Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Felipe Andrés León Contrera

Ciências Biológicas

Zoologia
  • estrutura da paisagem e abelhas sem ferrão - efeitos sobre a coleta e uso de recursos alimentares e a dinâmica das colônias e indivíduos
  • Os padrões de coleta e uso de recursos pelas abelhas nativas sem ferrão são essenciais para se entender a sua relação com os ambientes onde eles ocorrem. Entretanto, há poucos dados de como a estrutura da paisagem afeta a dinâmica dos ninhos e dos indivíduos, especialmente a coleta de alimentos, a taxa de consumo destes, e os padrões de mortalidade das forrageiras, além dos tipos polínicos coletados. Nesta proposta, estudaremos a relação da estrutura da paisagem com os parâmetros mencionados, de espécies dos gêneros Melipona, Scaptotrigona, Plebeia e Frieseomellitta, dos biomas Amazônico, Caatinga, Cerrado e Restinga. Os experimentos englobarão a coleta de pólen de forrageiras, e de botões florais fechados na área de ação teórica das abelhas, além de experimentos que medirão o consumo desses estoques ao longo do tempo e como eles estão relacionados com a taxa de oviposição da rainha e o tamanho corporal das abelhas nascentes. Outros experimentos medirão como o esforço de forrageio das diferentes espécies estudadas em paisagens diferenciadas afetam a expectativa de vida das forrageiras, e como elas exploram as diferentes paisagens, através de experimentos de soltura e recaptura de operárias em diferentes distâncias e paisagens. Todos esses experimentos visam dar um panorama de como as abelhas sem ferrão dos gêneros estudados coletam, utilizam os recursos necessários para a colônia, e como todos esses fatores impactam a dinâmica da colônia e dos indivíduos nas diferentes paisagens e biomas do Brasil.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 03/07/2018-31/07/2021
Foto de perfil

Felipe Augusto Ferreira de Almeida

Outra

Divulgação Científica
  • ix semana nacional de ciência e tecnologia do ifsp câmpus boituva
  • A SNCT do IFSP Câmpus Boituva se encontra em sua nona edição. Em quatro edições anteriores houve apoio financeiro do CNPq. Neste ano, devido à Pandemia, o evento será totalmente à distância, com ciclo de palestras, minicursos, oficinas e apresentação de trabalhos. Será contratada a plataforma Zoom Webinar para que o evento tenha qualidade e garantia de transmissão adequada. Será contratada empresa de marketing digital para realizar a elaboração da identidade visual e ampla divulgação do evento mas mídias sociais. Contaremos com a presença de renomeados pesquisadores do Instituto De Ciências Matemáticas e de Computação - ICMC - da Universidade de São Paulo na área de Inteligência Artificial. A abrangência será regional, com cidades próximas ao município de Boituva. Pretende-se com parte do recurso financeiro, realizar aquisição de material de consumo para providenciar infraestrutura para alguns estudantes que tenham dificuldade de acesso à internet.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 20/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Felipe Bohn

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • dinâmica da magnetização em sistemas magnéticos nanoestruturados: jogando com classes de universalidade de avalanches barkhausen em filmes ferromagnéticos
  • Dentre os grandes temas que desafiam a comunidade científica atualmente está a dinâmica da magnetização em sistemas magnéticos nanoestruturados. Em particular, a dinâmica de paredes de domínio e o ruído Barkhausen em filmes têm sido assunto de intenso debate na literatura nas últimas décadas. Entretanto, mesmo com os recentes avanços alcançados neste campo, devido a dificuldades tanto teóricas quanto experimentais, muitas questões ainda permanecem em aberto. Neste projeto, propõe-se investigar a dinâmica da magnetização, com ênfase no ruído Barkhausen em filmes, com diferentes características estruturais e em um amplo intervalo de espessura, e em multicamadas. A partir de séries temporais de ruído Barkhausen, medidas através da tradicional técnica indutiva comumente empregada para materiais ``bulk'', é realizada uma ampla análise estatística, incluindo a distribuição de área das avalanches Barkhausen, distribuição de duração, curva de área média em função da duração, espectro de potência e a forma média da avalanche; esta última obtida pela primeira vez a partir de séries temporais medidas em filmes e publicada, recentemente, por nosso grupo. Partindo das mesmas séries temporais, também é obtida a análise multifractal e a distribuição de ``quiet time'', correspondendo a um procedimento inovador quando considerado o ruído Barkhausen. Sendo assim, a partir de um vasto conjunto de resultados, tem-se como principal objetivo estudar a dinâmica da magnetização e o ruído Barkhausen em filmes e multicamadas a fim de compreender os efeitos da espessura (associada à dimensionalidade do sistema) e do caráter estrutural da amostra (geralmente relacionado com o alcance das interações) sobre a dinâmica de paredes de domínio, bem como avaliar os efeitos da ação combinada entre espessura e caráter estrutural sobre as avalanches Barkhausen. Dentro do contexto de ``crackling noise'', os resultados obtidos, além de proporcionarem fundamentos para o completo entendimento da dinâmica de paredes de domínio em filmes, trazem importantes informações sobre uma vasta gama de fenômenos que compartilham características e que apresentam uma dinâmica que ocorre através de avalanches, tais como terremotos, flutuações na bolsa de valores, dinâmica de supercondutores, propagação de fluidos em meios porosos, entre outros. Por outro lado, do ponto de vista tecnológico, a produção e caracterização dos filmes contribuem para a evolução no controle da técnica de fabricação de filmes, com propriedades estruturais e magnéticas específicas, empregados em dispositivos eletrônicos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Braga Ribas

Ciências Exatas e da Terra

Astronomia
  • estudo de objetos do sistema solar através de fenômenos transitórios
  • O estudo de pequenos corpos do sistema solar, em especial os corpos distantes como os centauros e transnetunianos, traz informações fundamentais sobre a formação e evolução dinâmica do sistema. No entanto, estes corpos apresentam dimensões angulares muito pequenas, assim determinar suas propriedades físicas é um desafio. Em uma colaboração internacional com o Observatório de Paris-Meudon e Instituto de Astrofísica de Andalucia, lideramos o emprego da técnica de ocultações estelares como uma poderosa ferramenta para determinar tamanho e forma destes corpos. A técnica também permite estudar o entorno do objeto, e de forma surpreendente, estes corpos tem mostrado características como alto albedo, ausência de atmosfera e anéis no seu entorno. Além de publicações de grande impacto, este trabalho tem permitido a formação de recursos humanos tanto em nível de graduação quanto pós-graduação. Assim, pretende-se fortalecer os trabalhos desta pesquisa que são realizados no âmbito do recém criado Programa de pós graduação em Física e Astronomia da UTFPR, permitindo uma maior eficácia nas aquisição de dados, com telescópio e camera adequados, e desenvolvimento de uma nova plataforma para divulgação e recebimento dos relatórios e dados obtidos por colaboradores, permitindo maior dedicação à publicação das caracterizações físicas de pequenos corpos.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe da Costa Trotta

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • música e violência nas cidades
  • A presente pesquisa tem como objetivo investigar a experiência musical e sonora em espaços públicos a partir da categoria violência. Parte-se da ideia de que a escuta forçada é articuladora de violência que se mistura com diversas outras formas de violências enfrentadas no cotidiano das cidades. Serão estudados dois casos particulares da cadeia varejista Lojas Americanas e o centro de compras a céu aberto conhecido como Saara, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Espera-se contribuir para a ampliação das pesquisas sobre música, som e cidades no campo dos Estudos Culturais.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe da Silva Krawczak

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • tigeciclina, uma nova proposta de tratamento para febre maculosa brasileira, versus doxiciclina na infecção experimental por rickettsia rickettsii em cobaios (cavia porcellus).
  • No Brasil, a febre maculosa brasileira (FMB), é a riquetsiose de maior importância, sendo uma doença febril hemorrágica grave, endêmica na região sudeste, onde atinge altas taxas de letalidade (acima de 50%). Diante da gravidade do quadro clínico, complicações associadas e alta letalidade, os guias internacionais indicam o uso da doxiciclina como fármaco de primeira escolha, idealmente por via endovenosa e nos primeiros cinco dias de evolução da doença. No entanto, no Brasil, para o tratamento da FMB, a doxiciclina é fornecida unicamente em forma de comprimidos, além de ser preconizado o uso de cloranfenicol injetável como fármaco de segunda escolha. Dada a indisponibilidade do registro comercial da doxiciclina injetável, junto ao órgão regulador do país (Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA), desde 2013, o Ministério da Saúde do Brasil vem tentando a importação, aquisição e incorporação da doxiciclina nessa apresentação para o tratamento da FMB, porém, por motivos econômicos e desinteresse comercial dos laboratórios produtores do medicamento, até o presente, dita tentativa não tem sido viável. A tigeciclina é uma tetraciclina de terceira geração, de uso endovenoso exclusivo, com ampla atividade antimicrobiana, e encontra-se disponível no âmbito hospitalar para o uso em humanos. Trabalhos publicados na última década (relatos de caso e experimentos in vitro) demonstraram igual ou maior efetividade do tratamento com tigeciclina quando comparado com doxiciclina, frente a bactérias patogênicas do gênero Rickettsia e outros agentes da ordem Rickettsiales. Com base nestes achados e levando em consideração que os cobaios (Cavia porcellus) são o modelo animal experimental clássico nas infecções por riquétsias, nosso estudo terá como objetivo avaliar se o tratamento com tigeciclina em cobaios (Cavia porcellus) infectados previamente com Rickettsia rickettsii pode ser igual ou mais eficiente no controle da infecção por esta riquétsia quando comparado com doxiciclina.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Dal Pizzol

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo prospectivo e muticêntrico dos fatores preditivos de mortalidade hospitalar e carga de doença da síndrome respiratória aguda grave
  • Há uma urgência mundial na realização de pesquisas sobre o coronavírus, especialmente Sars-CoV-2, que nos levem a uma melhor compreensão das funções de suas proteínas e respostas imunológicas e que permitam desvendar a patogênese do vírus e o delineamento dos alvos terapêuticos. A resposta imunológica pode variar de acordo com o grau de infecção e, portanto, ainda não é apropriado correlacionar os marcadores imunológicos aos sintomas. Os pacientes infectados apresentam linfocitopenia, trombocitopenia, leucopenia, anemia, aumento da proteína C-reativa, observando-se uma grande amplificação dessas alterações nas formas mais graves da doença em comparação com as formas menos graves. Os quadros graves também foram relacionados a superativação de células T, manifestada pelo aumento de Th17 correlacionando-o a alta a citotoxicidade das células T CD8. Respostas imunes exacerbadas após a infecção são descritas como uma tempestade de citocinas (citokyne storm), associada a níveis excessivos de citocinas pró-inflamatórias e danos generalizados aos tecidos, incluindo a síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA). Em um recente estudo em que analisaram perfil inflamatório de pacientes clinicamente moderados e graves, demonstraram que a citokyne storm ocorre durante a infecção por Sars-CoV-2, mas o papel detalhado das citocinas na gravidade e progressão da doença ainda são desconhecidos. Também foi relatado aumento da interleucina (IL)-2, IL-7, fator estimulador de colônias de granulócitos, proteína 10 induzível por interferon-gama;, proteína 1 quimioatrativa de monócitos, proteína inflamatória de macrófagos 1 A, proteína 1-alfa; e o fator de necrose tumoral-alfa. Além disso, outros preditores de fatalidade em um estudo multicêntrico retrospectivo recente de 150 casos confirmados de COVID-19 incluíram ferritina e IL-6. Decisões diagnósticas e terapêuticas são baseadas no prognóstico dos pacientes. Modelos prognósticos são modelos estatísticos que combinam duas ou mais variáveis de pacientes para predizer um desfecho clínico Os modelos prognósticos podem auxiliar na descoberta de modalidades de tratamento mais eficazes para os desfechos de interesse. Os desfechos de maior interesse tanto individualmente como para a saúde pública são a mortalidade e as incapacidades. Incapacidades podem ser de natureza física (ex. paralisias, redução da capacidade pulmonar), mental (dificuldade cognitiva, sintomas depressivos) ou ambas, e variam quanto à sua intensidade e impacto na qualidade de vida. As doenças causam um impacto (“burden”, do inglês carga), que pode ser medido através de custos financeiros, mortalidade, morbidade e outros indicadores. A medida “DALY” do inglês “anos de vida ajustados pela incapacidade” (“disability-adjusted life year”) estima o número de anos de vida com saúde perdidos devido à doença, invalidez ou morte precoce. Quanto mais precoce ocorrer o óbito ou incapacidade, maior será o impacto da patologia sobre o DALY. Pacientes sobreviventes de internação em UTI apresentam alto risco de apresentarem disfunção cognitiva e transtornos psiquiátricos após a alta hospitalar. Os mecanismos não estão completamente esclarecidos, e envolvem impacto direto e indireto da resposta ao estresse, inflamação sistêmica, hipóxia, instabilidade hemodinâmica e infeções. Estes fatores também podem contribuir para agravar lesões decorrentes de patologias primariamente cerebrais (ex. meningite, AVE, trauma craniano) Além disto, sobreviventes de lesões pulmonares agudas grave podem apresentar limitação funcional pulmonar a longo prazo como demonstramos previamente. Nossa hipótese é que além de apresentarem um risco significativo de mortalidade, uma grande parcela dos pacientes sobreviventes das SRAG também apresentam sequelas funcionais pulmonares, e transtornos neuropsiquiátricos incapacitantes, quem impactam na medida DALY, na qualidade de via dos pacientes, com impacto direto sobre o sistema de saúde e seguridade social. Acreditamos que este risco esteja aumentado em pacientes mais idosos, maior tempo de internação, com maiores índices de gravidade da SRAG e baixos níveis de escolaridade. Além disso, marcadores imunológicos também podem estar independentemente associados a ocorrência de letalidade e incapacidades tardias. Acreditamos também, que os marcadores imunológicos, assim como os desfechos, possam ser diferentes em pacientes com SRAG secundária a COVID-19, quando comparada a quadros não relacionados ao Sars-CoV-2. Por fim, além de incrementar a capacidade preditiva dos modelos prognósticos que iremos desenvolver, a identificação de marcadores imunológicos será o ponto de partida na busca de alvos terapêuticos eficazes para reduzir a mortalidade e morbidade por SRAG de diferentes etiologias.
  • Universidade do Extremo Sul Catarinense - SC - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Felipe Damasio

Ciências Humanas

Educação
  • a articulação entre divulgação científica, educação científica e ciência experimental contribuindo para qualificar o ensino de ciências na educação básica
  • Vide projeto anexo
  • Instituto Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Felipe de Azevedo Silva Ribeiro

Outra

Divulgação Científica
  • semana de ciência e tecnologia do semiárido 2020
  • Esta proposta tem como objetivo realizar a Semana de Ciência e Tecnologia do Semiárido 2020 com o tema “Inteligência Artificial: A Nova Fronteira da Ciência Brasileira” no Estado do Rio Grande do Norte com eventos virtuais, mas mantendo o caráter prático e interativo que caracterizou as propostas anteriores que participamos. Estes serão prioritariamente dirigidos a estudantes, professores e público em geral de 68 municípios pertencentes a seis Diretorias Regionais de Educação e cerca de 10 secretarias municipais de educação, entre 17 e 23 de Outubro de 2020. As atividades promovidas serão: IV Festival de Invenção e Criatividade do Semiárido; IV Ufersa de Portas Abertas; Ciclo de Palestras e Oficinas Mão-na-massa; Hackathon; Rádio Novela, TV Ufersa, e Minuto Ciência; Cinebiblio Especial; e seis Feiras de ciências regionais que reúnem escolas de seis diretorias regionais de educação. São parceiros dessa proposta a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) Campus Mossoró, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, o Massachusetts Institute of Technology Media Lab, a Secretaria de Estado de Educação e Cultura através de seis Diretorias Regionais de Educação e diversas secretarias municipais de educação, abrangendo um total de 68 municípios do Estado. A previsão é de 4.000 participantes nas diversas atividades, principalmente professores e estudantes da educação básica, mas também o público em geral. As atividades serão formuladas de maneira a priorizar a abordagem do tema da SNCT de forma lúdica, interativa e mão-na-massa.
  • Universidade Federal Rural do Semi-Árido - RN - Brasil
  • 23/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Felipe de Azevedo Silva Ribeiro

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • ciência para todos no semiárido x
  • Estimular o interesse pela ciência nos jovens de localidades remotas do sertão do semiárido é um desafio que o programa Ciência Para Todos no Semiárido Potiguar vem enfrentado com sucesso com recursos das chamadas 51/2010, 25/2011, 50/2012, 46/2013, 44/2014, 20/2015 e 25/2017 do CNPq. Em 2011, a abrangência do programa foi nas 12ª, 13ª, 14ª e 15ª Diretorias Regionais de Educação do Rio Grande do Norte (DIRECs), no ano de 2012 também nas 8a e 11a DIRECs, em 2013 em mais uma escola da 6a DIREC e a partir de 2014 na rede municipal de ensino de Mossoró. A partir de 2020, as escolas da 1a DIREC participarão do programa, atingindo um total de 232 escolas de 71 municípios potiguares que realizarão feiras de ciências em escolas, com projetos gerados a partir de questionamentos da vivência cotidiana dos estudantes, usando o método científico. A semente plantada tem ajudado professores e estudantes a compreender a lógica e a simplicidade do método científico, estimulando nos jovens o desenvolvimento do espírito inquiridor que caracteriza o cientista, e produzindo frutos que nos emocionam e estimulam a dar continuidade a este projeto. Partindo de uma realidade onde as escolas não realizavam feiras de ciências, hoje assistimos a uma verdadeira explosão das feiras escolares nos municípios onde atuamos. Acreditamos que o esforço desenvolvido pelas duas universidades públicas (UFERSA e UERN) envolvidas nos nove anos do programa será reconhecido para nos dar a oportunidade de continuar com este trabalho, que precisa ser consolidado e ampliado. O desafio continua sendo enorme, mas acreditamos que a experiência acumulada e as estratégias desenvolvidas para enfrentar as dificuldades habilitam nossa equipe a realizar esta edição do projeto agora intitulado “Ciência Para Todos no Semiárido X”. Portanto, o objetivo desse projeto é despertar a curiosidade científica nos alunos do ensino médio e realizar a X Feira de Ciências do Semiárido Potiguar com no mínimo 200 trabalhos nas mais diversas áreas do conhecimento, usando o método científico de investigação. O projeto envolverá etapas de capacitação de professores e multiplicadores sobre o método científico; oficinas de elaboração de projetos; acompanhamento das atividades de execução dos projetos; feira de ciências nas escolas; feira de ciências nas diretorias regionais, feira de ciências estadual e por fim atribuição de bolsas de iniciação científica júnior e participação dos melhores trabalhos em Feiras de Ciências Nacionais e Internacionais.
  • Universidade Federal Rural do Semi-Árido - RN - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Felipe Fardin Grillo

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • reuso de resíduo da indústria de papel e celulose na produção de escórias sintéticas
  • A siderurgia vem sofrendo transformações que buscam inovação e matérias-primas alternativas. Neste contexto, o principal objetivo desta pesquisa é substituir a cal como agente de dessulfuração e desfosforação. Por esta razão, um resíduo da indústria de papel (lama de cal) foi estudado para um agente de dessulfuração à base de escória, a fim de substituir a cal. Inicialmente, o resíduo será caracterizado utilizando as seguintes técnicas: análise química, análise granulométrica, área de superfície específica, difração de raios-X, microscopia eletrônica de varredura (MEV) e análise de espectroscopia por energia dispersiva (EDS). Após a caracterização, o metal será inserido no cadinho e realizada a completa fusão. A temperatura será aferida por um termopar descartável. Após atingida a temperatura, a escória será adicionada e amostras de metal serão coletadas (em 0, 1, 3, 5, 7 e 10 minutos). Por fim, os resultados experimentais serão comparados com os obtidos nos softwares termodinâmicos.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Fernandes Fanchini

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • inteligencia artificial aplicada a problemas físicos: um projeto focando em transição de fases quânticas
  • Este projeto de pesquisa tem como objetivo desenvolver uma metodologia que possa trazer de forma rápida e eficiente informações sobre as transições de fase quântica considerando modelos arbitrários. Nós iremos focar em diversas técnicas de inteligência artificial, passando pelos modelos mais simplistas aos mais sofisticados. Um de nossos objetivos é determinar se classificadores treinados em modelos simplistas são capazes de detectar as transições de modelos mais complexos. Além disso, através de técnicas de seleção de características, pretendemos determinar quais as observáveis são mais relevantes na determinação das transições. Tais informações poderão trazer uma nova forma de estudarmos as transições de fase quântica, onde métodos computacionais de inteligência artificial trarão novas perspectivas.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Flores Kupske

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • bilinguismo e perda não patológica de língua materna: uma análise de imigrantes soteropolitanos em londres e de britânicos em salvador
  • Muito embora seja um fenômeno empiricamente evidenciado, a Atrito de L1, perda não patológica de L1, ainda representa campo drasticamente pouco pesquisado, fato que justifica esta proposta de pesquisa por si só. Nesse prisma, conforme apontamos em Kupske (2017), seguindo-se Major (1992, 2010) e Schmid (2010), estudos que tentam deslindar o processo de influência da L2 na L1, um dos gatilhos do atrito, ainda representam uma parcela diminuta e à margem dos estudos da área de linguagem. A pesquisa em Atrito tem apresentado um leve desenvolvimento desde a década de 1980, mas ainda é raramente levada em consideração na linguística (KUPSKE, 2017). No Brasil, por exemplo, estudos de produção dos sons por falantes atritados são raros e, em relação à percepção, inexistentes. Assim, partindo de uma visão da linguagem como um Sistema Adaptativo Complexo (LARSEN-FREEMAN; CAMERON, 2008; BECKNER et al. 2009), calcado na psicolinguística e tomando ideias e métodos da fonética experimental, por meio de dois experimentos, este projeto tem como objetivo principal investigar o atrito de L1 na produção e na percepção da fala de bilíngues soteropolitanos em Londres e londrinos em Salvador, todos imigrantes de primeira geração. Busca-se, no Experimento 1, investigar a produção das oclusivas surdas do PB e do Standard Southern British English (SSBE) por imigrantes adultos de Salvador residentes em Londres e de londrinos em Salvador, testando os efeitos do tempo de residência e de outras variáveis como, por exemplo atitudes e motivação frente à L1 e à L2, histórico social e educação, aptidão linguística e personalidade. No Experimento 2, tentamos analisar como imigrantes atritados em um contexto de L2 dominantes são julgados quanto ao grau de sotaque em suas L1 por compatriotas monolíngues e por outros bilíngues em contextos de imigração. Como não se pensa em inovação apenas na perspectiva de novos produtos, serviços ou tecnologia, mas também em valor ou conceito, salientamos o potencial de inovação deste projeto. De maneira holística, além de trazer à tona e popularizar a área do atrito de L1, que vem intrigando a pesquisa em psicolinguística nas últimas décadas, os resultados desta pesquisa serão aplicados para elucidar não apenas o próprio atrito, mas também o desenvolvimento da línguas naturais como um todo. Além disso, destacará novos rigores metodológicos, sobretudo no controle e recrutamento de participantes, e novos instrumentos de análise. O mesmo se aplica ao ponto de vista científico, já que esta pesquisa busca evidenciar e analisar um fenômeno ainda pouco considerado na psicolinguística brasileira, por se tratar de uma área recentemente introduzida às ciências da linguagem.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Francisco Bondan Tuon

Ciências da Saúde

Medicina
  • detecção de microrganismos em dispositivos ortopédicos submetidos à sonicação, por espectrometria de massa, reação em cadeia da polimerase e cultura, após diferentes condições de processamento.
  • Os avanços tecnológicos, tanto em relação aos materiais utilizados como em relação aos métodos de design computacionais, permitiram o desenvolvimento de dispositivos ortopédicos cada vez mais funcionais auxiliando a inclusão e a participação social de pessoas com deficiência. Existem diversos tipos de dispositivos ortopédicos tais como placas, pinos, parafusos e próteses. Esses dispositivos são geralmente produzidos em metais puros, ou combinados com cerâmicos e polímeros, e podem ser utilizados para fixação de fratura óssea ou para substituição de tecidos duros. No entanto, estes dispositivos médicos tornam-se vulneráveis à contaminação, tanto pela microbiota colonizante, quanto por fontes ambientais, favorecendo assim a ocorrência de infecções ósseas associadas ao implante. A colonização bacteriana do dispositivo médico não só pode evoluir para a infecção clínica, como também pode afetar negativamente sua função. Para alguns pacientes, as infecções de próteses articulares frequentemente requerem múltiplas cirurgias, terapia antimicrobiana em longo prazo e períodos prolongados de reabilitação. Por estas razões o diagnóstico microbiológico, realizado por meio de cultura de amostras como fragmentos de biópsia e próteses ou componentes sólidos torna-se muito importante na estratégia de uso dos antimicrobianos. Este estudo tem como objetivo avaliar a detecção de microrganismos utilizando a técnica de sonicação de parafusos ortopédicos como método diagnóstico de infecções relacionadas a dispositivos médicos, após produção in vitro de biofilme de Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus e Candida albicans, utilizando diferentes formas de processamento e subsequente detecção direta por reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR) e espectrometria de massa por MALDI-TOF. Estudos recentes do nosso grupo de pesquisa mostram que o modelo de biofilme em parafuso ortopédico é possível de ser realizado (dados não publicados). Esperamos ao final deste projeto estabelecer uma metodologia de diagnóstico rápido, preciso e confiável da infecção periprotética para auxiliar na escolha correta de tratamento.
  • Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Geremia Nievinski

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • monitoramento geocêntrico do nível do mar costeiro apoiado por gps/gnss
  • Apesar de um claro aumento no nível médio do mar (NMM) quando integrado globalmente, o NMM exibe muita variabilidade e incerteza regionalmente. Altímetros orbitais (AO) são o principal instrumento para o monitoramento do NMM em alto-mar. Infelizmente, AO têm limitações nas regiões costeiras, onde os marégrafos ou linígrafos (M/L) continuam sendo o tipo de instrumento predominante. No entanto, M/L não são tão numerosos quanto o necessário e podem ser afetados pelo deslocamento vertical (DV), que inclui tanto a geodinâmica regional quanto problemas locais de fundação de edificações. Uma correção para DV é, portanto, necessária para converter NMM relativo em NMM geocêntrico e permitir uma comparação direta entre os registros de M/L e AO. Desprezar eventuais DV pode fazer com que subsidência e soerguimento sejam confundidos com a subida ou descida do nível do mar, respectivamente. O controle geodésico para DV normalmente envolve posicionamento por satélites como os do Sistema de Posicionamento Global (GPS) dos EUA e outros Sistemas Globais de Navegação por Satélite (GNSS), como o GLONASS da Rússia. O controle vertical envolve também levantamentos terrestres, realizados através de nivelamento geométrico entre o M/L e o GNSS. Mais recentemente, organizações internacionais oceanográficas e geodésicas recomendaram a instalação de antenas GNSS conectadas diretamente no topo do M/L, para que não haja incerteza sobre o seu DV. Tais antenas GNSS instaladas para fins de posicionamento também abrem a possibilidade de se monitorar o nível do mar diretamente via refletometria (GNSS-R), como uma verificação independente do M/L. A técnica de sensoriamento remoto por GNSS-R permite a altimetria costeira do nível do mar, através da exploração de reflexões fortuitas de ondas de rádio em superfícies naturais (como o mar) após a transmissão por satélites GNSS. Poucos M/L no Brasil tem controle vertical adequado, com exceção daqueles mantidos pelo governo federal (IBGE). Aqui propomos demonstrar o controle geodésico de M/L, tanto por meio do posicionamento GNSS quanto da refletometria GNSS. Será dada prioridade a dois M/L existentes no sul do Brasil, implantados pelo governo estadual e por uma iniciativa acadêmica. Para tanto, já estabelecemos contatos com organizações nos governos estadual e federal. Também asseguramos o empréstimo de longo prazo de equipamentos GNSS para uso compartilhado multiuso. Buscaremos fornecer medições geocêntricas do NMM costeiro com qualidade suficiente para estudos do clima, contribuindo para a estratégia nacional de adaptação às mudanças climáticas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Gomes Naveca

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • avaliação de fatores epidemiológicos, vetoriais e humanos, ligados à transmissão do vírus zika e outros arbovírus emergentes ou reemergentes em dois estados da amazônia ocidental brasileira.
  • A região Amazônica possui características geoclimáticas e de biodiversidade que fornecem condições favoráveis para a manutenção do ciclo natural de diversos agentes etiológicos de doenças tropicais, dentre os quais destacam-se os arbovírus. A literatura mundial mostra diversos vírus isolados em estudos nesta região, em especial no estado do Pará, na chamada Amazônia Oriental, fruto das atividades de pesquisa iniciadas com apoio da Fundação Rockfeller, e conduzidas pelo Instituto Evandro Chagas-MS. No entanto, os cenários Amazônicos apresentaram modificações importantes nas últimas décadas, sobretudo com o adensamento de grandes cidades na região, com o consequente aumento na detecção de vetores sinantrópicos, como o Aedes aegypti e o Aedes albopictus. Outro fator importante que compõe a já complexa questão epidemiológica para transmissão de arbovírus na região é o aumento dos deslocamentos populacionais internacionais, transitórios ou permanentes. Nesta região existem cenários de intensa movimentação fronteiriça, onde muitas vezes os cenários urbanos se confundem com facilidade. Esta situação pode, portanto, atuar como uma facilitadora para introdução e dispersão de arbovírus oriundos de outros países, os quais podem encontrar vetores competentes para manter a cadeia de transmissão. Nos últimos anos tem ocorrido um fenômeno global de aumento do número dos casos de arboviroses. Vírus como o Chikungunya e o Zika, que antes circulavam em ambiente limitado na África e Ásia, hoje atingem populações em diversos países. Pelo exposto, é natural supor que arbovírus endêmicos da região amazônica possam emergir inicialmente como patógenos de maior importância na região, consequentemente, possam atingir outras regiões do país e do mundo. A prevenção das arboviroses é baseada fortemente nas ações de combate aos vetores, uma vez que não existem vacinas para a grande maioria destes agravos. Assim, considerando a importância do controle vetorial e a necessidade de estudos que visem esclarecer mecanismos ligados a transmissão do vírus Zika – um importante arbovírus emergente que foi negligenciado mundialmente, e de outros arbovírus emergentes ou reemergentes; bem como avaliar fatores virais que resultem na subnotificação de infecções por arbovírus, propomos neste projeto avaliar fatores epidemiológicos, vetoriais e do hospedeiro humano, ligados a transmissão do vírus Zika e outros arbovírus em dois estados da Amazônia Ocidental, Amazonas e Roraima, contribuindo com novas informações que possam direcionar as estratégias de prevenção e controle destas arboviroses. Ainda dentro desta proposta, serão realizados experimentos para a detecção de dois arbovírus emergentes; ensaios para a detecção de possíveis vírus novos; a avaliação de uma alternativa para o transporte e condicionamento de amostras para pesquisa de arbovírus em locais remotos, além do desenvolvimento de novos protocolos para o diagnóstico laboratorial dos arbovírus. Esperamos ao final deste projeto ter contribuído com o SUS através de maiores conhecimentos voltados à vigilância epidemiológica das arboviroses, bem como com a capacitação de pessoal em diversos níveis de formação.
  • Fundação Oswaldo Cruz - AM - Brasil
  • 03/10/2016-31/10/2020
Foto de perfil

Felipe Gomes Naveca

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • avaliação de fatores clínicos, imunológicos e virológicos em pacientes infectados pelo novo coronavírus (sars-cov-2) em diferentes estados da região norte do brasil - covidnorte
  • No final de 2019, a partir de amostras coletadas de pacientes com pneumonia de etiologia desconhecida em Wuhan, China, foi identificado um novo coronavírus, por meio de sequenciamento nucleotídico metagenômico. Este novo vírus recebeu o nome de SARS-CoV-2 e pertence à família Coronaviridae, gênero Betacoronavirus. Tal como os demais membros desta família, é um vírus envelopado e possui genoma RNA de fita simples, polaridade positiva, com aproximadamente 30 kb que codifica seis proteínas, sendo duas replicases e quatro proteínas estruturais. Em 11 de fevereiro de 2020 a Organização Mundial de Saúde denominou a doença causada por este novo vírus de COVID-19. Assim como os demais vírus respiratórios, a transmissão tem sido documentada de pessoa-pessoa ou pelo contato com secreções e superfícies contaminadas, causando uma infecção assintomática ou um quadro sintomático com febre, tosse seca, dispnéia, náusea, fadiga, mialgia e diarréia. Apesar de a maioria dos pacientes desenvolverem uma doença leve, algumas pessoas, em especial idosos e/ou pessoas com alguma comorbidade podem apresentar quadro de síndrome respiratória aguda grave necessitando de internação em unidades de terapia intensiva e ventilação mecânica. É de conhecimento que um dos principais mecanismos para a SRAG é a liberação de grandes quantidades de citocinas pró-inflamatórias (IFN-α, IFN-γ, IL-1β, IL-6, IL-12, IL-18, IL-33, TNF-α, TGF-β, etc.) e quimiocinas (CCL2, CCL3, CCL5, CXCL8, CXCL9, CXCL10 etc.) por células efetoras imunológicas durante a infecção. Essa desregulação na produção de citocinas desencadeia um ataque violento do sistema imunológico ao organismo, causando SRAG e falência de múltiplos órgãos, o que faz com que haja uma grande probabilidade de evolução a óbito dos casos graves. Em pouco tempo desde a documentação do primeiro caso, a COVID-19 tomou proporções mundiais sendo declarada situação de emergência de saúde pública de importância internacional em 30/01/2020 e em 11/03/2020 foi declarada a pandemia. Em 26/02/2020 foi registrado o primeiro caso no Brasil e atualmente todos os municípios do país com mais de 500 mil habitantes têm casos confirmados, totalizando mais de 66 mil casos no país, dos quais mais de oito mil estão na região norte, sendo que o Amazonas concentra quase 4 mil casos e tem uma taxa de letalidade de 8,1%, que está entre as maiores do país. Rondônia e Roraima apresentam cerca de 4 mil casos cada com taxas de letalidade de 2,5 % e 1% respectivamente. Cabe ressaltar que a região norte possui particularidades quando comparada a outras regiões do país, como as condições geoclimáticas e o fluxo migratório internacional, através de suas fronteiras, o que torna ainda mais complexa a realidade epidemiológica da região. Além do SARS-CoV-2 outros vírus que afetam o trato respiratório circulam na região, só no Amazonas por exemplo, houve um aumento de 680% no número de notificações de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e de acordo com boletins epidemiológicos já de 2020, apenas cerca de 30% dos casos de síndrome gripal (SG) e 20% de SRAG tem o agente etiológico identificado, mostrando a necessidade de informações a respeito dos vírus respiratórios que estão circulando. Considerando a necessidade de maior conhecimento dos vírus respiratórios que estão circulando na região e o fato de que a combinação de estudos moleculares, imunogenética e caracterização genética do vírus, podem fornecer novas evidências que ampliem o entendimento clínico e imunológico da Covid-19, propomos no presente projeto realizar a caracterização evolutiva do genoma total de SARS-CoV-2, descrever o perfil de resposta imune e características imunogenéticas de pacientes oriundos na Região Norte do país, com diferentes padrões clínicos de infecção. Para tanto, inicialmente iremos recrutar e detectar pacientes positivos para COVID-19 e caracterizar o perfil clinico-epidemiológico dos mesmos. Posteriormente, as amostras positivas para SARS-CoV-2 serão encaminhadas para sequenciamento do genoma completo e análise de possíveis mutações. Além disso, amostras que permanecerem sem a etiologia definida serão submetidas a um protocolo de sequenciamento nucleotídico comercial que possibilita o sequenciamento de 41 variantes virais, em 12 gêneros. Todas as reações de sequenciamento serão realizadas nas plataformas participantes da Rede Genômica do Amazonas. Uma vez com as sequências obtidas, todas serão submetidas à inferência filogenética/filogeográfica por dois diferentes métodos, Maximum Likelihood (ML) e Bayesian Inference (BI), utilizando os softwares PhyML e MrBayes para melhor caratcerização genética e inferência de possíveis rotas de introdução e dispersão destes agentes virais nos estados participantes da pesquisa. Ademais, será conduzido um estudo imunogenético para identificação de polimorfimos genéticos de base única e também serão dosados os níveis de citocinas através do Bio-Plex Pro Human Cytokine Screening Panel 48-Plex. Por fim, serão realizadas análises estatísticas de todos os dados obtidos e associações. Com o desenvolvimento e conclusão deste projeto, esperamos gerar informações que contribuam para o eficiente enfrentamento da COVID-19, bem como ter mais conhecimentos sobre a etiologia das infecções respiratórias ocorridas na região.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Felipe José Comunello

Ciências Humanas

Antropologia
  • mercados imaginados: novas faces do turismo no rio grande do sul
  • Os anos 2000 foram marcados por um esforço em torno da expansão do turismo no Brasil, por meio de políticas de Estado voltadas para aumentar o consumo de “bens e serviços” ligados a esse setor. Esse esforço foi caracterizado como uma “política nacional de turismo com enfoque territorial" (Brasil, 2013a, p.2). Essa perspectiva de expansão do turismo, no âmbito do desenvolvimento do país, ganhou centralidade também na sociedade, especialmente com a perspectiva de retorno dos investimentos realizados pelo país na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016, bem como com a ampliação do acesso a bens e serviços para um número maior de pessoas de classes populares ou trabalhadoras (as chamadas “Nova Classe Média” ou “Classe C”). No entanto, ao contrário de processos tais como remoções de comunidades urbanas e protestos sociais, ou ainda, políticas de inclusão social ou categorizações das mudanças demográficas, entre outros, o fenômeno turístico permaneceu pouco pesquisado desde perspectivas que atentem para as dinâmicas sociais, culturais, políticas e econômicas. Nesse sentido, este projeto visa contribuir para preencher essa lacuna, propondo uma pesquisa sobre como se dão mercados imaginados, através da análise de destinos turísticos, do reflexo no turismo das mudanças sociodemográficas recentes, e dos megaeventos esportivos. No Rio Grande do Sul, a cidade de Gramado tornou-se o principal “destino turístico” nos anos 1990. Ela foi escolhida como um dos “destinos indutores” de turismo no quadro da política de regionalização do turismo do MTur. Conforme Dorneles (2001), antes da cidade de Gramado ser procurada por turistas, havia um fluxo de veranistas desde o início do Século XX, os quais permaneciam na cidade por cerca de quinze a trinta dias em busca de um clima ameno para descanso. Segundo o pesquisador, os veranistas, porém, passaram a dar preferência às praias do estado, fato que ensejou a cidade de Gramado na busca por atrair turistas. O autor demonstra que desde a primeira “Festa das Hortênsias”, em 1958, eventos passaram a ocorrer preferencialmente no inverno, fazendo com que Gramado fosse recriada como uma “cidade-paisagem” e se tornasse referência em um período em que as praias não são mais a atração principal para os turistas. Nos últimos tempos, Gramado tem sido referência por ter fluxo de turistas durante o ano inteiro. Ao mesmo tempo, o modo como isso foi alcançado permanece um enigma para aqueles que pretendem reproduzir o modelo (Comunello, 2014). Um enigma que está relacionado com a atuação da Operadora de Turismo CVC (CVC), na cidade desde os anos 1990. A presença da CVC, juntamente com a expansão do aparato governamental em torno do turismo, está associada a uma mudança na ordem moral que proporcionou o desenvolvimento turístico (Comunello, 2014). Essa hipótese baseia-se em uma discussão sobre hospitalidade a partir de uma abordagem antropológica (Candea e Da Col, 2012; Pitt-Rivers, 2012; Herzfeld, 1987). Para verificar essa hipótese, cabe contrastar a situação de Gramado com municípios das regiões de praia do Rio Grande do Sul, onde nenhum foi escolhido “destino indutor”, muito embora em tais municípios os veranistas movimentem fortemente a economia. O surgimento de “destinos turísticos” pode ser compreendido como parte de um tipo de conhecimento vertical do mundo, materializado nos sistemas de transporte e em práticas de conservação de biodiversidade que delimitam o ambiente global (Ingold, 2011). Tal conhecimento é incorporado nas práticas que visam definir um “destino turístico”, sobretudo aquelas relacionadas ao marketing e à promoção desses lugares, como parte de uma economia translocal que se efetiva na medida de sua reconstrução como território turístico. Nos últimos anos, em alguma medida, esse marketing e promoção turísticos tiveram como foco a ampliação do acesso a bens e serviços para um número maior de pessoas de classes populares ou trabalhadoras. Na última década essas pessoas têm sido chamadas “Nova Classe Média” ou “Classe C”, desde que foram divulgadas pesquisas da FGV em que o Brasil foi considerado um país de classe média (Neri, 2008). Nessas pesquisas, realizadas entre 2002 e 2008, constatou-se um aumento da renda de milhares de pessoas que se encontravam em níveis inferiores de renda e passaram a fazer parte no nível médio, tanto devido a melhorias de renda no emprego quanto no acesso ao crédito. Tal definição foi criticada por se limitar a critérios econômicos, sobretudo a renda (Souza, 2010; Scalon e Salata, 2012; Xavier Sobrinho, 2011). No entanto, as mudanças nos padrões de consumo de largas camadas sociais e as respectivas maneiras de medir, avaliar e mediar tais mudanças também têm sido investigadas, atentando para os seus efeitos sociais, científicos e políticos, de modo articulado (Kopper, 2016). Além da expansão dos mercados internos, por meio do acesso ao crédito e ao trabalho assalariado, a indústria turística também foi influenciada, no período, pelos fluxos de capital e investimento que tornaram o Brasil a sede de megaeventos em 2014 e 2016. O processo de concepção e implementação de infraestruturas erigiu-se, em grande parte, sobre a premissa do desenvolvimento econômico, que seria ocasionado pelos fluxos turísticos internacionais ao país. Assim, cidades inteiras se reconfiguraram, tornando-se nódulos de circuitos de investimento e turismo, com consequências duradouras para sua economia e cultura (Damo e Oliven, 2013). Este projeto insere-se em um esforço mais amplo de pesquisa sobre o que diz respeito às relações estabelecidas entre institutos e instituições públicos ou privados, envolvidos em diversos aspectos na implementação de políticas de governo, desde pesquisas de mercado às transformações sociais engendradas. Esse esforço tem sido realizado nos últimos anos junto ao Grupo de Antropologia da Economia e da Política (GAEP), do Núcleo de Pesquisas sobre Culturas Contemporâneas (NUPECS), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Kessler

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • envelhecimento acelerado de materiais poliméricos em como ferramenta para monitoramento ambiental marinho.
  • O acumulo de resíduos poliméricos é um problema a ser enfrentado pela geração atual bem como pelas próximas. Estimativas apontam que 90 % de todo o resíduo que se encontra flutuando no oceano é constituído de materiais poliméricos sintéticos. Diferentes ambientes aquáticos, trazem consigo diferentes características físico-químicas. Por consequência, diferenças na presença de óxidos metálicos refletem diferenças na degradação por intempéries. Em seu percurso, do descarte inadequado a sua difusão em águas marinhas, micro e macro plásticos carregam com si um histórico de degradação, com características e níveis de degradação compatíveis com o meio aquoso em que esta degradação ocorreu. Deste modo, acredita-se que a correlação entre características químicas e macromoleculares podem indicar uma relação espaço temporal do resíduo polimérico descartado no oceano. Este projeto visa a construção de uma ferramenta de avaliação de amostras poliméricas coletadas no oceano baseada em modelos quimiométrico, capaz de identificar relações espaço-temporais das amostras. O desenvolvimento e aplicação de da ferramenta poderá fomentar modelos de manejo ambiental, onde o monitoramento de macro e micro plásticos coletados no oceano, possa indicar a fonte de poluição, servindo de fomento para a formulação de políticas públicas ambientais.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Felipe Machado Trombete

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • mitigação das micotoxinas desoxinivalenol, nivalenol e desoxinivalenol-3-glucosídeo pela ozonização e influência na qualidade lipídica de grãos de milho e sorgo
  • A aplicação do ozônio (O3) no armazenamento e processamento de alimentos é uma tecnologia limpa e emergente que tem sido investigada pela sua alta capacidade oxidante, podendo ser utilizada para prevenir, reduzir ou eliminar diversos contaminantes químicos e biológicos em cereais. No entanto, a ozonização também pode causar alterações indesejadas no alimento, como a oxidação lipídica e degradação de compostos bioativos de importância nutricional. Atualmente, as micotoxinas de Fusarium spp., tais como o desoxinivalenol (DON) e o Nivalenol (Niv) têm sido encontradas em altos níveis em derivados de cereais comercializados no Brasil, representando um importante problema de saúde pública. Estudos recentes têm demonstrado que DON também pode ser encontrado na forma conjugada com a glicose, denominado desoxinivalenol-3-glucosídeo, classificado como uma micotoxina modificada. Até o momento, nenhum estudo foi realizado no país a fim de verificar a presença de D3G em cereais. Esse projeto objetiva avaliar os níveis de DON, D3G e Niv em cereais para consumo humano e estudar os efeitos da ozonização aplicada em milho e sorgo, na redução dos níveis de tais micotoxinas e na qualidade lipídica dos grãos. As atividades serão realizadas por uma equipe composta por docentes/pesquisadores, técnicos e discentes da Universidade Federal de São João del-Rei, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Embrapa Milho e Sorgo e Embrapa Agroindústria de Alimentos. O projeto terá grande impacto do ponto de vista técnico-científico pois se propõe a estudar a aplicação da ozonização na redução de micotoxinas presentes em cereais de relevância econômica e nutricional no Brasil. Pretende-se ainda, contribuir com as atividades de ensino do Departamento de Engenharia de Alimentos da UFSJ, promovendo cursos sobre aplicações do ozônio em alimentos e sobre micotoxinas e suas formas modificadas. Também, espera-se gerar um impacto positivo na formação de estudantes de graduação em Engenharia de Alimentos da UFSJ, através da realização das atividades propostas na forma de projetos de iniciação científica e, ainda, estabelecendo uma linha de pesquisa na área de ozonização de alimentos e matérias-primas não alimentícias, permitindo a realização de outras pesquisas na área das Ciências Agrárias.
  • Universidade Federal de São João Del-Rei - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022