Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wolf Uwe Reimold

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • caracterização de detalhe das brechas de impacto do domo de araguainha, mt/go.
  • Uma das principais questões de pesquisa não resolvidas em estudos de crateras de impacto é a formação e colocação de brechas de impacto. As brechas de impacto, sejam aquelas denominadas de polimícticas que contêm fundido, ou as brechas de impacto líticas, bem como as brechas de impacto sensu stricto s.s., ocorrem com destaque no centro da maior estrutura de impacto da América do Sul, o Domo de Araguainha, localizado no limite entre os estados de Mato Grosso e Goiás. A preservação das mesmas proporciona uma oportunidade única de estudar tanto as brechas de impacto polimícticas como as brechas de impacto s.s. Propõe-se, assim, realizar um estudo detalhado das brechas polimícticas nos setores norte e sul da elevação central de Araguainha, no que diz respeito aos seus componentes líticos e suas características texturais. As matrizes dessas brechas devem ser estudadas petrograficamente e por análise de microssonda eletrônica. Além disso, as brechas de impacto aflorantes no núcleo da elevação central, que no passado tinham sido variavelmente classificadas como pseudotaquilitos, brechas pseudotaquiliticas, brechas de impacto, diques vermelhos e cinzas e granito de transição, serão investigadas por métodos petrográficos e geoquímicos (petrografia de seção delgada, incluindo análise SEM e EMP, análise de elementos maiores e traços e análise multisotópicos Sr-Nd-Os) com o objetivo de determinar sua real natureza, seus componentes precursores e obter informações sobre sua origem local ou relacionada com o processo de ejeção. Esses dados, em comparação com os dados da literatura reavaliada, esclarecerão a origem e o processo de formação dessas brechas. A equipe de pesquisa tem vasta experiência com análise de brechas de impacto e discutirá, no final do projeto, os vários modos de formação e colocação dessas brechas de impacto, bem como as implicações para a compreensão geral da formação de impactitos. Os primeiros resultados serão apresentados já na Large Meteorite Impacts and Planetary Evolution conference VI, a ser realizada pela primeira vez em América do Sul e Brasília e que será organizada por membros da equipe proponente da Universidade de Brasília.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wolnei Caumo

Ciências da Saúde

Medicina
  • estimulação transcraniana de corrente contínua (etcc) aplicada ao córtex motor primário e dorsolateral na conectividade cerebral funcional e sua relação com os sintomas da fibromialgia: um ensaio clínico randomizado, duplo-cego controlado e explanatório
  • A fibromialgia (FM) é uma síndrome que se caracteriza por dor musculoesquelética generalizada, fadiga, sono não reparador, alterações cognitivas, sintomas depressivos e neurovegetativos. A prevalência populacional varia de 2% a 5,4% segundo os critérios diagnósticos do American College of Reumathologoy - 2010. Estima-se que nos EUA determina um gasto de mais de 29 bilhões de dólares ao ano, com gastos diretos com o atendimento médico e encargos da aposentadoria precoce. Sabe-se que as terapêuticas farmacológicas convencionais produzem respostas com impacto clínico pouco relevante em mais de 50% dos pacientes. Postula-se que estas taxas elevadas de insucesso se devam em parte à falta de conhecimento sobre os mecanismos fisiopatológicos. O que se conhece até o presente, é que os mecanismos periféricos contribuem para o quadro da FM, mas que o processo fisiopatológico principal é o desbalanceamento nos mecanismos neurobiológicos de excitação e inibição, fato que pode explicar a dor migratória, fadiga ubíqua, problemas de sono, memória e humor depressivo, pensamento catastrófico. Adicionam-se aos sintomas mencionados, a hiperalgesia difusa, a alodinia e o efeito de somação. Tais sintomas fazem parte da sensibilização central. Dentre os processos disfuncionais da FM, têm sido demonstradas alterações funcionais do córtex motor e de suas conexões com estruturas subcorticais, que constituem a neuromatriz da dor. A partir desta natureza complexa da FM, o objetivo desta pesquisa é obter maior clareza sobre sua fisiopatologia e identificar distinções entre subgrupos de pacientes com vistas ao avanço no diagnóstico e no tratamento, tendo como alvo uma terapia individualizada e a melhora dos desfechos, atenuando assim, o expressivo prejuízo à vida dos pacientes e o pesado encargo social e econômico ao paciente e à sociedade. Neste estudo o alvo terapêutico será a estimulação transcraniana de corrente contínua (ETCC), com o objetivo de contra regular os processos disfuncionais responsáveis por desencadear e manter os sintomas da FM. Embora a ETCC venha galgando espaço na pesquisa e no cenário clínico, e que já exista algum nível de evidência de seu efeito positivo na FM, ainda persistem muitas questões a serem respondidas, tais como o local a ser estimulado (e outros aspectos da montagem) e como ela pode influenciar o processamento nas diferentes áreas do córtex e subcórtex. Então, o presente ensaio clínico tem o objetivo de avaliar e comparar a eficácia da estimulação transcraniana de corrente contínua (ETCC) anodal aplicada ao córtex motor primário (M1) e córtex pré-frontal dorsolateral (DLPFC) esquerdo no tratamento da FM, tendo como desfechos: a conectividade funcional intrínseca avaliada por meio da ressonância magnética funcional (RMf) em 3-D, medidas de dor com teste quantitativo sensorial, capacidade funcional, sintomas depressivos, ritmo sono-vigília por meio da actimetria e função do sistema modulador descendente da dor. Também, avaliar-se-á como potenciais preditores da resposta à ETCC nos desfechos primários: (a) parâmetros da EMT [potencial evocado motor (MEP), inibição intracortical (ICI), facilitação intracortical (ICF) e período silente (CSP)]; (b) os níveis séricos do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) e o polimorfismo Val66Met (rs6265) do gene do BDNF, bem como os níveis da proteína S100B; (c) nível de sensibilização central e pensamento catastrófico à dor. Neste ensaio clínico, randomizado, controlado por tratamento simulado, em paralelo e duplo-cego serão incluídas 84 pacientes femininas, com FM, segundo os critérios do Colégio Americano de Reumatologia (2010 - revisado em 2016), com idade entre 30 a 65 anos. As pacientes serão randomizadas para receber 20 sessões de ETCC anodal com duração de 20 min, com corrente de 2mA, aplicado sobre o M1 ou cortex DLPFC esquerdo. A ETCC será realizada em nível domiciliar, para tanto, as pacientes receberão um treinamento para utilizar o equipamento de ETCC. Elas terão acesso a um vídeo instrutivo sobre a ETCC, e uma via de comunicação com a equipe via WhatsApp. O tempo de seguimento após o término da estimulação será de 12 semanas conforme recomendação do Initiative on Methods, Measurement, and Pain Assessment in Clinical Trials (IMMPACT). As pacientes deverão responder diariamente questionários sobre o nível de dor, uso de analgésicos, qualidade do sono e outro sobre os possíveis efeitos colaterais da ETCC. A ETCC domiciliar será realizada com equipamento desenvolvido pelo grupo de pesquisa coordenado pelo proponente deste projeto, em parceria com a Engenharia Biomédica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), com registro de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) sob o número BR2020150164500. Além da possível contribuição na produção de conhecimento, este projeto visa transferir a tecnologia adquirida e desenvolvida à comunidade, e dessa forma, poderá beneficiar milhões de pessoas que padecem de dor crônica por FM. Além disso, proporcionar técnica terapêutica custo-efetiva para estudos fase III sobre o uso da ETCC em larga-escala em nível domiciliar, técnica que pode ser extensiva a várias patologias neuropsiquiátricas, como a depressão e além de poder auxiliar como adjuvante na reabilitação de sequelas de isquemia cerebral. Nossa hipótese é que a ETCC ativa tenha um efeito superior a ETCC simulada, e que a estimulação sobre o DLPFC tenha maior impacto nos sintomas psicológicos, enquanto a estimulação sobre o M1 tenha um efeito mais marcado na função do sistema modulador inibitório descendente da dor. No entanto, hipotetiza-se que ambas terão impacto positivo nos desfechos clínicos e capacidade funcional comparadas ao tratamento simulado. Espera-se que o nível de desinibição cortical avaliado pelas medidas da EMT, assim como os níveis séricos da neurotrofinas BDNF e S-100B possa servir como preditores de resposta ao tratamento.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022