Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Manhani Cáceres Assenço

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • desenvolvimento de habilidades comunicativas em contexto de distanciamento social: um estudo longitudinal
  • O desenvolvimento da linguagem é fundamental para o pleno desenvolvimento infantil e é apontado como uma medida de bem-estar na infância. Os seis primeiros anos de vida são vitais para tal desenvolvimento, o que exige condições biológicas e um ambiente de interação saudável. A pandemia de covid-19 alterou o padrão usual de interação social ao demandar o uso de máscaras e distanciamento social, o que poderá impactar o desenvolvimento de habilidades comunicativas das crianças. Tal impacto poderá ser refletido na redução da efetividade da triagem auditiva neonatal e dos índices de diagnóstico precoce de perdas auditivas; e no aumento de barreiras para este desenvolvimento devido ao uso de máscaras (redução sutil da intensidade da fala e perda de informações das expressões faciais), menor exposição a interações sociais em um período crítico e ao acesso precoce e excessivo de telas. Entretanto, ainda não há evidências científicas que comprovem que tal impacto trará prejuízos. Afinal, se por um lado temos restrições ambientais, por outro há evidências de que a plasticidade cerebral poderia criar novas conexões em resposta a eventos adversos. Assim, este projeto visa monitorar o desenvolvimento de habilidades comunicativas nos primeiros 36 meses de vida de crianças nascidas em contexto de distanciamento social. Tal objetivo se justifica pela compreensão de que se confirmado tal prejuízo, o aumento do diagnósticos de transtornos da linguagem configura uma questão de saúde pública com potencial para afetar toda uma geração. Assim, o projeto será desenvolvido de forma longitudinal e observacional, de acordo com as normas éticas e sanitárias vigentes. Será realizado cálculo amostral para garantir o poder estatístico dos resultados, bem como serão adotadas medidas de avaliação padronizadas no país (protocolos de relato dos pais, instrumentos de rastreio e de avaliação do desenvolvimento), além de dados demográficos e histórico de saúde.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Maria Baptista Menezes

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • prematuridade e doenças crônicas nao transmissiveis nos adultos jovens (30 anos) da coorte de nascidos vivos de 1993, pelotas, rs
  • Em 1998, Barker propôs que as doenças crônicas não transmissíveis (sigla em inglês: NCD) podem resultar não somente da genética ou estilo de vida não saudável do indivíduo, como também do desenvolvimento intrauterino e do pós-natal imediato. A partir daí, várias pesquisas buscam mostrar a relação entre condições de nascimento desfavoráveis e doenças crônicas tardias. O presente projeto visa avaliar a associação entre prematuridade nos membros da coorte de nascimento de 1993, Pelotas, RS, com desfechos tardios nestes participantes aos 30 anos de idade. A informação sobre idade gestacional foi obtida ao nascimento sendo prematuridade definida como os nascidos de mães com <37 semanas de gestação. Na próxima visita da coorte, aos 30 anos (ano de 2023), serão avaliados desfechos como doenças cardiovasculares, pulmonares, déficit de atenção (TDAH), violência, dentre outras, através de proxys para essas futuras doenças ja que são adultos jovens. Através de alguns exames como função pulmonar, pressão arterial, ultrassom de carótida, IMC, composição corporal por DXA e BOD Pod, assim como a informação por questionários (red cap) sobre dieta, atividade física, saúde mental e violência poderemos detectar, precocemente, alterações para futuras doenças. Há evidência de países de alta renda que prematuros estão em risco de doenças em longo prazo. No nosso meio, sabe-se pelas quatro coortes de nascimento de Pelotas (1982, 1993, 2004 e 2015) que a prevalência de prematuridade aumentou de 5,8% em 1982 para 13,8%, em 2015. Acredita-se que esta epidemia de pré-termos esteja diretamente ligada à epidemia da cesária. Nossa hipótese é de crianças nascidas pré-termo estão em maior risco de desenvolverem doenças na vida adulta comparadas a crianças nascidas a termo. A estratégia metodológica para este projeto é o fato de termos uma coorte de nascimento prospectiva e de base populacional com informações desde o nascimento e seguimento da mesma em várias idades ao longo do ciclo vita
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Maria Benko Iseppon

Tecnologias

Desenvolvimento Tecnológico e Industrial
  • bioinformática, ômicas e biotecnologia aplicadas ao feijão-caupi visando à resistência contra patógenos e pragas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Ana Maria Benko Iseppon

Ciências Biológicas

Genética
  • big-data e computação em nuvem na identificação de substâncias bioativas inspiradas na flora da caatinga e da mata atlântica
  • Nos últimos 15 anos houve avanços significativos nas tecnologias de sequenciamento de ácidos nucleicos. Tais sequências são atualmente obtidas com rapidez, maior precisão e cobertura de até centenas de vezes para cada genoma de interesse. Esses avanços abriram oportunidades para estudo de espécies não-modelo que até então permaneciam à margem dos avanços das ciências ômicas. Por outro lado, o acesso facilitado a essas tecnologias resultou em uma proliferação sem precedentes de dados, com ênfase para genomas e transcriptomas. Tais dados, por sua vez, necessitam de tratamento analítico para que sejam disponibilizados em bancos de dados em benefício de diversos grupos e da comunidade em geral. Após processamento os dados precisam ser integrados a outros dados de ômicas, dados laboratoriais (wet-lab) ou mesmo dados fenotípicos, em bancos de dados integrados, tornam-se ainda mais complexos. Cada novo gene-candidato pode ser analisado em um contexto estrutural e evolutivo, bem como seus produtos codificados, as proteínas, as quais ainda demandam análises sobre sua estrutura secundária e terciária, sua estabilidade (modelagem) em diferentes ambientes (dinâmica molecular) ou ainda a modelagem de sua interação com seus celulares ou moleculares. No conjunto essas análises estão entre as mais complexas da ciência moderna, podendo ser classificadas como Big Data. Nosso grupo dispõe de transcriptomas e genomas de plantas, seus patógenos e microbiontes, analisados de forma integrada e isolada, havendo grande demanda por acesso a recursos de computação em nuvem. Plantas possuem os maiores e mais redundantes genomas de nosso planeta, suportando grandes mudanças na dinâmica e proporção entre DNA codificante e não codificante. Tal plasticidade resulta em um número significativo de isoformas proteicas com funções específicas, observadas para várias categorias moleculares, com ênfase para famílias proteicas associadas à resposta a estresses bióticos. O Brasil apresenta alta biodiversidade, mas ainda são escassas as pesquisas abordando aspectos genéticos e moleculares das plantas e microrganismos em ambientes neotropicais, sendo essa carência ainda maior quanto às espécies ocorrentes no Nordeste Brasileiro. Essa região se destaca por abrigar os domínios da Mata Atlântica e da Caatinga, com diversas formações vegetacionais como os brejos de altitude, as restingas, manguezais, cerrado, matas úmidas, bem como diversas subcategorias da caatinga, sendo a região considerada um dos centros mundiais de biodiversidade. Os grupos proponentes deste projeto têm trabalhado em análises de genômica funcional e estrutural envolvendo plantas, patógenos microbianos e estresses ambientais importantes para a região nordeste. Nesse sentido, temos identificado e avaliado genes/proteínas candidatos para o entendimento das relações planta-patógeno e planta-ambiente, avaliando seu potencial biotecnológico. Os estudos incluirão prospecção de transcriptomas já gerados pelo nosso grupo a partir de espécies altamente adaptadas às condições estressantes do nordeste Brasileiro, incluindo uma leguminosa arbórea conhecida popularmente como ‘Catingueira’ (Cenostigma pyramidallis), uma leguminosa arbustiva do semiárido (Stylosanthes scabra), além de uma espécie amplamente usada na medicina popular (Calotropis procera. Todas as três espécies chamam a atenção pelas condições extremas de estresse que conseguem suportar, sendo consideradas potenciais doadoras de genes/proteínas bioativas. Também dispomos de transcriptomas de plantas cultivadas, como a videira (Vitis vinifera) e o feijão-caupi (Vigna unguiculata), sob condições de estresse biótico (interação com bactéria, vírus e fungo, respectivamente) e abiótico (déficit hídrico e salinidade). Os transcriptomas já foram processados, anotados e ancorados em genomas de referência, estando esses dados e os proteomas conceituais disponíveis em plataformas multiusuários. Além desses, acabamos de sequenciar 12 genomas completos de plantas superiores incluindo além das espécies acima citadas, a planta medicinal conhecida como Velame (Croton heliotropiifolius) conhecida por sua atividade antimicrobiana, anti-inflamatória, antifebril para uso tanto externo como no sistema gastrointestinal, incluindo também compostos com atividade larvicida. O presente projeto avaliará o potencial biotecnológico de categorias moleculares específicas, incluindo peptídeos antimicrobianos, fatores de transcrição e genes da resposta cruzada (responsíveis tanto a estresses bióticos como abióticos) nas plantas citadas. Também sequenciamos 150 genomas completos de fitopatógenos, cujas ilhas de patogenicidade e virulência estão sendo identificadas para docagem de seus efetores contra genes de resistência de plantas em estudo. Após análises bioinformáticas, as inferências biotecnológicas incluirão expressão heteróloga testes in vitro e in vivo de proteínas e peptídeos isolados ou sintetizados. Já dispomos de 80 peptídeos-candidatos selecionados entre milhares de genes diferencialmente expressos e exclusivos das plantas em análise (dos quais três foram recentemente submetidos a patenteamento). Ao final do estudo pretendemos ter desenvolvido no mínimo duas plantas transgênicas expressando genes de defesa contra patógenos, além da expressão heteróloga e síntese de peptídeos antimicrobianos cuja atividade será avaliada in vitro e in vivo com vistas a seu patenteamento. Alguns peptídeos antimicrobianos serão modificados e reduzidos visando à otimização de sua atividade contra patógenos humanos e vegetais. Os melhores candidatos serão avaliados quanto à sua toxicidade, mutagenicidade e antimutagenicidade considerando a geração de fármacos antimicrobianos. Sendo assim, é de essencial importância a aprovação deste projeto para processamento, pré-armazenamento e facilidade de disponibilização de nossos Big Data apresentados. No presente projeto está sendo incluída toda a equipe responsável pelas análises de bioinformática.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 31/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Ana Maria Caetano de Faria

Ciências Biológicas

Imunologia
  • impacto da imunossenescência no desfecho da covid-19
  • Uma das questões críticas no controle da pandemia de COVID-19 é o entendimento sobre a patogênese da forma grave da doença e dos grupos de risco. Vários estudos mostram que a doença grave resulta de uma reação de hiperinflamação com lesão de vasos e órgãos. Nossa hipótese de trabalho é que as alterações imunológicas ligadas à senescência (o inflammaging de citocinas, o declínio na função de linfócitos, a redução do repertório de imunoglobulinas e a disbiose) resultam em resposta imune disfuncional na infecção pelo SARS-COv-2. Indivíduos de áreas endêmicas para doenças infecciosas crônicas (Governador Valadares, MG) e ou com comorbidades inflamatórias (obesidade, disbiose, doenças inflamatórias crônicas, coinfecções virais) teriam maior risco para a COVID-19 grave devido à aceleração da imunossenescência. Para testar a hipótese, avaliaremos o perfil de imunossenescência em adultos (20-60 anos) e idosos (>60) positivos para SARS-Cov-2 de Belo Horizonte, Governador Valadares e São Paulo: 1)perfil de citocinas no plasma; 2)fenótipo de senescência em linfócitos T, B e células NK; 3)repertório de imunoglobulinas; 4)composição da microbiota intestinal; 5)idade epigenética pela metilação do DNA genômico; 6)presença de comorbidades inflamatórias. Avaliaremos se o perfil de imunossenescência se correlaciona com a forma grave da COVID-19. Biomarcadores hematológicos e sorológicos de fácil acesso serão correlacionados com esse perfil para viabilizar o seu uso na clínica e pelo SUS. Serão incluídos ainda 3 grupos de indivíduos: vacinados, co-infectados com HIV para testar o efeito da co-infecção viral na imunossenscência e um grupo com amostras de sangue colhidas nos dias 0 e 7 após o diagnóstico de COVID-19 para avaliar se a doença acelera a imunossenescência. Nossos dados serão comparados com dados obtidos em Portugal e Alemanha. Este estudo pode ajudar a identificar biomarcadores de imunossenescência para prever o risco de doenças virais graves e o envelhecimento saudável.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Maria D´Ávila Lopes

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • parâmetros ético-jurídicos para a proteção dos neurodireitos humanos perante os avanços da interface neurociência/inteligência artificial: quando a tecnologia ameaça a dignidade humana
  • Atualmente, a neurociência vem se desenvolvendo em um ritmo extraordinariamente acelerado, oferecendo inúmeros benefícios à humanidade. Essa celeridade e quantidade de benefícios trazidos pela neurociência potencializa-se quando associada à inteligência artificial, deixando ultrapassadas as leis e levantando questionamentos ético-jurídicos sobre suas implicações, tendo em vista sua capacidade para alterar as funções do encéfalo e, consequentemente, o comportamento humano. Nesse contexto, o presente projeto visa propor a construção de parâmetros ético-jurídicos que auxiliem o Poder Judiciário a solucionar casos envolvendo os neurodireitos humanos, de modo a garantir um equilíbrio entre o irrenunciável respeito à dignidade humana e o imparável avanço da interface inteligência artificial/neurociência. Para tal, formou-se uma equipe com professores doutores da Universidade de Fortaleza (Ana Maria D’Ávila Lopes, Antonio Jorge Pereira Júnior, Ana Virgínia Moreira Gomes e Francisco Luciano Lima Rodrigues), do Centro Universitário Christus (Denise Almeida de Andrade), da Universidad Austral de Chile (Felipe Paredes) e da Universidad Externado de Colombia (Julian Tole). Desse modo, será inicialmente realizada pesquisa bibliográfica na doutrina nacional e estrangeira visando a construção de um arcabouço teórico sobre a interface inteligência artificial/neurociência e suas implicações para os neurodireitos humanos. Seguidamente, a legislação e jurisprudência comparadas e internacionais relativas à regulação da neurociência e da inteligência artificial serão levantadas e analisadas, no intuito de identificar experiências que possam contribuir para aprimorar nosso próprio ordenamento jurídico. Finalmente, com base nos dados levantados, serão formulados parâmetros ético-jurídicos que possam guiar o Judiciário diante da interface inteligência artificial/neurociência em harmonia com o princípio da dignidade, de modo a garantir o pleno respeito dos neurodireitos de todo ser humano.
  • Universidade de Fortaleza - CE - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Maria Eyng

Ciências Humanas

Educação
  • educação e bem-estar: gestão participativa da melhora da qualidade de vida na escola e na comunidade
  • A pesquisa se referenda nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS da agenda 2030 que integra no plano de ação as pessoas, o planeta, a prosperidade e na portaria nº 1.122/2020 que define as prioridades para projetos de pesquisa no desenvolvimento de tecnologias e inovações, para o período 2020-2023 (BRASIL, 2020). O projeto problematiza as correlações entre educação e garantia de direitos na construção coletiva do bem-estar de todos (as) no contexto escolar e comunitário. As metas são: Mapear as concepções sobre bem-estar de estudantes, profissionais da educação e familiares dos estudantes, em contextos pós-pandemia covid-19; Relacionar a garantia de direitos nos cotidianos das infâncias e adolescências com as percepções sobre bem-estar enunciadas coletivamente; Identificar estratégias para formação de profissionais na promoção e fortalecimento coletivo do bem-estar das gerações atuais e futuras; Promover a construção corresponsável de tecnologias para o desenvolvimento sustentável e melhora da qualidade de vida no contexto escolar e comunitário. A metodologia participativa triangula via análise interpretativa, aspectos científicos conceituais, normatizações de políticas públicas aos argumentos dos sujeitos, num projeto de pesquisa social aplicada, conforme quadro de referência da metodologia SPIRAL (Societal Progress Indicators for the Responsability of All), lançada em 2005 pelo Conselho da Europa (Rede TOGETHER, 2021). A sistematização dos dados pela metodologia Spiral mapeará as contribuições que exprimam as similitudes e diferenças entre grupos e categorias de sujeitos e instituições participantes. Os impactos e resultados aplicados ao desenvolvimento de pedagogias e tecnologias podem ser agrupados em duas categorias: materiais e imateriais que se apliquem aos conhecimentos, ações e produtos construídos mediante esforços em rede para a melhora das condições de bem-estar das gerações atuais e futuras.
  • Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PR - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Maria Fernandes

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • reforma urbana e suas circunstâncias em países da américa latina nos anos 1950-1970: a construção e as opacidades de uma bandeira de política urbana
  • Busca-se compreender como se constitui um campo reformador na esfera da política urbana em países da América Latina (AL) no período 1950-70. A Reforma Urbana, tema marcadamente latino-americano, arrebatou debates, ações e corações em países do continente, mobilizando agentes políticos e sociais, instituições, financiamentos e experiências que atravessaram tanto os campos mais conservadores quanto os mais progressistas. Herdeira de anseios e proposições anteriores, a Reforma Urbana será tributária direta do reposicionamento frente aos desafios colocados pelas cidades e da experiência cubana, primeiro país a objetivar esse novo campo da reforma social como formulação e como prática. Na tensa conjuntura do pós 2a. Guerra Mundial, o conceito de AL emerge em novo registro teórico, político e cultural e ideias de subdesenvolvimento e planejamento, em espaço já marcadamente latino-americano, exploram possibilidades de transformação das realidades nacionais marcadas pela urbanização acelerada, desigual e concentrada. A cidade assume protagonismo socioespacial e estratégico da organização territorial. Ao mesmo tempo, se desenvolvem lutas como as campesinas e indígenas, ainda opacas em seus vínculos ou divergências com a pauta urbana. As áreas de AU e PUR têm se debruçado sobre essa temática no Brasil e contribuído de forma significativa, sobretudo para o período pré e pós Constituição de 1988. Ao nos concentrarmos nos anos 1950-1970, problematizamos a ideia ampla de reforma urbana que articula países da AL, tradições de pensamento, temporalidades de ação e diversas experiências e sujeitos sociais Metodologicamente, propomos percorrer os processos amplos de elaboração, difusão e apropriação da ideia de reformas como política; precisar a questão urbana e seus limites; e especificar a aliança entre agentes e instituições - políticos, profissionais, de conhecimento - insinuando o que podemos chamar de construção de um campo da reforma urbana próprio ao contexto latinoamericano.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Maria Malik

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • covid-19 e o sistema de saúde brasileiro: análise de respostas em âmbito nacional, estadual e municipal
  • A presente pesquisa tem como objetivo geral analisar a resposta do sistema de saúde brasileiro à pandemia COVID-19. Como objetivos específicos, pretende-se descrever de maneira geral como se caracteriza a resposta nacional do sistema de saúde brasileiro à COVID-19; identificar diferentes modos organização da resposta em âmbito estadual e municipal no Brasil; explorar experiências e práticas inovadoras selecionadas em estados e municípios que tiveram bons resultados no controle da doença e ampliação da resiliência do sistema de saúde.
  • Fundação Getúlio Vargas - RJ - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022
Foto de perfil

Ana Maria Paim Camardelo

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • influência do envelhecimento humano na execução das atividades do catador de resíduos sólidos urbanos
  • O envelhecimento no mundo vem se ampliando significativamente. O Brasil acompanha este cenário. Estudo da FGV Social (2020) aponta que o aumento das pessoas com 65 anos ou mais na população brasileira foi de 20% se comparado com 2012, quando a proporção de idosos era de 8,8%, o que significa a necessidade de continuidade de estudos. Com a desigualdade social que assola o País, o desafio de se pensar alternativas que favoreça o envelhecimento digno é enorme, especialmente para populações historicamente vulneráveis, como os catadores, que retiram dos resíduos sua subsistência e estão submetidos a riscos ocupacionais de diferentes naturezas. Destaca-se que estes prestam trabalho ambientalmente indispensável, porém, sofrem com preconceitos, o que aumenta a situação de vulnerabilidade social. Em pesquisa realizada em Caxias do Sul, Camardelo e Stedile (2016) evidenciaram um percentual importante de velhos (10%). São na maioria casados, de baixa escolaridade, do sexo feminino e 4% são analfabetos. Segundo o IPEA (2013), esta população no Brasil acima de 70 anos está próxima a 6,5% e 20,5% são analfabetos. Outro fator importante é que 70% não contribuíam com o INSS, ficando sem rendimentos em caso de doença ou acidentes. Considerando esses aspectos, o problema a ser abordado: Quais os impactos do processo de envelhecimento para o próprio catador na realização do trabalho e para o grupo de trabalho, a partir da percepção deles? O objetivo geral é identificar impactos do processo de envelhecimento para o próprio catador na realização do trabalho e para o grupo de trabalho, a partir da percepção dos próprios trabalhadores, com vistas a contribuir na formulação de políticas públicas a esse público. A pesquisa é qualitativa e de campo, realizada nos locais de trabalho (13 associações). Os dados serão coletados por meio de entrevistas em profundidade com os catadores e por observação direta intensiva dos locais e processos de trabalho e serão tratados por análise de conteúdo.
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 28/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Almeida de Pereira

Ciências Humanas

Psicologia
  • intervenção neuropsicológica de pessoas com complexo da esclerose tuberosa
  • O Complexo da Esclerose Tuberosa (CET) é uma doença genética de herança autossômica dominante, caracterizada pela formação de tumores benignos em múltiplos órgãos. Devido às frequentes lesões no cérebro, são observadas crises epilépticas, dificuldades de aprendizagem, déficits cognitivos e alterações comportamentais. A equipe multidisciplinar do Centro de Neuropediatria do Complexo do Hospital de Clínicas da UFPR (CENEP) mantém um ambulatório para assistência a este grupo clínico desde 2015. Avaliação do perfil cognitivo identificou deficiência intelectual e déficits em memória, atenção e funções executivas em 50% desses indivíduos. A literatura aponta que os transtornos neuropsiquiátricos associados ao CET (TAND) são os que mais impactam a qualidade de vida desses pacientes. Em 2021, as diretrizes para critério diagnóstico de CET foram revisadas e o desenvolvimento de intervenções de manejo para o TAND priorizadas. O presente projeto de pesquisa propõe investigar as diferenças neurocognitivas e comportamentais entre pacientes com CET e desenvolver um programa de intervenção neuropsicológica adequado ao contexto sociocultural brasileiro, específico para pessoas com CET em diferentes faixas etárias. Cem participantes serão recrutados no CENEP e em plataformas de mídia social. O diagnóstico clínico de CET será o critério de inclusão. Estudo genético (TSC1 e TSC2) será realizado. As principais variáveis estudadas serão idade, escolaridade, perfil genético e quadro clínico em relação às variáveis neuropsicológicas e comportamentais (TAND). Para viabilizar o estudo sobre as intervenções neuropsicológicas adequadas para cada nível de desenvolvimento, o grupo clínico será dividido em quatro subgrupos de acordo com faixas etárias: G1 (zero a 6 anos), G2 (7 a 13 anos), G3 (14 a 20 anos) e G4 (21 a 35 anos). A pesquisa terá três etapas: avaliação neuropsicológica, intervenção para o TAND nos diferentes grupos etários e avaliação do programa de intervenção.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Barbosa-Fohrmann

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • sobre o cuidado e a dependência das pessoas com deficiências cognitiva ou psicossocial: refletindo sobre a sua vulnerabilidade
  • Neste projeto, recortamos, como objeto de pesquisa, as diferentes respostas dadas pelas teorias éticas do cuidado e da dependência à questão da condição de vulnerabilidade de pessoas com deficiências cognitivas ou psicossociais, destacando-se pessoas com Alzheimer e as com esquizofrenia. O projeto possui duas partes, uma de cunho prático, e uma de cunho teórico. Na primeira parte, o principal objetivo é explorar e delimitar conceitos essenciais à ética do cuidado, como aqueles ligados à dependência (utilizando como marco teórico a posição de Alasdair MacIntyre), à vulnerabilidade - expressão frequentemente usada, essencial à ética do cuidado, mas ainda muito abstrata, havendo especial interesse em investigá-la – e à empatia (partindo de Michael Slote, Eva Kittay, Todd May e Onora O’neill), à autonomia (em Michael Quante) e ao paternalismo (em Thomas Gutmann). Na segunda parte, entrevistaremos pessoas com deficiências cognitivas ou psicossociais, seus familiares, cuidadores e cuidadoras, e buscaremos compreender como elas são percebidas, tratadas (consideradas), e como elas próprias se percebem e concebem suas experiências. A metodologia, aqui, será a fenomenológica – que parte de Merleau-Ponty e aloca o corpo como sujeito, em contraposição à dicotomia cartesiana de corpo-mente –, para (i) descrevermos as entrevistas/narrativas; (ii) interpretarmos esses relatos a partir do arcabouço teórico construído; e (iii) darmos a eles significado. Nossa expectativa é que, com isso, sejamos capazes de propor novos modos de cuidado, que direcionem as políticas públicas no âmbito da saúde, não apenas com relação àqueles pacientes que sejam cuidados diretamente pelo Estado, como, também, por meio da disseminação de informações para que familiares, pessoas próximas e profissionais da saúde de um modo geral se tornem mais preparados para compreender a vulnerabilidade de pessoas em sofrimento psíquico ou com deficiência cognitiva, assegurando, ao máximo, o cuidado digno delas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 02/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Bispo da Silva

Ciências Humanas

Educação
  • a história de teorias, modelos e objetos como cenário para a formação de professores(as) de ciências
  • Há décadas a pesquisa sobre formação de professores(as) de ciências encontra-se no dilema entre teoria e prática; conteúdos e abordagens; contextos e especificidades; e outros paradoxos da realidade escolar. Somam-se a isso as políticas educacionais que parecem estabelecer objetivos para o futuro professor que vão muito além do que o currículo e o prazo de uma licenciatura permitem. Neste sentido, este projeto entende que os programas institucionais para a docência e para a pesquisa permitem, em ambientes de grupos de pesquisa, complementar a formação do(a) professor(a), incentivando uma formação crítica a partir da investigação e da prática reflexiva. Assim, este projeto pretende utilizar um espaço de laboratório para, a partir da investigação sobre o desenvolvimento de teorias, modelos e objetos, criar um ambiente para a formação de professores(as) de ciências exercitarem sua prática reflexiva através de diferentes abordagens. Entendemos como objeto de investigação em nosso laboratório a ciência canônica, e também os conhecimentos invisibilizados presentes em tradições orais e materiais, como brinquedos, artesanatos, narrativas decoloniais, sertanejas, femininas, masculinas e não-binárias. Quanto às abordagens, consideramos aquelas que a equipe possui expertise, como: abordagem histórica-investigativa; ciência e arte; modelagem matemática e resolução de problemas, narrativas históricas e a interface ensino de ciências e divulgação científica. Através de um acompanhamento sistemático do processo de envolvimento de diferentes atores no projeto, pretende-se responder as questões de pesquisa: que elementos a prática investigativa permite acrescentar na formação de professores (as) de ciências? De que forma tais elementos refletem na atuação dos futuros professores(as) de ciências durante seu exercício de docente? Como metodologia de pesquisa utilizaremos a de natureza qualitativa, com foco no processo (DBR), e a análise de conteúdo ou análise textual discursiva.
  • Universidade Estadual da Paraíba - PB - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Paula Corona

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • prevalência da perda auditiva e fatores associados: estudo populacional em salvador - bahia
  • A perda auditiva (PA) é um problema de saúde pública que afeta, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 20% da população mundial, com maior concentração em países de baixa e média renda, onde há limitado acesso a diagnósticos e intervenções de saúde. Quando não tratada, a PA pode impactar negativamente na comunicação, cognição, educação, inserção e manutenção no trabalho e saúde mental, gerando custos anuais superiores a 980 bilhões de dólares, os quais poderiam ser evitados com a identificação precoce e intervenções reabilitativas. O relatório sobre audição (OMS, 2021) alerta para a necessidade de fortalecer os cuidados relacionados com a PA na população, considerando o aumento estimado deste agravo em 1,5 vezes nas próximas décadas, bem como a fragilidade dos sistemas de saúde exposta pela pandemia COVID-19. No Brasil, dados populacionais sobre a PA são escassos, sendo sua prevalência geralmente estimada a partir da autorreferência ou de testes audiológicos com grupos específicos. Soluções tecnológicas têm sido apontadas pela OMS como alternativas para a identificação da PA em grandes populações. Dentre estas, destaca-se o aplicativo para dispositivos móveis hearTest, o qual pode ser utilizado em ambientes não clínicos, com boa acurácia e baixo custo. Considerando a limitação de dados a respeito da saúde auditiva da população brasileira e mudanças epidemiológicas e socioeconômicas, possivelmente potencializadas pelo contexto pandêmico atual, o objetivo deste estudo é estimar a prevalência da PA e fatores associados na população de Salvador-Bahia, colaborando para implementação e fortalecimento de políticas públicas. Para tanto, será conduzido um estudo epidemiológico de corte transversal, exploratório, de base populacional, com uma amostra aleatória e representativa (n=1843). Será aplicado em domicílio, com o apoio de equipes da Atenção Básica, questionário sobre dados sócio demográficos e condições de saúde e realizada avaliação auditiva com o hearTest.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Paula Couto da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • procores - caracterização e modelagem de processos de contágio em redes sociais de diferentes domínios
  • Redes sociais são a base da organização da sociedade, formadas por 2 elementos: pessoas e suas conexões (ex. familiar, amizade, trabalho). Tal combinação resulta em estruturas simples ou extremamente complexas. Em especial, conexões representam padrões de ligações que podem ser efêmeras/duradouras, casuais/intensas e pessoais/anônimas. Atreladas a elas, estão processos de contágio ou fluxos que passam pelas ligações entre as pessoas -- ex., doença, dinheiro, conhecimento, comportamento, obesidade. Para modelar redes e contágio, a maioria das soluções atuais utiliza grafos. Porém, eles não são totalmente realistas, e novos modelos de processos de contágio devem permitir: representação de diferentes classes de indivíduos e conexões, ligação entre processos e ocorrência concomitantes, e conexões com dois ou mais indivíduos ao mesmo tempo. Entender como conexões são formadas e como os tipos de fluxos permeiam tais redes é fundamental para entender como nossa sociedade se organiza e evolui. O objetivo é propor modelos matemáticos, estatísticos, de agentes e de aprendizado de máquina que consideram: múltiplos aspectos complexos de processos de contágio social e parametrização através de fontes de dados (ex., redes sociais online, mobilidade, colaborações). Tais modelos devem permitir classes de indivíduos e relacionamentos; modelar a co-ocorrência, causalidade e ligação entre processos de contágio; e representar multi-relacionamentos. Com o avanço de tecnologias e a experiência desta equipe em modelagem de redes sociais, gerenciamento de grandes volumes de dados, aprendizado de máquina e recuperação de informação, o objetivo é plausível. A metodologia inclui coleta de dados, definição das contribuições, aplicação e validação em problemas reais e pertinentes, e divulgação ampla de resultados. Este projeto também visa fortalecer a cooperação entre seus pesquisadores, a formação de recursos humanos e o desenvolvimento de aplicações de interesse para a sociedade.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Paula Dalla Corte

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • lid4 - estimativas em inventários florestais: nova era com sensores lidar
  • As florestas ocupam mais de 60% do Brasil sendo distribuídas em diferentes biomas. Na Mata Atlântica, as florestas nativas são fragmentas e, entender suas dinâmicas é essencial para a sua conservação e preservação. O inventário florestal (IF) é a ferramenta para gerar informações quantitativas e qualitativas dos ambientes florestais. No IF, coletadas informações em campo de cada indivíduo presente nas unidades amostrais. No entanto, apesar de fornecerem informações valiosas e necessárias, são trabalhosos, caros e limitados. O LiDAR - Light Detection and Ranging (full-waveform-FW e discrete return-DR), comprovou-se poderoso para aplicação em IF. Incorporar dados de câmeras multiespectrais nestas análises vêm sendo tendência em estudos florestais. Porém, não existem protocolos metodológicos unificados para incorporação destas tecnologias em IF. A hipótese deste projeto é que o LiDAR (FW e DR) podem gerar/substituir as estimativas de área basal, volume, biomassa e carbono, geradas por IF e que, protocolos metodológicos de IF podem ser desenvolvidos. Ainda deve-se avaliar se será possível o reconhecimento de padrões de biodiversidade de florestas nativas. Nas 4 áreas de pesquisa serão usados dados do LiDAR orbital GEDI e de UAV-LiDAR GatorEye. Câmera multiespectral serão integradas visando avaliar a possibilidade de análise da biodiversidade dos fragmentos florestais a partir das mesmas. IF serão realizados para validar as informações produzidas. Algoritmos serão desenvolvidos para o reconhecimento automático de Araucaria angustifolia e a produção de pinhas nas árvores fêmeas. Serão desenvolvidos protocolos metodológicos para predição das variáveis qualitativas e quantitativas que tiveram potencial nas estimativas via sensores remotos.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Del Vesco

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • ambiente materno e inicial sobre a capacitação da progênie para responder aos desafios futuros
  • A produção de pintainhos de boa qualidade depende da genética da matriz e também de condições ambientais que atuam para potencializar ou reduzir o potencial genético. Dessa forma, este trabalho visa possibilitar o melhor entendimento de como o efeito do ambiente materno e inicial pode ser alterado através de mecanismos epigenéticos para produzir efeitos benéficos na progênie, e como estes efeitos podem influenciar na capacidade dos filhos em responder às condições ambientais no futuro. Como os mecanismos epigenéticos são transferidos para as gerações seguintes, a epigenética intergeracional e transgeracional tem se tornado uma área promissora para atuar na compreensão da variação das respostas fisiológicas dos indivíduos ao meio ambiente. Estudos sobre o tema mostram que o transcriptoma das aves pode ser reprogramado pela manipulação de diferentes fatores durante a fase inicial causando alterações de longo prazo. Para atender nossos objetivos serão conduzidos 2 experimentos: Experimento 1- Efeito do grupo materno sobre o desenvolvimento embrionário e inicial de codornas de postura; O experimento 1 será desenvolvido sob a hipótese de que mães que conseguem ser mais produtivas durante o desafio por estresse por calor apresentam genética superior que pode garantir melhor desenvolvimento embrionário e melhor desempenho inicial para sua progênie; e Experimento 2- Efeito da interação entre genética materna e fatores da incubação sobre a capacitação da progênie para responder os desafios de seu ambiente durante a fase de crescimento. Serão testadas as hipóteses: (1) mães mais produtivas apresentam genética superior que pode garantir melhor desenvolvimento embrionário e melhor desempenho para sua progênie mesmo em condição de estresse; (2) A genética da mãe pode interagir com a modulação térmica que ocorre durante a incubação; (3) Os mecanismos de regulação gênica podem ser herdados da mãe e/ou adquiridos durante a incubação e atuar sobre o desenvolvimento da ave adulta.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Dias Turetta

Outra

Ciências Ambientais
  • paisagens funcionais em tempo de mudanças climáticas: co-criação de soluções para o desenvolvimento urbano sustentável em regiões serranas na mata atlântica
  • O processo de urbanização das cidades é considerado um dos maiores processos de mudança no uso da terra, que impacta de forma intensa o ambiente através da crescente demanda por recursos naturais, expondo desafios econômicos, sociais e ambientais para sua gestão. Tais impactos são ainda mais intensos quando consideramos os efeitos das mudanças climáticas relacionados ao número de eventos climáticos extremos, como inundações, secas, tempestades e aumento na propagação de doenças tropicais. Tudo isso tem impactos onerosos sobre os serviços básicos das cidades, tais como infraestrutura, habitação e saúde. No entanto, ao mesmo tempo que as cidades sofrem com os efeitos das mudanças climáticas, elas também contribuem com tais efeitos, uma vez que atividades urbanas são importantes fontes de emissões de gases de efeito estufa (GEE). Estimativas sugerem que as cidades são responsáveis por 75% por cento das emissões globais de CO2. Soma-se a esse cenário outro importante emissor de GEE, a mudança de uso da terra. Um exemplo é a conversão de áreas de uso rural, localizadas no entorno imediato do perímetro urbano, em áreas de uso urbano, como resultado de um dos processos de expansão das cidades pela ampliação do seu perímetro. Isso confere ao processo de expansão das cidades um mosaico de espaços urbanos e rurais, cenários políticos, sociais e culturais. A esse mosaico chamamos de paisagens funcionais múltiplase, assim, ao propor soluções eficazes para a adaptação às mudanças climáticas precisamos considerar essa complexidade de usos da terra e suas interações. A comunidade científica em conjunto com a sociedade civil tem se mobilizado para promover soluções para a adaptação às mudanças climáticas em ambiente urbano. Existe um consenso de que o engajamento dos diversos atores e abordagens transdisciplinares tornam essas soluções mais realistas e eficazes quando construídas de forma participativa. Nesse contexto de paisagens multifuncionais e processos participativos que a presente proposta se apresenta, tendo como estratégia a avaliação integrada de aspectos relacionados à co-criação de soluções para a o desenvolvimento urbano sustentável em regiões serranas da Mata Atlântica. Áreas montanhosas enfrentam uma pressão social crescente devido ao turismo em massa e ao aumento de intensidade e frequência dos desastres naturais desencadeados pelas mudanças climáticas. Portanto, o desenvolvimento de estratégias adequadas à gestão dos riscos socioambientais é fundamental para garantir a sua habitabilidade. A nossa hipótese é de que paisagens funcionais resilientes, que extrapolam os limites urbanos, protegem as cidades de efeitos severos relacionados às mudanças climáticas. Além disso, a partir de sistemas agrícolas sustentáveis é possível garantir serviços essenciais à população urbana/rural relacionados à segurança alimentar e hídrica.Para testar a nossa hipótese trabalharemos no município de Nova Friburgo, região serrana do Estado do Rio de Janeiro de forma integrada a uma potente rede de parceiros que integra representantes de instituições de pesquisa e desenvolvimento, universidades, extensão rural e colegiado de gestão de recursos hídricos, que facilitará o diálogo entre setor técnico-científico e comunidade promovendo o desenvolvimento conjunto de soluções. Alguns parceiros possuem histórico de atuação na área com atores locais como o Núcleo de Pesquisa e Treinamento para Agricultores (NPTA), resultado da parceria entre a Prefeitura Municipal de Nova Friburgo e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Desde 2007 o NPTA aproxima o desenvolvimento de projetos de pesquisa com a realidade agrícola da região serrana fluminense,área de agricultura mais dinâmica no estado e conhecida pela produção de hortaliças, flores e frutas. O núcleo tem sua sede localizada junto a Secretaria Municipal de Agricultura de Nova Friburgo e um espaço físico no meio rural, construído em área cedidapela Associação dos Pequenos Produtores e Moradores de Santa Cruz e Centenário, no Terceiro Distrito deste município. Outra iniciativa que merece destaque e conduzida pelo grupo da UFRJ que compõe essa proposta é a Rede para Gestão de Riscos da Bacia do Córregod’Antas (Reger-CD), que vem sendo estruturada por um grupo de instituições e a comunidades locais (Freitas et al., 2016). A Reger-CD propõe o desenvolvimento e implementação de uma nova cultura de gestão de riscos participativa considerando que a gestão de riscos a desastres socioambientais requer políticas e ações articuladas de diversos setores da sociedade, como universidades, gestores públicos, sociedade civil organizada e comunidades expostas aos riscos.Contamos também com a participação do comitê de bacia Dois Rios, naturalmente um fórum para discussão que engloba vários atores da bacia, e da AGEVAP, sua gerência executiva, que poderá ser um facilitador para o desenvolvimento das soluções indicadas pelo projeto.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - RJ - Brasil
  • 15/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Ana Paula Duarte de Souza

Ciências Biológicas

Imunologia
  • diferenças de susceptibilidade de infeção pelo vsr e sars-cov-2 em crianças: um estudo comparativo da resposta imune de mucosa das vias áreas.
  • O VSR é o principal agente causador de infecções no trato respiratório inferior em crianças menores de 5 anos de idade. A alta taxa de internações devido às infecções originadas por esse vírus em crianças ressalta a importância de entendimento da resposta imune específica ao VSR, para adequado desenvolvimento de intervenções. Em contraste, o vírus SARS-CoV-2, agente causador da COVID-19, apesar de ser capaz de infectar crianças, raramente evolui para doença grave. O conhecimento dos mecanismos de resposta imune nesse período tão crítico da vida, com impacto tão diferente entre VSR e SARS-CoV-2, ainda não são bem definidos. Estudos recentes mostraram que crianças têm uma resposta antiviral nas vias áreas mais efetiva ao SARS-CoV-2 do que se observa em adultos. Entretanto, essa resposta antiviral das crianças não é eficaz para proteção contra o VSR. Entender como ocorre essa diferença de susceptibilidade entre estes dois agentes altamente prevalentes pode auxiliar no desenvolvimento de novas estratégias de tratamento. Nossa hipótese é de que o microambiente do trato respiratório da criança proporciona uma interação patógeno-hospedeiro que controla a resposta imune antiviral protegendo a população pediátrica contra SARS-CoV-2, mas não VSR. Essa hipótese está baseada em dados do nosso grupo que demonstram que células da nasofaringe de crianças com bronquiolite por VSR, quando tratadas com acetato de sódio, um ácido graxo de cadeia curta, são eficientes em controlar a infecção pelo vírus aumentando a resposta antiviral mediada por interferon do tipo 1. Esse efeito do acetato não ocorre em células da nasofaringe de pacientes adultos infectados com SARS-CoV-2. No presente estudo pretendemos fazer uma análise de sequenciamento de RNA de amostras de pulmão de crianças saudáveis infectadas ex vivo com VSR ou SARS-CoV-2 e investigar os mecanismos em um estudo comparativo da resposta imune nas vias áreas de camundongos no período neonatal e adultos infectados com os dois vírus.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Paula Frederico Rodrigues Loureiro Bracarense

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • micotoxinas e sistema reprodutor: modelo ex vivo para avaliação toxicológica
  • O Brasil detém posição de destaque no cenário mundial na produção de bovinos e suínos. Nesse contexto, os índices reprodutivos são de suma importância, já que influenciam diretamente na lucratividade da atividade. Porém um dos problemas enfrentados são os distúrbios reprodutivos que levam a perdas econômicas consideráveis e que podem estar relacionados, à exposição às micotoxinas, contaminantes naturais de grãos, que estão presentes em 80% dos alimentos destinados a animais. Efeitos tóxicos de fusariotoxinas são descritos no sistema digestório e imune, no entanto dados sobre toxicidade reprodutiva são escassos. As fusariotoxinas de maior ocorrência nos cereais têm limites máximos toleráveis estabelecidos, no entanto, a contaminação com múltiplas micotoxinas é frequente, e raros são os estudos com esse foco, o que contribui para a ausência de regulamentação para a multicontaminação. Nosso grupo de pesquisa tem trabalhado ao longo dos anos para o conhecimento dos efeitos da interação de micotoxinas em diferentes sistemas do organismo. Nesta proposta nosso objetivo é avaliar os efeitos da exposição ao desoxinivalenol, fumonisinas e zeralenona isoladamente e em co-contaminação sobre o sistema reprodutivo de bovinos e suínos. Nossa hipótese é que a co-contaminação induza efeitos sinérgicos ou aditivos tanto nos ovários como úteros dos animais de produção. Diferentes interações têm sido observadas no sistema digestório e imune de animais expostos a multicontaminação micotóxica, portanto é provável que o mesmo ocorra no trato reprodutivo. Modelos experimentais in vivo utilizando bovinos e suínos apresentam limitações devido ao custo envolvido. Nossa proposta é utilizar o modelo de explantes teciduais de ovários e úteros de bovinos e suínos, para avaliar alterações morfológicas, morfométricas e na expressão de proteínas de junção, receptores de estrógenos e progesterona. A resposta inflamatória, ao estresse oxidativo, e a viabilidade celular também serão investigadas.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025