Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Eduardo França Castro

Outra

Divulgação Científica
  • feira de ciências, tecnologia, educação e cultura (fecitec/ufv): ciências nas escolas de minas gerais
  • Eventos de divulgação e popularização das Ciências vem ganhando destaque na Educação Básica, como por exemplo as Feiras de Ciências e/ou Mostras Científicas que desde 2016 tem sido incorporada na Rede Estadual de Ensino, apresentando-se como uma ação inovadora, para o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem para além da sala de aula, por meio da participação ativa, criativa e lúdica dos estudantes. A Universidade Federal de Viçosa (UFV) fundamentada na trilogia do ensino, pesquisa e extensão possui uma rica história voltada para o desenvolvimento da sociedade brasileira. Entre as atividades científicas e educacionais, voltadas para a divulgação e popularização das Ciências, podemos destacar a Semana de Ciência e Tecnologia da UFV Campus Florestal, que ocorre em outubro e engloba a Mostra de Profissões (desde 2010), o Simpósio de Iniciação Científica (SIA/UFV Campus Florestal, desde 2009) e a Feira de Ciências (FECITEC/UFV, desde 2004). Nestes eventos temos a participação da comunidade escolar da UFV e de escolas municipais e estaduais, públicas e particulares, com apresentação de atividades científicas e culturais (apresentação de trabalhos, projetos, cursos, palestras e outros), envolvendo em média mais de 1500 estudantes, provenientes de vários municípios de Minas Gerais (como por exemplo: Florestal, Pará de Minas, São Gonçalo do Pará, Juatuba, Nova Serrana, Betim, Belo Horizonte, Contagem, Itaúna, Mateus Leme, Esmeraldas, Barbacena, Ibirité e Ipatinga). Os trabalhos apresentados são provenientes de instituições públicas municipais, estaduais e federais e, também, particulares. Desde 2016, a FECITEC/UFV conta com a parceria com as Superintendências Regionais de Ensino (SREs) de Pará de Minas e Metropolitana B, e, agora com a SRE de Ponte Nova, o que atinge diretamente a mais de 40 municípios do Estado de Minas Gerais. Esta parceria consolida as áreas de educação científica e de divulgação e popularização das ciências da UFV com a Educação Básica.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 10/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Eduardo Furtado de Simas Filho

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • arquiteturas inovadoras para aprendizado profundo implementadas em sistemas embarcados com aplicações em instrumentação
  • Arquiteturas de Aprendizado Profundo têm sido aplicadas a diferentes áreas do conhecimento, tais como medicina, visão computacional, bioinformática, processos industriais, robótica social, computação em nuvem, computação na borda, inspeções não destrutivas e veículos autônomos. Desde que adequadamente projetadas, tais estruturas são capazes de produzir resultados equivalentes aos de especialistas humanos, porém com rapidez e repetitividade superiores. A principal característica destas arquiteturas é o fato de possuírem múltiplas camadas internas na rede, requerendo uso intenso de recursos computacionais (memória e processamento) para treinamento de tais modelos. Contudo, redes projetadas em frameworks de alto nível geralmente possuem um número de camadas muito grande, sendo voltadas para dispositivos computacionais de alto desempenho ou dispositivos amparados por computação em nuvem. Neste contexto, sistemas embarcados na ponta (na chamada computação na borda) podem ter seu desempenho deteriorado por contenções nos canais de comunicação com a nuvem. Assim, este projeto visa propor novos métodos para otimização de arquiteturas de Aprendizado Profundo para implementação em sistemas embarcados, de forma a atender restrições de tempo real e recursos limitados destes sistemas. Tais limitações de recursos impõem a necessidade de fazer adaptações às arquiteturas de redes de Aprendizado Profundo, de forma a encontrar representações com recursos reduzidos, porém com resultados equivalentes. Entre os métodos de redução de modelo pode-se utilizar poda de nós, destilação de conhecimento, etc. As diferentes metodologias desenvolvidas permitirão o projeto de sistemas embarcados de menor custo e com maior independência da nuvem. O foco inicial é a aplicação em instrumentação embarcada em problemas como inspeção não destrutiva de equipamentos, robótica, e instrumentação científica no contexto do Experimento ATLAS do LHC.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Guimarães Couto

Ciências Agrárias

Agronomia
  • avaliação temporal e espacial de propriedades físicas, químicas e biológicas do solo e da atmosfera em área manejada com fogo prescrito no parque nacional de chapada dos guimarães (mt).
  • O fogo desempenha um papel dominante no desmatamento, particularmente nos trópicos, mas a extensão relativa da conversão e a influência da frequência do fogo na perda final da floresta permanecem obscuras. O Brasil implementou recentemente o manejo integrado do fogo (MIF), usando queima prescrita no manejo de áreas protegidas no Cerrado brasileiro para mitigar incêndios florestais. No entanto, existem poucos estudos que relacionam as consequências desses incêndios às emissões de poluentes atmosféricos e degradação do solo. Portanto, o objetivo deste trabalho é caracterizar a composição química, física e biológica do solo e da atmosfera antes e após queimas prescritas realizadas no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (MT). Além disso, a composição atmosférica de uma área urbana (Cuiabá, capital de Mato Grosso) será caracterizada simultaneamente com a área de estudo para estimar a distribuição espacial desses poluentes. Assim, três transectos de 1200 m2 serão delineados e submetidos ao fogo prescrito em diferentes períodos (chuvoso e seco) para avaliar a influência da intensidade do fogo no solo e na atmosfera. Parâmetros físicos, químicos e biológicos serão avaliados ao longo de cada transecto. Todos os transectos serão pesquisados​​em três profundidades (0-5, 5-10 e 10-15 cm) e em diferentes tempos (antes, imediatamente após e 3 meses após o fogo) para avaliar o impacto e o potencial de resiliência da área queimada. A composição da atmosfera será determinada pela detecção de material particulado em diferentes frações (PTS, PM 2,5µm e PM 10µm), gases ácidos e deposição seca. A caracterização física e química será realizada por meio de composição elementar e iônica, análise gravimétrica, Black Carbon, NMR e Espectroscopia Raman. Esperamos que os dados obtidos possam ajudar a orientar as políticas públicas na otimização da queima de baixa intensidade para gerenciar com eficácia o armazenamento de carbono e manter a biodiversidade no bioma Cerrado.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Harry Birgel Junior

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • os efeitos da uso da oxigenoterapia nasal de alto fluxo durante o tratamento de bezerros com hipóxia
  • Pesquisas desenvolvidas na USP têm demonstrado o sucesso do uso da ventilação mecânica na reversão da asfixia e da síndrome do Desconforto Respiratório (SDR) em bezerros oriundos de clonagem, FIV ou nascidos de partos distócicos. Entretanto, o uso de ventiladores mecânicos nas fazendas tem um custo muito caro e exige uma formação técnica complexa, tornando o seu uso restrito a condições experimentais. Ao pesquisar a existência de equipamentos que possam ofertar FiO2 elevada associada a PEEP encontrou-se o Sistema de CPAP Aberto - O_Two Medical Technologies que permite oxigenoterapia nasal de alto fluxo com pressão contínua das vias aéreas. O sistema possui uma válvula virtual acoplada a máscara facial para ventilação não invasiva. Esse equipamento permite montar um sistema barato para dar suporte respiratório a bezerros neonatos asfixiados e que pode ser utilizado pelos veterinários / tratadores de bezerros nas fazendas. O presente projeto tem o objetivo de estabelecer um protocolo seguro do uso do Sistema de CPAP Aberto e avaliar os efeitos da oxigenoterapia nasal de alto fluxo durante o tratamento de bezerros com asfixia neonatal”. A hipótese formulada é que o uso da oxigenoterapia nasal de alto fluxo na primeira hora de vida é eficiente no tratamento da hipóxia e determina melhora na PO2 arterial, uma redução da PCO2 e no restabelecimento do equilíbrio ácido-básico de bezerros com asfixia neonatal. Para a avaliação da eficiência do equipamento será realizada hemogasometria, determinação da pressão da artéria pulmonar / monitorização hemodinâmica invasiva com o Cateter de Swan-Ganz , hemograma, perfil bioquímico e mensuração dos teores plasmáticos de lactato. Esta será a primeira pesquisa na clínica de bovinos que estuda o uso da oxigenoterapia de alto fluxo, sendo que não existem informações disponíveis sobre o uso do Sistema CPAP Aberto - O_Two Medical na neonatologia veterinária.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Eduardo Henrique da Silva Aranha

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • desafio games & educação 2022
  • O pensamento computacional e a capacidade de se comunicar são habilidades fundamentais para o desenvolvimento de uma sociedade moderna, os quais podem ser trabalhados na escola com o uso de jogos digitais. O desenvolvimento dos jogos envolve desde a idealização do jogo, com produção textual do chamado game design, até a programação dos jogos digitais. Nesse contexto, o próprio processo de construção dos jogos pode ser utilizado para divulgar, capacitar, e engajar estudantes e professores no tocante ao processo de desenvolvimento de jogos digitais e no desenvolvimento das habilidades requeridas para tal. Este projeto tem como objetivo suportar a edição 2022 do Desafio Games & Educação, um projeto organizado pelo Instituto Metrópole Digital da UFRN desde 2014, através de seu Laboratório de Pesquisa em Jogos Digitais e Educação, e que conta com a participação de centenas de estudantes e professores do ensino médio e fundamental. O Desafio possui atividades de produção de material, divulgação, capacitação, criação de jogos, mostra científica e premiação dos mesmos. Dentre as atividades de capacitação, podemos citar as de produção textual dos game design e da programação dos jogos idealizados. Os alunos e professores com melhor desempenho receberão bolsas e participarão de atividades mais avançadas relacionadas ao desenvolvimento de jogos digitais e seu uso na educação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 21/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Eduardo José Fernandes Nunes

Ciências Humanas

Educação
  • análise dos impactos da pandemia no sistema municipal e estadual de educação na bahia: estudo de casos em municípios baianos.
  • Analisar a relação entre Educação e Saúde nesse momento é de crucial importância social e científica no Brasil e em particular, para o Estado da Bahia. Essas duas áreas de conhecimento vitais devem trabalhar estreitamente na medida que avança o processo de vacinação com a abertura das escolas na forma presencial. A proposta de pesquisa visa analisar as novas estratégias e os protocolos adotados em doze (12) escolas, seis (06) municipais e (06) estaduais para conter o avanço do novo Covid em seis sedes de municípios baianos. Para a realização da pesquisa serão escolhidas em cada sede municipal duas escolas, uma escola municipal e outra estadual, onde serão acompanhadas as atividades escolares durante o período da pesquisa. A pesquisa utilizará uma abordagem quali-quantitativa. Na pesquisa qualitativa, serão realizadas entrevistas com secretários municipais, diretores, professores e estudantes das escolas selecionadas. Nessas entrevistas serão avaliados os protocolos adotados por cada escola e as diretrizes definidas pela secretaria municipal. Na análise quantitativa serão observados dados sobre educação e de saúde dos municípios estudados e dados sobre as escolas como número de estudantes, número de professores e de pessoal administrativo em cada unidade escolar, recursos financeiros e estrutura física dos equipamentos com o intuito de explicitar a situação geral desses municípios, além deste será aplicado um questionário para levantamento do perfil da comunidade escolar e conhecimento sobre a pandemia. Através dessas metodologias pode-se oferecer um quadro bastante real das medidas que estão sendo tomadas para a realização da atividade escolar com a melhor segurança e de como está sendo dinamizado o processo educativo em cada uma dessas escolas e as políticas públicas adotadas na área de saúde e educação em seus respectivos municípios. A partir dessa pesquisa pretende-se desenvolver novas tecnologias e novos ajustes ao processo educacional em tempos de pandemia.
  • Universidade do Estado da Bahia - BA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Eduardo José Lopes Torres

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • efeitos dos impactos ambientais em agentes zoonóticos (helmintos e rickettsias lato sensu) em mamíferos silvestres do pantanal sul mato-grossense na perspectiva da saúde única.
  • O Brasil é o maior país tropical do mundo, possui megadiversidade e é uma potência do Cone Sul. Investir em taxonomia integrativa de helmintos em associação com impactos ambientais e zoonoses, mostra-se internacionalmente estratégico, principalmente em região de fronteira. A equipe proponente tem experiência com pequenos e médios mamíferos, que são indicadores de impactos, hospedeiros de alta diversidade de helmintos e reservatórios de zoonoses. Trabalharemos com indicadores de impactos, diante da diversidade parasitária, riscos de transmissão e controle de zoonoses, integrando saúde humana, animal e ambiental - Saúde Única. No Pantanal, descrevemos dezenas de novas espécies de helmintos e estudamos a comunidade helmíntica de roedores e carnívoros em diferentes condições climáticas (chuva e seca). A fragmentação, pecuária, construções de estradas e queimadas no Pantanal veem impactando a biodiversidade e, consequentemente, aumentam o risco de transmissão de doenças infecto-parasitárias. Além das graves perdas, a população humana pode estar mais exposta à transmissão de zoonoses. Investiremos esforços para avaliar a atual situação da biodiversidade helmintológica desta região e os riscos de transmissão de outras zoonoses bacterianas em Corumbá-MS, cidade fronteira com um país que adota estratégias diferentes no controle de zoonoses. Investiremos em ferramentas básicas (microscopia e biologia molecular) e em inovação (filogeografia, microscopia iônica e modelagem 3D). Investigaremos, em amostras biológicas obtidas em mamíferos silvestres, a presença de DNA de Rickettsias lato sensu, bactérias dos gêneros Bartonella spp., Rickettsia spp. e da espécie Coxiella burnetti, que são microrganismos causadores de zoonoses com impacto na saúde animal e humana. Animais silvestres são importantes na dinâmica florestal e atuam como reservatórios. Destaca-se a crise internacional da COVID-19, que possivelmente tem relação com impactos que afetam animais silvestres.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Jose Manzini

Ciências Humanas

Educação
  • validação de instrumento digital para avaliar a acessibilidade em ambientes educacionais
  • A entrada de estudantes com deficiência na escola tornou-se uma realidade brasileira. Uma das garantias para que esses estudantes possam frequentar e participar de ambientes escolares refere-se às condições de acessibilidade que estão presentes ou ausentes na arquitetura escolar. Como avaliar e identificar nessas escolas, de forma rápida e precisa, os espaços adequados e inadequados em relação à acessibilidade para prever mudanças na estrutura arquitetônica, de comunicação e sinalização e de equipamentos considerados urbanos e escolares? Em 2006, construímos um instrumento para realizar esse tipo de avaliação, que foi publicado na forma impressa. O objetivo do projeto atual é realizar uma validação do material impresso em um instrumento de avaliação na forma digital. Para atingir essa meta, será preciso a criação de um banco de dados e a elaboração de algoritmos para realizar operações. A primeira etapa será transportar a parte gráfica para o meio digital: texto, desenhos e tabelas, e realizar uma análise da composição do layout do material. A segunda etapa será a elaboração dos algoritmos para equacionar as operações aritméticas e a criação de um banco de dados. A terceira etapa será verificar se o instrumento é fidedigno se comparado com o instrumento impresso, e três escolas serão avaliadas com ambos os instrumentos. A quarta etapa será aplicação do instrumento em um município do estado de São Paulo para testar a transmissão de dados via internet para o banco de dados. A última etapa será a aplicação do instrumento em várias escolas dentro e fora do estado de São Paulo e, também, em Cali, na Colômbia, verificando sua generalização. Ao final, o instrumento será disponibilizado gratuitamente para outros pesquisadores ou profissionais da Educação.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo José Marandola Junior

Ciências Humanas

Geografia
  • mobilidades contemporâneas: transformações na experiência de casa e de rua a partir da pandemia
  • A pandemia do COVID-19 impôs ao mundo um conjunto de práticas cotidianas que impactaram nossa experiência social, como as restrições à circulação e a atividades presenciais, o que ficou conhecido como isolamento social. Embora não sejam permanentes, os impactos não se restringem ao período da pandemia, podendo repercutir em transformações em nossa experiência dos lugares e da própria mobilidade, o que pode ser investigado a partir da tensão-ambivalência casa-rua, enquanto o espaço da familiaridade e o espaço da alteridade. A pandemia provocou ressignificações nos sentidos estabelecidos de casa (como espaço privado, de proteção e de reprodução familiar) e de rua (como espaço público, de exposição a riscos e da possibilidade da política). Isso se deu tanto pelo aumento da (co)permanência nos domicílios de diferentes grupos sociais e etários, quanto pela privação dos convívios nos espaços públicos. A pesquisa parte do questionamento referente às mudanças nos sentidos de casa e de rua na experiência das mobilidades contemporâneas a partir da pandemia do COVID-19, considerando a mobilidade como fenômeno geográfico articulador. Para isso, realizamos dois movimentos, como estratégias metodológicas: o primeiro se refere à descrição e compreensão de experiências concretas de existentes em suas (i)mobilidades cotidianas durante a pandemia, realizando mapeamentos biográficos de seus trajetos diários em diferentes municípios, tanto na área urbana quanto na área rural; o segundo movimento envolve a compreensão dos impactos de tal experiência nos sentidos de casa e de rua. O objetivo é compreender as transformações que as experiências de (i)mobilidade durante a pandemia legam para os sentidos de casa e de rua, em especial no que se refere a(o): papel do espaço público no cotidiano urbano; decisões locacionais residenciais; sentido de comunidade; fortalecimento/enfraquecimento dos sentidos de bairro; padrões de circulação; segurança/insegurança residencial.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Kazuo Kayo

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • decisões de investimento e financiamento no setor de energia elétrica
  • 1. Nos últimos anos, temos assistido a uma tendência mundial de mudança na matriz energética com investimentos crescentes em fontes renováveis de energia, de forma a aumentar a oferta e reduzir o impacto negativo de fontes poluentes. Ao mesmo tempo, o desenvolvimento de novas tecnologias (e.g., carros híbridos) aumenta a demanda por energia e por investimentos em toda a cadeia de valor do setor (i.e., geração, transmissão e distribuição de energia). 2. Segundo a Empresa de Pesquisa Energética, 63,5% da geração elétrica no Brasil em 2019 dependia de hidrelétricas, o que deixa o país extremamente dependente das condições meteorológicas, ao passo que outras fontes renováveis de energia, como a eólica e a solar, ainda tinham baixa participação na matriz energética do país em 2019, de 8,9% e 1,1% respectivamente. Portanto, o Brasil apresenta um grande potencial de crescimento nos investimentos em energia renovável. 3. O problema de pesquisa geral deste projeto envolve a análise das decisões de investimento e financiamento de empresas do setor elétrico brasileiro e internacional. 4. A questão específica que se pretende analisar é: Quais são as causas e consequências das decisões de investimento e financiamento de empresas do setor elétrico brasileiro e internacional? 5. Esse tema é estrategicamente importante para todos os países, mas particularmente importante para o Brasil que, nas últimas décadas, tem enfrentado severas crises de abastecimento de energia em função das condições hídricas e climáticas e dos reduzidos investimentos em fontes alternativas de energia. 6. A estratégia metodológica inclui desde técnicas econométricas tradicionais, como regressões por Mínimos Quadrados Ordinário, até soluções mais modernas e robustas, com técnicas de quase-experimento e experimentos naturais (e.g., diferença-em-diferenças), efeitos de tratamento com uso de matching, etc, para mitigar problemas de endogeneidade típicas dos fenômenos a serem analisados.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Eduardo Leite Krüger

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • rede de conforto térmico: desenvolvimento de estação microclimática de baixo custo (embc) e padronização de protocolo de coleta de dados.
  • O enfrentamento dos efeitos deletérios das mudanças climáticas e a demanda por edifícios eficientes tornam imperativa a realização de pesquisas sobre conforto térmico no Brasil com vistas à melhoria da qualidade ambiental do ambiente construído. Essa necessidade é ainda maior se considerarmos a distribuição geográfica dos estudos sobre conforto térmico já realizados, pois a maioria deles se concentra na Europa, Ásia e América do Norte. Portanto, há uma lacuna a ser preenchida com relação aos limites de conforto térmico para as populações dos diversos climas brasileiros. A inexistência de uma rede integrada de pesquisa dedicada ao tema e o alto custo dos equipamentos para pesquisa são também barreiras a serem vencidas. Assim, esta pesquisa parte da hipótese de que diversos modelos de conforto térmico são pouco adequados à população brasileira, especialmente considerando a diversidade climática do país. Neste contexto, pretende-se, a partir da formação de um grupo de pesquisa atuante em distintas regiões do país, desenvolver uma Estação Microclimática de Baixo Custo (EMBC) para monitoramento térmico do espaço construído e elaborar um protocolo para levantamento de dados relativos à percepção térmica do ocupante. O método a ser adotado integra o desenvolvimento da EMBC em conjunto com o desenvolvimento de protocolo padronizado para coleta de dados (variáveis subjetivas individuais e variáveis ambientais associadas ao conforto térmico). Os resultados deste projeto contribuirão para unificar e padronizar as pesquisas em conforto térmico no Brasil e para a construção de modelos de conforto mais condizentes com a diversidade climática e populacional do país.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Lucas Subtil

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • tratamento de lixiviado de aterro sanitário em biorreator eletroquímico com membranas: remoção de poluentes, geração de energia, formação de depósito e análise da comunidade microbiana
  • O tratamento de lixiviado é ainda um grande desafio para a Engenharia Sanitária pela presença de poluentes de difícil degradação e elevada toxicidade. Embora os biorreatores com membranas (MBR) sejam uma opção importante para tratar esse efluente, a remoção de micropoluentes e poluentes recalcitrantes, a intensificação do depósito nas membranas, a inibição da nitrificação e o gasto de energia são ainda barreiras para aplicação da tecnologia. A hipótese central desta pesquisa é que a integração de células combustíveis microbianas (CCM) com a adição de material suporte pode melhorar o desempenho de reatores de membranas (MBR) no tratamento de lixiviado. Especificamente, almeja-se responder: A separação dos processos de óxido-redução e bioeletroquímico podem aumentar a remoção de poluentes e gerar eletricidade? O uso de material granular é capaz de reduzir o depósito externo das membranas e melhorar a remoção de poluentes? Quais são os microrganismos envolvidos nos bioprocessos? Quais são as condições ótimas para os processos? O projeto é um desdobramento de um estudo iniciado com co-tratamento de lixiviado em MBR pelo proponente, que identificou microrganismos na CCM com potencial para degradar compostos recalcitrantes e melhorar a nitrificação e também a necessidade de controlar a formação de depósito em MBR com lixiviado. Para isto, serão utilizados dois MBRs em paralelo alimentados com lixiviado do aterro sanitário de Santo André/SP, um deles será a unidade controle, e o outro será o sistema integrado com a CCM, com dois compartimentos e com diferentes condições e tipo de biomassa. Serão caracterizados os processos de conversão e remoção de poluentes convencionais e emergentes, bem como uma robusta caracterização das comunidades microbianas pela metagenômica do gene 16S rDNA. A formação de depósito nas membranas será avaliada em função da composição do licor misto, das resistências a filtração e da caracterização avançada da superfície da membrana.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • o papel das engenharias, ciência e tecnologia na popularização e fortalecimento da educação
  • Este documento trata da proposta de continuidade ao projeto de cunho estratégico intitulado Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (PAESPE), que tem por finalidade a implantação de um programa de formação de recursos humanos na área das ciências exatas, humanas e naturais, visando, o desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado de Alagoas, antecipando demandas de tecnologias e estratégias claramente reconhecidas e analisadas. O objetivo principal da presente proposta é alavancar a preparação dos alunos carentes da 9ª série, 1º (PAESPE Jr) e 3º ano (PAESPE) do ensino médio aos matriculados nas escolas públicas estaduais e moradores do entorno da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e de outros municípios a, em princípio, ingressarem na UFAL. Desta forma, irá ampliar as condições de acesso ao nível superior de ensino dando ênfase para as ciências exatas, humanas e naturais, e tendo como pretensão final criar uma rede de cursos preparatórios comunitários com a sociedade organizada, tendo como referência o PAESPE. Para o ano de 2022 o projeto conta com a participação de mais de 10 escolas públicas que já estão engajadas na presente proposta. Como estratégia de ação, serão realizadas atividades das seguintes modalidades: Portas abertas, Seminário ou Ciclo de Palestras, Conjunto de Oficinas de CT&I, mostra de vídeos e mostra de Engenharia. As ferramentas utilizadas serão games, jogos on-line gratuitos para realização de atividades para divulgação das Engenharias Civil, Química, Ambiental e Sanitária e Petróleo do Centro de Tecnologia da UFAL. Além disso serão realizadas oficinas para trabalhar temas ambientais da Engenharia nas seguintes temáticas alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: igualdade de gênero, água potável e saneamento, energia limpa e acessível, redução das desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis (oficinas para produção de sabão), ação contra a mudança global do clima, vida na água, entre outros.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Eduardo Martín Tarazona Santos

Ciências Biológicas

Genética
  • ancestralidade, doenças e medicina de precisão no brasil
  • Os genomas dos brasileiros, povo miscigenado, são mosaicos de ancestralidades europeias, africanas e nativas americanas. Embora o genoma seja linear, as implicações da informação que guarda o fazem multidimensional. A genômica humana se ocupa de conceitos complexos como mestiçagem e ancestralidade, em parte pela necessidade humana de conhecer nossa história, mas principalmente porque a distribuição geográfica de variantes genéticas que causam doenças depende da história. Nesse contexto, temos três objetivos: (1) A partir de dados genômicos das coortes de idosos de Bambuí (MG) e do Estudo Longitudinal de Saúde do Idoso (ELSI, de abrangência nacional) desenvolveremos e aplicaremos uma metodologia estatística baseada na Computação Bayesiana Aproximada, para inferir a dinâmica da miscigenação biológica e do viés sexual (acasalamentos entre homens e mulheres de populações com diferentes padrões de ancestralidade) nas populações brasileiras, integrando estas inferências com dados de demografia histórica, e propondo um modelo da distribuição das variantes genéticas associadas com doenças no Brasil; (2) A partir de dados de exomas de 200 brasileiros miscigenados com hemofilia A (doença mendeliana ligada ao cromossomo X) que desenvolveram anticorpos inibidores contra FVIII exógeno do tratamento, avaliaremos as arquiteturas genéticas da resposta ao protocolo de imunotolerância e de aspectos clínicos relacionados ao desenvolvimento de inibidores; (3) A partir de casos de pacientes miscigenados brasileiros com doenças raras, identificaremos as variantes genéticas responsáveis a partir do sequenciamento de exomas, implementando práticas de medicina de precisão. Num contexto em que a maior parte dos conhecimentos em genômica humana derivam do estudo de populações europeias, o foco nos componentes de ancestralidade africana e nativa americana dos brasileiros é uma oportunidade para elucidar novas variantes e mecanismos genéticos responsáveis por doenças.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 06/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Mazoni Andrade Marçal Mendes

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • desenvolvimento tecnológico para registros de imagem de cálcio em animais movendo-se livremente: dinâmica espaço-temporal de redes neurais em ensaios pré-clínicos
  • Como as redes neurais de nosso cérebro representam o mundo que nos cerca? Como estas redes interagem com nosso sistema motor gerando comportamentos essenciais para a sobrevivência? Essas são perguntas centrais às neurociências, cuja resposta, se é que única, só poderá ser respondida com abordagem trans/interdisciplinar e avanços tecnológicos que permitam registrar tanto aspectos da arquitetura das redes neurais quanto de sua dinâmica. Por duas décadas estudamos estas questões utilizando técnicas de imagem/bioquímicas para obter informações sobre a estrutura (p.e. microscopia, MRI, biologia molecular), ensaios comportamentais para quantificar função e eletrofisiologia para avaliar a dinâmica. Mais precisamente, as técnicas de registro das variáveis fisiológicas caem em um gradiente entre ter boa resolução espacial ou boa resolução temporal. Torna-se imperativo preencher o vão de técnicas que registrem vários elementos da rede neuronal, onde eles estão e quando entram em atividade para determinar os padrões espaço-temporais associados à dinâmica das interações sensório-motoras, memória, e até mesmo desordens neurológicas. Mais recentemente, a possibilidade de captar imagens da variação do cálcio intracelular (sinalizador da atividade neuronal), por meio do uso de microscópios miniaturizados (MM) acoplados ao cérebro de animais movendo-se livremente, traz exatamente esta perspectiva. Várias linhas investigativas de nosso grupo, assim como de vários outros laboratórios no Brasil, dariam um salto qualitativo se esta metodologia estivesse disponível, bem divulgada e com soluções adequadas ao cenário nacional - este projeto objetiva atender esta demanda. Aplicações imediatas na pesquisa desenvolvida no nosso grupo: 1) Solução de malha-fechada (detecção e supressão) para o tratamento das Epilepsias - trabalhos clínicos, básicos com patentes registradas; 2) Estudo de Memória e Isolamento Social; 3) Acidentes vasculares encefálicos e 4) Modelagem matemática de redes neurais.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Eduardo Osorio

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • influência no rendimento e qualidade dos coprodutos do processo de produção de coque metalúrgico com a adição de resíduos de carvão vegetal e da destilação de petróleo
  • A indústria siderúrgica busca, por meio de iniciativas com grupos de pesquisa, colaborar com os compromissos internacionais para redução da emissão de gases de efeito estufa. A sustentabilidade é buscada por meio da redução da emissão, aproveitamento de resíduos e também pela diversificação das matérias-primas incluindo as renováveis. No caso das usinas integradas brasileiras, as matérias-primas para produção de coque são majoritariamente carvão mineral importado, com elevada participação no custo de produção do aço. Nesse contexto, o estudo de moinha de carvão vegetal e coque de petróleo como aditivos à mistura de carvão mineral coqueificável, tem contribuição importante nos aspectos mencionados. O estudo das influências dos aditivos para coqueificação tem duas linhas importantes: propriedades do coque (produto principal) e coprodutos (gás de coqueria e alcatrão). Enquanto diversos estudos têm abordado a influência dos aditivos na qualidade do coque, inclusive realizados pelo grupo proponente, pouca atenção tem sido dada aos coprodutos do processo, que tem papel importante do ponto de vista econômico e de fornecimento de energia para usina. Desta forma, este projeto visa contribuir para o entendimento e quantificação das influências da adição de coque de petróleo e moinha de carvão vegetal no rendimento e qualidade dos coprodutos da coqueificação. Este entendimento servirá como uma ferramenta para apoiar a indústria siderúrgica na inserção destas matérias-primas no processo de coqueificação, promovendo a sustentabilidade do processo. Para execução do projeto serão realizados experimentos de coqueificação em escala laboratorial em um aparato experimental inédito no Brasil, desenvolvido pelo grupo, que será ajustado com colaboração de especialistas da Gerdau Ouro Branco, para reproduzir as condições industriais de processo. Desta forma, os resultados do projeto serão obtidos em condições análogas às industriais e, portanto, de mais fácil transposição para indústria.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 29/09/2022-30/09/2025
Foto de perfil

Eduardo Resende Secchi

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • resiliência e estabilidade ecológica do estuário da lagoa dos patos e costa marinha adjacente perante a perturbações naturais e antrópicas
  • O sítio Estuário da Lagoa dos Patos e Costa Marinha Adjacente (PELD-ELPA), que teve início na primeira edição do programa PELD em 1998, tem como eixo científicos principal nesta proposta de renovação o tema de Resiliência, Estabilidade Ecológica e Biodiversidade e Funcionalidade do Ecossistema (BEF). O objeto principal é identificar relações entre diversidade biológica e funcionalidade ecossistêmica em diferentes níveis (e.g. populações, comunidades, grupos funcionais, níveis tróficos, sistemas), avaliando a estabilidade de longo prazo e a resiliência ecológica do ELPA frente às perturbações naturais e antrópicas. As principais hipóteses da proposta são: (i) O grau de resiliência dos diferentes componentes da biota do ELPA é variável, mas o ELPA como um todo é resiliente em longo prazo; (ii) Apesar das grandes oscilações de abundância das espécies e mudanças na estrutura das comunidades, o ecossistema tem permanecido estável em longo prazo, pelo menos desde que começaram os estudos na década de 70/80; (iii) A diversidade biológica afeta a funcionalidade ecológica das comunidades do ELPA através do aumento do número de tratos funcionais e/ou magnitude de processos (medidos em densidade, biomassa, estoque, produção ou taxas etc). Para testar estas hipóteses, o PELD-ELPA continuará o monitoramento de mais de 20 anos de variáveis abióticas e bióticas que incluem desde os produtores primários até predadores topo deste ecossistema. A análise utilizará a base de dados existentes, uma das mais longas e consolidadas da América do Sul, associada a uma diversidade de métodos de análise de ecossistemas e de processamento de dados históricos e atuais. Além dos aspectos científicos, a proposta prevê inúmeras ações de interação social e apoio a gestão ambiental e políticas públicas que irão contribuir para a educação, sensibilização e capacitação humana e institucional na mitigação e adaptação ao impactos naturais e antrópicos, incluindo maior previsibilidade e alerta precoce aos efeitos das mudanças climáticas. Todas essas contribuições estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e à Década da Ciência Oceânica da ONU (2020-30). A proposta também prevê a integração com outros sítios PELD por meio de estudos comparativos e oferecimento de cursos de qualificação em bancos de dados, tendo como base as experiências adquiridas no PELD-ELPA, bem como o lançamento das bases para uma futura rede de sítios PELD Costeiro-Marinhos com parceiros nacionais e internacionais. Pretende-se ainda utilizar as informações geradas nas últimas décadas para iniciar o processo de Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE), com a proposta de criar uma ou um mosaico de Unidades de Conservação, com diferentes níveis de uso e restrição dependendo das múltiplas relações possíveis entre significância ecológica e demanda socioeconômica das áreas do ELPA. A proposta fortalecerá as Ciências do Mar por meio da formação de alunos de graduação e pós-graduação em programas qualificados e via integração com pesquisadores do PELD- ELPA e outros colaboradores no Brasil e exterior. A realização dos estudos no tema de resiliência e estabilidade ecológica e de BEF serão importantes para a consolidação da ciência e tecnologia marinha brasileira. As ações de divulgação científica (midias sociais e outras plataformas) e de extensão em curso serão fortalecidas e ampliadas, incluindo ações na (i) comunidade local, (ii) na comunidade escolar, e (iii) com subsídios à Gestão Pública por meio da participação em fóruns de pescadores e meio ambiente com os diferentes atores sociais.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Eduardo Resende Secchi

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • respostas do ecossistema pelágico às mudanças climáticas no oceano austral – ecopelagos
  • O último relatório Intergovernamental sobre alterações climáticas foi contundente em concluir que "o aquecimento do sistema climático é inequívoco...". A Península Antártica Ocidental (PAO) é uma das regiões do Planeta onde se registra o mais rápido aquecimento dos últimos 50 anos. A temperatura do ar superficial aumentou 2oC na média anual e 6oC na média do inverno. A temperatura da água superficial também aumentou mais de 1oC no mesmo período e cerca de 87% das geleiras da PAO estão em retração. A extensão do gelo marinho reduziu e sua duração média encurtou cerca de 90 dias, sendo o gelo perene não mais uma característica deste ambiente. Este padrão contrasta com as demais regiões da Antártica, inclusive com locais próximos, como a região leste da Península Antártica (Mar de Weddell), a qual é mais estável e não apresenta evidência óbvia dos efeitos do aquecimento global. As muitas espécies que vivem em áreas aquecidas e inalteradas oferecem uma oportunidade ímpar para comparar a resiliência de todos os níveis de organização biológica. Tais “condições experimentais naturais” existem em muitos poucos lugares na Terra, fazendo do ambiente marinho antártico um excelente “laboratório” para que aprendamos sobre as vulnerabilidades às quais está submetido e onde estão os pontos de inflexão para que possamos informar e contribuir cientificamente para uma política global que vise minimizar os efeitos das mudanças climáticas ao longo dos próximos anos, especialmente no que se refere à perda de biodiversidade. Além disso, a complexidade biológica e as histórias evolutivas do planeta sugerem que as tensões na função de ecossistemas polares podem ser fundamentalmente diferentes daqueles de regiões de latitudes mais baixas. Portanto, o entendimento de processos ecossistêmicos polares é fundamental para um debate ecológico amplo sobre a natureza da estabilidade e as possíveis alterações observadas e/ou esperadas em toda a biosfera em função das mudanças climáticas. As mudanças no clima Antártico e na dinâmica do gelo marinho afetam todos os níveis da cadeia alimentar, desde comunidades microbianas, produtores primários (fitoplâncton), krill e outros organismos zooplanctônicos, e peixes até predadores de topo, cujas histórias de vida apresentam diferentes graus de afinidade com o gelo. Dentro deste contexto, o Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes (GOAL), sedeado na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), tem desenvolvido estudos, desde 2002, na porção norte da Península Antártica. Essa região é composta por um conjunto de ambientes únicos do ponto de vista oceanográfico, e engloba o Estreito de Bransfield, o Estreito de Gerlache, a porção noroeste do Mar de Weddell e a porção sul do Estreito de Drake. Vários destes ambientes têm se mostrado sensíveis do ponto de vista climático e, recentemente, vêm apresentando diversas alterações nas suas características físicas e biogeoquímicas, e na sua biota associada. Embora avanços significativos tenham sido alcançados nos últimos anos, os domínios biológicos e ecológicos do ambiente marinho Antártico permanecem, em grande parte, inexplorados. Os pesquisadores das ciências da vida antártica se dedicam ao entendimento sobre a evolução e a diversidade da vida marinha no Oceano Austral para determinar como esses processos produziram ecossistemas singulares. Porém, como o Oceano Austral é vasto e remoto, a coleta de dados físicos e biológicos in situ torna-se um enorme desafio. Informações provenientes de sensoriamento remoto, flutuadores e/ou fundeios oceanográficos, fornecem informações sinóticas sobre o ambiente físico do Oceano Austral que podem ser integradas em modelos numéricos ou estatísticos, e validados com dados in situ. Esta é uma abordagem eficaz para maximizar a utilidade de dados biológicos esparsos. Desta forma, o projeto EcoPelagos avança, em relação às pesquisas pretéritas do grupo, na qualidade, e diversidade de dados oceanográficos, por meio da ampliação espacial e temporal da coleta utilizando métodos tradicionais e contemporâneos (como a genômica e proteômica). Sua execução permitirá gerar informações fundamentais sobre a relação entre a biota e as variáveis físico-químicas do ecossistema Antártico. Fundamentalmente, permitirá expandir o entendimento sobre a estrutura e função biológica, desde o nível molecular ao ecossistêmico, projetar possíveis respostas e avaliar a capacidade de resiliência dos ecossistemas pelágicos antárticos perante as alterações climáticas. A pesquisa permitirá a detecção e projeção de suas respostas a futuras mudanças a partir da percepção de eventuais alterações nos processos biológicos, que estejam ocorrendo em regiões sob diferentes impactos das mudanças climáticas. Para tal, uma série de objetivos específicos são propostos, com enfoque inter e multidisciplinar, combinando abordagens observacionais, experimentais e in silico (modelagem). Essa abordagem multidisciplinar inovadora e de liderança, somada às parcerias internacionais estabelecidas, fortalecerá e qualificará as pesquisas na área de ciências da vida marinha, globalmente importantes, dentro do Programa Antártico Brasileiro. Este será um projeto ecossistêmico, que levará em consideração as interações entre os principais componentes da teia trófica pelágica, bem como a interação pelágico-bentônica, objetivando compreender como diferentes condições físico-químicas do ambiente, desencadeadas pelas mudanças climáticas, determinam os padrões de diversidade biológica, incluindo da plastisfera, as principais vias de fluxo de energia entre seus componentes e a saúde geral do ambiente marinho da PAO. A proposta está em sintonia com os novos programas de pesquisa da área de ciências da vida do Comitê Científico de Pesquisas Antárticas (SCAR). Além da contribuição científica e da formação de recursos humanos, o sucesso desta proposta ampliará a contribuição e o protagonismos da comunidade científica brasileira no cenário internacional das pesquisas polares.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Eduardo Rodrigues Alves Junior

Ciências Humanas

Filosofia
  • motivando – feira de inovação e ciências
  • A presente proposta visa estimular a ciência e inovação em 35 cidades de Mato Grosso que correspondem a 56% da população mato-grossense, região que possui escassez de estímulo na ciência e de formação de alunos e professores nesta área. A proposta apresenta como importante diferencial a abrangência (o planejamento prevê que aconteça parcialmente online, inclusive a fase de capacitação), tendo como previsão alcançar 750 equipes, divididas nas categorias “Feira de Experimentos”, “Mostra Científica” e “Ideias inovadoras”. Todas as equipes inscritas passarão por capacitação focadas no desenvolvimento e melhoria de projetos em experimentos, pesquisa e inovação, visando sempre a solução de problemas da sociedade com uso de ciência e tecnologia. A etapa final do evento será presencial, com transmissão ao vivo, e com premiações motivadoras para estimular a participação dos alunos de ensino fundamental e médio, especialmente meninas e alunos de escolas públicas.
  • Centro Universitário de Várzea Grande - MT - Brasil
  • 10/02/2021-30/06/2023
Foto de perfil

Eduardo Santana de Almeida

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • uma investigação sobre o projeto e evolução de arquiteturas de linhas de produto de software
  • O objetivo deste projeto é investigar o projeto e a evolução de arquiteturas de linhas de produto de software com base em estudos quantitativos e qualitativos visando a identificação de um conjunto de evidências para auxiliar arquitetos de software no projeto arquitetural.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023