Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Amadeu Moura Bego

Outra

Divulgação Científica
  • princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão: uma proposta de design pautada na inter-relação entre divulgação científica, casos investigativos e inovação no ensino de química
  • Discussões sobre a relação entre ciência, universidade e sociedade vêm ganhando destaque nos cenários nacional e internacional, sobretudo em função das diversas consequências oriundas da pandemia de Covid-19 e da infodemia de “fake news” nas redes sociais e grande mídia. No contexto brasileiro, destaca-se o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão (IEPE) como uma maneira de potencializar diálogos transformadores entre as universidades e os demais setores da sociedade. As universidades têm se deparado ao longo dos anos com o grande desafio de desenvolver efetivamente projetos pautados nesse princípio com dimensões política, educativa, científica e cultural. Iniciativas no campo da divulgação científica (DC) têm sido empreendidas nos últimos anos, porém muitas delas não são pautadas nesse princípio da indissociabilidade. Este projeto propõe a validação de um design educacional (DE) que parte da IEPE por meio da integração entre DC, casos investigativos (CI) e inovação no ensino de química. O projeto envolverá uma rede de colaboração entre um grupo de pesquisa de química, um grupo de pesquisa em ensino de química e um projeto de extensão. Pautado nos princípios metodológicos da pesquisa interventiva do tipo Design-Based Research, a validação de um ciclo do DE visa: desenvolver processos otimizados de produção de materiais de DC sobre publicações científicas relevantes de um grupo de pesquisa de química; desenvolver processos otimizados de produção de CI para o ensino de química a partir dos materiais de DC; investigar os impactos da implementação de CI em uma disciplina de química da graduação; investigar os impactos da implementação de CI no âmbito de um projeto de extensão junto a estudantes da educação básica. Espera-se produzir informação científica útil que contribua para uma melhor compreensão tanto de projetos baseados na IEPE quanto aprofundar estudos sobre as inter-relações entre estas dimensões a partir de ações em rede.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Amanda Castro Oliveira

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • mulheres e meninas mineiras nas ciências exatas, engenharias e computação.
  • A sub-representação das mulheres nas Ciências Exatas, Computação e Engenharias ainda é uma situação que parece distante de ser superada. Embora as mulheres já ocupem mais de 50% das vagas no cursos de graduação no Brasil, um levantamento realizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico aponta que em relação às Ciências Exatas e Engenharias a participação das mulheres ainda é muito baixa em relação à participação dos homens. São 36% de mulheres nas Engenharias e 35% nas Ciências Exatas. Se considerarmos o número de professoras efetivas que atuam nos departamentos de Ciências Exatas, Física, Ciência da Computação, Química, Engenharia e Estatística da Universidade Federal de Lavras, o total não chega a 30%. Dentre as estudantes dos cursos de graduação o panorama é semelhante, as mulheres são menos de 40% de todos os/as discentes dos cursos de Engenharias, Física, Matemática, Química, Computação e Sistemas de Informação, sendo menos de 11% de todos os/as estudantes ativos no curso de Ciência da Computação e menos de 18% no curso de Engenharia de Controle e Automação. Partindo do pressuposto de que uma uma comunidade científica diversificada tende a ser mais criativa, produzir melhores resultados e maiores avanços surge a seguinte questão: Por que as meninas não vão para as áreas de Ciências Exatas, Computação e Engenharias? Por que há tão poucas professoras nesses departamentos? Diferenças na socialização de gênero que começam desde a infância, pouco estímulo da família e da sociedade, preconceitos dos mais diversos, desconhecimento sobre as áreas, poucas referências de mulheres que trabalham na área, estereótipos de gênero, ambiente hostil para as mulheres, dupla-jornada são algumas das respostas encontradas nas pesquisas que tratam a questão. Diante dessas constatações esse projeto pretende realizar diversas ações que, por meio da colaboração universidade-escola, incentivem e promovam a participação e a permanência de mulheres nessas áreas contribuindo assim para mitigar com a desigualdade de gênero nas Ciências Exatas, Computação e Engenharias.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 22/03/2021-31/05/2023
Foto de perfil

Amaro Olimpio Pereira Junior

Engenharias

Engenharia de Energia
  • avaliação econômica e de impacto ambiental do aproveitamento energético de resíduos de biomassa por pirólise e gaseificação
  • O objetivo deste estudo é avaliar a viabilidade econômica e os impactos ambientais diretos e indiretos da pirólise e gaseificação de resíduos de biomassa a partir da análise de ciclo de vida dos referidos processos. Neste projeto, a avaliação do ciclo de vida da pirólise e gaseificação será realizada e seus impactos ambientais serão comparados para determinar uma tecnologia adequada para a síntese de álcool e biocombustível produzidos a partir de resíduos de biomassa. O armazenamento e manuseio de gás de síntese é a principal desvantagem do sistema de gaseificação em comparação com a pirólise. A formação de alcatrão, compostos aromáticos policíclicos e óxidos de enxofre no sistema de gaseificação afeta a qualidade do gás de síntese e a recuperação de energia. Além disso, o tamanho das partículas deve ser mantido uniformemente para evitar a formação de pontes no reator. Portanto, uma avaliação comparativa do ciclo de vida é essencial para avaliar a recuperação máxima de energia de ambos os processos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 08/08/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Amarolinda Iara da Costa Zanela Klein

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • utilização de tecnologias da indústria 4.0 no brasil: compreendendo os processos de inovação e seus resultados
  • A Indústria 4.0 (I4.0) envolve transformações nos sistemas produtivos com a aplicação de tecnologias-chave como a Internet das Coisas (IoT), inteligência artificial, plataformas digitais e big data analytics, gerando valor com a integração entre sistemas físicos e digitais. Considerando esse cenário, o projeto tem como questão de pesquisa: como ocorrem os processos de inovação baseados em tecnologias da I4.0 no contexto brasileiro e quais são os resultados desses processos, não somente econômicos, mas também sociais e ambientais? Pressupõe-se que as tecnologias da I4.0 evoluem tecnicamente de forma acelerada, mas as instituições, práticas e normas sociais nem sempre se alinham ou evoluem na mesma velocidade. Por isso, o projeto visa gerar conhecimentos e tecnologias que contribuam para que organizações e arranjos interorganizacionais no Brasil possam inovar com base em tecnologias da I4.0 de forma eficaz e socialmente justa. O projeto se desenvolverá por meio de 10 subprojetos alocados em eixos temáticos e setores selecionados com base nas diretrizes do governo federal, conforme o decreto 9.854/2019 (plano nacional de IoT) e o Plano de Ação da Câmara Brasileira de I4.0. Alinhado com essas diretrizes, o projeto se volta aos setores de: saúde, indústria e agricultura e aos eixos temáticos de: ciência, tecnologia e inovação; educação e capacitação profissional; viabilidade econômica, social e ambiental. As questões e focos de pesquisa são plausíveis pois permitirão a compreensão dos construtos centrais relacionados aos processos de inovação baseados em tecnologias da I4.0 e a avaliação de seus resultados, bem como a geração de tecnologias para apoiar esses processos. Como métodos, pesquisas survey e estudos de casos permitirão compreender o fenômeno pesquisado e a Design Science Research (DSR) será utilizada para gerar tecnologias (frameworks e modelos) de apoio à inovação baseada nas tecnologias da I4.0.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025