Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Maria Natalina Mendes Freitas

Ciências Humanas

Educação
  • as gramáticas sociais de crianças e suas infâncias em territórios de águas de regiões da amazônia paraense
  • Esta pesquisa tem como objeto de investigação a educação e as redes de saberesfazeres culturais de crianças e de adolescentes que frequentam escolas localizadas em territórios de águas de quatro regiões: Xingu, Baixo Tocantins, Caeté e o Marajó, no Pará. Almeja-se realizar uma caracterização das gramáticas sociais das águas pelas vozes de crianças residentes em territórios ribeirinhos das regiões, na perspectiva de (re)afirmarem suas infâncias e suas redes de saberesfazeres e, também, que possam subsidiar políticas públicas para a infância do campo. Metodologicamente, o estudo será desenvolvido por meio de pesquisa bibliográfica, documental e de campo, focalizando quatro categorias, de cunho teórico e empírico, inter-relacionadas: a) o que as crianças e os adolescentes sabem/dizem sobre os espaços-tempos da floresta, das águas e da terra; b) que interações são parte do cotidiano das crianças e dos adolescentes nos espaços da comunidade e da escola; c) como se desenvolvem os brincares das crianças e suas relações nos espaços e em mediação com a natureza d) nesses territórios amazônicos, que significações são dadas pelas crianças às formas de identificação de moradias e de moradores, de locais de atalhos, da vegetação, da fauna. A hipótese levantada é a de que os processos culturais e educativos de crianças e de adolescentes que acontecem nos territórios de águas constituem tessituras do cotidiano e engendram gramáticas sociais desses sujeitos nesses territórios crianceiros da Amazônia paraense. Os resultados possibilitarão além da elaboração de práticas educativas, a de matrizes curriculares que estejam alinhadas à identidade desses territórios, assim como o pensar sobre a função social da universidade e a qualidade do que vem sendo produzido e disseminado na região amazônica paraense.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 19/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maria Neyrian de Fátima Fernandes

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • saúde mental e comportamentos não adaptativos entre estudantes do curso de enfermagem
  • O início da vida universitária é marcado por situações potencialmente desencadeadoras de comportamentos não adaptativos característicos dos transtornos de ansiedade. As características pessoais, os fatores relacionados ao processo de adaptação do estudante ao novo estilo de vida, suas novas responsabilidades e vivências impactam no cotidiano e no futuro desses estudantes. Considerando que a associação entre depressão e resultados acadêmicos é mais forte entre os alunos com transtorno de ansiedade, que a depressão e a ansiedade concomitantes estão associadas a um menor rendimento acadêmico, bem como os sintomas de transtornos alimentares também estão associados a um menor rendimento acadêmico. Conhecer o perfil da saúde mental dos alunos desde o primeiro ano da graduação de enfermagem possibilitará a elaboração de atividades e regimes terapêuticos que os ajudem a lidar com as demandas que a rotina na graduação impõe. Assim, objetiva-se identificar comportamentos não adaptativos em estudantes do curso de enfermagem e o impacto na saúde mental. Trata-se de um estudo longitudinal prospectivo, de abordagem quantitativa. O público-alvo são acadêmicos do curso de enfermagem, com uma população de 200 a 500 alunos, da qual a duração estimada da pesquisa é de dois anos. O instrumento de coleta possui dados sociodemográficos, foi empregado o IGFP-5 (Inventário Dos Cinco Grande Fatores de Personalidade), inclui-se também a Escala de Ansiedade de Hamilton, enquanto a avaliação do tecnoestresse será realizada com a Escala de Tecnoestresse - RED/TIC. Escala essa que se baseia no modelo de Recursos, Emoções/Experiência, Demandas (RED). Os dados serão analisados usando o software R por meio da interface Rstudio. Todas as variáveis serão verificadas quanto à presença de outliers. As análises planejadas incluem as análises descritivas dos dados sociodemográficos, e das características da personalidade. A distribuição quantitativa das variáveis será avaliada pelo teste de Shapiro-Wilk.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maria Ozanira da Silva e Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • programas de transferência monetária focalizados e de renda básica universal no contexto da pandemia e da pós-pandemia da covid-19: acompanhamento e análise da realidade na américa latina e caribe
  • O projeto tem como objetivo identificar, sistematizar, problematizar e divulgar a dinâmica histórica, o debate, a formulação de propostas e a implementação de programas de transferência monetária focalizados e de renda básica universal em países da América Latina e Caribe, no período 2021 a 2024. Situa-se no contexto da pandemia e da pós-pandemia da Covid-19, focando nos programas em implementação em período anterior à pandemia e programas criados para mitigar consequências econômicas e sociais em decorrência da pandemia. O desenvolvimento da pesquisa busca identificar, caracterizar e problematizar eixos que configuram os programas: critérios para inclusão de beneficiários; objetivos; benefícios monetários e articulação com outros benefícios; financiamento dos programas; desenho, mecanismos de gestão e possíveis impactos em relação ao público beneficiário e à realidade econômica, política e social. Os programas serão situados na realidade econômica, social e política e nos sistemas de proteção social que sustentam surgimento e desenvolvimento desses programas. A importância do estudo é dimensionada em razão de o problema central a ser investigado - programas de transferência monetária - constituírem, na contemporaneidade, estratégia prevalente de política social para redução da pobreza e da extrema pobreza, devendo ser melhor desvendada nas suas contradições e potencialidades. A proposta metodológica tem como referência o método crítico-dialético, procurando investigar os programas mediante aproximações sucessivas que vão do mapeamento ao estudo em profundidade da realidade dos programas de transferência monetária na América Latina e Caribe, com utilização de variados procedimentos de pesquisas: revisão bibliográfica, documental, uso de dados secundários, acesso a sites e entrevistas semiestruturadas com sujeitos atuantes junto aos programas em foco.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Maria Paula Goncalves Lysandro de Albernaz

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • atlas digital colaborativo de remanescentes industriais: subúrbios ferroviários da zona norte da cidade do rio de janeiro
  • 1) O projeto insere-se na linha de pesquisa que investiga a dimensão físico-territorial da questão urbana, especialmente relativa à estruturação, morfologia e projeto urbano, priorizados no Programa de Pós-Graduação em Urbanismo (PROURB/UFRJ), no qual será desenvolvido. 2) Volta-se à reflexão sobre os impactos dos processos de industrialização e desindustrialização na produção e transformação na Metrópole do Rio de Janeiro em regiões onde predominam a ocorrência desses processos, coincidentes com ambientes urbanos densos e residência de camadas da população de baixa renda. 3) A questão central a ser investigada na pesquisa relaciona-se à percepção da capacidade que a reconversão dos espaços esvaziados da função fabril apresenta para compensar às populações locais, ônus trazidos pela sua presença, no passado e atuais, e sua expressão no território enquanto singularidades espaciais, se superados modos convencionais de intervenção. 4) A compreensão dos remanescentes industriais como singularidade espacial urbana pauta-se na sua identificação com a rugosidade, conceito desenvolvido por Milton Santos (1980), que a define como um espaço diferenciado, carregada de significado urbano e social construídos no tempo, herdeira de marcas do passado e com potência transformadora desde que associada a uma atuação social referencial. 5) Neste sentido, a investigação pretende contribuir com um pensamento voltado ao planejamento e projeto urbano atrelados a interesses das populações que vivenciam o lugar, contrapostos aos do mercado, a partir das potencialidades locais (BRENNER, MADDEN e WACHSMUTH, 2012; SANTOS, 2000; MARICATO, 2000; ROLNIK, 2015). 6) Para isso, propõe a elaboração de mapeamento colaborativo dos remanescentes industriais em plataforma digital GIS WEB aberta, como instrumento prático, orientador de ações da política urbana, ambiental e cultural, prevalecendo a visão de agentes locais na identificação, caracterização e explicitação de potências.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maria Raquel Figueiredo

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • prospecção fitoquímica de metabólitos secundários de aureliana fasciculata com atividade anti-câncer e suas nanoformulações
  • O câncer é uma das principais causas de morte em todo o mundo, responsável por quase 10 milhões de mortes em 2020. Historicamente, os produtos naturais de origem vegetal são reconhecidos como uma importante fonte de novos medicamentos, inclusive agentes anticâncer. Este projeto está fundamentado nos estudos prévios realizados sobre a citotoxicidade, de dois vitanolideos (Aurelianolideos A e B), isolados de Aureliana fasciculata (Vell.) Sendtner var. fasciculata, em várias linhagens de células tumorais. Essas substâncias mostraram um excelente potencial de inibição de crescimento, com ativação de caspases e promoção de apoptose. Entre as testadas, a linhagem Jurkat foi a mais suscetível aos vitanolídeos, com valores de IC50 de 2,25μM e 1,41μM para o Aurelianolido B e o Aurelianolido A, respectivamente. Os resultados promissores, estimularam o aprofundamento deste estudo inicial. Dessa forma, o objetivo deste projeto é isolar e purificar, com um melhor rendimento, os Aurelianolídeos A e B, assim como outros vitanolídeos minoritários, avaliar a citotoxicidade destas substâncias em outras linhagens tumorais e, realizar nanoformulações destes, devido à sua baixa solubilidade em água. Esta proposta multidisciplinar será desenvolvida em três etapas: fitoquímica, farmacologia e nanoformulação das substâncias, que serão realizadas nos laboratórios do Instituto de Tecnologia em Fármacos/FIOCRUZ. Os resultados obtidos serão avaliados quanto à atividade citotóxica e os mecanismos de ação envolvidos. Estes serão apresentados em congressos, palestras na FIOCRUZ e em publicações de artigos, na área de produtos naturais e/ou oncologia. A relevância deste projeto está na importância da busca por substâncias citotóxicas de origem natural e no desenvolvimento de nanotecnologias inovadoras, visando melhorar a biodisponibilidade e a redução da toxicidade dos vitanolídeos.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 01/07/2022-31/07/2024
Foto de perfil

Maria Rita Marques de Oliveira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • formação em doenças crônicas não transmissíveis e seus fatores de risco associados no estado de são paulo
  • Trata-se de um projeto de ensino, pesquisa e extensão que visa a transformar as práticas de gestão, promoção da saúde, prevenção e cuidado da obesidade, hipertensão arterial sistêmica e diabetes no Estado de São Paulo, em 66 municípios. O objetivo será fortalecer a governança municipal e a capacidade técnica das equipes de Atenção Primária à Saúde para a promoção da saúde, prevenção e cuidado das doenças crônicas não transmissíveis no Estado de São Paulo, por meio do trabalho em rede, mediado por ações de ensino-pesquisa-extensão junto aos gestores e equipes de saúde. O trabalho será conduzido em quatro eixos: diagnóstico situacional; formação de trabalhadores e gestores; avaliação da intervenção; difusão do conhecimento. Serão envolvidos gestores dos 66 municípios, os quais serão convidados a participar da equipe de pesquisa adotando-se a abordagem da pesquisa participante. O diagnóstico situacional da gestão e processo de trabalho seguirá as diretrizes estabelecidas no edital e incluirá indicadores quantitativos e qualitativos, produzidos por meio de metodologia participativa. Todos os dados produzidos durante a execução do projeto serão objeto de pesquisa. Foram selecionados um município em cada uma das 62 regiões de saúde, por critério de prevalência e mortalidade por doença crônica e outros quadro nos quais serão trabalhados exclusivamente os territórios de remanescentes de quilombos e territórios indígenas. O total de municípios envolve 525 equipes de saúde para as quais será disponibilizada a formação articulada com a formação dos gestores. Estima-se a participação média de três gestores (cursos de 40h) e três membros de cada equipe de saúde (cursos de 180h) nos processos formativos. O processo de formação adotará metodologia ativa, buscando transformar a realidade da gestão e das práticas de cuidado. Será criado um ambiente virtual e produzido material de divulgação e educação (vídeos, e-books) mapas georreferenciados, transcendendo os limites do Estado de São Paulo no que tange à difusão do conhecimento. O projeto será coordenado pelo Campus de Botucatu da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), envolvendo cursos de Nutrição, Medicina, e Enfermagem a partir do Centro de Ciência e Tecnologia em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional – INTERSSAN, que tem trabalhado ativamente no Estado de São Paulo em projetos dessa natureza. De outras unidades da UNESP serão envolvidos cursos de Comunicação, ci6encias sociais, pedagogia e Ciências Agrárias. Contará ainda com pesquisadores da Universidade de São Paulo. As tecnologias de formação de caráter ativo, incluindo recursos digitais e de geoprocessamento no trabalho em rede e na modelagem de política, a partir do potencial do território darão o caráter inovador à proposta. Destaca-se também uma ação específica para atender os territórios indígenas e quilombolas, com a participação dos atores sociais locais no desenvolvimento da proposta.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 17/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Maria Rosangela Malheiros Silva

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de estudos em agroecologia e produção orgânica do maranhão
  • O projeto proposto tem como objetivo implantar o Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica do Maranhão (NEA-MA) na Universidade Estadual do Maranhão. Por meio de ensino, pesquisa e extensão, o NEA-MA buscará promover a soberania e segurança alimentar e nutricional de agricultores familiares do Estado do Maranhão e apoiar a restauração de áreas degradadas para a provisão de serviços ecológicos essenciais. Com isso, o NEA-MA também terá um papel fundamental no fortalecimento do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia da UEMA e na formação de recursos humanos. O projeto será desenvolvido em cinco municípios do Estado do Maranhão, a saber: São Luís, Alcântara, Itapecuru, Presidente Juscelino e Morros. Entre as ações previstas estão incluídas a elaboração de fichas Agroecológicas, vídeo, cartilhas, artigos científicos, implantação de vitrines de Produção Orgânica de Hortaliças em São Luís e Unidades de Produção Orgânica de Hortaliças em Itapecuru – MA e instalação de vitrine de Restauração Ecológica em São Luís e Unidades de Sistemas Agroflorestais em Alcântara – MA com a participação de agricultores (as) familiares, técnicos de ATER e de estudantes de agronomia e do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia. Apresentação de palestras na “Campanha Anual para a Promoção do Produto Orgânico” e na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Realização de cursos sobre “Agroecologia e Agricultura Orgânica” e de “ Restauração Ecológica com Sistema Agroflorestal”, além de oficinas sobre Produção e manipulação de defensivos naturais para controle de fitopatógenos; Produção e manipulação de defensivos naturais para controle de insetos-pragas; Identificação e manejo de plantas espontâneas com adubos verdes e também a realização de Dia de Campo, de Visitas técnicas às Unidade de Referência e Workshop em Agroecologia. As ações envolverão vários professores que já atuam na área de agricultura sustentável e restauração ecológica com formação acadêmica diversificada. O público alvo será formado por agricultores familiares com destaque para mulheres e jovens, técnicos da Agência Estadual de Extensão Rural (ATER), e estudantes da graduação e pós-graduação da UEMA.
  • Universidade Estadual do Maranhão - MA - Brasil
  • 01/08/2017-31/10/2022
Foto de perfil

Maria Salete Batista Freitag

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • aprendizagem por empreendedores em contextos com restrição socioeconômica
  • O empreendedorismo é reconhecido como alternativa para a situação de pobreza gerando renda e empoderamento (CLERCQ; HONIG, 2011; SI et al. 2014). Pessoas que empreendem em contextos com restrição socioeconômica apresentam características únicas, envolvendo-se em um tipo de empreendedorismo transformador e emancipatório (MILLER; BRETON-MILLER, 2017; TOBIAS; MAIR; BARBOSA-LEIKER, 2013), cuja dinâmica demanda organização do trabalho compatível (FILION, 2000). Considerando a aprendizagem do empreendedorismo (AE) um processo complexo, experiencial, contínuo, inserido contextualmente cujo impacto no empreendimento pode compensar a falta de recursos financeiros (MARKOWSKA; WIKLUND, 2020; RAE, 2017; POLITIS, 2005; VAN EIJKEL et al., 2011), questiona-se: como ocorre a aprendizagem por empreendedores em contextos com restrição socioeconômica? A literatura sobre AE encontra-se em desenvolvimento, necessitando de compreensão clara do processo de aprendizagem (MARKOWSKA; WIKLUND, 2020). Conforme defendido em um dos trabalhos mais citados da área, é preciso progredir nas discussões, examinando contextos específicos em que ocorre a AE (COPE, 2011). Avançar nessa compreensão pode contribuir para a dinâmica de aprendizagem como recurso favorável ao empreendimento (RAE; CARSWELL, 2000). Com isso, o objetivo geral do projeto é compreender como ocorre a aprendizagem por empreendedores em contextos com restrição socioeconômica. Os objetivos específicos são: a) compreender como ocorre a organização do trabalho por empreendedores em contextos com restrição socioeconômica e sua influência sobre a aprendizagem deles; b) identificar como se dão as interações sociais dos empreendedores no contexto do estudo e a influência na aprendizagem multinível (individual, grupal, organizacional e interorganizacional); c) investigar, na perspectiva dos empreendedores, as possibilidades de direcionamento da aprendizagem obtida durante a pandemia de Covid-19 para o futuro do empreendimento.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 15/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Maria Sílvia Duarte Hadler

Ciências Humanas

Educação
  • processos educativos, sociabilidades e sensibilidades no espaço urbano: a circulação de concepções da modernidade em impressos, manuscritos e imagens visuais (1890-1960)
  • Este projeto se insere no campo da História da Educação com o intuito de refletir acerca do processo de constituição de novas formas de sociabilidade e sensibilidades em espaços urbanos entre as décadas de 1890 e 1960. Ao identificarmos o avanço das concepções da modernidade por distintas regiões do Brasil no referido período, selecionamos fontes impressas, manuscritas e iconográficas que foram produzidas ou circularam por cidades da região de Campinas para estudarmos as relações entre história, memória e educação urbana das sensibilidades. Trabalhamos com perspectivas ampliadas dos processos educativos, incluindo tanto práticas cotidianas desenvolvidas em ambientes escolares quanto sujeitos históricos em seus respectivos espaços de sociabilidade. Equipamentos urbanos variados são suportes de práticas culturais que se entrelaçam e se confrontam nos espaços de uma cidade, atuando como significativos mediadores das formas de perceber, sentir, pensar e agir. Os conjuntos documentais pertencentes ao Centro de Memória-Unicamp e ao Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa em História da Educação (CDAPH) da USF abrigam revistas culturais e de variedades, livros escolares, imagens fotográficas, dentre outras fontes que serão analisadas nesta pesquisa. Tal documentação apresenta possibilidades fecundas, permitindo a investigação de representações da vida urbana, noções de uso do tempo e do espaço, de valores, de uma gama de práticas culturais que compõem o cotidiano e participam da construção de uma modernidade urbana que avança de forma sutil e contraditória, invariavelmente conflituosa e que, não raro, produtora de exclusões e descaracterizações. A análise proposta vai propiciar a investigação de formas de sociabilidade e de educação urbana das sensibilidades expressas na documentação selecionada e possibilitar a apreensão de traços de permanência, ou mesmo de rupturas, entre processos culturais multifacetados ainda presentes na dinâmica social contemporânea.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Maria Stella Figueiredo

Ciências da Saúde

Medicina
  • validação do uso da ferramenta crispr/cas9 na edição gênica da mutação da anemia falciforme
  • A Anemia Falciforme (AF) é um problema de saúde pública no Brasil. Existem cerca de 30 mil portadores no país. A AF é doença monogênica causada por mutação pontual no gene HBB (substituição de ácido glutâmico por valina). Essa mutação é responsável pela produção de variante da hemoglobina (Hb), conhecida como HbS, no lugar da Hb normal. Essa mutação tem impacto direto na estrutura da Hb e é responsável pela manifestação ampla da doença e suas complicações. Dentre estas podemos citar anemia hemolítica, inflamação, crises de dor, lesões orgânicas e menor sobrevida. Com exceção do transplante alogênico de células-tronco hematopoéticas (TCTH), a AF segue como uma doença sem cura. O tratamento de controle das complicações é feito através da administração de hidroxiuréia, quimioterápico que induz a síntese de Hb fetal (HbF), e diminui os efeitos da HbS. O TCTH, única alternativa de cura, tem emprego efetivo limitado devido à pouca existência de doadores compatíveis, sem contar os riscos a ele associados. Desde a última década, com o aperfeiçoamento do sistema CRISPR/Cas9, a edição gênica tem apresentado melhor eficácia e segurança, tornando factível seu uso em seres humanos. Nesse trabalho, nos propomos a utilizar essa ferramenta como alternativa terapêutica. Será usada a proteína Cas9 recombinante de alta fidelidade (HiFi-Cas9/RNP) na edição gênica de células-tronco hematopoéticas por eletroporação, a fim de garantir a segurança dos ensaios, sem a presença de bactérias, vírus e plasmídeos e com o emprego de oligonucleotídeos sintéticos. A abordagem será em camundongos trangênicos através de xenoenxerto. Trata-se de trabalho inovador pois até o presente não existe estudo publicado com vistas à sua translação para o tratamento da AF em humanos. A cura da AF impactará sobremaneira as despesas do SUS pois, segundo dados obtidos no site do Ministério da Saúde, o Brasil gasta anualmente cerca de 6 milhões de reais apenas no tratamento das complicações destes pacientes.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 08/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Maria Sueli Soares Felipe

Ciências Biológicas

Genética
  • novo alvo, novas moléculas: a luta contra fungos patogênicos emergentes e negligenciados
  • As infecções fúngicas têm se tornando cada vez mais frequentes em todo o mundo. Avanços na medicina resultaram no aumento da sobrevivência de pacientes críticos; por outro lado, representam um risco significativamente maior de infecções fúngicas oportunistas, com grande impacto para saúde pública. Existem vários desafios neste contexto, tais como arsenal terapêutico limitado, tratamento prolongado, toxicidade, interações medicamentosas, o surgimento de isolados resistentes. Diante deste cenário, o nosso grupo tem-se dedicado nos últimos anos a identificar um alvo terapêutico específico e promissor, que é a tiorredoxina redutase. O sistema tioredoxina é essencial para o controle do estado redox das células e, por isso foi escolhido por conferir especificidade contra o patógeno. Desta forma, o projeto segue centrado no desenvolvimento de antifúngicos mais seguros e eficazes, por meio da abordagem de desenho racional de fármacos. Este projeto encontra-se com resultados robustos, perspectivas mais concretas e direcionadas, que poderão viabilizar a introdução de uma nova classe de fármacos com perfil fungicida, diferente daquelas que já estão no mercado. Os resultados têm demonstrado que compostos contendo o anel 1,3,4-oxadiazólico apresentam atividade antifúngica promissora e direcionada contra o sistema tioredoxina. Esta proposta tem como foco principal, selecionar, sintetizar, testar e eleger os derivados que poderão seguir para os estudos pré-clínicos in vivo utilizando modelagem farmacocinética de base fisiológica (PBPK), para definição da primeira dose animal e, se possível, humana. Esta proposta agrega diferentes grupos de pesquisa (UCB/UnB, UEM, UNIFESP, UNEMAT, UNICEUMA) com diferentes “expertises” que se complementam, e ainda com a parceria de um grupo internacional na área de bioinformática (LORIA – Nancy/França), o que propiciará o desenvolvimento adequado do projeto. Esta proposta encontra-se bem alinhada com o contexto de C&T e Inovação no País.
  • Universidade Católica de Brasília - DF - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maria Suely Costa da Câmara

Ciências Humanas

História
  • 6a feira de ciências e mostra científica do sertão do pajeú
  • O rápido crescimento da ciência ocorrido nos últimos 100 anos foi acompanhado por uma educação formal focada cada vez mais na memorização de fatos. É necessário romper com este método e familiarizar o estudante com a prática da ciência, destacando o prazer e a utilidade da descoberta, formando cidadãos capazes de responder às necessidades do mundo atual. Cabe à escola democratizar o acesso ao conhecimento científico e tecnológico, incentivando o interesse pela ciência e pelas relações entre os conceitos científicos e a vida. Embora não seja uma tarefa simples, a escola deve buscar a interação com universidades, faculdades, museus de ciência e outros centros de produção e difusão do conhecimento. E vice-versa, universidades, faculdades e os centros de pesquisa devem reconhecer seu papel de destaque na inovação da educação para a ciência. Segundo Oliveira (2000), aprendemos com a perspectiva sócio interacionista, proposta por Vygotsky, que a linguagem tem no intercâmbio social sua principal função, sendo constituída através dela uma significativa interação entre as pessoas, consolidando as possibilidades de trocas entre elas, assim como de partilhar o mundo. Acreditamos que a uma educação científica de qualidade deve obedecer alguns critérios presentes na literatura e que fazem parte das novas perspectivas de ensino, de forma a atender as necessidades do mundo atual. Dessa forma, A contextualização é necessária para explicar e conferir sentido aos fenômenos isolados. As partes só podem ser compreendidas a partir de suas inter-relações com a dinâmica do todo, ressaltando-se a multiplicidade de elementos interagentes que, na medida da sua integração, revela a existência de diversos níveis da realidade, abrindo a possibilidade de novas visões sobre a mesma realidade (SANTOS, 2008). Além disso, a contextualização permite que o aluno perceba que a química está em tudo que nos rodeia. A contextualização no ensino das ciências: Químicas, física, matemática e biologia não se limita apenas a citações ou exemplos de substâncias e/ou materiais que encontramos no cotidiano, mas de dar significado ao conhecimento construído na sala de aula, fazendo com que os conteúdos façam sentido para os alunos. As novas abordagens de ensino propostas nas pesquisas visam a contextualização, a partir de metodologias de ensino que consideram a aplicabilidade de conteúdos no dia-a-dia e/ou a problematização de temas atuais. Dentro desse contexto, entendemos que aprender ciência é sinônimo de saber falar sobre ciência. As Feiras de Ciências (ou Feiras de Conhecimentos, ou Feiras de Ciência e Cultura) se apresentam então como um convite para abrir todas as janelas: da curiosidade e do interesse do aluno, da criatividade e da mobilização do professor, da vida e do sentido social da Escola. Ao definir um projeto de Feira de Ciências na escola, é possível perceber de imediato uma série de mudanças positivas na movimentação dos alunos e em suas aquisições. Alternativa ao modelo de feira de ciências, as Mostras Científicas estão ganhando espaço no Brasil, por seu caráter mais próximo, no viés da estrutura organizacional, com os congressos, encontros e simpósios científicos em nível sênior. São características de uma mostra científica: • Gerar contribuição significativa para o desenvolvimento em ciência e tecnologia do Brasil, pela exposição de trabalhos em um tema delimitado ou temas diversos. • Motivar o interesse dos estudantes de ensino fundamental, médio e técnico para a área científica e técnica. • Reconhecer talentos e ajudar no desenvolvimento de competências para seguimento destes em área de ciência e\ou tecnologia. • Movimentar a visão positiva da ciência, através da apresentação de resultados e eventos co-relacionados dentro de uma perspectiva de divulgação científica. Dentro desse pensamento, as mostras científicas podem ser organizadas baseadas em dois diferentes contextos, que podem ser colocados de maneira independente, na natureza da mostra, ou estarem em sintonia, compondo a estrutura da mesma, a saber: Divulgação de trabalhos científicos desenvolvidos na escola (ou escolas) e Divulgação para a escola (ou escolas) de trabalhos científicos desenvolvidos por Universidades, Faculdades, Centro de Pesquisas e outros. Neste sentido, o ensino nas escolas do sertão Pernambucano deve estar voltado às atividades do meio em que vivem. A experimentação é uma ferramenta importante no processo de ensino e aprendizagem. No entanto, é necessário que as atividades sejam bem elaboradas e aplicadas para que se tenha significado. Nesse sentido, lança-se mão, aqui, do suporte psicológico para melhor atender às especificidades locais e subjetivas dos envolvidos nestas atividades.Diante disto a Ciência e a Tecnologia têm cada vez mais se tornado parte da formação cidadã. Neste contexto, uma iniciativa que tem mobilizado professores é o estimulo de novas vocações em ciências por meio do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores, e a participação em feiras de ciências e mostras científicas como estratégias pedagógicas de implantação de atividades voltadas para a educação e difusão da ciência e tecnologia. Sendo assim o evento tem como objetivo geral • Dá continuidade a esse evento na cidade para continuar contribuindo para o desenvolvimento sustentável da educação científica e técnica nas escolas de Serra Talhada e escolas da região do Pajeú estimulando nos estudantes da educação básica a concepção de ciência e tecnologia enquanto conhecimentos passíveis de serem mobilizados para a leitura do cotidiano e para a resolução de problemáticas sociais e ambientais. Dessa forma, estaremos contribuindo para o processo de Educação científica na escola, permitindo ao aluno tomar decisões em seu círculo social, com base no conhecimento científico construído. Também é nosso intuito incentivar a produção de trabalhos interdisciplinares, a atitude investigativa e identificar jovens talentos entre os estudantes da educação básica.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 06/02/2021-28/02/2023
Foto de perfil

Maria Teresa Anselmo Olinto

Ciências da Saúde

Nutrição
  • condições de saúde de mulheres trabalhadoras de turnos: estudo longitudinal de saúde ocupacional (elo saúde)
  • O trabalho em turnos vem ganhando maior destaque ao redor do mundo. No Brasil, 84.259 milhões são trabalhadores de turnos (PNAD,2016). O trabalho em turnos (fixo, rotativo ou irregular) leva a alterações no ritmo circadiano, envolvido na regulação de inúmeras funções metabólicas, como a regulação da fome e saciedade, passando pela privação ou má qualidade do sono, estresse e alterações comportamentais, como na alimentação e no nível de atividade física, decorrendo em maior prevalência de doenças metabólicas, como obesidade e síndrome metabólica, e distúrbios de alteração de humor. Contudo, ainda há a necessidade de elucidar a temporalidade na etiologia e na ocorrência desses eventos. Adicionalmente, estudos têm apontando que as mulheres podem ser mais vulneráveis aos efeitos deletérios deste tipo de trabalho. Isso pode ser explicado, em parte, pela dupla jornada de trabalho, dividida entre o ambiente laboral e o doméstico, potencializada no caso de mulheres chefe de família, 45% (IPEA, 2018). Embora em países desenvolvidos sejam realizados grandes estudos sobre saúde dos trabalhadores em turnos, no Brasil, ainda são escassos. Assim, objetiva-se avaliar as condições de vida e saúde de trabalhadoras de turnos. Em específico, avaliar os efeitos do trabalho em turnos nas doenças metabólicas, como obesidade geral e abdominal e síndrome metabólica; nos transtornos mentais comuns; nos hábitos de vida como alimentação, atividade física e qualidade do sono; nos aspectos da atividade laboral como o estresse no trabalho; e, no uso de psicofármacos para transtornos de sono, ansiedade e depressão. Nossas hipóteses têm a direção de que a exposição ao trabalho em turnos aumenta o risco dos desfechos supracitados; e, há importantes interações entre as variáveis do ambiente laboral e da vida na ocorrência desses desfechos. Para tal, propõe-se um estudo epidemiológico de coorte com mulheres trabalhadoras em turnos (fixos) de uma empresa com matriz localizada no sul do Brasil.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 17/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Maria Teresa Bustamante Teixeira

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • incidência e sobrevida de tumores raros no brasil
  • Os tumores raros consistem em um desafio para a prática clínica assim como para a epidemiologia e a saúde pública. Para o Brasil, torna-se relevante abordar este tema ainda pouco explorado, para estimar a carga destes tumores, já considerados problema de saúde pública em muitos países. Na Europa, anualmente, os cânceres raros representam cerca de 22% de todos os cânceres incidentes, nos Estados Unidos da América cerca de 25%. O objetivo desse projeto é o de avaliar a incidência e a sobrevida dos cânceres raros e comparar as características demográficas, anatômicas e histológicas entre os cânceres raros e não-raros (comuns) a partir dos dados de Registros de Câncer de Base Populacional (RCBP), dando visibilidade e fornecendo subsídios para o planejamento de ações de prevenção, detecção e tratamento desses tumores. Nesse estudo serão utilizados inicialmente os dados referentes aos municípios de São Paulo e de jaú, SP e da Grande Cuiabá, MT. Serão consideradas neoplasias raras aquelas definidas na lista elaborada pelo RARECARE, baseada no critério dos cânceres que apresentam uma incidência menor do que 6/100.000/ano. As taxas de incidência serão calculadas considerando o número de casos ocorridos no período do estudo dividido pelo total de pessoas-ano na população de referência, no mesmo período, considerando sexo, idade e entidades nosológicas. Serão calculadas as probabilidades de sobrevida líquida (net survival) após cinco anos do diagnóstico, utilizando o estimador proposto por Pohar Perme e Henderson. Para o cálculo será utilizado o programa SEER*Stat. As taxas de sobrevida serão padronizadas por idade (populações padrão européia de pacientes com câncer) e serão comparadas por meio do cálculo do risco relativo de morte (razão do logaritmo da sobrevida relativa comparado com a categoria de referência). Os fatores prognósticos serão avaliados utilizando o modelo de riscos proporcionais de Cox.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maria Teresa Gomes Lopes

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • indicadores relacionados às ameaças climáticas e medidas para minimizar os impactos de desmatamento na conservação de espécies florestais da amazônia - climam
  • O projeto foi elaborado para determinar a distribuição natural das principais espécies florestais da Amazônia, situadas no “arco do desflorestamento”, nas imediações da BR230, BR174 e BR319, e que se encontram em situação de vulnerabilidade com a derrubada da floresta. O objetivo é monitorar o desmatamento e as alterações climáticas das áreas desmatadas no estado do Amazonas, gerar índices e indicadores que dimensionem as ameaças climáticas e desenvolver metodologias para certificação de origem de madeira, visando subsidiar políticas públicas, a formulação de leis e a conservação dos recursos genéticos florestais. Dados climáticos do período atual, sobre a região amazônica, serão obtidos de duas redes de estações meteorológicas, uma do Instituto Nacional de Meteorologia - INMET e outra da Agência Nacional de Águas – ANA. Os dados serão analisados quanto à completude, consistência, existência de falhas, erros e a periodicidade. As séries climáticas deverão possuir pelo menos 20 anos de dados históricos.A modelagem da predição da ocorrência das espécies florestais será feita utilizando dados climáticos do período atual e dos cenários futuros obtidos no site do Worldclim e serão gerados mapas das variáveis bioclimáticas para dimensionar os riscos climáticos sobre populações naturais das espécies. A redução da cobertura florestal na área de avanço do desmatamento no Amazonas, nas imediações da BR230, BR174 e BR319 será monitorado utilizando o Sistema Planet que é usado pela Polícia Federal. Amostragens de madeiras e de solos serão obtidas também desta área para a construção de banco de informações de espécies florestais madeireiras e medidas de para a resiliência das espécies e do ecossistema. Serão realizadas análises com isótopos estáveis e marcadores SNPs para obter informações de origem de espécies florestais, visando rastrear procedência de madeiras apreendidas pela Polícia Federal para combater crime contra o desmatamento não autorizado. Os índices e indicadores de ameaças climáticas a serem obtidos fornecerão subsídios ao aprimoramento de políticas públicas voltadas à conservação das espécies e a proposição de medidas de mitigação dos impactos climáticos, de fiscalização de madeira junto a Perícia Criminal, que é responsável pelas provas técnico científicas para a contenção de crimes no Setor Florestal no Estado do Amazonas. A proposta de rede está estruturada para contribuir para a redução de impactos climáticos, redução do desmatamento ilegal e sustentabilidade da Floresta Amazônica.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 08/01/2021-31/01/2024
Foto de perfil

Maria Tereza dos Santos Correia

Ciências Humanas

Filosofia
  • ciência na caatinga: redescobrindo as riquezas e potencialidades do bioma exclusivamente brasileiro.
  • A Caatinga é um bioma único no mundo e exclusivamente brasileiro, reconhecido como uma das 37 grandes regiões naturais do Planeta, ao lado da Amazônia e do Pantanal. Constantemente associada à seca, pouca biodiversidade e à pobreza, a realidade da Caatinga é, ao contrário, muito rica, possuindo valores ambientais, biológicos, econômicos e culturais relevantes para o país. O Bioma Caatinga é o principal da região Nordeste, ocupando uma área de 844.453 km², aproximadamente 11% do território nacional. Abrange de forma contínua os estados do Ceará (quase 100%), Rio Grande do Norte (95%), Paraíba (92%), Pernambuco (83%), Piauí (63%), Bahia (54%), Alagoas (48%), Sergipe (49%), além de Minas Gerais (2%) e Maranhão (1%). Sendo um bioma bastante heterogêneo, a Caatinga apresenta riquíssima biodiversidade de flora e fauna, incluindo espécies endêmicas, o que lhe proporciona enorme potencial de exploração sustentável para fins nutricionais, medicinais, para alimentação animal, uso energético (lenha e carvão vegetal) e ornamental. Mesmo diante de sua riqueza e valor biológico, a Caatinga ainda é considerada como um dos menos conhecidos e mais negligenciados dentre os biomas brasileiros, tanto em relação à quantidade de pesquisas, quanto à criação de políticas públicas de conservação e uso sustentável da biodiversidade. A localização da Caatinga coincide com a região de clima semiárido do Brasil, que é descrita como a região semiárida mais biodiversa e mais densamente povoada do mundo, com cerca de 28 milhões de habitantes, o que equivale a quase 15% da população brasileira. Os habitantes são os mais pobres do país, com índices de desenvolvimento humano inferiores às médias nacionais, marcados pela dependência dos recursos naturais para sobreviver. O desenvolvimento da região e o uso sustentável dos recursos é uma forma de promover a geração de renda e a inclusão social de uma população que vive sob grande vulnerabilidade social e econômica. A Caatinga já perdeu cerca de 46% da vegetação original, sendo o bioma brasileiro mais vulnerável às mudanças climáticas e tende a ser o mais atingido pelos efeitos negativos do aquecimento global. A desertificação é um problema socioambiental que provoca pobreza, desigualdade e exclusão social e que requer o enfrentamento de maneira articulada por meio de políticas públicas integradas. Há ainda muitos desafios. No passado foram às desvantagens climáticas e a inóspita natureza local que impulsionaram a organização social desse território. Atualmente, é a valorização da riqueza do bioma caatinga que irá proporcionar uma bioeconomia capaz de transformar com possibilidades de fornecimento de produtos florestais não madeireiros fundamentais na geração de emprego e renda para a população e com grande potencial econômico, sendo importante estimular os jovens já no ambiente escolar utilizando de ferramentas como ciência móvel que promova espaços de realização e divulgação dos trabalhos científicos fora das universidades. Nesse sentido, o projeto “Ciência na Caatinga: redescobrindo as riquezas e potencialidades do bioma exclusivamente brasileiro” se justifica igualmente por seu caráter descentralizador: pensada fora das grandes capitais, por promover não apenas evidenciam científicas, mas também a valorização da cultura e identidade local das riquezas do Sertão, incentivando o protagonismo dos atores que residem nessa região. A realização de uma ciência móvel irá proporcionar de forma pioneira a possibilidade de desenvolvimento de cadeias ecoprodutivas com Agricultura de Baixo Carbono (ABC) em comunidades com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) utilizando plantas nativas da Caatinga com potencial alimentar, fitoterápicos e cosméticos. O projeto apoiará a implantação dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) previsto pela ONU no semiárido do Brasil, em especial: ODS 1. Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares; ODS 2. Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável; ODS 5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas e ODS 15. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade. Os resultados das experiências exitosas do projeto serão amplamente divulgados por metodologias inovadoras voltadas para a comunicação pública.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 05/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Maria Terezinha Santos Leite Neta

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • desenvolvimento de produtos lácteos simbiótico à base de leite caprino utilizando polpa de frutas do gênero spondias
  • O consumo de leite de cabra vem aumentando significativamente nos últimos anos, principalmente por ser uma alternativa para indivíduos alérgicos ao leite de vaca. Apesar do aumento significativo do consumo desse tipo de leite, a diversidade de produtos disponíveis no mercado ainda é escassa. Sendo assim, uma forma de difundir e diversificar o consumo deste leite no mercado é utilizá-lo como matéria-prima em produtos lácteos, a exemplo do queijo tipo Petit-suisse, bastante apreciado mundialmente. No entanto, durante o processo de fabricação deste produto, é gerado uma grande quantidade de soro de leite, o qual, quando não utilizado, é muitas vezes descartado de forma inadequada, gerando sérios problemas ambientais. Uma possibilidade para o aproveitamento desse soro é utilizá-lo na fabricação de bebidas lácteas fermentadas. Para agregar valor a estes produtos lácteos a utilização de frutas tropicais com sabor e aroma exóticos, como as do gênero Spondias, é uma alternativa bastante viável para aumentar o valor nutricional e a qualidade sensorial destes produtos. Essas frutas são sazonais e bastante perecíveis, por isso as técnicas de secagem viabilizariam a utilização delas fora dos períodos de safra, proporcionando a disponibilidade dos produtos a qualquer tempo e em diferentes regiões. O Nordeste brasileiro é o principal produtor das frutas deste gênero e também do leite de cabra, facilitando o desenvolvimento destes produtos lácteos à base destas frutas. Atrelado a isto, além do valor nutricional e sensorial, esses produtos possuem ainda propriedades funcionais quando adicionados de micro-organismos probióticos e/ou componentes prebióticos. Assim sendo, este projeto visa o desenvolvimento e caracterização do perfil físico-químico, microbiológico e sensorial de queijo tipo Petit-suisse e bebidas lácteas fermentadas simbióticos com adição de polpa desidratadas de frutas tropicais (cajá, cajá-umbu e umbu), utilizando leite e soro de leite de cabra.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Maria Thereza Ávila Dantas Coelho

Ciências Humanas

Educação
  • ensino remoto na pandemia covid-19: representações sociais de estudantes universitários
  • Os processos de ensino e aprendizagem geram desafios tanto para docentes quanto para estudantes. Com o surgimento da pandemia Covid-19, em 2020, as universidades federais brasileiras adotaram o ensino remoto emergencial como modalidade única de ensino, por tempo indeterminado, até que se cessasse o elevado risco à saúde das comunidades. Rápidas mudanças foram empreendidas nas práticas pedagógicas no Brasil, sem que houvesse um tempo maior de preparação continuada para elas. Em meio a isso, vivenciou-se um elevado número de casos e de mortes decorrentes da Covid-19. Tornou-se necessário, então, refletir sobre essas experiências em meio à crise sanitária. Como os estudantes universitários representaram e vivenciaram esses processos? A produção de artigos sobre essa questão ainda é incipiente. O incremento de pesquisas com os estudantes pode fornecer elementos acerca das representações sociais do ensino remoto e da Covid-19 entre eles. Nessa direção, o objetivo geral desta pesquisa é investigar as representações sociais sobre o ensino remoto e a Covid-19, entre discentes da Universidade Federal da Bahia. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, com o referencial teórico-metodológico da Teoria das Representações Sociais. A produção dos dados será feita através de Teste de Associação Livre de Palavras, questionário e entrevista. A análise dos dados será efetuada com base na Análise de Similitude e Análise de Conteúdo. Essa abordagem metodológica permitirá apreender as representações sociais desses estudantes, suas opiniões, sentimentos e atitudes ligadas ao ensino remoto e à Covid-19. O estudo obedecerá às normas éticas ligadas às pesquisas com seres humanos e colaborará para a discussão científica acerca do tema e para os debates ligados às políticas de inclusão e acesso às tecnologias digitais, e de aprimoramento das tecnologias educacionais.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Maria Valnice Boldrin Zanoni

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • instituto nacional de tecnologias alternativas para detecção, avaliação toxicológica e remoção de micropoluentes e radioativos (inct-datrem)
  • O INCT-DATREM tem por objetivo a formação de rede nacional de grupos de pesquisa atuantes na busca por tecnologias inovadoras para avaliação de micropoluentes em nível químico, toxicológico e radioativo, bem como na busca por tecnologias mais eficientes para tratamento de resíduos, esgotos, efluentes e águas de captação, contribuindo para a avaliação de risco, preservação ambiental, saúde humana e controle da segurança e qualidade dos produtos de exportação e importação. A criação de uma rede de pesquisa qualificada centrada neste Instituto visa dar continuidade ao grupo de pesquisa consolidado através do projeto temático (FAPESP-2008/10449-7), intitulado “Avaliação da ocorrência, toxicidade/genotoxicidade e processos para degradação de corantes em efluentes e águas superficiais” ampliando a atuação da pesquisa para o conhecimento de outros micropoluentes e auxiliará no intercâmbio científico e confluência de dados com outros grupos de pesquisas atuantes no Brasil, ampliando a prospecção de novos contaminantes e envolvendo novos pesquisadores em grupos emergentes e/ou consolidados com especialidades afins. As atividades a serem desenvolvidas integram as metas de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em áreas estratégicas para o país, no tocante à produção sustentável, produção mais limpa e produtos adequados ás normas internacionais. Nas próximas décadas o Brasil enfrentará normas extremamente restritivas para exportação e não poderá mais lançar produtos químicos em seus mananciais sem uma avaliação de risco de compostos comprovadamente tóxicos/genotóxicos e poluentes emergentes, requerendo para tanto métodos de monitoramento e um claro mapeamento das suas propriedades de toxicidade/mutagenicidade, distribuição, biodisponibilidade, persistência, radioatividade e etc. O termo, contaminantes emergentes e/ou micropoluentes refere-se aqui a compostos químicos de origem sintética ou natural, não reconhecidos como prejudiciais á saúde ou ao meio ambiente devido à escassez de resultados que comprovem seus efeitos. Tais compostos estão presentes em diferentes produtos do cotidiano da sociedade moderna, sendo os mais comuns classificados como produtos farmacêuticos, surfactantes, plastificantes, praguicidas, corantes, retardantes de chamas e etc. Além disso, a presença desses contaminantes emergentes em diferentes compartimentos ambientais é alarmante, principalmente, devido ao seu acelerado ritmo de introdução, baixo potencial de degradação e da associação com efeitos tóxicos à saúde. Este Instituto atenderá as necessidades de pesquisas básicas e tecnológicas e de recursos humanos qualificados, oriundas do desafio de contribuir para a reavaliação do risco do lançamento de pelos menos 5000 compostos gerados como rejeitos ou sub-produtos dos processos de produção, bem como da necessidade de buscar novas tecnologias para tratamento de efluentes industriais e esgotos de forma econômica e eficiente, contribuindo assim para ações e políticas que visem harmonizar o desenvolvimento econômico com a questão sócio-ambiental e comprometimento com a saúde pública. Dentro deste contexto, pretendem-se desenvolver métodos analíticos inovadores baseados em técnicas cromatográficas com diferentes detectores (UV, DAD, ED e massas) e construção de sensores versáteis e econômicos usando diversos materiais nanoestruturados para obter diagnósticos de forma simplificada na determinação destes compostos em matrizes complexas, corroborados por estudos das propriedades mutagênicas, genotóxicas, ecotoxicológicas e toxicológicas, propiciando uma avaliação de risco adequada e o futuro estabelecimento de critérios de qualidade de água a serem adotados nas normas legais Brasileiras. Pretende-se ainda vencer as dificuldades analíticas relacionadas à crescente presença de radionuclídeos nos recursos hídricos em decorrência de processos tecnológicos e propor alternativas mais eficientes e de baixo custo para a remoção de contaminantes emergentes ou minimização de seus efeitos. A proposta prevê trabalhar na fronteira do conhecimento, por meio do avanço das pesquisas multi- e transdisciplinares voltadas à preservação ambiental e da saúde humana. O Instituto promoverá forte interação com outras Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) nacionais e estrangeiras, com empresas e com órgãos governamentais e atuará como redes cooperativas de excelência em pesquisa em contaminantes emergentes, contribuindo para o desenvolvimento de inovações tecnológicas, programas conjuntos de qualificação de recursos humanos, geração de empregos e renda, e melhoria da qualidade de vida da população.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 25/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Maria Virginia Petry

Ciências Biológicas

Ecologia
  • fatores ecológicos e pressões antrópicas atuando sobre as aves marinhas no arquipélago de são pedro e são paulo: uma abordagem trófica
  • A regra de Bergmann postula que animais endotérmicos habitando altas latitudes tendem a possuir maior tamanho corporal do que os indivíduos da mesma espécie habitando baixas latitudes. Mas, para populações de atobá-pardo Sula leucogaster (Boddaert, 1783) (Sulidae, Aves) em ilhas do Atlântico essa regra não se aplica. Seria esperado que as populações das colônias localizadas na porção Sul do Atlântico, como a das ilhas Moleques do Sul (MS), apresentassem fenótipo corporal maior. Entretanto, os indivíduos do Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP), próximo à linha do Equador, são de 100 a 300 g mais pesados que indivíduos dessas ilhas. Nas ilhas MS, 50% das espécies que compõem a dieta do atobá são provenientes do descarte da pesca, enquanto no ASPSP a mesma espécie não se alimenta de descarte. Uma vez que, nas últimas décadas tem-se observado que os organismos buscam equilibrar diferentes macronutrientes (i.e., proteína, lipídios, carboidratos etc.) em proporções adequadas e que o equilíbrio nutricional pode afetar o tamanho corporal de organismos, a hipótese do presente projeto é de que a eficiência de forrageio, mediada pela qualidade nutricional do alimento e o esforço despendido na captura das presas, influenciam na manutenção do fenótipo. Sendo assim, as diferenças de tamanho corporal em ilhas localizadas em extremos latitudinais da costa brasileira, estariam relacionadas às distintas combinações e disponibilidade de presas em cada região. Dessa forma, o maior tamanho de S. leucogaster no ASPSP seria uma consequência da dieta de melhor qualidade nutricional e maior demanda no esforço de forrageio quando comparado a outras regiões. Nesse contexto, um dos objetivos do projeto é investigar se as presas consumidas por S. leucogaster do ASPSP diferem em termos de composição nutricional das presas consumidas, bem como comparar métricas de esforço de forrageio com populações de S. leucogaster do Arquipélago Moleques do Sul. O projeto ainda terá como objetivo avaliar o estado de contaminação da cadeia trófica do ASPSP, através da análise de Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs), tanto dos principais componentes da dieta dos predadores, os peixes-voadores (Exocoetidae, Actinopterygii), assim como, analisar a contaminação nos peixes predadores de valor comercial, como Thunnus albacares. Ademais, também serão analisados os poluentes presentes em predadores de topo, as aves S. leucogaster, Anous stolidus e A. minutus. Ainda na linha de contaminação, serão comparados os níveis de POPs nas presas de S. leucogaster do ASPSP com as de Moleques do Sul. O projeto empregará tecnologia e metodologia aprimorada para atingir seus objetivos. Para analisar a qualidade da dieta entre as populações, será avaliado o teor de nutrientes dos peixes através de análises físico-químicas no Laboratório de Nanotecnologia Aplicada a Alimentos do itt Nutrifor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Para avaliar a eficiência de forrageio, será calculada a razão entre a qualidade nutricional das presas e o esforço despendido na captura destas, onde serão utilizados dispositivos rastreadores GPS e acelerômetros afim de se obter métricas que permitirão mensurar possíveis diferenças no esforço de forrageio entre as duas populações. As análises de Poluentes Orgânicos Persistentes serão realizadas no Laboratório de Química Orgânica Marinha (LABQOM) da Universidade de São Paulo. Essas diferentes abordagens ressaltam o caráter multidisciplinar e interdisciplinar da proposta, que estão alinhadas ao objetivo número 14 dos objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) que tem como objetivo “conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável”. Através da determinação do estado da qualidade nutricional das presas ingeridas por S. leucogaster em duas colônias que estão em diferentes estados de antropização, espera-se também contribuir com evidências de que o ASPSP é um local com condições diferenciadas que permitem o desenvolvimento de indivíduos maiores devido a oferta de alimento de melhor qualidade nutricional. Enquanto que a quantificação dos níveis de contaminação por POPs na cadeia trófica do ASPSP e Moleques do Sul, irá ampliar o conhecimento sobre a ocorrência e distribuição de poluentes orgânicos em ilhas brasileiras. Esse resultado poderá gerar subsídios que indicam que o ASPSP se encontra em bom estado de conservação comparado a outras regiões. Também espera-se demostrar que os peixes de valor comercial que são pescados no ASPSP contêm baixos níveis de POPs, e portanto não oferecem riscos ao consumo humano, o que agregaria valor ao pescado brasileiro. Além de ter como metas publicações científicas de alto nível e formação de recursos humanos, o projeto também está preocupado em executar estratégias de divulgação científica e popularização da ciência. O Laboratório de Ornitologia e Animais Marinhos da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), contará com pesquisadores do Instituto Tecnológico em Alimentos para a Saúde (Itt Nutrifor) da Unisinos, e de outras instituições, tais como: Laboratório de Química Orgânica Marinha (LabQOM) do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, da Universidade de São Paulo, Centro de Ensino em Ciências Tecnológicas da Terra do Mar da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 01/12/2019-31/10/2022