Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Tania Mari Bellé Bresolin

Ciências da Saúde

Farmácia
  • estudos de pré-formulação de fármacos sintéticos, desenvolvimento de micro e nanossistemas de liberação e biomonitoramento
  • Os candidatos a fármacos necessitam de estudos de pré-formulação de forma a se conhecer suas características físico-químicas bem como os dados relacionados à sua estabilidade, como a(s) via(s) de degradação e qual(is) fator(es) externo(s) provoca(m) a sua degradação, visando simular as situações de estresse ao qual serão submetidos durante o processo produtivo, estocagem, bem como no meio fisiológico. Para que a qualidade dos medicamentos desenvolvidos seja garantida, torna-se necessário o estabelecimento de tecnologias e metodologias analíticas apropriadas. Visando à confiabilidade dos resultados gerados, de acordo com normas oficiais, o método deve ser validado por meio de estudos experimentais quanto aos parâmetros de seletividade/especificidade, linearidade, intervalo, precisão, sensibilidade, limite de quantificação, exatidão e robustez. Neste sentido o presente projeto propõe a realização de estudos de pré-formulação de moléculas de origem sintética, inspiradas em produtos naturais, sintetizadas em nosso grupo de pesquisa, com potencial emprego terapêutico e perfil de segurança adequados. Este projeto é uma proposta interdisciplinar, em colaboração com o grupo de Química Farmacêutica, Farmacologia e Tecnologia Farmacêutica do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas (PPGCF) da Univali, visando o estabelecimento de novos medicamentos. A proposta conta com parceria internacional (Università degli Studi di Perugia-Itália) no desenvolvimento de sistemas de liberação modificada de tais substâncias. Serão desenvolvidas e validadas metodologias analíticas, indicativas de estabilidade dos analitos, bem como serão conduzidos estudos de pré-formulação e de degradação forçada, incluindo caraterização química, física e físico-química dos candidatos a fármaco, com foco em sua estabilidade. A performance de liberação dos fármacos, a partir dos sistemas de liberação desenvolvidos será analisada por meio de metodologias analíticas validadas, as quais serão também aplicadas em estudos de estabilidade, como parte da cadeia de desenvolvimento farmacêutico. Os sistemas serão biomonitorados em modelos in vitro e in vivo, a fim de avaliar a sua segurança e eficácia frente às provas de conceito às quais serão submetidos, visando ao desenvolvimento de novos medicamentos para o tratamento de osteoporose e edema de medula óssea pela via oral e intra-tecal (candidato a fármaco 4-MC) e para o tratamento da dor neuropática, pela via oral (candidato a fármaco glitazona E1), doenças de impacto na saúde pública e para as quais não há opções terapêuticas seguras e eficazes.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022