Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rosângela Custodio Cortez Thomaz

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • observatório turístico intermunicipal da estância turística de avaré e do município de interesse turístico de rosana (estado de são paulo).
  • Este projeto tem por objetivo a criação de um Observatório Turístico Intermunicipal que atuará em duas localidades do Estado de São Paulo: a Estância Turística de Avaré e o Município de Interesse Turístico (MIT) de Rosana, o primeiro considerado Estância Turística desde 2002 e o outro nomeado MIT em 2017. Ambos municípios foram escolhidos como objeto de estudo do Observatório por sediarem instituições com grupos de pesquisa na área de Turismo; respectivamente, o Instituto Federal de São Paulo (Campus Avaré) com o Grupo de Estudos em Hospitalidade e Lazer (GEHLA) e a Universidade Estadual Paulista (Campus Rosana) com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Turismo Rural (GEPTER). O trabalho se centrará na pesquisa de oferta e demanda turística, identidade turística dos municípios, capacitação do trade, conscientização para o turismo e consolidação da rede. O projeto será desenvolvido pelos pesquisadores do GEPTER e do GEHLA sob a liderança das Profas. Dras. Rosângela Custodio Cortez Thomaz e Luciana Pereira de Moura Carneiro, a partir do know-how do Centro de Estudos e Investigacións Turísticas (CETUR) da Universidade de Santiago de Compostela, na pessoa do Prof. Dr. Xosé Manuel Santos Solla.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosangela Ferreira Rodrigues

Ciências Biológicas

Morfologia
  • portas abertas para a ciência e a inclusão – recursos tecnológicos no estudo da anatomia
  • A proposta consiste em divulgar para a comunidade que a ciência pode ser propriedade de todos, independente das limitações que apresentem de forma temporária ou permanente. A divulgação será realizada através da disponibilização, de forma virtual, de parte dos laboratórios e acervo de peças anatômicas do Departamento de Morfologia, do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Pelotas, a alunos do ensino básico e comunidade em geral. Neste público alvo estão incluídos alunos da educação especial, que possuem limitações visuais e auditivas, e que conhecerão um projeto desenvolvido no departamento que evidenciará, através de modelos biológicos sensoriados, o potencial das tecnologias assistivas em possibilitar alternativas para a inclusão. A proposta, em concordância com o edital, vai contemplar o evento denominado PORTAS ABERTAS PARA A CIÊNCIA E A INCLUSÃO – RECURSOS TECNOLÓGICOS NO ESTUDO DA ANATOMIA, que será realizado, de forma virtual, devido a situação que o país enfrenta e que, possivelmente, não terá sido completamente regularizada até a semana em questão. Participarão das atividades professores e alunos da UFPel, UFSM e IFSul, assim como também outros colaboradores externos. As atividades ocorrerão nas dependências do Departamento de Morfologia, pertencente ao instituto de Biologia da UFPEL, localizado no município de Pelotas, e nas dependências do Departamento de Morfologia, localizado no município de Capão do Leão. A unidade do Departamento de Morfologia, localizado no município de Pelotas, fica na Faculdade de Medicina e possui o acervo referente a Anatomia Humana, que será utilizado para evidenciar as peculiaridades de cada órgão que compõe os diferentes sistemas orgânicos, assim como destacar algumas condições patológicas. O acervo consiste de modelos artificiais e naturais, tendo cada uma das peças sido preparadas com a finalidade de explorar a morfologia de determinada região ou estrutura anatômica. O acervo possui modelos de todos os sistemas e órgãos estudados nas disciplinas de Anatomia Humana, possibilitando explorar todo o corpo humano e seus aspectos anatomofuncionais. A visita se estenderá às dependências da anatomia microscópica, que contém em seu acervo uma coleção de modelos, representativo das diversas fases da fecundação. Neste local fica também o laboratório de preparo de lâminas histológicas, onde se poderá ver ou ouvir através da audiodescrição as etapas do processamento dos órgãos, para a obtenção de lâminas histológicas. Posteriormente também será possível observar as lâminas obtidas de fatias do órgão em um microscópio virtual ou escutar sua descrição. Nesta visita virtual, serão apresentados o projeto de um curso de técnicas histológicas para alunos surdos, realizado pelo DM, e o projeto atual, Museu de Ciências Morfológicas. Para o projeto atual, sensores com ativadores de audiodescrição e ativadores de legenda serão colocados em modelos biológicos fabricados em impressora 3D, para serem usados tanto por deficientes visuais quanto surdos, mostrando que o conhecimento científico pode estar disponível para todos, quando as ferramentas apropriadas são utilizadas. As atividades no município do Capão do Leão ocorrerão nas dependências do Departamento de Morfologia, referentes a disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, onde já há, no corredor central, uma exposição permanente de peças anatômicas. Será filmado o acervo composto por vários materiais biológicos preservados e associados a sintéticos, pertencentes a várias espécies de animais domésticos, silvestres e marinhos. Os visitantes virtuais durante a semana e futuramente terão a oportunidade de conhecer esqueletos de bovinos, cavalos, gatos, cães, ovelhas, galinhas, assim como de diversas aves e mamíferos selvagens pertencentes ao Bioma Pampa. Também serão filmados, de forma comparativa, esqueletos de golfinho, leão-marinho e tartaruga-marinha. Nesta área de Morfologia animal há várias propostas que contemplam situações com visitações limitadas a grupos pequenos, quando possível, pós pandemia, além de visitas virtuais para a divulgação e informação das atividades realizadas no setor, durante o período da pandemia. Abaixo estão descritos os materiais da referida proposta: 1. Materiais biológicos conservados por empregos de técnicas anatômicas (sem riscos biológicos na manipulação); 2. Apreciação visual de esqueletos de aves, mamíferos e répteis do Bioma Pampa e ambiente marinho com acessibilidade por QR Codes para informações complementares; 3. Apreciação visual de estruturas anatômicas de forma topográfica em material crio desidratado e resinado; 4. Peças para avaliação de texturas e variações topográficas através do toque (osso, cascos, chifres, pelagens, plumagens, esqueleto e partes de grandes animais, equino, bubalino, bovino). Todos os vídeos, tanto os referentes a anatomia humana como animal, serão apresentados com audiodescrição, de acordo com as recomendações referentes a inclusão de pessoas cegas e com legendas e presença de intérpretes em libras, para inclusão de pessoas surdas. Os vídeos ficarão disponíveis na plataforma YouTube e, através de QR Codes, será possível a visitação as dependências do Departamento de Morfologia, modelos anatômicos e peças anatômicas. Posteriormente, os modelos biológicos apresentados no evento serão reunidos em um local, constituindo o espaço físico do Museu de Ciências Morfológicas, onde ficarão disponíveis para visitação presencial. Considerando que 90% das informações que chegam ao cérebro o fazem pela visão e que o cérebro leva apenas um décimo de segundo para assimilar uma imagem, percebemos que o ensino visual tem um enorme potencial. E na ausência da visão, a disponibilidade da audiodescrição, para proporcionar um mapa mental do objeto descrito. Por isso cada vez mais urge a necessidade de uma educação que amplie o entendimento, dialogando com a tecnologia e os avanços na ciência.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 03/11/2020-31/05/2021
Foto de perfil

Rosângela Gavioli Prieto

Ciências Humanas

Educação
  • educação especial em municípios brasileiros: análises de pesquisas sobre políticas públicas, com ênfase em seus de desenhos metodológicos
  • A inclusão escolar de estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, orientação dada pela política nacional de educação especial, particularmente a partir de 2008, tem incitado redes e sistemas de ensino a proporem diretrizes para a orientação de sua política educacional e no campo da educação especial. Isso tem reverberado academicamente na criação de grupos de pesquisa sobre políticas de educação especial que se dedicam a analisá-las e na divulgação de suas produções sobre o tema. Todavia, não foram localizadas pesquisas, nos moldes de um estado da arte, cuja análise recaia sobre as bases teórico-metodológicas adotadas nem a fundamentação subsidiária à discussão da relação entre Estado e políticas educacionais, questões apontadas como frágeis em estudos sobre o tema, os quais se constituem como objetivos deste projeto. Com vistas a atender tais objetivos serão compiladas e analisadas teses e dissertações finalizadas entre 2008 e 2018, extraídas de diversos repositórios, bem como serão desenvolvidas entrevistas com coordenadores de grupos de pesquisa, de uma amostra intencional de pesquisadores vinculados a universidades públicas, federais e estaduais, pois essas instituições têm sido responsáveis nos últimos anos pela expansão de produções.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosângela Maria Lopes de Sousa

Ciências da Saúde

Nutrição
  • universidade sem fronteira: enfrentamento da obesidade com ações de educação, gestão e assistência
  • A proposta visa desenvolver o projeto intitulado “UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS: enfrentamento da obesidade com ações de educação, gestão e assistência” integrando atividades de formação de profissionais da Atenção Básica de Saúde, com priorização dos profissionais que atuam nos Núcleos Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB), atividades de extensão e pesquisa. A área de abrangência da proposta será constituída pelas 19 Regiões/sede de Saúde (São Luís, Chapadinha, Itapecuru Mirim, Rosário, Açailândia, Imperatriz, Bacabal, Codó, Pedreiras, Balsas, Pinheiro, Viana, Barra do Corda, Presidente Dutra, São João dos Patos, Caxias, Timon, Santa Inês e Zé Doca). O prazo para execução do projeto será de 24 (vinte e quatro) meses, de janeiro de 2019 a janeiro de 2021. As ações do projeto se baseiam na prevenção, diagnóstico e tratamento da obesidade no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Para tanto, serão executadas ações coordenadas de formação, avaliação, coleta de informações e dados das plataformas PNAN, SISVAN, e-SUS dentre outras, monitoramento e difusão científica na área de Análise Nutricional de População e Saúde Pública. Inicialmente serão realizadas reuniões, palestras e fóruns nos municípios sede de cada macro região com o intuito de discutir com gestores, profissionais de saúde e comunidade para alinhar os conhecimentos sobre promoção da alimentação adequada na prevenção e tratamento da obesidade e suas comorbidades conforme o perfil de cada região e de acordo com a implementação das diretrizes da Política Nacional de Alimentação e Nutrição – PNAN do Ministério da Saúde a respeito da obesidade. Dentre as ações de enfrentamento da obesidade destaca-se o desenvolvimento de tecnologias digitais que auxiliarão na coleta de informações e ainda no acompanhamento dos sujeitos, o aplicativo fornecerá informações sobre alimentação e atividade física, sempre alinhado com os materiais e estratégias da PNAN, Política Nacional de Atenção Básica - PNAB e Política Nacional de Promoção da Saúde – PNPS, do Ministério da Saúde. Todas as ações serão monitoradas e avaliadas pela equipe executora por meio de um cronograma de atividades elaborado por cada gestão de município, contemplando a multiplicação dos conhecimentos compartilhados nos treinamentos e palestras e elaborando relatórios semestrais sobre as atividades desenvolvidas. Os conhecimentos e produtos elaborados durante o desenvolvimento deste projeto serão difundidos para a comunidade local a partir de palestras e fóruns de informação e discussão sobre a prevenção/tratamento da obesidade. Para os profissionais e comunidade científica, prevê-se a elaboração e incentivo ao uso de cartilhas já divulgadas, mostras científicas, resumos em congressos e artigos publicados em revistas indexadas. No que se refere à esfera da gestão, a partir dos dados coletados no planilhamento serão emitidos relatórios técnicos contendo imagens dos treinamentos e informações sobre o perfil nutricional de cada região, que poderão ser divulgados na plataforma da Rede de Nutrição do Sistema Único de Saúde (RedeNutri). Para a formação da equipe serão oferecidos dois cursos com 180 horas cada, sendo um direcionado a profissionais de nível superior (Médicos, Enfermeiros, Nutricionistas e Fisioterapeutas) e outro para nível fundamental/técnico. Apenas para os Profissionais de Nível Superior será conferido o Título de Agente Multiplicador de Enfrentamento da Obesidade. Serão estimados de 3 a 6 profissionais de saúde da Atenção Básica dos municípios/região contemplados e 3 a 6 gestores e professores da Educação Básica (com vínculo empregatícios estatutário e/ou celetista) em que este guardará uma estimativa absoluta de 684 (seiscentos e oitenta e quatro) profissionais. Para que as ações sejam exitosas esta proposta conta com parcerias de instituições: Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do estado do Maranhão – COSEMS, das Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Maranhão (SES) e Secretaria de Educação do Estado do Maranhão (SEDUC). De acordo com a realização das ações descritas, espera-se que 95% dos profissionais de saúde da Atenção Básica sejam envolvidos nas formações; que haja redução em 30% a prevalência de excesso de peso/ obesidade em cada município e com esse alcance, reduzir custos associados às comorbidades atreladas à obesidade e fortalecimento dos Programas Permanentes de Enfrentamento da Obesidade nos municípios atendidos e finalmente contribuir para aumentar o índice de desenvolvimento humano dos municípios.
  • Universidade Ceuma - MA - Brasil
  • 30/11/2018-31/03/2021
Foto de perfil

Rosângela Maria Rodrigues Barbosa

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • explorando o comportamento básico dos mosquitos para otimizar o controle dos vetores de arbovírus.
  • Pesquisas relacionadas ao comportamento de culicídeos vêm revelando que fatores físicos e químicos são responsáveis por desencadear escolhas nas fêmeas de mosquitos, como busca por alimentos, acasalamento e oviposição. É demonstrado que a decomposição de matéria orgânica na água pode influenciar na atividade de oviposição desses insetos como, por exemplo, infusão de gramíneas, infusão de folhas de caju e cascas de batata e extratos de formas imaturas do próprio inseto. Considerando a importância de estabelecer novas estratégias de vigilância para o controle da circulação de arbovírus, o presente estudo visa através da investigação comportamental de mosquitos do gênero Aedes e Culex, mapear os padrões de comportamento de voo e repouso; identificar iscas envolvidas na atratividade e estimulação à oviposição, bem como, avaliação de um novo modelo de armadilha capaz de coletar adultos e imaturos de Aedes ssp e a ação dos repelentes em mosquitos de populações naturais infectados ou não por arbovírus. Os bioensaios para identificação das iscas serão realizados em uma sala do insetário do Departamento de Entomologia IAM_Fiocruz-PE em câmara de escolha utilizando gaiolas de alumínio (50 x 40 x 32 cm), enquanto que os ensaios com repelentes serão realizados no infectório, fazendo se o uso de uma arena que permite a avaliação da repelência, por teste de escolha, simulando a mão humana, pulverizada com repelentes. Já os testes de observação comportamental de repouso e voo serão realizados em uma sala experimental localizada na área externa. No interior desta sala será fixado um plástico com cola. A sala será dividida em parede 1, 2, 3, 4 e teto. Cada superfície será marcada com uma grade quadrada de 20 cm. Os experimentos serão realizados em quatro etapas utilizando mosquitos das espécies Aedes aegypti e C. quinquefasciatus por cada teste individualmente, após estes testes serão realizados testes preliminares de filmagem, utilizando câmaras especificas, para observar o comportamento da trajetória de voo. Os ensaios de campo simulado serão realizados em uma gaiola (26,5 m²) localizada na área externa e os testes de semi campo serão conduzidos nas dependências externas do IAM. As armadilhas serão instaladas ao abrigo do sol e chuva a uma distância de 1,5m entre elas. Desta forma, os resultados do estudo irão contribuir para que se possam direcionar medidas de controle (uso de armadilhas, aplicação de inseticidas) de forma rápida, simples, efetiva, segura e mais econômica.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Rosangela Paula Teixeira Lessa

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • identificação da população e ecologia trófica da albacora-laje (thunnusalbacares), da cavala-empinge (acanthocybiumsolandri) e do peixe-rei (elagatis bipinnulata) no arquipélago de são pedro e são paulo
  • O Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) é uma área de alto produtividade no Oceano Atlântico Sul, e por esta razão, a diversidade de fauna e flora do local é enorme, inclusive com algumas espécies exploradas por pescarias no local. Das espécies exploradas pela pesca no ASPSP, 85% das capturas são compostas por apenas 4 espécies de peixes, das quais, destacam-se a cavala-empinge (Acanthocybium solandri) a albacora-laje (Thunnus albacares)e o peixe-rei (Elagatis bipinnulata) que são capturadas usando como isca o peixe-voador (Cheilopogon cyanopeterus). T. Albacares, A. solandrie E. bipinnulata são espécies tipicamente oceânicas, com hábitos epipelágicos, e que podem ser encontrados em maior abundância no ASPSP entre os meses de Novembro e Maio, período no qual ocorre a desova de C. Cyanopterus. Devido a importância desta pesca, estudos que auxiliem na identificação dos estoques de T.Albacares, A. solandrie E. bipinnulata e na importância de C. cyanopterus para os predadores e toda a cadeia trófica no ASPSP são de fundamental importância para o manejo sustentável destas espécies. Para atingir estes objetivos, serão utilizadas análises microquímicas multielementares em otólitos e isotopicas em multuplos tecidos das espécies com o intuito de identificar quais populações no Oceano Atlântico utilizam o ASPSP em sua migração e o nível trófico dos predadores quando se alimentam do peixe-voador no local.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 29/11/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Rosangela Paula Teixeira Lessa

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • uso do habitat e ecologia trófica de tubarões e raias costeiros da região nordeste do brasil.
  • Em todo o mundo, a pesca artesanal costeira captura uma considerável produção de espécies de elasmobrânquios (tubarões e raias), não sendo diferente na costa da Região Nordeste do Brasil. Estas espécies exibem baixa resiliência à pesca, o que vem provocando declínios significativos de suas populações, sendo algumas delas não mais registradas em alguns locais da região. Embora o principal fator antrópico de declínios das populações de elasmobrânquios seja a pesca, outro fator importante é a perda ou degradação do habitat costeiro utilizado por estas espécies. O conhecimento sobre os tubarões e raias ainda é relativamente baixo, comprometendo a geração de informações essenciais para a sua conservação ou o manejo e gestão sustentável. A capacidade de ocupar diferentes ambientes ao longo do ciclo de vida, faz com que as zonas costeiras se constituam em mosaicos de habitats essenciais (área de berçário, área de alimentação, área de reprodução). A proteção destas áreas é de fundamental para o recrutamento futuro de populações submetidas à pressão pesqueira. Considerando que a maior parte dos berçários está localizada em zonas rasas e com alta produtividade, o impacto causado pela exploração pesqueira é maior, e como consequência, elasmobrânquios que ali se desenvolvem têm maior chance de serem sobrexploradas, caso uma gestão cuidadosa não se estabeleça. Uma das formas de se identificar e avaliar a contribuição dos berçários para as populações, além de inferir sobre o comportamento migratório ao longo do ciclo de vida das espécies, são as análises de registros microquímicos em estruturas rígidas que refletem as características físico-químicas do ambiente habitado. Estudos recentes realizados com sucesso utilizam análises microquímicas em vértebras de tubarões com esses propósitos. O conhecimento sobre os organismos utilizados como presas pelos consumidores também é essencial para acessar o modo como os indivíduos utilizam os recursos ambientais disponíveis. A investigação do conteúdo estomacal é uma ferramenta capaz de gerar informações acerca de recursos alimentares utilizados pelas espécies no ambiente, podendo ser usadas para entender desde a história natural até seu papel no ecossistema. Entretanto, embora esta metodologia forneça um alto nível de resolução taxonômica, o conteúdo estomacal representa a alimentação mais recente ingerida pelo consumidor. De modo complementar, análises de isótopos estáveis (δ) de Carbono (13C) e Nitrogênio (15N) de amostras do tecido muscular podem fornecer informações sobre a origem do material assimilado da dieta e representar a alimentação a longo prazo de um indivíduo. É um método importante para estudar a dieta, a posição trófica e o movimento/migração de animais aquáticos, que tem se provado útil para identificar onde os organismos em particular se alimentaram no período de até um ano. Sabe-se, por exemplo, que os valores de δ13C são tipicamente menos negativos (mais enriquecidos em 13C) em fontes de alimentos estuarinas do que em fontes marinhas. Por esta razão, os isótopos são ferramentas comprovadamente úteis para diferenciar fontes de alimentação marinhas de estuarinas. A utilização das três metodologias em conjunto (analise microquímica da vértebra, análise de conteúdo estomacal e análise de isótopos estáveis em músculos), embasadas no conhecimento da dinâmica populacional, pode resultar em informações mais completas de padrões de movimentação e uso de hábitats costeiro ao longo do ciclo de vida de espécies de elasmobrânquios. Entender a conectividade e os diferentes usos entre os habitats e as diferentes respostas das populações de elasmobrânquios aos impactos diretos e indiretos na zona costeira no litoral do Nordeste é essencial para o adequado manejo e a correta avaliação dos seus status de conservação.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosângela Pereira de Tugny

Lingüística, Letras e Artes

Artes
  • biografias das mestras e mestres das artes ameríndias - livros e filmes
  • Este projeto se coloca na continuidade dos trabalhos desenvolvidos na Universidade Federal do Sul da Bahia: "Vozes Sobreviventes nas Cosmopistas Maxakali-Pataxó", pesquisa contemplada com bolsa PQ (CNPq) e bolsas PIBIC (aguardando recursos aprovados na FAPESB em 2016); "Arte, História e Língua Maxakali-Pataxó: educação pública intercultural e integral na região Sul da Bahia", programa de extensão universitária financiada pelo MEC (ProExt), realizado em parceria com o grupo Atxohã de pesquisadores indígenas Pataxó; ambos os projetos em fase de conclusão. O principal objetivo da pesquisa é investigar e desenvolver estratégias metodológicas, conceituais e estéticas, em parceria com mestres e mestras das artes e ofícios tradicionais, oriundos de diferentes comunidades indígenas, de modo a garantir recursos didáticos e a possibilidade de tê-los como professores ministrantes de cursos especiais, expandindo assim o horizonte epistemológico e poético que tem definido o papel social da Universidade. As reflexões que sustentam a construção metodológica desta proposta de pesquisa se situam, por um lado, na contextualização do Encontro de Saberes enquanto teoria e método na pesquisa musical - na sua relação com os estudos decoloniais e o histórico crítico da antropologia pós-estruturalista e, por outro, na discussão sobre a biografia, a tradução e a coautoria como método etnográfico. Ambos eixos de discussão dizem respeito ao limite histórico das ciências humanas (incluindo aí a comunicação, antropologia e a etnomusicologia) após a crítica decolonial, bem como ao nascimento de novas linhas e métodos de pensamento após as transformações das academias brasileiras, com as políticas de cotas para negros e indígenas, a democratização da educação superior e a criação dos cursos de formação de professores indígenas.
  • Universidade Federal do Sul da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosanne Evangelista Dias

Ciências Humanas

Educação
  • demandas sobre desempenho docente produzindo políticas de currículo para a iberoamérica
  • Esta investigação se insere no contexto em que a Iberoamérica mobiliza diversos recursos desde a primeira década do século XXI na construção de consensos com os países da região na intenção de produzir e influenciar políticas de currículo que superassem o quadro de desigualdade na educação básica. Entre os anos de 2008 e 2016, a Organização dos Estados Iberoamericanos para a Educação, a Ciência e a Cultura – OEI publicou uma série de textos políticos que fez circular diversas ideias que buscavam equalizar os problemas verificados forjando o Programa Metas Educativas 2021: la educación que queremos para la generación de los Bicentenarios. No ano de 2015, durante a Conferência Mundial das Nações Unidas reunida com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - UNESCO, a região alterou sua agenda para atingir as Metas previstas em 2021 para o ano de 2030, no âmbito da Agenda da Educação 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Nesses consensos, a docência assume relevância na produção do período na defesa de novos currículos para a formação e o trabalho docente como fator que contribui para o bom desempenho da educação. Desse modo, demandas são produzidas e articuladas discursivamente significando modos de controlar o currículo da formação e da atuação docente destacando o desempenho como estratégia que pretende garantir a qualidade da educação. Pretendemos analisar as demandas sobre o desempenho nas políticas de currículo para a docência na Iberoamérica apoiada na abordagem teórico-metodológica da teoria do discurso (TD) de Laclau e Mouffe, destacando os processos de articulação discursiva e os sentidos para o significante desempenho nos textos políticos que pretendem por em marcha as políticas para a formação e o trabalho docente. Entre os textos selecionados para este trabalho apontamos as seguintes publicações: Proyecto Estratégico Regional sobre Docentes: Centro de Estudios de Políticas y Prácticas en Educación (CEPPE) da OREALC/UNESCO e Miradas sobre La Educación en Iberomérica: Desarollo profesional docente y mejora de la educación. Tencionamos interpretar as produções de políticas na região focalizando destacadamente a experiência dos seguintes países: o Brasil, o Chile, a Colômbia e o México que vêm apontando como emblemáticos para a compreensão das relações entre o currículo e o desempenho no desenvolvimento curricular para a docência, no período de 2000 a 2020.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosária da Silva Justi

Ciências Humanas

Educação
  • contribuições do ensino fundamentado em modelagem para a aprendizagem sobre ciências, o desenvolvimento do raciocínio argumentativo de estudantes e o desenvolvimento de conhecimentos e habilidades docentes
  • Dentre vários outros motivos, o Ensino Fundamentado em Modelagem (EFM) tem sido defendido como uma abordagem que pode contribuir para que a Educação em Ciências seja autêntica, uma vez que pode favorecer: o engajamento dos estudantes em, e a aprendizagem sobre, raciocínios e práticas científicas envolvidos na produção e aceitação do conhecimento científico; a compreensão de entidades e fenômenos do mundo em que vivemos, assim como do conhecimento já produzido acerca dos mesmos; e o reconhecimento do papel da criatividade na produção e uso da ciência na história da humanidade. Há mais de 10 anos temos estudado o EFM investigando, principalmente, a aprendizagem conceitual dos estudantes e aspectos relacionados com habilidades requeridas para a participação em atividades de modelagem, especialmente investigativas, argumentativas e de visualização. Em um livro sobre EFM publicado recentemente, propusemos vários possíveis relacionamentos teóricos entre participação em atividades de modelagem e desenvolvimento de uma visão ampla sobre ciências, assim como sobre o papel do professor no EFM. Neste projeto, pretendemos investigar tais relações empiricamente, buscando entender realmente a influência da participação em atividades de modelagem na visão de ciência e no desenvolvimento do raciocínio argumentativo dos alunos. Pretendemos também caracterizar os conhecimentos e habilidades necessários ao professor para conduzir atividades de ensino fundamentadas em modelagem que contribuam para a aprendizagem dos alunos sobre ciência e práticas científicas. Para tanto, foi elaborado recentemente um conjunto de atividades de modelagem para serem aplicadas a estudantes de Química do ensino médio regular. Tais atividades se diferem de outras produzidas e analisadas em nosso Grupo de Pesquisa nos últimos anos, pois abordaram também um tema sociocientífico. Isto veio ao encontro de (i) outras perspectivas recentes na Educação em Ciências, como a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP), segundo a qual os processos educativos devem envolver estudantes na resolução de problemas reais que eles podem enfrentar em seu cotidiano a fim de contribuir para o desenvolvimento da capacidade de tomar decisões conscientes; e (ii) nossa própria visão holística de ciência e da necessária aprendizagem sobre ciências. Também estão sendo elaborados e validados instrumentos específicos que possam favorecer a identificação das visões de ciência de estudantes e a expressão de seus raciocínios argumentativos. A aplicação (e registro em vídeo) dessas atividades em salas de aulas regulares serão feitas visando possibilitar a caracterização de todas as ações dos indivíduos e as situações argumentativas ocorridas naqueles ambientes. Outros dados se originam de entrevistas com os alunos, visando esclarecer suas ideias; e com os professores, visando caracterizar seus conhecimentos sobre modelos, modelagem, EFM, ciência e argumentação, suas visões sobre as atividades a serem utilizadas nas aulas, assim como as justificativas para suas ações durante as aulas. Os dados serão analisados qualitativamente, a partir de estudos de caso elaborados para cada grupo de alunos e professores participantes, sempre de forma coerente com os referenciais teóricos aqui adotados e/ou outros identificados como relevantes ao longo da pesquisa. O software NVivo será usado em parte das análises. Esperamos que a realização deste projeto contribua, dentre outros aspectos, para: (i) promover a aprendizagem de ciências de alunos do ensino médio de forma ampla, especialmente desenvolvendo conhecimento sobre ciências e práticas científicas que possam sustentar a participação mais ativa dos mesmos na sociedade; (ii) gerar conhecimentos em relação ao ensino sobre ciências e à inclusão de práticas científicas em contextos regulares de ensino; (iii) sustentar sugestões para abordagens de ensino pautadas na perspectiva de integração de resolução de problemas reais, práticas científicas e do ensino sobre ciências; (iv) gerar conhecimentos sobre os conhecimentos e as ações de professores que promovam o EFM e a ABP, e que sejam comprometidos com o ensino sobre ciências e de práticas científicas; (v) sustentar sugestões de novas instâncias formativas para professores focadas no EFM e na ABP, que promovam o desenvolvimento de visões amplas sobre ciências e de práticas científicas (especialmente argumentação); (vi) incrementar a literatura da área, trazendo novas relações e questões para serem analisadas e discutidas pelos pesquisadores interessados nos temas contemplados neste projeto. Assim, a realização deste projeto aponta para contribuições bastante amplas e relevantes para a pesquisa na área de Educação em Ciências (em termos de conhecimento produzido, publicações, consolidação de parcerias internacionais relevantes e formação de novos pesquisadores), e para a própria Educação em Ciências (em termos de dar suporte a uma aprendizagem mais ampla de estudantes e à promoção de situações futuras diferenciadas de formação de professores).
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022