Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Flávia Eloisa Caimi

Ciências Humanas

Educação
  • a produção do conhecimento escolar no cotidiano de escolas de ensino fundamental: interações discursivas
  • O presente projeto estabelece interlocução com dois campos afetos à pesquisa educacional: os estudos sobre a produção do conhecimento na escola e sobre os aspectos culturais e psicológicos implicados nos processos de aprendizagem. Emerge da necessidade de compreender o fato de o Brasil, apesar de ter atingido as metas de universalização da escolarização pública ainda na década de 1990, não ter resolvido o problema da qualidade dos processos pedagógicos e das aprendizagens no âmbito do espaço escolar até o presente momento. Tal cenário exige estudos sobre o que acontece nas salas de aula que faz com que, apesar do tempo destinado a ela por crianças, jovens e professores, a qualidade das aprendizagens não esteja em consonância com os esforços e as capacidades empregados e com os resultados esperados de cada ano de escolarização. O projeto sustenta-se, ainda, nos achados de pesquisas anteriores, desenvolvidas no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas em Alfabetização – GEPALFA, os quais permitiram observar que, apesar de as crianças manterem relações produtivas com o conhecimento escolar, nem sempre os conceitos que lhes são disponibilizados contribuem para o alargamento das formas de conhecimento que já possuem. Em sala de aula ocorre a elaboração de conceitos, mantidos, porém, em um nível elementar, pois se observou a ausência de intervenções que facultem o envolvimento entre conceitos espontâneos e conceitos científicos em um sistema que permita o desenvolvimento ascendente dos primeiros em direção aos segundos (VIGOTSKI, 2001). Na teoria histórico-cultural, abordagem a que se filia esta proposta, o problema dos conceitos científicos é tratado como uma questão de ensino e de desenvolvimento, já que a sua aprendizagem é possibilitada pelos conceitos espontâneos e aquela, por sua vez, possibilita o desenvolvimento. Segundo Pontecorvo, Ajello, Zuccermaglio (2005), com base nos estudos sobre a interação verbal de Bakhtin (1997) – aos quais este projeto também se filia – e sobre o desenvolvimento mental em Vigotski (2001), afirmam que há um suporte externo na forma de mecanismos de controle que é dado pelos contextos interativos adulto-criança e também pela interação entre pares, o qual oferece oportunidade de explicitação e de consequente justificação das próprias ações. Considerando o exposto, pergunta-se: sendo a sala de aula um ambiente de ensino, de reflexão e de sistematização de conhecimentos e concebendo que a tomada de consciência é alcançada por meio do recurso a conceitos científicos, mediante que condições ocorre, nesses espaços, a emergência desse processo? São situações intencionais que dinamizam esse processo? Que suportes externos são dados pelos contextos interativos adulto-criança e também pela interação entre pares para que sejam explicitados os conceitos espontâneos e sejam justificadas as ações de pensamento em curso na relação com um dado objeto de conhecimento? Que lugar ocupam os diferentes sujeitos e recursos mediacionais (materiais didáticos, fontes de informação) no processo de apropriação/domínio de conceitos científicos em sala de aula? O projeto de pesquisa em exposição centra, por fim, a investigação na seguinte questão: que mecanismos pedagógicos, psicológicos e/ou culturais restringem, dificultam, impulsionam e/ou ampliam os processos de organização de sistemas de conceitos, que se materializam no curso das interações discursivas professor – estudante – objeto de conhecimento, em salas de aula do Ensino Fundamental de escolas públicas? Para atender às exigências postas por esse problema, o GEPALFA busca no GESPE – Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação (UPF) uma parceria, ampliada pela participação de consultores pertencentes a outros três grupos de pesquisa: o GEPSA (UFMG), o GEALE (UFPel) e o Grupo de Pesquisa História e Ensino de História (UEL). Tais grupos dispõem-se a investigar o processo de elaboração de conceitos em situações de ensino e de aprendizagem em sala de aula, materializado nas interações discursivas que ocorrem na tríade professor – aluno – objeto de conhecimento e concebido como um dos territórios em que os sistemas de conceitos emergem e os conceitos espontâneos e científicos se relacionam. Em termos metodológicos, a pesquisa inscreve-se no âmbito das pesquisas qualitativas e tem por base a etnografia interacional apresentada por Gumperz e seu grupo (COOK-GUMPERZ, 1991a; GUMPERZ, 1982) e desenvolvida nos trabalhos do GEPSA (GOMES; NEVES; DOMICINI, 2015). O trabalho de campo realizar-se-á junto a classes de Ensino Fundamental – 4º e 5º e 6º ano – de escolas da rede pública de Passo Fundo/RS e região que estabelecerem parceria com o GEPALFA e o GESPE. Os dados produzidos mediante videogravação, entrevista semi-estruturada, observação, identificação e análise de documentos e registro fotográfico de situações de produção individual e/ou coletiva serão analisados em conformidade com os princípios da análise microgenética, que, de acordo com Góes (2000). Por meio dos resultados desse trabalho, pretende-se contribuir com os estudos sobre o ensino e a aprendizagem de áreas de conhecimento que discutem como os objetos a ensinar e os objetos ensinados atuam em uma sala de aula e aprofundar relações de mútua colaboração entre distintos grupos de pesquisa que têm como foco os processos de ensino e de aprendizagem no contexto da sala de aula. Fundamentalmente, almeja-se que de suas conclusões professores e gestores dos sistemas de ensino possam se beneficiar, a fim de planejar e implementar projetos e práticas que atuem proativamente sobre a complexa e preocupante realidade educacional brasileira.
  • Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Jorge de Lima

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • análise comparativa dos registros deposicionais do planalto sedimentar do araripe (ce) e do maciço de água branca (al) e adjacência: contribuição aos estudos de morfogênese do nordeste do brasil ao longo do quaternário superior
  • A compreensão dos processos formativos assume um papel fundamental para explicar detalhadamente os elementos causadores de rupturas no equilíbrio das condições ambientais e, consequentemente, desencadeadores dos episódios de maior atividade geomórfica nas encostas. No decorrer do tempo geológico as formas de relevo são esculpidas, elaboradas e reafeiçoadas pela dinâmica superficial, cujos registros guardados nos modelados de agradação são capazes de elucidar como as diferentes paisagens evoluíram e quais processos atuaram. Propõe-se como áreas de pesquisa o sertão alagoano - Maciço de Água Branca e adjacência - e o setor E-NE do Planalto Sedimentar do Araripe, por corresponderem a ambientes reconhecidos como “Brejos de altitude” encravados no contexto regional de semiaridez. O uso das propriedades micromorfológicas como caminho elucidativo dos principais processos geradores de depósitos e suas transformações pós-deposicionais constituirá uma ferramenta importante na constatação de marcadores paleoclimáticos de caráter regional. Tem como objetivo geral caracterizar, em escala macroscópica (descrição de seções estratigráficas) e microscópica (luz visível), os sedimentos coluviais modernos e pretéritos encontrados ao longo do maciço de Água Branca e adjacência e do setor E-NE do Planalto Sedimentar do Araripe (aqui incluindo o registro de paleossolos). A metodologia do trabalho pautará na abordagem morfoestratigráfica, na sedimentologia, micromorfológia de solos e datação por Luminescência Opticamente Estimulada (LOE). Espera-se, balizado por dados descritivos de seções estratigráficas, reconhecer marcadores paleoclimáticos de caráter regional, estabelecendo uma cronologia dos processos paleoambientais responsáveis pela morfogênese no interior do Nordeste do Brasil ao longo do Quaternário Superior
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Kelly Siqueira de Souza

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • diversidade de peixes em resposta a diferentes tipos de manejo em áreas alagáveis da amazônia: aspectos ecológicos e socioeconômicos
  • A bacia Amazônica abriga a maior diversidade de peixes de água doce do planeta, com mais de 2700 espécies descritas, dentre as quais cerca de 45% são endêmicas. Esse ecossistema tem sido fortemente ameaçado por ações antrópicas diretas, como o desmatamento e outras formas de uso do solo, como a construção de usinas hidrelétricas, e formas não sustentáveis de uso dos recursos naturais, incluindo a sobrepesca. Além disso, secas e cheias extremas, decorrentes de mudanças climáticas e do desmatamento local, têm aumentado em frequência e intensidade, gerando perturbações na estrutura das comunidades de peixes e instabilidade no rendimento das pescarias. Esses problemas indicam claramente a necessidade de adoção de estratégias para preservar a elevada diversidade de peixes e também conservar os estoques pesqueiros, que são as mais importantes fontes de proteína animal para as comunidades locais, em especial para os ribeirinhos que ocupam as margens dos rios e lagos da região. Nos últimos anos, uma das estratégias do governo brasileiro para preservar a biodiversidade tem sido a criação e manutenção de um grande sistema de  unidades de conservação (UCs). Em UCs como as Reservas Extrativistas (RESEX) e Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) têm sido realizado o manejo de lagos, com o objetivo de conservar a diversidade de peixes e os estoques de peixes sobre-explotados, como o pirarucu (Arapaima gigas). Essas estratégias são especialmente importantes na várzea amazônica, em especial nos trechos inferiores dos rios Purus e Solimões, áreas tradicionalmente exploradas pela pesca comercial que abastece os maiores centros urbanos regionais e que sofre uma ampla gama de pressões antrópicas. Em face disso, foi estabelecido um sítio PELD na várzea da Amazônia Central, com o objetivo de avaliar a dinâmica temporal das assembleias de peixes em resposta a diferentes tipos de manejo territorial e de governança.  Quatro áreas de amostragem foram estabelecidas: (1) Lago Catalão, na confluência dos rios Solimões e Negro, sem proteção ambiental e manejo pesqueiro; (2) Ilha da Paciência, entre a foz do rio Purus e a confluência Solimões-Negro, incluída em uma APA Municipal onde há um acordo de pesca para manejo de lagos e explotação manejada do pirarucu; (3) RDS Piagaçu-Purus, no baixo rio Purus, uma UC Estadual com manejo de lagos e de pirarucu; e (4) REBIO Abufari, no baixo Purus, UC Federal, onde a pesca é proibida e não há manejo de lagos ou de pirarucu. Ao longo de quatro anos (2017-2020), foram realizadas amostragens sazonais de peixes com esforço padronizado e mensuradas variáveis ambientais, além de avaliar o uso de recursos pesqueiros pelas populações locais. Os resultados iniciais, após quase quatro anos de estudos, demonstram (1) a importância de manter um sítio de pesquisas ecológicas de longa duração com essa abrangência na várzea amazônica; (2) a existência de diferenças na estrutura e composição das assembleias entre as áreas com diferentes tipos de manejo, indicando a importância da governança para a conservação da biodiversidade aquática. Ao mesmo tempo, a experiência adquirida ao longo desses anos, mostrou a necessidade de analisar a diversidade genética e de contribuir, ainda que indiretamente, através das lideranças e populações locais, para a governança socioambiental das áreas incluídas nos sítios de pesquisa. Diante disso, essa proposta de continuidade do PELD-DIVA, o único sítio de pesquisas ecológicas de longa duração na várzea amazônica, mantém a abrangência geográfica original e expande suas áreas temáticas, com o objetivo de contribuir com a formação das informações necessárias para a proposição de estratégias robustas de manejo, visando a conservação de um ambiente tão importante dos pontos de vista ecológico, econômico e social na Amazônia.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 14/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Flávia Lúcia Chein Feres

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • saúde, capital humano e desenvolvimento: uma análise das condições iniciais e o papel dos pais ou responsáveis
  • Segundo a Organização Mundial da Saúde (2014), uma saúde melhor é central para a felicidade e bem-estar dos homens. A saúde gera também uma contribuição para o crescimento econômico, uma vez que a população saudável sobrevive por um tempo mais longo, é mais produtiva e acumula mais riqueza. Atualmente, a literatura atribui aos cuidados durante a primeira infância, em particular, àqueles relacionados às condições nutricionais, a ligação entre o investimento em saúde e o desenvolvimento do capital humano. Com relação à saúde da criança, seu desenvolvimento e crescimento, Hoddinott et al. (2008) apontam para o período entre zero e dois anos de idade como o mais eficiente para investir em nutrição, analisando especificamente a causalidade entre status nutricional na infância com sua produtividade e estado de saúde na idade adulta, concluindo que esta é uma causalidade positiva e significativa. Desta forma, as condições nutricionais e de saúde durante o início da vida, que representam um período crítico para a formação de habilidades que irão reger os resultados futuros obtidos por este , constituem um dos elementos mais importantes que permitir que os indivíduos percebam seu potencial e desenvolvam-se como agentes sociais. Neste contexto, a proposta deste projeto é investigar os efeitos de condições adversas na primeira infância sobre resultados futuros, explorando questões relacionados a ocorrência de seca e incidência da malária na vida intrauterina até os primeiros anos de vida, bem como o papel das pais ou responsáveis sobre o desenvolvimento futuro de habilidades cognitivas e não-cognitivas das crianças.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Maria Galizoni

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • efeitos da covid19 sobre agricultura familiar, alimento e água no vale do jequitinhonha mineiro.
  • Este projeto, baseado na parceria entre instituições de ensino e organizações de desenvolvimento rural do vale do Jequitinhonha mineiro, tem por objetivo levantar, registrar, analisar e disseminar informações sobre as soluções locais, os entraves e as demandas ocasionadas pela quarentena da COVID-19 sobre a agricultura familiar do vale do Jequitinhonha mineiro. Utilizando recursos materiais e humanos pré-existentes nas instituições parceiras, e recorrendo exclusivamente a meios telefônicos ou digitais durante o período de confinamento, recolherá semanalmente dados sobre os efeitos do coronavírus sobre autoabastecimento, abastecimento urbano, renda, água e saúde de agricultores familiares de dez municípios, sistematizará os resultados para devolve-los por todas as mídias possíveis à região, com propósito de disseminar informações sobre soluções locais, estimular ações conjuntas e subsidiar programas públicos. Ao final da quarentena, propõe-se levantamento de campo para avaliar, junto a agricultores e agentes de desenvolvimento rural, as dificuldades, soluções e a eficácia dos programas públicos adotados.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Flavia Pereira Xavier

Ciências Humanas

Educação
  • efeito das escolas públicas de ensino fundamental sobre o atraso escolar e a reprovação
  • Este projeto de pesquisa se insere no campo de investigação sobre efeitos das escolas. Tradicionalmente a pesquisa nessa área tem definido o efeito-escola em termos dos ganhos médios de desempenho que uma escola é capaz de agregar aos seus alunos. Entretanto, o que propomos na pesquisa é calcular os efeitos das escolas em termos da trajetória regular dos alunos. As trajetórias também constituem um indicador importante para a avaliação das políticas públicas é uma dimensão importante para a garantia do direito à educação. Nesse sentido, esta pesquisa tem como objetivos (1) calcular os efeitos das escolas públicas de ensino fundamental, relacionados à trajetória (atraso escolar e reprovação), com base nos dados da Prova Brasil de 2007 a 2017 e (2) associar esses efeitos a um conjunto de indicadores contextuais das escolas que serão produzidos no âmbito da pesquisa com base nos dados do SAEB de 2007 a 2017. Serão produzidos indicadores contextuais dos alunos (NSE, hábitos culturais e envolvimento dos pais) e indicadores escolares relacionados à liderança escolar, clima escolar, características dos professores e ensino e infraestrutura das escolas. Eles serão estimados por meio do emprego de um modelo da teoria da resposta ao item – TRI apropriado para itens com respostas graduadas. Os efeitos das escolas em termos de atraso escolar e reprovação serão estimados por meio de modelos hierárquicos logísticos, controlados por variáveis de características dos alunos e do contexto escolar. Espera-se com a pesquisa contribuir para o fortalecimento da área de avaliação educacional, bem como para a formação de alunos de graduação e Pós-graduação em um campo de alto impacto social.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flavia Regina Souza Lima

Outra

Divulgação Científica
  • ciência sobre rodas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 12/08/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Flávia Regina Spago de Camargo Gonçalves

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • avaliação do potencial antimicrobiano de extratos de araçaúna na conservação do pescado.
  • A intoxicação alimentar é um grave problema de saúde pública, sendo responsável por inúmeros casos de internações, podendo levar à morte do indivíduo além de causar sérios danos financeiros para o sistema de saúde do nosso país. Os consumidores estão cada vez mais preocupados com a saúde e conscientes dos possíveis efeitos dos aditivos sintéticos usados na conservação dos alimentos, assim, a exigência pelo uso de compostos naturais como conservantes de alimento é cada vez maior. Os produtos provenientes da indústria de processamento de pescados são altamente perecíveis, sendo necessária a busca por produtos capazes de diminuir a proliferação de micro-organismos patogênicos e deterioradores nesses alimentos. Dentre as possíveis fontes de metabólitos com atividade antimicrobiana, estão as plantas. Na região Sul do Estado do Espírito Santo, encontra-se uma planta nativa muito pouco conhecida, a araçaúna (Psidium sp.). Este vegetal é muito utilizado na indústria de doces e sorvetes, mas pouco se sabe sobre suas propriedades farmacológicas. Estudos prévios mostram que a araçaúna é capaz de produzir compostos com atividade antimicrobiana, que podem ser extraídos de suas folhas, caule, flores e frutos. O objetivo desse projeto é avaliar o potencial antimicrobiano de extratos de Araçaúna no controle de micro-organismos contaminantes do pescado. As plantas serão coletadas, secas, e será obtido o extrato etanólico. Os extratos serão testados contra Bacillus cereus, Staphylococcus aureus, Salmonella sp., Vibrio parahaemolyticus e Escherichia coli utilizando a técnica de difusão em disco. A semipurificação dos compostos com atividade antimicrobiana será feita por cromatografia líquida à vácuo, utilizando solventes orgânicos de polaridade crescente. As frações obtidas serão monitoradas por cromatografia em camada delgada, serão testadas quanto à atividade antimicrobiana por técnica de difusão em disco e autobiografia, avaliadas quanto aos efeitos tóxicos, citotóxicos, aneugênicos e mutagênico e caracterizadas fitoquimicamente. As frações com atividade antimicrobiana e atóxicas serão utilizadas em teste de aumento da vida de prateleira de produtos da indústria de pescados, aspergindo-as na embalagem. As embalagens com o pescado serão mantidas em geladeira por 14 dias. Serão avaliados os parâmetros sensoriais, fisico-químicos e microbiológicos do pescado tratado com as frações de dois em dois dias e os dados serão analisados estatisticamente. Espera-se obter uma fração contendo um metabólito da araçaúna que seja capaz de diminuir a proliferação de micro-organismos no pescado, sem alterar a sua qualidade. Os resultados desta pesquisa, contribuirão para ampliação do conhecimento a respeito da ação farmacológica de bioativos presentes nessa espécie, incentivando a investigação do potencial farmacológico desta planta, com propósito de oferecer ao mercado mais uma alternativa para o controle da contaminação de alimentos, prevenindo assim, enfermidades ocasionadas pela intoxicação alimentar.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Tavares Silva Elias

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • avaliação da implantação de modelo de capacitação em ciência aberta baseado em competências: projeto piloto para pós-graduação na fiocruz
  • O movimento, de alcance internacional, em favor da ciência aberta nasceu da convicção e argumentação consistente de uma gama de atores sociais de que os modos atuais de produção e divulgação científica se constituem em verdadeiras barreiras à livre circulação e avanço do conhecimento científico, da informação e da cultura. A ideia central é que o endurecimento dos dispositivos e do sistema de propriedade intelectual evidenciado nos últimos 40 anos vem comprometendo, de forma significativa, o impacto que esses achados poderiam ter na vida das pessoas. Coincidentemente, esse movimento emerge ao tempo em que o avanço tecnológico se constituiu em oportunidade para o desenvolvimento de plataformas digitais capazes de dar suporte a abertura e propagação do conhecimento de forma célere e com razoável grau de confiabilidade. A ciência aberta é um campo em expansão e possui muitos adeptos na área das ciências da saúde e de outros campos científicos que impactam a saúde. Cabe destacar, no entanto, que sua adoção e implementação, em especial no que tange a abertura, compartilhamento e gestão de dados científicos, exige a concepção e emprego de métodos, ferramentas e abordagens educacionais baseadas no desenvolvimento de competências capazes de promover uma aprendizagem crítica e problematizadora. A proposta aqui apresentada centra-se na concepção, aplicação e avaliação de modelo de capacitação por competências que possa ser aperfeiçoado, com base nessa experiência, para aplicação nos demais programas de pós-graduação da Fiocruz. O mestrado em políticas publicas de saúde (MPPS) da Escola Fiocruz de Governo da Fiocruz Brasília servirá de experiência piloto. O trabalho será realizado por equipe multidisciplinar e intersetorial, composta por pesquisadores que atuam em várias unidades da Fiocruz e do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, e que integram o Grupo de Trabalho de Ciência Aberta da Fiocruz, vinculado a Vice-presidência de Educação e Comunicação. Abrange análise documental de cursos internacionais preexistentes (FOSTER, entre outros), levantamento do perfil de produção técnico-científica dos discentes das quatro edições anteriores do MPPS, desenho e modelagem da capacitação e avaliação ex-anti e ex-post realizada por especialistas em avaliação em saúde que compõem a equipe de pesquisa. O curso/disciplina será desenvolvido de forma modular, na modalidade hibrida, com atividades presenciais e à distância, e cujo desenho será baseado em competências. Serão selecionadas dissertações para aplicação de planos de gestão para abertura de dados de pesquisa. Espera-se que a pesquisa avaliativa permita aperfeiçoar a proposta inicial e potencializar os benefícios da replicação dessa atividade pedagógica nos demais cursos de pós-graduação da Fiocruz.
  • Fundação Oswaldo Cruz - DF - Brasil
  • 04/07/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Troncon Rosa

Ciências da Saúde

Nutrição
  • concentração de vitamina d no tecido adiposo subcutâneo e visceral de indivíduos com obesidade e sua relação com alterações metabólicas teciduais e sistêmicas.
  • Mundialmente, cerca de 650 milhões de pessoas encontram-se com diagnóstico de obesidade. Associação inversa entre níveis de vitamina D e IMC, circunferência da cintura e composição corporal tem sido reportada. No entanto, alguns estudos indicam ser essa redução sérica de vitamina D provocada pela diluição volumétrica desta no tecido adiposo. Neste sentido, o objetivo do presente estudo será investigar se a concentração de vitamina D no tecido adiposo de indivíduos obesos exerce influência sobre o padrão histológico dos adipócitos, perfil de expressão de genes promotores da adipogênese e metabolismo glicídico comparado a indivíduos eutróficos. Para isso, será realizado um estudo transversal, analítico, com quatro grupos de acordo com a classificação do estado nutricional pelo Índice de Massa Corporal (eutrófico IMC<25 Kg/m² e obesidade IMC> ou=35 kg/m²) e presença de resistência à insulina pelo HOMA-IR (baixa RI: HOMA<5 e alta RI HOMA> 8). Serão selecionados 30 voluntários para cada grupo, sendo eles: controle eutrofia com baixa RI, controle eutrofia com alta RI, obesidade com baixa RI e obesidade com alta RI. As análises incluirão: avaliação nutricional, composta por antropometria (peso, altura, IMC, circunferência abdominal e do pescoço, e composição corporal por Impedância bioelétrica) e análises bioquímicas de marcadores do metabolismo glicídico (glicemia, hemoglobina glicada, insulina, adiponectina, índices de HOMA e QUICKI), marcadores inflamatórios (TNF-a, IL-6, Il-1b e MCP-1), de estresse oxidativo (potencial antioxidante total, lipoperóxidos, produtos avançados da oxidação protéica e óxido nítrico) e de vitamina D sérica. Também serão realizadas análises do tecido adiposo subcutâneo e visceral quanto a concentração de vitamina D, histologia (hipertrofia/hiperplasia tecidual, infiltrado macrocitário) e expressão de genes promotores da adipogênese. Acredita-se, como hipótese, que concentração de vitamina D no tecido adiposo de indivíduos obesos está aumentada em relação ao tecido de eutróficos, e inversamente proporcional às concentrações séricas. Além disso, que esta concentração aumentada no tecido adiposo esteja associada a 1) padrão hipertrófico do tecido adiposo, com infiltração de células inflamatórias; 2) expressão diminuída de genes promotores da adipogênese no tecido adiposo; 3) alterações séricas de marcadores do metabolismo glicídico e presença de resistência à insulina; e 4) níveis aumentados de marcadores inflamatórios e de estresse oxidativo.
  • Centro Universitário Filadélfia - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flaviana Cardoso Damasceno

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • fitorremediação: um estudo da influência da qualidade do solo versus plantas nativas na remoção de hidrocarbonetos
  • A exploração desenfreada dos recursos naturais se tornou nos últimos anos uma questão de saúde pública devido à intensa inserção de contaminantes nas principais matrizes ambientais. É ampla a gama de classes química proveniente da atividade antrópica, e tão diversificado quanto, os risco que estes oferecem a qualidade da vida terrestre. O solo é o compartimento ambiental mais importante no que se refere ao acúmulo de contaminantes orgânicos, e é sobre eles que a população está abrigada e é nele que se cultiva e cria a maior parte dos alimentos. O solo é conhecido como o mais importante reservatório de HPA no ambiente terrestre, portanto, atua como um eficiente indicador da poluição ambiental. A capacidade de atuar como ambiente de enriquecimento de HPA deve-se em parte as características físico-químicas desses compostos, tais como sua hidrofobicidade e estabilidade. Sendo assim, estudos sobre técnicas que facilitem a remoção desses compostos são importantes e podem contribuir na redução dos riscos de exposição. Entre os diversos processos de descontaminação de solos, a fitorremediação se caracteriza por utilizar plantas no processo de degradação, extração, contenção ou imobilização de contaminantes. Essa técnica tem como uma das suas vantagens permitir aplicação em sito com perturbações mínimas do solo a ser tratado. Durante esse processo pode ocorrer algumas modificações nas propriedades físico-químicas do contaminante e/ou liberação de exsudatos pelas raízes. Esse mecanismo pode levar a uma sé¬rie de alterações do solo próximo as raízes, como o au¬mento da matéria orgânica, da aeração e da porosida¬de. A fitorremediação geralmente está associada a atuação microbiana, que pode transformar as substâncias químicas persistentes nos solos; seja por captura desses compostos; ou captura dos produtos já metaboliza¬dos. Para utilizar processo de fitorredemiação é essencial conhecer as características físico-químicas do solo e a capacidade de adaptação da planta não somente ao solo, mas também ao clima e aos próprios compostos poluentes. Além disso a planta deve apresentar algumas característica que favoreça o processo, tal como um sistema radicular com grande área superficial. Este projeto pretende realizar o estudo de recuperação de solos contaminado com HPA utilizando espécimes vegetais locais, uma vez que essas estão adaptadas ao clima local, assim como o tipo de solo da região. Outro fator determinante na seleção das plantas são os resultados dos ensaios de germinação, estes forneceram não só a qualidade das sementes como também o potencial das espécies quanto a presentar mecanismo de resistência aos contaminantes em estudo. Devido a composição complexa e diversificada da matriz, e a fim de assegurar a qualidade analítica da quantificação dos analitos, serão necessárias alguma otimizações do método de extração, assim como avaliação a capacidade de recuperação, limites de detecção (LOD) e limites de quantificação (LOQ). Esses resultados fornecerão alternativas economicamente viáveis, de fácil aplicação e de pouco impacto ambiental na recuperação de solos contaminados por HPA. Também permitirá montar um banco de dados com alternativas para recuperação de solos contaminados com HPA em regiões tropicais, além de nortear outros estudos para as demandas da região.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flaviana Ferreira Pereira

Engenharias

Engenharia Química
  • ceará faz ciência 2021
  • A presente proposta visa a realização de competições científicas envolvendo os Alunos e Professores do Ensino Fundamental II, Médio e Técnico das Escolas Públicas e Privadas de todos os 181 Municípios que compõem o estado do Ceará. Neste sentido, os eventos que envolverão as Mostras Científicas em questão, contribuirão significativamente para a melhoria da qualidade do ensino de ciências no Estado, uma vez que visam popularizar o conhecimento científico e estimular a conexão e a interação do conhecimento entre alunos, professores e a população em geral nas mais diversas áreas relacionadas com a Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). A SECITECE, ao longo de várias décadas, promove sistematicamente diversas atividades que visam popularizar e interiorizar o conhecimento e a prática das áreas da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) entre crianças, jovens e adultos, através da realização de feiras, concurso e mostras científicas itinerantes na capital e interior do Estado. Neste contexto, a primeira edição do projeto Ceará Faz Ciência foi realizada no ano de 2012, pelo Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), tendo como objetivo popularizar o conhecimento científico entre crianças, jovens e adultos, através da realização de feiras, concurso e mostras científicas itinerantes pela capital e interior do Estado. Neste ano o Projeto envolveu de forma direta 180 escolas nas quatro regiões, Litoral Leste, Região Norte, Cariri e Inhamuns do estado do Ceará, com a inscrição de 300 trabalhos. Em 2015 o referido evento foi realizado com o recurso do fundo de Amparo à Pobreza (FECOP) e atuou em 6 regiões: Fortaleza e Região Metropolitana; Região dos Inhamuns; Litoral Leste; Região Norte; Sertão Central; Região do Cariri do Ceará. Dando continuidade a parceria firmada com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a aplicação dos recursos oriundos do FECOP, realizou a edição do ano de 2016, contemplando 03 regiões (Beberibe, São Benedito e Fortaleza) onde foram inscritos mais de 170 trabalhos de estudantes da rede pública de ensino. Em 2017 o projeto contemplou apenas a Região Metropolitana e o Vale do Jaguaribe, entretanto com um volume significativo de inscritos, ultrapassando 200 trabalhos. Já em 2018 e 2019 foram realizadas edições do evento na Feira do Conhecimento em Fortaleza/CE. Já em 2020, a mostra científica foi cancelada devido à pandemia pelo Coronavírus (COVID 19) conforme orientação das autoridades de saúde pública. Ao longo de todos esses anos, o “Ceará Faz Ciência” envolveu mais de 40 municípios, 1000 alunos inscritos no site e mais de 34.000 participantes com visitação aos eventos (diretos e indiretos). O projeto Ceará Faz Ciência, cujo início das atividades se deram em 2011, através do I Fórum Ceará Faz Ciência, intitulado "Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenções de riscos", realizado em Fortaleza. Contudo, apenas em fevereiro de 2012 foi lançado oficialmente o projeto Ceará Faz Ciência, no município de Sobral, Região Norte do Estado. Nesta mesma edição foram contempladas a Região do Litoral Leste, Limoeiro do Norte, a Região do Cariri, Crato e a Região dos Inhamuns, Tauá. Vale ressaltar, que para o início dessas atividades, a SECITECE 1 contou com a parceria do CNPq/MCTI, da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, das Prefeituras de Limoeiro do Norte, Sobral, Tauá e Crato, do Geopark de Araripe/Urca e da Secretaria de Educação do Ceará - SEDUC. Durante este mesmo ano, a competição envolveu de forma direta 180 escolas e 300 trabalhos. No ano de 2014, a exposição do Ceará Faz Ciência teve como temática a “Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento social" e contemplou as cidades de Fortaleza, Tauá, Limoeiro e Quixeramobim. Apesar destas experiências exitosas, esta competição ainda necessita manter, consolidar e ampliar suas estratégias voltadas ao tema, sob a pena de não conseguir formar capital humano suficiente, em número e qualidade, que contribuam com o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado. Ressalta-se que o “Ceará Faz Ciência” sempre priorizou, em suas ações, o engajamento de alunos e professores das regiões com menores Índice de Desenvolvimento Humano por Município (IDHM) e cujas as ações sirvam de incentivo para o aumento do número de inscritos nas ações de Popularização da Ciência desenvolvidas pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE). Além disso, esta proposta visa a melhoria da qualidade da educação em ciências a partir de um trabalho intensivo de experimentação nas escolas em cooperação com os professores do ensino fundamental, médio/técnico e a comunidade científica composta por profissionais dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCEs), Institutos Centro de Ensino Tecnológico (CENTECs), Universidade Estadual do Ceará (UECE), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Secretarias Estaduais e Municipais de Ensino.
  • Secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado do Ceará - CE - Brasil
  • 29/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Flaviana Ferreira Pereira

Outra

Divulgação Científica
  • feira do conhecimento digital 2021: evento regional de promoção e disseminação da ciência, tecnologia, inovação, negócios e mostras itinerantes (presenciais e virtuais) para a sociedade cearense.
  • A Feira do Conhecimento, promovida anualmente desde 2017 de forma presencial, será realizada em 2021 no formato virtual na SNCT. Estima-se alcançar neste ano mais de 5 mil pessoas na Feira do Conhecimento Digital. E mais 1200 pessoas no projeto Ciência Itinerante, oportunizando um encontro profícuo entre instituições de CT&I públicas e privadas, universidades, startups e empresas da cadeia produtiva cearense e setores estratégicos da economia, educação, ciência e tecnologia do estado do Ceará, orquestrando ações de disseminação e popularização da ciência, considerada como base para a melhoria da qualidade do ensino de ciências no estado e municípios, e, assim, estimulando a formação de jovens cientistas e empreendedores, favorecendo a qualificação do conhecimento científico e tecnológico. A Feira do Conhecimento de 2021 será realizada por meio digital, tendo em vista que ainda existem restrições aos eventos presenciais que possam causar aglomeração. Na programação do evento estão previstas palestras, seminários, competições e rodada de negócios, todas as atividades ocorrerão online, destacando o tema da 18ª Semana Nacional da Ciência: “A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”. Para o primeiro semestre de 2022 é prevista a retomada das atividades presenciais do ônibus-laboratório, do projeto Ciência Itinerante, a retomada será gradual, já que a maioria das escolas do estado do Ceará permanecem com atividades remotas. Estão previstas visitas presenciais (6 municípios) e também videoconferências (outros 6 municípios), permitindo a inclusão de mais professores e estudantes. O amplo alcance da Feira do Conhecimento está assegurado pela participação de suas vinculadas e órgãos colegiados: Universidade Estadual do Ceará (UECE): Universidade Regional do Cariri (URCA), Universidade Vale do Acaraú (UVA); Centros de Vocações Tecnológicas (CVTs); Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (FUNCAP), Centro de Ensino Tecnológico (CENTEC); Núcleo de Tecnologia e Qualidade Industrial (NUTEC); Fundo de Inovação Tecnológica (FIT). Parcerias com Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Universidade Federal do Ceará (UFC); Universidade Federal do Cariri (UFCA). A participação da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) nas diversas edições da Feira do Conhecimento tem contribuído para ampliar a participação e qualificar ainda mais o evento. A ação do ônibus-laboratório do projeto Ciência Itinerante em 2022 será híbrida: presencial e virtual em doze (12) municípios cearenses, mediante adoção de medidas de prevenção para a saúde pública local. O cronograma de viagens prevê a realização de duas (2) caravanas: a primeira entre os dias 14 e 18 de março de 2022, quando serão visitadas 3 cidades (saindo de Fortaleza na segunda-feira e percorrendo um município por dia regressando à capital na sexta-feira, tendo como Granja, Uruoca e Moraújo os municípios previstos) e a segunda caravana ocorrerá entre os dias 25 e 29 de abril (saindo de Fortaleza na segunda-feira e percorrendo um município por dia regressando à capital na sexta-feira, tendo como Acarape, Itapiúna e Chorozinho os municípios previstos). Apesar das adequações necessárias, avaliamos que o Projeto da SNCT, realizado pela SECITECE, tem enorme potencial para superação das edições anteriores, tanto na qualidade do público quanto no alcance de parceiros. A realização de dois grandes eventos de popularização (presenciais e virtuais) contribuirá para formação do pensamento crítico, da curiosidade científica, alimentando a convicção de que através da ciência, tecnologia e inovação pode-se melhorar as condições de vida na comunidade e no planeta. Estudantes e professores da educação básica, da Educação de Jovens e Adultos (EJA), educação profissional e tecnológica, da rede pública e particular de ensino, são o público prioritário das ações de popularização da Ciência. Estima-se que a utilização dos múltiplos recursos das plataformas de comunicação, potencializadas pelas novas tecnologias da informação permitirá a inclusão de mais pessoas. Vide projeto anexo
  • Secretaria da Ciência e Tecnologia do Estado do Ceará - CE - Brasil
  • 06/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Flaviane Romani Fernandes Svartman

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • variação e fraseamento prosódico em português: comparações entre variedades brasileiras e africanas
  • O projeto “Variação e fraseamento prosódico em português: comparações entre variedades brasileiras e africanas” tem como objetivo geral o estudo prosódico comparativo entre variedades do português brasileiro (PB) e variedades africanas de português faladas em Guiné-Bissau (PGB) e Angola (PA). No alcance desse objetivo geral, este projeto tem como objetivos específicos: a constituição de bases de dados anotados prosodicamente do PB, do PGB e do PA; (ii) a análise qualitativa e quantitativa desses dados, no que concerne ao estudo do fraseamento prosódico e da configuração dos contornos nucleares das sentenças que os compõem; (iii) a comparação, entre as referidas variedades de português, dos resultados obtidos da análise realizada; e (iv) a aplicação de modelagens estatísticas que garantam confiabilidade, em termos de relevância estatística, às conclusões extraídas a partir dos resultados quantitativos obtidos da análise dos dados. Com o desenvolvimento dessa pesquisa, pretendemos trazer contribuições: (a) para os estudos sobre prosódia e variação em português, tema que ainda merece ser melhor explorado pelos estudos linguísticos, no que diz respeito especialmente ao fraseamento prosódico e a entoação e considerando variedades africanas do português; e (b) para os estudos sobre prosódia das línguas românicas de uma maneira geral.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flavianne Fernanda Bitencourt Nóbrega

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • monitoramento e cumprimento das decisões do sistema interamericano de direitos humanos: investigação dos arranjos institucionais que favorecem e dificultam a sua implementação no brasil
  • Este projeto se propõe a investigar os arranjos institucionais que favorecem e dificultam a cumprimento das decisões do Sistema Interamericano de Direitos Humanos no Brasil. Para tanto, é proposta, em específico, uma pesquisa pioneira acerca do monitoramento da sentença inédita da Corte Interamericana do caso Xukuru versus Brasil para construção de indicadores de direitos humanos, que potencialmente possa ser replicado para outros casos no país e na América Latina. A coleta desses dados irá possibilitar análise do impacto do direito de propriedade coletiva na jurisdição brasileira e o alcance do controle de convencionalidade para a implementação plena deste novo direito aos povos tradicionais. Pretende-se, assim, incentivar uma cultura de monitoramento com esta produção científica para preencher a lacuna institucional de mecanismos de implementação das decisões da corte interamericana no âmbito doméstico.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávio Alves Damasceno

Ciências Agrárias

Engenharia Agrícola
  • plataforma de monitoramento remoto em tempo real do ambiente térmico e gasoso de instalações de gado de leite
  • Para países como o Brasil que é uns dos principais produtores e exportadores de leite e derivados no mundo, o atendimento as leis específicas que tratam do bem estar animal torna-se questão vital para que se atenda as imposições do mercado internacional de maneira a não restringir as exportações. Dentro dos processos de formação das leis, as adotadas pela Comunidade Européia são bastante avançadas. Nestas regulamentações busca se garantir o bem estar animal, levando-se em conta as reduções das concentrações dos gases gerados pela atividade, assim como das suas emissões. Para o caso dos países subtropicais e tropicais, como é o caso do Brasil, onde as unidades de produção animal em condições de verão trabalham a maior parte do tempo abertas, e com ventilação forçada, se conhece poucas metodologias ou estudos que mostrem a distribuição das variáveis do ambiente térmico, das concentrações de gases e do fluxo do ar, como uma base importante e segura para a determinação das emissões, e conseqüente inventario real para o pais, e que também levem a determinar taxas de ventilação mínima para aperfeiçoar as estruturas e garantir boas condições de bem estar animal e economia de energia nos processos de ventilação. Sistemas tradicionais de criação de bovinos de leite têm sido considerados grandes responsáveis pela emissão de gases causadores de efeito estufa (GEE) no setor da pecuária. Nesse contexto, o sistema compost barn (CBP) constitui uma alternativa promissora para amenizar a emissão de GEE, desde que o manejo da cama consiga controlar as condições de umidade e permita uma boa taxa de ventilação. Como resultados deste projeto, pretende-se desenvolver uma plataforma móvel, que monitore em tempo real, as variáveis do ambiente térmico e gasoso em instalações de gado de leite do tipo CBP, bem como desenvolver um sistema móvel para análise da distribuição do fluxo de ar que auxilie no manejo e secagem da cama, além de utilizar modelos computacionais para otimizar o sistema de ventilação.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Flávio Antonio Miranda de Souza

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • arranjos institucionais-territoriais, regimes urbanos e os grandes projetos estruturantes na região metropolitana do recife (rmr): mudanças e desafios ao desenvolvimento urbano-regional a partir das coalizões institucionais.
  • A presente proposta do projeto tem por objetivo atuar à frente da pesquisa da Rede Observatório das Metrópoles que é vinculada ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – INCT na área de estudos metropolitanos para o Brasil. Trata-se do estudo da caracterização dos regimes urbanos das metrópoles brasileiras, na qual o Núcleo Recife, tem por direcionamento analisar a Região Metropolitana do Recife (RMR) que tem como foco mostrar verificar os fatores econômicos, políticos e sociais da região, tendo como perspectiva relacional ao desenvolvimento urbano-regional os grandes projetos urbanos no Estado de Pernambuco. Por este motivo, é de sua importância analisar de forma teórica, metodológica e empírica essa dinâmica da globalização e das novas formas/práticas de (re)produção do espaço urbano capitalista na lógica das coalizões institucionais para os grandes projetos urbanos, pois essa lógica gera condicionante distintos para gestão pública de cada território, neste caso, a RMR. Sua relevância está no desenvolvimento da pesquisa que trabalha com a lógica dos regimes urbanos e suas relações e coalizões institucionais esse debate passará pelas instituições de ciência, tecnologia e inovação do Estado, principalmente as da RMR, que ainda são as principais instituições do Estado. Além disso, será desenvolvido um banco de dados sobre o Estado e mais especificamente a RMR do Estado de Pernambuco, nele terá informações, dados, ente outros sobe diversas variáveis, econômicas, sociais, ambientais, políticas, etc. Obviamente que haverá os indicadores e variáveis da ciência, tecnologia e inovação. Portanto, a compreensão dos impactos dos regimes urbanos na governança metropolitana da Região Metropolitana do Recife pode indicar uma nova construção de relações mais viáveis entres seus diversos atores e agentes para ter um melhor desenvolvimento econômico e social, pois por ela concentrar, boa parte, das ações econômicas do Estado, esse entendimento poderá proporcionar melhores construções institucionais para o desenvolvimento do Estado de Pernambuco.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flavio Aristone

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • reformulação de tecnologias sociais desenvolvidas para o aproveitamento da bocaiuva e do cumbaru
  • Tecnologias Sociais ajudam pessoas a resolverem problemas que lhe parecem muito difíceis, e que lhes limitam as atividades produtivas, com aplicação de soluções simples e de construção relativamente simples. Em geral, tecnologias sociais envolvem o desenvolvimento de equipamentos com de uso direto, sem o uso de sistemas complexos ou dificultosos. O uso de eletrônica, quando envolvido, fica transparente para o usuário final. Tecnologias sociais são aplicações diretas de sistemas mecânicos novos, mas relativamente simples, para problemas específicos que não atraem a atenção de grandes indústrias, devido à baixa demanda que lhes é característica. A proposta apresentada planeja revisitar os quatro equipamentos desenvolvidos para auxiliar a produção da farinha de polpa de bocaiuva, cuja demanda cresce a cada ano no Mato Grosso do Sul, e começa se espalhar por regiões do País. Esses equipamentos já existem naquilo que pode ser chamado de versão inicial, todos tendo sido desenvolvidos pelo mesmo coordenador desta proposta. Com o passar dos anos, melhoramentos foram sendo repensados e aplicados, e atualmente todo o conjunto precisa ser repensado para facilitar ainda mais suas aplicações e, assim, possibilitar a ampliação das comunidades interessadas em trabalhar com a bocaiuva. Um quinto equipamento será desenvolvido pela primeira vez, trata-se de um quebrador de castanhas de cumbaru. A semente do cumbaru, muito parecida com um grande amendoim, está sendo comercializada em vários pontos de venda de produtos naturais e sua demanda está em crescente demanda. No entanto, ainda não existe uma maquinário próprio para quebrar o endocarpo do cumbaru e separá-lo da semente que seja eficiente. A produção fica muito comprometida por falta desse equipamento, e várias comunidades solicitam que em sistema desses seja construído. A fabricação de um equipamento que atenda à necessidade de quebrar esse endocarpo será atendida. Já foram feitos estudos e desenhos de uma máquina que funcionará de acordo com os interesses dos quebradores de cumbaru. Este projeto será submetido à chamada CNPq nº 36/2018 – B para atender ao edital versando sobre Tecnologias Sociais.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 01/12/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Flavio Aristone

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • redução dos gases de efeito estufa e recuperação de pasto degradado: produção de alimentos e melhoria do meio-ambiente, a combinação perfeita
  • Atualmente existem no Brasil 50 milhões de hectares, aproximadamente, de pasto degrado espalhados por todo o território nacional. Essas áreas poderiam estar sendo usadas para a produção de alimentos de forma consistente e, assim, além de gerar riquezas, estariam contribuindo para a melhoria do meio-ambiente. A recuperação de áreas de pasto degradado contribui com outro fator fundamental para a melhoria de vida mundial, a diminuição efetiva de gases de efeito estufa na atmosfera. O objetivo das apresentações programadas para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia é mostrar como recuperar áreas degradas, gerando riqueza, fazendo inclusão social, e melhorando a qualidade do meio-ambiente em que vivemos. O Brasil é um grande líder mundial na questão de tecnologias modernas de produção agrícola, e agora o uso dessas tecnologias pode e deve ser usado para enfrentar o grave problema mundial das mudanças climáticas.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Flávio Augusto Senra Ribeiro

Ciências Humanas

Teologia
  • análise da produção científica da área ciências da religião e teologia/capes (2017-2020)
  • A pesquisa analisará a produção bibliográfica e técnica dos Programas da área Ciências da Religião e Teologia. Com base nos dados fornecidos pela CAPES, através da Plataforma SUCUPIRA, serão desenvolvidas tabelas, gráficos e nuvens de palavras para subsidiar as análises do perfil teórico-metodológico da produção bibliográfica e técnica da mencionada área. Serão tomados como referência para a referida análise os indicadores de avaliação da CAPES, o recente debate sobre os fundamentos epistemológicos das duas áreas de conhecimento e, por fim, sua correspondência com as oito subáreas da árvore do conhecimento em vigor. O projeto contempla as atividades de coordenação de área que o proponente exerce junto à CAPES. Neste sentido, a atualização da documentação que orienta e referencia a análise da produção da área compõe o escopo desse projeto. Neste sentido, pode-se igualmente compreender que o presente projeto propiciará para a área de Ciências da Religião e Teologia os dados qualificados e analisados para o Seminário de Avaliação de meio termo e para a Avaliação Quadrienal 2021, além de representar uma demarcação acerca do estado atual em que se encontra a área de avaliação do ponto de vista de sua autocompreensão e fazer científicos.
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022