Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Amanda Castro Oliveira

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • mulheres e meninas mineiras nas ciências exatas, engenharias e computação.
  • A sub-representação das mulheres nas Ciências Exatas, Computação e Engenharias ainda é uma situação que parece distante de ser superada. Embora as mulheres já ocupem mais de 50% das vagas no cursos de graduação no Brasil, um levantamento realizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico aponta que em relação às Ciências Exatas e Engenharias a participação das mulheres ainda é muito baixa em relação à participação dos homens. São 36% de mulheres nas Engenharias e 35% nas Ciências Exatas. Se considerarmos o número de professoras efetivas que atuam nos departamentos de Ciências Exatas, Física, Ciência da Computação, Química, Engenharia e Estatística da Universidade Federal de Lavras, o total não chega a 30%. Dentre as estudantes dos cursos de graduação o panorama é semelhante, as mulheres são menos de 40% de todos os/as discentes dos cursos de Engenharias, Física, Matemática, Química, Computação e Sistemas de Informação, sendo menos de 11% de todos os/as estudantes ativos no curso de Ciência da Computação e menos de 18% no curso de Engenharia de Controle e Automação. Partindo do pressuposto de que uma uma comunidade científica diversificada tende a ser mais criativa, produzir melhores resultados e maiores avanços surge a seguinte questão: Por que as meninas não vão para as áreas de Ciências Exatas, Computação e Engenharias? Por que há tão poucas professoras nesses departamentos? Diferenças na socialização de gênero que começam desde a infância, pouco estímulo da família e da sociedade, preconceitos dos mais diversos, desconhecimento sobre as áreas, poucas referências de mulheres que trabalham na área, estereótipos de gênero, ambiente hostil para as mulheres, dupla-jornada são algumas das respostas encontradas nas pesquisas que tratam a questão. Diante dessas constatações esse projeto pretende realizar diversas ações que, por meio da colaboração universidade-escola, incentivem e promovam a participação e a permanência de mulheres nessas áreas contribuindo assim para mitigar com a desigualdade de gênero nas Ciências Exatas, Computação e Engenharias.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 22/03/2021-31/05/2023
Foto de perfil

Amarolinda Iara da Costa Zanela Klein

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • utilização de tecnologias da indústria 4.0 no brasil: compreendendo os processos de inovação e seus resultados
  • A Indústria 4.0 (I4.0) envolve transformações nos sistemas produtivos com a aplicação de tecnologias-chave como a Internet das Coisas (IoT), inteligência artificial, plataformas digitais e big data analytics, gerando valor com a integração entre sistemas físicos e digitais. Considerando esse cenário, o projeto tem como questão de pesquisa: como ocorrem os processos de inovação baseados em tecnologias da I4.0 no contexto brasileiro e quais são os resultados desses processos, não somente econômicos, mas também sociais e ambientais? Pressupõe-se que as tecnologias da I4.0 evoluem tecnicamente de forma acelerada, mas as instituições, práticas e normas sociais nem sempre se alinham ou evoluem na mesma velocidade. Por isso, o projeto visa gerar conhecimentos e tecnologias que contribuam para que organizações e arranjos interorganizacionais no Brasil possam inovar com base em tecnologias da I4.0 de forma eficaz e socialmente justa. O projeto se desenvolverá por meio de 10 subprojetos alocados em eixos temáticos e setores selecionados com base nas diretrizes do governo federal, conforme o decreto 9.854/2019 (plano nacional de IoT) e o Plano de Ação da Câmara Brasileira de I4.0. Alinhado com essas diretrizes, o projeto se volta aos setores de: saúde, indústria e agricultura e aos eixos temáticos de: ciência, tecnologia e inovação; educação e capacitação profissional; viabilidade econômica, social e ambiental. As questões e focos de pesquisa são plausíveis pois permitirão a compreensão dos construtos centrais relacionados aos processos de inovação baseados em tecnologias da I4.0 e a avaliação de seus resultados, bem como a geração de tecnologias para apoiar esses processos. Como métodos, pesquisas survey e estudos de casos permitirão compreender o fenômeno pesquisado e a Design Science Research (DSR) será utilizada para gerar tecnologias (frameworks e modelos) de apoio à inovação baseada nas tecnologias da I4.0.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Amauri Alcindo Alfieri

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • instituto nacional de ciência e tecnologia para a cadeia produtiva do leite
  • O leite é um dos alimentos mais completos e mais consumidos em todo o mundo. Independente da classe social, o leite é parte importante da dieta de indivíduos de todas as idades, particularmente crianças. A sua importância como alimento faz com que essa proteína de origem animal seja produzida em todo o mundo nas mais diversificadas escalas de produção (micro, pequena, média e grande). O Brasil é o quarto maior produtor comercial de leite do mundo caracterizando, com isso, a importância dessa cadeia produtiva para o agronegócio brasileiro. Diferentemente de outras cadeias produtivas inseridas no agronegócio, o leite é uma fonte de renda mensal que contribui consideravelmente com a manutenção da população no meio rural; tem grande função social, pois gera milhares de empregos diretos e indiretos; é uma das poucas atividades rurais passível de ser realizada nas mais distintas escalas de produção; a maioria dos rebanhos não compete com a agricultura, pois utiliza pastagens em áreas não agricultáveis contribuindo com o uso racional e sustentável do ambiente. Todos esses atributos fazem da pecuária leiteira uma das atividades rurais brasileiras mais tradicionais. De acordo com o último Censo Agropecuário, o país possui 1,35 milhão de propriedades produtoras de leite, com aproximadamente de 5 milhões de pessoas envolvidas diretamente na atividade. Do total de produtores 80% corresponde a pequenos produtores com produção leiteira máxima de 50 L/dia em estabelecimentos de agricultura familiar. Com isso, é evidente a importância nacional da Cadeia Produtiva do Leite. Entretanto, a produção anual de leite (1382 L/vaca/ano) está longe dos índices produtivos dos principais países produtores, como EUA e China, com produções de 5710 L/vaca/ano e 4166 L/vaca/ano, respectivamente. O consumo per capita anual brasileiro é de 172,6 litros, enquanto o recomendado pela Organização Mundial de Saúde é de 210 litros/habitante/ano. Entre os fatores que interferem na produtividade da pecuária de leite brasileira pode-se citar a exploração de animais de baixa aptidão leiteira e a subutilização de técnicas que envolvem melhoramento genético, nutrição, sanidade e manejo racional. Por todos esses aspectos negativos a Cadeia Produtiva do Leite, tema central da presente proposta de formação de Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para a Cadeia Produtiva do Leite (INCT – Leite), consta das políticas públicas de governo no contexto da Política Nacional para o Agronegócio. Por meio de uma rede de cooperação científica interinstitucional englobando dezenas de laboratórios e pesquisadores e inserida nos níveis estadual, nacional e internacional, o INCT – Leite tem como missão desenvolver ações de pesquisas com alto impacto científico nas diversas vertentes da Cadeia Produtiva do Leite. A principal meta será o desenvolvimento científico e tecnológico de toda a cadeia produtiva, por meio de pesquisas direcionadas à solução de problemas e aumento da produtividade e lucratividade desta atividade pecuária, com respeito ao Bem-estar Animal, sustentabilidade e meio-ambiente. O INCT – Leite terá ainda como missão a formação de recursos humanos em todos os níveis (médio, técnico, graduação e pós-graduação), a socialização dos conhecimentos com os setores produtivo (cooperativas e indústrias) e público e com a sociedade. O grupo de pesquisadores vinculados à instituição sede atua de forma integrada em temas relacionados à Cadeia Produtiva do Leite por mais de 30 anos. As pesquisas científicas desenvolvidas nas várias áreas do conhecimento, de forma integrada, possibilitaram avaliar a eficácia da adoção de medidas com relação à mitigação de alguns aspectos que contribuem negativamente em parâmetros que interferem na produtividade da cadeia leiteira. Ainda, no estado do Paraná também participam como instituições colaboradoras da proposta do INCT – Leite os Centros Mesorregionais de Excelência em Tecnologia do Leite (CMETL). Os oito CMETL, construídos com recursos da FINEP e da Fundação Araucária, foram idealizados para articular e desenvolver a Cadeia Produtiva do Leite no estado. Adicionalmente, os pesquisadores da instituição sede e das demais parceiras (nacionais e internacionais) desenvolvem pesquisas basicamente em 5 grandes linhas temáticas de pesquisa que integram a Cadeia Produtiva do Leite destacando-se: i) Sanidade; ii) Produção; iii) Reprodução; iv) Bem-estar animal, sustentabilidade e meio ambiente; v) Qualidade, tecnologia e mercado do leite. As linhas temáticas de pesquisa são constituídas por projetos que abordam os vários atores incluídos na cadeia produtiva destacando-se os animais, o produto e subprodutos, o ambiente e o mercado. É fato que os proponentes do INCT – Leite, tanto aqueles vinculados à instituição sede quanto, particularmente, às instituições parceiras, reuniram-se também para concretizar a presente proposta. Facilmente é possível constatar que a grande maioria deles já atua de forma compartilhada desenvolvendo projetos e publicações em conjunto, alguns dos quais por mais de uma década. A oportunidade de concretizar a proposta INCT – Leite contribuirá com o desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite em todas as suas vertentes, não apenas no estado do Paraná, mas em todo o Brasil. Essas ações terão reflexos diretos nas condições de vida do trabalhador rural, aumentando a sua renda e padrão de vida. Por fim, o aumento de produção, produtividade e rentabilidade da Cadeia Produtiva do Leite possibilitará o incremento de sua inserção e importância no âmbito do agronegócio brasileiro por meio da geração de divisas, impostos, empregos, entre outros. Além disso, contribuirá no atendimento dos desafios social, econômico, tecnológico e ambiental.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Amauri Alcindo Alfieri

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • proposta da universidade estadual de londrina para apoio à formação de doutores em centros de excelência
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 09/01/2020-09/01/2025
Foto de perfil

Amélia Nunes Sicsú

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • tuberculose pulmonar em crianças: produção de uma tecnologia para rastreamento de risco
  • O Amazonas apresentou em 2020 o maior número de casos de tuberculose (TB) registrados em todo o território nacional e se destacou por um expressivo coeficiente de mortalidade da doença entre crianças (2,4% por 100 mil habitantes), mostrando as lacunas existentes no rastreamento precoce, demora e dificuldade em estabelecer diagnóstico e a subnotificação de casos de TB nessa população. A TB em crianças, em suma, se apresenta na forma mais grave, sendo necessário que o diagnóstico seja realizado o mais rápido possível para evitar complicações mais severas e risco considerável de óbito pela demora de uma conduta terapêutica em tempo hábil. Todavia, em países com alta carga da doença, os profissionais de saúde rotineiramente estão sobrecarregados, levando a testes diagnósticos incompletos. As áreas de difícil acesso, por sua vez, são desprovidas de exames mais sofisticados. Assim, questiona-se: quais as ferramentas/funcionalidades e conteúdos devem conter em um aplicativo móvel para rastreamento de casos de TB em crianças? Esse aplicativo pode auxiliar os profissionais de saúde na otimização do rastreamento? Acredita-se que um aplicativo móvel que realize a classificação de risco em crianças de forma mais rápida, considerando quadro clinico, com leitura de radiografias sugestivas para TB, contato com pessoas com TB, prova tuberculínica e estado nutricional, auxilie na tomada de decisão de profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde, incluindo o enfermeiro, que em áreas isoladas do estado do Amazonas, assume papel protagonista na condução das ações de controle da TB, bem como, contribui para diminuir taxas de internação, deslocamentos, agravos e óbitos por TB em crianças. Portanto, objetiva-se desenvolver um aplicativo móvel de rastreamento de risco para TB pulmonar em crianças por meio de uma pesquisa de desenvolvimento tecnológico baseada no modelo RUP.
  • Universidade do Estado do Amazonas - AM - Brasil
  • 20/03/2022-31/03/2025