Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sérgio Oliveira De Paula

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • produção de quimeras vacinais (sars-cov-2-yfv17d) contra o vírus sars-cov-2 (severe acute respiratory syndrome coronavirus 2) e padronização de testes sorológicos
  • Desde que os primeiros casos de COVID-19 começaram a ser relatados na cidade de Wuhan, na China, o mundo já conta com mais de 2 milhões de infectados pela doença, e até o momento, 125 mil mortos. A ciência mundial se esforça para entender os mecanismos de infecção viral, as consequências da infecção no corpo e o desenvolvimento ou seleção de fármacos que possam atuar no tratamento da doença. Embora seja um consenso que, apenas a elaboração de uma vacina seguramente efetiva contra o SARS-CoV-2, poderia efetivamente imunizar a população e protegê-la contra os posteriores surtos que possam vir a acontecer por essa doença, ainda não possuímos um candidato viável. Devido a isso, nesse projeto temos como objetivo, a utilização da plataforma YFV 17D como base para a elaboração de uma vacina contra SARS-Cov-2. Para a construção dos vírus YF17D recombinantes, diferentes arranjos serão testados, como os domínios S1 e S2 da proteína S do SARS-CoV-2, bem como a proteína S inteira. As regiões de interesse (proteína S, domínio S1 e domínio S2) serão fundidas em seus terminais amino com os primeiros 9 aminoácidos do terminal amino de YF 17D NS1. Os plasmídeos resultantes das montagens serão linearizados e o transcrito transferido para células Vero. Após 5 passagens, o vírus quimérico será recuperado no sobrenadante da cultura celular. Em paralelo a proteína S recombinante será expressa na levedura Pichia pastoris KM71H, a partir do plasmídeo integrativo pPICZαA. Essa proteína será purificada e utilizada como vacina de subunidade proteica em comparação com as quimeras virais YF 17D. Os ensaios in vivo serão realizados no Instituto Aggeu Magalhães (FIOCRUZ – Pernambuco) onde os candidatos vacinais serão avaliados em modelos animais. As proteínas S recombinantes utilizadas como candidatos vacinais também serão utilizadas na elaboração de testes diagnósticos sorológicos (MAC-ELISA e IgG ELISA). Tendo em vista que a vacina YFV 17D demonstra ser uma plataforma estável mesmo contendo imunógenos de outras famílias virais, aliado à sua fácil produção em larga escala, nos leva a crer que essa vacina traria resultados positivos no combate ao Covid-19, com possibilidade de rápida implementação no sistema único de saúde brasileiro. Fato esse que seria de suma importância pois trará benefícios a rede pública de saúde que tanto carece de recursos.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022