Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandre Marletta

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • desenvolvimento de novos eletros semicondutores inorgânicos para aplicação em pleds.
  • No presente projeto pretende-se estudar as propriedades ópticas e elétricas de dispositivos eletroluminescentes baseado em novos semicondutores inorgânicos injetores de elétrons ou buracos. Serão fabricados PLEDs utilizando como camada ativa polímeros comerciais derivados dos poliparafenilenovinileno ou polifluorenos. Os eletrodos semitransparentes de utilizados serão o seleneto de cobre (injetor de buracos) ou sulfeto de cadmio (injetor de elétrons). O interesse neste trabalho é usar uma técnica simples e de baixo custo para fabricação de eletrodos transparentes e flexíveis para aplicação na produção de PLEDs substituindo o já conhecido ITO (óxido de estanho dopado com índio). As propriedades ópticas e elétricas serão investigadas através das técnicas de: absorção no UV-Vis, fotoluminescência (PL) e eletroluminescência. As caracterizações elétricas serão baseadas em medidas de corrente vs. tensão contínua (dc). As amostras serão processados e caracterizados no Grupo de Espectroscopia de Materiais do Instituto de Física (InFis) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Meneghello Fuentefria

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • desenvolvimento de novas estratégias para o combate de fungos patogênicos de difícil tratamento
  • As infecções fúngicas tornaram-se um desafio complexo de saúde pública global e a aplicação de uma estratégia única não será suficiente para conter a emergência de espécies de incomum manejo terapêutico e com capacidade de adquirir resistência aos agentes antimicrobianos disponíveis. A atual escassez de novos antifúngicos para substituir aqueles que se tornam ineficazes traz urgência no desenvolvimento de entidades químicas antimicrobianas alternativas, adicionada à necessidade de proteger a eficácia dos já existentes. Ao mesmo tempo, a indústria farmacêutica não apresenta, há pelo menos duas décadas, novos fármacos contra fungos patogênicos com mecanismos de ação diferentes dos disponíveis no mercado, evidenciando a urgente necessidade dessa prospecção. Com base no exposto, o grupo de pesquisa coordenado pelo proponente vem desenvolvendo nos últimos anos diversas estratégias de combate a fungos patogênicos de difícil tratamento, abrangendo desde projetos com biomoléculas purificadas de vegetais até a síntese racional de novas moléculas antifúngicas. Neste sentido, a proposição de pesquisa terá como alvo fungos patogênicos emergentes considerados como agentes de difícil tratamento ou de doenças fúngicas negligenciadas, cujos isolados apresentam com muita frequência a problemática multirresistência aos antimicrobianos. Como eixos norteadores dessa nova proposta estarão: (I) a prospecção e desenvolvimento de novas moléculas antifúngicas que consigam ter um espectro efetivo contra esses microrganismos, tanto na sua forma livre como na forma de biofilme sobre os tecidos e materiais; (II) Estudos da eficácia dessas moléculas em formulações antimicrobianos utilizando modelos da de estudos ex vivo e in vivo; (III) Caracterização do mecanismo de ação das moléculas mais efetivas nos modelos testados; (IV) estudo da segurança toxicológica através das parcerias estabelecidas pela nucleação de grupos de pesquisas coordenados pelo proponente; (V) desenvolvimento de biopolímeros e formas farmacêuticas de liberação seletiva das moléculas selecionadas como promissoras. A proposta está sendo construída com o intuito de abranger capítulos em todos os projetos de mestrado e doutorado sob orientação direta do proponente. Com o explícito objetivo de nuclear os grupos colaboradores dos projetos executados no Grupo de Pesquisa em Micologia Aplicada nos últimos 5 anos, este plano de trabalho está sendo proposto em cooperação com pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal de Santa Maria, Universidade Federal do Pampa, Instituto Federal de Santa Catarina e também com pesquisadores do Instituto de Química Macromolecular da Academia de Ciências da República Tcheca. O coordenador da proposta, prof. Alexandre M. Fuentefria, é bolsista de produtividade do CNPq (PQ-2) e atualmente é orientador pelos Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da UFRGS (CAPES 7) e Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente da UFRGS (CAPES 5). Atualmente integram o seu grupo 1 pós-doutorando, 8 alunos de doutorado e 2 de mestrado. Nos últimos 5 anos, o Grupo de Pesquisa coordenado pelo proponente publicou cerca de 50 artigos em revistas internacionais e nacionais tendo como tema central o combate a fungos patogênicos de difícil tratamento.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Mesquita

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • síntese e caracterização de nanomateriais luminescentes: aluminatos, silicatos e pontos de carbono
  • Os materiais nanoestruturados vêm sendo extensivamente estudados, não somente pelas novas propriedades e suas possíveis aplicações tecnológicas, mas também pela busca de uma melhor compreensão dos aspectos físicos e químicos que causam tais mudanças. Em relação a materiais luminóforos, estudos da estrutura em escala nanométrica tem recebido considerável interesse em razão do efeito de tamanho quântico que exibem. Materiais nanoestruturados apresentam propriedades eletrônicas intermediárias entre aqueles de estrutura molecular e sólidos macrocristalinos e são objeto de intensa pesquisa, apresentando uma grande diversidade de aplicações quando na forma nanoestruturada. Entretanto, não existe consenso na literatura a respeito da natureza da emissão de fotoluminescência em vários materiais nanométricos. Nesse contexto, esse projeto tem como objetivo realizar a síntese e a caracterização de materiais nanoestruturados e correlação com propriedades fotoluminescentes. Neste trabalho, utilizar-se-á métodos químicos de preparação, como método hidrotemal assistido por microondas, método dos precursores poliméricos e carbonização de materiais orgânicos. A caracterização morfológica se fará através de técnicas como microscopia eletrônica de varredura de alta resolução (FEG-MEV). As propriedades estruturais das nanopartículas, bem como suas propriedades físicas e químicas, serão determinadas através de técnicas convencionais como difração de raios X, espectroscopia Raman, infravermelho e fotoluminescência.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022