Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandre Bryan Heinemann

Ciências Agrárias

Engenharia Agrícola
  • caracterização ambiental da região produtora de arroz irrigado tropical no brasil
  • A produção mundial de arroz deve aumentar para atender às necessidades futuras de alimentos em meio a uma forte competição por recursos naturais. No Brasil, há dois sistemas de produção de arroz: arroz irrigado e de terras altas. O arroz irrigado é responsável por 82% da produção nacional, sendo que 76% são provenientes do arroz irrigado subtropical, produzido basicamente no Sul do Brasil (Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Entretanto, o arroz irrigado subtropical praticamente já atingiu o seu potencial produtivo e o nível aceitável de exploração de áreas favoráveis para o seu cultivo no sul do Brasil, por isso dificilmente excederá os atuais 1,2 milhão de hectares. Nesse contexto, é estratégico a diversificação da oferta de arroz no Brasil, por meio do aprimoramento da produtividade do arroz irrigado tropical nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Nessas regiões, a produção do arroz tropical apresenta menor produtividade e maior variabilidade, comparado ao arroz irrigado subtropical, devido aos riscos agroclimáticos mais intensos. Parte desse risco agroclimático está relacionado com a adoção de cultivares não adaptadas ao ambiente tropical. Identificar linhagens promissoras e adaptadas a um específico ambiente tropical é um desafio e demanda enorme esforço dos melhoristas devido complexidade das interações Genótipo x Ambiente x Manejo (GxAxM), e necessidade de avaliação de um alto número de linhagens em múltiplos ambientes, assim como identificação de seus respectivos ambientes alvos. Para minimizar a complexidade das interações, uma solução é a identificação de ambientes de populações alvos (TPE – “Target Population Environment”), que é a caracterização ambiental levando-se em consideração não somente os aspectos climáticos básicos, como precipitação pluvial e temperatura, mas também os efeitos da interação GxAxM. Modelos de simulação do crescimento, desenvolvimento e produtividade de culturas possuem uma série de funções matemáticas que se mostram eficientes na captura das interações GxAxM e avaliação do desempenho de cultivares, com base em princípios ecofisiológicos. Este estudo tem como objetivo utilizar modelos de simulação de crescimento de culturas para identificar grupos ambientais homogêneos na região produtora de arroz irrigado tropical pela caracterização dos efeitos de fatores limitantes ambientais (temperaturas extremas, radiação global acumulada) e de manejo (datas de semeadura) sobre a produtividade e características fenotípicas de cultivares de arroz que melhor se adaptam aos respectivos ambientes identificados. Com esse estudo pretende-se o aumento da eficiência do programa de melhoramento, a identificação de regiões homogêneas na região de produção, a otimização da alocação de experimentos na região de estudo, e a identificação e quantificação dos fatores limitantes a produtividade na região de estudo. Como consequência, a seleção e adoção de cultivares adaptadas a ambientes específicos reduzirá os impactos ambientais no sistema de produção (reduzir a aplicação de pesticidas). Um melhor conhecimento das edafoclimáticas da região de produção do arroz irriga tropical irá auxiliar no suporte as políticas públicas. Além disso, a metodologia a ser utilizada nesse estudo poderá ser aplicada em outros programas de melhoramento vegetal.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Busko Valim

Ciências Humanas

História
  • a política de boa vizinhança como zona de contato: estratégias e ações da brazilian division no brasil durante a ii guerra mundial.
  • Este Projeto de Pesquisa visa a um estudo detalhado acerca da implantação da Brazilian Division, uma subsidiária do Office of the Coordinator of Inter-american Affairs (OCIAA) no Brasil, e das atividades que desenvolveu no país entre 1941 e 1945. A instalação da Brazilian Division no Rio de Janeiro em setembro de 1941, bem como de 13 regionais estrategicamente situadas em diversos Estados brasileiros, segue sendo pouco conhecida. A imensa estrutura de propaganda estadunidense desenvolvida no Brasil durante a II Guerra Mundial será inicialmente abordada com base um uma cuidadosa coleta de documentação primária realizada nos Estados Unidos entre 2015 e 2016. Nessa segunda etapa da pesquisa, pretendo colher toda a documentação restante e que segue desconhecida pela literatura nacional e internacional acerca da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial. O volume de material produzido pela Brazilian Division, não coletado em minhas pesquisas anteriores, perfaz cerca de 40 caixas ou, aproximadamente, 30 mil documentos. Importante ressaltar que, tal como as caixas que encontrei anteriormente, o material restante encontra-se lacrado e fora de catálogo desde 1945. A documentação ainda não coletada em minhas pesquisas anteriores no National Archives dizem respeito às incursões da Brazilian Division nas áreas de Propaganda Política, Imprensa e Rádio. Esta proposta é um desdobramento de pesquisas anteriores elaboradas no âmbito de duas Bolsas de Produtividade de Pesquisa (2013-2016 e 2016-2019). Os projetos anteriores visavam a elaboração de um estudo sobre a difusão de Propaganda de Guerra por meio de short films (realizados em live action) produzidos sob os auspícios do Office of the Coordinator of Inter-american Affairs, entre 1939 e 1945 e veiculados no Brasil durante a II Guerra Mundial. As pesquisas que desenvolvi em arquivos brasileiros, canadenses e estadunidenses revelaram uma intensa atuação do governo estadunidense em território brasileiro para além do cinema, e ainda não explorada a fundo pela literatura especializada. Acredito que o imenso volume de documentação coletada e relativa a instalação e funcionamento da Brazilian Division, deslinda em detalhes o funcionamento do OCIAA no Brasil. Por meio dessa documentação será possível precisar como se deu a sua relação com as autoridades brasileiras, estratagemas e logística para a instalação do que viria a ser o maior esforço de propaganda já realizado pelos Estados Unidos em um país estrangeiro até aquele momento. Ademais, poderá contribuir para o entendimento de como o governo estadunidense avaliava o impacto social de sua campanha de integração hemisférica, bem como de suas expectativas e anseios quanto a participação do Brasil na II Guerra Mundial. Com maior orçamento e número de funcionários (107) a Brazilian Division era considerada a mais importante subsidiária do OCIAA na América do Sul. Era composta por 13 regionais: Rio de Janeiro (sede), São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Belém, Curitiba, Porto Alegre, Natal, Fortaleza e Recife. Florianópolis, Vitória e Manaus tinham escritórios, mas não comitês regionais formalizados; os trabalhos da Brazilian Division eram regularmente conduzidos pelos Consulados dos Estados Unidos nessas capitais. A implementação das 13 regionais a partir do início de 1943 foi de fundamental importância para que as atividades do OCIAA não ficassem demasiadamente concentradas nos grandes centros do país, mormente Rio de Janeiro e São Paulo. Contudo, como essa descentralização ocorreu? Quais foram os obstáculos enfrentados por essas regionais? Como se deram os arranjos com as autoridades brasileiras para que um esforço de propaganda tão amplo fosse viabilizado? Que parcerias foram estabelecidas no Brasil para que suas atividades fossem realizadas? Quais atividades foram desenvolvidas e qual a sua extensão? Por fim, pretendo analisar a instalação da subsidiária do OCIAA no Brasil com o fito de traçar um amplo panorama acerca da aproximação entre propaganda, psicologia, política e cultura na formação da opinião pública brasileira. A apresentação desta proposta advém da percepção de que esta modalidade é a mais adequada para a sistematização, problematização e análise de documentos relacionados a uma área ainda carente de estudos mais aprofundados; sobretudo em uma perspectiva de História Social. A este ponto, soma-se a importância, ineditismo e amplitude das fontes a serem trabalhadas. Assim, com este estudo espero contribuir para a compreensão do impacto social desencadeado pela atuação de uma agência governamental de propaganda estrangeira no Brasil, em um contexto de relações de poder profundamente assimétricas. Também tenciono discutir os objetivos, expectativas e a superação de obstáculos em um mesmo espaço social, isto é, em uma “zona de contato” que envolveu conflitos, coerções, estratagemas, confluências, disjunções culturais e sociais em condições de desigualdade radical, intrínsecas e extrínsecas a ambos os países. Os avanços na área da propaganda política e das técnicas utilizadas na formação de consenso talvez tenham sido ainda mais significativos, se notarmos que a II Guerra Mundial foi um grande laboratório onde muitas das técnicas posteriormente utilizadas pelos meios de comunicação, durante a Guerra Fria, foram criadas e aperfeiçoadas. Finalmente, será elaborada uma discussão de como, em dos momentos mais traumáticos do século XX, o governo estadunidense atuou no Brasil para justificar a participação do país na II Guerra Mundial. Ademais, a pesquisa também poderá revelar como tal atuação contribuiu para a disseminação de novas tecnologias e para uma melhor compreensão sobre as relações entre propaganda, política, meios de comunicação na sociedade brasileira durante a II Guerra Mundial.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Candido Moreira

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • uso de instrumentação virtual para implementação e análise comparativa das novas definições de potência
  • Atualmente as concessionárias enfrentam situações com significativa presença de harmônicas na tensão e na corrente, devido principalmente às cargas controladas eletronicamente, que passaram a se multiplicar muito rapidamente, na forma de conversores de freqüência (CC-CA), retificadores (CA-CC), sistemas de acionamento de motores e sistemas PWM para controle da potência de cargas. Estas condições não senoidais nos sistemas modernos de energia requerem definições especiais para quantificar a potência. De fato, fontes não senoidais de tensão e/ou correntes colocadas nos sistemas de potência tem grande influência na potência aparente calculada. Cargas não lineares e outros mecanismos que são geradores de harmônicas também são capazes de distorcer a potência aparente e o fator de potência do sistema de potência. Deste modo, são requeridas teorias que interpretem fisicamente o sistema para diferentes condições, que levam a diferentes fenômenos. Existem numerosas tentativas para explicar e descrever propriedades de potência dos sistemas com tensões e correntes não senoidais. Neste sentido, esta proposta de projeto visa o desenvolvimento e implementação de um Sistema de Instrumentação Flexível (aquisição e processamento de sinais) que possibilite avaliar as diferentes teorias de potência, os procedimentos para tarifação de energia elétrica, bem como a análise da qualidade da energia elétrica. Além disto, uma vez implementados e validados os algoritmos no Instrumento Virtual a ser desenvolvido com alta capacidade de processamento, pretende-se com a presente proposta implementar o protocolo de medição das principais teorias avaliadas em uma tecnologia de sistema embarcado.
  • Universidade Federal de São João Del-Rei - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Christofaro Silva

Ciências Agrárias

Agronomia
  • mudanças climáticas e ambientais pleistocênicas e holocênicas em turfeiras tropicais de montanha da serra do espinhaço meridional - mg
  • Turfeiras são ecossistemas formados pela acumulação de tecidos vegetais em ambientes com condições anaeróbicas. Sua importância está relacionada aos serviços ambientais por elas oferecidos: armazenamento de carbono e de água e reconstituição paleoambiental. Embora as turfeiras cubram apenas 4,2% dos continentes, globalmente elas armazenam 10% de toda água doce e 30% do carbono orgânico armazenado no solo. A maior parte das turfeiras está em regiões boreais e subárticas (75-80%) e apenas 10-15% nas regiões tropicais. As turfeiras são, por excelência, consideradas como arquivos naturais da memória ecológica. O interesse por desvendar a história pretérita do clima e do ambiente da Serra do Espinhaço Meridional, em Minas Gerais, tem motivado o estudo das turfeiras de montanha dessa região por parte de alguns cientistas do solo. Dentre os estudos mais recentes, um padrão de mudanças climáticas e paleoambientais foi previamente proposto para o último período glacial para a região da Serra do Espinhaço Meridional, também extensivo a região Centro-Leste do Brasil. Segundo este estudo, entre ~60 e 26 mil anos cal. AP o padrão de precipitação esteve “fora de fase” com o verificado para a região da Amazônia Ocidental e Sul do Brasil, e “em fase” com o do Nordeste; entre ~26 e 17 mil anos cal. AP esteve “fora de fase” com o da Amazônia Ocidental, Sul e Nordeste do Brasil; e de ~17 mil anos cal. AP até o presente tornou-se “em fase” com o da região Nordeste. Além disso, também foi inferido que o clima atual sub-úmido e a vegetação atual pertencente ao Bioma Cerrado são relativamente recentes, estabelecidos provavelmente após 3 mil anos cal. AP. No entanto, este modelo ainda é prévio e necessita de mais resultados que o corroborem. A utilização de bioindicadores (polimorfos, fitólitos e subfósseis de zooplancton) e de geoindicadores (isótopos de C e N, elementos maiores e menores, elementos-traço litogênicos, elementos-traço metálicos, halogênicos) contribuirá para ampliar o número de registros paleoclimáticos na SdEM, região sob o domínio das monções de verão, possibilitando uma reconstituição mais acurada do paleoclima e do paleoambiente para o Centro-Leste do Brasil. Serão utilizados dados polínicos, fitolíticos, de subfósseis de Cladocera e geoquímicos (elementar e isotópico) combinados com estratigrafia, datações 14C e estatística multivariada em uma abordagem multi-proxy. Estes estudos dão sequência aos trabalhos conduzidos nas turfeiras da SdEM desde 2003 por uma equipe internacional liderada pelo proponente e que já embasaram várias teses, dissertações e trabalhos de iniciação científica, que produziram dezenas de artigos científicos internacionais e nacionais.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Da Cas Viegas

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • dinâmica da magnetização na faixa ghz em nanoestruturas magnéticas.
  • Este projeto visa elaborar procedimentos e incorporar recursos experimentais ao Laboratório de Magnetismo do Instituto de Física da UFRGS para investigar propriedades da dinâmica da magnetização de filmes finos e nanoestruturas magnéticas, caracterizar a ressonância ferromagnética, dinâmica de paredes de domínios, fenômenos dinâmicos associados ao efeito Spin Hall e fenômenos dinâmicos associados a transferência de torque por corrente polarizada em spin.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022