Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Renata Katsuko Takayama Kobayashi

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • vigilância integrada da resistência antimicrobiana em enterobactérias isoladas da produção aviária: estudo do risco zoonótico e impactos à saúde pública
  • De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a resistência bacteriana aos antimicrobianos (RAM) é um dos maiores desafios mundiais da saúde pública. Dentre as principais medidas recomendadas pela OMS estão o uso racional dos antimicrobianos. Nos Estados Unidos, cerca de 70% dos antimicrobianos, são consumidos por animais de produção. A OMS tem recomendado que os países desenvolvam programas de vigilância integrada da RAM na produção animal. Porém, no Brasil, assim como na maioria dos países em desenvolvimento, não há sistemas de vigilância integrada, há escassez de dados quanto ao uso de antimicrobianos como terapêutico, profiláticos ou promotores de crescimento na produção animal. É importante salientar que o Brasil é um dos poucos países que usa fosfomicina na produção animal, sendo a fosfomicina um antimicrobiano de escolha no combate às infecções do trato urinário por Escherichia coli na medicina humana. Não há dados oficiais da utilização ou RAM na produção animal, nem mesmo para antibióticos como quinolonas ou betalactâmicos de 3° e 4° geração, considerados criticamente importantes para a medicina humana, pois alguns, são utilizados como última escolha no combate às infecções por bactérias multirresistentes nos hospitais. O objetivo deste projeto é implantar a vigilância integrada de forma experimental em propriedades de produção animal, notificando o uso de antimicrobianos e monitorando a presença de enterobactérias multirresistentes na cadeia de produção animal, bem como avaliar a clonalidade das cepas multirresistentes isoladas da produção animal e de infecções humanas, elucidando seu potencial risco zoonótico e impactos à saúde pública. Faz parte da vigilância integrada, uma análise com relatórios contendo dados sobre o uso de antimicrobianos e RAM, inclusive na produção animal, para melhor entender as fontes de infecção e dinâmicas de transmissão e assim, permitir intervenções que minimizem o desenvolvimento e a disseminação da RAM, mitigando seu impacto. Países como Canadá, Dinamarca e Holanda, realizam análises combinadas e emitem relatórios da vigilância integrada da RAM em bactérias transmitidas por alimentos. Por meio destes relatórios foi possível constatar correlação entre o uso de antimicrobianos na cadeia produtiva de animais e a prevalência de RAM em bactérias isoladas de animais e de humanos. A liderança mundial na produção de carnes faz com que o Brasil deva atuar de modo eficiente e responsável no controle das cadeias de produção agropecuária, de modo a garantir a qualidade e a segurança dos produtos. Apesar das recomendações da OMS e da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), há escassez de estudos que avaliem os fatores de risco envolvidos na disseminação da RAM na produção de animais, tornando urgente o incentivo por mais pesquisas que esclareçam o efeito do antimicrobiano na RAM e assim, promover o uso racional de antimicrobianos na produção animal. Entre as RAM mais preocupantes devido ao uso concomitante na produção animal e na saúde humana, estão a resistência às quinolonas, colistina, fosfomicina, e aos betalactâmicos de 3° e 4° geração, representados pela produção de betalactamases de espectro ampliado (ESBL) e betalactamases do tipo AmpC. Um estudo realizado por nosso grupo demonstrou a presença de E. coli multirresistente aos antimicrobianos (79% das amostras) em carcaças de frango comercializadas na região norte do Paraná. Neste estudo, encontramos uma frequência de 65,4% das carcaças contendo E. coli produtora ESBL. Esta frequência está bem acima da frequência de E. coli produtora de ESBL (37%) causando infecções hospitalares, segundo o boletim informativo do Sistema Online de Notificação de Infecções Hospitalares (SONIH) do Paraná. Desta maneira, este projeto propõe, o monitoramento longitudinal de enterobactérias na produção animal, por meio da coleta de amostras dos animais (aves), e do ambiente (água, ração e cama de frango) em três períodos: no primeiro dia de alojamento, no meio da produção e antes do abate, juntamente com a coleta, será aplicado um questionário que avalia o uso de antimicrobianos na produção, auxiliando a vigilância integrada. Estas coletas serão realizadas na região Sul (PR, SC e RS), a maior produtora e exportadora de frangos do país. As amostras isoladas serão pesquisadas quanto a RAM por técnicas fenotípicas e genotípicas, onde será investigado a presença de genes que conferem resistência aos betalactâmicos (produção de ESBL e AmpC), quinolonas, colistina e fosfomicina. Amostras clínicas de enterobactérias resistentes aos mesmos antimicrobianos, isoladas de pacientes, serão analisadas quanto a presença dos genes de resistência. A clonalidade das amostras será analisada por meio de eletroforese em campo pulsado (PFGE) e a origem clonal pela determinação do Sequence Type (ST) por meio da técnica de Multilocus Sequence Typing (MLST), a fim de estabelecer uma relação entre enterobactérias multirresistentes isoladas do ambiente de produção e dos animais, com enterobactérias de amostras da clínica humana, visando esclarecer a possível disseminação de bactérias multirresistentes de alimentos de origem animal para humanos, elucidando o risco zoonótico. Além disso, o projeto busca investigar nas camas a presença de resíduos de antimicrobianos, por meio da Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (HPLC). Uma vez que antimicrobianos são administrados na criação dos animais, resíduos destes continuam presentes nas camas e podem ter participação na seleção e disseminação de RAM, esclarecendo se a cama é um importante fator de risco. É importante que as autoridades ligadas à saúde humana e animal atuem em conjunto, assim, os resultados obtidos serão informados ao poder público, representado pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR), a fim de subsidiar a formulação e implementação de ações públicas que visam o uso racional de antimicrobianos e combate à RAM.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Libonati dos Santos

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • projeto andurá - uso de sensoriamento remoto para avaliação da qualidade de programas de fogo prescrito
  • O Projeto ANDURA pretende colmatar uma lacuna nos estudos regionais sobre a eficácia das queimas prescritas realizadas pelo PrevFogo em áreas Indígenas através do uso de ferramentas de sensoriamento remoto. Será desenvolvido um conjunto de metodologias que, recorrendo à informação proveniente de satélite, permitirão avaliar o programa de fogo prescrito. Para tal iremos organizar uma base de dados, fiável e homogênea, acerca das áreas queimadas (quantificação espacial e temporal) e regeneração da vegetação pós-fogo em áreas de atuação do PrevFogo.Tal base avaliação permitirá a adoção de ações para uma melhor gestão dos recursos naturais, através de ações para reduzir as queimadas e subsidiar futuras políticas de gestão do uso do fogo mais eficientes que as atuais.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 30/11/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Renata Magalhães Cyrino

Ciências da Saúde

Odontologia
  • estudo caso-controle da associação entre psoríase e periodontite: aspectos clínicos, microbiológicos e qualidade de vida
  • Estudos de patogênese da periodontite mostram que a instalação e progressão da destruição dos tecidos periodontais dependem invariavelmente de um desequilíbrio na resposta inflamatória do indivíduo aos microrganismos presentes nos no biofilme. O balanço entre mediadores pró-inflamatórios e reguladores da resposta inflamatória irá determinar o controle da infecção periodontal ou avanço da periodontite. Além disso, a presença de inflamação crônica periodontal tem sido proposta como fator de risco para a ocorrência e ou agravamento de desordens inflamatórias sistêmicas como alterações endócrinas, cardíacas, alteração do curso gestacional e desordens autoimunes. Nos últimos anos, a associação entre periodontite e doenças inflamatórias imunomediadas tem sido cada vez mais reconhecida. Hipotetiza-se que a colonização bacteriana na cavidade oral poderia desencadear uma resposta imune exagerada em um hospedeiro suscetível, levando a um processo inflamatório exacerbado associado a distúrbios autoimunes. A psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele, caracterizada por inflamação da derme e epiderme, associada a epiderme espessada e diferenciação de queratinócitos atípicos comprometendo de forma exacerbada a qualidade de vida destes indivíduos. Pacientes com periodontite também podem ter um risco maior de psoríase; no entanto, os dados sobre essa associação são limitados. Embora o mecanismo exato por trás do aumento do risco de psoríase entre os pacientes com periodontite seja desconhecido, várias explicações possíveis foram propostas baseada nas similaridades nos processos patôgenicos e fatores de risco comuns entre estas duas doenças. Assim este projeto propõe um estudo observacional caso-controle da associação entre periodontite e psoríase com o objetivo de buscar maiores conhecimentos sobre a condição periodontal clínica e microbiológica, bem como a qualidade de vida relacionada a saúde bucal de indivíduos psoríacos.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Maria Lataro

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • receptores purinérgicos no corpúsculo carotídeo como novo alvo para o tratamento da insuficiência cardíaca.
  • A insuficiência cardíaca (IC) é uma das principais causas de morte não só no Brasil, bem como em todo o mundo. A disfunção autonômica, os distúrbios respiratórios e o remodelamento cardíaco constituem importantes preditores de morbidade e mortalidade na IC. O papel desempenhado pelos quimiorreceptores carotídeos na patofisiologia da IC tem recebido particular atenção devido às evidências de que o aumento da função quimiorreflexa contribui para a disfunção autonômica, para os padrões respiratórios anormais, e aumento da mortalidade na IC. Portanto, normalizar a atividade quimiorreflexa mediada pelo corpúsculo carotídeo pode ser um potencial alvo para o tratamento da IC. Dados recentes, publicados no renomado periódico Nature Medicine, mostraram que, na hipertensão arterial, a excessiva sinalização gerada pelos quimiorreceptores carotídeos está ligada aos receptores purinérgicos do subtipo P2X3. A inibição sistêmica dos receptores P2X3 reduziu a pressão arterial e a atividade simpática basal, além de normalizar a elevada atividade reflexa do corpúsculo carotídeo em ratos hipertensos. Estes dados suportam a hipótese de que a excessiva atividade quimiorreflexa, observada na IC, pode ser atenuada pela inibição dos receptores P2X3. Portanto, a inibição crônica dos receptores P2X3 pode ser um novo alvo para o tratamento da IC. Assim, o presente projeto tem o objetivo de avaliar, em ratos com IC, o efeito da administração crônica do inibidor dos receptores P2X3, o AF-130, sobre a modulação autonômica cardiovascular, sensibilidade do quimiorreflexo, função respiratória, remodelamento cardíaco, função cardíaca e índice de sobrevivência destes animais. Os animais serão divididos em 4 grupos: I) controle+veículo; II) controle+AF-130; III) IC+veículo; IV) IC+AF-130. A IC será induzida pelo infarto do miocárdio. Em seguida, será iniciada a administração de veículo, dimetilsulfóxido, ou AF- 130 (dose diária, subcutânea). Os animais serão tratados por 7 semanas. O estudo propõe avaliar: 1) a pressão arterial e a frequência cardíaca basais; 2) o tono autonômico cardíaco, o qual será avaliado pela administração de bloqueadores autonômicos, atropina e atenolol; 3) a variabilidade do intervalo de pulso e da pressão arterial sistólica; 4) incidência de arritmias; 5) a função respiratória (avaliada antes e após o tratamento); 6) sensibilidade do quimiorreflexo; 7) a expressão de receptores P2X3 no corpúsculo carotídeo; 8) a concentração plasmática de noradrenalina e peptídeo natriurético do tipo B (BNP); 9) a concentração plasmática de citocinas inflamatórias: TNF-alfa, IL-1 beta, IL-10 e IL-6; 10) o remodelamento cardíaco (hipertrofia, acúmulo de colágeno intersticial e angiogênese no miocárdio sobrevivente ao infarto); 11) a concentração plasmática do AF-130; 12) a função sistólica e diastólica do ventrículo esquerdo por ecocardiografia; 13) o índice de sobrevivência dos animais com IC, ao longo de 20 semanas. Assim, espera-se que a inibição crônica dos receptores P2X3, de ratos com IC, possa reduzir a atividade dos quimiorreceptores carotídeos, restaurar o balanço autonômico cardiovascular, prevenir o remodelamento cardíaco, conter a progressão da IC, e, consequentemente, aumentar a expectativa de vida destes animais. Desta forma, os receptores P2X3 poderão ser considerados um novo alvo para o tratamento da IC.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Medina da Silva-

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • espaço jovem cientista: projetos de ciências da educação básica promovidos por um museu de ciências universitário.
  • O Espaço Jovem Cientista é uma iniciativa do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS vinculada a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESQ) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, que busca incentivar a educação científica nas escolas, oportunizando a apresentação das pesquisas realizadas por estudantes da educação básica por meio de projetos, desde o ano de 2017. O MCT-PUCRS é um museu referência na área de ciências e tecnologia. Sua média de visitação anual é de 200 mil visitantes em sua área de exposições permanentes e 40 mil visitantes em seu museu itinerante. O Museu conta de uma Coordenadoria Educacional que ao longo dos anos tem estabelecido uma forte relação com professores, alunos e equipes pedagógicas de escolas públicas e privadas, seja recebendo para pré-visitas, visitas, oferecendo oficinas e até mesmo emprestando materiais didáticos. Nesse sentido, já se tornou referência para a educação no Brasil, sendo procurado nacional e internacionalmente por pesquisadores que desejam estudar a interação museu/escola. Neste contexto, o Espaço Jovem Cientista é mais um mecanismo de articulação entre academia e sociedade, atendendo a comunidade externa. Desde a antiga “Feira de Ciências e Inovação”, realizada pelo MCT desde 2008, percebe-se uma mudança de cultura das escolas locais (região sul do Brasil) que já organizam seu planejamento por meio de projetos que poderão ser inscritos no evento. Professores de escolas que costumeiramente participavam da Feira passaram a adotar uma postura diferenciada em relação ao planejamento de suas aulas. Trabalham conteúdos de forma que os mesmos possam ser incorporados a projetos de investigação nas escolas. A partir da Feira, muitas escolas públicas passaram a ter atuação destacada a partir dos trabalhos inscritos o que motivou cada vez mais a sua participação e ampliou a participação de outras escolas. Pode-se dizer que houve uma modificação nos modos de se ensinar ciências, bem como um câmbio nos conteúdos trabalhados, que a partir do trabalho com projetos de investigação passou a ser ampliado pela curiosidade dos estudantes. Desta forma, o potencial promovido por estes eventos faz os alunos experienciarem o ambiente acadêmico e observarem os conteúdos das disciplinas escolares em toda sua potencialidade para elaboração de projetos de pesquisa. Assim como em todas as edições anteriores, no Espaço Jovem Cientista 2021 os projetos serão selecionados professores, pós-doutorandos e alunos de Pós-Graduação da PUCRS de diferentes áreas do conhecimento contempladas dentro de “Ciências da Natureza” e Ciências Humanas”. Desta forma, o EJC promove uma real integração de professores e estudantes da educação básica com a Universidade. Critérios como inovação e criatividade são essenciais para a seleção dos trabalhos. Nesse sentido, a presente proposta fomenta a investigação em distintas áreas do conhecimento científico, visando impulsionar trabalhos que contemplem a totalidade de temáticas vinculadas ao fazer ciência, inspirado nos conteúdos que professores trabalham com estudantes nos ensinos fundamental e médio. A edição de 2020 ainda está com as inscrições abertas (até 30/10) e acontecerá 100% na modalidade online, em função da atual Pandemia de Covid-19. Neste ano, teremos 80 trabalhos selecionados que serão avaliados através de vídeos, que os grupos de participantes gravarão, apresentando o seu trabalho. Esta nova modalidade online está permitindo com que escolas públicas e privadas que anteriormente não tinham condições de participar - em função do deslocamento até o MCT no dia das apresentações dos trabalhos – estejam se inscrevendo e enviando seus resumos. Desta forma, a edição do EJC 2020 promoveu o desenvolvimento de novas estratégias de participação que aumentarão a participação de estudantes e professores do município de Porto Alegre. Tais estratégias de participação online serão mantidas para a futura edição e 2021, aqui proposta, como uma alternativa igualmente válida à participação presencial, especialmente para trabalhos selecionados de escolas públicas localizadas em áreas de vulnerabilidade social que não venham a ser contempladas com o transporte previsto nesta proposta (se houver grande demanda) ou de escolas privadas que tenham uma condição sócio-econômica limitada e que também tenham dificuldade em se deslocar até o evento. Além disso, atividades preparatórias ao evento de 2021 estão previstas para serem realizadas junto à estrutura do MCT-PUCRS, abordando principalmente o tema de atuação e protagonismo de meninas na ciência. É importante salientar que o Espaço Jovem Cientista conta com toda a infraestrutura física do reconhecido MCT-PUCRS, bem como de suas experientes equipes dos setores educacional e de relacionamento (comunicação), que atuam permanentemente em atividades educacionais para escolas da Educação Básica (inclusive de forma online neste momento de Pandemia da Covid-19), bem como com todo o suporte acadêmico da PUCRS. Neste contexto, o Espaço Jovem Cientista 2021, está sendo elaborado com o intuito de ampliar ainda mais a participação de diferentes escolas do Município de Porto Alegre no evento, trazendo possibilidades que visam oportunizar a atuação de escolas que nunca tiveram condições para tal. Ainda, prevê bolsas para os estudantes e professores do grupo “vencedor” do evento, para estes atuarem nas coleções científicas, laboratórios de pesquisa e no setor educacional do MCT-PUCRS. Desta forma, esta proposta tem como principal meta dar voz a um número ainda maior de estudantes e professores, fazendo-os perceber a sua escola como um ambiente fértil e propício para a investigação científica, bem como para uma nova postura balizada pelo educar pela pesquisa, ampliando de forma significativa as possibilidades de aprendizagem e de visão de mundo de estudantes da educação básica, especialmente das redes públicas de ensino, promovendo a estes uma perspectiva mais ampla para o seu futuro.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 30/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Renata Monte

Engenharias

Engenharia Civil
  • avaliação de ensaios de tração indireta para controle de concretos com fibras
  • Vide projeto anexo
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Oliveira Batista

Ciências Agrárias

Agronomia
  • resistência genética do feijão comum a fusarium oxysporum f. sp. phaseoli e coleta de isolados da região noroeste de minas gerais.
  • O feijoeiro-comum (Phaseolus vulgaris L.) é uma das espécies cultivadas de maior importância social sendo relevante fonte de proteínas e nutrientes em todo o mundo. Apesar de o Brasil ser um dos maiores produtores e consumidores mundiais, as cultivares comercializadas no país ainda deixam a desejar quanto resistência a doenças. A resistência a doenças se destaca por diminuir tanto o rendimento quanto a qualidade dos grãos, com destaque para a murcha de fusarium, em que não existe controle químico sendo a adoção de cultivares resistentes a medida de manejo mais eficiente. Conhecer a herança da resistência é etapa primordial para a obtenção de cultivares resistentes e consiste em etapa inicial em programas de melhoramento com esse objetivo. Assim, os objetivos com este projeto são estudar a herança da resistência do feijoeiro comum à murcha de fusarium e realizar a coleta de isolados da região noroeste de Minas Gerais. Para isso, cultivares e linhagens elites resistentes serão identificadas e selecionadas para compor blocos de cruzamentos contrastantes quanto a reação à murcha de fusarium visando a obtenção das gerações F1, F2, RC1 e RC2 para o estudo da herança. As plantas destas gerações serão inoculadas e individualmente avaliadas quanto a reação à Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli (Fop). Com base nesses dados serão realizadas as análise genético estatísticas para o estudo da herança da resistência a murcha de fusarium em feijoeiro comum. A fim de se formar uma micoteca de Fop, concomitantemente ao estudo de herança, plantas de feijoeiro com sintomas de murcha de fusarium serão coletadas na região noroeste de Minas Gerais visando caracterização da patogenicidade e agressividade desses isolados. Os isolados mais agressivos serão inoculados nos genitores dos cruzamentos visando a identificação dos mais promissores para a região quanto a produtividade de grãos, arquitetura de planta e resistência murcha de fusarium considerados simultaneamente.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Padilha de Souza

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • biofotodegradação de corante têxtil: avaliação da degradação de índigo por bactérias pseudomonas e enzimas oxigenases para possível aplicação como biocatalisador em biofotocatálise
  • Os efluentes têxteis são classificados como um dos efluentes mais poluentes entre todos os setores industriais, devido à presença de grande quantidade de corantes e elevados valores de pH, demanda bioquímica de oxigênio (DBO), demanda química de oxigênio (DQO), turbidez e outros compostos químicos tóxicos ao homem e ao meio ambiente. No Brasil os tratamentos que são aplicados com maior frequência pelas indústrias têxteis se baseiam na tecnologia de lodo ativado, associados a processos físico-químicos para remoção da cor, entretanto, esses tratamentos promovem apenas a transferência de fase do corante. A biodegradação tem se sobressaído por apresentar as vantagens de colaborar com a sustentabilidade e preservação ambiental e produzir menos lodo, além de apresentar baixo custo, mostrando-se como uma alternativa vantajosa tanto para a remoção quanto para a eliminação dos corantes presentes nos efluentes têxteis. Cabe ressaltar que, os processos de oxidação avançada (POAs), entre eles a fotocatálise heterogênea, também apresenta característica sustentável e barata, devido a utilização da luz solar, sendo considerada uma tecnologia “verde” importante para a aplicação na purificação de águas, pois não produzem resíduos sólidos e promovem a total mineralização de compostos recalcitrantes. Nesta perspectiva, partindo-se do fato de que a maioria das indústrias têxteis utilizam processos biológicos para o tratamento de resíduos, a combinação dos processos de degradação biológica com a fotocatálise solar torna-se uma alternativa de estudo viável para a aplicação industrial, contribuindo para a inovação da biotecnologia, promovendo de fato a degradação, bem como, a mineralização do efluente têxtil, colaborando economicamente e ambientalmente para uma industrialização sustentável, reduzindo o uso de materiais e melhorando as condições reacionais. Além disso, ainda não existem na literatura pesquisas que utilizam a bactéria P. putida e a enzima naftaleno oxigenasse como biocatalisador para a biodegradação do corante índigo na presença de luz solar, caracterizando um processo um processo de biodegradação combinado com fotocatálise, denominado de biofotocatálise. Portanto, o objetivo do presente trabalho é realizar a biodegradação do corante têxtil por meio da utilização de bactérias e enzimas, e em condições ótimas, aplicá-las como biocatalisador e avaliar a influência da luz na biofotodegradação do corante têxtil a fim de diminuir sua carga orgânica tóxica.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Peregrino de Brito

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • mudanças climáticas, percepção de risco e estratégias de adaptação
  • Os impactos de eventos climáticos extremos resultantes do processo e mudanças climáticas representam uma grande ameaça às operações das empresas e ao desenvolvimento de estratégias de longo prazo. Riscos climáticos são de crucial importância para a produtividade e a expansão dos negócios e as estratégias de adaptação a mudanças climáticas variam entre a inação e a proatividade e inovação. Contudo, estudos sobre adaptação a riscos climáticos ainda são escassos. Este estudo propõe a investigação dos determinantes da percepção do risco climático e o decorrente desenvolvimento de estratégias de adaptação na cadeia de alimentos no Brasil, uma cadeia de grande importância econômica e grande vulnerabilidade climática. O estudo está dividido em duas fases: na primeira fase será feito um survey com empresas buscando testar um modelo de antecedentes de percepção de risco e estratégias de adaptação a mudanças climáticas. A pesquisa foca empresas de médio e grande porte da cadeia de alimentos, produtores e processadores, nas regiões centro-sul do Brasil. Na segunda fase, serão desenvolvidos workshops para a discussão dos resultados, com vistas a gerar recomendações e contribuições para a adaptação das empresas, bem como sugestões para políticas públicas de adaptação a mudanças climáticas. Desta forma a pesquisa busca ir além da relevância acadêmica e trazer contribuição prática para as atividades de gestão. Com os resultados do projeto serão utilizados no desenvolvimento de publicações acadêmicas, bem como o desenvolvimento de conteúdo para workshops e aulas. Futuros desdobramentos desta pesquisa são previstos (i) na colaboração internacional para estudos comparativos e (ii) na investigação de estratégias de adaptação às mudanças climáticas em PMEs.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Pereira Alves-Balvedi

Ciências da Saúde

Medicina
  • desenvolvimento de imunossensores modificados com grafeno para eficiente detecção eletroquímica de leishmaniose visceral.
  • As Doenças Tropicais Negligenciadas (DTNs) são representadas por um grupo de diversas doenças transmissíveis prevalentes países tropicais e subtropicais. Caracteriza um sério impedimento à avanços socioeconômicos e cobertura universal de saúde, já que afetam a população carente. No Brasil, observa-se a presença de todas as doenças negligenciadas listadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O diagnóstico precoce garante o tratamento eficaz quanto à Leishmaniose visceral (LV) sintomática, temos no mercado as v várias técnicas , mas somente a detecção microscópica da forma amastigota é considerada como padrão ouro. Sabe-se que indivíduos infectados podem permanecer assintomáticos por décadas, são reservatórios do parasito, colocando em risco pacientes que recebem sangue entre doadores, em regiões endêmicas. É fundamental dispor de métodos diagnósticos sensíveis e específicos, e esforços têm sido realizados na melhoria da confiança diagnóstica. Para este fim propomos otimizar soluções eletrolíticas como ferri/ferrocianeto de potássio para o processo de análise da condutividade x reação de reconhecimento antígeno-anticorpo. A imobilização do antígeno de leishmaniose poderá ocorrer primeiramente por adsorção, método de dissolução da biomolécula em um solvente adequado. No entanto técnicas como ligação covalente, aprisionamento poderão também ser utilizadas. Para isto, serão realizadas análises eletroquímicas por voltametrias cíclicas (VC) e voltametria de pulso diferencial (VPD) ou voltametria de onda quadrada (VOQ) a fim de avaliar o perfil voltamétrico (corrente x potencial) da condutividade. BIOLISA Leishmaniose Visceral k210 (BIOCLIN) e ELISA “in house” antígenos purificados serão realizados para processos comparativos e análises quali e quantitativas frente a especificidade, sensibilidade, repretibilidade e reprodutibilidade. Ressaltamos os seguintes grupos serão avaliados: Pacientes sintomáticos de soros ou tipos específicos (Chagas digestiva, cardíaca, indeterminada/ Leishmaniose Visceral aguda e crônica/ Negativos) e pacientes assintomáticos (Leishmaniose Visceral: pacientes são receptores de sangue (politransfundidos) em áreas endêmicas/ Controle epidemiológico: indivíduos que vivem no mesmo domicílio que o paciente (nunca receberam transfusão) de áreas endêmicas). Dentro desse cenário, o desenvolvimento de um biossensor eletroquímico enrriquecido com grafeno converge nos atributos ímpares no diagnóstico de pacientes assintomáticos de LV. Trata-se de uma técnica de rápida execução, que requer pequena quantidade de amostra, e apresenta excelente seletividade e especificidade para diversos alvos como antígenos totais ou purificados específicos. Os biossensores precisam de receptores altamente seletivos e específicos ao elemento biomolecular existente no soro, além de um transdutor ultra sensível e com reprodutibilidade suficiente para medições confiáveis em tempo real. Nesse contexto, o desenvolvimento de instrumentos de trabalho os quais possam contribuir na otimização de uma plataforma com atributos anteriormente citados, é prioridade em nosso grupo empreendedor. Essa ação vai ao encontro do desenvolvimento da metodologia inovadora para redução do óxido de grafeno, imobilizando-o e reduzido-o eletroquimicamente. O grafeno é um nanomaterial bidimensional composto por átomos de carbono dispostos hexagonalmente, conferindo uma grande área de superfície, capaz de interagir com uma ampla gama de moléculas. Possui alta resistência mecânica, alta condutividade elétrica, alta elasticidade e condutividade térmica. Tais propriedades físicas e eletroquímicas despertaram o interesse em seu uso na construção de sensores e biossensores com uma ampla gama de aplicações diagnósticas para LV. Diversos estudos têm mostrado que o tratamento de dados obtidos através de Redes Neurais Artificiais (RNA) são efetivos para predizer a presença e quantificar substâncias através dos métodos eletroquímicos. As (RNA) permitem que, a partir do aprendizado, a busca pela presença do antígeno possa ser detectada e quantificada. Para validar os resultados, também haverá análise estatística através do software OriginPro versão 8.0 e GraphPad Prism versão 7.04 a um nível de significância de P<0,05.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 28/10/2020-30/04/2021