Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adriane Vieira

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • identidade, formação profissional e relações de trabalho: a saúde dos médicos em análise
  • O ingresso crescente de mulheres no mercado de trabalho, inclusive em profissões que eram redutos masculinos como a medicina, vem provocando profundas mudanças na sua dinâmica, afetando principalmente as relações de poder entre gêneros, a distribuição de papéis, a ocupação de cargos estratégicos e a distribuição de renda. Nenhum outra profissão da saúde se iguala no grau de autonomia ou autoregulação de seus profissionais, podendo-se afirmar que os médicos se constituem em uma pequena mas estratégica parcela do setor de serviços, na qual se concentra a criatividade humana sob a forma de expertise especializada. Não obstante, apesar do reconhecimento e status social da profissão, identifica-se na literatura a presença de elementos que podem comprometer não só a aprendizagem, mas também a qualidade das relações socioprofissionais entre os próprios médicos, como também entre eles e demais profissionais de saúde. O ingresso nos cursos de graduação e pós-graduação exige grande capacidade de adaptação em função da intensa carga horária de estudo e ambiente exigente e competitivo, no qual estão presentes fatores estressantes. Nesse contexto, os sintomas mais frequentemente encontrados são: raiva, hostilidade, ansiedade, depressão, ideação suicida, falta de libido e distanciamento emocional dos parceiros, amigos e familiares. Nossa suposição de pesquisa é de que além das repercussões adversas sobre a saúde do próprio profissional será possível identificar consequências negativas para com a própria profissão, como maior cinismo e agressividade, decepção e desejo de abandonar a carreira, além da reprodução de práticas de violência psicológica e física tal como assédio moral. Sendo assim, o objetivo geral da pesquisa se constitui em analisar o processo de construção das identidades dos profissionais médicos, levando em consideração os elementos do contexto de educacional e das práticas cotidianas, e seus efeitos sobre a saúde física e emocional. Os principais objetivos específicos são comparar a auto e heteropercepção quanto aos atributos que melhor caracterizam as identidades profissionais de estudantes de graduação e médicos-residentes, identificar possíveis diferenças de gênero nessa construção, descrever os efeitos do processo de formação na configuração das relações de poder entre profissionais médicos e não-médicos, e analisar os efeitos da formação educacional e das práticas cotidianas na saúde física e emocional de estudantes de graduação e de médicos residentes. O método de investigação escolhido é o estudo multicasos, com uso de técnicas quantitativas e qualitativas para a coleta e a análise de dados. Farão parte da amostra estudantes de graduação de duas instituições de ensino, uma pública e outra privada, e médicos-residentes de programas de residência em hospitais públicos e privados. Dois instrumentos de coleta de dados serão utilizados: um questionários contendo a Escala de Auto e Heteropercepção Profissional (EAHP), e entrevistas em profundidade. Também serão alvo das entrevistas professores e preceptores. Os dados quantitativos serão submetidos a análise estatística descritiva que inclui: teste Kruskal-Wallis ou ANOVA; Teste Mann-Whitney ou Teste T; Correlação de Spearman ou Pearson; Análise Fatorial; e Modelagem de Equações Estruturais via PLS. A proposta de pesquisa apresentada se justifica pela possibilidade de dar sequência a estudos sobre a construção de identidades em profissões de saúde, diversificando os achados e aprofundando as análises, bem como validar a Escala EAHP para a profissão médica. As demais contribuições do estudo serão: a formação de bolsistas de iniciação científica; a ramificação desta proposta nos trabalhos de conclusão de curso de graduação e pós-graduação stricto senso; e a contribuição com insumos para o desenvolvimento de políticas públicas para melhoria da saúde do trabalhador.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Adriane Xavier Arteche

Ciências Humanas

Psicologia
  • programa de treinamento informatizado para reconhecimento de expressões faciais
  • O presente projeto tem como objetivo desenvolver um programa de treinamento informatizado no formato de jogo interativo para o reconhecimento de expressões faciais e investigar a eficácia do mesmo em três diferentes etapas do desenvolvimento: infância, adolescência e idade adulta. Almeja-se, ainda, verificar se potenciais incrementos na habilidade de reconhecer faces se traduzem em melhorias no processamento cognitivo (Teoria da Mente) e, consequentemente, em mudanças comportamentais (incrementos nas Habilidades Sociais) nas diferentes faixas etárias. O estudo é fundamentado no paradigma da Psicologia Cognitiva com evidências de estudos na área de Psicologia do Desenvolvimento e Neurociência Afetiva. A intervenção terá como desfecho primário a habilidade de reconhecer faces emocionais e como desfecho secundário indicadores de Teoria da Mente e Habilidades Sociais. A proposta integra conhecimentos da Psicologia Cognitiva e recursos da Ciência da Computação visando viabilizar um produto técnico informatizado que maximize um processo cognitivo subjacente fundamental para a interação social. Assim, todo o treinamento será realizado através de um programa informatizado no formato de jogo interativo. As técnicas utilizadas incluirão psicoeducação e modelagem com ênfase principal na correção de erros relacionados ao processamento de expressões faciais e na minimização de vieses atencionais presentes na atividade de reconhecer tais expressões.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adriano Akira Ferreira Hino

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • determinantes motivacionais para a prática de atividade física em diferentes ciclos da vida: uma análise das evidências científicas
  • A motivação para a atividade física é reconhecida como um elemento central no entendimento de porque algumas pessoas são ativas e outras não. Assim, esse estudo tem como objetivo analisar as evidências científicas sobre os determinantes motivacionais da atividade física por ciclos da vida (crianças, adolescentes, adultos e idosos) e grupos populacionais específicos (mulheres, pessoas com deficiência, de baixa renda e gestantes) em diferentes domínios de prática (lazer, deslocamento, no trabalho, em casa e na escola) com foco em ações vinculadas ao Sistema Único de Saúde. Para tanto, será formada uma Rede de Pesquisadores, a fim planejar, executar e interpretar as informações científicas oriundas de três revisões sistemáticas, incluindo dados nacionais e internacionais: a) uma revisão das revisões sobre fatores que motivam para a prática de atividade física; b) uma revisão das evidências nacionais sobre motivadores para atividade física por ciclo da vida e contexto de prática; c) avaliação da aplicabilidade dos determinantes motivacionais da atividade física no contexto do SUS. As decisões metodológicas das sínteses de evidências a serem realizadas no presente projeto de pesquisa serão baseadas em manuais e diretrizes internacionais (PRISMA, PRESS). A aplicabilidade dos determinantes do contexto do SUS será analisado por meio de uma análise qualitativa que terá dois principais objetivos: a) avaliar a aplicabilidade dos determinantes motivacionais da atividade física nas ações de promoção da atividade física no contexto do SUS e b) identificar oportunidades e meios para divulgar as conclusões do projeto para este grupo. Para que esta etapa seja cumprida, serão formados o que chamaremos de "painel de especialistas". Este painel será composto por um grupo de profissionais para cada ciclo da vida (crianças, adolescentes, adultos e idosos) e grupo populacional específico (mulheres, pessoas com deficiência, de baixa renda e gestantes), que participaram de grupos focais para anteder aos objetivos propostos. Espera-se que o projeto tenha seus desfechos em quatro tópicos: (1) formação de recursos humanos; (2) produção técnica; (3) produção científica; e, (4) ações de difusão científica e tradução do conhecimento. Por fim, serão utilizadas diferentes estratégias para disseminar a síntese das evidências produzidas e elaborar recomendações sobre os determinantes motivacionais para atividade física no contexto do Sistema Único de Saúde. Destaca-se como ponto forte da proposta a integração de pesquisadores de diferentes regiões do Brasil que atuam em programas de Pós-graduação e possuem vivências de pesquisa e formação de recursos humanos voltados ao contexto do SUS. Espera-se que os resultados da construção das evidências dos motivadores para atividade física possam contribuir para ações que promovam maior engajamento populacional em atividade física.
  • Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PR - Brasil
  • 21/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Adriano Bretanha Lopes Tort

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • oscilações neuronais acopladas à respiração: mecanismos de geração e funções cognitivas
  • As oscilações de redes neuronais se tornaram um dos principais tópicos de estudo da neurociência moderna. Este amplo interesse é devido a evidências oriundas tanto de pesquisas básicas quanto clínicas, que demonstram sua importância para diversos tipos de comportamento, cognição e memória. Além disso, muitas desordens cerebrais estão associadas à atividade oscilatória patológica. O estudo dos ritmos cerebrais é uma abordagem promissora para unir o gap entre o nível celular e o cognitivo, e constitui um grande campo de pesquisa do Laboratório de Neurofisiologia Computacional do Instituto do Cérebro da UFRN. Ao longo dos últimos anos, este laboratório tem buscado desvendar os tipos, os mecanismos, e as funções das oscilações neuronais. Para tanto, o proponente e sua equipe empregam uma abordagem interdisciplinar envolvendo registros neuro-eletrofisiológicos e ferramentas teórico-computacionais para a análise e modelagem dos dados colhidos. Na presente proposta, almeja-se a realização de projetos de pesquisa para melhor caracterizar um novo tipo de oscilação neuronal recentemente descrito. A principal característica deste ritmo é a sua sincronia com a respiração, isto é, sua frequência instantânea é dinâmica, podendo variar de 0,5 a 14 Hz a depender da taxa de respiração, e seus ciclos têm coerência de fase com os ciclos respiratórios. Embora oscilações acopladas à respiração eram conhecidas em áreas olfativas (bulbo olfatório e córtex piriforme), a grande novidade foi a descoberta de que a respiração pode também influenciar a atividade neuronal em uma miríade de outras áreas não primariamente relacionadas à olfação. Isto sugere que oscilações acopladas à respiração constituem um ritmo global capaz de integrar informações entre regiões cerebrais distantes. Através de subprojetos a serem executados por membros do laboratório, pretendemos estudar as funções cognitivas desempenhadas por este ritmo, bem como investigar seus mecanismos de geração em nível celular e de rede neuronal.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-31/12/2022