Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rosalia Mendez-Otero

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • desenvolvimento de produtos terapêuticos investigacionais de terapia celular e gênica ex vivo `a base de células-tronco mesenquimais e seus derivados para o tratamento de doenças neurodegenerativas, oculares e avc
  • As doenças neurológicas são altamente prevalentes e apresentam uma grande morbidade e mortalidade. Estima-se que, com o envelhecimento progressivo das populações, a incidência destas doenças tenderá a crescer de tal forma que, em países desenvolvidos, elas vêm sendo consideradas como o maior problema de saúde pública em função do ônus que acarretam aos sistemas de saúde. Por exemplo, dados da Organização Mundial de Saúde indicam que o acidente vascular cerebral (AVC) é a terceira maior causa de morte no mundo e a maior causa de incapacitação de indivíduos adultos. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, o AVC é o segundo maior responsável pelo número de óbitos e a maior causa de incapacidade em indivíduos adultos. Por outro lado, a dificuldade de tratar doenças neurodegenerativas crônicas, como a doença de Alzheimer, é agravada pelo conhecimento ainda incompleto acerca das suas bases de patogênese e pela alta prevalência de multimorbidades, incluindo a co-existência de doenças cerebrovasculares prévias agudas (como o próprio AVC) ou crônicas em pacientes com diferentes tipos de demências. As terapias farmacológicas existentes atualmente para doenças neurológicas são pouco eficientes e há uma grande necessidade de se desenvolver novos paradigmas que permitam mudar o quadro atual de tratamentos para pacientes com lesões ou doenças crônico-degenerativas do sistema nervoso. Nos últimos anos, diversos grupos de pesquisa vêm se dedicando ao estudo de células-tronco e seu potencial terapêutico em doenças e lesões neurológicas. A hipótese de trabalho é a de que as células-tronco podem ser utilizadas em terapias celulares de doenças neurológicas, seja substituindo células perdidas em lesões ou doenças, seja aumentando a capacidade de regeneração existente dentro do próprio tecido nervoso por mecanismos de neuroproteção e/ou de neuroregeneração ou ainda modulando a neuroinflamação. O objetivo final destas terapias celulares é o de diminuir e/ou recuperar a perda funcional que ocorre após lesão do sistema nervoso adulto. No período compreendido por este projeto, desenvolveremos estudos pré-clinicos visando esabelecer as bases necessárias para a utilização dessas terapias avançadas em estudos clínicos e, futuramente, no SUS como tratamento. Os estudos pré-clínicos de terapias celulares serão realizados em modelos animais já padronizados pelos grupos participantes da proposta, incluindo esclerose lateral amiotrófica (ELA, glaucoma, AVC hemorrágico e doença de Alzheimer, bem como em um novo modelo a ser desenvolvido de comorbidade Alzheimer/Doença Cerebrovascular. Em vários destes estudos, demonstramos efeitos terapêuticos das células-tronco e/ou das vesículas extracelulares (VEs) liberadas por estas células e investigamos possíveis mecanismos de ação, como atestado em diversas publicações do grupo. A partir da identificação de mecanismos de ação que sugerem um efeito parácrino destas células através da liberação de fatores neurotróficos e/ou neuroprotetores, inciamos estudos que visam a terapia gênica ex-vivo com células mesenquimais modificadas para superexpressar fatores específicos, e este é um dos objetivos deste projeto. Mais recentemente, iniciamos uma outra abordagem, visando substituir e/ou aprimorar os modelos pré-clínicos de estudo de doenças neurológicas, que consiste na geração de células-tronco de pluripotência induzida (iPSCs) de pacientes. As iPSs geradas podem ser diferenciadas nos diversos tipos celulares e, no nosso caso específico, em diferentes tipos de neurônios, astrócitos e/ou oligodendrócitos. Linhagens de iPSCs já foram obtidas pelo grupo a partir de células mesenquimais da geleia de Wharton do cordão umbilical humano, o que nos permitirá investigar, por exemplo, as alterações genéticas identificadas nesta etapa do desenvolvimento. As iPSCs geradas a partir de cordões saudáveis podem ser utilizadas para obter células do sistema nervoso humano para estudos in vitro em substituição ao uso de células de origem animal. No caso de indivíduos adultos, iPSCs foram geradas a partir de eritroblastos obtidos de sangue periférico de indivíduos com esclerose lateral amiotrofica (ELA) e com mutações específicas prevalentes na população brasileira. As metodologias a serem utilizadas nos diferentes sub-projetos e os resultados já obtidos que subsidiaram a formulação desta proposta estão descritos nas publicações listadas ao final do formulário. O objetivo do grupo é o de buscar modelos in vitro ou in vivo que permitam investigar os mecanismos fisiopatológicos das doenças e lesões do sistema nervoso, bem como de multimorbidade no sistema nervoso central, e avaliar a segurança, eficácia e mecanismos de ação de novos produtos terapêuticos obtidos a partir de células-mesenquimais geneticamente modificadas ou não e seus derivados (VEs, por exemplo) visando a translação para a prática médica. Com os estudos básicos e pré-clínicos a serem desenvolvidos no decorrer do período coberto por este projeto, esperamos oferecer subsídios para o desenvolvimento de estudos clínicos em lesões e doenças do sistema nervoso e coordenar o desenvolvimento destes protocolos em colaboração com a área médica.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Rosalina Aparecida Partezani Rodrigues

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • biomarcadores relacionados a fragilidade do idoso
  • Introdução: A população mundial envelhece rapidamente no século XXI e os problemas de saúde, sociais, econômicos e psicológicos, representam desafios que deverão ser enfrentados diante do surgimento de novas síndromes, entre elas, a fragilidade. Objetivo: Determinar os biomarcadores associados à síndrome da fragilidade. Método: Estudo observacional de associação, transversal. Será realizado no Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP/Secretaria Municipal de Saúde do município de Ribeirão Preto, São Paulo. A população será de idosos com 60 anos ou mais, de ambos os sexos, que vivem em domicilio, capaz de se comunicar e atendidos na referida Unidade e a amostra será de 258 idosos. A coleta de dados se dará no ambiente adequado no CSE (entrevista e coleta de sangue). A entrevista será composta dos dados sociodemográficos e dos dados clínicos, e na coleta de sangue serão analisados os Indicadores biológicos de carga alostática e os Biomarcadores genéticos. A análise será descritiva, com análise da contribuição simultânea de preditores sobre os escores de fragilidade por meio da regressão linear ou pelas categorias por meio da regressão logística multivariada tendo como desfecho as diferenças entre os escores final e basal de fragilidade. Alternativamente, poderão ser tentadas modelagens com equações de estimativas generalizadas tendo como desfechos os escores pontuais de fragilidade no período de seguimento. O projeto foi encaminhado ao Comitê de Ética da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, USP e aprovado.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosalinda Carmela Montone

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • poluentes orgânicos persistentes em aves marinhas da ilha da trindade e do arquipélago de são pedro e são paulo: influência de fatores ecológicos nos padrões de contaminação e na dispersão de poluentes em regiões oceânicas
  • Ambientes insulares possuem alta importância biológica por apresentarem características peculiares, altas taxas de endemismo e, apesar de representarem apenas 5% da área total terrestre, abrigam aproximadamente 20% da biodiversidade global. Dentre as principais ameaças que atuam sobre esses frágeis ecossistemas, destacam-se as de origem antrópica, como a ocupação humana, introdução de espécies invasoras e poluição por compostos químicos. As aves marinhas são um grupo frequentemente utilizado para o estudo de contaminação oceânica devido às suas posições superiores na cadeia trófica marinha e alta sensibilidade a mudanças ambientais, respondendo rapidamente às alterações no ecossistema. As ilhas oceânicas brasileiras abrigam uma avifauna diversa e abundante, sendo que cinco espécies (Pterodroma arminjoniana, Onychoprion fuscatus, Anous stolidus, Gygis alba e Sula dactylatra) se reproduzem na Ilha da Trindade, e três (Anous stolidus, Anous minutus, Sula leucogaster) no Arquipélago de São Pedro e São Paulo. O objetivo da proposta é avaliar os poluentes orgânicos persistentes (POPs) em aves marinhas da Ilha de Trindade e do Arquipélago de São Pedro e São Paulo e analisar a influência da distribuição espacial e da estrutura trófica das aves na assimilação e distribuição de contaminantes em regiões insulares do Oceano Atlântico. Esta proposta dará continuidade ao projeto aprovado no edital CNPq 39/2012 incorporando novos indicadores ecológicos (isótopos estáveis em compostos específicos e radiotransmissores VHF) para o monitoramento das populações de aves marinhas, bem como para elucidar os padrões de contaminação e as rotas de dispersão de poluentes orgânicos persistentes (POPs) em regiões insulares do Oceano Atlântico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/12/2015-30/11/2021
Foto de perfil

Rosaline Rocha Lunardi

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • enfrentamento da covid19 em saúde indígena xavante: avaliação de ações em saúde e de itinerários intersetoriais.
  • Em geral, as populações indígenas são particularmente vulneráveis ao impacto de Covid-19, dadas as condições sociais e econômicas desfavoráveis. Associem-se a estas condições, as barreiras de comunicação entre a população indígena e os profissionais de saúde - assim como as diversas práticas de higiene, de alimentação e de estilo de vida - e haverá um quadro ainda mais grave. Há de se considerar ainda, que o perfil imunológico de populações indígenas pode respostas ao vírus e à doença inesperadas e bastante diferentes das demais populações, inclusive no mesmo território Os governos tem implementado medidas de enfrentamento ao Covid-19 que podem ser agrupadas sob três grandes estratégias: a recomendação ou determinação do isolamento e do distanciamento social; a ampliação da capacidade de atendimento dos serviços de saúde; e formas de apoio econômico a cidadãos, famílias e empresas. Porém, num cenário de populações indígenas não citadinas, há de se considerar como estas estratégias serão implementadas de acordo com as especificidades étnicas e territoriais. Como as estratégias adotadas pelo Ministério da Saúde deverão ser remodeladas de acordo com a realidade Xavante, faz-se necessário o acompanhamento e a avaliação longitudinal das ações do sistema de saúde e dos demais setores envolvidos com os determinantes da saúde Xavante. Assim, esta proposta pretende avaliar as ações de enfrentamento da Covid-19 no território Xavante, considerando os atributos essenciais e derivados da atenção primária à saúde, bem como nos demais níveis de atenção acessados pela população.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022
Foto de perfil

Rosana Blawid

Ciências Agrárias

Agronomia
  • diagnóstico de infecções virais em dioscoreáceas das áreas produtoras de pernambuco e paraíba
  • O inhame (Dioscorea spp.) apresenta grande importância socioeconômica, principalmente nas regiões tropicais e subtropicais do mundo, incluindo além da América tropical, a Ásia, África Ocidental e o Caribe. No Brasil, a cultura do inhame é cultivada principalmente na região do Nordeste, destacando-se os estados de Pernambuco e Paraíba, onde constitui-se de um alimento importante para pequenos agricultores e uma fonte de subsistência expressiva. No entanto, a cultura do inhame é ainda considerada negligenciada quanto a estruturação da cadeia produtiva, e pesquisas que visam o melhoramento genético. Por ser uma cultura propagada vegetativamente existe um acúmulo de vírus que vem afetando o aumento da produtividade. Até o presente momento, nove gêneros de vírus foram relatados infectando o inhame. Dentre os vírus que infectam a cultura, os pertencentes aos gêneros Aureusvirus, Badnavirus, Carlavirus, Comovirus, Cucumovirus, Fabavirus, Macluravirus, Potexvirus, e Potyvirus foram os principais relatados. No Brasil os potyvírus Yam mosaic virus e Yam mild mosaic virus, o badnavirus Dioscorea alata bacilliform virus e o secovirus Dioscorea mosaic-associated virus foram relatados infectando inhame. Este projeto visa a diagnose e o desenvolvimento de estratégias de controle através da caracterização molecular dos vírus que infectam o inhame, bem como da caracterização de possíveis proteínas endógenas virais. Para tanto, três instituições nacionais (UFRPE, UnB e o IPA) e uma instituição internacional (DSMZ) pesquisarão em conjunto o estudo da diversidade viral em plantas de campo, de estações experimentais e de acessos de banco de germoplasma visando o melhoramento genético do inhame.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana da Rosa Portella Tondolo

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • transparência e capital social na intenção do gestor de organizações sociais em mobilizar recursos
  • Este estudo tem como objetivo identificar a influência da transparência e do capital social na intenção do gestor de organizações sociais em mobilizar recursos. Para isso, se realizará um experimento no contexto das organizações sociais brasileiras, no qual serão utilizadas vinhetas para simular uma situação de concessão de recursos. Após a apresentação das vinhetas os gestores responderão a um questionário sobre a intenção em mobilizar os recursos. Os dados serão analisados de forma quantitativa. Como resultado espera-se que gestores com maior estoque de capital social estrutural e relacional tenham maior intenção de mobilizar recursos. Além disso, espera-se que o nível de transparência da empresa concessora do recurso financeiro influencie positivamente na intenção do gestor em mobilizar recursos.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana de Freitas Boullosa

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • escola livre em gestão social: formação tecnológica para processos de políticas públicas
  • Este projeto de pesquisa, intitulado Escola Livre em Gestão Social: formação tecnológica para processos de políticas públicas, busca construir e oferecer processos de formação livre e certificada em gestão social, nas modalidades presencial e a distância, por meio de percursos formativos, de natureza tecnológica, que visem, portanto, a transformação e ampliação das suas bases e de seus repertórios de conhecimento aplicado, para públicos específicos formados por praticantes em gestão social e suas áreas temáticas, envolvidos em processos de políticas públicas, inseridos particularmente no Centro-Oeste e Nordeste do país, composto sobretudo por gestores públicos locais, organizações sociais, organizações comunitária, conselhos locais e outras esferas de participação pública institucionalizada ou em vias de institucionalização. As principais áreas temáticas a serem trabalhadas, dentro da sua natureza tecnológica, além da própria gestão social, são: avaliação e monitoramento, elaboração de projetos, implementação de instrumentos de políticas públicas, instrumentos de participação democrática, problemas públicos, desenvolvimento territorial, gestão de conflitos, arte pública, economia do compartilhamento, dentre outros, envolvendo as noções de transversalidade em políticas públicas. Este projeto nasceu foi um dos principais frutos de um projeto de extensão inovadora da Rede de Pesquisadores em Gestão Social (RGS), intitulado Observatório da Formação em Gestão Social: avaliação, ensino-aprendizagem e inovação, também objeto de Bolsa de Produtividade DT (2012-2015) desta mesma proponente, que envolvia, incialmente, 4 Universidades brasileiras: Universidade Federal da Bahia (UFBA, Universidade Federal do Cariri (UFCA, então Universidade Federal do Ceará - Campus Cariri (UFC)) e Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). O projeto do Observatório expandiu-se logo em seguida, englobou novas universidades, sempre no contexto da RGS, com a entrada da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Universidade de São Paulo (USP-EACH), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Universidade Federal do Tocantins (UFT), bem como da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Cada Universidade possuía um grupo de trabalho, sempre sob a coordenação geral desta mesma proponente, até então lotada no Departamento de Administração da Escola de Administração da UFBA (EAUFBA), tendo contado om o apoio financeiro e de bolsas de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), da UFBA, todos no contexto da coordenação geral, além de apoios variados das demais Universidades Parceira. De modo resumido, este projeto da Escola Livre em Gestão Social: extensão inovadora para o desenvolvimento tecnológico em gestão de processos de políticas públicas, possui duração de 3 anos, e objetiva projetar e oferecer Percursos Formativos em Gestão Social, nas modalidades presencial e a distância, nas áreas temáticas já acima apresentadas, idem para o público. Do ponto de vista do método, na modalidade presencial, tratam-se de duas linhas de ação: uma primeira, mais ampla, intitulada Edições da Escola Livre em Gestão Social, com edições sequenciadas, pelo menos uma semestre, com a participação de todas as parceiras envolvidas no projeto, com duração mínima de 40 horas por edição. Seus Percursos Tecnológicos de Formação em Gestão Social, desenhados como atividades de extensão inovadora, assumem podem assumir os formatos de Ateliês Tecnológicos (preferencialmente, pois possuem a obrigatoriedade de desenvolvimento de um produto individual e/ou coletivo) ou Mini-cursos (sem produção de produtos), organizados por níveis de complexidade baixa, média e alta, como será descrito mais detalhadamente a seguir. E uma segunda, intitulada Encontros Formativos em Gestão Social, voltada para as próprias Universidades envolvidas, de modo a desenvolver competências instrumentais nos alunos de seus respectivos cursos graduação relacionados ao Campo de Públicas (Administração Pública, Gestão de Políticas Públicas, Políticas Públicas, Gestão Pública e Gestão Social), por entender que estes alunos também carecem de repertório instrumental (sobretudo em método), mas também por divulgar internamente as ações dos parceiros e ajudar na formação de suas/nossas equipes locais. Na modalidade a distância, será implementada uma plataforma virtual que oferece um conjunto definido de possibilidades formativas já desenhadas, em gestão social e suas áreas temáticas, para usuários que desejem empreender seus percursos formativos individuais e online a partir de seus próprios perfis e demandas. Os perfis possíveis, construídos a partir do cruzamento de poucas informações, tais como idade, formação pregressa, motivação, interesse específico, tempo semanal disponível (2 às 10 horas), tempo total disponível (de um a três módulos de 12 horas), além de algumas preferências sobre meios de aprendizagem, serão classificados segundo uma matriz de distribuição e sugestão de percursos formativos. Os materiais para a construção dos percursos serão textos, vídeo-aulas de introdução aos temas, sites, dicionários, revistas específicas, referências bibliográficas, estudos bibliométricos, mapeamentos das ofertas formativas existentes em níveis de graduação e pós-graduação, mapeamento de grupos de pesquisa, mapeamento de ementas de disciplinas em gestão social, dentre outros. Por fim, ressalta-se que este novo projeto já nasce com a parceria das mesmas universidades que o iniciaram, além da entrada da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), sempre no contexto da RGS, bem como da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF), contando ainda com o apoio da UnB (financeiro e de bolsas) e de recursos próprios das parceiras envolvidas.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana Louro Ferreira Silva

Ciências Humanas

Educação
  • ensino de ciências em articulação com os objetivos do desenvolvimento sustentável: um estudo de caso na rede municipal de são paulo
  • Vide projeto anexo
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 12/08/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Rosana Pereira Vianello

Tecnologias

Tecnologia e Inovação para Agropecuária
  • piramidação de alelos de resistência à antracnose, mancha angular, murcha de fusarium e escurecimento lento em feijão carioca via ferramentas biotecnológicas
  • Vide projeto anexo
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Rosana Salles da Costa

Ciências da Saúde

Nutrição
  • insegurança alimentar, rendimentos e despesas familiares no brasil: uma análise de dados na pesquisa de orçamentos familiares – pof 2018
  • O último relatório do Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), publicado em setembro de 2018, apresentou a situação de insegurança alimentar (IA) e nutrição no mundo, enfatizando os avanços no monitoramento da fome, da desnutrição e de IA, como parte da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de 2030. As evidências apontaram para aumento da fome em quase todos os continentes nos últimos anos, após um prolongado declínio. De acordo com a FAO, a comparação dos dados de 2014 e 2017 revelam aumento na proporção de IA grave, intimamente relacionada com a fome presente nas famílias, tanto no mundo ( 8,3% para 10,2%, respectivamente), como na América do Sul (5,5% para 8,7%, respectivamente). Uma das hipóteses para o aumento de IA grave seria o aumento no preço dos alimentos e nas despesas com alimentação, como também o desemprego em países da America do Sul, mais acentuado nos últimos 3 anos. Essa hipótese é corroborada com os dados do I Relatório Nacional Voluntário da Agenda de 2030, organizado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030. Os pesquisadores ressaltaram no relatório o risco que o Brasil teria de aumento da IA, como consequência do congelamento nos gastos governamentais com políticas sociais de combate à fome, e aumento no desemprego no país em função do déficit fiscal acumulado e o descaso com problemas estruturais como a reforma tributária. No Brasil, desde 2003 a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA) é a ferramenta utilizada para aferir IA, em estudos populacionais. Trata-se de instrumento validado em território nacional, com base na escala norte-americana de aferição de IA. Até 2013, a estimativa de IA no âmbito nacional era feita pelo IBGE na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). A sequência das três últimas PNADs (2004, 2009 e 2013) permitiu identificar sua redução no país. Em 2004, 34,9% das famílias brasileiras conviviam com algum grau de IA, das quais 6,9% tinham IA grave. Em 2013, IA reduziu para 22,6% das famílias, entre as quais apenas 3,2% conviviam com IA grave. Recentemente, o IBGE adotou a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) para avaliar IA pela EBIA, com o intuito de relacionar as despesas e rendimentos familiares, além do consumo individual, com a medida de IA. Esse avanço, inédito no país, será primordial para avaliar dimensões pouco exploradas das causas relacionadas com o desfecho, principalmente após a crise econômica que o país vivencia nos últimos anos. Outro ponto importante da medida de IA na POF consiste em avançar em estudos psicométricos da EBIA, revisitando os pontos de corte para classificação dos níveis Isso será possível em função da interface da EBIA com outras dimensões avaliadas na POF e que não eram aferidas na PNAD (qualidade de vida, consumo alimentar individual e familiar, despesas familiares entre outros). Com base no exposto, o projeto se insere com a proposta de realizar dois subprojetos, simultaneamente, com os seguintes objetivos: (i) a análise da associação entre IA, rendimentos e despesas familiares e (ii) preencher lacunas nas análises psicométricas da EBIA, ambos estudos considerando os microdados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2018 .
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana Teresa Onocko Campos

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • estratégias inovadoras para qualificar a rede de saúde mental em um município paulista de médio porte: uma pesquisa de implementação.
  • A baixa integração das redes de saúde e a falta de profissionais preparados para providenciar cuidados adequados em saúde mental na Atenção Primária constituem importantes entraves na superação da diferença de mortalidade entre pessoas convivendo com transtornos mentais. Como alternativa para superação desses entraves, na literatura internacional, citam-se a implementação de dispositivos de integração de rede e a formação continuada dos profissionais. Neste sentido, este projeto trata de uma proposta conjunta do Laboratório Saúde Coletiva e Saúde Mental – Interfaces (Unicamp) e da Prefeitura Municipal de Itatiba-SP para realizar uma pesquisa de implementação de dispositivos de integração de rede a fim de qualificar o cuidado em saúde mental no município. Essa pesquisa possibilitará entender como as intervenções previstas funcionam nas configurações do "mundo real", testando abordagens para melhorá-las. Ressalta-se que as pesquisas de implementação são apontadas na literatura internacional como viabilizadoras de políticas e programas de saúde pública mais efetivos. A pesquisa será realizada em três etapas: pré-implementação, implementação e avaliação. Entre as atividades previstas, está a capacitação de gestores e trabalhadores para o trabalho articulado em rede, bem como a formação de tutores que comporão um comitê a fim de favorecer a sustentabilidade da proposta. Os resultados relativos à implementação serão avaliados por meio de uma pesquisa do tipo survey, aplicada em dois momentos e através da comparação de dados secundários acerca do funcionamento da rede na fase pré e pós-implementação. Entre as principais hipóteses a serem testadas, estão a diminuição e/ou qualificação dos encaminhamentos para os serviços especializados; diminuição no tempo de espera para utilização dos serviços; aumento do número de atendimentos em saúde mental na Atenção Primária e aumento do número de altas do serviço especializado com referência para Atenção Primária. Realizar-se-á também avaliação econômica em relação às repercussões da mudança no perfil de financiamento de saúde mental da cidade, aspecto fundamental para estudar a efetividade das políticas públicas.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 10/11/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Rosana Teresa Onocko Campos

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • pesquisa de implementação de um ambulatório para vítimas de violência em um hospital universitário
  • A escalada de violência em bairros e comunidades têm trazido imensa repercussão psicossocial para suas vítimas e pessoas próximas. Muitas dessas pessoas recusam procurar ajuda no próprio bairro por medo de represálias e ou de estigmatização. Por outro lado, existe uma carência de dispositivos para a realização desse cuidado, assim como faltam evidências sobre a eficácia de diferentes abordagens terapêuticas. O ambiente universitário mostra-se fértil para o desenvolvimento de tecnologias, porém os grandes hospitais Universitários (HUs) encontram-se comumente muito pouco articulados à rede de serviços municipais e às demandas sociais de sua própria área de cobertura. Torna-se importante que as ofertas desenvolvidas pelos HUs possam ser articuladas desde seu planejamento com o gestor do SUS local. O presente estudo caracteriza uma pesquisa de implementação, com um componente avaliativo quase experimental, para desenhar de maneira participativa e ascendente, implantar, e posteriormente avaliar um novo serviço de assistência psicossocial às vítimas de violência de um distrito sanitário de uma grande cidade brasileira. O controle das condições de planejamento, implementação e avaliação permitirá apontar uma nova tecnologia de cuidado, adequada à realidade das grandes cidades brasileiras e aos aspectos culturais e psicossociais da população alvo. Espera-se também propiciar uma experiência eficaz de integração do cuidado entre os vários níveis de atenção da rede de saúde local.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosana Zacarias Domingues

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • magnetolipossomas: carreadores de fármacos e agentes causadores de hipertermia em terapias para câncer
  • O câncer é uma das principais causas de mortalidade no mundo. No Brasil os cânceres de próstata e mama são os mais frequentes, sendo que em 2013 o câncer de mama ocasionou mais de 14 mil mortes no país. Embora os tratamentos convencionais como a quimioterapia e radioterapia apresentem bons resultados, permanece um desafio minimizar os efeitos colaterais. Uma alternativa de tratamento de câncer é a hipertermia. Essa técnica consiste em uma forma de tratamento de tumores por meio do calor, o qual inibe a proliferação de células malignas e estimulam a morte de células cancerosas. Entretanto, o tratamento por hipertermia apresenta apenas a capacidade de enfraquecer as células tumorais, fazendo-se necessária a combinação de um segundo tratamento de câncer para uma completa destruição de tais células. O uso de formulações contendo fármacos antitumorais e magnetolipossomas - lipossomas contendo nanopartículas magnéticas-, pode conduzir a um tratamento de câncer extremamente eficaz. Portanto, a proposta deste projeto é desenvolver uma nova formulação para o tratamento do câncer, constituída de lipossomas com nanopartículas magnéticas associadas a fármacos antitumorais com características hidrofílicas e hidrofóbicas, como gemcitabina e paclitaxel, que poderá servir como uma nova modalidade de formulação antitumoral associada à hipertermia. As nanopartículas magnéticas presentes no interior dos magnetolipossomas são responsáveis em dissipar calor no meio quando expostas a um campo magnético alternado. O dispositivo é termossensível, assim o fármaco permanece encapsulado no interior dos lipossomas até que a temperatura do meio seja aumentada. Desta forma é possível controlar a liberação do fármaco antitumoral através de um controle da temperatura do meio, resultando na entrega de fármacos em dosagens específicas para células cancerosas, sem destruir células normais. Estudos preliminares realizados pelo nosso grupo de pesquisa demonstraram que a formulação de magnetolipossomas associada aos fármacos antitumorais foi capaz de reduzir a viabilidade de células cancerosas, sendo essa redução intensificada quando aplicado campo magnético nas culturas celulares. Nesse contexto, entender os mecanismos da morte das células cancerosas e a atividade antitumoral das formulações propostas pode abrir caminho para futuras aplicações na terapia do câncer. Na primeira parte deste projeto, que se encontra em andamento em nosso laboratório, está sendo realizada a síntese e caracterização dos magnetolipossomas. Em seguida, testes in vitro realizados em células de câncer de mama humano, como o mecanismo de internalização e localização intracitoplasmática das nanopartículas serão importantes para entender a atividade antitumoral dos magnetolipossomas e fármacos associados à hipertermia. A segunda parte (testes in vivo) será avaliar a atividade antitumoral das formulações em tumor sólido de camundongos Swiss/Nude. Acreditamos que o desenvolvimento das formulações contendo associação de fármacos antitumorais aliados a hipertermia magnética propiciará uma tecnologia pioneira no Brasil para o avanço no tratamento do câncer.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/12/2021
Foto de perfil

Rosane Angélica Ligabue

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • nanoestruturas híbridas com flavonoides e sua avaliação na atividade anticancerígena
  • O câncer é uma doença maligna e complexa e é considerado um problema de saúde mundial, sendo o mote de diversas linhas de pesquisas no mundo. Hoje em dia, a cirurgia, radioterapia, quimioterapia e imunoterapia são terapias comuns no tratamento dos diversos tipos de canceres. Estes métodos possuem diferentes graus de eficácia, no entanto, eles causam efeitos colaterais danosos e sua toxicidade pode desencadear outras doenças nos pacientes submetidos a estas terapias. Com o intuito de desenvolver novos medicamentos para o tratamento do câncer que minimizem os efeitos colaterais, diversas pesquisas estão direcionadas no uso de nanomateriais no tratamento do câncer devido a suas características relacionadas ao tamanho e biocompatibilidade. Dentro deste contexto, este projeto tem como objetivo desenvolver nanotubos de titanatos modificados com flavonoides pertencentes a família da quercetina, e avaliar sua atividade anticancerígena na terapia de câncer de bexiga.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Freire Boina

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • lodo de estação de tratamento de água: recuperação-reciclagem do coagulante e compostagem do sólido final
  • A gestão do lodo em uma estação de tratamento de água envolve a problemática de manejo e disposição dos resíduos formados que ainda é considerado um desafio. O volume gerado é grandioso e a características físicas - químicas limitam a destinação e a disposição final desse material. Do exposto, esse projeto de pesquisa visa contribuir com os trabalhos na área de saneamento ambiental ao propor a recuperação e reciclagem do coagulante a base de alumínio aplicados em ETAs, estudando a extração alcalina-ácida, bem como o adequado destino do sólido final ao propor a compostagem por leiras revolvidas como opção de tratamento. Será empregado um método de baixo custo, pautando-se em uma abordagem menos complexa, ambientalmente amigável. Espera-se obter a resultados compatíveis com as regulamentações e normativas vigentes para a adequada destinação/disposição final do lodo de ETA ao gerar dois produtos principais: o coagulante recuperado e o composto orgânico passível de disposição em solo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Freitas Schwan

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • diversidade microbiana por next generation sequencing e o impacto na qualidade de café fermentados em diferentes regioes produtoras com leveduras selecionadas
  • O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo por milhões de pessoas rotineiramente. A produção de grãos de café causa importante impacto na economia do país, pois o Brasil é o maior produtor e exportador de café. A qualidade do café tem sido valorizada nos últimos anos dando credibilidade aos cafés especiais. É de extrema importância o conhecimento da microbiota do café e o impacto que pode causar na qualidade. Com o uso de técnicas de espectrometria de massas como MALDI-TOF associada a técnica de sequenciamento para identificação de microrganismos será possível confirmar a identificação da microbiota isolada presente na fermentação espontânea do café há vários anos atrás, com métodos mais apurados. Estes microrganismos foram coletados desde 1997 e estão depositados na Coleção de Culturas da Microbiologia Agricola (CCMA/UFLA). Através do estudo das propriedades fermentativas destes microrganismos e da descoberta de compostos que poderão funcionar como marcadores de qualidade, pretende-se encontrar culturas iniciadoras que sejam propicias para fermentação do café de variedades e climas diversos. Com estes resultados, poderemos propor a produção de cafés com maior qualidade e, consequentemente valor agregado. O mercado de cafés especiais está em emergência no Brasil, fazendo com que produtores de cafés procurem conhecimento e desejando aplicar novas técnicas no campo para melhoria do produto.O desenvolvimento de novos tipos de café ampliaria o volume comercializado, uma vez que o consumidor poderia optar por produtos diferenciados no momento da compra assim como acontece com chás e produtos à base de leite. A microbiota natural presente nos frutos de café é responsável pelo processo de fermentação dos frutos. Estes microrganismos podem ser selecionados quanto à capacidade de produzir compostos aromatizados que durante o processo de fermentação migrariam para a semente conferindo à bebida de café aroma e sabor diferenciados. A proposta deste trabalho é de marcar e registrar as regiões produtoras de café em Minas Gerais e Espirito Santo com a fermentação controlada de frutos de café processados via natural e semi seca a partir de microrganismos previamente selecionados quanto à capacidade de produzir compostos aromatizantes. Durante a fermentação dos frutos de café onde há permanência da mucilagem que é nutritiva, a produção do aroma de café pode ser sustentada pela composição química da própria mucilagem. Esta proposta deste modo é inovadora uma vez que se terá no mercado um produto diferenciado. Além disso, busca a implantação de uma tecnologia simples e econômica, facilmente aplicável em pequenas, médias e grandes propriedades.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Goncalves Nitschke

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • a tecnossocialidade no quotidiano e na promoção da saúde das famílias contemporâneas: imagens, potências e limites.
  • Introdução: Trata-se de estudo sobre a tecnossocialidade, em especial, as Redes Sociais Virtuais, no quotidiano e na Promoção da Saúde das famílias, em diferentes cenários, contemplando as maneiras de viver contemporâneas na Pós modernidade, e a construção de possibilidades de um cuidado Promotor da Saúde, trazendo contribuições para a Enfermagem Familiar e a Saúde Coletiva. A tecnossocialidade é definida como um modo de interagir socialmente decorrente da tecnologia, especialmente, aquelas que se instalam no âmbito da comunicação na contemporaneidade (MAFFESOLI, 2016). Vivenciamos mudanças no quotidiano das pessoas e famílias expressas nos modos de pensar, agir, se comunicar, estabelecer relações. O desenvolvimento tecnológico, a hiperconectividade, a ascensão das redes sociais trazem implicações para as relações de cuidado e de saúde dos indivíduos, famílias e comunidades. São várias as necessidades que acompanham esses fenômenos sociais e que demandam, cada vez mais, a compreensão da tecnossocialidade e de sua influência no ritmo de viver e atividades em diferentes ambientes (LEITE et al., 2017). A partir dos anos 90, com a chegada dos computadores pessoais, internet, smartfones, mergulhamos em um outro mundo “enredado” nas redes sociais que, para alguns, veio “aproximar quem está longe, mas afastar quem está perto”, trazendo-nos outras formas de interagir e também outros problemas no quotidiano que envolvem famílias e saúde: isolamento social, falta de diálogo, dependência física e psicológica, problemas posturais, comprometimento do sono, ampliação da jornada de trabalho, aumento do estresse, risco de acidentes, podendo levar à morte inclusive, devido a permanente conexão-desconexão do ser humano. Contudo, acreditando na potência dos seres humanos, na sua força de transfigurar uma realidade que pode adoecer, reconstruindo-a, no sentido de devolver a sua própria humanidade da qual tem sido exilados, desenvolveu-se esta proposta, dando seguimento a discussões, conferências, mesas redondas e disciplinas que temos realizado tanto na graduação como na pós-graduação. Sendo uma referência na área, Maffesoli (2016) traz a discussão sobre o reencantamento do mundo frente ao desenvolvimento tecnológico, do mesmo modo como a racionalidade provocou um desencantamento no mundo. Ele afirma que estamos diante de pistas que apontam para uma ultrapassagem dessa mecanicidade e da instrumentalidade Diante da atual realidade, questiona-se: como a tecnossocialidade se mostra no quotidiano das pessoas e famílias e como se relaciona com a Promoção da Saúde, em diferentes cenários? A compreensão da tecnossocialidade no quotidiano possibilitará o olhar sensível sobre a realidade vivenciada pelas pessoas e famílias, considerando seus significados, as imagens, e o reconhecimento dos limites e potências do uso e da inserção de tecnologias, especialmente, as Redes Sociais Virtuais, contribuindo para possiblidades de um Cuidado Promotor da Saúde, visto que “maneiras de viver, nos ensinam maneiras de cuidar” (Nitschke, 2017). Assim, o NUPEQUISFAM-SC propõe um Projeto Integrado Matricial que se articula, podendo desdobrar-se em (sub)projetos que serão desenvolvidos em parceria com docentes de Universidades nacionais e internacionais, fortalecendo parcerias anteriores. Utilizar-se-á o Referencial Teórico da Sociologia Compreensiva e do Quotidiano de Michel Maffesoli (2010). Objetivo Geral- Compreender a tecnossocialidade, em especial, as Redes Sociais Virtuais, no quotidiano das pessoas e famílias e a sua relação com a Promoção da Saúde, em diferentes cenários. Métodos: Adotar-se-á abordagem qualitativa, elegendo o método de Estudo de Casos Múltiplos Holístico ou integrado (YIN, 2015). Este estudo conterá múltiplos casos definidos pelos cenários de diferentes regiões brasileiras (norte, nordeste, sudeste e sul) e de diferentes países como Peru, Espanha e França. Será realizada análise de cada caso, individualmente, sob uma unidade única de análise (estudo holístico), ou sob unidades de análise em mais de um nível, ou seja, o foco do estudo é dirigido a uma subunidade ou mais (estudo integrado). Os cenários da pesquisa serão municípios das Regiões Brasileiras e de países da América Latina e da Europa onde estão inseridos os Campi das Universidades dos pesquisadores colaboradores. Os participantes da pesquisa serão pessoas, famílias e profissionais da saúde que aceitarem participar voluntariamente, de cenários determinados por cada um dos pesquisadores colaboradores, conforme região onde estão inseridas as Universidades às quais estão vinculados. Este estudo poderá contar com informantes-chave, pessoas que podem ser indicadas pelos participantes da pesquisa, por terem conhecimento e informação profunda e ampla sobre a temática. Como fontes de evidências dos dados utilizar-se-ão: a entrevista individual aberta intensiva, com roteiro semi estruturado; a entrevista coletiva, tendo como estratégia o uso de oficinas (NITSCHKE, 1999), se necessário; além de registros em Diários de Campo. A análise dos dados se fundamentará na técnica de Análise de Conteúdo Temática, que será definida pelo critério semântico, pela análise dos“significados”, segundo as fases: pré-análise, exploração do material, tratamento dos resultados, inferência e a interpretação (BARDIN, 2011), obedecendo à técnica analítica da síntese cruzada dos casos (YIN, 2015). Aspectos Éticos: O estudo será desenvolvido segundo as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas com seres humanos. Resultados Esperados: Construção de novas estratégias e tecnologias de Cuidado Promotor da Saúde, considerando o acesso das pessoas e famílias a diversos meios de informação e comunicação, expressos pela tecnossocialidade, especialmente, as Redes Sociais Virtuais. O uso da novas tecnologias, numa perspectiva promotora da saúde, mostra-se como uma necessidade na pós-modernidade, podendo ser determinante de um viver e um conviver mais saudável.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosane Michele Duarte Soares

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • biomateriais poliméricos por impressão 3d para regeneração de tecido ósseo
  • Anualmente, 2,2 milhões de enxertos ósseos são utilizados em procedimentos ortopédicos, e o constante aumento da longevidade das pessoas no mundo, têm trazido a necessidade de se inovar e criar materiais que possam melhorar a qualidade de vida das pessoas, que apresentam inúmeros problemas ósseos e necessidades de próteses. Alternativas como auto enxerto e aloenxerto podem ser utilizados para se reparar a região afetada, porém o auto-enxerto apresenta a limitação de pouca disponibilidade e possibilidade de morbidade no local de retirada do material, e os Aloenxertos e xenotransplantes, por sua vez, possuem risco de transmissão de doenças e rejeição.1-5 Como alternativa a estes problemas, a área de biomateriais têm buscado estudar e criar materiais que possam reparar ou substituir tecidos ou órgãos lesionados. Os biomateriais podem ser reconhecidos como sistemas terapêuticos contendo componentes biológicos com o objetivo de tratar, substituir ou melhorar as funções do corpo. Os mesmos tem tido grande aplicação na medicina, com destaque para a área de regeneração óssea. O osso é um complexo composto de material nanocompósito inorgânico-orgânicos, consistindo de 65-70% de Hidroxiapatita (HA) e 30-35% composto orgânico, basicamente de Colágeno Tipo I. Para se obter a estrutura da matriz extracelular óssea é necessário que o material possua propriedades de ambos os componentes do tecido ósseo. Dentre os materiais mais utilizados para esta aplicação estão os metais, cerâmicas, compósitos, polímeros sintéticos e também naturais.6-9 Os materiais poliméricos destacam-se por serem biocompatíveis, apresentarem boas propriedades mecânicas (similares ao osso), serem passíveis de processamento e ainda, poderem ser biodegradáveis ou não, sendo que esta propriedade pode ser modulada de acordo com o método de síntese do polímero e área de destino no corpo humano. No caso de material que irá substituir permanentemente uma área lesionada, as estruturas produzidas devem ser favoráveis a adesão proliferação e diferenciação celular, para que o tecido original possa ser efetivamente regenerado.10-12 Doravante, algumas considerações têm se mostrado de suma relevância: primeiramente, realizar a correta escolha do polímero a ser investigado, avaliando racionalmente a área de aplicação, no intuito de alcançar os melhores parâmetros investigativos possíveis (biocompatibilidade, ausência de toxicidade, degradação, etc); e, segundo, mas não menos importante, saber modificar estruturalmente este polímero para que o mesmo seja integrado adequadamente ao sistema biológico reconhecendo seus limites funcionais. De maneira geral, se por um lado os polímeros sintéticos podem ser facilmente modelados em termos de composição, taxa de degradação, propriedades químicas e mecânicas, as macromoléculas naturais provém uma composição única que muitas vezes estimula a resposta celular, o que oferece uma vantagem sobre os demais polímeros sintéticos. 11 Uma das técnicas mais promissoras para produção de protótipos na área de biomateriais é a impressão 3D de biomateriais. Esta técnica apresenta inúmeras vantagens sobre os demais métodos utilizados (eletrofiação, automontagem, estiramento, separação de fases), uma vez que os protótipos produzidos podem servir de suporte mecânico, podendo substituir temporariamente ou permanentemente, partes do tecido ósseo lesado.15-18 A impressão 3D é um processo caracterizado por um processo aditivo, pelo qual, camadas do polímero fundido são depositadas de forma sucessiva para compor um objeto em três dimensões a partir de um modelo digitalizado. A impressora que realiza processo por FDM (modelagem por fusão e deposição) através, do qual, um filamento termoplástico de aproximadamente 1,6 mm de diâmetro é aquecido por uma matriz de extrusão até fundir e ser depositado em uma bandeja dando forma ao objeto desejado. Outra forma de processamento é a impressão 3D de hidrogéis a partir de polímeros solubilizados em determinados solventes. Nesta última, propriedades mecânicas adequadas devem ser moduladas para permitir a sobrevivência e interação celular até o momento em que o biomaterial será inserido no tecido biológico. 15-18 A pesquisa em impressão 3D merece destaque na última década, especialmente na área de biomateriais. No entanto, sua aplicação estende-se a diversas áreas tais como química, física, eletrônica, medicina, farmácia etc. As correlações entre materiais poliméricos e sua conseqüente interação com o meio celular ainda não são completamente conhecidas. O limitado conhecimento sobre os fenômenos de interface entre o material biológico e o protótipo tem corroborado para a crescente evolução da técnica de impressão 3D, bem como a busca de novos materiais poliméricos capazes de interagir efetivamente com o organismo humano.11, 15-18 Neste sentido, a presente proposta com aspecto multidisciplinar visa o desenvolvimento de arcabouços poliméricos construídos através da técnica de impressão 3D para substituição e/ou suporte em áreas de lesão óssea. Estes polímeros, poderão ser impressos tanto pela técnica de impressão 3D do polímero fundido, quanto pela impressão 3D de hidrogéis. A escolha do método irá depender das necessidades de aplicação e área do organismo a ser regenerada.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosângela Alves de Oliveira

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • economia solidária e comunidades tradicionais: a autogestão como tecnologia social apropriada pelas comunidades tradicionais no rio grande do norte
  • O projeto “Economia solidária e comunidades tradicionais: a autogestão como tecnologia social apropriada pelas comunidades tradicionais no Rio Grande do Norte”, nasce da constatação de que em meio a uma das maiores crises do sistema hegemonizado pelo capital, os setores populares procuram criar alternativas como forma de resistência. Entre estas alternativas estão as iniciativas de geração de trabalho e renda caracterizada pela posse coletiva dos meios de produção e pelo controle dos processos de trabalho através da autogestão, cooperação e solidariedade sob controle dos trabalhadores associados em diversos empreendimentos econômicos solidários. Paradoxalmente, são perceptíveis enormes avanços tecnológicos na base material do atual sistema hegemônico, ao mesmo tempo em que milhões de pessoas são atiradas em situação de vulnerabilidade alimentar. É um sistema que não conseguiu resolver a questão mais elementar dos seres vivos que é a garantia do alimento necessário para manter a espécie. No atual estagio de desenvolvimento, a natureza reage à condição de mero “recurso” subordinado ao crescimento econômico e isso exige novas estratégias para enfrentamento da velha “questão social.” É nesse cenário que os Povos e Comunidades Tradicionais podem desempenhar um papel preponderante nos movimentos de resistências ao sistema do capital. Por serem possuidores de uma memória ecológica, por estar nas suas terras de origem, conhecer processos de trabalho e tecnologias apropriadas para suas reais necessidades, por terem identidade cultural. Isso nos faz desconfiar que aí resida elementos que se forem potencializados, podem apontar para um outro processo de sociabilidade. A Universidade é um espaço privilegiado para a produção do conhecimento. Este conhecimento deve ser pautado pelo principio da pluralidade. Com base nessa compreensão, entendemos que a Incubadora de Inciativas e Empreendimentos Solidários – INICIES/UFRN pode dialogar com o mundo do trabalho, realizar um processo de mudança cultural, ser um espaço do pensamento, da produção do conhecimento que busca no real, suas explicações. A partir disso, INICIES apresenta três comunidades tradicionais com as quais já desenvolve ações e precisam ser potencializadas:a)Associação de Maricultura e Beneficiamento de Algas de Pitangui: as mulheres e o processo de autogestão no cultivo e beneficiamento de macroalgas no litoral norte do Rio Grande do Norte; b) O Cercado Tapiocaria: Trabalho, renda e economia solidaria em dialogo com a Jurema Sagrada e; c) Reserva de Desenvolvimento Sustentável Ponta do Tubarão: Banco comunitário como tecnologia social apropriada na comunidade pesqueira de Macau. Pela condição de vulnerabilidade a que são expostas, os integrantes desses projetos estão incluídos no cadastro único, muitas delas usuárias dos benefícios sociais. É sabido que os programas sociais devem ser a porta de entrada para que essas pessoas possam garantir o mínimo necessário para sobrevivência, mas que é necessário construir alternativas que as levem ao mundo do trabalho, a inclusão produtiva. Desta forma, é possível afirmar que este projeto da forma que foi planejado dialoga com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) na medida em que poderá conservar e usar sustentavelmente os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável, reduzir a desigualdade dentro dos países e alcançar a igualdade de gênero empoderando as mulheres. As tecnologias sociais apropriadas/adaptadas para essas populações devem primar pelo fortalecimento das comunidades envolvidas, de forma que o conhecimento sobre a realidade que lhe afeta seja objeto de seu processo emancipatório. Por isso, as tecnologias sociais que promovam o diálogo e a participação entre os sujeitos são indispensáveis na construção da realidade objetiva e na formação de novos conhecimentos. A INICIES entende que o desenvolvimento sustentável e solidário precisa interagir com a realidade das trabalhadoras e trabalhadores, entranhando-se no seu cotidiano, tornando-se ponto de articulação e reflexão da diversidade de experiências, culturais, simbólicas, econômicas e políticas, vivenciadas pelas comunidades rurais e urbanas. O projeto ora apresentado expõe a preocupação da UFRN, enquanto universidade pública, de contribuir e apoiar o desenvolvimento regional sustentável e solidário, por meio de ações de intervenção junto e em conjunto com as comunidades, ao mesmo tempo em que busca a sua excelência no tripé Ensino-Pesquisa-Extensão. Quanto aos resultados do projeto, no campo acadêmico, a INICIES propiciará aos discentes envolvidos, o desenvolvimento das habilidades e competências profissionais, complementares ao ensino da universidade, a partir das experiências cotidianas junto às comunidades tradicionais. Levando em conta a relação dialética que deve existir entre a universidade e a sociedade, é perceptível que o desenvolvimento das atividades acadêmicas precisa gerar benefícios sociais, econômicos, ambientais e culturais para a comunidade. A expectativa é que as ações possam contribuir de forma efetiva para o aumento de renda e melhoria da qualidade de vida das famílias envolvidas. Quanto à organização social espera-se que os atores envolvidos nas ações possam exercitar a autogestão, que tenham controle e se apropriem de seus processos organizativos, que possam também estar inseridos nos diversos espaços de controle social das políticas públicas de Economia solidária. No que se refere aos resultados ambientais espera-se fortalecer a preservação ambiental, o aumento na compreensão da preservação e manutenção de áreas ameaçadas. No que se refere aos resultados tecnológicos espera-se que as tecnologias sociais sejam apropriadas e disseminadas entre outros povos e comunidades dando maior solidez para a viabilização econômica e social dos povos e comunidades tradicionais envolvidas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 01/12/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Rosângela Assis Jacques

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • utilização da espectrometria de massas de alta resolução no estudo da influência do tipo de plantio e etapas do processo de industrialização sobre os compostos fenólicos e metilxantinas da erva-mate
  • A erva-mate é conhecida por terem sido identificados um grande número de compostos bioativos, os quais são responsáveis por seus benefícios, tornando-a um ótimo produto para ser explorado. Com o aumento do desenvolvimento de produtos nos mercados de bebidas, cosméticos, medicamentos e higiene derivados da erva-mate, seu potencial tornou-se visível, aumentando o número estudos fitoquímicos para conhecer e explorar ainda mais o potencial da planta. No Ministério da Saúde no Brasil há o registro de 14 preparações derivadas da planta e na Alemanha existem 452 produtos comerciais à base desta espécie. De vários compostos conhecidos e responsáveis pelas propriedades benéficas da erva-mate, destacam-se dois em maior quantidade, os polifenóis (derivados do ácido clorogênico) e as metilxantinas (teobromina e cafeína). As etapas do processamento da erva-mate têm influência direta na sua composição físico-química e, consequentemente, nos teores desses compostos. Neste projeto pretende-se estudar a influência do tipo de plantio (crescimento a pleno sol e sombra) e etapas do processamento industrial (secagem, sapeco e torrefação) sobre duas classes de compostos (metilxantinas e compostos fenólicos) e potencial antioxidante da erva-mate provenientes da indústria ervateira. A extração dos compostos será realizada pela técnica de ultrassom e extração acelerada por solventes utilizando os solventes etanol,metanol e acetato de etila. . Estas técnicas serão comparadas com a extração supercrítica (ESC) aplicada em diferentes condições de pressão (100, 200 e 300 bar) e temperatura (40, 50 e 60°C) empregando o dióxido de carbono (CO2) como solvente. O etanol será utilizado como cossolvente na ESC em proporções de 2,5, 5,0 e 7,5% na condição de 300 bar e 50°C. A melhor condição de extração será utilizada para todas as amostras de erva-mate. A técnica analítica da cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas de alta resolução (HPLC-DAD-ESI-qTOF-MS) será utilizada para a caracterização e quantificação dos extratos e a atividade antioxidante pelo método ORAC (oxygen radical absorbance capacity). Após a análise quantitativa será investigada as semelhanças e diferenças dos perfis químicos das amostras de erva mate estudadas, mediante o emprego de análise de componentes principais (PCA, do inglês Principal Component Analysis).
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022