Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvio Segundo Salej Higgins

Ciências Humanas

Sociologia
  • covid-19: proposta de um modelo epidemiológico que incorpora estruturas sociais de contágio
  • O objetivo geral consiste em produzir indicadores epidemiológicos que permitam associar características epidemiológicas a diversos fatores sociométricos, estando estes vinculados às iterações sociais em diversos contextos de socialização. Os objetivos específicos 1) Estruturar e propor modelos de distribuições paramétricas para grafos que sejam compatíveis com formas de interação em círculos sociais-chave para prever o curso da pandemia e assim escolher as melhores estratégias de desconfiamento. Quatro são os círculos sociais considerados relevantes: vizinhanças em favelas, centros comerciais e supermercados, instituições de ensino e equipamentos de transporte público. 2) Fazer análise estatística dos modelos propostos para círculos sociais-chave, nas estratégias graduais de desconfiamento, assim como especificar ou estimar os parâmetros epidemiológicos destes contextos de interação. 3) Realizar as simulações tanto para os círculos de interação como para a propagação da epidemia e representar graficamente de maneira apropriada os resultados, por exemplo curvas do número de infectados ao longo do tempo nestes contextos. Isto permitirá também assinalar os efeitos de diversos regímenes de distanciamento social. 4) Construir indicadores apropriados, por exemplo o número básico de reprodução RO, para a indicação dos efeitos dos diversos cenários de distanciamento sobre os efeitos estimados em cada um dos círculos sociais considerados. 5) Montar interfaces simples e em linguagem aberta para os usuários destes modelos, assim como manuais explicativos. 6) Promover a iteração de grupos de pesquisa epidemiológica no Equador e Brasil.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Silvio Segundo Salej Higgins

Ciências Humanas

Sociologia
  • religião e empregabilidade - a força dos laços fracos e fortes em grupos religiosos pentecostais
  • Entre 2002 e 2013 o Brasil pode ser considerado um país afluente com ganhos crescentes na média salarial. Concomitantemente, registrou-se um processo de de mudança no perfil religioso da população. Esta pesquisa vai ao encontro desta dupla tendência para pesquisar de forma específica como os grupos religiosos de maior expressão na guinada protestante, as comunidades de culto pentecostal, transformaram-se num mecanismo específico de acesso ao mercado de trabalho formal ao mesmo tempo que criam oportunidades de emprego por conta própria. Invocamos a teoria sociológica de Mark Granovetter (1973) segundo a qual as estruturas de proximidade, ou redes interação, operam como fatores que fazem a diferença no acesso a um posto de trabalho. Neste caso, lançamos a hipótese de que as comunidades de culto operam como bolsas informais de emprego para seus membros ao mesmo tempo que cultivam uma visão de mundo própria da mobilidade social ascendente, do sucesso e do esforço individual como certitudo salutis. Neste ponto, a doutrina da prosperidade é decisiva. Metodologicamente, propomos uma pesquisa tipo survey em seis grandes capitais do Brasil entre grupos de culto pentecostal,com representatividade demográfica para este segmento específico.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvya Stuchi Maria-Engler

Ciências da Saúde

Farmácia
  • metabolismo mitocondrial ditando a heterogeneidade e a resistência do melanoma
  • O melanoma metastático é o mais agressivo dentre os cânceres de pele e os tratamentos atuais baseados na inibição de BRAF/MEK se tornam ineficazes porque a resposta adaptativa favorece a seleção e a proliferação de células tumorais resistentes ao tratamento. É bem aceito que células de câncer sofrem alterações metabólicas significativas para serem capazes de proliferar mesmo em ambientes escassos de nutrientes, um exemplo é a utilização de glutamina como fonte alternativa de carbono. Estas observações colocam a mitocôndria como uma organela centralizadora do metabolismo, uma vez que ela está envolvida nas alterações metabólicas e sinalização celular. Além da produção de ROS pelas mitocôndrias, fatores que controlem sua própria biogênese podem influenciar a proliferação do tumor. Neste sentido, o cofator transcricional PGC1α, necessário para biogênese mitocondrial, pode restaurar o metabolismo oxidativo no melanoma. A expressão de PGC1α é controlada pelo fator de transcrição MITF e foi demonstrado que a ativação de MAPK retarda metabolismo oxidativo mitocondrial pela repressão da via de MITF/PGC1α. O metabolismo oxidativo pode ser considerado como um mecanismo adaptativo que limita a eficácia de inibidores BRAF. De fato, foi mostrado que o melanoma resistente a vemurafenibe faz uso do metabolismo oxidativo mitocondrial, caracterizado por níveis basais elevados de respiração mitocondrial e a produção de ROS. A análise do perfil de linhagens de melanoma revelou que a expressão de genes refletia um fenótipo invasivo e pouco proliferativo e outro pouco invasivo e muito proliferativo. Esta correlação inversa encontrada não é bem entendida, mas está correlacionada com o fator de transcrição MITF. O mecanismo pelo qual o MITF é menos expresso é desconhecido, mas sua baixa expressão está relacionada com a resistência a inibidores de BRAF/MEK. Dessa forma, entender os mecanismos moleculares envolvidos na diminuição de MITF é fundamental para entender a relação entre resistência a terapia e invasão. O presente projeto tem como objetivo contribuir para o conhecimento do funcionamento do metabolismo energético em subpopulações clonais de melanoma, com ênfase na função da mitocôndria neste processo, explorando os perfis das subpopulações resistentes ou não em relação aos intermediários do ciclo do TCA, expressão de MITF e sua regulação, bem como o estado oxidativo. Pretende-se com isso entender como o metabolismo pode ditar a heterogeinidade e resistência de células de melanoma tratadas com o quimioterápico vemurafenibe, além de avaliar as consequências do estresse oxidativo na mitocôndria.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Simara Maria Tavares Nunes

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • as feiras de ciências da ufg/rc e a articulação cultural e científica com a educação básica: em busca de uma troca de conhecimentos entre universidade e sociedade para uma formação integral
  • Em 2020 ocorrerá a 9ª edição da Feira de Ciências da Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão (UFG/RC), evento já consolidado em Catalão – GO. Esta será voltada prioritariamente para alunos regularmente matriculados em instituições de ensino público da Educação Básica (da Educação Infantil ao Ensino Médio e Técnico ou Profissionalizante). Trata - se de um evento relevante para a Cidade de Catalão e Região que, ampliando a dimensão do que é ciência - produção de conhecimento -, repercute de maneira significativa em todo o conjunto de escolas e colégios da Região, mas já tendo alcançado escolas de todo o Estado de Goiás e até fora do Estado. Assim, propõe-se neste projeto o trabalho com Feiras de Ciências como um recurso metodológico diversificado, capaz de promover o processo de ensino e aprendizagem de forma crítica, autônoma, criativa, investigativa, interdisciplinar, colaborativa e prazerosa, de forma a proporcionar uma formação integral do sujeito. Assim, torna-se um instrumento de popularização da ciência e busca da melhoria da qualidade da educação básica. Neste percurso, através da proposição de temas que propiciem o estudo de problemas e questões da sociedade, incentivar-se-á a proposição de trabalhos interdisciplinares criativos (de proposição inédita), que valorizem a inovação e a utilização do método científico e a atitude investigativa. O estudante será estimulado a escrever seu projeto de forma colaborativa, em equipe, onde este apresentará sua proposta de trabalho como se fosse uma atividade de iniciação científica na educação básica. Percebe-se assim uma relação deste projeto com as propostas da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), ao proporcionar a oportunidade de um processo de ensino aprendizagem tendo como eixo a problematização do conhecimento científico através de temáticas, o que possibilita aos estudantes investigar, analisar, discutir situações problema de seu contexto sócio – cultural e buscar soluções para esses problemas individuais, sociais, ambientais, dentre outros. Assim, como proposto na BNCC, busca-se estimular a curiosidade, criatividade e o protagonismo estudantil através do diálogo da Ciência com o mundo real. Os objetivos primordiais desta 9ª edição é proporcionar um evento que através da divulgação científica estimule a curiosidade científica e o pensamento crítico dos alunos, despertando e estimulando o interesse de alunos de toda a Educação Básica pelas Ciências, além de proporcionar o contato com práticas interdisciplinares e em equipe, tornando a Ciência algo rico e instigante para todos nos diversos níveis de ensino. Outros importantes objetivos são estreitar as relações Universidade-Escola; estimular a relação de ensino e pesquisa nos diversos níveis de ensino, desde a Educação Infantil, incentivando a pesquisa desde os primeiros anos escolares e propiciando a formação docente na busca destes objetivos. Aliás, este tem sido um grande diferencial desta Feira de Ciências da UFG/RC, a abrangência de todos os níveis de escolaridade, oportunizando inclusive aos alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental 1 a oportunidade de vivenciar a utilização do método científico, da pesquisa e de atividades de iniciação científica e que comuniquem suas descobertas e resultados ao público, o que tem sido motivo de grande visibilidade para alunos e professores desta etapa de ensino (educação básica). Através da adoção de temáticas que propiciem a pesquisa da realidade local, regional, nacional e mundial, a fim de que os alunos busquem soluções científicas para os problemas detectados (abordagem CTS de Ensino), tem-se buscado incentivar a utilização dos avanços científicos e tecnológicos a favor da diminuição das desigualdades sociais e da melhoria da qualidade de vida da população em geral e do desenvolvimento sustentável. Buscar-se-á incentivar o trabalho interdisciplinar e colaborativo através da regra de participação em grupos. Todos os atores, alunos e professores da educação básica, terão acesso a um Curso de capacitação ofertado pela Regional Catalão, onde serão orientados em relação às normas do evento como criatividade, inovação e utilização do método científico e, principalmente, em relação a escrita científica do resumo a ser apresentado. A divulgação da 9ª Feira de Ciências da UFG/RC será realizada por meio das oficinas de capacitação citadas acima, além de cartazes e regulamentos encaminhados via email e entregues pessoalmente às Secretarias de Educação, à Direção das Escolas, professores e alunos da Educação Básica através da visita as salas de aula das escolas. Neste evento tem-se trabalhado desde sempre com a interdisciplinaridade e com a contextualização do conhecimento. Tem-se para isso adotado o trabalho com a abordagem de Ensino CTS. A abordagem de Ensino CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade) permite a interação do educando com o mundo, pois propicia a alfabetização científica, despertando o senso crítico e reflexivo do aluno. Chassot (2000) salienta que a alfabetização científica é um conjunto de conhecimentos que facilitariam aos homens e mulheres fazerem uma leitura do mundo em que vivem, auxiliando o aluno a construir conhecimentos, habilidades e valores necessários para tomar decisões responsáveis sobre questões de ciência e tecnologia na sociedade e atuar na solução de tais questões (AIKENHEAD, 1994). Dentre os resultados esperados tem - se o estímulo à curiosidade científica e o pensamento crítico dos alunos; a participação efetiva da comunidade no evento; a aproximação e interação escolas - Universidade - comunidade; alunos motivados para a investigação de problemáticas cotidianas; alunos mais preparados para a elaboração de projetos escritos e com desenvoltura para a comunicação de trabalhos científicos de forma a divulgar os avanços científicos e tecnológicos a favor da melhoria da qualidade de vida da população em geral e do desenvolvimento sustentável.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 31/01/2021-31/01/2022