caracterização estrutural serão realizadas as técnicas de Ressonância Magnética Nuclear 1H e 13C e bidimensionais, infravermelho e espectrometria de massas em alta resolução. Após a análise química, os compostos, fases e extratos serão disponibilizados para análise do potencial espasmolítico. De modo que, fazendo-se uso de técnicas espectroscópicas hifenadas como as citadas acima possa-se alcançar os resultados proposto no referido projeto. Assim, espera-se que de uma forma em um menor espaço de tempo consigamos chegar a uma ampla caracterização de metabólitos e obtenção dos princípios ativos das espécies a serem estudadas.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022