Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adriano Brilhante Kury

Ciências Biológicas

Zoologia
  • reconstrução da coleção científica de aracnologiado museu nacional
  • A coleção científica do Setor de Aracnologia do Museu Nacional/UFRJ (= AracnoLab) era uma das coleções mais dinâmicas da instituição, fornecendo grande movimento em empréstimos de material e baseando numerosas pesquisas. Possuía importância histórica, mas principalmente um imenso crescimento nas últimas décadas devido à atuação do presente curador, A.B. Kury, que consegui recrutar uma equipe profissional e dedicada, incluindo egressos fortemente dedicados ao grupo de trabalho. O incêndio que se abateu sobre o palácio do Museu Nacional em 2 de setembro de 2018 privou a humanidade desse modelar repositório de biodiversidade justamente no século das extinções. O presente projeto visa mostrar os passos concretos que podem ser dados para que o AracnoLab possa reconstruir esse patrimônio.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Adriano Cappellazzo Coelho

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • identificação e validação funcional de genes de leishmania spp. associados à suscetibilidade e resistência a fármacos
  • A leishmaniose é uma doença parasitária considerada negligenciada pela Organização Mundial de Saúde e que tem apresentado nos últimos anos um número crescente de casos no Brasil, principalmente em regiões urbanas. A forma tegumentar da doença é causada no Brasil, principalmente por Leishmania (Leishmania) amazonensis e L. (Viannia) braziliensis enquanto que a forma visceral é causada por L. (L.) infantum. O controle da leishmaniose no Brasil limita-se à utilização de medicamentos que são administrados pela via parenteral e que induzem efeitos colaterais graves. Os fármacos utilizados são os antimoniais pentavalentes, a anfotericina B e a pentamidina. Mais recentemente, a miltefosina foi aprovada para o tratamento da leishmaniose tegumentar. Relatos de pacientes que não respondem ao tratamento têm sido cada vez mais recorrentes nos centros de referência para o tratamento de ambas as formas clínicas desta parasitose. Neste projeto de pesquisa, propomos identificar potenciais genes associados à suscetibilidade e resistência à anfotericina B e à miltefosina, através do sequenciamento do genoma completo de isolados clínicos provenientes de paciente que não responderam ao tratamento convencional ou ainda isolados clínicos com suscetibilidade diferencial a esses fármacos. Avaliaremos ainda parasitos resistentes selecionados in vitro de L. (L.) amazonensis e L. (L.) infantum responsáveis pela leishmaniose tegumentar e visceral no Brasil. Uma vez identificados, os potenciais genes serão validados funcionalmente através de técnicas de manipulação genética do parasito. Este estudo contribuirá para a identificação de potenciais marcadores associados à suscetibilidade e resistência, além de contribuir para uma melhor compreensão do mecanismo de ação desses fármacos e de resistência do parasito, que ainda são ainda pouco conhecidos, assim como das limitações e potencial de uso destes fármacos, principalmente da miltefosina na quimioterapia da leishmaniose no Brasil.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 29/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Adriano José Nogueira Lima

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • possíveis efeitos da mudança do clima da idade contemporânea nos ciclos do carbono e da água da floresta amazônica.
  • A Amazônia é protagonista no contexto de Mudança Climática. As árvores são responsáveis pela influência nos processos físicos, químicos e biológicos do ecossistema. As árvores são produtoras primárias e participam da ciclagem de água, carbono e energia. Combinar a verdade de campo com a modelagem da dinâmica do ciclo do carbono relacionando-o com outros ciclos biogeoquímicos como o ciclo da água, ciclos atmosféricos e fluxos de energia é avançar no conhecimento. As plantas precisam de muita energia para realizar seus processos. A compreensão sobre as quantidades que entram e que saem da floresta e que são armazenadas ao longo do tempo (dinâmica) é importante para a manutenção dos serviços ecossistêmicos. Buscar respostas de quanto a floresta está trocando com atmosfera e fixando em seus compartimentos é contribuir para o conhecimento dos aspectos ecológicos e florestal. A questão é verificar como a capacidade de troca da floresta (carbono e água) com atmosfera está respondendo, dentro de um nível aceitável de incerteza, quando submetida a fenômenos climáticos extremos. A partir disso será possível demonstrar o papel da floresta a nível global. Do ponto de vista ecológico a produção da floresta é com base nos processos fisiológicos de fotossíntese e respiração. Do ponto de vista florestal a base é o inventário florestal contínuo (parcelas permanentes) que são monitoradas para obtenção da produção e produtividade da floresta. As atividades serão desenvolvidas em uma área de floresta tropical contínua localizada na Estação Experimental de Silvicultura Tropical (EEST/ZF-2) pertencente ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Muitos experimentos já instalados por outros projetos são conduzidos até hoje e poderão ser utilizados pela proposta. Experimentos de ecofisiologia na escala de indíviduos e espécies também foram conduzidos na mesma área sendo possível atender os objetivos definidos nesse projeto de pesquisa.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025