Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Jefersson Alex dos Santos

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • multimaps: aprendizado de representações profundas para mapeamento geográfico em larga escala
  • A criação de mapas temáticos utilizando Imagens de Sensoriamento Remoto (ISRs) como fonte de dados geralmente é modelada como um problema de classificação supervisionada. Muitos desafios computacionais estão associados à natureza das ISRs em que pode-se ressaltar: (1) são imagens georreferenciadas, ou seja cada pixel possui uma coordenada geográfica associada; (2) geralmente codificam muito mais que informação no espectro visível (R,G,B), o que exige o desenvolvimento de abordagens específicas para descrever padrões; (3) os dados podem variar quanto à resolução espacial alterando o nível de detalhe dos padrões e; (4) muitas aplicações tendem a exigir análise de dados espaço-temporais, com várias imagens do local de estudo ao longo do tempo. Assim, é muito frequente ter imagens obtidas a partir de diferentes sensores, o que pode melhorar a qualidade dos mapas temáticos gerados, mas exige a criação de técnicas capazes de codificar e combinar adequadamente as diferentes propriedades das imagens. Nesse contexto, o desenvolvimento de técnicas baseadas em aprendizado profundo têm sido revolucionário, mas há uma limitação: geralmente requerem muitas amostras para treinamento. A anotação de pixels na maioria das aplicações de ISRs depende de usuários especialistas, é custosa e inviável em algumas situações. Assim, a dificuldade de criação de grandes conjuntos de dados anotados para classificação supervisionada limita o uso da maioria das abordagens do estado da arte em reconhecimento de padrões por meio de aprendizado supervisionado. Desse modo, este projeto visa tratar o problema de reconhecimento de padrões para criação de mapas temáticos via aprendizado supervisionado em grandes conjuntos de imagens a partir de pequenos conjuntos de dados anotados. A pesquisa focará esforços em três frentes principais: (1) novos métodos para aprendizado de características com foco em propriedades de imagens de sensoriamento remoto; (2) algoritmos para transferência de conhecimento para explorar bases de imagens existentes como ponto de partida para reconhecimento de padrões e reduzir a necessidade de novas amostras anotadas por usuários especialistas; e (3) novas abordagens para aprendizado e fusão de representações a partir de múltiplas resoluções no espaço, tempo e espectro eletromagnético.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jefferson Bettini

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo de nucleação e cristalização em materiais vítreos: aspectos cinéticos e termodinâmicos.
  • O processo de nucleação em vidros é tradicionalmente explicado pela equação da energia livre de Gibbs do sistema (termodinâmica), a partir desta equação calcula-se o valor da energia necessária (barreira termodinâmica) para a qual um embrião se torne um núcleo estável. Este valor é usado para o cálculo da taxa de crescimento e nucleação (cinética). Acredita-se que este núcleo estável possui poucos nanômetros de diâmetro e este tamanho é conhecido como tamanho crítico. Todo embrião maior que o tamanho crítico se torna um núcleo e cresce indefinidamente por difusão dos elementos da matriz e todo embrião menor que o tamanho crítico se dissolve na matriz. A microscopia eletrônica de transmissão (TEM) tem apresentado resultados surpreendentes no conhecimento de sistemas nanométricos. Estes resultados são alcançados devido a resolução dos microscópios eletrônicos em comparação com outras técnicas tradicionais. Além disso, as imagens obtidas por microscopia eletrônica são uma medida direta do sistema em análise, facilitando a análise e interpretação dos dados obtidos. Este projeto tem por objetivo estudar o processo de nucleação e crescimento dos núcleos (cristalização), e segregação de fases em materiais vítreos/amorfos por microscopia eletrônica de transmissão. Para o estudo de nucleação em vidros, amostras vítreas/amorfas do vidro 1{Na2O}.2{CaO}.3{SiO2} serão preparadas por feixe de íons focalizados, ou seja, filmes finos (nanométricos) deste vidro serão obtidos, colados em um chip de aquecimento, o chip será colocado no porta-amostra de aquecimento e aquecidas in-situ no microscópio Durante o aquecimento, informações qualitativas e quantitativas sobre variações estruturais e composicionais, com foco no processo de nucleação e cristalização serão obtidas através de difração de elétrons, imagens de alta resolução e espectroscopias, para aprimoramento de seus respectivos modelos termodinâmico-cinéticos. A compreensão destes processos físico-químicos é fundamental para o desenvolvimento de novos materiais e aprimorar processos utilizados pela indústria vidreira. Além disso, todo o conhecimento obtido durante a execução deste projeto poderá ser plicado para outros sistemas que possuem nucleação e/ou transformações de fazes, tais como, metais amorfos e sistemas metálicos e disponibilizado para usuários do Brasil no Laboratório de Microscopia Eletrônica do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (instituição sede do projeto.
  • Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jefferson Cardia Simões

Outra

Ciências Ambientais
  • instituto nacional de ciência e tecnologia da criosfera
  • Este projeto propõe a continuidade do primeiro programa nacional de pesquisa da criosfera (a massa de neve e gelo da Terra). O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Criosfera (INCT da Criosfera) integra oito laboratórios associados dedicados ao estudos da variabilidade de diferentes componentes da massa de gelo planetária (gelo marinho antártico, geleiras e o manto de gelo antártico, geleiras andinas, permafrost e estudos microbiológicos) e sua resposta às mudanças climáticas. O INCT mantém sua sede no Centro Polar e Climático (CPC) do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), sob a coordenação-geral do glaciólogo Jefferson C. Simões. A novidade nesta segunda fase é a incorporação de um grupo de microbiologia polar, decorrência do rápido avanço nos estudos que procuram extremófilos na neve e gelo polar e também em lagos subglaciais. Este novo grupo (µPolar: Microbiologia de Ecossistemas Polares do Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Minas Gerais) junta-se a outros sete laboratórios associados assim definidos: Grupo de Pesquisa sobre o Oceano Austral e o Gelo Marinho, Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG); o Centro de Estudos de Interações Oceano-Atmosfera e Conexões Climáticas entre a Antártica e a América do Sul do Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Santa Maria, RS; o Laboratório de Oceanografia, Clima e Criosfera do Instituto de Oceanografia da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP; o Grupo Química Atmosférica Polar, do Laboratório de Radioecologia e Mudanças Globais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, RJ; o Laboratório de Geofísica de Geleiras do Laboratório de Métodos de Modelagem e Geofísica Computacional da COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ; o Centro TERRANTAR: Permafrost-Criossolos-Ecossistemas Terrestres e mudanças climáticas na Antártica, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG. O INCT envolverá 303 pesquisadores, colaboradores e alunos, dos quais 152 são doutores, de 29 instituições nacionais de pesquisa e 27 internacionais. O programa de investigações científicas segue eixos temáticos, sempre explorando as interações atmosfera-criosfera-oceano no presente e no passado recente (até o Último Máximo Glacial) principalmente sobre conexões com o ambiente sul-americano (variação sazonal entre 1,9 e 19 milhões de quilômetros quadrados). É prioritário para o INCT o monitoramento das variações do balanço de massa do gelo planetário e as consequências para o nível médio dos mares, para isso foi criado, em ação conjunta da UFRGS e FURG, o Laboratório de Monitoramento da Criosfera – LaCrio). O programa inclui ainda a complementação do laboratório nacional dedicado à análise e interpretação de testemunhos de sondagem de gelo. É destaque do programa de investigação do INCT a manutenção da plataforma de investigação latino-americana mais ao Sul do Planeta, o laboratório/módulo Criosfera 1 (84°S) dedicado à pesquisa atmosférica e glaciológica. Trata-se de ação inédita do país e que em breve será ampliada com a implantação do módulo Criosfera 2 em 80°S. O programa de formação formal (pós-graduações) mantém foco nas interrelações entre as regiões polares e o ambiente brasileiro. No caso da ciência glaciológica, a meta é formar 20 doutores em 6 anos. O programa de educação em ciência do INCT inclui o desenvolvimento de módulos de e-Learning de acesso livre, cursos de curta duração sobre as regiões polares para professores do Ensino Médio e o desenvolvimento de sites de divulgação pela Internet. A proposta atende prioridades da Estratégia Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação para as áreas de Oceano e Zonas Costeiras, e Mudanças do Clima do plano de metas do Ministério da Ciência e Tecnologia, as considerações da 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação: Áreas Estratégicas e o recente (2013) Plano de Ação do MCTI - Ciência Antártica para o Brasil 2013-2022. Especificamente para este último, contribui para atingir os objetivos e metas de dois programas temáticos: (1) O papel da criosfera no sistema terrestre e as interações com a América do Sul e (2) Mudanças climáticas e o Oceano Austral. A agenda científica da proposta também contribui para outras ações para a questão do clima e antártica, como a Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas (Rede CLIMA), contribuindo e estando associado a ações de outros INCTs (Mudanças do Clima e o Antártico de Pesquisas Ambientais).
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 25/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Jefferson Cardia Simões

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • variabilidade química e climática nos registros dos testemunho de gelo da geleira da ilha pine – manto de gelo da antártica ocidental
  • Este projeto propõe a reconstrução e interpretação da história climática e da química atmosférica do setor do mar de Amundsen/Bellingshausen ao longo dos últimos 300 anos a partir de registros paleloclimáticos indiretos obtidos em testemunhos de gelo da geleira da Ilha Pine (manto de gelo da Antártica Ocidental). O projeto expande para o lado do mar de Amundsen as investigações iniciadas há 5 anos nas bacias de drenagem glacial do manto de gelo da Antártica Ocidental que fluem para o mar de Weddell. Portanto, a comparação de dados paleoclimáticos (de testemunhos de gelo) das duas regiões proverá detalhamento da advecção de sul para norte de massas de ar frio da região antártica até o Brasil e tem entre suas metas a obtenção de m testemunho de 150 m na bacia de geleira Pine no verão de 2019/2020, além de vários levantamentos geofísicos. Posteriormente, as amostras do testemunho de gelo e de trincheiras superfícies de neve serão derretidas e analisadas por cromatografia iônica, ICP-SFMS e CRDS para gerarem diversas séries temporais ambientais e que serão então calibradas ao registro instrumental pela correlação com dados de re-análise do European Center for Medium Range Weather Forecasts (ECMWF) provendo indiretamente (by proxy) dados paleoclimáticos. Modelagem numérica do fluxo da geleira da Ilha Pine (77°05’S, 91°56’W) para datação do testemunho de gelo é prevista para calcular o campo tridimensional de velocidades da geleira Pine, possibilitando a datação adequada de cada camada. Como resultado desse trabalho acreditamos ser possível traçar as rotas preferências de transporte entre o Hemisfério Sul (com foco principal na América do Sul) e a região da geleira da Ilha Pine. O projeto é coordenado pelo atual vice-presidente do Scientific Committee on Antarctic Research (SCAR), Prof. Jefferson C. Simões, e conta com a participação do eminente Prof. Paul Andrew Mayewski, diretor do Climate Change Institute (CCI), University of Maine, Orono, recipiente do Cristal Seligman (equivalente ao Premio Nobel na área da Glaciologia). O projeto, realizado com forte cooperação internacional, principalmente com o CCI/UMaine, EUA, atende ações propostas pelo Action Group on Tropical Antarctic Teleconnections (TATE) do SCAR e também pelo IPICS - International Partnerships in Ice Core Sciences do PAGES. É relevante notar que grande parte dos recursos solicitados por este serão alocados ao pagamento de despesas de logística científica no interior da Antártica, incluído aluguel de aeronave, e que não são cobertas pelo PROANTAR por estarem foram da área de atuação geográfica da Marinha do Brasil.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Jefferson Mainardes

Ciências Humanas

Educação
  • a formação de pesquisadores para o campo da política educacional
  • O projeto de pesquisa tem por objetivo analisar aspectos da formação de pesquisadores para o campo da Política Educacional. O referencial teórico baseia-se em ideias de Pierre Bourdieu (habitus científico e ofício de pesquisador) e Basil Bernstein (nova economia da investigação, modelo pedagógico de desempenho e de competência, papel da teoria). A pesquisa envolve: a) pesquisa bibliográfica: análise da situação da pesquisa sobre a formação do pesquisador em Educação e para o campo da Política Educacional, em diferentes contextos, por meio da revisão de literatura (textos em Português, Inglês, Espanhol, etc.); b) pesquisa de campo: aplicação de questionários para egressos de Doutorado, de Programas de Pós-Graduação em Educação brasileiros, que defenderam Tese de Doutorado no período de 2016 a 2018; c) entrevistas com egressos e com orientadores. Espera-se contribuir com a discussão sobre a formação de pesquisadores (em geral) e formação de pesquisadores para o campo da Política Educacional, temas que têm sido pouco pesquisados.
  • Universidade Estadual de Ponta Grossa - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jefferson Pereira Ribeiro

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • avaliação da concentração de poluentes atmosféricos no meio urbano e sua relação com o sistema de transportes
  • Transporte é atividade necessária para a sociedade, seja para garantir o deslocamento e acesso a bens, ou permitir seus próprios deslocamentos com vistas a atender as necessidades diárias. No entanto, existem impactos, decorrentes do transporte, considerados negativos, em particular os que envolvem a relação entre transporte e meio ambiente. Costumeiramente, os impactos do transporte ao meio ambiente são estudados a partir dois enfoques: geral e específico. No primeiro grupo, o tema é abordado sob a ótica do desenvolvimento urbano, com a intenção de avaliar questões como uso e ocupação do solo, distribuição física de atividades e características socioeconômicas de áreas estudadas. Já no segundo, a abordagem tem dimensão menor em termos de aspectos avaliados que costumam ter relação com a iteração veículo via. Conhecer estes efeitos torna-se relevante para os processos de planejamento da mobilidade. Acredita-se que o processo de análise e planejamento de um sistema de transportes deve incorporar questões ambientais com mais propriedade. Desta forma, planejar adequadamente o sistema de transporte, necessariamente, passa por aceitar que todos os elementos constituintes do sistema têm igual importância. Então, sugere-se assumir que o desenvolvimento urbano busca a melhoria da qualidade de vida e o aumento da justiça social, e tais fatores recebem contribuição direta de todos os elementos que compõem o sistema de transportes, inclusive o transporte/circulação e a distribuição de mercadorias. Assim, considerando tais argumentos, a presente proposta de projeto de pesquisa se justifica, tendo em vista o crescimento do volume de veículos se movimentando dentro dos limites dos grandes centros urbanos, o aumento das distâncias percorridas, pela alta frequência de entregas de mercadorias e pela necessidade de compreender quais os notáveis impactos gerados por essa movimentação nas áreas urbanas, resultando em uma metodologia de planejamento voltada às especificidades do transporte urbano (público, individual e de carga) e que se adequa à realidade do transporte em municípios brasileiros, no âmbito do Transporte, Energia e Meio Ambiente, fazendo com que tais elementos sejam melhores incorporados aos planos de transporte e planos de mobilidade (i.e. estudo do efeito da implantação de BRTs, impactos de veículos elétricos incorporado na frota local, entre outros).
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jefferson Prado

Ciências Biológicas

Botânica
  • delimitação, biogeografia e origem de espécies de vitarioides no brasil, no contexto de uma filogenia global do grupo (pteridaceae)
  • Em uma recente filogenia global das samambaias vitarioides vários avanços foram alcançados. Em especial, destaca-se que foram resolvidos os problemas de delimitações taxonômicas em nível de gênero. De acordo com a atual classificação, 11 gêneros são aceitos em vitarioides e estes podem ser reconhecidos por sinapomorfias morfológicas de fácil observação. Por outro lado, no nível de espécie, ficou evidente que mais estudos são necessários para que uma melhor delimitação taxonômica seja alcançada. Isto posto, o presente projeto visa resolver parte dessas delimitações para os grupos neotropicais das vitarioides, especialmente nos complexos de espécies de Vittaria graminifolia e V. lineata, que ocorrem no Brasil. Com base em novas amostragens, novas análises moleculares serão conduzidas, utilizando-se quatro marcadores plastidiais rbcL, atpA, chlN e rpoA, com o objetivo de se obter uma nova filogenia global das vitarioides. Também com base nos dados moleculares serão realizadas análises biogeográficas e de origem, inéditas para o grupo.
  • Instituto de Botânica - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jefferson Soares de Oliveira

Ciências Biológicas

Botânica
  • proteínas extraídas do látex de plumeria pudica: aspectos bioquímicos, funcionais e aplicados.
  • Este projeto de pesquisa é concebido dentro de um contexto de continuidade de estudos sobre aspectos bioquímicos e aplicados e funcionais de proteínas de fluidos laticíferos de plantas do Nordeste Brasileiro e cujos resultados são inequívocos. Ele se refere à avaliação do látex, um fluido de aspecto leitoso liberado por algumas espécies de plantas quando estas sofrem algum tipo de injúria mecânica. Alguns trabalhos descrevem este fluido como fonte de moléculas envolvidas em importantes eventos fisiológicos do vegetal bem como de moléculas com potencial aplicado em agricultura e saúde. Considerando os diversos potenciais aplicados claramente identificados em uma fração rica em proteínas extraídas do látex da planta Plumeria pudica é que este projeto argumenta a pertinência avançar na identificação das proteínas envolvidas nas atividades biológicas já estudadas, bem como prospectar novas. Assim, na presente proposta as proteínas do látex de P. pudica (PLPp) serão submetidas a diferentes procedimentos cromatográficos para obtenção de amostras mais purificadas e proteínas puras, que serão alvo de caracterização bioquímica através de eletroforese, exploradas em estudos de investigação e caracterização de atividade proteolítica, inibidor de proteinases e atividade quitinolítica, e avaliadas em modelos biológicos de atividade anti-inflamatória, protetora da colite induzida por ácido acético e de atividade antifúngica contra fungos fitopatogênicos. O fracionamento e a purificação de proteínas serão direcionados pela detecção das atividades biológicas investigadas. As proteínas que forem purificadas ao longo do trabalho serão submetidas à identificação através de sequenciamento N‐terminal e/ou espectrometria de massas. As investigações sobre as atividades biológicas de proteínas laticíferas associadas às etapas de purificação e identificação nos demonstrarão o potencial destas proteínas como insumos passíveis de futura exploração como alvos para expressão heteróloga. Ao mesmo tempo os dados de identificação de proteínas e de ação antifúngica servirão de base para o melhor entendimento do papel fisiológico de fluidos laticíferos nos vegetais.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Jelson Roberto de Oliveira

Ciências Humanas

Filosofia
  • niilismo e tecnologia: o princípio responsabilidade de hans jonas (40 anos depois)
  • O presente projeto de pesquisa dá continuidade ao trabalho realizado na PUCPR desde o início de 2010 em torno da obra do filósofo alemão Hans Jonas, que vem se consolidando como uma das principais referências internacionais de pesquisa da obra desse autor. Nesse sentido, trata-se de fortalecer as pesquisas, o trabalho de tradução da obra joanina, a publicação de textos de seus intérpretes e de artigos originais que ajudem a compreender, a partir de Jonas, os desafios éticos do mundo contemporâneo, bem como de potencializar a articulação nacional e internacional de entidades e institutos de pesquisa que se dedicam à filosofia de Jonas e a seus temas correlatos, muitos dos quais ligados ao campo da ecologia, da bioética, do pós e do transumanismo. Para Jonas o avanço do poder tecnológico e a constatação da fragilidade da vida inauguram uma nova dimensão da responsabilidade, que precisa ser assumida justamente porque contamos, no mundo moderno, com uma nova dimensão do poder: se todo poder exige responsabilidade, o aumento do poder exige o aumento da responsabilidade. Eis o diagnóstico que funda a obra principal de Jonas, O princípio responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica, publicado em 1979. A base dessa nova proposta ética é analisar “a natureza modificada do agir humano” (PR, 27) e propor uma reflexão capaz de orientar as ações humanas, seja no sentido de evitar a aposta irresponsável, cujo dano pode ser irreversível, seja para explicitar o dever do homem contemporâneo diante das gerações futuras e do mundo extra-humano (elementos que são reconhecidos como duas das principais novidades da ética jonasiana). Trata-se, agora, de pensar uma ética que não esteja mais limitada [1] ao horizonte do antigo antropocentrismo (afinal, agora precisamos cuidar da vida como um todo); [2] da visão de neutralidade ética da natureza (os novos poderes elevam as possibilidades de que a ação humana interfiram de forma decisiva no mundo natural); [3] da constância da entidade “homem” (agora objeto da técnica reconfiguradora, embora sem uma imagem capaz de orientar essa tarefa); [4] o curto prazo do planejamento da ação (agora precisamos prever em longo prazo no tempo as consequências das nossas ações); e [5] ao círculo imediato da ação (hoje precisamos pensar nas gerações futuras). A responsabilidade como princípio ético parte de uma antiga pergunta filosófica fundamental, formulada por Leibniz: “por que o Ser e não antes o nada?”, a qual assume um novo sentido no cenário tecnológico: se temos o poder de destruir a vida como um todo, quais são os critérios capazes de nos impedir de fazê-lo; ou, em outras palavras, se podemos matar a vida, por que não o fazer; por que, afinal, a vida merece ser preservada e por que devemos orientar os nossos atos em direção à sua preservação? A ética proposta por Jonas adquire, portanto, uma base tanto ontológica quanto metafísica, na medida em que ela parte de uma pergunta sobre o Ser que se apresenta em sua forma viva, por assim dizer. É onde a sua ética se apoia em sua ontologia: a vida, segundo Jonas, diz sim a si mesma e, como é parte da história evolutiva do espírito, o ser humano é o único ser de responsabilidade porque ele é aquele que, tendo ascendido a graus superiores de espiritualidade, pode entender essa afirmação e assumir a sua responsabilidade sobre os demais, até porque ele se tornou um perigo para si e para as demais formas de vida. Dessa perspectiva, o presente projeto pretende avaliar o diagnóstico realizado por Jonas, bem como a eficácia de sua proposta ética, baseada numa reinterpretação do fenômeno da vida e na elaboração teórica e prática do princípio responsabilidade. Além da realização de viagens nacionais e internacionais, da organização de um evento em comemoração aos 40 anos da publicação de O Princípio Responsabilidade, o projeto tem em vista a publicação do Vocabulário Hans Jonas (obra coletiva organizada pelo coordenador do projeto com participação de 35 especialistas de vários países, entre os quais a França, os Estados Unidos, o Reino Unido, a Itália, a Bélgica, o Chile e o Brasil). O projeto também tem como intenção contribuir diretamente na criação do Centro Hans Jonas Brasil, cuja vocação é aprofundar o estudo das obras de Hans Jonas, reunindo estudantes, professores/as e pesquisadores/as de filosofia, bioética e áreas afins, com o objetivo de favorecer sinergias e estabelecer parcerias capazes de manter vivo o legado jonasiano, dando continuidade aos desafios propostos por sua filosofia, levando em conta o contexto brasileiro. O CHJ Brasil será sediado na PUCPR e se efetiva como uma iniciativa do Grupo de Trabalho Hans Jonas da ANPOF. Além disso, o Centro está articulado à Cátedra Hans Jonas da PUCPR, que foi criada em 2018 em parceria com o Instituto Hans Jonas de Siegen (Alemanha) e o Hans Jonas Zentrum, de Berlim, além de manter contatos com os Arquivos Hans Jonas da Universidade de Konstanz, na Alemanha. Entre as instituições envolvidas no Projeto estão: Hans Jonas Zentrum (Berlim); Programa de Pós-Graduação em Filosofia - Universidade Federal do Piauí; Programa de Pós-Graduação em Filosofia - Pontifícia Universidade Católica do Paraná; PPGB - Pontifícia Universidade Católica do Paraná; NET – Núcleo de Estudos da Técnica (PUCPR); Programa de Estudos Pós-Graduados – Pontifícia Universidade Católica do Paraná; Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Sociedade – Universidade Tecnológica Federal do Paraná; Institut supérieur de philosophie - Université catholique de Louvain-la-Neuve; Universidade Federal de Pelotas; Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; Universidade Federal do Mato Grosso, entre outras.
  • Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jenaina Ribeiro Soares

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • modificações estruturais e vibracionais induzidas por esfoliação, defeitos, e oxidação em novos nanomateriais bidimensionais além-grafeno
  • O isolamento experimental do grafeno consistindo de apenas uma camada de átomos de carbono, em arranjo do tipo "colméia de abelha", mostrou que nanomateriais laminares poderiam ser esfoliados até o limite da espessura de poucas ou mesmo uma camada atômica, e que nessa condição as suas propriedades estruturais e eletrônicas são totalmente diferentes. Essa perspectiva abriu novas possibilidades de aplicação do grafeno em dispositivos eletrônicos e ópticos de dimensões em nanoescala, que poderiam aproveitar as altíssimas mobilidades de carreadores observadas, porém a ausência de um gap de energia natural nesse material é limitante para o seu uso. Os avanços tecnológicos adquiridos com a caracterização e síntese do grafeno passaram então a ser utilizados em novas classes de materiais laminares, na busca de compostos que pudessem complementar as propriedades do grafeno e ser utilizados de forma integrada ao mesmo. Dentre essas famílias de materiais laminares encontram-se os dicalcogenetos de metais de transição e os monocalcogenetos metálicos (ou melhor, de metais, em tradução de "metal monochalcogenides"). Esses materiais contam com representantes semicondutores, metálicos e supercondutores, com diferentes simetrias dependendo da coordenação dos átomos metálicos e também da sequência de empilhamento. Essas diferenças de simetria são particularmente importantes, pois várias das propriedades desses materiais variam com o número de camadas e com a sua estrutura. Neste trabalho os espectros Raman de amostras de monocalcogenetos GaSe, GaS e do dicalcogeneto de metal de transição NbSe2 serão analisados em conjunto à um estudo de teoria de grupos e de teoria do funcional da densidade (ou "Density Functional Theory - DFT"). Será estudado o espectro vibracional no regime de vibrações de alta frequência "intralayer") e baixa frequência ("interlayer"), elucidando aspectos inéditos sobre a interação entre camadas desses materiais. Um fator determinante para a possibilidade de estudo e utilização desses materiais em aplicações em dispositivos é o papel desempenhado por defeitos e oxidação, fatores esses que serão estudados e quantificados por meio da espectroscopia Raman e DFT. Aqui propomos a fabricação de um forno para tratamento térmico desses materiais, que possibilita ainda a sua síntese, e também um sistema de encapsulamento das amostras por poucas camadas de nitreto de boro hexagonal (h-BN). Esses procedimentos visam possibilitar o transporte, a realização de medidas e processamento das amostras minimizando o surgimento de defeitos e oxidação. Os resultados esperados incluem o desenvolvimento de técnicas para quantificar defeitos nesses materiais, entender a assinatura espectroscópica no Raman e infravermelho de estruturas defeituosas e não defeituosas. Outro resultado previsto é gerar o treinamento de alunos nos níveis de mestrado e graduação para o estudo de novos materiais 2D além do grafeno, uma área emergente no Brasil e no mundo.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jenevaldo Barbosa da Silva

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • detecção, caracterização e isolamento de patógenos virais, bacterianos e protozoários transmitidos por artrópodes com potencial importância em saúde pública
  • Artropodes são ectoparasitos hematófagos obrigatórios de animais e do homem que estão distribuídos desde o ártico até as regiões tropicais do mundo. Embora um grande esforço econômico tenha sido feito nas últimas décadas para o controle desses parasitas, particularmente envolvendo espécies animais de interesse zootécnico, os agentes patogênicos transmitidos por artropodes continuam causando sérias implicações tanto para a saúde animal como humana. Uma ampla variedade de patógenos pode ser transmitida por carrapatos e mosquitos, incluindo vírus, riquétsias, espiroquetas, fungos, protozoários e helmintos, dos quais a maioria apresenta ciclo de vida que exige a passagem pelo hospedeiro vertebrado. Dentre estes patógenos, especial atenção deve ser dada aos agentes virais e bacterianos por sua ampla distribuição geográfica e virulência. Porém, investigações sobre estes microrganismos ainda são pouco frequentes no Brasil, diante da ampla biodiversidade microbiana e de vetores encontrada no país. O presente projeto tem como objetivo principal realizar-se a prospeção, através de detecção molecular e subsequentes análises in silico, dos principais patógenos virais, bacterianos e protozoários transmitidos por artropodes. Assim, o estudo tem a pespectiva de ampliar o conhecimento etiológico e epidemiológico de vírus pertencentes às famílias Flaviviridae, Bunyaviridae e Paramyxoviridae, bem como de bactérias dos gêneros Anaplasma, Bartonella, Borrelia, Ehrlichia e Rickettsia, associados a carrapatos e mosquitos em fase de vida livre e parasitária em animais domesticos e silvestres. Os principais resultados esperados incluem a caracterização molecular, isolamento e propagação de diferentes hemoparasitos.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jeniffer de Nadae

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • a influência das barreiras à comunicação e à gestão do conhecimento no sucesso dos projetos complexos: uma análise cross country
  • A complexidade dos projetos pode intensificar o papel da comunicação e do conhecimento da equipe devido ao aumento da necessidade de coordenação e da tomada de decisão, podendo afetar o sucesso desse projeto. Assim, este trabalho tem o objetivo de analisar a influência das barreiras à comunicação e as barreiras à gestão do conhecimento no sucesso dos projetos complexos. A análise bibliométrica e análise de conteúdo sobre o tema e a abordagem quantitativa do tipo survey foram escolhidas como método de pesquisa, classificada como pesquisa híbrida. A amostra será composta por empresas brasileiras e canadenses, afim de realizar uma análise cross country. Os resultados contribuirão para a literatura sobre gerenciamento do conhecimento e gerenciamento da comunicação em projetos complexos, além de contribuir para que as empresas possam mitigar as barreiras encontradas e melhorar o desempenho dos projetos. Ainda, com os resultados espera-se ter uma lista de possíveis barreiras à comunicação e barreiras à gestão do conhecimento que auxiliem a entender as dificuldades e desafios dos projetos complexos e comparar os resultados obtidos nos dois países analisados.
  • Universidade Federal do Cariri - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jeova Torres Silva Junior

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • flexibilização das relações de trabalho na economia do compartilhamento: um estudo no nordeste brasileiro
  • O fenômeno socioeconômico amparado em um novo modelo de negócios surgido a partir da disponibilização de bens ou serviços de forma compartilhada - gratuita ou paga - através de redes físicas ou digitais tem sido denominada de economia do compartilhamento (CANTERA E VAQUERO, 2012; CHASE, 2015; CHRISTENSEN et al, 2015; GANSKY, 2011; RIFKIN, 2014). A partir desta economia do compartilhamento (sharing economy), como um fenômeno socioeconômico orgânico, organizações tem surgido ao redor do mundo e se tornado grandes corporações, como são os casos da Airbnb, Uber, Didi, Cabify, dentre outras. E com elas emerge também uma nova massa de trabalhadores inseridos em um ideário de flexibilidade na relações de trabalho e melhores remunerações (RIFKIN, 2004). Nas experiências da economia do compartilhamento as formas de trabalho dominantes, precisamente, são aquelas que, por um lado, dão maior liberdade ao trabalhador e, por outro, menos ou nenhuma garantia trabalhista (considerando o paradigma e marco legal vigente). Este é exatamente um ponto a ser tratado por esta pesquisa. Enquanto já está bem evidente que tribunais, jurista do trabalho e alguns estudiosos defendem que estes trabalhos estão promovendo uma precarização dos empregos e fragilizando ganhos históricos do movimento trabalhista, não está evidente o que pensam e o que querem em relação a estas questões trabalhistas, estes trabalhadores da Economia do Compartilhamento. Os estudos e pesquisas, até então, não tem procurado ouvir estes trabalhadores ou refletir sobre o que eles de fato querem e apenas tem buscado ratificar o que a legislação e as decisões judiciais apresentam, quase em um tom panfletário contra alguns negócios da Economia do Compartilhamento, como exemplo: o Uber. Uns dos pressupostos desta nossa pesquisa é que o Mindset ou Modelo Mental dos atuais trabalhadores destes negócios da Economia do Compartilhamento é diferente dos trabalhadores dos empreendimentos tradicionais do mercado e mais aderente ao contexto atual de crises econômicas, de autonomia do trabalhador e cidadão, de trabalho flexível e on-demande. Talvez, por que se tenha aqui um grande número de trabalhadores da geração Y - os Millennials que estão entre 20 e 35 anos - envolvidos nos negócios da Economia do Compartilhamento. Os Millennials são a faixa etária mais expressiva no mercado de trabalho norte americano e, globalmente, têm um poder de compra de U$2,45 trilhões. No Brasil, a consultoria Booz Allen (2016) diz que a geração Millennials se tornou 44% da população economicamente ativa do país em 2016, movimentando R$ 268 bilhões. Estudos apontam que os Millennials são menos preocupados com aposentadoria (BNY MELLON, 2015) e com estabilidade (ADP RESEARCH INSTITUTE, 2016), e não esperam estar presos à apenas um ou dois empregos no curso de suas vidas, optando por uma fluida "trajetória de carreira". Estes se enquadram no grupo chamado de portfolio workers (WOOD, MICHAELIDES, 2016; FRASER, GOLD, 2001) que são a classe que mais cresce no mercado de trabalho. Isto posto, defendemos a hipótese que o trabalhador da Economia do Compartilhamento está menos preocupado com direitos trabalhistas adquiridos e mais convicto da escolha e dos ganhos que tem do que aqueles que "legislam" em nome deles. Todavia, para chegarmos a comprovar esta conclusão, esta pesquisa se propõe, justamente, ouvir os trabalhadores da Economia do Compartilhamento, principalmente aqueles relacionados aos aplicativos de carsharing e carpooling e aos que estão atuando em espaços de coworking. Acreditamos que ai estão os públicos relevantes que podem apontar uma resposta para o nosso problema de pesquisa. Diante deste cenário, apresentamos como problema de pesquisa a compreensão de como se configuram as relações da força de trabalho resultantes das novas práticas e atividades no modelo de negócios da economia do compartilhamento? Nosso objetivo é, portanto, compreender e caracterizar as novas formas que o trabalho e as relações trabalhistas se apresentam no contexto da economia do compartilhamento. Esta pesquisa adotará simultaneamente, em relação as escolhas metodológicas, as estratégias e captura de dados através de pesquisa bibliográfica e documentais e uma etapa empírica da pesquisa em cidades da Região Nordeste: Fortaleza e Juazeiro do Norte, no Ceará; Natal, no Rio Grande do Norte; Recife, no Pernambuco; e Salvador, na Bahia. Em síntese, esperamos realizar levantamento de dados em organizações e com trabalhadores da Economia do Compartilhamento destas cidades, sobretudo que trabalham em coworking e sejam motoristas de empresas de aplicativos de mobilidade. Após analisados, estes dados podem ser relevantes para subsidiar politicas mais eficazes no trato das relações de trabalho e ações orientadas para este grupo de trabalhadores da Economia do Compartilhamento.
  • Universidade Federal do Cariri - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jeovan de Carvalho Figueiredo

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • interação universidade-empresa no desenvolvimento de pesticidas alternativos no brasil
  • A biotecnologia é considerada setor portador de futuro, por integrar a base produtiva de diversos setores avançados tecnologicamente na economia brasileira contemporânea. Na agricultura, a biotecnologia tem contribuído para o desenvolvimento de pesticidas alternativos, em substituição aos agrotóxicos tradicionais. Nesse contexto, o objetivo deste estudo é determinar se e como ocorre a interação entre empresas e pesquisadores de programas de pós-graduação em biotecnologia no Brasil no desenvolvimento de pesticidas, com ênfase nos produtos e processos alternativos baseados em biotecnologia. Serão utilizados dados secundários de fontes governamentais, correspondentes aos anos de 2005 a 2015, para analisar as interações ocorridas no período em que esteve vigente no Brasil a Lei de Inovação (Lei no 10.973, de 2 de dezembro de 2004), sem as alterações do novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei nº 13.243, de 11 de janeiro de 2016).
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-31/07/2022
Foto de perfil

Jeremie Garnier

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • estudos da dinâmica biogeoquímica dos metais nos ecossistemas costeiros – uso dos isótopos estáveis caso da baia de sepetiba - rj
  • Os sedimentos constituem um dos principais compartimentos dos ecossistemas continentais e costeiros. Estes ecossistemas estão situados na interface entre a litosfera, a atmosfera, a hidrosfera e a biosfera e assim são considerado como zonas críticas. Eles são, por sua vez, fonte e sistema de acumulação de contaminantes, de origem geoquímica ou de atividades antrópicas. Numerosas reações de transformação, mobilização e de transferência de elementos químicos para as águas e micro-organismos ou/e plantas, sob intervenção ou não dos organismos vivos, têm lugar dentro dos sedimentos superficiais e solos, e contribuem, assim, para considerá-los como «reatores biogeoquímicos». Como conseqüência, sedimentos e solos têm um papel fundamental nos ciclos biogeoquímicos, sobre a qualidade da água superficial e subterrânea e o bom funcionamento dos ecossistemas de maneira geral. Dada a capacidade limitada de acumulação, retenção e depuração de metais, as zonas críticas constituem um ambiente muito sensível às mudanças antrópicas e à poluição. Portanto, é necessário o melhor conhecimento sobre esse ambiente com o objetivo de minimizar e mitigar os impactos da poluição no espaço e no tempo. Nesses ecossistemas superficiais o conhecimento da dinâmica de metais representa um eixo de pesquisa chave para entender e resolver vários problemas de cunho geológico e geoquímico ambiental (fertilidade, qualidade de água, contaminação, gestão de rejeitos e efluentes, formação de jazida, etc.). Os metais e os elementos-traço (ET) estão presentes naturalmente nas rochas. A alteração química destas rochas conduz à liberação e à redistribuição de ET nos solos e sedimentos. Os processos bio-físico-químicos são responsáveis pela dinâmica desses elementos nos sedimentos e solos e, consequentemente, dos riscos ecotoxicológicos. Entretanto, não é somente a presença de metais que induz o impacto sobre o ecossistema, mas sua biodisponibilidade. Esta é condicionada pela mobilidade e interação com soluções e organismos vivos. Não apenas as interações com partículas inorgânicas e orgânicas, mas também as interações com organismos podem reduzir significativamente a bio-disponibilidade dos elementos (co-precitação dos metais, adsorção, complexação). As reações geoquímicas e, assim, a dinâmica (sequestro/liberação) dos elementos nesse ecossistema são complexas e ainda mal conhecidas. Há um certo número de métodos de traçagem e determinação da especiação dos elementos nos sólidos e soluções. Destes, a espectroscopia de absorção de raios-X (XAS), combinado com XANES (X-ray Absorption Near Edge Structure) e EXAFS (Extended X-Ray Absorption Fine Structure), é particularmente útil, pois pode determinar e a especiação e quantificar a partição de metal em amostras intactas. Além da XAS, os isótopos estáveis não convencionais, tal como de Fe, Ni, Zn, Cu e Cr, oferecem novos horizontes para estudar esses sistemas complexos e rastrear as fontes e destinos dos metais. Os primeiros estudos dos isotópicos estáveis « tradicionais » demonstraram que o fracionamento isotópico é primeiramente controlado por especiação química do elemento, seu estado redox e, também, pela temperatura ou ainda pelas reações biológicas. Os isótopos estáveis permitem a elaboração de um viés de massa mais seguro que a simples observação das concentrações, e permitem rastrear as reações químicas dominantes do elemento. O conjunto de dados de geoquímica, de mineralogia e de especiação sólida deveria permitir rastrear não apenas as fontes dos metais como também os diferentes processos que afetam sua especiação, como adsorção, precipitação, redução, complexação e absorção. Esses parâmetros controlam a sua liberação potencial e mobilidade. Esses resultados poderão assim permitir avaliar e modelar a dinâmica dos metais estudados em diferentes ecossistemas superficiais e, por consequência, avaliar os riscos associados. Este estudo multidisciplinar sobre a dinâmica dos metais no contínuo sedimento-água-ecossistema será desenvolvido a partir de um estudo em laboratório e in situ. A Baía de Sepetiba (RJ) foi selecionada pelas características, interesse e potencial para o desenvolvimento de metodologias de uso dos isótopos estáveis para rastrear fontes e processos naturais e antrópicos. A baía de Sepetiba apresenta um histórico bem documentado de contaminação metálica pela atividade de refino do Zn (galvanoplastia) que perdurou entre as décadas de 60 e 90 e está densamente urbanizada. A baía de Sepetiba também hospeda importantes ecossistemas como estuários, mangues, planícies de maré, e um importante área de laser e pesca para carioca e turistas. No entanto, estes ecossistemas encontram-se sob forte pressão antrópica com contaminação do sedimentos e dos organismos e uma perda de 25% do mangue nas últimas décadas. Assim, propõem-se o uso da sistemática isotópica de Zn para rastrear a origem (Zn natural x antrópico), caracterizar a especiação na fase sólida e identificar os processos controladores da dinâmica do Zn e outros metais na interface sedimento-água-biota na baia de Sepetiba (RJ). A presente proposta está associada à vários temas atuais e de grande repercussão para o avanço do conhecimento nas áreas de geociências e geoquímica. Para o Brasil, onde estes estudos que acoplam especiação fina por XAS e traçagem com isótopos ainda são pouco explorados, deverá ser um marco para o desenvolvimento de métodos analíticos e modelos para utilização de isótopos em estudos ambientais. O projeto possui importância internacional por tratar-se de um estudo inovador com amplas possibilidades de aplicação, realizada em cooperação com parceiros nacionais e internacionais e valorizada por várias publicações internacionais de alto impacto por parte da equipe.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jeroen Johannes Klink

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • estado, espaço e a constituição da financeirização urbana. uma exploração do caso da região metropolitana de são paulo
  • A maioria das pesquisas sobre financeirização urbana prioriza a análise sobre o que a finança faz, principalmente na vida quotidiana das pessoas (na maioria das vezes atores não financeiros). O ponto de partida deste projeto é investigar o que a finança é, assim como aprofundar a pesquisa acerca do processo constituinte da financeirização urbana, incluindo a análise das relações imbricadas entre o Estado, nas múltiplas escalas, o ambiente construído, as infraestruturas urbanas e o fundo público. O projeto prevê uma fase de investigação teórica, que procura articular diversas vertentes na literatura (economia política; contabilidade critica e governança corporativa; e estudos sociais de finanças) no aperfeiçoamento da leitura acerca dos entrelaçamentos entre Estado e capital financeiro na produção do espaço urbano-metropolitano e da própria vida. Ao mesmo tempo, o projeto explora as novas chaves teóricas numa leitura analítica e empírica do processo de financeirização em curso na Região Metropolitana de São Paulo.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jérôme François Alain Jean Rousseau

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • lei de eventos raros e estatísticas dos extremos
  • Em termos gerais, o objetivo do presente projeto é estudar propriedades estatísticas de sistemas dinâmicos (ou de processos estocásticos, equivalentemente). Isso deverá ser feito levando em conta tanto o caso de sistemas determinísticos quanto o caso estocástico (com perturbações). Observamos que uma atenção especial deverá ser dada às chamadas Leis de eventos raros e sua relação com o problema da máxima sub-sequência em comum. Dentre as propriedades estatísticas dos sistemas, nosso interesse particular é o estudo dos eventos raros (ou extremos). Estes normalmente correspondem a severos desvios do comportamento médio do sistema, e são na maior parte das aplicações relacionados a ocorrências adversas, sendo portanto de grande interesse prático. O efeito de recorrência introduzido por Poincaré é o ponto de partida para uma análise mais profunda dos tempos que o sistema leva (em termos de evolução temporal de uma órbita) até entrar em alguma região do espaço de fases onde esses indesejáveis (raros) eventos estão condenados a ocorrer. Por essas razões é que se torna importante a obtenção da distribuição-limite do tempo esperado até a ocorrência de um evento raro. Essas áreas são comumente denominadas de Estatísticas de Tempos de Entrada (HTS), e Estatísticas de Tempos de Retorno (RTS). Aqui chamamos a atenção para o fato que todas as siglas serão dadas em inglês. Na Estatística, existe uma área bastante difundida, chamada de Teoria de Valores Extremos (EVT). Essa área é associada ao estudo de eventos extremos que correspondem a observações muito altas (ou muito baixas), excedendo limiares pré-estabelecidos, o que as torna, por assim dizer, indesejáveis. Recentemente, uma conexão entre HTS/RTS e EVT para sistemas dinâmicos foi estabelecida, e foi provado que HTS/RTS e EVL são, essencialmente, dois lados da mesma moeda. Essa descoberta trouxe uma nova luz ao assunto, além de novas técnicas para desenvolver o estudo de eventos raros. Consequentemente, é de nosso interesse a busca pelo profundo entendimento da teoria de eventos raros em sistemas dinâmicos, e sua conexão com outras propriedades estatísticas de tais sistemas. Tal entendimento poderá desenvolver essa área para um novo nível. Alem disso, um dos nossos objetivos é utilizar esses resultados para estudar o problema da maior sub-sequência comum (LCS). De fato, o problema LCS é uma versão mas simples do problema da maior sub-cadeia comum. Sendo esse ultimo problema ligado com o problema da menor distância entre duas órbitas cujo comportamento apresenta um decaimento exponencial com expoente que depende da dimensão de correlações. A chave principal para obtenção desse expoente é controlar a probabilidade de ter tempos de retornos curtos em alguns conjuntos especiais. Para que esse resultado seja estendido para sistemas dinâmicos mais gerais, nós planejamos adaptar algumas das técnicas usadas para o estudo de HTS/RTS, e obter informação sobre a probabilidade de retornos curtos. Portanto, nós pretendemos melhorar tais técnicas para ir do problema da maior sub-cadeia comum para o problema LCS, usando em particular técnicas de sistemas dinâmicos aleatórios. A equipe do presente projeto inclui especialistas mundiais em HTS/RTS e, em algum sentido, alguns dos responsáveis pelo recente desenvolvimento de HTS/RTS. Além disso, estão também presentes pesquisadores com especialidade na área de EVT para sistemas dinâmicos, e também em outros temas como decaimento de correlações e grandes desvios para sistemas dinâmicos. Acreditamos que essa combinação de perícia entre os membros da equipe poderá ser muito frutífera no sentido de gerar um desenvolvimento nessa área de pesquisa.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Jeronimo Constantino Borel

Ciências Agrárias

Agronomia
  • seleção recorrente fenotípica em feijoeiro comum para resistência à podridão cinzenta do caule
  • A podridão cinzenta do caule (PCC) causada por Macrophomina phaseolina, constitui um dos fatores mais limitantes à produção de feijão comum e feijão caupi na região semiárida. Apesar da importância do problema, não existem muitos estudos visando obter resistência em feijoeiro comum no Brasil e há poucos no mundo. Sabe-se que a reação à doença é de natureza quantitativa, de modo que a seleção recorrente constitui a estratégia mais adequada para o desenvolvimento de linhagens resistentes. Porém não existem relatos de programas dessa natureza. Diante do exposto, este projeto pretende iniciar um programa de seleção recorrente fenotípica visando resistência à PCC. A população base será formada por meio de um dialelo parcial entre as quatro linhagens mais resistentes e cinco linhagens mais produtivas e adaptadas às condições semiáridas. A cada ciclo, pretende-se inocular e avaliar 2000 plantas S0, e recombinar as vinte mais resistentes por meio de um esquema de dialelo circulante. As progênies selecionadas ao final de cada ciclo serão avaliadas em campo juntamente com testemunhas quanto à caracteres agronômicos a fim de desenvolver linhagens mais resistentes e produtivas. Esta proposta não só irá contribuir com a cultura do feijão, mas também com a ciência e com a formação de recursos humanos na área de melhoramento visando resistência à doenças na região Nordeste.
  • Universidade Federal do Vale do São Francisco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Jerson Lima da Silva

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • inct de biologia estrutural e bioimagem
  • Nos primeiros cinco anos, a meta geral do INCT de Biologia Estrutural e Bioimagem (INBEB) foi a de criar uma rede de pesquisa multidisciplinar nos campos de biologia molecular e estrutural, biologia celular, bem como biologia tecidual, gerando, desta forma, uma visão global sobre diversas doenças humanas importantes para a saúde pública no país. Nesta primeira fase, construimos uma sólida infraestrutura física e científica (vide Relatórios Bienais em http://www.imbebb.org.br/index.asp) voltada para os estudos de diversas patologia desde o nível atômico, por meio da estrutura e dinâmica de proteínas por ressonância magnética nuclear (RMN), bem como a nível morfo-patológico, por meio de técnicas de microscopia e, também, de forma sistêmica, por meio de imagem por ressonância magnética (MRI, magnética resonance imaging) e tomografia de emissão de pósitrons e tomografia computadorizada por emissão de fóton único (PET-SPECT-CT). Essa infraestrutura encontra-se instalada e em pleno funcionamento reunindo equipamentos de ponta em três edificações: O CNRMN – Centro Nacional de Ressonância Magnética Nuclear Jiri Jonas (CENABIO I), reunindo os equipamentos de RMN (espectrômetros de 400MHz, 500 MHz, 600 MHz, 700 MHz (estado sólido), 800 MHz e um 900 MHz (a ser adquirido – projeto pro-infra aprovado); 2) O CENABIO II - abrigando os equipamentos de Bioimagem de pequenos animais (MRI 7 Tesla; SPECT/PET – CT; Imageamento por Bioluminescência); 3) O CENABIO III – edificação em fase de conclusão que reunirá os equipamentos de Microscopia Eletrônica, Confocal, Multifotônica e de Força Atômica. Em conclusão, criamos um centro de referência com um dos maiores parques de equipamentos nesta área e que atende a demanda dos pesquisadores brasileiros e de outros países que buscam fazer colaborações e elevar o patamar dos conhecimentos em suas respectivas áreas do conhecimento. Agora, nesta segunda fase do INBEB, pretendemos somar esforços para compreender as bases moleculares das doenças amiloidogênicas, câncer, doenças degenerativas, doenças parasitárias e virais, que compõem a temática da nova proposta ora apresentada. Pretendemos avançar na proposição de terapias novas, tal como o desenvolvimento racional de fármacos e vacinas, que se fazem necessários para a diminuição da morbidade e mortalidade da população acometida por essas enfermidades. O grande elo de associação desses grandes temas é a Biologia Estrutural e a Bioimagem que, agora, terão seus laços estreitados com parcerias com empresas publicas e privadas e redes hospitalares, como o Instituto D’Or/IDOR (associado à rede de Hospitais D’OR) e a Fundação de Medicina Tropical Heitor Dourado do Estado do Amazonas, preenchendo a lacuna que existe entre pesquisa básica e pesquisa clínica (pesquisa translacional). Pretendemos criar novas Plataformas Experimentais com especial destaque para as Plataformas de Purificação/Cristalização de Proteínas, de Triagem de Bibliotecas de Fármacos por RMN e de Bioimagem Translacional. O INBEB será coordenado pelo Prof. Jerson Lima da Silva tendo como Vice-Coordenador o Dr. Wanderley de Souza (UFRJ), ambos pesquisadores 1A do CNPq, que serão assessorados por um Comitê Gestor composto por 8 Chefes de Laboratórios Associados, aalém de um Conselho Científico Internacional, sob a Presidência do Professor Kurt Wüthrich (Scripps/UFRJ). A estrutura organizacional básica do INBEB em Laboratórios Associados (LAs) será mantida, porém alguns LAs foram reestruturados e novos LAs foram inseridos na presente proposta, visando incorporar novos grupos de pesquisa para o alcance das metas científicas definidas. Compõem o INBEB 21 LAs coordenados por pesquisadores reconhecidos em suas áreas de atuação. Ao todo, temos instituições associadas ao INBEB de sete estados da Federação e o Distrito Federal. Em linhas gerais as temáticas científicas que se pretende abordar foram agrupadas em quatro grande grupos, a saber: I. Proteínas Amiloidogênicas e Prions: Doenças Neurodegenerativas e do Mau- Enovelamento Proteico; II. Vírus e suas Respectivas Doenças; III. Microrganismos Eucariontes e suas Respectivas Doenças e IV. Proteínas de Supressão Tumoral e Oncogênicas em Câncer. Dentre os temas a serem abordados podemos destacar como principais interesses dos proponentes do INBEB: (a) determinar a estrutura tridimensional de macromoléculas, com ênfase na utilização da Ressonância Magnética Nuclear e difração de raios-x; (b) analisar a formação de complexos macromoleculares e estruturas celulares complexas, utilizando técnicas microscópicas de alta resolução (microscopia de força atômica, crio-eletrontomografia, espectroscopia de correlação de fluorescência); (c) analisar a organização celular utilizando microscopia de fluorescência de alta resolução (confocal, multi-fotônica, vídeo-microscopia), microscopia eletrônica de varredura e microscopia eletrônica de transmissão), e (d) analisar o comportamento de células e tecidos em animais inteiros, utilizando as mais modernas técnicas de visualização de animais experimentais, como a bioluminescência, a ultra-sonografia de alta resolução, a tomografia de emissão de fótons (PET/SPECT/CT) e a ressonância nuclear magnética de imagem (MRI); (e) sintetizar novos compostos capazes de atuarem como agentes antiamiloidogênicos, antivirais, antiparasitários e antitumorais e (f) caracterizar biomarcadores estruturais e funcionais nas doenças neurodegenerativas e no câncer através de estudos pré-clínicos e ensaios clínicos. Em conclusão a nossa proposta pretende gerar contribuições científicas e tecnológicas nas áreas de Doenças Neurodegenerativas, Câncer, Doenças Virais e causadas por Microrganismos Eucariontes, através de estudos de biologia estrutural e bioimagem in vitro e in vivo, além de estudos clínicos com pacientes, utilizando a vantagem competitiva do grupo reunido no INBEB.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Jesanias Rodrigues de Lima

Ciências Humanas

Filosofia
  • 5ª semana municipal de ciência e tecnologia de itapissuma
  • É inegável que nossa sociedade vem se modificando em virtude das transformações decorrentes das revoluções científicas e tecnológicas. Mediante isto, a população vem se apropriando progressivamente a tais inclusões, sendo necessário que elas possam se adequar e familiarizar-se com as ferramentas tecnológicas. Diante dessa possibilidade, e por intermédio da Chamada do Edital da CNPq/MCTI Nº 17/2020, propomos o projeto, com o seguinte objetivo: Fomentar o conhecimento Científico e Tecnológico, a partir da 5ª Semana Municipal de Ciência e Tecnologia de Itapissuma. Para tal por finalidade viabilizar o conhecimento científico para o público prioritário e geral do município de Itapissuma, que é situado no Estado de Pernambuco, nordeste brasileiro. Pontua-se que o município proponente, já vem atuando com parcerias de municípios, instituições e entidades, e também tem experiência nesse tipo de evento de Ciência e Tecnologia. Somado a isto, é relevante mencionar os índices alcançados pelo município nos últimos Índices de Desenvolvimento da Educação Básica (Ídeb), mesmo apresentando um Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) considerado baixo. Para alcançarmos nosso objetivo, foram pensadas duas linhas de ações: (1) Proposta principal (atividades presenciais) ou (2) Proposta secundária (atividades virtuais), levando em consideração o contexto de incertezas que vivemos em meio à pandemia do “novo Coronavírus”, o direcionamento de nossa linha de proposta ocorrerá no mês de setembro, visto que consultaremos nossa Secretaria de Saúde. Porém em qualquer uma das linhas, seguiremos o protocolo de seguranças exigidos pelas Secretarias de Saúde Estadual e municipais e Organização Mundial de Saúde, tomando como base suas ações e cuidados.
  • SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCACAO DE ITAPISSUMA - PE - Brasil
  • 16/03/2021-31/03/2023