Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adolfo Jatobá Medeiros Bezerra

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • há efeito sinérgico entre probiótico e fitoterápicos para tilápias-do-nilo?
  • A presente proposta tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável da piscicultura, por meio do uso conjunto de probiótico (Lactobacillus plantarum) e fitoterápico (hidrolato de Curcuma longa) no cultivo de tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus), visando formação de recursos humanos e difusão de novas tecnologias na área da nutrição aquícola. Para obter êxito, a proposta foi dividida em quatro etapas: 1ª, Dose de hidrolato de Curcuma longa no meio de cultura do Lactobacillus plantarum, com intuito de avaliar o efeito de diferentes concentrações de hidrolato de C. longa no crescimento do probiótico a ser avaliado, e definir uma concentração a ser utilizada no veiculo de cultivo do probiótico; 2ª, Avaliação da dose de hidrolato de C. longa definida na dose anterior na criação de tilápias-do-nilo, analisando a homeostase animal através de alterações no perfil hematológico e da comunidade microbiana presente no trato digestório; 3ª, Avaliação in vivo do L. plantarum cultivado com hidrolato de C. longa na criação de Tilápias do Nilo; verificar a performance de crescimento e saúde animal da tilápia-do-nilo alimentada com o “fitobiótico” (L. plantarum crescido em meio de cultura com hidrolato de C. longa); e 4ª, Infecção experimental, avaliar a influência do “fitobiótico” na sobrevivência da tilápia-do-nilo frente uma infecção experimental com Streptococcus sp. Após os 36 meses, espera-se a obtenção de um novo aditivo alimentar, assim como o protocolo para seu uso em condições de cultivo, além da formação de recursos humanos aptos a aplicar este tecnologia na tilapicultura, assim como desenvolvê-la para outras espécies. Consequentemente aumento das publicações e difusão das informações relacionadas com o cultivo desta espécie, assim como de suas técnicas de manejo preventivo, estimulando o desenvolvimento da atividade de maneira mais ambientalmente amigável.
  • Instituto Federal Catarinense - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adolfo Ricardo Calor

Ciências Biológicas

Zoologia
  • entomofauna da chapada diamantina, bahia, brasil: uma proposta de cooperação em taxonomia, filogenia e biogeografia
  • O “impedimento taxonômico” tem íntima conexão com os déficits Linneanos e Wallaceanos, que constituem verdadeiros obstáculos ao entendimento de padrões de diversidade e estabelecimento de estratégias eficazes de conservação. Muitos autores tem discutido as estratégias para reduzir o “impedimento taxonômico” e proposto verdadeiros desafios. Tais desafios englobam ações desde o apoio a formação de taxonomistas com sólida formação teórica ao investimento em coleções científicas, passando pela produção científica contextualizada, que incorpore novas tecnologias e amplie e integre os conjuntos de dados (considerando morfologia, moléculas, fatores históricos, clima etc) para suas inferências. Em caso de países megadiversos como o Brasil, tratar de grupos megadiversos como os insetos, em área com reconhecida taxa de endemicidade e elevada riqueza como a Chapada Diamantina, justifica a investida de tantos pesquisadores. Ademais, trata-se de área de nascente dos mais importantes rios do estado, assim como região que tem recebido forte influencia antrópica por parte da agricultura, pecuária, mineração e turismo. Outro lado do “impedimento taxonômico” pode ser visto na discrepância da concentração de especialistas e/ou centros de pesquisa nas diferentes regiões do país. O conhecimento acerca de determinados táxons tem relação direta com a presença de especialistas atuando nas áreas de ocorrência. Assim, estratégias de criação de redes de colaboração podem auxiliar na superação dos desafios, pois permitem o treinamento e a difusão de técnicas (coleta, preservação e identificação de Mecoptera, por exemplo) que favorecem a formação de jovens pesquisadores, além de incrementar as coleções envolvidas (e coleções tradicionais com depósitos de tipos) com o material biológico. Para tanto, os objetivos são: (i) descrever novas espécies; (ii) inferir filogenias e propor hipóteses biogeográficas; (iii) catalogar variados táxons de insetos; (iv) consolidar as coleções de referência e (v) contribuir para a formação de recursos humanos. Neste contexto, o presente projeto buscará consolidar as coleções de insetos do MHNBA por meio da associação de pesquisa científica com formação de recursos humanos em taxonomia (integrativa em alguns casos, como de Notalina e Phylloicus), estudos filogenéticos e biogeográficos, usando dados morfológicos e moleculares.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adonney Allan de Oliveira Veras

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolver uma plataforma web para melhorar a montagem e anotação de genomas de procariontos.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adria Ramos de Lyra

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • meninas digitais na baixada fluminense.
  • Atualmente, somente cerca de 10% dos ingressantes anuais no curso de Ciência da Computação da UFRRJ são meninas. Conforme reportagem do Jornal da USP de 07/03/2018, na década de 70 era comum que o número de alunas fosse maior do que o de estudantes do sexo masculino. Contudo, ainda de acordo com a reportagem, esta realidade se inverteu após a criação e popularização dos computadores pessoais, principalmente pelo fato de as ações de marketing serem dirigidas ao uso de computadores por homens. Este fenômeno vem sendo estudado, mas poucas evidências científicas concretas foram achadas. De toda forma, independentemente da(s) razão(ões) que tenham levado à redução do número de meninas nos cursos de Ciência da Computação, a baixa procura específica de estudantes do sexo feminino tem resultado em pouca representatividade do gênero nas decisões estratégicas de empresas, conselhos e governamentais. Como exemplo, podemos citar que é comum a diferença salarial entre profissionais da área de acordo com o seu gênero, assim como é de costume empresas contratarem profissionais através de terceirização (Pessoa Jurídica), sem direito a direitos específicos, como licença-maternidade.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/12/2018-31/05/2020
Foto de perfil

Adrian Antonio Garda

Ciências Biológicas

Zoologia
  • história da herpetofauna das formações abertas da américa do sul: evidências de filogeografia comparada e sequenciamento de nova geração
  • Outrora considerados biomas depauperados e com baixa diversidade, as formações abertas da América do Sul (Cerrado, Chaco e Caatinga) são hoje são reconhecidas como altamente diversas. Ainda assim, a história evolutiva dos biomas que compõe a chamada Diagonal de Formações Abertas (DFA) permanece uma incógnita. Trabalhos recentes expuseram padrões biogeográficos e filogeográficos e sugeriram processos para explicar a diversidade existente e a relação entre esses biomas. Todavia, tais hipóteses não foram testadas de maneira sistemática para qualquer um dos biomas ou para várias espécies em conjunto. Os objetivos do presente projeto são ampliar significativamente a cobertura de dados filogeográficos para a herpetofauna da DFA para testar 1) hipóteses a respeito da história evolutiva das espécies da Caatinga, 2) a relação das espécies desse bioma com as do Cerrado e do Chaco, e 3) delimitar as espécies válidas de acordo com a diversidade de linhagens recuperadas. Para tanto, utilizaremos 10 espécies da herpetofauna da DFA. Trabalhos tradicionais de filogeografia, atualmente em desenvolvimento por 7 estudantes de mestrado e doutorado testarão os efeitos das flutuações climáticas do Pleistoceno, de barreiras geográficas e da altitude e da hidrografia sobre a diversidade genética dessas espécies. Em seguida, esses dados em conjunto com os de quatro outras espécies de lagartos presentes na literatura totalizarão até 14 espécies que serão usadas para testar a hipótese de co-expansão por meio de uma metodologia nova desenvolvida pelo nosso grupo. Por último, testaremos se linhagens dos grupos Hypsiboas gr. raniceps, Dermatonotus muelleri, Polychrus acutirostris, Lygodactylus klugei, Proceratophrys cristiceps e Philodryas nattereri representam uma ou mais espécies, através da coleta de análise de dados de sequenciamento de nova geração.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020